domingo, julho 30, 2006

"Gerontofobia".

Programa na SIC-Notícias sobre a discriminação dos mais velhos na procura de emprego. O "truque de investigação" habitual: dois currículos semelhantes, excepto no que à idade diz respeito. A "desempregada" mais velha - uma geronte de 39 anos! - era chamada para entrevistas três vezes menos do que a sua "irmã gémea", na casa dos vinte. Podem imaginar o que disseram alguns desempregados de cinquenta e tal... Esta equação simplista e totalitária entre envelhecimento e ineficácia é pura e simplesmente falsa em grande parte dos casos, o declínio de algumas capacidades vive paredes meias com um património de experiência muitas vezes insubstituível. Os anúncios de empregos com limites de idade serão ilegais até ao fim do ano. Em Inglaterra...

21 comentários:

andorinha disse...

Esta é uma das tais situações que eu penso ser muito difícil de inverter.
O problema maior é para quem fica desempregado a meio da vida; com a alta taxa de desemprego dificilmente terá uma segunda chance.
"Os anúncios de empregos com limite de idade serão ilegais até ao fim do ano."
Não vai adiantar nada, mesmo que as pessoas com mais idade se candidatem, nunca serão seleccionadas, não tenhamos ilusões...
Este seria um dos casos em que provavelmente não seria má ideia impor-se um sistema de quotas. As empresas deveriam ser "obrigadas" a admitir pessoas com mais idade se provassem ser competentes para a função a desempenhar.

Fora-de-Lei disse...

"Os anúncios de empregos com limite de idade serão ilegais até ao fim do ano."

É esta a Inglaterra actual: o reino do politicamente correcto da treta.

Mariazinha disse...

O seu post fez me lembrar uma reportagem na TSF onde o tema era precisamente os desempregados que devido à idade, não conseguiam encontrar trabalho em Portugal.
A frase que me ficou foi a de um rapaz de 43 anos que dizia que em Portugal era velho mas em Inglaterra era um profissional com experiência.
No meu local de trabalho falei um com um professor americano sobre o
facto de em Portugal se discriminar quem está acima dos 40 e quer trabalhar. O professor disse-me que nos EUA é ilegal discriminar pessoas pela idade.
É tão gratificante quando temos alguem que nos reconhece pelo que fazemos e não pelas rugas ou cabelos brancos que naturalmente teimam em aparecer..
Os empregados mais velhos quando motivados, são uma mais valia que qualquer empresa pode ter.

fiury disse...

a escolha não será inocente muito menos ignorante, nem terá a ver com competência profissional. as empresas sabem que a idade é uma mais valia....
bem ,hoje já tenho a minha dose do "poder da loucura" ou da "loucura do poder": nem sei...(não se pode ligar a televisão:((((

durmam todos bem. boa noite

AQUILES disse...

O problema básico é que os mais velhos vão ficando mais caros. Por isso houve em Portugal um movimento de pré-reformas. Que não passou de um despedimento gentil.
Substituiram um trabalhador por outro a ganhar um terço do salário.
Em Portugal não se quer experiência nem competência. Só se quer pagar pouco. A miséria do quadro laboral é monstruosa. Só os funcionários públicos estão, ainda, defendidos desse drama.

blogico disse...

Nos EUA é proibído colocar a idade no CV. Alguns dirão que é uma medida extrema, mas para estes casos parece ir funcionando. Até porque normalmente os salários são calculados consoante o trabalho que se vai fazer e não conforme a idade ou os "anos de casa", o que faz diminuir consideravelmente a discrimanação etária. O problema do nosso sistema laboral é precisamente esse. Valoriza estatuto e "anos de casa" em vez do trabalho propriamente dito.

blogico disse...

* "discriminação" :)

lobices disse...

...regressei das férias das palavras
...uma boa tarde para todos e um bom entrar no mês de Agosto (o meu "velho" costumava dizer: primeiro de Agosto, primeiro de Inverno...)
...para todos os que já tiveram férias, que elas tenham sido boas e recuperadoras; para os que vão entrar de férias, que elas sejam isso mesmo...
...quanto ao tema do post, penso que, em Portugal, cada vez esse "estigma" se vai tornando maior; o "apetite" pela entrada no mercado de trabalho dos mais jovens em detrimento do "aproveitar" da experiência dos mais velhos; claro que os jovens também têm o "direito" ao trabalho mas a verdade é que em face de 2 CV a idade é preponderante na escolha...
...porém, depende do "tempo" em que o desemprego se verifica e do "estatuto de remuneração" que o desempregado auferia à data do evento; ou seja: imaginemos um trabalhador com um salário 100 aos 45 anos de idade e com 25 anos de descontos para a SS... agora, no desemprego, mesmo que arranje um novo emprego jamais vai conseguir o montante que auferia e vai ter de se sujeitar a um salário, por exemplo de indíce 60 ou 70
...nesta situação, a sua capacidade contributiva vai diminuir nos próximos anos o que vai "estragar" a progressão" dos descontos que fez ao longo dos anos para a sua reforma; ou seja, quando chegar aos 65, o que vai contar (agora o estatuto parece que tem outras regras mas não serão muito diferentes das anteriores) serão os melhores 10 doa últimos 15; logo, baseado no indice 60 ou 70 e não na progressão do indice de 100 que auferia
...se um desempregado aos 45 anos conseguir um novo emprego que mantenha o mesmo indice de remuneração, óptimo, mas a verdade, infelizmente, é que vai baixar os seus rendimentos e a sua reforma que tinha sido baseada num pressuposto vai cair abruptamente
...um facto que condiciona a aceitação do novo emprego (excepto, claro, que ele aceitará por uma questão de sobrevivência)
...

Maria disse...

Andorinha:

"Este seria um dos casos em que provavelmente não seria má ideia impor-se um sistema de quotas. As empresas deveriam ser "obrigadas" a admitir pessoas com mais idade se provassem ser competentes para a função a desempenhar."

Excelente ideia, Andorinha :-) Ainda te vamos propor para Ministra de qualquer coisa :-)

Professor:

"Esta equação simplista e totalitária entre envelhecimento e ineficácia é pura e simplesmente falsa em grande parte dos casos, o declínio de algumas capacidades vive paredes meias com um património de experiência muitas vezes insubstituível."

Completamente de acordo! Continuo a acreditar que, infelizmente, este problema tem a ver, única e simplesmente, com questões de estética. Cada vez mais (e vemos isso na televisão,onde muito frequentemente aparecem modelos a desempenhar papéis de actores) a juventude e tudo o que lhe é inerente é condição de sucesso.
E não sei se foi por acaso ou não, o exemplo dado no post refere duas mulheres... uma de 20, outra de 39. Obviamente que, até no campo laboral, as mulheres saem sempre mais penalizadas pelo facto de serem mais velhas...
Triste realidade :-(

yulunga disse...

Bom dia maralhal.
Pois de facto as coisas são assim mesmo.
As empresas esquecem-se por vezes que alguma idade pode até ser uma vantagem.
Para além da experiência a nível profissional acresce a experiência de vida.
As mulheres, por exemplo, faltam menos pois já têm os filhos criados e provavelmente não irão engravidar de novo. Os homens, neste caso já começam a ser um problema, pois chegam aos 40 e começam a aparvalhar e a fazer filhos por tudo quanto é lado a “chavalecas” de 20 ;-) mas isso já é outro assunto.
Tantos homens como mulheres já têm famílias constituídas, estão a pagar casas, carros, estudos aos filhos e, julgo eu, tendem a dar o seu melhor para preservar mais o emprego, tendem a procurar mais estabilidade.
Mas já agora para quem é novo demais para a reforma mas velho demais para trabalhar aqui vai um conselho de alguém já com calo nestas coisas:
Como as empresas usam de métodos pouco limpos, usem-nos também.
Sempre que a marcação da entrevista for através de um anúncio de jornal e feita por telefone (não através de envio de curriculum) MINTAM na idade. Uma coisa conseguem de certeza. Serem recebidos. Depois esclarecem que mentiram e porquê. E como o não é garantido em qualquer dos casos, quem sabe a ousadia e a manha não é uma mais valia perante uma empresa que também é manhosa?

noiseformind disse...

Não penso que o exemplo da pessoa de 39 anos tenha alguma coisa a ver com gerontofobia, Boss, acho que escolheste mal o alvo para algo perfeitamente palpável na sociedade em que com outro exemplo dava-te completamente razão. Em empregos em que a mão de obra faz uma "linha de montagem" de serviços é necessário o mínimo de abstencionismo e uma pessoa com 39 anos, casada, com filhos é mais dada a dar mais faltas de trabalho. Obviamente que para ser médico fará diferença a experiência. Mas para girar hamburgueres ou para atender numa caixa de hipermercado... não me parece man... não me parece...

yulunga disse...

Noisy
Para virar hamburgueres não sei mas para virar panquecas, sem que no minimo 75% delas ficassem coladas ao tecto da cozinha, precisei de alguma experiência ao longo do tempo.
Por isso xiu! Não digas disparates.

andorinha disse...

Lobices,
Bem-vindo! Gosto de te ver por aqui.:)

maria(12.28)
Ministra, eu?????????!!!!!
Só posso entender isso como uma provocação, uma vez que estás a por em causa a minha honestidade.
Para a próxima pensa melhor antes de dizeres disparates.Looooooooooooool

Até mais logo, gente:)

vareira disse...

Decididamente senti-me a envelhecer...e pensei, por este andar as crianças de 10 anos estão a directores de alguma coisa!A inteligência não tem idade,e quem é bom é bom, o que me preocupa bastante é que hoje em dia o que importa é o aspecto físico para se conseguir um emprego qualquer.Uma vez entrei numa loja de aneis,pulseiras e afins e vi que uma funcionária chorava.Como sou meia maluca resolvi meter-me à conversa e fiquei parva com o motivo.O contrato dela acabava nesses dias e não lho tinham renovado, porque (camufladamente) fizeram uma observação ao ela ter engordado e já não ter muita "apresentação".E pá, a miúda era novinha e gira!!!E sabia falar!Bolas!

thorazine disse...

vareira,
eu desde que rapei o cabelo e cortei a barba (coisa que já não fazia há uns tempos) reparo que as pessoas já não me vêm como potencial ameaça, as velhinhas já nem atravessam para o outro passeio quando me vêem ao longe, os seguranças da fnac já não me rondam quando começo a pegar em mais do que um livro, bem..levo uma vida com menos protagonismo. A sociedade é feita de aparências. Nascemos cada um com a sua idiossincrasia mas o objectivo é sermos o mais iguais e "aceitáveis" possíveis. E ser novo, magro, bonito e vestir-se bem vem antes de qualquer capacidade.

yulunga disse...

Thorazine
Palavra que sempre pensei que despir-se bem dava melhores empregos do que vestir-se bem.
:-)

vareira disse...

Olhe que eu acho que um homem de cabelo comprido e a comprar livros na fnac é bastante interessante e não ameaçador!E sinceramente sou mais apologista dos diferentes e de lutar por essa diferença.Ainda bem que não tenho de me candidatar a um emprego nessas logecas de c.comerciais...nem passava da porta!E não era pela largura!E deixe crescer o cabelo que fica muito mais giro de certeza...

vareira disse...

E eu que não tenho habilidade nenhuma para fazer aquelas cenas de tirar a roupa devagarinho e com emuçoun!acabo por tropeçar sempre em alguma coisa!

thorazine disse...

Sim, só o cortei ambos por questões térmicas! Mas daqui pra frente é dar-lhe adubo e esperar.. :))))))))))

Eu por sorte (ou não, dependendo da prespectiva) posso fugir ao trabalho. Vivo do estudo, e da pensão que me deixaram. Espero puder continuar nesta vida despreocupada mais uns tempos, sem ter que andar apresentável para o patrão. :)))))))))))

Mas por exemplo, o "el corte inglês" aqui em Gaia têm como método de selecção análises ao sangue. Em portugal isso é proibido pois a CNPD torna bem claro que isso é controlo da vida pessoal e que nenhuma ligação têm com a qualidade de trabalho da pessoa. Mas o "el corte inglês" simplesmente "convida" a fazer as análises (com especificidade a algumas substâncias) e quem se negar irá encontrar-se inapto para o cargo. O mesmo se passa com mais uma série de multinacionais. Obviamente que com a "técnica do preservativo" tudo se ultrapassa e até então nenhum deles foi acusado como "gravido", mas eu sempre disse que só em caso de grande desespero me submeteria. Da pele para dentro ninguém controla (pelo menos directamente, já que não posso dizer nada das empresas alimentares)! :))))))

yulunga,
até isso hoje em dia se resolve com um kit de injecções! lol

CêTê disse...

Lobices, delicado, como sempre!Eu pertenço aos que ainda não gozaram as férias. Mas falta pouco para soltar a fera selvagem qua há dentro de mim. LOOOOL

Maria, a Andorinha esteve realmente muito bem. Para ministra não digo ;P mas para Deputada do C.A.F.M- Contra a Favor das Minorias, sei não LOL.

Quanto às novelas e séries que passam por aí... realmente dá ideia que havendo 3 gerações não distam (pela aparência 7 anos de cada uma). Até nos programas infantis a imagem dos avós é esquecida!

Em relação á rentabilidade dos mais velhos porque não aproveitam e os põem a trabalhar mais cedo, por exemplo. É sabido que acordam por norma muito mais cedo e preferem a cama também mais cedo, não contando com a quebra da Sesta. Mas que falar dos mais novos, que utilizam a noite, (sabe o Noise, como LOOL) e depois de manhã...

MAs isto de envelhecer por fora é dramático. Bolas! Eu começo a temer que no futuro seja uma velha ridiculamente gaiteira ;)))

abraços

João Carlos Silva disse...

E viva a Inglaterra.