terça-feira, julho 17, 2007

A Medicina usa-a há milhares de anos.

Cannabis: IDT aceita legalização para tratamento

O presidente do Instituto da Droga e da Toxicodependência, João Goulão, afirmou à agência Lusa não ter «qualquer objecção de princípio» à legalização da marijuana para fins medicinais, «desde que devidamente comprovados».
O responsável acrescentou que desconhece a existência de «investigações médicas em curso» para validar as potencialidades terapêuticas da 'cannabis' ou marijuana, que em Portugal não está legalizada para nenhum fim.

João Goulão assinalou, no entanto, os efeitos nocivos associados ao consumo não controlado: «O sintoma mais comum é a desmotivação mas também há registo das chamadas psicoses canábicas, doenças mentais que, embora tendo uma associação estatística com o consumo, não possuem uma relação de causa-efeito confirmada».

Por seu lado, o Instituto Nacional da Farmácia e do Medicamento (Infarmed) destacou que «o desenvolvimento de um novo medicamento contendo como substância activa uma substância considerada estupefaciente não depende da legalização do seu uso para aplicações não clínicas».

«A substância tem apenas que provar que é eficaz e com uma relação benefício/risco adequada à indicação terapêutica a que se destina», sublinhou fonte do Infarmed, indicando que há, em Portugal, «medicamentos contendo derivados do ópio, embora a sua utilização para outras finalidades não seja legal».

O Infarmed, que regula a comercialização dos fármacos de acordo com a lei, aprovando os medicamentos após os testes laboratoriais e fazendo a sua vigilância e acompanhamento, revelou à Lusa que «os estudos sobre o uso, quer da planta quer do tetrahidrocanabinol [substância psico-activa da "cannabis"], para fins terapêuticos tem acontecido ao longo dos últimos anos, em diversos laboratórios de investigação».

Questionado pela Lusa sobre se tinha recebido um pedido de regulação de um medicamento com base na «cannabis», o Infarmed assegurou não lhe ter chegado nenhum.

Em relação ao Marinol, fármaco com Dronabinol (a versão sintética do tetrahidrocanabinol) destinado ao tratamento dos vómitos, o Instituto Nacional da Farmácia e do Medicamento indica na sua página de Internet que teve autorização de introdução no mercado a 23 de Dezembro de 1999 e foi revogado a 28 de Abril de 2005.

«O Marinol obteve efectivamente a autorização de introdução no mercado mas, como sucede com outros medicamentos, nunca chegou a ser comercializado em Portugal», garantiu o Infarmed.

De acordo com o livro «Marijuana - A medicina proibida», da autoria dos professores Lester Grinspoon e James B. Bakalar, da Harvard Medical School, nos Estados Unidos, a 'cannabis' tem um uso médico corrente no alívio dos sintomas do tratamento por quimioterapia, glaucoma, epilepsia, paraplegia e quadriplegia, SIDA, dor crónica, enxaqueca, doenças reumáticas, sintomas pré-menstruais e dores de parto, depressões e outras doenças mentais.

Menos vulgar mas também referido pelos dois docentes é a utilização em casos de asma, insónia, esquizofrenia, doença de Cronh (uma doença do intestino), esclerose sistémica e síndrome do stress pós-traumático, entre outras doenças.

Publicada recentemente pela editora Esfera dos Livros, a obra - que está recheada de testemunhos de doentes que recorreram à droga com êxito - faz uma história da 'cannabis', pesa os riscos da sua aplicação, mesmo que com intuitos terapêuticos, e declara-a um medicamento «com passado e futuro».

Diário Digital / Lusa

17-07-2007 10:31:00

36 comentários:

thorazine disse...

;))

thorazine disse...

O mais engraçado é esse livro não estar disponível na págia da editora! Porque será? :|

"O responsável acrescentou que desconhece a existência de «investigações médicas em curso» para validar as potencialidades terapêuticas da 'cannabis' ou marijuana.."

Um cientista que queira fazer investigação independente(!) nesta área tem de ultrapassar imensos obstáculos legais. Em portugal os únicos estudos estudos que conheço feitos com substâncias psicoactivas já têm ao principio a finalidade mostrar a toxicidade (neuro, hepato e nefrotoxicidade) das subtâncias. Para dar um exemplo, os feitos na FFUP... ;(

E depois...ultrapassados esses obstáculos os cientistas ainda tem grande possibilidade de serem chamados "stoned scientists"...ou como a minha professora de química orgânica chama "ciência do subterrâneo"!

Mas estas dificuldades não são novas: a primeira vez que utilizaram êter como anestésico os médicos foram acusados de ao tirar a dor ao paciente retiravam-lhe também a empatia que este tinha pelos outros (quando sentiam dor!).

Falta tempo, portanto.. :)

thorazine disse...

Humm..veio também no Sol um artigo sobre a Dra.Maria José Campos, médica e consumidora assumida (penso que pertence À abraço, a falar sobre as potencialidades da canábis..

PS - Sabendo que também há o outro lado (não terapeutico), onde custumam existir problemas relacionados com consumos aproveito para divulgar o site do Check-in. É um grupo de pessoas que tenta contribuir para uma melhor Gestão de Prazeres e Riscos associados ao consumo de subtâncias psicoactivas e sexualidade entre a camada mais jovem. http://check-in.apdes.net/

CêTê disse...

O documentário/reportagem mais impressionante que vi sobre a utilização medicinal da cannabis foi há já alguns anos onde era sublinhado o efeito de diminuir a sintomatologia associada ao Parkinson- um homem ex-ginasta sob o seu efeito recuperava enquanto durava o efeito a sua destreza.

Agora, muito nos conta!;P sobre os efeitos (previsíveis, por tudo) na diminuição da TPM! Já estou a ver o nome genérico "Maria Joanita". ;)


*********************************
(Alguém- que viva perto- se ofereça para dar apoio técnico à nossa andorinha- ela por esta hora já está com crises de profunda abstinência). ;9 parece que a estou a ver a gritar por "salas de CHAT@S")

Bjcs

andorinha disse...

Boa noite.

"...e declara-a um medicamento «com passado e futuro».

Se é eficaz está-se à espera de quê?
Só se está a perder tempo....

Cêtê,
Já "regressei" ontem, moça, nem reparaste...
Os amigos já acorreram e já está tudo operacional.
Aliás, passei a escolher os amigos só em função dos conhecimentos que têm de informática:))))))

Nem me fales em crises de abstinência, nem me quero lembrar:) Looooool

Fora-de-Lei disse...

Fumem uma ganza e a seguir oiçam o Meddle (PF). E depois digam-me se é ou não terapêutico...

thorazine disse...

FDL,
acho que o Atom Mother Heart é mais eficiente.. ;)))

Fora-de-Lei disse...

thorazine 11:21 PM

Gostos não se discutem... ;-)

Lifepassenger disse...

Porque não um cházinho das cinco... D

thorazine disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
thorazine disse...

Acho que já partilhei isto por aqui, mas acho que vale a pena: http://www.youtube.com/watch?v=6rMloiFmSbw

thorazine disse...

FDL,
é obvio que gostos não se discutem...:))

Mas acho que o Meddle é mais para a "aterragem" da viagem (principalmente o echoes!). O Atom Mother earth é para o "plateau"..a verdadeira terapia.. ;))))))))

thorazine disse...

Aliás, o echoes é mesmo rock progressivo! Já não se fazem músicas de 23 minutos! ;))))

Fora-de-Lei disse...

thorazine 7:25 AM

Essa tua abordagem a estes dois albuns dos PF, embora "balizada" pela tua própria percepção sensitiva (como é natural), parece-me perfeitamente correcta.

CD disse...

E que tal ouvir um discurso do Sócrates com uma pedra?

Fora-de-Lei disse...

CD 11:56 AM

Ganda corte...

Sirk disse...

O v�deo proposto pelo comentador@ das 7:13AM � muito pedag�gico, sim sr!LOOOOOOOOOL
Deu para perceber que tenho muita falta de ch�.
LOOOOOOOOOOOOOOOOL

thorazine disse...

Sirk,
Fuma aqui - Bebe um Chá! ;))

FDL,
Não sei se já ouviste os MP3 de "rarities" que andam por aqui na net dos PF.. encontras cada relíquia! Algumas nunca editadas..(Se quiseres arranjo-te o torrent! )

stiletto disse...

Tudo aquilo que seja para aliviar o sofrimento é válido. Desde que se equacionem os possíveis efeitos secundários e se avalie os riscos e os benefícios, naturalmente. Só faço uma pergunta: Estará Portugal preparado para a marijuana? Ou melhor, será que a marijuana caberá no SNS?

Fora-de-Lei disse...

stiletto 4:29 PM

"Estará Portugal preparado para a marijuana?"

Claro que não. Nem para a marijuana, nem para a democracia. O "botas" é que tinha razão... ;-)

Fora-de-Lei disse...

thorazine 3:11 PM

Vou então ver se consigo sacar algumas dessas "rarities"... Obrigado!

thorazine disse...

Humm...chama-se "A tree full of secrets"! E prepara-te, são 18 albuns! ;)))

Chá de Lucia Lima disse...

.....Hummm, este tema para ter "piada" só mesmo um bom humurista -- para que não se caia na banalidade a que o assunto (quanto a mim) não se permite.
Aqui: http://www.precomania.com/search_getprod.php/masterid=109949201
-- Saving Grace --

O chazinho aqui: é de alta qualidade!

Chá de Lucia Lima disse...

Eixxxxxx Dr., salve-me o Humorista!!!! Rsrsrs...é 1 Humor com + intensidade! Hehehe

Klatuu o embuçado disse...

«com passado e futuro»... e com presente, meu caro!
Você não tem andado atento aos mais recentes discursos de políticos e intelectuais??
Tem sido um teste de produto com grande adesão! :)

Abraço.

thorazine disse...

chá de lúcia lima,
he he! O filme até tem a sua graça...mas melhor do que isso (mas baseado na mesma estória - viúva cheia de dívidas que recorre ao narcotráfico) é a série "Weeds". Um enredo muito melhor conseguido!

http://www.imdb.com/title/tt0439100/

E pelo que ouvi dizer ainda este ano vai passar n'a dois! ;))

Chá de Lucia Lima disse...

"viúva cheia de dívidas que recorre ao narcotráfico)..."
Thorazine...rsrsr: sem referência à viuvez....acho que qualquer dia (p'lo andar da carruagem...) estamos todos na mesma!!!!!!! Salvem-nos dessa! :-)))

"Weeds" -- ok!

El Bimbo disse...

Deixo uma pergunta se me permitirem:
Como é que os soldados portugueses sobreviveram (a maior parte ) na guerra do ultramar?
Nem pidecos nem salazaristam se opunham a esse tão nobre uso de uma erva menos nociva que o tabaco e de bons resultados (risos)
..bem, como é do conhecimento geral, mascar folha de coca nunca matou nenhum indio em doses industriais; mata sim o tabaco ( ou as misturas de que é feito, e ainda mais os impostos que sobre essa m... de droga hipócritamente permitida recaem.
Claro que não estive em Africa, mas sei de muitos relatos....
Acabemos com o tabaco primeiro e depois falemos na marijuana
Para mal dos meus pecados fumo 2 maços por dia, ainda por cima...

thorazine disse...

el bimbo,
"mascar folha de coca nunca matou nenhum indio em doses industriais"

O problema do alcoolismo também só apareceu depois das primeiras destilações. Pelo que sei, até então, o álcool nunca foi um problema social!

thorazine disse...

chá de lúcia lima,
tiveste a ver as tardes da Júlia? ;))))))))))))

PAH, nã sei! disse...

Por vezes há que tentar de tudo... sejam as nossas dores, ou as dos nossos :(

Xelim's Skull disse...

Em primeiro lugar, as drogas só podem efectivamente serem definidas como tal em termos individuais.

Milagre de Vida disse...

Convidamos todos os presentes a passar no nosso blog e a divulga-lo junto da Populaçao. Este é um PROJECTO com uma populaçao alvo, Casais e Grávidas . Aguardamos a vossa Visita e comentario

Milagre de Vida disse...

Convidamos todos os presentes a passar no nosso blog e a divulga-lo junto da Populaçao. Este é um PROJECTO com uma populaçao alvo, Casais e Grávidas . Aguardamos a vossa Visita e comentario

http://csfeira.blogspot.com/

CD disse...

Sr. Comerciante, Sr. Industrial e Exmª Classe Médica:
Existe agora um blog concebido para si e sua família.
A vossa vista será sempre bem recebida.
Bem hajam.

http://iliram.blogspot.com

CD disse...

Sr. Comerciante, Sr. Industrial e Exmª Classe Médica:
Existe agora um blog concebido para si e sua família.
A vossa vista será sempre bem recebida.
Bem hajam.

http://iliram.blogspot.com