quarta-feira, novembro 28, 2007

O adepto incorrigível.

Como sabem, tenho por hábito ser implacável nas apreciações ao "meu" Benfica. Por isso, é sem qualquer rebuço que digo ter ficado satisfeito com o desempenho desta noite. Bateram-se e honraram a camisola que envergam. Nunca lhes pedi mais.

32 comentários:

Fora-de-Lei disse...

Tristezas não pagam dívidas...!

Carlos Barreira da Costa, médico Otorrinolaringologista da mui nobre e Invicta cidade do Porto, decidiu compilar no seu livro "A Medicina na Voz do Povo", com o inestimável contributo de muitos colegas de profissão, trinta anos de histórias, crenças e dizeres ouvidos durante o exercício desta peculiar forma de apostolado que é a prática da medicina. Aqui ficam verdadeiras jóias deste tão pouco conhecido léxico.

Em relação ao doente o humor deve sempre prevalecer sobre a sisudez e o distanciamento. Senão atentem neste "clássico":

"Ó Senhor Doutor, e eu posso tomar estes comprimidos com a menstruação?
Ao que o médico responde: "Claro que pode. Mas se os tomar com água é capaz de não ser pior ideia. Pelo menos sabe melhor."
O diálogo com um paciente com patologia da boca, olhos, ouvidos, nariz e garganta é sempre um desafio para o clínico:
"A minha expectoração é limpa, assim branquinha, parece com sua licença espermatozóides".
"Quando me assoo dou um traque pelo ouvido, e enquanto não puxar pelo corpo, suar, ou o caralho, o nariz não se destapa".
"Não sei se isto que tenho no ouvido é cera ou caruncho".
"Isto deu-me de ter metido a cabeça no frigorífico. Um mês depois fui ao Hospital e disseram-me que tinha bolhas de ar no ouvido".
"Ouço mal, vejo mal, tenho a mente descaída".
"Fui ao Ftalmologista, meteu-me uns parafusinhos nos olhos a ver se as lágrimas saíam".
"Tenho a língua cheia de Áfricas".
"Gostava que as papilas gustativas se manifestassem a meu favor".
"O dente arrecolhia pus e na altura em que arrecolhia às imidulas infeccionava-as".
"A garganta traqueia-me, dá-me aqueles estalinhos e depois fica melhor".

As perturbações da fala impacientam o doente:
"Na voz sinto aquilo tudo embuzinado".
"Não tenho dores, a voz é que está muito fosforenta".
"Tenho humidade gordurosa nas cordas vocais".
"O meu pai morreu de tísica na laringe".

Os "problemas da cabeça" são muito frequentes:
"Há dias fiz um exame ao capacete no Hospital de S. João".
"Andei num Neurologista que disse que parti o penedo, o rochedo ou lá o que é...".
"Fui a um desses médicos que não consultam a gente, só falam pra nós".
"Vem-me muitos palpites ruins, assim de baixo para cima...".
"A minha cabecinha começa assim a ferver e fico com ela húmida, assim aos tombos, a trabalhar".
"Ou caiu da burra ou foi um ataque cardeal".

Os aparelhos genital e urinário são objecto de queixas sui generis:
"Venho aqui mostrar a parreca".
"A minha pardalona está a mudar de cor".
"Às vezes prega-se-me umas comichões nas barbatanas".
"Tenho esta comichão na perseguida porque o meu marido tem uma infecção na ponta da natureza".
"Fazem aqui o Papa Micau (Papanicolau)?"
"Quantos filhos teve?" - pergunta o médico. "Para a retrete foram quatro, senhor doutor, e à pia baptismal levei três".
"Apareceu-me uma ferida, não sei se de infecção se de uma fod@ mal dada".
"Tenho de ser operado ao stick. Já fui operado aos estículos".
"Quando estou de pau feito... a put@ verga".
"O Médico mandou-me lavar a montadeira logo de manhã".

As dores da coluna e do aparelho muscular e esquelético são difíceis de suportar:
"Metade das minhas doenças é desfalsificação dos ossos e intendência para a tensão alta".
"O pouco cálcio que tenho acumula-se na fractura".
"Já tenho os ossos desclassificados".
"Alem das itroses tenho classificação ossal".
"O meu reumatismo é climático".
"É uma dor insepulcrável".
"Tenho artroses remodeladas e de densidade forte".
"Estou desconfiado que tenho uma hérnia de escala".

O português bebe e fuma muito e desculpa-se com frequência:
"Tomo um vinho que não me assobe à cabeça".
"Eu abuso um pouco da água do Luso".
"Não era ébrio nato mas abusava um pouco do álcool"
"Fujo dos antibióticos por causa do estômago. Prefiro remédios caseiros, a aguardente queimada faz-me muito bem".
"Eu sou um fumador invertebrado".

O aparelho digestivo origina sempre muitas queixas:
"Fui operado ao panquecas".
"Tive três úlceras: uma macho, uma fêmea e uma de gastrina".
"Ando com o fígado elevado. Já o tive a 40, mas agora está mais baixo".
"Eu era muito encharcado a essa coisa da azia".
"Senhor Doutor a minha mulher tem umas almorródias que com a sua licença nem dá um pei-do".
"Tenho pedra na basílica".
"O meu marido está internado porque sangra pela via da frente e pinga pela via de trás".
"Fizeram-me um exame que era uma televisão a trabalhar e eu a comer papa".
"Fiz uma mamografia ao intestino".
"O meu filho foi operado ao pence (apêndice) mas não lhe puseram os trenos (drenos), encheu o pipo e teve que pôr o soma (sonda)".

Os medicamentos e os seus efeitos prestam-se às maiores confusões:
"Ando a tomar o Esperma Canulado"- Espasmo Canulase
"Tenho cataratas na vista e ando a tomar o Simião" - Sermion
"Andei a tomar umas injecções de Esferovite" - Parenterovit
"Era um antibiótico perlim pim pim mas não me fez nada" - Piprilim
"Agora estou melhor, tomo o Bate Certo" - Betaserc
"Tomo o Sigerom e o Chico Bem" - Stugeron e Gincoben
"Ando a tomar o Castro Leão" - Castilium
"Tomei Sexovir" - Isovir
"Tomo uma cábulas à noite".
"Tomei uns comprimidos "jaunes", assim amarelados".
"Tomo uns comprimidos a modos de umas aboborinhas".
"Receitou-me uns comprimidos que me põem um pouco tonha".
"Estava a ficar com os abéticos no sangue".
"Diz lá no papel que o medicamento podia dar muitas complicações e alienações".
"Quando acordo mais descaída tomo comprimidos de alta potência e fico logo melhor".
"Ó Sra. Enfermeira, ele tem o c-u como um véu. O líquido entra e nem actua".
"Na minha opinião sinto-me com melhores sintomas".

O que os doentes pensam do médico:
"Também desculpe, aquela médica não tinha modinhos nenhuns".
"Especialista, médico, mas entendido!".
"Não sou muito afluente de vir aos médicos".
"Quando eu estou mal, os senhores são Deus, mas se me vejo de saúde acho-vos uns estapores".
"Gosto do Senhor Doutor! Diz logo o que tem a dizer, não anda a engasular ninguém".
"Não há melhor doente que eu! Faço tudo o que me mandam, com aquela coisa de não morrer".

andorinha disse...

Boa noite.

Eu também gostei do desempenho da equipa. Tenho pena que não se tenha conseguido algo mais...mereciam.

FDL,
Tu estás bem, homem?:)))

Pedro Namora disse...

Senhor Professor,
será possível subscrever e divulgar, no seu blogue, a "PETIÇÃO para estabelecimento de medidas sociais, administrativas, legais e judiciais, que realizem o dever de protecção do Estado em relação às crianças confiadas à guarda de instituições, assim como as que assegurem o respeito pelas necessidades especiais da criança vítima de crimes sexuais, testemunha em processo penal"?
Em caso afirmativo, o endereço é:
http://www.petitiononline.com/criancas/petition.html

OU, pelo menos e se não for pedir muito, dizer que não?
Muito obrigado!

Julio Machado Vaz disse...

Fdl,
Eu escrevi o prefácio, o livro é uma delícia:).

Julio Machado Vaz disse...

Meu caro Dr. Pedro Namora,

Tenho a certeza que a partir do endereço que nos deixa, os visitantes irão - como eu fui... - ler e apreciar o texto a que se refere, pela importância de que se reveste - trata-se das nossas crianças. Perdoe se não respondi mais cedo ao seu apelo. Cordialmente, Júlio Machado Vaz.

A Menina da Lua disse...

Fora-de-lei:))

Obrigado pelas boas gargalhadas que me porpocionou e ainda por cima logo de manhã para ficar bem disposta para o resto do dia.:)

Algumas destas "tiradas" são autenticas "pérolas" pela ignorância mas tambem o que aqui descreve denuncia igualmente uma sagacidade e esperteza e até sabedoria muito característica do "povo" se bem que dito num registo de comunicação aparentemente simples e até com alguma ingenuidade, o que nos toca e sensibiliza... e já agora diverte:)

Gostei!

Fora-de-Lei disse...

A propósito de crianças vítimas de crimes sexuais (Força, P.N.!) vejam o que vem publicado no CdM. Inacreditável...

O 112 dos Açores recusou apoio a uma menina de oito anos que, em Abril de 2006, foi violada por um sexagenário. Perante a passividade do operador telefónico da PSP, uma testemunha do crime ligou directamente para a Polícia Judiciária.

Os factos remontam a 5 de Abril de 2006. A menor foi abordada, e abusada sexualmente na Canada do Peixe Assado, um bairro social da freguesia do Livramento, na ilha de São Miguel.

O jornal on-line açoriano ‘Jornal Diário’ deu a notícia, adiantando que o operador telefónico referiu ao denunciante estar a usar um serviço de urgência que providenciava apenas ambulâncias. A testemunha foi então incentivada a desligar a chamada.

Recorde-se que, tal como o CM noticiou ontem, o Ministério Público de Ponta Delgada vai abrir um inquérito à actuação do 112 da Região Autónoma. Um operador deste serviço não atendeu 7 chamadas de uma turista inglesa de 37 anos, violada na ilha de São Miguel em Maio passado.

thorazine disse...

FDL,
qual é a editora desse livro, sabes dizer-me? :D

ameninadalua,
há quem lhe chame ignorância...há quem lhe chame simplicidade.. :)

Prof,
aproveitanto a deixa do Dr. Namora, vou fazer valer os meus direitos. Recebeu o meu mail? :))))

Fora-de-Lei disse...

Thora, penso que o livro não foi publicado por uma verdadeira editora, na verdadeira acepção da palavra.

Ao longo dos anos, Carlos Barreira da Costa foi recolhendo frases a que se juntaram outras de outros colegas de profissão mas de diferentes especialidades.

Certo dia, convenceu-se que tinha material para ser mostrado. No entanto, como não acreditava que alguma editora estivesse interessada em publicar, mostrou a sua compilação a um delegado de propaganda médica da Bayer, que gostou e resolveu apresentá-la ao seu laboratório.

Foi assim que foram editados cerca de seis mil exemplares, apenas oferecidos a médicos, pessoalmente ou em congressos da classe.

Julio Machado Vaz disse...

Thora,
Nops:).

Fdl,
Certíssimo!

Julio Machado Vaz disse...

Thora,
Nops:).

Fdl,
Certíssimo!

Xelim's Skull disse...

«Como sabem, tenho por hábito ser implacável nas apreciações ao "meu" Benfica», JMV

E tal pode significar uma compensação. Digo eu, um indivíduo que se sente mais tolerante de uma forma geral, pode procurar reduzir esse excesso de tolerância, tornando-se mais inflexível num determinado domínio. (Noto que tolerância é aceitação com algumas reservas, e por isso a diferença entre as duas não é assim tão pronunciada.)

Laura disse...

- "ò senhor doutor, venho cá para medir a atenção"...

- "Quando respiro o ar não dá a volta"...

-" Fiz muitas radiocuspias quando era pequeno..." (por radioscopia, a pré-história da imagiologia, um velho aparelho em versão minimal do Raios X)

- "Está lá? É da Liga contra a mama?"

-" a minha mulher tem muitos nervos na cabeça"... (esta deve ser no psi)

-" O meu filho é toxopendente"...

- "venho cá para fazer um cataclismo"... (por cateterismo)

- "ó senhora enfermeira rape, rape mas deixe-me ao menos 1 cristinha"...


Eheh, isto 1 terreno infinito, espécie de "história de portugal em disparates" na versão médica!

A Menina da Lua disse...

Thora

Penso que é sem dúvida um pouco das duas coisas:)

Laura

"Eheh, isto 1 terreno infinito, espécie de "história de portugal em disparates" na versão médica!"

Tambem infelizmente:(
Pelo menos do chamado "Portugal Profundo"

Sérgio A. Correia disse...

Quê? Um tripeiro adepto do Benfica? Bem, é cá dos meus, embora não seja tripeiro, mas ilhéu da ilha do Funchal que fica lá no centro sul da formosa ou famosa (ai como é que dizia o Camões...Ah,grande...) Ilha a Madeira...):)

thorazine disse...

"La petite mort", vulgo orgasmo, cantado por um clan!

PS - Ando camuflado porque a AS_AE ainda ai com força! :))

andorinha disse...

Boa noite.

Xelim,

Bolas!!!
Já que se está a falar de futebol...:)
Temos agora uma vertente nova no blog.
Análise das motivações subconscientes do Júlio ao fazer os seus posts/comentários.
Podia dar-te para pior:)))

Coitados dos médicos a terem que ouvir tantas bacoradas.
O livro deve ser muito engraçado, mas o que isto revela do atraso ainda de tanta gente é de arrepiar.

thorazine disse...

FDL,
nem os dizeres do povo sobrevivem a essa máfia! ;)))))

ameninadalua,
acho que ser ignorante é ser simples, mas nem sempre ser simples é ser ignorante.. :)))

JFR disse...

thora:

Tens que ser mais explícito e escolher o teu significado para simples! Aí vão alguns para tua escolha: humilde, parvo, ingénuo, boçal, vulgar, claro, etc.

É que, ao insistires na identidade (neste caso) entre ignorante e simples, pareces um político, com medo de chamar as coisas pelo nome.:)))

JFR disse...

fora-de-lei:

Obrigado por este momento hilariante.

thorazine disse...

jfr,
acho que ignorantes são as pessoas que não têm acesso ao saber, ou mesmo tendo nunca foram estimulados a adquiri-lo. Simples acho são as pessoas que até já tiveram contacto com algum tipo de informação mas preferem viver nuns "padrões mais baixo de conhecimento".

Como exemplo, mas extrapolando para outro cenário, tu poderias ter um conhecimento mais profundo do universo estudando astronomia. Mas em vez disso preferes trocar as horas de estudo para te sentar, no jardim, a apreciar o céu.. :)). És um homem simples no que se refere ao universo. Há pessoas simples no que se refer à vida em geral..

PS - Concordo ctg que se formos ao dicionário estes conceitos não fazem muito sentido. É o sentido que lhe dei..hoje.. :)

andorinha disse...

Thora e JFR,

Vou meter a minha colherada:)
O conceito de "ignorante" é mais fácil de analisar, na minha opinião, embora mesmo assim se possa ser ignorante tout court ou ignorante em determinada áreas e aí somos todos.
Com a diversificação dos diversos domínios do conhecimento ninguém os consegue abranger todos.

"Simples" pode ter outro sentido para além desses do dicionário, aí eu diria antes "simplório".
Pode-se ser uma pessoa com uma imensa cultura e ser-se simples.
Para mim, simples é o contrário de arrogante, convencido, emproado, etc, etc...
Portanto, o ideal é não sermos ignorantes e sermos simples.
Tenho dito:)

Fora-de-Lei disse...

E já dizia John Fodewell (ou talvez Thomas Gray): "Ignorance is bliss"

http://www.youtube.com/watch?v=YBAay9nPtOU

Fora-de-Lei disse...

By the way - A caminho da Idade Média:

"Ignorance would feel like bliss because those who are ignorant have no clue what the heck is going on. When you are ignorant, you don't realize that there is wrong in the world, that wrong is being done to you, or that you are being manipulated or controled by those who abuse other's ignorance. The governmen preaches ignorance, advertises it everywhere, and bombards us with propaganda, so that when we are happy in our ignorance, they can go about controling the world without us worrying about what they are doing. Some would say "Well, if you are ignorant, it wouldn't matter, so why care?", but I think otherwise. If we all choose to follow blindly in ignorance, the world could evolve into a fascist world order lead by a small elite secret society (for instance, BB), and then the bliss that we know would quickly transform into a blind obedience. We would become slaves to our state of "bliss". Sounds fun..."

VICI disse...

xô Júlio,

Você é um snhor, carago! ;)

hei-de voltar, seguramente. Abraço.

A Menina da Lua disse...

Thora

"acho que ser ignorante é ser simples, mas nem sempre ser simples é ser ignorante.. :)))" e tambem ser ignorante nem sempre é ser simples:))


To be or not to be...ignorante:)

Sócrates (mas o outro)já dizia que : " Só sei que nada sei..." portanto ignorantes somos todos...

A questão que tambem se põe e que me parece estar aqui igualmente subjacente a esta nossa conversa, é saber o sentido da responsabilização ou culpa a atribuir às pessoas por serem ou não ignorantes.

De facto nas sociedades, as oportunidades de ter acesso ao Saber não são infelizmente alargadas a todos mas cabe tambem a cada um procurar tirar dentro do seu próprio circulo de vivências a experiência e o conhecimento que os fazem ter toda a diferença para serem e estarem na sua própria vida...

Por isso eu considero que existem profundos ignorantes nos que até tiveram direito à educação e surpreendo-me com a sabedoria, a subtileza e a até a poesia em pessoas com rudimentares niveis de sofisticação e intelectualidade.

Claro que uma boa base educacional cria dinâmicas e potencia desenvolvimentos diferenciados individuais para o resto da vida mas o "proveito que cada um faz disso é muito diferente...pois de facto cada um é mesmo como cada qual:))

andorinha disse...

Bom dia.

FDL (12.19)

Quem escreveu isso? Salazar ou o nosso actual José?
Qualquer um deles o poderia ter feito, pese embora o facto de o nosso Zé andar tão preocupado com o choque tecnológico e a distribuir computadores por tudo quanto é sítio...
Em "show-off" somos peritos:)

Até mais logo, malta.

Fora-de-Lei disse...

Andorinha, quem escreveu isto foi o (conhecido) John Fodewell...

andorinha disse...

FDL,

Looooooooooooooooooooool
Cada vez mais maluco:)))))

thorazine disse...

FDL (12:19 AM),
da mesma forma na ciência, ou no saber que é a ciência, há ramos fascizoides. O "cientificamente provado" cravado a ferros quentes, em discursos publicitários ou em meras conversas entre amigos, é o resultado de propaganda. É provado como? Como se processa? Por quem? Ninguém sabe..mas se "eles" dize, é porque é, filho! :)

Eu não estava a defender que ser ignorante até era melhor, só mesmo que até as pessoas que se acham cultas são ludibriadas pelo seu saber..

ameninadalua,
acho que é só uma questão de terminologia!O que achamos que somos para o que realmente somos vai um grande passo... :)
2beer or not 2beer? 2 beer!!!:D

Papoila disse...

Também gostei da prestação do Glorioso frente ao AC Milan... é pena os golos não aparecerem.

Em relação às preciosidades relatadas relativamente à àrea de saúde aqui vai...

Faço maria dona por causa da arritmia...

Tenho uma sensação de locomotiva no ouvido esquerdo e frigideira no direito...

Continuação de bom trabalho, volta e meio passo por aqui! Abraço

andorinha disse...

Thora,

Não é bem assim, miúdo:)
Na ciência haverá ramos fascizóides, mas só se tivermos um mínimo de cultura é que podemos perceber se os há.
O "cientificamente provado" a mim não me diz muito, até porque o que é provado hoje, pode ser "desprovado" amanhã.
E as teorias científicas contraditórias?
Uma boa dose de cepticismo é sempre recomendável...

P.S. Only 2beer????
A esta hora já quantas não emborcaste!:)))))))))

P.S.2 Mais cuidado com os videos que me passas, miúdo, olha que certas visões na minha idade são perigosas:))))) Loooooool