terça-feira, julho 08, 2014

Gente, não é um livro de originais, mas uma colectânea de textos de O Sexo dos Anjos, Domingos, Sábados e outros Dia e Estilhaços. Eu e o Francisco Vale decidimos celebrar vinte anos de colaboração e amizade.

20 anos depois

100 comentários:

João Pedro Barbosa disse...

Aquiles gostei, do jantar que fui... Quanto à casa. Entre a minha! Preferi a de Sophia?

andorinha disse...


Decidiram bem...:))))))

Cá o aguardo. Ao livro, claro. lol

João Pedro Barbosa disse...

É o problema do pentágono. Só faltam quatro! Bi-tri? Ou 2 vezes três...

bea disse...

Porque não, professor?! Toda a gente anda por aí a reeditar antiguidades:)...e, felizmente, há coisas que não passam. Não sei se se podem chamar de antigas.

João Pedro Barbosa disse...

Como escreveu o organizador de 2020, para a conferência sobre aquecimento global. Antes de ser entrevistado! Pediram-lhe para não falar propriamente em global-waming? E por cá...

"TVI24 - ‎Há 7 horas‎
A Organização das Nações Unidas (ONU) apresentou um documento criado por especialistas internacionais no qual foram reunidas ações específicas para aplicar pelos países, de forma a limitar o aquecimento global abaixo dos dois graus centígrados."

João Pedro Barbosa disse...

Bea? Se tivesse o seu numero! Enviava-lhe uma perdida. Levá-la comigo, nunca...

João Pedro Barbosa disse...

Depois De Incluídos Na Cauda Da Estrela Superamos Com Os Picos Da Estrela

"http://www.tsf.pt/PaginaInicial/Internacional/Interior.aspx?content_id=4016438"

João Pedro Barbosa disse...

qUANDO As Pessoas Veem Coisas Onde Elas Não Existem

"http://www.youtube.com/watch?v=1N5THRSp4hM"

João Pedro Barbosa disse...

St-Josemaria-Escriva? Nas palavras, de pessoas do mesmo sexo! Foi prudente em utilizar o plural. Uma vez que no singular, seria desastroso...

João Pedro Barbosa disse...

Andorinha... Quanto mais o tempo, passa! Menos importantes são os anos! Os dia e os minutos?

João Pedro Barbosa disse...

Anfitrite? Mais vale queimar, os dedos! Que queimar a mata. Já dizia o Pedro...

João Pedro Barbosa disse...

Bea? Vi muitas vezes! Não esperava. Ver no improvável...

andorinha disse...

Bea,

Claro. Mais um para as férias. Ainda por cima, nunca li Estilhaços.
Domingos, Sábados e outros Dias emprestei e nunca mais o vi...:(
Nunca mais empresto livros ou seja o que for. Por uns pagam os outros.


Que cheirinho bom a férias! Não notas?:))))


João Pedro,

Não concordo nada. Quanto mais o tempo passa mais importantes são os anos, os meses, as semanas...

Beijinhos para 'bozes':)

João Pedro Barbosa disse...

Boa noite, gente.

bea disse...

Andorinha

Noto, pois. Já andei de bicicleta e tudo. Fixe. Tinha tanta saudade e nem sabia.

Boa noite: durmam bem

João Pedro Barbosa disse...

Bea? Nunca vi! Nada assim. Até os ciclos únicos, andam mais devagar...

bea disse...

Bom Dia:)

muita vez não te entendo. Outras vezes era melhor que te não entendesse. Oh vida terrível e terrivelmente sugestiva!

Fiquem Bem neste dia BOM

Vou

João Pedro Barbosa disse...

Bea? Seria bom estarmos juntos! Mas a diferença de idade. Seria, uma excursão etnográfica...

andorinha disse...


Bom dia:)

Vou andar de bicicleta...

Ciao, bambini:)

João Pedro Barbosa disse...

Professor, se o Lima é o rio do esquecimento. O Cávado é o saudade! E o Ave nem se fala? Para não menorizar o Douro...

João Pedro Barbosa disse...

A Religiosidade Respeito No Culto A Religião É Ao Limite De Cada Um

"http://www.tsf.pt/PaginaInicial/Internacional/Interior.aspx?content_id=4019939&utm_source=dlvr.it&utm_medium=twitter"

João Pedro Barbosa disse...

Bea? Levas-te os guarda lamas! É que está um tempestade. Que há por aí, muita constipação...

João Pedro Barbosa disse...

Andorinha... Terá que a publicação terminar. Quando como o Ímpio sugeriu, estar desfeito! Ainda não acabou?

"http://www.youtube.com/watch?v=8tKfYwc4zxA"

João Pedro Barbosa disse...

Boa noite, gente.

bea disse...

andorinha!...tu também andas de byke...hummm.

João Pedro já te disse que sou um poço de saúde:) e quase não me constipo? pois é.

Estou banzada com o país; enquanto andei desnoticiada, morreu o filho de Judite de Sousa, pessoa que admiro e tanto sofre agora; e, a avaliação dos centros de investigação foi uma fantochada com final trágico para muitos deles e dos investigadores que ali trabalham.

Como é que nós, que já somos tantos, deixamos que apenas alguns continuem a desbaratar a nossa quota de vida e de futuro...

Juro que fico sem vontade de escrever. já nem me apetece denegri-los.

biépi. chichi e caminha que as sextas dão conta de qualquer.

uma frase que li:

"entendei que até mesmo na cozinha, entre as caçarolas, anda o Senhor..." Santa Teresa de Ávila

João Pedro Barbosa disse...

Bea? Nunca me tinha acontecido! A ver. Notícias...

Moon disse...

:)


E a apresentação é quando?
Ou está apresentado por natureza!?! :)

João Pedro Barbosa disse...

Moon? Engano-me em viver numa democracia! Sempre um país, a viver na democracia. Cá em em casa é uma ditadura...

João Pedro Barbosa disse...

http://www.vagalume.com.br/pink-floyd/on-the-turning-away.html

João Pedro Barbosa disse...

Bea? Faz bem recordar! Repetir. Tem o seu, quê...

andorinha disse...


Por acaso não ando, Bea. Estava a brincar...
Gostava muito mas não sei looool
Uma amiga anda a convencer-me a aprender. Acho que me vou deixar convencer:)

Vou até ao mar...Saudades dele:)

Inté...

João Pedro Barbosa disse...

Bea? Não me digas! Que Francisco Quarto, abdicou. Melhores ventos virão...

João Pedro Barbosa disse...

Anfitrite? Cá em cima! Está um calor. Ainda me chegou a cheirar a caruma, afinal era só churrasco...

João Pedro Barbosa disse...

O público... É muito. Ingrato com os, artistas?

"http://www.publico.pt/economia/noticia/salvem-o-bes-e-deixem-cair-a-familia-1662452"

João Pedro Barbosa disse...

Andorinha... A fé voltou, à terra prometida. Depois da Primavera Árabe! Despediu-se da Syria?

João Pedro Barbosa disse...

Convidem um tipógrafo. Antes! De publicar? E sejam, felizes...

bea disse...

Andorinhaaaaaa...pá...vá lá que há uma coisa que sei e tu não:)) mas não é por saber, é que gosto, pronto. Amo o silvo pequeno do vento na roda da frente, o som circular da borracha no alcatrão, o ar a despentear-nos, o fresco que atira as roupas para trás... é bom sentir o cheiro da terra e das ervas no lugar onde costumo pedalar e não visitei este ano. Mas hei-de.Nem que seja para ver se ainda consigo:))

Aprender não me foi fácil. Caí um carradão de trambolhões antes de entender que chegava com os pés ao chão:))Mas é muito mais interessante que andar a pedalar num ginásio.
Bom, não tem a mesma finalidade, a minha dá prazer (exceptuando as subidas) e a outra julgo que só suor e gramas a menos.

Fiquem BEM. biépi.

João Pedro Barbosa disse...

Bea? Gostamos! Muito. De os passear, na rua...

andorinha disse...


Bea,

E deve haver outras...:))))
E vice-versa lol

Eu também acho que vou gostar e por isso vou tentar aprender.
A minha amiga de que falei quase que prescindiu do carro, agora de verão, e faz imensos percursos de bicicleta.
Fico com uma "imbeja"...:)

Ela até já me falou que há aqui uns sítios onde ensinam adultos, vou-me encher de coragem lol

Pedalar num ginásio não gosto, nem correr no tapete. Gosto de ar livre e sentir que me desloco:)


Biépi 2:)

João Pedro Barbosa disse...

Bea? Um Shell de oito! Só falta. Ter voz de timoneiro, para não ter que puxar a proa(que seria melhor)

Anfitrite disse...

Olá a todos.

Andar de bicicleta não custa nada. É só ir para um sítio onde não haja trânsito. E nunca olhar para a roda. É só olhar em frente, que o equilíbrio faz-e por si. Ainda sou do tempo que tive de tirar carta de condução. Até cheguei a andar numa sem travões. Tinha de pôr o pé na roda da frente. Fala quem também já andou de mota. Aqui é mais perigoso porque não nos respeitam nas prioridades. Agora é mais fácil para as bicicletas. Com a nova lei são donos da estrada
e até podem andar lado a lado e empatar todo o trânsito. Neste país é sempre oito ou oitenta.


Quanto ao livro lamento que não tenham pedido a minha opinião. Deve ser apenas o copy paste de algumas partes dos outros. É pena. Porque no "Sexo dos Anjos" não fizeram bem a selecção. Houve emissões bem mais bonitas que ficaram de fora. Só houve uma - a do patinho feio; Jannis Joplin - que eu não tinha ouvido.

Anfitrite disse...

Bea,

Feliz regresso. A perda da Judite, ainda hoje me faz chorar. Uma mulher que só viveu para o seu filho, que depois passou a ser a sua âncora, porque apesar de ganhar bem, isso não tem valor nenhum. Às vezes até me convenço que o mal de inveja tem mesmo força. Ela não merecia ter sofrido o que já sofreu.
Por isso até fico irriatada quando vem para aqui com possíveis citações de Teresa D'Avila. Por aquilo que li ela era apenas uma alucinada. Quais foram os milagres que ela fez? Ela foi mais uma promoção de Igreja. Transformou os prostíbulos dos conventos, em Carmelas descalças, para se redimir dos pecados(?). Tipo Inquisição. Leia só este bocadinho:

http://www.arautos.org/especial/30707/Santa-Teresa-de-Avila.html

Sejam felizes

João Pedro Barbosa disse...

Levem Água Que O Caminho É Longo

João Pedro Barbosa disse...

Anfitrite? Estás como! O meu Deus. Cada vez menos, irónica...

Anfitrite disse...

João Pedro,

A ironia só tem efeito nas pessoas inteligentes. E pelos vistos está tudo satisfeito com a vida que tem, já não há ironia que me valha. Agora seria só à porrada se tivesse hipóteses. Alguns ainda se vão safando servindo-se das redes sociais para propaganda, eu nem a praguejar me safo.
Até já,cheira-me a queimado, deve ser o senhor que caiu dentro duma caçarola.

Anfitrite disse...

Há quem tire cursos superiores de línguas, de gestão, só para ser acompanhante de luxo, de empresários borra-botas, quase analfabetos, mas que ganharam muito dinheiro e elas servem de isca e intérpretes para facilitar os negócios. As que têm cabeça são umas grandes senhoras da sociedade, em que se fazem respeitar pelo dinheiro, pelo físico e pela prática.

http://mulher.sapo.pt/atualidade/noticias/artigo/australiana-escreve-livro-depois-de-fazer-sexo-com-mais-de-10-mil-homens

João Pedro Barbosa disse...

Andorinha... Estava bom. O mar! Coisas, que trouxe de lá?

bea disse...

Desejo a todos uma boa noite. amanhã venho cá ler tudinhoooo.

Nem deu para investigar os vossos assuntos...

Fiquem BEM

andorinha disse...


Anfy,

"Acompanhante de luxo"?
Acho piada ao eufemismo. Soa melhor, não é?


Há pouco ouvi um comentador desportivo dizer a propósito da derrota do Brasil por 7-1 que lhe fez imensa impressão ver crianças, mulheres e ATÉ ADULTOS a chorar.
Juro que ouvi.

Para esse senhor existem as crianças e as mulheres, essas coitaditas, e depois os adultos.

'Loubado' seja Deus!:))))))))

Fiquem bem.

João Pedro Barbosa disse...

Bea? Só agora! É que cheguei. E mal vi as notícias...

Moon disse...

Pedro,

o meu regime é uma democracia ditatorial...
Eu mando e a malta obedece! :)

Tem resultado comigo, sem stress, dramas ou problemas :)

***

Meninas (e meninos também!),

Natação, bicicleta, caminhar, tudo hábitos muto simpáticos para a nossa provecta idade.

Fartei-me de andar de bicicleta quando era miúda. Agora não ando há muito. O meu rabinho é muito delicado para selins... e na estrada não gosto.
E em Braga falta um parque da cidade como o de Guimarães e do Porto, que são excelentes.

Quanto à natação não dá muito jeito, seca muito a pele e dá-me cabo da cabelo. Coisas de mulheres... :)

Resta o caminhar, que adoro. Nada violento para articulações e perninhas.
Qual ginásio qual quê!?
Arejar faz-me bem à alma! :)
Digamos que para mim, caminhar, é a actividade mais completa, económica e saudável que conheço.
Liberta a mente, tem uma componente social quando acompanhada (conversar, tagarelar, rir) e dá um corpinho «Danone» sem precisar consumir os ditos que não aprecio.

Resumindo:
Enquanto caminho faço a fotosíntese :), cuido do corpo e da alma.
I love it!:)

Moon disse...

P.S.
Dito isto, continuem a andar de bicicleta, mas não esfolem os joelhos! :)

bea disse...

Boa Tarde

Senhora Dona Anphy

Essa história de que andar de bicicleta é muito fácil e etc e tal…é boa para quem já sabe. Para já, quem anda a aprender nem se lembra de olhar para a roda, o problema é mesmo segurar-se lá em cima. Discordo da lei: os ciclistas andarem lado a lado não dá jeito. À portuguesa, e tal como diz, 8 e 80.
Anphy:)))! “não fizeram bem a selecção”?!!! Não sei mesmo como é que o professor nos aguenta, deve emigrar do que é seu, só pode. Não me lembro se ouvi “O sexo dos Anjos”, mas tem que ter havido um critério de selecção. Que não é dos ouvintes, suponho. Gosto muito desse livro, se bem que já não me lembre bem do que diz.Do que me lembro ao lê-lo é de uma solidão disfarçada a que cheira e de alguma humanidade quase poética que encontra eco em nós.Como se já tivéssemos pensado ou vido parecido. Creio que é isso que fazem os livros – também –, estabelecem linhas de contacto com o leitor. E o mais.
Bigada Anphy:) mesmo que algum dia deserte, não vou esquecê-la. Pode crer.
Judite de Sousa entra-me em casa e só daí a conheço. Não sei da sua vida privada senão o mínimo. Mas sempre gostei dela. Ninguém merece a morte de um filho. Seja ou não amparo. Não interessa. É um desgosto grande demais. Que só se suporta porque há um lado biológico que sobrevive não se entende como. Por outro lado, e mesmo que nada disto por enquanto lhe faça algum efeito, vai haver um tempo em que ela compreende que triste, triste, era não ter tido o filho. Porque nada se vive em vão. Ele mudou-a, ensinou-lhe muito do que hoje sabe, ajudou-lhe o caminho só por existir a seu lado, depender dela, tornar-se autónomo…essas coisas de filhos e mães. As horas que gastamos com os outros são sobretudo boas para nós. E talvez as memórias sejam boas, há quem não tenha memória de laços desta ou outra natureza que importe. E isso, Anphy, é que é quase triste sem remédio. Os mortos também ajudam a viver. E fazem companhia. Mas é outra coisa.
Comecei a ler a Sta Teresa, mas ainda não concluí. Até aqui não vejo motivo para o seu escarcéu. Parece-me uma santa cheia de recursos. E de ideias fixas. Só as vezes que fugiu de casa e a idade com que se iniciou na arte da fuga…

E agora vou. Portem-se.

bea disse...

Moon:)

há calções acolchoados para ciclistas. E selins de gel. Eu queria ter um selim de gel, mas não sei onde há. Também gostava de ter uns alforges pendurados cá atrás, um de cada lado, para compras...enfim.

Pois é. A natação dá cabo do cabelo. Paciência. Andar é mais económico, mas nem toda a gente pode andar. As caminhadas não se aconselham a todos. Mas a quase todos. Boas caminhadas:))

João Pedro Barbosa disse...

Moon? Já não temos, idade! Para. Aquilo...

andorinha disse...

Moon,


Tomaste alguma coisa?:)))))))))))
Nunca falaste tanto como hoje...lol

I love it too!
Caminhar é excelente! Corpo e alma beneficiam.

Mas também tu com essa da "provecta idade"?:)

Eu não vos entendo, sinceramente. Eu e outras pessoas aqui somos sexalescentes. Tu nem isso...e falas de provecta idade?
Lá para os oitenta...:)


Bea,

Tu não digas que não é fácil, olha que me desmotivas:)))

Tanto o Júlio como nós sabemos que a Anfy é assim, por isso relevamos:))))

Quanto a Judite de Sousa é evidente que a dor de perder um filho é monstruosa.
Mas já chega de tanto escarcéu à volta do assunto. Abro jornais ou revistas e lá estão mais umas fotos, mais uns comentários.
Ok, é uma figura mediática, entendo isso, mas tanto voyeurismo é demais na minha opinião.

João Pedro,

Tu quando muito, ainda não tens idade para...:)

Vou abalar para outras paragens. Estarei muito menos por aqui.
Mas é por uma boa causa:))))))))))

Fiquem bem.

bea disse...

Andorinha

não vi revistas nem sei qualquer pormenor acerca de Judite de Sousa e do desgosto que a tomou. Mas é verdade que os órgãos de informação são sanguessugas da desgraça. Infelizmente as pessoas parecem sentir um macabro gosto por ler e ver fotos de quem foi repentinamente agredido pela vida.

E não te estou a desmotivar:) às vezes haver outra pessoa que tb teve dificuldade em aprender ajuda um bocadinho a não nos sentirmos uma nódoa do pedal.

E ok. Vai para a tua boa causa que te guardamos a presença. Biépi

E pronto

Anfitrite disse...

Andorinha
Antes de desaparecer lê isto. Nunca os media se portaram tão bem, sem fazer especulação. Ela pediu e eles respeitaram a sua dor, com excepção do ranhoso correio da manhã, que só vive de notícias nojentas. Talvez as
tv's aprendam a respeitar a dor dos outros e não explorar notícias e imagens dolorosas até ao último momento.

Bea,

Nem toda a gente tem a capacidade de dizer, calmamente, no dia do funeral, ou quase, como a HSCabral disse que não perdeu um filho com 56 anos, mas que Deus emprestou-lho 56 anos. Eu não encaro a morte assim. E se não fossem os meus mortos eu já não estava viva.
A J. de Sousa criou um filho sozinha. Não andou na boa vai ela como muitas outras senhoras da sociedade. Até para a China foi trabalhar com 18 anos. E agora que tinha acabado de ser traída, depois de ter voltado a casar já com ele criado, e de passar mais um bocado, acontece-lhe isto. Suponho que ela nem precisaria mais de trabalhar, mas ela sempre foi uma profissional dedicada e não merecia ficar sozinha no mundo, por muito que o filho a acompanhe. Ela viveu para o seu filho único. Nem está em idade de ter outro ou adoptar, como um imbecil sugeria num comentário, como se as pessoas pudessem ser substituídas.
Quanto à Teresa, só essas fugas mostram como ela era alucinada porque queria ir matar os mouros. Afinal as mesmas ideias permanecem.
E já agora a coisa mais fácil de arranjar é um selim com gel. Passe a publicidade, no Lidl, quase todas as semanas os vendem. E cestos não faltam na casas onde as vendem, para a frente e para trás.
E fique sabendo que o equilíbrio só se consegue olhando para a frente. Assim como você só acerta no cesto de basquetebol ou em qualquer outra coisa se olha par o objectivo e não para o objecto. Se quiser mais ensinamentos é só perguntar. Eu todos os dias faço pontaria aos cestos quando apanho qq coisa no chão ou no jardim.

Biépi for ever and ever...

andorinha disse...


Eu sei que não estás, Beazita:)


Beijinho. Biépi 2:)

João Pedro Barbosa disse...

Júlio... Não passe, essa coisa do Murcon? Às gerações! Que só agora estão a começar. Que eles ficam traumatizados...

João Pedro Barbosa disse...

Quando Um Golo Faz A diferença

1994:https://www.youtube.com/watch?v=qBvj9S01Ebg

2014:«Nenhum campeão do Mundo jogou sempre bem», lembra ...

João Pedro Barbosa disse...

Como Aqui Ninguém Se Conhece Lá Fora Faz Noite

João Pedro Barbosa disse...

Eu A Escrever Um Livro Convidava O Azevedo

bea disse...

Bom Dia:)

Anphy

agora já não preciso de lições de ciclismo :) e até já posso ir olhar para a roda que não caio. Mas obrigada na mesma; a sua boa vontade é comovente.

Não duvide, HSC sofreu o mesmo. A atitude conta, mas o coração sangra igual, é um golpe fundo, dói da mesmíssima forma, uma faca corta sempre da mesma forma se lhe imprimimos a mesma força e atacamos no mesmo lugar, aqui não há coletes à prova de bala, é a frio e sem cachecol.
Não vou falar mais sobre isto.

É verdade, as pessoas são insubstituíveis - algumas - e os filhos pertencem a esse número. Mas encontrar alguma coisa ou alguém por quem lutar é uma estratégia de vida. E, que eu saiba, não significa substituição. Mas tem que ser o próprio a concluí-lo no tempo.

Os selins de gel do lidl não prestam, já comprei um. E não disse cestos, mas alforges. Nunca os vi à venda, era uma boa prenda para dar a mim própria, mas não encontro. Há uma casa em Lisboa que só tem artigos para bicicleta, tenho que a visitar na net e ver se tem alforges.

Não, não, sobre pontarias não quero saber nada. No jogo do mata era a última a ser escolhida - um contrapeso e não escolha-, adivinhe lá porquê.
Nem nos caixotes do lixo acerto. É por aproximação:)

Desejo um dia bom a toda a gente. Muita saúde. Caminhadas exóticas e esotéricas. Uma saturação de sol com muita sombra de mistura. Como dizem as minhas amigas mais novas, beijocas (acho muito chocarreiro, mas pronto)

Um beijinho à Anphy que é antiga e pode não achar piada às beijocas

João Pedro Barbosa disse...

Há Hábitos Que Devemos Preservar

João Pedro Barbosa disse...

66

João Pedro Barbosa disse...

Se Deu Que Pensar Não Foi Nenhuma Provocação

"Governo «esconde» 162 mil desempregados /Trabalho não declarado representa 19,4% do PIB"

andorinha disse...


Anfy, Bea e JP,

Li-vos. Tive que vir tomar a minha bica antes de abalar:)


Beijinhos. Fiquem bem.

João Pedro Barbosa disse...

Deusa Do Mar... Está tudo, com o caso Maddie? Por sugestão quando vemos uma lagoa. Esvazia para ver a profundidade...

João Pedro Barbosa disse...

Andorinha, a fotografia é tua. Minha? Idade. Mais ou menos porque corro outros desafios...

rainbow disse...

Epílogo

Quando eu morrer
Levo comigo todos os sorrisos
Todos os abraços que troquei, rendida
Todas as cartas que recebi, e mais ainda as que escrevi.
Todos os momentos que partilhei com os meus amores
A palavra mãezinha
Todas as palavras que representam o Amor
Todos os meus defeitos e virtudes.
As praias de areia branca e fina
O mar imenso a perder de vista
Todos os poentes que me deslumbraram
As andorinhas na Primavera
O canto dos pássaros
As amendoeiras em flor.
Todos os lugares que visitei
As paisagens e as cidades que nunca conheci
As obras gigantescas da Humanidade
Esta civilização cheia de tudo e de nada,
criativa e destrutiva, fascinante.
Todos os livros que li
E todos os filmes que vi
A música que maravilhou os meus dias
As notas na minha voz
O som do silêncio que tantas vezes escutei.
Este planeta azul cheio de verde e de mar
O eco distante do firmamento.
As minhas memórias, mas também de todos
os que nelas tocaram
A felicidade e a dor
Os sonhos que persegui
O ser humana, demasiado humana
A humildade e a alegria
A paz.

João Pedro Barbosa disse...

Hoje Não Vou Trabalhar. Vou ver Se há! Lugar? Para, ter mais que fazer...

bea disse...

Tão bonito Rain!...
Bem Aparecida:)

Quando eu morrer vou despida de tudo para o imenso nada e deixo ao mundo o que é dele, a eterna insatisfação, o desejo que se faz futuro, a grata imperfeição dos sentimentos. Mas, se acaso outro mundo me receba e seja outro, hei-de aprender que o outro é outro eu e nele me encontrarei.

Ah! "Se eu não morresse nunca e eternamente buscasse e conseguisse a perfeição das coisas!"

buscasse e conseguisse!...tanto diz este tempo de verbo.

BOM DIA!!!

bea disse...

Quanto à frase do face: conseguir todos conseguem. Mas não é a mesma coisa. Perdida a forma, continua-se.

Questiono o romantismo da frase, não sei se não tem muito de açambarcador e potencialmente asfixiante.

Vou ali espreitar outras montras, se não se importam. Com licença.

João Pedro Barbosa disse...

Isto é uma paz, que te alucinações e ouvir vozes. Sempre se está melhor acompanhado...

João Pedro Barbosa disse...

Rainbow? O Mar Tira Muitas Vidas! E Devolve. Todas As Que Não Lhe Pertencem...

João Pedro Barbosa disse...

Bea? Como é que um homem! E uma mulher. Sozinhos, conseguem mudar o mundo...

Impio Blasfemo disse...

E por lá andei ontem, em Palmela, no Cineteatro S. João
No
Festival de saxofone de Palmela
http://www.fispalmela.org/
a ouvir
Orquestra de Jazz Humanitária
http://www.youtube.com/watch?v=U4FlkjdGdVw
e outros artistas convidados entre os quais
Ricardo Toscano
http://www.jazz.pt/perfil/2013/07/22/retrato-do-artista-enquanto-jovem/


Abraços para todos

Anfitrite disse...


Ei, Maralhal!

Tudo numa boa?

Hoje lembrei-me do querido Thora. Gostava de saber se está tudo bem com ele.

Rain,

Se escreveu este poema é porque ainda está viva.
É verdade o que diz, mas eu não posso com mais tragédias.

Adoro é o espírito do Ímpio. Não consegue ficar blue a ouvir tantos blues. Já agora diga-me o que faz uma "Orquestra Humanitária". Toca para surdos?

Bea,

Ontem estive quase para comprar um selim para si. Estavam em exposição. Mas como diz que eles não prestam, desisti. Não sabia que tinha um traseiro tão pesado. O meu não pede meças a nenhum e ainda tenho o selim em óptimo estado. Não consegue levantar o rabo para pedalar? Na minha terra há uma loja de artesanato, ao pé do Castelo, e como lá também é terra de burros, tem uns alforges lindos. Feitos de tecidos grosso e bordados a lã em cores bem garridas. Mas costumam ser mais para usar em cima de albardas. Não vejo onde o possa pôr numa bike. Nem que a sua tenha quadro. A não ser que os leve a servir de canga...Mas eu também ainda não ganhei forças para lá ir. Também dão jeito como peça de ornamentação e arrumação.
Fiquem bem e vejam este poema que é bem lindo e bastante real, que me foi enviado ontem por uma querida murcónica que vinha aqui todos os dias e dizia umas coisas com nexo.

https://www.youtube.com/watch?v=Vv_989iN83I&feature=youtu.be

Fiquem bem, tu também JP.

bea disse...

Ui Anphy, por acaso ontem tb vi uma forra de gel, mas não comprei. E se escorrega pelo selim abaixo? Melhor não. Quanto aos alforges que conhece e eu tb conheço, não são desses, os que vi eram mesmo bem discretos e vendiam-se com a armação, julgo.
Pois…pesar o traseiro é um bocadinho impossível, nunca pensei nisso. Claro que o levanto do selim! E a minha bicicleta tem quadro, pois; e nem é bem minha. Até gosto mais dela por essa particularidade de ser a meias. Não posso usar cangas de qualquer natureza além das alças do biquíni:) e escusa de estar subentendidamente a chamar-me burra. Mesmo que por vezes seja verdade, cai-me mal. Não estrague que fiquei muito sensibilizada com o seu interessar-se.
Obrigada pelo poema traduzido. É sempre oportuno. Sou um bocadinho contra as linhagens de malfeitores. Esses pretensos donos do mundo tb morrem. Não será da mesma forma, mas o efeito é o mesmo: ficam mortos para todo o sempre. E prefiro sangue vermelho, e trabalhar, e sangrar às vezes. Aborrecia-me de morte com os pensamentos e as decisões de governar toda a gente e ser um traficante da informação ou estar por detrás das maiores patifarias contra a humanidade. Nem é preciso saber-se assim tanto para ser capaz de distinguir o bem do mal. E gosto mais das tentativas que fazemos para sermos homens uns com os outros do que desse poder decisório e tirânico.
Pensando bem, há imenso tempo que a Anphy não escreve que ando nas nuvens e assim. Tal estado é preferível, a ser como esse the Third qualquer coisa. Tomo sempre como um elogio, digamos que é a sua ternura agridoce.

João Pedro
“Sozinhos” cada um por seu lado ou em conjunto? De toda a maneira e feitio, mesmo que seja um duo concertado, não conseguem. Podem é mudar alguma coisa – pouca – no mundo deles.

Ímpio

isso é que foi curtir...

João Pedro Barbosa disse...

Anfitrite? Por hoje como o Sebastião Salgado! Já vi muita gente a trabalhar e muita gente me viu a trabalhar. Aproveitem hoje, que eu não duro para sempre...

Anfitrite disse...

João Pedro,

Tem piada que ontem também me estive a deliciar com as grandes fotos do Sebastião Salgado. O que retrata a triste realidade, com arte, não me incomoda, porque sei que tudo é bem pior do que eu possa imaginar. Até tenho uma base de dados de fotos, quase sempre a preto e branco, que nem imagina, desde cabeças cortadas a elefantes mortos, etc. Só acho é que mesmo que tivesse arte não era capaz de as tirar e ver ao vivo também não. Nem consigo ver, em directo, imagens do National Geographic.
Já tinha posto aqui este endereço, mas acho que foi para o Thora, não sei se é do seu tempo.

http://www.jamesnachtwey.com/

Bea,
Se as capas que viu ontem, foram da mesma colecção que eu vi são bem boas. Sobretudo se as souber colocar e ajustar bem, não saem do lugar.
Agora percebo porque é que cai. É que sem quadro é muito mais fácil passar a perna e largar a bicicleta. Até devia ter uma rede de cor na roda traseira, para espalhar a saia rodada, e não se enlear nos raios. Como nos velhos filmes. Summer holidays e outras coisas assim.
Gosto dos burros que subentendem aquilo que eu digo. Os burros não andam muito de canga, são mais as mulas, para isso é que fizeram os híbridos. E também gosto mais de si quando é mais sensível e não anda nas estrelas. Já agora acrescento uma coisa que não quer.
Apesar de ser também mãe a HSC, tem outro arcaboiço que a Judite não tem, nem familiar, apesar de como repórter já poder ter visto muita coisa, que era o que ela gostava de ser. Não há ninguém igual, nem dor que se meça. É aí que discordo de si. Eu não consigo fazer lutos. Tenho uma memória de elefante e pode perguntar a um Neurocirurgião, que ele vai dizer-lhe que espaços variam de pessoa para pessoa, e a zona do elefente é tão grande, que se você um dia fizer algum mal, se ele a voltar a ver está tramada. Por isso se diz que tem memória de elefente.

Bom resto de dia

João Pedro Barbosa disse...

Quem sou eu? Para querer! A vossa. Felicidade e uma boa noite, gente...

Anfitrite disse...

Vale a pena ler:

http://www.publico.pt/portugal/noticia/judite-1662321

João Pedro Barbosa disse...

Os Mesmos Que São Capazes De Escrever Igualmente Nunca Abriram Um Único Livro

bea disse...

(1:40) Bem dito, Anphy. E creio que nos expressa.

Pois...não tenho hoje tempo para atarrafiarmos um bocadinho sobre os imedíveis e formas de senti-los. Fica para outro dia:))

Logo lhe conto de bicicletas com malha às cores para as saias:))

Pois é, desejo a todoooos um dia BOM. Vou ali procurar o meu, tá? Beijinhus

João Pedro Barbosa disse...

Bea? A montra! Já foi. Remodelada...

João Pedro Barbosa disse...

88

João Pedro Barbosa disse...

Se O Professor Não Vai Ao Mar O Mar Vai Ao Professor

Impio Blasfemo disse...

Bea

E hoje volto a Palmela e entre outros vou ouvir o RONDÓ DA CARPIDEIRA
http://www.youtube.com/watch?v=x0JGrqgoFzo

Abraço
IMPIO

João Pedro Barbosa disse...

"Amy Winehouse - Back To Black / https://www.youtube.com/watch?v=TJAfLE39ZZ8"

Anfitrite disse...


Ìmpio,

E eu não mereço resposta?
Foi preciso um estrangeiro interessar-se pelos cantares da nossa terra, para podermos desfrutar estes sons.
Abração

Impio Blasfemo disse...

Anfy

Claro que merece. Estamos a precisar de quem se interesse por este rectângulo e que não seja só para lhe sacar recursos. E daqui sigo para a triologia, Pai, Filho e Espírito-Santo.
Assim, em nome do Pai, pois aceita-se, em nome do Filho ainda mais, morreu na cruz para a nossa salvação e na terra sempre foi homem de bem, mas em nome do Espírito-Santo isso é que definitivamente NÃO!
Ver o link abaixo;
https://www.youtube.com/watch?v=SK1GeWd0_dc&feature=youtu.be
A não perder! Ricardo Paes Mamede e a crise no BES
Saravá
IMPIO

João Pedro Barbosa disse...

Bea? Pelo artigo vinte e um! Os meios de comunicação. Exercem em livre direito, a resistência pacífica...

Anfitrite disse...

Ímpio,

Fiquei enternecida. Ao menos que haja uma pessoa que navegue nas minhas ondas. Ainda não abri o vídeo, mas suponho que seja o que ouvi ontem, o Paes Mamede dizer, sem papas na língua, o que pensava, embora houvesse um senhor que, apesar de não querer que identificassem a sua sensibilidade política, ia tentando aliviar o que o RPM afirmava. Há pessoas que não têm o noção do tempo. Deve ser por andarem todos com o telemóvel no bolso e não quererem exibir os seus Patek Philippe, porque são sinais exteriores de riqueza. Eu, por enquanto, ainda os vou identificando(alguns) pelos óculos que usam.
Suponho que também viu esta notícia sobre este brilhante economista, católico, apostólico, romano, mas ao mesmo tempo filho dP e que não conheça nenhum criminoso que o pague.

http://pagina1.sapo.pt/detalhe.aspx?fid=134&did=155838&number=3944

Anfitrite disse...


Ímpio,

Se não viu vale a pena ver todo o debate, que começa ao minuto 35. No entanto também dá gosto ouvir o comentador mais subtil, inteligente e de fina ironia com que começa o programa.
http://www.tvi.iol.pt/programa/politica-mesmo/4322/videos/164760/video/14168313/1

bea disse...

BOA NOITE:)

Anphy

Retomando a conversa lá de trás acerca da qual, disse eu, não falava mais. Não me parece que tenha dito que a dor é em toda a gente igual, mas que a perda de um filho é, no ser humano normal, dor excessiva. E não me interessa se HSC disse isto ou aquilo, sofre as agruras que só ela sabe, a despeito do que diga. Podem escrever-se livros inteiros, oferecer-se a dor em sorrisos dobrados, fingir quase completamente…a verdade é uma dor sem limite nem contornos, uma coisa tão aflita e insuportável como não se imagina e a que só o tempo dá medida.
Pois. Sabe, eu que não conheço uma ou outra, não sei nada de famílias…julgo que Judite de Sousa é uma mulher muito vulnerável, mas isso não a faz menos forte. Nunca reparou naquelas flores que crescem nas dunas da praia? Ela é isso, está plantada nas dunas. Um dia adapta-se à dispersão das areias e floresce. Até lá, pode crer, sua sangue. Só espero que tenha alguém a olhá-la com amor e pertença. Ajuda.

João Pedro Barbosa disse...

Estejam Descansados Que Daqui A 20 Anos Há Outro Livro

Anfitrite disse...

Bea,

O problema é esse; não tem. Por isso se agarrava ao trabalho e a quem tinha. E as flores do deserto estão a desaparecer todas. Até a famosa Welwitschia mirabilis apesar das suas defesas, já está a desaparecer.E não sei se sabe que há 600 anos, ainda havia densas florestas, em muitas partes de África, que hoje já são desertas.Não há duas flores iguais. E também há muitos milhares de mães que fazem filhos para vender. Agora até os vendem só por causa dos orgãos. E também não há muitos anos que aqui se faziam filhos para ajudar no trabalho. Não é a crise mas as mentalidades e a falta de visão estratégica, que faz com que a natalidade esteja a diminuir drasticamente e não só nós corremos o risco de desaparecer como povo que somos, para já não falar nas miscenizações. E não estou a falar em pureza de nada! Em 2060 já só seremos 6 milhões e tal, com muitos velhinhos.

bea disse...

Olhe Anphy, de tudo que disse desconhecia a famosa Welwitschia mirabilis, cuja fama não chegou à minha terra.

E não esteja já cheia de pessimismos e números. Qualquer dia dá aí uma febre de procriação aos seres humanos, vai ver a natalidade a subir. Seis milhões é muita gente. Parecem-me mais graves os danos ambientais neste nosso melhor dos mundos. Estou ficando sem préstimo tenha uma boa noite, mesmo que não chegue e ler-me, as minhas respostas são por demais tardias. Mas conta a intenção. E pronto.

Bonne nuit:)