domingo, julho 15, 2007

Os tiques partidários.

Eu gosto de António Costa e teria votado nele se fosse lisboeta. Acredito que fará um bom trabalho, apesar dos equilibrismos inesperados (?) que tem pela frente (permitindo daqui a dois anos uma vitimização que poderá render votos...). Mas não pude evitar um sorriso ao ouvi-lo agradecer a confiança... de "independentes socialistas" de Cabeceiras de Basto, idos de camioneta! Vizinhos meus, carago!, estarei com eles no próximo fim-de-semana. Quando abandonarão os partidos estes funcionamentos arcaicos?

17 comentários:

Fora-de-Lei disse...

Julgo que estes resultados eleitorais para a CML mostram que não haverá qualquer nova maioria absoluta do PS, seja para que eleições for...

RAM disse...

Estas práticas arcaicas - TRANSVERSAIS A TODO AS FORÇAS PARTIDÁRIAS NACIONAIS - estão na base de:
- um número de voto nulos e brancos superior ao números de votos no CDS
- uma abstenção de 62,61%
Os resultados traduzem uma profunda crise estrutural do sistema político.
Tal como Pacheco Pereira, não acredito que na origem destes resultados estejam somentes questões conjunturais.
Mais: não creio que os 32734 eleitores que votaram em Carmona se revejam nas políticas levadas a cabo por ele em Lisboa. Traduzem, isso sim, do meu ponto de vista, um voto de protesto face à posição adoptada pelo PSD na pessoa do seu líder nacional, que ao declarar,em horário nobre, a queda do Presidente da Câmara, assumiu a partidocracia como elemento central do nosso sistema democrático.
Retirar a confiança política é algo que assiste aos partidos; tudo o mais é contribuir para a deformação do sistema democrático.
Quanto a Helena Roseta, liderou um projecto ideologicamente desprovido de uma linha condutora, estruturante sob o ponto de vista ideológico: considero que a gestão da res publica não é compatível com "melting pots" ideológicos. Toda a praxis não alicerçada numa orientação política de fundo sólida e coerente acaba por se deformar.
Espero que não se transforme num Zé - Parte II. Tem potencial para mais.

CêTê disse...

Dizem as estatísticas (ou às más línguas, já nem sei...;P) que as câmaras com a mesma cor do Governo são mais bem sucedidas. Ao menos que se safe a da Capital (eu já estava a imaginar que se continuasse na o Carmona o pobre tinha de tranferir a câmara para o Castelo de S. Jorge e promover os arrumadores de carros a sentinelas!)

Quando às excursões à Capital são sempre uma benção nem que seja para poupar uma ida a um Hospital. (Sim porque onde ficam as urgências de Cabeceiras de Cima?) ;P


FDL, nunca fiando, nunca fiando!

Um resto de Boa Noite a todos

Júlio Pêgo disse...

Dois anos de disputas e conflitos camarários, sinceramente não atraiem nem seduzem ninguém.Talvez se encontre aqui explicação para os 62% de abstenções, num eleitorado habitualmente esclarecido, como é Lisboa.Nem a chuva de hoje ajudou o caminho das urnas de voto... Contudo, o aparecimento de duas candidaturas não partidárias, facto novo, merece destaque e reflexão. Facto lamentável, lembrando comportamentos "antigos", foi vermos através da T.V. apoiantes P.S. importados de fora, verdadeiro coro de figurantes teatrais, acenando o espectáculo das bandeiras no folclore emocional prefabricado partidário. Dá a impressão que já existe uma "avença" de contratação de camionetas e pessoas, independente para qualquer tipo de eleições. Chamar a isto, funcinamento arcaico, é um eufemismo para quem confessa gostar do António Costa, com o devido respeito.
Júlio Pêgo

Julio Machado Vaz disse...

Meu caro Júlio,
Tem razão, é um eufemismo, mas alturas houve em que não concordando eu percebia a "lógica partidária" subjacente. Hoje nem isso pode ser invocado, a malta já não engole estes truques... arcaicos:).

isabel victor disse...

Tem toda a razão J Machado Vaz! É uma imagem que nos devia envergonhar ...

As pessoas "arrebanhadas" para fazer número. O Portugal real no seu esplendor. O abuso da ignorância, a manipulação ...


Também teria votado no António Costa (apesar de gostar do desafio lançado pela Helena Roseta) mas fiquei revoltada com o triste espectáculo das ditas " excursões " ! Com a falta de pudor ...

Ali ficou bem patente o Portugal arcaico que ainda temos e que ostentamos festivamente !

saudações :))

Manuel da Gaita disse...

O que terão ido fazer uns "socialistas independentes" de Cabeceiras de Bastos para umas eleições em Lisboa?
Também achei estranho o facto de Judice ter sido anunciado como "mandatário nacional" de António Costa! Como se as eleições fossem de ambito nacional.
Na minha opinião, o António Costa é um elemento do Partido Socialista, e acredito que irá governar Lx em função dos interesses do governo, e não, em prol dos lisboetas.

Teka disse...

vindos de camioneta e sem saber ao que vinham.

"disseram-me que era um passeio a Lisboa" disse uma senhora entrevistada.

Senti-me tão triste...
Mas "Não chove todos os dias"

Fora-de-Lei disse...

Arrebanhamentos - nomeadamente os rosas e os laranjas - sempre existiram e vão continuar a existir.

A pergunta que se impõe é esta: quem pagou os transportes ? As estruturas locais do PS (Alandroal, Cabeceiras de Basto, etc), a organização de Lisboa do PS ou nós todos ? Surprise, surprise...

Laura disse...

Pequeno Burguês? Ui, não lhe assenta de todo, Prof...

Também gostei imenso da sua entrevista.
Apesar de me cair o queixo quando o vi... Porque sempre achei que aquela 2ª página do SOL era de 1 imensa superficialidade. (deliberada ou não).
Ou, no mínimo, que exprime demasiado aquele culto do nonsense, agora tão actual.

Mas desta vez não! E... ou o respeitinho é muito bonito... ou conseguiu de facto dar a volta ao texto, respondendo sempre com substância mas sem perder o registo humorístico que se impunha.

Não perfilho muita vez das suas visões. Mas o que acho notável e muito aprecio em si é a forma como as relativiza. Ou melhor, a forma coerente e engagée como se assume, mas sempre sem deixar de manter a perspectiva, subindo “a paisagem” até ao mais alto e olhando por fim a coisas sob a luz da humanidade e da sabedoria de vida.
Coisa que só as pessoas Inteligentes e Boas conseguem....

Enfim, é certo que a casta do vinho é depurada! Mas que também vai aproveitando muito bem o “estágio”, ai isso vai...:):):)

PS-
1-Gostei do seu ar gozão na fotografia...
2-Achei esquisito não ter opinião formada sobre o Menezes :(:(
3-Adorei a última resposta: “Isso não é o que você sabe, é o que você pensa. Não se esqueça que eu sou psiquiatra”:):):)

Marx disse...

Pois a mim parece-me que estes «funcionamentos» serão, cada vez menos, «arcaicos». Porque o sistema tende a depurar-se com o tempo. Há quem diga que é da própria natureza dos «sistemas». Há uns tempos, numa sessão da Assembleia de Freguesia da Póvoa de Varzim, chegou a constar na ordem de trabalhos a qualidade dos vinhos servidos nos repastos durante estes passeios. Ontem, talvez que os figurantes-de-alfacinhas nem tivessem ficado com muitas razões de queixa. Afinal, o próprio nosso-Primeiro participou na confraternização. No que terá sido uma certificação de qualidade extra.

Migmaia disse...

Bom dia!

Este triste episódio reflecte a "genuinidade" da política à Portuguesa. Aliás, pela abstenção, vê-se a carência da legitimidade das massas. E convenhamos que figurantes dos morangos c/ açúcar, ficariam bem mais caros, independentemente de quem os paga.
Não nutro qualquer simpatia pelo Candidato eleito e, confesso a minha surpresa quanto aos resultados. Penso que o Fernando Negrão e o Telmo Correia, pela integridade, mereciam outros resultados. No entanto, acabam por ser vítimas das próprias máquinas partidárias.
Quanto aos independentes, excederam todas as minhas expectativas. Por deformação profissional, ocorreu-me a analogia entre estes e os medicamentos genéricos. Vão ganhando mercado em detrimento dos originadores (neste caso, os partidos políticos). A manifesta falta de inovação e vícios revelados por quem domina o mercado desde há muitos anos, determinam a saturação e busca de alternativas por parte da Sociedade.

Depois de Lisboa, acredito que nas próximas autárquicas, este fenómeno se possa vir a acentuar, como aliás já se verificou nas últimas. Como exemplo (desejado), não me surpreenderia que o Rui Moreira (D.C.I.), como Independente, vencesse qualquer candidato partidário na disputa da C. M. do Porto.

Ti disse...

Será que era assim tão grave fazer o "discurso da vitória" numa sala pacata apenas com um microfone?
A meu ver ninguém tem nada a lucrar com o facto da "festa" ser maior ou menor...

Os partidos deviam servir para criar ideologias e politicas, não vedetas ou lucros.

Xelim's Skull disse...

Gostei,

1. O Telmo Correia foi "abortado" por Lisboa

2. E o Marques Mendes cada vez mais parece um menino de coro!

3. Quanto ao José Socrates, fez a festa com uma diarreia eleitoral!

andorinha disse...

Provavelmente também teria votado em António Costa se vivesse em Lisboa e daí não sei, tal é a raiva que tenho ao PS:)

Quanto a essas excursões não vi nem li nada sobre isso, estou a saber pela primeira vez.
Pensava que esses tempos estivessem ultrapassados...
Esta minha ingenuidade que não me larga...:)

FDL(11.09)

Deus te oiça:)))

alienadosilva disse...

Prof! que pena que eu tenho de (provavelmente) o ir ver ao vivo no feudo do maior cacique que alguma vez ma foi relatado. (ainda há pouco me disseram que foi absolvido de um processo de corrupção, tendo a principal testemunha ter contradito o seu depoimento foito na investigação policial em tribunal)
Pois irá certamente reparar, que os presentes na conferencia que irá proferir, estará a circular uma folha de presenças... para os funcionarios camararios comprovarem a sua submisão.
Enfim só mais uma amostra do véu levantado em LX
Abraços

alienadosilva disse...

Eu insisto... deixo este extracto do Semanário com o titulo: Cheira a Lisboa
por Paulo Gaião


"O cheiro a Lisboa é hoje um cheiro a fim de regime

António Costa abaixo dos 30 por cento, muito longe da maioria absoluta que pediu e a que estava obrigado, tal o descalabro dos últimos seis anos de governação do PSD em Lisboa. As gentes de Cabeceiras de Basto a encherem o Altis, muitos sem saberem bem onde estavam e ao que vinham, fazendo lembrar as camionetas que o fascismo trazia a Lisboa para vitoriar Salazar. José Sócrates a falar desalmadamente, gritando para se fazer ouvir e para que acreditassem nele, que o resultado de Costa tinha sido uma grande vitória, um marco, chamando ao novo presidente da Câmara de Lisboa um dos políticos mais talentosos do país, numa intervenção artificial, ilusória, face à qual o próprio Costa não conseguiu disfarçar um certo incómodo, um pequeno sorriso amarelo.(...)"
... e acrescento que se calhar desta vez o Salazar não mora em LX...

Abraço