quarta-feira, novembro 14, 2007

That's what friends are for.

O João Gil pediu, está feito - link para a sua nova aventura:).



Frase e esperança do dia - "E talvez aquilo que sentia de quase agradável naquele momento fosse outra coisa para além ainda do apaziguamento de uma dúvida ou de uma dor: um prazer da inteligência."

Marcel Proust, Um amor de Swann.

21 comentários:

Laura disse...

Indeed...
Haverá maior LIBERTAÇÃO do que a que resulta das "conquistas" que conseguimos com a cabeça?
A compreensão plena de um "certo todo" que nos incomoda..

Hummm... Caminho difícil e cheio de ratoeiras.
Momento raro.
Só podia resultar em paz absoluta.

(Proust é um encantamento que não passa, não é?)

thorazine disse...

“E o prazer que lhe dava a música e que em breve ia criar nele uma verdadeira necessidade, assemelhava-se com efeito, em tais momentos, ao prazer que sentiria ao experimentar perfumes, ao entrar em contato com um mundo para o qual não fomos feitos, que nos parece sem forma porque nossos olhos não o percebem, sem significado porque escapa à nossa inteligência, e nós só o atingimos por um único sentido.”


Tb sei fazer copy/paste! :)))
Na verdade nunca li um livro inteiro de Proust. Quando andei a investigar sobre "no caminho de Swann" (pois um outro autor recomendava no seu livro) uma amiga dissuadiu-me ao dizer que era muito maçudo e descritivo..e eu "guardei-o" para lê-lo mais tarde.

Se calhar já está na horinha!!!

andorinha disse...

Boa noite.

Quando pomos a inteligência ao nosso serviço o resultado normalmente é positivo:)

Gostei da frase/esperança da noite.

Thora,
Pois está. Já estás um rapazinho crescidinho:)))))

Nelson disse...

Esse "um prazer da inteligência" é também o fazer as pazes connosco próprios, é arrumar da tralha toda que nos tenta incomodar, é resolver o que ainda não ficou resolvido apesar de todas as aparências.
E quando surge esse prazer, acabamos por sentir que ficamos livres de nós próprios! ;)

moon disse...

Julinho,

Faltei à chamada...:(
É, há dias assim... Por muito que se queira, a 'agenda' não deixa!
Bem, estou muito a leste. Nem sabia do lançamento, até ler aqui, nem vi ainda o livro em lado nenhum, sorry...
Estou uma fã rasca...:(
Mas eu recupero!...:))
Um beijo

moon disse...

P.S. Parabéns! I guess...:))))


PS1- Malta, também me custa não vos rever. Sério, a sério!:)

JFR disse...

Prof. Júlio:

Não era suposto existir um link no post?

Julio Machado Vaz disse...

jfr,
À direita, homem, à direita:).

JFR disse...

Prof. Júlio:

Obrigado. Como deixou espaço ... só olhei para baixo. É da idade!:))))

Fragmentos Culturais disse...

Afinal, foi-me mesmo impossível comparecer!

E depois de ler a homenagem/post de seu amigo 'JFR' ainda fiquei mais pesarosa!

Parabéns!
Boa-noite

AQUILES disse...

Um prazer que não encontro quando olho para a classe política em Portugal.

blogico disse...

Passei por Serralves de fugida.
Gostei da conversa, apesar de estar sempre a olhar para o relógio. Já estava atrasado para reunião familiar.
Fiquei a saber que ouço/vejo/leio o Júlio desde os meus 13 anos. :)
Não vi Noise nem Viktor, e vi uma pessoa que podia ser a Andorinha, mas fiquei na dúvida.

Saí tão a correr que nem deu para provar os acepipes. Para a próxima espero ter mais tempo.

bom dia a todos

andorinha disse...

Boa tarde.

BLOGICO,

Isso é muito pior, nunca mais te falo:)
Se viste uma pessoa que te parecia ser eu, vinhas-me perguntar, não achas?
Homens...tsc...tsc...tsc...

P.S. Desta vez ainda te desculpo; estou habituada a ser tolerante com "pecadilhos" da juventude:)))

P.S.2 Mas não repitas a proeza.

:)

blogico disse...

Pois, eu já não devia ter idade para ter medo de fazer figura de parvo, mas de vez em quando ainda acontece... Quer o ter medo, quer fazer mesmo figura de parvo. :)

yulunga disse...

Blogico
Para a próxima fazes assim:
Desatas a correr e gritas:
Andorinhaaaaaa, Andorinhaaaaaa.

yulunga disse...

Thorazine
Disse-me uma vez um Prof. Universitário de Literatura Francesa que a maior dificuldade em ler Proust reside nas "más" traduções da obra.
Sugeriu-me na altura que parasse de comprar os restantes que me faltam e que os substituisse por uns novos de uma versão que iria sair e que, quanto a ele, era aquela que mais se aproximava do original.
Julgo tratar-se da edição do Relógio d'Água, mas se houver por aí alguém conhecedor que confirme.

yulunga disse...

Que substituisse os que já tenho, não os que me faltam, lógico.
Muito mal se fala português :-P

andorinha disse...

Blogico,

Tem juízo, pá! Qual figura de parvo?
És um exagerado...:)

thorazine disse...

yulunga,
obrigado! Obviamente tenho de me lançar para as traduçes!! O pouco que me lembro é do género: Bonjour Madame, je peux entrer? Excuse moi je suis au retard!!! (Será assim que se escreve??) lol :))

Julio Machado Vaz disse...

Thora,
En retard:).

andorinha disse...

Thora,

Já estou a ver que chegavas muitas vezes atrasado à aula de Francês:)))))))))))))))