sexta-feira, março 24, 2006

Ora aqui está uma boa notícia!

Café Piolho reabre e regressa às tertúlias



Joana de Belém

Fechado há três meses para obras, o centenário Piolho (1909) reabre portas de cara lavada e com vontade de retomar a tradição das tertúlias.

Longe vão os tempos em que os oponentes ao fascismo se reuniam no Piolho, café onde se discutiam ideias e realizavam tertúlias nas noites do Porto. Local associado aos estudantes universitários, tem como característica fundamental a clientela diversificada e o ambiente informal: ao lado do professor pode estar um aluno, junto ao advogado ou arquitecto o desempregado, a freira que aparece à tarde apanha com o fumo do cigarro do "mitra".

Hoje é a primeiro noite em que o Âncora D'Ouro (nome original do espaço, adulterado pelos estudantes durante os anos 50 que, diz-se, chamavam "piolhice" aos docentes universitários que também frequentavam o café) se apresenta à cidade, mas não para todos. Apenas na segunda-feira abre para o público em geral, os fiéis habitués de um espaço que deixou e vai continuar a deixar marcas em várias gerações.

Esta noite, a casa entrega-se ao espírito da tertúlia, com convidados como Germano da Silva, Paulo Valadas e Paulo Morais, ex-vice- -presidente da Câmara do Porto, mas foram muitos outros os que receberam a convocatória para um momento que se pretende espoletador de uma nova dinâmica.

Edgar Gonçalves, um dos proprietários há já 25 anos, cresceu com a casa. "Vim para aqui com 19 anos", corria o ano de 1979, conta ao DN. Edgar Gonçalves não teve outra vida durante os três meses que duraram as obras. "Necessitávamos mesmo de melhorar isto em termos de espaço público, o cliente gostava do Piolho como era mas não tínhamos grandes condições de trabalho".

"Mataram o Piolho", ouviu já da boca de alguns clientes que vão passando para ver o andamento das obras. "Mantive sempre isto meio aberto para que as pessoas pudessem ver o que estava a ser feito", conta Edgar, que faz questão de ressalvar que quis manter a traça do café da Parada Leitão, praça que o acolhe.

O pequeno restaurante deixa de existir, alargando-se o espaço, mas o mobiliário mantém a dimensão característica, embora substituído. No caso específico das cadeiras foram reproduzidas as originais do Piolho - em madeira, com o assento coberto a pele negra e uma âncora em relevo. "Tentamos não ferir aquilo de que o cliente gosta."

Edgar Gonçalves lamenta apenas a legislação que não lhes permite manter a esplanada aberta durante o horário do café. "Comprámos a residencial por cima por causa do barulho, mas temos de retirar as mesas e cadeiras do exterior à meia-noite [a duas horas do fecho do café] e as pessoas amontoam-se no passeio".

*com Sara Novais

28 comentários:

mtc disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Angie disse...

Hummmm...Estou a ver que já nos princípios de novecentos havia franchisings ocasionais.
Por aqui também há um café Piolho, bem no centro da vida académica, com idênticas bandeiras e pergaminhos.
De onde virá o nome?!

moon disse...

O "Piolho" é aquele café perto da Cordoaria?
Seja onde for, espero que mantenha o espírito de "café onde se discutiam ideias e realizavam tertúlias nas noites do Porto".
E brindo a isso (é pena não ter aqui um daqueles chocolates e ginginha...), a espaços (informais), a pessoas que saibam apreciar e cultivar o gosto por uma boa conversa, uma boa tertúlia. Que saibam saborear o tempo sem pressa. Para mim o Murcon é um bom bocado de isso tudo! Por isso, e apesar de ontem o Murcon ter estado "out" - ausente em parte incerta;) (as novas teconologias... do 'tio' Socrates!) até sempre Murcon!
Beijinho

moon disse...

Dreamner, Ameninadalua,

Andei a ler para trás...
Se eu cantasse aos meus "gatos" então é que eles não dormiam:))))))
O 'ritual' de deitar é diferente. Um adora festinhas nas costas e fica tipo gatinho a ronronar e depressa adormece, o outro adora conversa na hora de deitar, então se lhe contar histórias de quando era pequeno, é uma festa! O problema é mesmo quando não me apetece nem uma coisa nem outra (e como destesto fazer das coisas obrigação, não faço) eles sentem a diferença e o sono não chega tão fácil. Nem o deles nem o meu:(.

mtc disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
CêTê disse...

Via SMS

CêTê vivinha. Miminhos a filhote com gripe. Muitos testes
para corrigir. Vontade de virar excêntrica. Comprem Quitoso e continuem a parasitar o Murcãozinho.
bjnhs para todos.

oLouco disse...

Curioso, todas as terrinhas têm sempre um ou mais piolhos. Na minha, era o cinema de bairro. Porrada de meia noite, até à meia noite, a propósito de tudo e nada. O filme era o pretexto para a exaltação. Hoje chamam-lhe Cine-Teatro Eunice Munhoz, mas não tem tanta piada.

andorinha disse...

Boas notícias, sem dúvida, sobretudo para os portuenses.:)
Espaços de tertúlia vão rareando e quando um café com tradições nesse sentido reabre, só temos todos que aplaudir.

AQUILES disse...

Obrigaram-me. Lá fiz um blog. Não sei se o alimento. Mas gosto da tertúlia.

andorinha disse...

Aquiles,
Bem-vindo, fazias cá falta.:)
Alimentas, sim, só custa o princípio, pelo menos comigo foi assim, depois é viciante.
Tenho é que me habituar ao teu novo nick:)))
Um abraço.

AQUILES disse...

Pois. Lá me esqueci. Eu sou, o entretanto exterminado, «O Sical»

Su disse...

sinceramente, acha que este post contribuiu para a minha felicidade? :))))))))))))))
opssss
jocas maradas

andorinha disse...

Su,
Não ficas feliz com a felicidade dos outros? Ai, ai, miúda...:)))))
Já tinha saudades de falar contigo aqui.
jocas maradas

dakidali disse...

Então bom fim de semana.
Beijinhos

Ameninadalua disse...

Como não conheço o Café Piolho:)

Gostava de vos dizer que hoje fui ver a exposição de pintura da Frida Kahlo que está patente no CCB...
Impressionante...verdadeiramente impressionante...
A exposição em si é pequena, são uns tantos exemplares que em relação à totalidade da sua produção corresponde a uma pequena parte. Mas apesar disso absolutamente impressionante; primeiro pela figura dela em si (havia um conjunto bastante alargado de fotos e imensas legendas sobre a sua vida) depois pelas próprias obras cheias de originalidade, expressão e colorida que nos tocam até pelo seu próprio drama pessoal.
Enfim vem-se de lá, porque não dizê-lo com os olhos e o coração a transbordar de comoção...

M em Campanhã disse...

que boa notícia, mesmo! o Piolho foi mais que uma casa para mim nos tempos de estudante. quem me dera lá estar esta noite!

Pamina disse...

Boa noite.

Parabéns aos portuenses.:)
Mesmo quem não é das Caldas deve conhecer o Café Central na chamada Praça da Fruta, um local de grande tradição. Nos últimos anos, a história deste café tem sido uma verdadeira odisseia. Primeiro fechou, por falta de lucro, e esteve bastante tempo encerrado, enquanto iam aparecendo sugestões sobre o que instalar ali, inclusive uma loja chinesa. Reabriu em 2004, mas foi sol de pouca dura. Houve um assalto, julgo que com incêndio, e lá foi novamente encerrado. Neste momento, a Câmara ofereceu 424 mil euros ao proprietário, apesar da contestação de alguns autarcas. Espero que não acabe em agência bancária.

(Nota: Claro que não tenho nada contra as lojas chinesas. Só acho que o local deveria ser preservado.)

Ameninadalua (11.25),
Compreendo que tenha sentido essa emoção. Desde o filme "Frida" fiquei com uma grande admiração pela pintora e o desejo de ver alguma da sua obra ao vivo. Obrigada pela sugestão.

Desejo a todos um bom fds.

Lusco_Fusco disse...

“Piolho”, o café de que sempre se fala com estudantes, recordo o nome desde novita.
A sorte é que não é um parasita, mas um "pára si(n)ta" e converse. Como qualquer café frequentado por estudantes onde se contam anedotas, brinca a troca ideias, conhecimentos, olhinhos
;-). Com uma vantagem, nestes cafés, sempre se encontra um amigo, um conhecido... Longe de casa, isso é óptimo. Acaba também por ser um ponto de encontro sem hora…”Ele(a) aparece!”
Todos os locais têm um café que faz história... E com características muito próprias, sem choque de gerações, status e que convivio em sã amizade.

UMa boa noite para todos

MJ

Lusco_Fusco disse...

Xiii "tou tata" mas não emendo :))))
Bom fim de semana

RAM disse...

Desculpem a desfaçatez de assumir o papel de velho do Restelo.

Contente com a reabertura do velho Piolho? Sem dúvida. Como poderia não ficar.
Algumas vezes dei por mim a admirar as inúmeras homenagens de gerações e gerações de aspirantes de feiticeiros ao colar da Ordem de Esculápio.
Algumas estratégias de contestações académica foram congeminadas ali, após acessas reuniões na Faculdade de Ciências.
Bons tempos...

Já em relação às tertúlias.....

Estas requerem pessoas, disponibilidade das mesmas, inconformismo, causas/ideias, luta... tudo menos conformismo...
... e uma cidade que nos acolha no seu seio.

Irónico que tenham escolhido para o primeiro dia do resto da sua vida 2 pessoas que só contribuiram - directa ou indirectamente - para a aniquilação/esvaziamento da baixa do Porto, votando-a ao abandono e à tristeza que a caracteriza sob o negro céu e as estrelas.

Mas... mantenhamos a esperança...
:)

lobices disse...

...precisamos, então, de ir lá qualquer dia, ou noite, catar o piolho
...ainda me lembro dele, nos anos 60 s

AQUILES disse...

Só por curiosidade. O "piolho" é um café ao lado da Faculdade de Ciências nos Leões? (Agora as ciências estão no Campo Alegre.)
Dúvidas de um alfacinha nos Açores

maloud disse...

Eu li bem?! O Paulo Morais?! Que é que esta "aventesma" tem para dizer? Irá finalmente denunciar os que o queriam pressionar? Só se for.

RAM disse...

Caro Aquiles,

Permita esclarecer a sua dúvida...
O Piolho é, efectivamente, o café situado ao lado do (ainda) edifício da Faculdade de Ciência da Universidade do Porto, futura (??) Reitoria da mesma Universidade...
Apesar da maioria dos Departamentos terem sido já transferidos para o Pólo III da UP (Campo Alegre), alguma Unidades/Departamentos permanecem ainda no edifício sito na emblemática Praça dos Leões.

Su disse...

ok prof, gostei de saber q está feliz pelo piolho....(
esta frase é muito tonta, mas....) eu exagerei no post acima...
tenho fases como a lua:)
jocas maradas.. de piolho:))))))

tb disse...

Já aqui vim várias vezes, mas nunca deixei notinha. Mss hoje quero compartilhar da alegria pela reabertura de um espaço tão querido de todos.
Um abraço ao porf. pois sou sua admiradora da rádio.
bom fim de semana

Manuel da Gaita disse...

tá bom...
nós aqui em Coimbra também temos um café Piolho (da Solum)... mais reles e menos conhecido que o Piolho do Porto... aguardamos serenamente uma remodelação.. até temos um blog de protesto contra as péssimas condições sanitárias entre outras coisas, mas os clientes também não merecem melhor.

Manuel da Gaita disse...

outra coisita...
Parabéns ao Porto que ganhou à minha Académica, mais foi por um bocadinho que não tinha surgido o empate