segunda-feira, julho 30, 2007

Jantar.

Maria,
Os Machado Vaz na Petisqueira do Godinho. O Gaspar declarou que será arquitecto e me construirá uma casa onde brincarei com os meus bisnetos! (Um optimista como a Mãe...)
O Tiago manteve-se ocupadíssimo a fazer asneiras, os meus óculos voaram para o chão perante sorrisos amarelos. O Guilherme saiu disparado para o estirador, o João para a guitarra, a Cati para o adormecer das feras, depois de um dia exaustivo no hotel (as mulheres continuam a ter duas profissões...). O Senhor João não retirou o lugar posto a meu lado. Enquanto os Machado Vaz se reunirem, por maior que seja a alegre confusão, será sempre assim - a cadeira vazia e os talheres reluzentes por virgens mostrarão que a tua ausência impede o jantar perfeito.

22 comentários:

thorazine disse...

"..ser� sempre assim.."

Aquilo n�o � optimismo! Isto sim, � pessimismo! :)

thorazine disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
andorinha disse...

Boa noite.

A Maria já devia ter pensado que a tinha esquecido.
Sabendo-se como são os homens...teria toda a razão em o pensar:))))))))

A cadeira ficou vazia, mas ela esteve ao seu lado?
Não é isso também importante?:)

O jantar pode não ter sido perfeito, mas de certeza que o repetia já amanhã, confesse lá!:)
E esses seus netinhos são uma fofura...

APC disse...

Portanto... Foram muitos sorrisos exteriorizados (e babados), e um imenso sorriso intimista que o acompanha aonde vá! :-)

Dá gosto lê-lo! :-)

Não sei se e quando vai de férias, mas como vou já, venho desejar que a suas sejam perfeitas!

Um abraço!

A Menina da Lua disse...

Bom dia

Professor

Como vê está tudo na "paz do Senhor":); os netos "aos saltos", os filhos na laboriosa porem escolhida e certa caminhada da vida,a nora e para não fugir à regra, cumprindo zelosamente a sua dupla "missão" e ainda por cima uma jantarada na Petisqueira do Godinho (foi onde fizemos o nosso último jantar murcónico?)que mais pode desejar?:)

Ah! a Maria! isso tambem é importante sim...pois são as Marias e os Maneis que dão brilho, graça e muito mais sentido às nossas vidas...


APC

Tem andado fugida por estes lados!
Se bem aparecida:)

penelope disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Laura disse...

E o All Garve sempre igual, como uma segunda pele na altura da mudança cíclica :):)

Em Sta. Eulália está-se muito bem (e com sorte o carro chega ao pé do areal, o que é 1 atraso de vida confortável).

As águas deste quase Mediterrâneo é que estão a fazer demasiadas caretas...

Bons banhos!:) E muito factor 50...

Bartolomeu disse...

Maria, omnipresente Maria... João, Sr. João, mentor do culto Mariano... esta é uma terra de Marias, de milagres e de intrépidos marinheiros... assim hajam naus e oceanos.
:))

peciscas disse...

Ternurento retrato de família, apesar da ausência...

JFR disse...

É notável como, numa dúzia de linhas, se descreve tão bem um jantar de família. Quem são e o que fazem os seus participantes. Com uma única excepção: a Maria! Elemento que reputo de enorme importância para a família. Tem lugar à mesa estando ausente! Só um amor muito forte a alguém que já partiu, sem ter partido, me parece justificar tal ritual. E torná-lo público (o senhor João sabe, nós ficámos a saber). Daí que, ao ler e meditar no post, conclui - não sei se erradamente - que a Maria não será sempre a mesma. Aqui fiquei com a ideia de Maria-Mãe.

Julio Machado Vaz disse...

jfr,
Morno/quente:).

Xelim's Skull disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ni disse...

Maria... múltipla, porém 'una'. Uma. A que anula ausência na memória que a imortaliza... ou na vontade que não deixa de a querer presente.
Sorrio. Pela beleza do momento fotografado pelas palavras e afectos... mas também pelo calor do eco que me chegou... dos risos da família que já tive.
...
Ainda tenho. Uma mulher, dois miúdos e uma gata que nos adoptou... são uma família!
É apenas... uma família diferente, em que a mulher tem não duas... mas múltiplas profissões.

Afinal... o meu nome também é Maria.

Deixo o meu abraço.

andorinha disse...

Boa noite.

JFR,

Bolas, homem!:)
És de uma perspicácia aterradora!:)))))))

Júlio,
Mas afinal em que ficamos? É morno ou quente?:)
Mas acho que percebi, embora ontem não tivesse interpretado o post como podendo ser dirigido à Maria/Mãe.

Maria múltipla...porém una , como diz a Ni.
A Maria simbolizando a Maria/Mãe e todas as Marias que lhe povoam o coração.
E mesmo ausentes estão presentes, sempre. O amor é isso.

Fiquei a gostar ainda mais do post.
Lindo e ternurento:)

thorazine disse...

Depois de ver a Grey's Anatomy percebe-se logo! LOL

Twiggy disse...

O enorme espaço que uma ausência ocupa, não é?
Belissimo post, intimista, enternecedor...obrigada por nos deixar espreitar para dentro da sua vida.
Escrevo uma tese aborrecidissima enquanto ouço as músicas no seu blog...é bom nestas alturas ter alguém que escolha algo por mim :)
Beijinhos,
Twiggy

A Menina da Lua disse...

Bom dia

De facto a minha interpretação tambem foi um pouco directa e por isso impulsiva:). Aqui havia outra subtileza; o vazio do lugar num jantar de família como este, impunha uma lembrança maior, que atravessasse os tempos...

E depois a preocupação do senhor João só podia vir doutros jantares e almoços igualmente antigos...

Mas com isso não retira a importância nem invalida a minha obervação anterior: de facto as Marias e os Maneis têm toda a importância nas nossas vidas:) só que as mães "estão" sempre apesar e para alem disso...:)

Professor com este seu toque ternurento pela lembrança da sua mãe, tambem me fez remeter a mim para outros jantares onde a minha mãe ainda estava presente.

Migmaia disse...

Bom dia,

Ontem passei algum tempo a reflectir sobre estas poucas linhas que me disseram tanto…Talvez pelo seu carácter intimista, fiquei inibido de proferir qualquer comentário.
Hoje, volto à carga. Com a ajuda e coragem que alguns dos post’s me deram. Nomeadamente o do jfr que, como bem observou a andorinha, é de uma “perspicácia” e capacidade de síntese notável. Na minha modesta perspectiva e sem querer ferir susceptibilidades, bem ao nível do Nosso Anfitrião.

Sobre Maria, e utilizando uma expressão de um Amigo que, acho castiça, e de alguma forma traduz o meu sentimento: “Sinto cá dentro um vazio tão grande”.

Esta semana estou de férias com os Miúdos. Há dois momentos em que particularmente me revejo neste texto: também na hora das refeições (quando apenas se encontra o núcleo duro reunido) e ao deitá-los!
A tarefa é árdua, ter que colmatar a ausência a dobrar (a triplicar no meu caso). Por Eles, mas também por mim…

Afectos disse...

Um testemunho que é sempre na pessoa que realmente é. Bom aconchego entre os nossos...

andorinha disse...

Bom dia.

Migmaia,

Olha que com tantos elogios, o JFR vai ficar com um ego descomunal e isso não é bom:)))))))

Boas férias para ti e para os miúdos.
Curte-os:)

JFR disse...

migmaia:

Obrigado pelo exagero.:)

andorinha:

Completamente de acordo com o teu comentário das 11:49.:)

a.filoxera disse...

Bonito... Pena faltar aquele grande "quase" par ser o jantar perfeito.
Aproveito para lhe dizer que há dias o referi, num post do meu blog, intitulado "Ganda Dulce!".