sexta-feira, janeiro 18, 2008

From London with love:).

Vai continuar a escrever-me. Não - vai continuar a escrever. A minha ausência é dolorosa, mas aceitável; a das palavras seria fatal. Foi com elas que me seduziu, serão elas a permitir-lhe sobreviver-nos. (Maria, não sejas hipócrita, decidiste que te seduzisse ainda antes de ele se decidir a tentar...). Vai continuar a escrever. E enquanto o fizer, pertence-me. Porque ninguém escreve sobre o Amor e sim sobre os amores. Os intelectuais diriam que Petrarca suspirava por Laura e desancava as mulheres reais. Estou-me nas tintas! Ouvi-o vezes suficientes para saber que Abelardo foi um sacana para Heloísa, Romeu e Julieta talvez se odiassem depois de uns anos de casamento, Cyrano era um cobarde que não teve a grandeza de levar o seu segredo de Polichinelo para o túmulo. Fui um público atento e deliciado das palavras, das palavras dele..., mas a beleza encantatória do espectáculo não me fez levitar, a minha alma permanece com os pés bem assentes no chão - é do nosso amor que fala na sua escrita. E eu - que o deixei e não me arrependo! -, em verdade vos digo: maldito seja, quando conseguir embainhar a pena.

30 comentários:

PILAR disse...

EXPERIÊNCIA

Roberto Ivens disse...

Caro Prof.,

Ultimamente, ao ler cada novo dos seus postais, tenho-me deparado com o "subtítulo" do blogue. O qual, se me permite o palpite, já vai sendo tempo de mudar. E, insisto, passar a publicar, no sentido mais "vero", estas suas «ruminações»...

PILAR disse...

Grande parte da nosso vida são palavras...Sábia "Maria", a falta das palavras dele, ainda que com ele por perto, desencantaria esse "vosso" encontro no AMOR!

Julio Machado Vaz disse...

roberto,
e não seria violar a privacidade deles?:))))).

andorinha disse...

Boa noite.

Vai, Maria, não tenhas dúvidas.
"E enquanto o fizer, pertence-me."
Convencidona:)
Mas tens razão, estou apenas a brincar contigo...não te aborreças, é o meu feitio!

E não vai conseguir embainhar a pena tão cedo, não te preocupes...mas devias saber isso melhor do que eu...:)

AQUILES disse...

Falam sobre amores e desamores ...

Maralhal
Aceitei uma empreitada com a Associação de Surdos de S. Miguel.
Tem blog com link lá no meu sítio.
Aceitam-se sugestões e apoios. A tarefa é grande. Estou agora a descobrir outro mundo. Se souberem de almas generosas que queiram doar computadores, que sejam suficientes para se usar para internet, já é uma ajuda imensa para eles comunicarem.
E enfim, mais coisas. Usem o mail do blog para darem pistas a quem agora tenta penetrar no mundo do silêncio

Roberto Ivens disse...

Caro Prof.,

(Nice joke, o seu re-comentário!)

Uma leitora do blogue, em comentário ao postal anterior, fez uma interessante analogia entre psi-escritores e escritores-psi, colocando-o, a si, ao lado de Lobo Antunes. Sem falsas bajulações, que julgo não precisar, creio que foi uma feliz comparação. Até porque estas suas «ruminações», ultimamente possuídas de um maior fôlego, designadamente as que se referem à Maria, vão-se parecendo, num estilo diferenciado, com a escrita confessional que o "nosso maior" dedicou à sua Ana. Embora noutro ambiente, percebe-se a mesma descrição do mundo e da vida através da leitura dos sentimentos. E aqui a sua escrita já vem sendo, também, de quem (permita-me a repetição de uma frase sua sobre Garcia Marquez) «escreve bem pra caraças»...

Pamina disse...

Boa tarde.

Acho esta Maria muito possessiva (como todas as mulheres, diria um amigo meu:)). A este discurso contraponho a letra desta canção:

"...My breaking heart and I agree
That you and I could never be
So with my best
My very best
I set you free.
I wish you shelter from the storm
A cozy fire to keep you warm
But most of all when snowflakes fall
I wish you love.
But most of all when snowflakes fall
I wish you love..."

Em vez de:"Vai continuar a escrever. E enquanto o fizer pertence-me." e de:"...é do nosso amor que fala a sua escrita. E eu- que o deixei...", etc., gostaria mais de:
"que encontre um novo amor, um amor que não parta como eu, que passe a escrever sobre/para ele e amem-se tão intensamente, que se esqueça que alguma vez escreveu a outrem. Muitos quotidianos, cheios de momentos felizes:), e que a rotina lhes seja leve."

Pergunto-me se o "ele" prefere ficar agarrado ao passado ou se gostaria que estes votos se cumprissem. No caso dele, eu sim.
É possível que apenas sejam perfeitos os amores ideais, que não se realizem na conjugalidade, ou que, tendo sido conjugais, adquiram a qualidade de mito, pela morte ou separação (as coisas boas ganham relevância e as más são esquecidas). No entanto, apesar do desgaste, prefiro os imperfeitos amores "reais" que se vivem no quotidiano (que poderá ser mais ou menos comum). Aliás, sou fácil de contentar: bastam-me 99% de perfeição:))).

Bom fds para todos.

Xelim's Skull disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
andorinha disse...

Boa tarde.

Pamina,

Sim, esta Maria é possessiva q.b.
Eu chamei-lhe "convencidona":)
E que dizer da maior parte dos homens?
Poucos tenho encontrado que não sejam possessivos.

Quanto a essa letra é belíssima, mas só espíritos superiores a conseguirão por em prática:)

cabecinhapensadora disse...

Talvez as palavras sejam o elo mais forte. E depois de tudo elas fiquem a flutuar feitas perfume que não passa. E a gente as agarre por terem dentro a inquietação que nos consome. Os grandes amores da história só nelas sobrevivem.
Os amores reais são menos transparentes. Têm cor, densidade, pesam, ocupam espaço que existe. E, curiosamente, gostam do silêncio.

andorinha disse...

Xelim,

Vens-me desassossegar, eu que estou aqui tranquila no meu cantinho?
Falei-te duas ou três vezes e não ligaste nenhuma, tudo bem, e hoje mudaste de ideias?
Tudo bem, também, os homens são muito inconstantes:))))

Só vou falar porque te referes a mim. E fizeste-o propositadamente porque já sabes que não consigo ficar calada:)


"Andorinha: toda a gente sabe - incluindo o Professor Júlio - que tu impões pelo menos um bocado a tua presença, aqui no blog também. Para mim é só um bocado - não em forma sentida -, mas há outros para os quais é muito mais.]"

Conheces-me pessoalmente para fazeres essas afirmações?
Se dizes "aqui no blog também." dá ideia de que me conheces de outras andanças...

Impor a minha presença?????
Não sei, nunca coloquei a questão nesses termos.
Como sou muito paciente:), mais uma vez explico as razões da minha presença assídua neste blog:

Adoro este cantinho, estou aqui desde o início, sinto-me em casa, gosto das ruminações do Júlio, gosto do Júlio e de muitos outros amigos que aqui tenho; sobretudo gosto de "tertuliar" e já tem havido aqui conversas extremamente deliciosas ,enriquecedoras, algumas pela noite dentro. Foram e serão momentos inesquecíveis para todos, de enorme partilha e grande cumplicidade.
Estarei aqui enquanto este cantinho existir. Não sou de amuos... muito menos de dizer que vou desistir para avaliar o meu "grau de popularidade":))))) Loooooooool
Não vejo nada disto assim, isso é criancice.
Não tenho qualquer necessidade, que seria doentia, de protagonismo.
Sou aqui o que sou lá fora, uma tagarela:), adoro conversar com amigos, para mim é das melhores coisas que há na vida.
É o meu feitio, quem gostar gosta, quem não gostar, paciência, não posso fazer nada.

Agressiva sou aqui por vezes, sobretudo quando são agressivos comigo ou com amigos meus.
Nessas alturas não me contenho, as palavras existem para serem soltas.
Não me penitencio por isso;"quem não se sente, não é filho de boa gente".

Continuo a não suportar a idiotice, a arrogância,a hipocrisia e a ciumeira...
A quem servir a carapuça que a enfie...já nem vou mencionar nomes, todos sabem quem são.

Sabes, Xelim?
Este país é o que é, a mentalidade da maioria das pessoas também é o que todos sabemos e pessoas frontais e directas não são muito apreciadas, pelo contrário, arriscam-se a bastantes dissabores.
É o caso, mas nem isso me demove de ser como sou.

Não pensava escrever tanto, chiça!:)

P.S. O facto de a "menina" não me suportar não sei se tem a ver com o ponto 6 nem isso me interessa:)

Tem a ver com acontecimentos desagradáveis extra-blog,( isto para usar um eufemismo,) que acabaram por ser transportados para aqui.
Não te esqueças que nos conhecemos pessoalmente, convivemos durante algum tempo.
Só assim se justifica que eu a conheça, e que, por isso fale com total conhecimento de causa.
E não estou minimamente interessada em qualquer contacto com pessoas como ela.
Livra!!!!! Ainda podia ser qualquer coisa de contagioso!:))))))

Tenho dito:)

tia adoptada disse...

desculpe-me por entrar tão a despropósito, mas gostaria de chamar a vossa atenção para isto:
APOIO À CAMPANHA PELO HOSPITAL DE DONA ESTEFÂNIA

CêTê disse...

"E eu - que o deixei e não me arrependo! -, em verdade vos digo: maldito seja, quando conseguir embainhar a pena."

Por despeito, entende-se e eu calo. Mas calaria dorida e profundamente triste se um dia mo dissessem, assim. É que em verdade vos digo antes ser escrava de todas as minhas penas do que ter na bainha a espada!

Su disse...

sem hipocrisia.....seria fatal....a ausencia...das palavras


jocas maradas


psstt andorinha relaxa....toda a gente tem luas:))))menina
...amiga não respondendo ficarias...com mais tempo para ler
e bzzzzzzzzzzzzzzzz ....i.é. zen

andorinha disse...

Su,

:)))

jocas maradas, amiga.

CêTê disse...

(Thora, acho que ias gostar de ler o livro "Presas" de Michael Crichton)
Peço desculpa ao dono do café por afixar este anúncio sem a sua autorização,;/

CêTê disse...

Este blog fica mais pobre sempre que alguém se vai embora e/ou deixa de participar. ;////

tenham 1/a boa noite

vacamalhada disse...

Bem-hajas Maria por continuar a ser musa que inspira a pena irrepreensível deste delicioso zorro da literatura.
E que bem que ele a esgrime!

Gabi disse...

Não resisto a um breve comentário...
O Amor para mim,é o «Indizível»,só
no silêncio dessa ausência sempre presente o reencontro na sua essência..

Gaivota Azul

yes! my love! disse...

how do you keep~~~

http://www.youtube.com/watch?v=kV6vWGnRHtY

keeping words just words~~ and smiles :)

http://www.youtube.com/watch?v=Z8HZQ7xns0Q




~~

don't forget brunch ~~

oui! mon amour! disse...

yes, my love,

just words smiles
and kisses ;)

http://www.youtube.com/watch?v=Caobauq43Rk

non! mon amour! disse...

yes! my love! & oui! mon amour!

são todas elas, composições maravilhosas,

mas a minha favorita é esta que fala dos desencontros que a vida nos reserva nas cidades :) e só nas cidades :) :)

http://www.youtube.com/watch?v=q5Pnx_C84oA

hold still ...

yes! my love! disse...

Patrãozinho :) fora, dia santo na loja :)

e ou gostaram muito de ouvir o David Fonseca ou fugiram todos para não ouvir :)

eu cá adoro isto http://www.youtube.com/watch?v=QsOmpv5I-jg&NR=1

e ao ouvi-lo sinto-me em Londres,

vá lá saber porquê~~

Sirk disse...

«...Maria, não sejas hipócrita, decidiste que te seduzisse ainda antes de ele se decidir a tentar...»

Ainda há uma parte (talvez a maior de todas) a penasr que não é bem assim, Maria. São uns tontos!
;)

Sirk disse...

Maria,

"penasr" = "pensar", pelo menos enquato estiver gripada.
:S

Sirk disse...

Permitam-me que substitua também "gripada" por "engripada", antes que alguém me pergunte pela cilindrada do dito cujo.

LOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL

(Hei-de vencer-te, vírus malvado!, antes que me roubes o bom humor...:S)

Gabi disse...

Paradoxos da existência,,,tão perto e tão longe...

gena disse...

Olá Dr gosto muito de o ouvir , ver e ler. tenho. Sou uma devoradora de tudo o que escreve. muito gostaria eu de conseguir escrever para poder põr cá fora o muito que tenho para dizer, rel ou ou não. Sou "formadora de mentes em formação" adolescentes e pré adolescentes e muito teria a contar aos outros as minhas experiências. Continue a escrever e a falar que eu continuiarei a ler e a ouvir o que tem para nos dizer. este artigo está um espectáculo.

Su disse...

passei por aqui:):):) para confirmar o q pensei e disse;:):)

jocas maradas = kisses :))))