quarta-feira, julho 11, 2012

Jesus!


Uma mãe japonesa deixou o filho, de 19 meses, morrer enquanto conversava num fórum na Internet. A polícia já prendeu a mulher e investiga o caso.

Yumiko Takahashi, 29 anos, deixou o filho, Neo de 19 meses, morrer enquanto conversava num fórum na Internet. A mulher esteve com o filho na tarde do dia 24 de junho quando este já se encontrava doente. Ainda assim, Yumiko ignorou os sinais de febre do bebé e deixou-o sozinho no quarto.

O autópsia realizada ao corpo da criança indica que morreu na madrugada do dia 26 de junho e que esteve quase um dia morto até a mãe se aperceber do sucedido. A polícia já fez saber que prendeu a mulher por suspeitas de negligência e que agora decorrem as "necessárias investigações".

Yumiko já tinha perdido dois filhos anteriormente: um pouco depois de nascer, por razões que não são conhecidas, e outro devido a uma queda da varanda do seu apartamento. "Procurava consolo na Internet há mais de três anos porque entrei em depressão depois de perder os meus dois filhos", justificou-se.

Este caso não é inédito. Em 2010, um casal sul-coreano também deixou o seu filho de três meses morrer porque estiveram mais de 12 horas seguidas a "cuidar" do filho virtual num jogo na internet.

77 comentários:

Cê_Tê ;) disse...

(em surdina: - psssiu ó pessoal vamos fazer de conta que não estamos aqui quanto tempo mais? já me me doem os joelhos!!! ;P Podemos sair de gatinhas mas não sei para que lado é a porta com tudo às escuras. Este pé é de quem???)

andorinha disse...

São casos de gente doente, completamente viciada. Perderam totalmente a noção da realidade e não procuram ajuda porque não sabem que estão doentes.

Haverá muitos mais casos destes por esse mundo fora...
Esquecem-se por completo outros seres humanos, os próprios filhos porque estão num forum na net?????

:(((((((((

andorinha disse...

http://www.youtube.com/watch?v=ShUdXlHaW2w

Fiquem bem:)

Anfitrite disse...

Prof.

O campeonato ainda não começou!

Parece-me que anda um bocado distraido do que se passa à nossa volta. Também aconteceu nas vagas de calor nos EUA.
Além disso nos dormitórios prisões dos trabalhadores chineses da Aple e de outras, muitas crianças, feitas mulheres à força, se atiravam das janelas, tanto que agora se viram obrigados a pôr rede nas mesmas.
m

Arakné disse...

Haverá esperança??? :?

João Pedro Barbosa disse...

Professor?!

Qual é a fonte:

-Noticias do Incrivél
-O Crime
-Ou é Spam

bea disse...

Bem me parecia que os japoneses estão a enlouquecer. E desconhecia estes exemplos. O que a andorinha refere, contribui. Não é só a net.

Talvez "a voz do sangue" nem exista. Talvez quem não é tratado como pessoa não saiba tratar. A quem não foram ensinados valores, como pedi-los? Primeiro, há que recuperar as pessoas. O resto virá por si. Isto é uma amostra chocante da desumanidade social.

Não se pode pôr o Estado no banquinho dos réus? aplicar-lhe um castigo para se recuperar como fazem noutros casos em que as condenações são trabalho social? O Estado deveria fazer o trabalho social de recuperar essas pessoas, ler-lhes a história para saber como agir. Nada é por acaso na natureza humana. Ou muito pouco.

E, contudo, nós o sabemos, um animal, não o faria.
Badinter bem alerta, o impulso maternal é aprendido.

Ensinem, caramba. As crianças são inocentes. Por serem de sua natureza desprotegidas e necessitarem cuidados, mais merecem a vida humana que não pediram e alguém que as cuide e goste. E isso nada tem a ver com a biologia. É minha opinião.

E fiquem bem que tenho um encontro imediato de 3º grau :))

Cê_Tê
:))))

João Pedro Barbosa disse...

Como se acabou de falar de encontros imediatos de 3ºgrau:

Andorinha!?

E se: O sexo for o engodo para o amor?!

É certo que concordas!

;-)

...

andorinha disse...

Bom dia:)

Pedro,

Concordo? Como é que sabes?:)))
Mas 'engodo' é uma palavra de que não gosto, sabe-me a embuste.

Se o sexo for o início do amor ou o amor o início do sexo, já me soa melhor:)

Fica bem, murcãozinho:)


Bea,

Muito ajuizado o que dizes.
Não esperava...:)))))))))))))

Acordei sorridente, que querem?:)

Fiquem bem

Caidê disse...

Completa alienação ! Compulsão pelo espaço virtual! E deixou de haver vida para além do ecrã …

Mas também temos de nos cuidar por cá: as taxas de desemprego e o endividamento das famílias disparam , os serviços de saúde estão cada vez mais inacessíveis, a assistência social está a ser extinta e as taxas de suicídio vão falar por si…

E o Estado por cá já desligou das crianças e dos pais delas - mais alienado é difícil!

João Pedro Barbosa disse...

Caidê,

Taxas e mais taxas e mais taxas. Só me faz lembrar o "tax-free" dos aeroportos.

bea disse...

Caidê

Por cá o Estado alienou-se da realidade, está-se desligando ao romper a ligação que havia, já que outras não criou. Mas é ainda possível maior alienação. E ox-Alá que não vamos por aí.

Pedro e Andorinha

há de tudo: amor sem sexo; sexo sem amor; amor e sexo.

Como a andorinha, não gosto de engodos. O que quer que seja, será mais, se for uma inclinação natural com adesão da vontade. E são amor e sexo, como a vontade e a inclinação natural: nem sempre juntos.
E não sei mais.

Julio Machado Vaz disse...

O Debate da Nação arrisca-se a ser mais pobre do que a realidade sobre a qual - alegadamente... - se debruça:(.

Anfitrite disse...

Nem vejo, para não ficar à beira dum ataque de nervos. Ver aqueles imbecis a fazerem afirmações de bradar aos infernos. Só se fosse como o José Manuel Coelho e estivesse lá para dar umas lambadas e dizer ums verdades. Mas ainda virá o tempo(espero que breve) em que poderemos atingir ou atingidos com um choque laser sem estar por perto.
Verei partes depois em gravação, para poder desligar o som, quando não me interessar.

João Pedro Barbosa disse...

Bea e Andorinha,

"O Amor é a coisa mais importante do mundo."

Mas tenho um fraquinho pela Natureza:)

Mas nada de confusões. O Amor acima de Tudo.

andorinha disse...

Tal como a Anfy, não vejo. Não tenho pachorra, já não suporto ouvir aquela gente...:(

Caidê,

Quando deixa de haver vida para além do ecrã, deixa de haver vida...

Inté...

João Pedro Barbosa disse...

Bea e Andorinha:(

Palavras levas o vento.

Olha para o que eu faço, não para o que eu digo.

Consegue-se dizer muito pouco por palavras.

Consegue-se sentir tudo num aperto de mão.

Longe da ambiguidade das palavras que mais parecem balas de um canhão de intenções.

andorinha disse...

Pedro,

"Consegue-se sentir tudo num aperto de mão."

Sim, mas quando as mãos não estão perto? Há as palavras, os sorrisos...

Não sejas tão descrente em relação às palavras. Claro que as há falsas, mas essas vamos aprendendo a distinguir...e desprezar...
Ficam as outras, as verdadeiras.

Tenho dito:)

João Pedro Barbosa disse...

Andorinha Tagarelas:)

Como a educação me educou. Terás sempre a ultima palavra.

rainbow disse...

Boa tarde:)

Andorinha,

"Sim, mas quando as mãos não estão perto? Há as palavras, os sorrisos..."

Mas podem ficar perto, depende da nossa vontade.
Às vezes imagino-vos aqui, à volta das "tuas" caipirinhas ou outras, a tagarelar, e isso é mais importante do que o estéril debate da nação, que não traz nada de novo e só ofende um povo já saturado de tanta mentira.
O Algarve e a costa vicentina aguarda-vos:)

bea disse...

João Pedro, estás a variar, não se consegue sentir tudo, nem lá para o pé, num aperto de mão. Mas se deres a mão, sentes alguma coisa.

bea disse...

andorinha
sou ajuizada:) tenho juízo até contra mim.

João Pedro Barbosa disse...

Bea,

Fique com a ultima palavra:)

bea disse...

Rain

Bora pá costa vicentina! que não deve ter vento nem nada e até nem é ventosa. Espalhamos as ideias e pode ser que alguém as apanhe e ponha num saquinho de cheiros a perfumar gavetas.

Está-me a apetecer um morticínio, como a Anphy. Mas o meu é menos higiénico.

Vou-me embora que isto não me costuma dar a esta hora e estou a ficar violenta e assim. Ainda dou cabo do Pc e depois é uma aflição. Desculpem, tenho de ir apanhar ar ("ir apanhar ar"? Bolas, que idiotice; o português deve ser mesmo uma língua difícil)

bea disse...

Pedro
É para guardar em algum lugar ou assim? (a última palavra)

Não existem ultimas palavras. Depois da ultima há sempre outra a seguir:)salvo se a gente morre. e agora não me apetece. Tem de ficar para outra altura. Não se morre numa tarde de sol. Dá mau aspeto.Além disso prometi a duas pessoas: sou imortal.

João Pedro Barbosa disse...

...e Pedro seguiu, lolelando, lolelando, lolelando...

andorinha disse...

Muito lolelas, Pedro:)
Até inventamos verbos e tudo! Lol

A última palavra? Umas vezes terei eu e outras tu.
Por que razão haveria eu de ter a última? Por ser mais velha? Não é critério...:)))))


Rainbow,

Aqui temos as palavras e os sorrisos, já que as mãos estão longe.
E nelas vai um abraço que também não pode ser dado porque estamos longe. Mas é como se ( pareço a Bea que não acaba as frases) :)))))))))))))

Bea,

Nunca numa tarde de sol. Numa tarde de chuva daqui a muitos, muitos anos....

Caidê disse...

João Pedro
Uma das razões por que o amor não é uma chatice é porque é "duty free" - podes atravessar as tuas fronteiras à vontade, vês???!

As feromonas possibilitam a comunicação sensorial, mas já experimentaste ir em frente só com essa linguagem de comunicação comum? Olha, é o que é: mais objetividade não sei ter.

E há muitas frentes de comunicação ( e nenhuma escapa totalmente à peneira sensorial) - idealmente serão frentes de ar quente (mas se se miscigenarem é preciso é que o termostato não desregule para nenhum dos pratos) – e o amor ou vai tendo frentes de condução ou as incandescências se vão extinguindo e colapsa. Depois, olha, a haver “duty free” sai-se pela fronteira de opção. :))

E gostava de poder dizer como Giuseppe Verdi: “ Não sou um compositor culto, mas sou experiente”. Gostava, mas não posso, pois me falta a experiência que me falta – porque toda a experiência é contingente.

Quanto à cultura, dizes que em algumas comunidades linguísticas de Moçambique não existe a palavra “amanhã”. Talvez porque a abstração “futuro próximo” seja bastante e até seja gradativa. Talvez porque o verbo tenha terminações que indiquem “quando” com especificação bastante. Talvez porque para dizer “amanhã” se usem categorias descritivas. Nós também dizemos “o filho do meu padrasto” – é descritivo, não há termo de parentesco.

Agora quanto ao amor romântico é claro que é uma conceção cultural, mas sobre o tema o professor é o Júlio – no curso de Verão “ A sexualidade na civilização ocidental” (Cascais) foi eloquente na sua dissertação acerca da matéria.

Professor
Concordo. O Debate da Nação é ainda mais pobre, indevidamente pobre, do que os pobres, injustamente pobres, nos tempos troikianos reproduzidamente e alargadamente empobrecidos.

Um destes dias trarei aqui um pouco de Educação a debate. :((
Amanhã à tarde tenho de ir ao Rossio , não me encontram por aqui. (É que há vida para lá do ecrã, oh se há!). Hoje os médicos saíram-se bem na rua :-)))

andorinha disse...

Profes murcónicos:)

Ouçam O Amor é...de hoje.
Eu só me pergunto por que razão os senhores do ME não tem a perceção destas coisas como o Julio tem.

Ou até tem, mas estão-se marimbando:(

João Pedro Barbosa disse...

Caidê,

Fiz um grande esforço para desaprender e não voltar a aprender. Isso devolveu-me alguma liberdade, inteligência e alegria. Se é loucura?!
Então os lúcidos têm que ser oprimidos, burros e infelizes.

Na continuidade da minha ignorância, deixo uma sátira a Vice Primeiro Ministro que alguém construiu:

E assim ele disse:

"Iniciei a minha vida sexual aos 13 anos! Na verdade, só me masturbei! Mas deram-me equivalência!"

Caidê,

Beijinhos e não ligues ao que eu digo: "Numa mão tenho cinco dedos e só de um deles te posso falar os outros não têm nada para contar"

Beijinhos

...

rainbow disse...

http://www.youtube.com/watch?v=Z0RNp0ShHsU

Boa noite a todos:)

andorinha disse...

Pedro,

Já não é a primeira vez que aqui dizes para não ligarem ao que dizes.
Que raio!:)
Tu és também aquilo que aqui escreves.

Tu tens liberdade, inteligência e alegria, sim. Não é loucura, porque essas caracteristicas não colidem com lucidez. Eu seria louca também e não acho que seja:)

Tu és um miudo sensível e generoso como conheço poucos.
***** como diz a Caidê:)
E és um amigo, daqueles com A. Que são os unicos que contam.

http://www.youtube.com/watch?v=ZfyAsj4_ZDI

Beijinhos

João Pedro Barbosa disse...

BEIJINHOS...

"Mas sem um não se faz um milhão"

Em que matéria for:)

Zero é que não!

Ainda estou a começar para entender e dar valor a algumas coisas. Para vocês este livro vos deverá ser especial:

http://www.classicly.com/read-peter-pan-online-free/page/1

...

João Pedro Barbosa disse...

A personagem principal consegue voltar a juntar muito bem o sonhando e o estar acordado. Porque são um só.

Impio Blasfemo disse...

O DISLATE da NAÇÂO no Parlamento, de hoje, deixou-me arrasado; as metáforas lançadas geraram-me dúvidas que ainda agora as estou a digerir. Que fantástica sapiência…..!
Que orientação estratégica, que clarividência, que visão de futuro. Fantástico. O Futre não faria melhor, não diria melhor. Diria mesmo mais, que exagero de modéstia ao afirmar que não se tem uma varinha mágica. É sabido que tem, chama-se Merkhel e está sempre pronta para nós ajudar, uma verdadeira “Sininho” que espalha pó mágico no orçamento e o faz “voar” para os tão ambicionados compromissos Troikianos.
Podemos dormir descansados pois os objectivos serão atingidos e vamos cumprir o programa em toda a linha. E não vai haver nem mais impostos nem mais medidas extraordinárias pois o nosso 1º ministro não está a pensar nisso, afirmou-o hoje, e todos sabemos e temos experiência de que aquilo que ele diz é sagrado; o que se promete é sempre para cumprir, sobretudo se saído da boca dele; os factos evidenciam-no de forma muito clara.
E lá estava o Relvas, a rever as sebentas, pois a seguir ao debate ia fazer mais uma exame para iniciar e acabar mais uma licenciatura, já que andam agora a implicar com ele por ter feito uma licenciatura com 4 cadeiras, o que ele interpretou como sendo uma crítica ao exagero de cadeiras que teve de fazer para obter uma licenciatura. Prometeu ao Passos que nesta nova licenciatura faz apenas uma cadeira e que assim já ninguém o vai chatear mais.

PS—Escrevi DISLATE mas enganei-me, queria escrever DEBATE. Desculpem-me o engano…

Abraços
Ímpio

Caidê disse...

Ímpio
Abraço!

E a riqueza passou por aqui, porquanto o DISLATE foi ......

Rain(bow)

Noite maravilha para ti também. Escolheste um bom “sound”!

Olha, escolhi esta:
http://www.youtube.com/watch?v=MoFhf_u3_iU

Espero que não desperte nostalgia.

Há outras saídas:
http://www.youtube.com/watch?v=RYRd5XYehhA&feature=related

Andorinha
Subscrevo ! :)))

João Pedro
A proposta de leitura da Andorinha é brilhante. E nunca te esqueças: és Ghandiiiiiii! Queria dizer Grandeeee, Amigo!
************** para ti

Manuel disse...

Não deixem de ver... mais não desanimem, isto sempre foi assim.

http://youtu.be/WOrv8IH1ZB0

Anfitrite disse...

Pedro,

Tem cuidado senão podes ficar ASSIM

ASSIM

Ainda não li tudo. Hoje comeceu por cima e ainda vou a meio. Mas posso dizer que as palavras se escrevem com os dedos das mãos e ditam aquilo que vai no pensamento. Logo-às vezes valem mais que um aperto de uma mão viscosa. Kruzes Kredo, que asco!

BEE, às vezes tem mesmo saídas inteligentes. Essa de apanhar ar foi mesmo boa. Será porque ele agora está mais denso por causa da poluição? Faz-me lembrar aquele do "final feliz". se é o fim com pode ser feliz?

João Pedro Barbosa disse...

Anfitrite,

Passo!

João Pedro Barbosa disse...

Anfitrite?!

http://water-inside.blogspot.pt/

João Pedro Barbosa disse...

Anfitrite,

Fique com a ultima palavra.

João Pedro Barbosa disse...

Anfitrite,

Lolelando! Descarrila com graça como diria a Caidê:)

João Pedro Barbosa disse...

Porque não vai fazer concorrência para o seu blogue?

João Pedro Barbosa disse...

Então! Já não canta a garnisé?!

Tio Entropia disse...

Boa noite;

Será por acaso, que os países que são idolatrados e tomados como exemplos em termos de desenvolvimento económico e desenvoltura financeira são os paises onde o indiviiduo mais facilmente se desprende dos outros e que se esquece da sua humanidade?
Minha rica crise...

rainbow disse...

Bom dia:)

Anfi,

O mundo não gosta de pessoas simpáticas e sinceras. Por algum motivo está assim.
Vou trabalhar. Um abraço.

Vivam a vida

http://www.youtube.com/watch?v=99fDBasFpt8

João Pedro Barbosa disse...

Rainbow,

De tão sinceros e simpáticos. Acabamos por ser obscenos.

Traba-lhe muito!

João Pedro Barbosa disse...

Só sei que somos, super desconfiados. E partimos logo de uma posição defensiva. Que só mostra a fraqueza da nossa existência.

Vou fazer qualquer coisa.

Raibow.

Não é para ficar mal interpretado!

Mas que somos! Desconfiados somos e confundimos: liberdade com libertinagem. Que são coisas completamente opostas. Enquanto a liberdade é contagiante a libertinagem pode ser fatal.

Mas não gosto de ver pessoas a morder a mão que lhes deu de comer!

João Pedro Barbosa disse...

"QUESTIONS OF MONEY" DAVA UM GRANDE FILME!

ABBA - Money Money Money Lyrics ♥:

http://youtu.be/E5RSrNFj_is

Paz! Nem que seja escondida.

Pedro

João Pedro Barbosa disse...

É a melhor!

João Pedro Barbosa disse...

Rain!

Os grandes opressores! Sempre foram muito sinceros simpáticos. Veja-se o exemplo da Alemanha nas das décadas de 30 e 40. Foi um homem que arrastou multidões em várias direcções.

Mas se calhar estamos com um problema de sinónimos!

Be Happy!!!

João Pedro Barbosa disse...

Rain.

"Generosidade"! Na simpatia e na sinceridade.

João Pedro Barbosa disse...

Sergio Godinho - Com Um Brilhozinho Nos Olhos:

http://www.youtube.com/watch?v=aMKHMcS7X3g

^_^

andorinha disse...

Bom dia:)

Deitar tarde e tarde erguer dá saúde e faz crescer.:)))

Rainbow,

O sol que enviaste, chegou aqui:)
De pessoas simpáticas até gosta, de pessoas sinceras já é mais problemático!

Bom trabalho!:)

Pedro,

Paz, sim! E generosidade, simpatia, sinceridade...
Parece-me uma boa forma de começar o dia:)

biépi 2

Fiquem bem.

andorinha disse...

Não é tão bom termos esse brilhozinho nos olhos, Pedro?:)

E agora vou mesmo...

João Pedro Barbosa disse...

Rain,

Há dias que a madrugada deixa-nos um dia de trabalhos e na madrugada que se segue chega-se ao fim quando deveria-mos estar a começar. Outros dias, o dia vem sem trabalhos e podemos descansar.

O Papa Gregório e a sua divisão do tempo ficou para aquém das minhas necessidades.

Tudo de bom,
Pedro

Cê_Tê ;) disse...

(andorinha, só vou poder ouvir o programa quando ele aparecer nos aruqivos recentes ;( deixaste-me curiosa...)
Um bom dia para todos (de trabalho, de lazer ou metsade de cada;)

AQUILES disse...

Sobre os japoneses vi um documentário no Canal Dois, Sábado passado, L'Empire des Sans que foi traduzido pelo Império dos sem Sexo. O Governo Japonês já encara o problema com muita preocupação porque estima a perda de 35 milhões de habitantes até 2050, quase 30% da população. Pode não parecer, mas quem viu o documentário entende a correlação com o post.

Rainbow

Só hoje tive oportunidade de ver o link. Muito obrigado pela dica.

João Pedro Barbosa disse...

Aquiles.

Sou contra as politicas de castração independentemente do género.

Jasus!

Cê_Tê ;) disse...

Fora agora de brincadeiras, o assunto é MUITO sério mas torna-se um problema maior quando o Estado trata as pessoas como números como é o caso do que se passa no Japão e China.;(

Cê_Tê ;) disse...

Fora agora de brincadeiras, o assunto é MUITO sério mas torna-se um problema maior quando o Estado trata as pessoas como números como é o caso do que se passa no Japão e China.;(

João Pedro Barbosa disse...

Cê_Tê

Nos pólos ainda se está a salvo de esse tipo de leituras.

E como estarão as coisas por Portugal?! Hum! Ainda alguém se lembra do pai que um dia não seguiu a sua natural rotina e deixou o filho dentro do carro!?

Cê_Tê ;) disse...

Infelizmente conheço, mas são coisas DIFERENTES! O pai não ignorou o filho, nem foram vícios que o fizeram esquer o menino no carro. Nem nunca tinha acontecido. Além disso nem sei se não haverá uma questão de género pelo menos tendo em conta que não era a ele que costumava caber na distribuição de tarefas e cuidados essa função. E bem sabemos. sobretudo nas manhãs e finais de dia como são mecanizadas as coisas. E o bébe estava a dormir...
Triste acontecimento este.

João Pedro Barbosa disse...

PROFESSOR E INTERESSADOS!

Entre posts! Aproveitem para uma visita à congénere Barcelona. Fica a agenda:

http://barcelona.lecool.com/

Anfitrite disse...

Rain,

Está a ver como é contida. Eu também vi o documentário. Até andei à procura de uma referência para mandar ao professor, para ele se pronunciar.
Porque não diz claramente au as pessoas no Japão, estão as abadonar as relações sexuais, ditas "normais", e estão a satisfazerem-se individualmente. A industria mais florescente é o fabrico de artigos eróticos: bonecas de borracha, vaginas,pénis, vídeos de estimulação, cabines para satisfação individual, etc.
, porque as pessoas estão fartas umas das outras, não se querem aturar e querem viver sozinhas. Isto em todos os níveis sociais e etários. Nem nas casas ditas de prostituição há penetração. Quanto muito umas massagens nas orelhas e com luvas, para as pessoas descontrirem, ao fim do dia e estarem o menos tempo possível em casa, se tiverem que aturar alguém. Por isso a natalidade está a diminuir e as pessoas não se sentem atraídas por outras.

Anfitrite disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
João Pedro Barbosa disse...

Anfitrite,

Por sinais de fumo, carta, telefones ou novos meios de comunicação! Podemos ser quem muito bem o que nós queremos.

Mas das palavras aos actos: Dá muito trabalho!

Anfitrite disse...

O Império dos sem Sexo
Sobre Este Programa
Géneros:
Documentários


A mais recente revolução sexual entre a juventude japonesa

Os japoneses do Instituto Nacional de Sexologia define o termo Sexless (´Sem sexo´) para casais que têm um caso com uma frequência inferior a uma vez por mês. Mas como mostra este documentário O Império dos sem sexo, um inteligente jogo de palavras que evoca o filme O Império dos sentidos de Nagisa Oshima, cada pessoa tem o seu próprio conceito de abstinência. Há aqueles que, apesar de apenas fazer amor uma vez por ano ou até a cada dois anos, não são considerados ´Sem Sexo´.

Foi este o documentário.

Atá falou uma senhora que teve 3 filhos do marido, mas só por inseminação e até dizia que os filhos eram só dela.

Anfitrite disse...

Como nós nem sabemos tirar partido das coisas, recorremos aos outrs países. Aqui está o documentário:


http://www.clubotaku.org/niji/socie/documentario-o-imperio-dos-sem-sexo/

Vale a pena ver, professor.

João Pedro Barbosa disse...

Cê_Tê,

O que me faz lembrar: É a história do café.

Como todos os dias! Há hora do jornal! Ficava-se a saber que em tal sitio tinham morrido milhares de pessoas! Em outro tal centenas e num ultimo dezenas!
Até que uma pessoa que estava solta um: Ai!!!
Todos o vão a socorrer e perguntar o que se passava?!
"Queimei-me com o café!"

Hoje isto hoje passa-se no espaço em que temos como "casa".

Talvez como os animais! Cada um na sua! Só ia fortalecer a relação! Aumentar o desejo! E poupar os mais novos do desconsolo com que os pais ficaram por não terem mais a liberdade do namoro.

Anfy,

Antes o Amor-Ódio que a indiferença. Porque se as pessoas quiserem!? Pode ser muito construtivo.

Como as árvores que passam ao longo do ano por dois momentos: um de expansão outro de consolidação.

Bons Frutos!

João Pedro Barbosa disse...

Depois da Era Moderna! Veio a Era da Informação. Como a primeira teve um lado bom e um lado mau.
Agora irá se passar o mesmo!

No fundo! como o Manuel frisou! O problema é muito antigo. Desde os tempos em que não reza a história:

http://water-inside.blogspot.pt/2012/06/how-boring-how-i-would-like-to-be.html

andorinha disse...

Pedro,

"...se lembra do pai que um dia não seguiu a sua natural rotina e deixou o filho dentro do carro!?"

Como a Cêtê já disse, não são situações comparáveis. O nivel de gravidade é completamente diferente.
Aqui trata-se de uma obsessão pelo virtual levada até às ultimas consequências.

"Cada um na sua! Só ia fortalecer a relação! Aumentar o desejo! E poupar os mais novos do desconsolo com que os pais ficaram por não terem mais a liberdade do namoro."

Com sua licença:), assino por baixo!


Anfy,

Vou agora ver o documentário. Não sabia de nada disso. Lá ando eu a leste...:(

bea disse...

Boa Tarde a todos

estou atrasada com os comentários, mas pronto, tenho andado a imortalizar aos bocadinhos.

E vou continuar. Porque preciso. E assim.

Fiquem bem.

Os japoneses estão sempre a inventar coisas já inventadas, mas como são muitos conta mais. Talvez.

Pronto, temos de ouvir o tal programa do professor.

Pois não. Liberdade não é o mesmo que libertinagem. Toda a gente sabe, né? é muito mais difícil ser livre. Diria que não conseguimos senão às vezes. E de forma mais limitada do que pensamos.E uns de nós são por sua natureza e trabalho (lutam por essa tal de liberdade) mais livres que outros. Mas temos de respeitar todos. A liberdade vive-se.

Pedro

com sinais de fumo :) escritos no vento ou como se fosse. Com frente e verso.
e talvez que a Anphy a seguir te ligue. E a andorinha te envie um mail. Porque vocês são assim mesmo, amigos. E gosto. E pronto. Vou.

João Pedro Barbosa disse...

Andorinha,

Acabas de constatar: Que qualquer ser humano. Quando abre a boca. Metade é apenas warm-up!

;-)

andorinha disse...

Acabei de ver. Pasmei!
Quando a 'massagista' lhe estava a massajar as orelhas, quase adormeci por contágio:) Eu relaxo muito facilmente e estava a absorver todo o efeito relaxante à distância:))))
Falo a sério...

Tudo se resume a uma incapacidade total de comunicação. Empobrece a vida. Já sei que nunca irei viver para o Japão.
O tipo diz que o prazer sexual se resume a ejacular. Então por que razão haverá de ter o trabalho de estar com uma mulher?
Há um incentivo muito grande ao prazer solitário.
Gostei da atriz que afirma que pretende encontrar um equilibrio, construir uma verdadeira relação com alguém. Essa é a única saudável no meio daquela gente.
Alguém diz: "Quando encontras um possível namorado já não sabes como cultivar/manter uma relação.
Enfim...para mim é triste.
Se eles vivem bem assim, quem sou eu para os julgar?...

Mas a do café dos gatos?? Looooooooooooooooooooooooooool

Estou-me a rir mas é deprimente.
Que raio de sociedades estamos a criar?

Pedro,

Warm-up? Por algum lado tem que se começar e 'aquecer' é sempre bom!:)

Interessada disse...

Júlio

Também já entrou numa de sensacionalismo? isso está mesmo mal.....
Eu já me tinha convencido de que andava por Marte, mas fiquei agora a saber que regressou para ouvir o estado da nação.....o que não lhe mereceu muitos comentários.
A melhor anedota que aqui encontrei, especialmente por o blogue pertencer a um sexólogo: a natalidade está a diminuir por causa das massagens nas orelhas...e com luvas - hilariante!

João Pedro

Não obstante a reacção que possas ter às minhas palavras, e a admiração que tenho pela bea, Cê-Tê e Ímpio, por razões distintas, digo-te que és um louco muito lúcido, e talvez o mais inteligente. E apesar dos teus defeitos (julgas que escapas à regra? :D) acho-te a pessoa mais interessante.
Tinha que o dizer, porque é gratificante o que sinto. Obrigada pelo que és e pelo que escreves - para mim uma festa, com alguns ingredientes tão ácidos quanto a intensidade da tua doçura.
Um abraço para vós 4.

bea disse...

Peço desculpa Interessada, mas ontem um dos meus gatos deu uma festa e prontos, é assim.

até fico um bocado palerma (mais). Obrigada, levo na conta de uma opinião que espero não magoe os outros bloguers que aqui passam. Cada um vale diferente. É só isso :)