sábado, março 25, 2006

Mais um passinho...

Homossexuais portugueses já podem dar sangue

Os homossexuais portugueses já podem dar sangue, depois de o Instituto Português do Sangue (IPS) ter retirado a homossexualidade dos critérios de exclusão, avança o Diário de Notícias este sábado. O presidente do organismo, Almeida Gonçalves, explica a decisão com a existência de uma nova geração de análises, mais fiável no despiste de doenças infecciosas como a SIDA ou as hepatites.



Falando ao DN, Almeida Gonçalves adianta que «a tendência actual é de igualdade de critérios para todas as orientações sexuais, há uma recapitulação em termos internacionais nesta matéria». Segundo o responsável, já foi retirado do site do Instituto o critério de exclusão «homens que têm sexo com homens».
A decisão foi tomada no fim de 2005, mas até ao momento, nem as associações de defesa dos direitos dos homossexuais tinham conhecimento. A alteração da política foi explicada com a existência de um novo tipo de análises, os testes de ampliação de ácidos nucleicos – TAN. «Pelo seu grau de fiabilidade muito superior aos antes utilizado, estes testes permitem despistar com muito mais segurança a existência de infecções como a do HIV/sida ou das hepatites», afirma Almeida Gonçalves.

Questionado durante anos sobre a validade desta interdição o responsável admitie agora que se tratou de uma estigmatização sem fundamento científico. «Penso que isso se deveu ao facto de o problema da sida ter começado na comunidade gay americana. Hoje, em Portugal e em quase todo o mundo, a principal via de infecção do HIV é heterossexual», disse.

25-03-2006 14:16:18

24 comentários:

maloud disse...

É preciso uma cretinice acabar, para saber que existiu? Quem fez esse regulamento do IPS é cientista ou curandeiro? Ou terá sido o César das Neves?

CêTê disse...

(em mini-intervalo)

Boa tarde!
É preciso contextualizar as coisas.
Homo ou bissexuais e toxicodependentes eram excluídos para protecção dos dadores baseados em dados probabilisticos/ estatísitcos da altura. Não estando por dentro do assunto atrevo-me só a lançar a questão... não estará o comportamento homossexual- em Portugal e Hoje- ainda marcado por mais frequentes comportamentos de risco?



O critério deveria ser só e tão somente um teste fidedigno que garantisse a maior qualidade do sangue.

O problema da homossexulaidade preocupa muito os psis, não preocupa?

Su disse...

isso é ridiculo ...o antes e oagora....

estou mesmo a ver, alguem a tirar sangue e a dizer . ..leia-me os pensamentos :))))))))

hahahah oh prof marei, eu sei, mas isto é catarse:)))

jocas maradas

andorinha disse...

Boa noite.

Ainda bem que estamos em fase de boas notícias, depois do piolho, esta.
Aliás a primeira vez que este tema veio à baila aqui no Murcon eu nem sequer sabia, na minha santa ingenuidade:) que os homossexuais não podiam dar sangue.
Nesta notícia só estranho uma coisa: é referido que "foi retirado do site do Instituto o critério de exclusão "homens que têm sexo com homens".
E as mulheres que têm sexo com mulheres? Não podem dar sangue???

AJFRM disse...

Pois dando seguimento à ideia subjacente, q durou tantos anos, agora deveríamos excluir precisamente os heteros!
exclusao por exclusao...
invertendo...

CêTê disse...

ajfrm: a ideia não é inverter mas sim não distinguir em critérios desadequados a uma dada situação. E cada situação exige critérios próprios.
Aquela história dos homossexuais pagarem menos para irem ao cinema... pode ou não ser considerada dscriminatória, mesmo que o critério seja a orientação sexual- depende.

CêTê disse...

SE ALGUÉM HOJE ME DIZIA QUE OS PROFESSORES "NÃO FAZEM 1 (_._)"....

EU NÃO RESPONDO POR MIM!

@£§€



Ok professor! Desculpe.

Nada que uma boa noite não cure ;P

CêTê disse...

Mas afinal onde pára o pessoal? Está tudo em programas culturais? E eu aqui que já não me aguento...

Está tudo no Piolhoso, ou pionho ou Quitoso ou lá o que é. Eu sempre achei que aquela malta da cultura era hidrofóbica...

Lusco_Fusco disse...

NA cêtê estava a ler-te hoje o meu programa cultural foi higiénico :o) Por em ordem a minha cozinha e a minha casa para a semana que se avizinha :o))))

maloud disse...

No Piolho? A ouvir o Paulo Morais? Não acredito. O homem é soporífero.

Lusco_Fusco disse...

Hummm Boa música!

blogico disse...

cêtê

"Aquela história dos homossexuais pagarem menos para irem ao cinema... pode ou não ser considerada dscriminatória, mesmo que o critério seja a orientação sexual- depende."

Acho que sempre que há excepções a regras que deviam ser para toda a gente, existe descriminação. Seja por orientação sexual, idade, ou o que for.
Como esta nova e polémica lei do trabalho em França. É pura discriminação etária. Nada tem a ver com as qualificações do candidato ao emprego. Em alguns países é proibído perguntar a idade numa entrevista de emprego, precisamente para evitar descriminações etárias. Normalmente é para salvaguardar os direitos dos "mais velhos", mas neste caso francês o alvo são os "mais novos". Seja como for é sempre discriminação

CêTê disse...

Num plano puramente teórico não considero que a utilização de um critério de selecção para um determinado objectivo deva ser entendido negativamente como discriminatório quando a selecção se traduz em resultados que vão beneficar um universo maior do que os excluídos.
Até as capacidades económicas pode ser um óptimo critério- se não vejamos aquele excêntrico que está disposto a pagar um balúrdio para dar uma viagem no espaço. Eu roída de inveja e que poderia seguramente tirar grandes dividendos dessa experiência seria um péssimo negócio para a humanidade- ele era financiar projectos. Critério certo? Certo. (na minha opinião resignadamente de "pobretana" ;P)

Sabe que mais? Não devemos azedar muito com critérios de selecção injustos: as oportunidades só as exploram os capacitados para as enfrentarem. Se se fôr bom... (e é-se sempre bom em qualquer coisa)... a oportunidade pode ser encontrada debaixo de qualquer outra perdida. O dificil é descobrir em quê e investir no "dom". :]

CêTê disse...

E por falar em dom...
Não não! Não o Duarte.;P

Porque não aparece aqui um cheirinho do seu livro, professor?

Eu ainda não comprei (nem tempo tenho para ler as bulas... há-de ser o que as leis da termodinãmica ditarem)mas gostava de ler um cadito. Os mucónicos mereciam... que nos lê.se ao "ouvido" aki ao cair da noite qq coisita. Mas "prontos"... o Profesor é que sabe.
Eu vou desaparecer uns dias temo ter de lhe pagar alguma coisa por lhe ocupar o blogue.

Ameninadalua disse...

Cê tê :))))

Como sempre espirituosa e muito oportuna!:)
Os seus posts são cheios de sentido de humor e de muita "frescura" mental que eu aprecio...

Professor

Nem sempre critérios se traduzem em discriminação mas concordo consigo que, até mais ver e atendendo a contextos ainda recentes, estes continuam a ser critérios que ainda merecem atenção e cuidados dobrados na sua aplicação...ou seja enquanto o critério de igualdade não for suficientemente salvaguardado.:)

CêTê disse...

Boa tarde meninadalua! ;] Como dá para notar também dou erros... LOL Mas com estes posso eu bem! (até daqui a 5 testões!)
ÓOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO professooooooooooooooor! Foi por isso que pôs o blogue a postar sózinho! Bolas agora nem sabemos quando devemos roubar-lhe a casa e assim...

(Superapita: tu desculpa não aparecer nos sítios do costume mas se começo a falapatar contigo nunca mais me despacho: aqui não me dão paleio e eu descarrego a tensão sem causar vítmimas em casa)

blogico disse...

cêtê

concordo completamente consigo.
estava apenas a referir-me a leis, e não a critérios de selecção em geral. acho que uma lei tem que ser igual para todos, e não pode haver excepções. senão toda a gente quer pertencer ao grupo que possui a excepção mais favorável... (estou-me a lembrar de benefícios fiscais, por exemplo...)

Orange disse...

Felizmente que daqui a uns anos todas estas limitações nos parecerão obsoletas.
Beijinhos, Professor!
:)

dijambura disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
oLouco disse...

Parece-me que não terá sido a orientação sexual, mas a a homosexualidade enquanto grupo de risco, que terá levado à referida interdição. Resta saber que outros grupos de risco foram "desenhados" e interditos.

dijambura disse...

A Homosexualidade como orientação sexual claro!Quem tivesse parceiros sexuais do mesmo sexo não podia dar sangue! Tive a oportunidade de ler no folheto num banco de sangue!

dijambura disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
dijambura disse...

Não se percebe como a homosexualidade há tão pouco tempo ainda era um critério de exclusão para possíveis dadores de sangue, como se a orientação sexual fosse a etiqueta dos comportamentos de risco, que disparate! A orientação sexual não determina o risco de contracção de doenças, existe o mesmo risco para os heterosexuais que não tomem medidas de contracepção. Fico muito feliz por esta discriminação ter sido ultrapassada embora considere rídiculo ter sido apenas no ano de 2006.

Kordny disse...

isto de vir comentar um blog de uma pessoa "quase respeitável" tem que se lhe diga. (ou então não). qq comportamento discriminatória devia ser considerado crime. ponto final. era pô-los uma semanita a carregar baldes de cimento que acabava-se logo a mania da superioridade. e preciso distribuir a utopia do thomas more a todos os lares portugueses para se perceber que a utopia e um mundo melhor e algo muito mais simples do que se pense? se em vez de pensar e se falar, se actuasse nesse sentido , por mais pequeninas que as atitudes fossem, isto andava pa frente. agora assim não. raio de mundo em que os filósofos não podem ser reis nem os reis filósofos. [] peace