quinta-feira, julho 12, 2007

Desinibe-te, Júlio!!!!!!!!

Extrovertidos são menos susceptíveis a ter doenças cardíacas

Timidez pode aumentar risco de problema cardíaco, diz estudo Uma pessoa extrovertida pode ver reduzidas as possibilidades de ter um problema cardíaco ou derrame, revela uma investigação da Universidade Northwestern de Chicago.
A investigação, realizada ao longo de 30 anos, sugere que homens tímidos ou anti-sociais têm uma probabilidade 50% mais elevada de morrer devido aqueles problemas se comparados com homens extrovertidos.

O estudo, publicado na revista Annals of Epidemiology, vem corroborar outros trabalhos que sugerem uma ligação entre personalidade e saúde.

Os pesquisadores analisaram a saúde de mais de 2 mil homens de meia-idade durante três décadas, até que 60% dos analisados morreram.

Os atestados de óbito combinavam com os questionários psicológicos preenchidos no início do estudo para revelar o tipo de personalidade de cada homem.

Quando outras informações relativas ao estilo de vida dos homens foram analisadas, nenhuma ligação entre outros fatores de risco conhecidos - como fumo, bebida ou obesidade - foi revelada. Este facto aparentemente descartou a teoria de que homens tímidos ou anti-sociais poderiam ter morrido devido a comportamentos pouco saudáveis.

Os pesquisadores sugeriram que ou os homens tímidos são mais stressados por situações novas, ou que o padrão do seu tipo de personalidade é, de alguma forma, ligado à parte do cérebro que controla a operação mais estável do coração.

Décadas de pesquisa sugerem que existe apenas um tipo de personalidade que não está ligado a um aumento do risco de doenças graves.

Pessoas mais tranquilas - as chamadas personalidades tipo «B» - parecem ser as mais saudáveis.

As personalidades do tipo «A» - viciados em trabalho, com tendências ao stress ou à raiva - têm mais probabilidade de sofrer de tensão alta e doenças cardíacas.

As pessoas com personalidade do tipo «C», que reprimem os sentimentos, foram ligadas ao aumento do risco de cancro.

Outras investigações ligaram pessoas do tipo «D», pessimistas com pouca auto-confiança, a ataques cardíacos ou derrames.

12-07-2007 11:40:19

19 comentários:

CêTê disse...

;]
"A investigação, realizada ao longo de 30 anos, sugere que homens tímidos ou anti-sociais têm uma probabilidade 50% mais elevada de morrer devido aqueles problemas se comparados com homens extrovertidos." é sempre bom saber estas coisas!;p


Terá correspondência no género feminino?

A utilização da net, deduzo, que permita aumentar a esperança de vida dos mais ameaçados, não?

andorinha disse...

Boa tarde.

Como já sabem, estes estudos inspiram-me sempre muito pouca confiança.

Que os extrovertidos sejam menos susceptíveis a ter doenças cardíacas parece-me ter uma certa lógica, mas como ninguém pode ser extrovertido à força...:)

E só há esses quatro grupos de personalidade?
Viciada em trabalho, não sou; tranquila também não; não reprimo os sentimentos e não tenho pouca auto-confiança...logo, enquadro-me onde?
Em lado nenhum, pelos vistos:))))

Sirk disse...

Despe os preconceitos, CêTê. Para além de correres menos riscos de saúde, ficas com saldo no telelé.

LOOOOOOOOOOOOOL

Fora-de-Lei disse...

E depois temos as pessoas com personalidade do tipo «E», ou seja, aquelas que andam cá por ver andar os eléctricos. Regra geral, essas pessoas têm uma morte santa... apagam-se como passarinhos.

peciscas disse...

Vou daqui muito preocupado, Júlio.
Eu, que sou um tímido profissional, de nascença.
E você, que sabe muito destas coisas, diga-me: isto tem cura?
Se tem, arranje-me uma vagazinha nas suas consultas...

Filomena disse...

Professor,
Ouça o Paulo Bento: “Com tranquilidade”!
Não lhe imite é o penteado...
:-)

lobices disse...

...desculpem lá, mas isto não é novidade:
Pessoas mais tranquilas - as chamadas personalidades tipo «B» - parecem ser as mais saudáveis.

As personalidades do tipo «A» - viciados em trabalho, com tendências ao stress ou à raiva - têm mais probabilidade de sofrer de tensão alta e doenças cardíacas.

As pessoas com personalidade do tipo «C», que reprimem os sentimentos, foram ligadas ao aumento do risco de cancro.

Outras investigações ligaram pessoas do tipo «D», pessimistas com pouca auto-confiança, a ataques cardíacos ou derrames.

Laura disse...

Ai, professor! Então e numa família com 1 historial médico atreito a patologias cardiovasculares (sabe bem que pode haver 1 carga genética), como é?
Estou-me a lembrar de uma que conheço muito bem e onde há perfis emocionais para todos os gostos, de uma ponta à outra da escala:):)

Nisto estou convencida de que:

1º- há que a partir dos 40 fazer uns examezitos tipo check up, e perceber quais os nossos "pés de barro", em termos de saúde.
Agir depois em conformidade: -p.ex. mudar certos comportamentos e até eventualmente tomar medicação diária, como sucede nos casos crónicos de hipertensão, mesmo os menos importante. Esta não nos avisa com sinais evidentes, toca a muita gente aparentemente saudável, e configura os casos mais mortíferos.

2º Mais do que o feitio, penso que é a nossa racionalidade que manda. Se formos racionais somos decerto moderados e agiremos "cognitivamente" com a saúde.

Digo eu que tenho dificuldade em ser racional nos comportamentos (fumo, etc)... mas observo e deduzo (empiricamente, é certo), os casos de longevidade consistente e sustentada que conheço.
São normalmente pessoas que "trabalham" para ter saúde.

Não acredito nem por 1 segundo que o Prof. não seja assim! Olha,olha!

thorazine disse...

Será que a desinibição induzida também conta? :))

El Bimbo disse...

Todos sabemos que somos os causadores principais de algumas das nossas doenças modernas, senão vejamos:
-qual o bimbo que ao ver o seu clube do "peito"(?) - perder, a dado momento não lhe "subiu o sangue á cabeça"?
Bem...ás "bezes" dá ataques cardíacos, outras bezes a tison artiriar fica no bai ou racha!

PAH, nã sei! disse...

O chefinho, inibido?

(diria o senhor Palma: deixa-me rir ;)

CêTê disse...

Srik, (Muaahahahha), eu sempre desejei ir-me timidamente com um ataque cardíaco fulminante e ter o telemóvel sem carregamento nem bateria.







De preferência no teu enterro, para te "roibar" o protagonismo! ;P

Xelim's Skull disse...

«As pessoas com personalidade do tipo «C», que reprimem os sentimentos, foram ligadas ao aumento do risco de cancro.»

Portanto, um pedófilo que se reprima, corre um risco aumentado de contrair cancro, e está a atentar contra a sua própria saúde!

E já agora,

Sete razões para ser pedófilo:

1. Os pedófilos dão entretenimento (está-se sempre a falar neles na tv, nos jornais, etc)
2. Os pedófilos geram trabalho (jornalistas, policia, juizes, advogados)
3. Os pedófilos gostam muito das crianças
4. Os pedófilos não assediam mulheres
5. Os pedófilos tem uma personalidade afável
6. Os pedófilos (assumidos) têm menos probabilidades de contrair o cancro
7. Os pedófilos vivem duas vidas numa só

A Menina da Lua disse...

Olá boa noite!

Desiniba-se!...desiniba-se sim professor!:) pois pelos vistos dá saúde...mas só não faz já é crescer:)

Pela parte que me cabe devo estar cheia de sorte no que respeita a doenças cardíacas; não estou viciada em trabalho nem me dou a qualquer tipo de raivas,pessimismo quanto baste, pratico a extroversão e o riso em doses intensas e regularmente:). Terei então de ter um pouco mais cuidado no que respeita a reprimir os sentimentos pois pelo cancro não tenho grandes simpatias:))

Enfim...é divertido pensar que tudo possa funcionar desta maneira quase matemática mas penso que não será tanto assim porque cada um enfrenta suporta e se gere de forma diferente de acordo com o seu próprio funcionamento...será?

Marx disse...

Éramos quatro, lá na empresa, quando começamos o negócio. Já lá vão uns oito anos. O chefe, um autêntico carrasco, costumava gritar-me ordens como se estivéssemos na parada. Permanentemente. Pelo contrário, o seu braço-direito, que acumulava com o ser primo dele, era o chamado gajo porreiro. Sempre a trabalhar nas calmas e sem grandes pressas. Para ele e para os outros. Ou seja, eu, tímido como o caraças, e um outro colega, tímido-quase-mudo, que víamos como pessimista e com falta de auto-estima. Tanto, que até lhe chamávamos Santa Bárbara. Há quatro anos atrás, o chefe, um típico «A», morreu de hiper-tensão. O primo, que logo a seguir o substituiu na condução dos negócios, aguentou-se dois anos. O primeiro ano foi para passar de tipo «B» a tipo «A». O segundo ano, foi para ganhar o vício no trabalho, o stress e a raiva. Há dois anos atrás, morreu de um ataque cardíaco. Sem fazer nada para isso, passei eu a mandar na empresa. Porque o meu colega, embora mais velho do que eu, continuou sem abrir a boca. Ando nisto há já dois anos. E sinto-me cada vez pior. Ao medo do cancro com que a minha timidez me ameaça, juntei agora a tensão alta das obrigações do trabalho. De vez em quando, tenho umas picadas no coração, que noto cada vez mais frequentes. Um destes dias, ao ver-me fulminado no chão, o Santa Bárbara abanou a cabeça e abriu a boca para extroverter o seguinte. «Esta empresa não vale nada e não vai a lado nenhum!» Pegou nas coisas dele e foi-se embora. Tranquilo e sem sequer olhar para trás.

Migmaia disse...

Bom dia,

Uma vez que não me ocorre nenhuma variante para personalidades tipo F (na verdade, não quero é ferir susceptibilidades nem falar de Futebol…), e considerando os dados do estudo fidedignos, parece-me que as estatinas, ieca’s, Ara’s, antagonistas do cálcio, beta-bloqueantes, etc…vão perder protagonismo como terapêuticas de 1ª linha no tratamento das patologias de natureza cardiovascular. Complementando a receita para a desinibição (quando necessário), e para compensar a indústria farmacêutica de tamanhas perdas, a área do Sistema Nervoso Central passará a ser a da “Excelência”.

Todavia, esta tese contraria uma outra que me enviaram recentemente por mail:
gasta-se 10 vezes mais na investigação de moléculas tipo “viagra”, do que para patologias como alzheimer . O resultado daqui a umas décadas, será o de gerações cheias de “tusa” mas que não vão saber para que serve…

Gostaria de felicitar o Prof. JMV pela divertida entrevista a abrir o Sol desta semana. Recomenda-se, como prova de que se pode falar sobre coisas sérias em tom de brincadeira. Como exemplo, quando questionado sobre afinidades a algum partido: “sou um independente militante. Julgo que daria cabo da paciência de qualquer estrutura partidária.” E sem qualquer dúvida que, subscreveria também o meu apoio ao Rui Moreira, ainda mais com a parceria do Prof JMV!

Julio Machado Vaz disse...

migmaia,
Muito obrigado:).

Julio Machado Vaz disse...

migmaia,
Muito obrigado:).

andorinha disse...

Thora,
A desibição induzida, não conta, claro.
Isso querias tu!:))))))))