quarta-feira, janeiro 02, 2008

Ah, ela é isso...

Deixou-se ficar encostada à soleira da porta, esgar ao de leve trocista, em silêncio observador. Que ele aproveitou para a estudar também e pensar que o mundo pós-moderno anda perigoso, sem fronteiras entre profissões, morais e até sexos! Não era o caso, mesmo em coma alcoólico tê-la-ia reconhecido como filha de Eva, apesar do cabelo curto e arrapazado. E ruivo… (Por um desses preconceitos que fazem as pessoas garantir que os ciganos vendem drogas e os padres pecam - e não com a rata que limpa a sacristia… - estranhou a ausência de sardas.) Os olhos saltitavam entre o castanho normal de catálogo e um outro, esverdeado, conforme a inclinação da cabeça, que ora repousava na soleira da porta, ora ameaçava refugiar-se no peito, escondendo o riso. Era alta, embora tal opinião fosse tristemente influenciada pelo metro e setenta rafado dele. Vestia um blusão de couro negro, desabotoado no morrer das mangas e em pescoço moreno debruçado de camisa branca. Mãos longas, coroadas de unhas não menos longas que exibiam pequenas lantejoulas (?), talvez úteis no exercício da profissão ao ar livre e de noite, sempre eram mais discretas do que um triângulo de automóvel. Busto esbelto, mamas discretas, cintura fina por baixo de cinto largo. Jeans muito justos que deixavam adivinhar coxas robustas, com muito trottoir por baixo, como diria o Avô, sempre pronto ao francesismo que lhe recordasse Paris. Os inevitáveis remendos e rasgões. À pressa, não conseguiu perceber se eram honestos ou semelhantes aos que as suas amigas faziam nos delas. (Quando os não compravam já esfarrapados e por isso mais caros, enigma que jamais conseguira decifrar.) Sapatilhas anónimas e sujas de lama. Por entre o nevoeiro neuronal fantasiou noite chuvosa, apanhara-a – ou fora por ela apanhado… – a meio do turno. Coitada!, blusão e cabelo também estavam molhados, só os chulos praticam a prostituição a seco e com boa música nos automóveis.
Foi quando…
- E como se sente agora o meniño?

16 comentários:

Fora-de-Lei disse...

Queres ver que afinal era uma Lenka ?!

AQUILES disse...

Não FDL
Só pode ser um ANJO. «Busto esbelto, mamas discretas, cintura fina por baixo de cinto largo. Jeans muito justos que deixavam adivinhar coxas robustas». Só pode mesmo ser um ANJO, galego. Aquele til em cima do n.

Julio Machado Vaz disse...

aquiles,
You, little devil:))))).

cabecinhapensadora disse...

Bolas...afinal era só um sonho...mas um sonho certo. Exacto como uma fotografia. Mais do que. Por dentro do sonho o autor ainda se dá ao luxo de ir pensando no que diria o avô e tal...
Tudo bem. Onde é que se compram sonhos tão exageradamente reais? Apesar de já Descartes duvidar entre a realidade e eles, a maioria de nós não tem dúvidas. Vá, tragam lá o cabaz dos sonhos que se confundem com a realidade...menos as coxas robustas :)fazem-nos lembrar gladiadores.
E Bom Dia!!!
Ah! E parabéns ao prof. A gente andou aqui enteados uma data de tempo*

cabecinhapensadora disse...

upsss! onde se lê enteados deve ler-se enleados

vsuzano disse...

andavam enleados ? com quem ? como? onde ? porquê? quando? ....

gostei...

Fora-de-Lei disse...

AQUILES 1:17 AM

Essa do "anjo galego" é, por excelência, o paradigma da ratice... de uma ratice altamente sofisticada. E de certeza que essa subliminar referência a uma hipotética rapariga da Galiza não tem por objectivo fazer com que o Professor se recorde dos 7-1 de Vigo... ;-)

A Menina da Lua disse...

Pois! Afinal ela é isso!

E agora como será? será tão importante assim ela ser anjo ou diabo? afinal o que interessa isso? o que interessa é que ela é!?...Ou será que para ele, ela é mais diabo apenas porque o enganou?

Os amores impossíveis são duros! e acreditem que não são só nas situações de o "Romeu e Julieta" ou do "Amor nde Perdição":)

Quanto a remendos nas calças, lembro-me dum sobrinho meu, na época de 80 ter ído a Londres e ter comprado umas caríssimas "maravilhosas calças remendadas".
Como e após a viagem se levantou tarde, já a avó lhe tinha cuidadosamente desfeito a mala e "zelosamente" cozido as famosas calças, com a convicção de que o neto as tinha rasgado sem querer:)

Coitado! imagem a cara do meu sobrinho:))

A Menina da Lua disse...

Aquiles:))

Homens! Homens! vocês! vocês!:))

LS disse...

quero desejar ao Professor e a TODOS os leitores deste blogue um ano 2008 com muita saúde, emprego e muita PAZ entre TODOS e que TODOS consigamos uns de uma maneira outros de outra ajudar Portugal na procura da tão desejada retoma económica e social.

blogico disse...

cabelo curto e arrapazado, e jeans... inevitável... :))) e galega, claro...

andorinha disse...

Boa tarde.

Mas afinal foi um sonho ou um pesadelo?:)

Aquiles, Aquiles, olha o teu calcanhar:)))))))))))))

FDL(11.17)
Não recordes cenas tristes, fáxabor!:)))

Jardin Secret disse...

Se calhar era um dos anjos de Charlie.

Xelim's Skull disse...

"...ajudar Portugal na procura da tão desejada retoma económica..."

Nota importante: Portugal não está em crise, nem tem estado! Portugal está num estado de semi-crise, apesar de se encontrar numa conjuntura externa favorável. A crise chegará lá para 2015 ou coisa parecida. Tenham calma, a crise ainda vem aí!

Tcham, tcham, tcham, tcham!

E agora,

«Não assustem o PortoCroft, SFF! (Se Faz Favor)»

Esta seria a recomendação que teria salvo o PortoCroft, e provavelmente ainda hoje ele estaria aqui!

Eu ontem foi ao novo blogue do PortoCroft e reparei que ele ficou assustado por eu ter escrito que ele estava "mais meigo do que nunca". Atribuiu-me logo um problema psicológico ("esquizóide", um problema "avidamente" porreiro, como "nós" sabemos) . E mais assustado ficou depois de eu lhe ter dito para não se assustar - alterou os required fields necessários para se poder comentar.

Conclusão: o abandono do PortoCroft deste blogue deveu-se exclusivamente ao facto dele ter ficado assustado com coisas que leu.

Agora. Quero chamar a atenção que isto da net é uma coisa nova. O Homem não se desenvolveu para um mundo virtual. Por isso acontece que muitas pessoas agindo por instinto, e não fazendo a distinção real/virtual, experimentam os mesmos medos em blogues, universos virtuais, tal como se fosse o universo real.

Mas um indivíduo não pode pensar "Isto é virtual!"?

Claro que pode. Mas a resposta do medo é uma resposta imediata (,se um homem via um lobo no antigamente não podia ficar a pensar...) De modo que depende de pessoa para pessoa. Umas adaptam-se bem à distinção real/virtual. Outras têm dificuldades.

yes! my love! disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
yes! my love! disse...

Xelim,

ontem a Cabecinha Pensadora falava aqui sobre a minha "escrita" hoje é vc a falar aqui sobre "comentar" em blogues!

Acontece que nem os meus comments se podem considerar escrita;

nem tão pouco, tudo o que por aqui se escreve se pode considerar um "comentário";

escrita só fazem os escritores;
comentários só fazem os que comentam! fora disso,

ou é usurpação ou é ignorância, no mínimo!

E passo a dar o seguinte exemplo:

se hoje nos fossem distribuídos telas pincéis e óleos para cada um de nós pintar aqui um quadro relacionado com um tema dado pelo Blogger, e entre nós se encontrásse um "Dali", no final, teríamos muitos desenhos, uns mais, outros menos bonitinhos, mas, uma única obra de arte !

Mesmo que cada um de nós se tivesse esforçado até ao limite das suas forças para fazer uma obra de arte,

e os pincéis desse "Dali" só tivessem cuspido tinta para a tela, em consequência de um genial espirro involuntário, o resultado continuaria a ser precisamente o mesmo;

e isto, porque o génio só se manifesta através daquele que habita!

É claro que, sempre haverá quem não consiga identificar a genialidade, olhando para um gatafunho feito por uma criança, ou para um gatafunho de um génio da pintura! e isto, não obstante, nem sempre a genialidade de uma obra de arte, nos conseguir agradar mais do que a simplicidade de um desejo infantil!

Mas nada disto retira verdade ao facto de o génio só se poder manifestar naquele que habita!

Por isso os meus comments são meros comentários, ao contrário do que os escritores fazem, que é escrita.

Os últimos posts do Murcon também são escrita! e são escrita de fresco :) exposta ainda antes de deixar secar! a gente encosta-se, e a tinta vem colada à nossa pele!

O Murcon está transformado numa galeria de quadros geniais pintados de fresco, unidos por um fio lógico que os relaciona e nos faz acreditar que fazem parte de uma boa história ~~

numa galeria de arte e mais ainda numa grande mesa, que aos poucos se enche de verdadeiras bombas calóricas :)

por isso, apetece vir aqui e comentar !

e até porque,

ninguém lê só por ler, nem comenta só por comentar, ou só para queimar calorias teclando, ou só para queimar o seu precioso tempo!


Xelim,

não sei por que vc vem aqui e não comenta o que consome aqui;

sim porque, o que vc está fazendo aqui nos seus comments mais recentes, não é comentar!

E é pena! porque acho que todos ficaríamos a ganhar com os seus comentários.