sábado, dezembro 14, 2013

Capítulo final.

Ela disse,
- O luto não será fácil, de qualquer modo.
Ele ficou estarrecido. Difícil embora, para ela tratava-se de uma questão de tempo. Dos relógios. Concordou de peito aberto, se pensava assim, já não era a pessoa que conhecera.  Viver sozinho não o assustava, apenas entristecia.
- Está bem.
E guardou-lhe a memória, por egoísmo e fidelidade.

24 comentários:

João Pedro Barbosa disse...

Edição: Câmara Municipal da Lagoa

1989

Carreiro da Costa

Etnologia dos Açores

Volume 1

Pag. 72

"Aí viveria Guilherme da Silveira com os seus, «até que Deus foi servido de o levar para si» - o mesmo Guilherme da Silveira que, no dizer do citado Ferreira da Serpa, «teve a monomania de encontrar metais preciosos nos Açores e singularidade de morrer no dia por ele fixado»."

in. O MITO DO OURO

andorinha disse...


Hum...não sei...

"...se pensava assim, já não era a pessoa que conhecera."

Como pode ele ter tanta certeza?
Tudo bem, cada um tem a sua...ok.
Mas ele é que pode já não ser a pessoa que ela conheceu...e por isso ela parte...

Cê_Tê ;) disse...


Uma sinopse?

(As pessoas partem, ante de se irem embora, acho eu...)

BN


andorinha disse...

Algumas, nem todas, Cêtê.

E há quem parta mas não vá embora...

BN também pati:)

João Pedro Barbosa disse...

Prontos. Tem que ser! Arquétipos?

Professor Doutor Júlio Machado Vaz

Se continuássemos os mesmos perante a presença de outro? Nunca seríamos alguém em qualquer relação! Um e um são dois e dois é diferente de um. Mais complexo. Mais intrigante! Uma falha sermos muitos?

João Pedro Barbosa disse...

No meu entender? Melhoraria a noção da realidade! Em apaziguar as memórias da meia idade. Um bom domingo...

João Pedro Barbosa disse...

Se houver interesse? Mais vale adiar a dor! E recordar o antes de. "A memória devolve aquilo que não lhe pertence"

João Pedro Barbosa disse...

John Paul Young - Love Is In The Air (Tradução)

http://www.youtube.com/watch?v=ujc8WCrHNp0

Cópia reservada: Claudia Pereira

João Pedro Barbosa disse...

Carta ao ouvinte? É precioso! Fazer das tripas coração.

João Pedro Barbosa disse...

Acordamos na solidão. O sonho que envolve! Desperta-nos para a realidade?

João Pedro Barbosa disse...

O intervalo? No silêncio da mais alta figura do estado! Também é pessoa. A retórica do silêncio! Acompanha a silêncio dos inocentes? Hoje? A força desliga! As vozes mais audazes.

Impio Blasfemo disse...

Prof JMV.
A propósito de partida, ontem faleceu uma prima sua. Na família era conhecida como a Tia Beatriz, casada com o Tio Eurico que lhe sobreviveu; estava desolado. A tia Beatriz era filha de Maria Júlia (a avó Júlia, assim era conhecida) e do professor Augusto Reis Machado. A avó Júlia, como sabe, era filha de Júlio Alves da Sousa Vaz Júnior, irmão do seu avô.
Assim, se não me enganei nestes laços familiares, faleceu ontem uma prima sua em 3º grau. Lamento dar-lhe esta triste notícia.
Ao ler o seu texto faz-me lembrar a expressão do Tio Eurico. A Tia Beatriz, há mais de um ano que estava a viver num lar com cuidados diários; já nem o reconhecia sequer, nem aos filhos. O Tio Eurico sabia que o fim dela estava próximo e estava resignado com essa situação, mas ontem estava mesmo muito triste. Como escreveu o João Pedro, vai ter de apaziguar as memórias da sua Juventude, das férias de S. Martinho, enfim a idade vai atenuar estas dores, penso eu.

Abraço
IMPIO

andorinha disse...

Bom dia:)

João Pedro,

"Se continuássemos os mesmos perante a presença de outro? Nunca seríamos alguém em qualquer relação! Um e um são dois e dois é diferente de um. Mais complexo. Mais intrigante!"

Gostei, moço:)))


Impio,

A morte é sempre difícil de aceitar. Lê a crónica de ALA na Visão onde ele fala disso.
O tempo vai apaziguando a dor, mas a saudade essa permanece viva.

Bom domingo para todos:)

Cê_Tê ;) disse...

As pessoas partem (em termos afetivos), ante de se irem embora (fisicamente falando), acho eu.
Foi assim que o pensei.

Não posso deixar de concordar contigo- no conteúdo dos teus dois comentários.

E por que raio a "fala" dele é "- Está bem."??????????


BDomingo.

João Pedro Barbosa disse...

Andorinha. Adivinha! Teria lido o teu comentário?

andorinha disse...

Têzinha,

"Contigo", com quem? Comigo?
E acaso não tenho nome?:))))))))

Eu percebi o que querias dizer.

Vá, vai andar de baloiço:)

Jinhos, cachopa.


JP,

Penso que leste...

Vou sair. Bom domingo para vocês.

João Pedro Barbosa disse...

Cê_Tê ;)

Há uma entrada que pode coincidir com a saída. Desta forma! Ao entrar? Os convidados estão obrigados à entrada a sair...

João Pedro Barbosa disse...

"Asdrulbem-se/Fastiguem-se/Muconizem-se"

O cardápio. Do jantar! Convívio? Está. A precisar! De uma renovação? Ou ainda nos esquecemos. E somos todos apanhados! Pela Judite?

Mapa gastronómico: (4/01/2014 - 10/01/2014 - 17/01/2014 - 24/01/2014 - 31/01/2014 - 8/02/2014)

João Pedro Barbosa disse...

Voltando ao início:

"Da mesma edição"

A Água no Folclore

"Como todas as coisas, no mesmo princípio do mundo, a água falava. E terá ela, realmente, perdido a fala, tão expressiva se nos mostra a sua cantinela?"

João Pedro Barbosa disse...

UM BOM JOGO

João Pedro Barbosa disse...

E tudo. Em um! Ponto final?

João Pedro Barbosa disse...

"Se isto é um insecto? Bem vindos! Sejam os mosquitos."

http://www.youtube.com/watch?v=CP6tDVbil8I

Julio Machado Vaz disse...

Ímpio,
Não sabia:(. Nunca tive relações com essa parte da família, lembro apenas a lindíssima cabeleira branca de meu Tio Júlio e as palavras de meu Pai - é um artista, como sua Mãe. Ambos tínhamos a noção de que era um degrau que jamais conseguiríamos subir... Abraço grato, Júlio.

João Pedro Barbosa disse...

Senhores Doutores e Doutoras. Se mestria é arte! Para quê tanta licença?