sábado, julho 07, 2012

Playing with words.

Maria,

Luz apagada, Cohen, Live in London. You live in London. When will you leave London? Before the Autumn leaves? Cohen com um ponto de interrogação - Am I your man?

49 comentários:

AQUILES disse...

O lugar só pode ser parasidiaco. Dá para remoer melhor. A música suace do Cohen ajuda a digerir. Ambiente morno. O vislumbre do horizonte. Há sempre um misto de esquecer e recordar.

Caidê disse...

Cohen: lindo!
Junto-me à toada.
http://www.youtube.com/watch?v=5oMaHyYYDnM
Um soninho musical para todos

Fragmentos Culturais disse...

Gosto desse seu diálogo intimista com Maria...

Por aqui,enquanto a chuva desconfortável baixa sobre a cidade, ouve-se Hans Zimmer & Lisa Gerrard "Now we re free". Are we?

Bom f-semana!

João Pedro Barbosa disse...

Bom Dia!

Lamento! Mas não! Continuo a preferir a musicalidade da Claudia Schiffer!

BFS

Anfitrite disse...

Aqui está o que se chama um raio de um trocadailho. Por mais que eu diga que não gosto de inglês, ninguém me respeita.

E quem e que vai deixar uma cidade no Outono? Então se for num país que eu conheço, onde o chão fica atapetado de folhas de ácer, com cores que vão desde o verde, passando pelo amarelo, laranja, vermelho, castanho-avermelhado, castanho claro, escuro...lindo! Eu não o faria, tanto mais que não tenho ninguém que queira servir-me de tapete.

Bea,
ontem chorei a rir com o seu comentário. Agora não posso mas tenho que responder a vocês.

Buona jornata

bea disse...

Bom Dia :)

gosto quando as questões da existência são dirigidas a Maria. E o mundial é em Londres, professor.

Anphy

tive de ir ver lá atrás o motivo de sorrisos:); são pormenores de um tempo que passou, Anphy. Há outros. Lados profundamente humanos, e, por isso, estupidamente dramáticos. Estes são apenas dos mais engraçados.Aquele grupo tinha um lado trágico que me tocou. Mesmo de dentro da ignorância.

bea disse...

Penso que vamos estar sempre ao seu lado, Anphy. Não sei se como tapete. Os tapetes são coisas.

Ir "ao tapete", é normalmente ir ao chão. E nem sempre ou quase nunca. ou nunca. caímos na areia.Levantar é que é uma maçada.


Um bom sábado a todos

andorinha disse...

Bom dia:)

Mais um belo dia de inverno aqui no berço...

Quanto ao post, quem brinca assim com as palavras pode brincar com qualquer coisa:)))))

Mas isso é pergunta que se faça???
Ou está a questionar-se a si próprio?:)))

Bom fds, malta.

rainbow disse...

Bom dia:)

Linda essa canção de Cohen.
A propósito de trocadilhos,
Words with playing:)

Em especial para o Aquiles, mas para todos, isto é obrigatório. Já chorei a ver esta curta-metragem (desculpem o entusiasmo):

http://www.esquerda.net/artigo/curta-portugu%C3%AAs-entre-os-50-melhores-no-festival-do-youtube/23848


Andorinha,

Obrigada pelo texto do Agostinho da Silva, gostava muito de o ouvir.
Também gostei de ler Pedro Santos Guerreiro. É sempre um prazer ler ou ouvir o que ele diz.

Ó Andorinha, que pena, ainda não posso usufruir dos benefícios séniores:))

Pedro,

Todas as profissões são úteis à sociedade.
No caso específico dos enfermeiros, eles são imprescindíveis nos serviços e cuidados de saúde.E, além dos conhecimentos, têm que ter um enorme sentido de responsabilidade,
resposta rápida e sangue-frio.
Logo, é mais do que lógico serem justamente remunerados.
As tuas fotos... são todas boas, mas aquela com a aranha supera tudo. Na minha modesta opinião:)

Bea,

Tu tiraste uma foto naquela falésia.
Mois aussi:)Muitas. Adoro aquelas paragens.
Há um ano, nas minhas férias, fui passar uns dias a uma vila alentejana, só pelo prazer do silêncio.

Anfi,

Tem um comentário meu para si no post anterior.

Um bom sábado para todos

http://www.youtube.com/watch?v=NgbcXig1TZ8

João Pedro Barbosa disse...

Bea,

O Mundial ainda faltam 2 anos. O Europeu já foi. EM LONDRES, vão ser as Olimpiadas já este mês.

Rain,

Estamos em sintonia: "A ARANHA".

;-)

João Pedro Barbosa disse...

Prof. Julio,

Se o Cohen fosse português! Era ele a fazer o "Amor é...". Não tenha duvidas:)

Mas hoje estive a ouvir um CD de musicas tradicionais chinesas. Já o tinha ouvido outras vezes mas hoje foi especial. Enquanto que Cohen só se consegue ouvir com o volume a 30. 20 basta para a musica tradicional chinesa que estive a ouvir.

Estive á procura de um link com a capa do album. Mas não encontrei nada nesta rede cada vez mais liliputiana.

João Pedro Barbosa disse...

Foi o que encontrei. Mérito para o interprete:

汉宫秋月Autumn Moon Over the Han Palace:

http://youtu.be/NLxE7-HE4rI

( é uma boa versão mas vale a pena ouvir os 4 discos da colecção ). O endereço da editora é: http://www.jscp.cn mas devem ter mudado)

Ficou a intenção!

João Pedro Barbosa disse...

"Não procures a solução perfeita. Só são eficazes nos primeiros tempos."

João Pedro Barbosa disse...

http://www.publico.pt/Cultura/gabriel-garcia-marquez-sem-memoria-nao-voltara-a-escrever-1553879

João Pedro Barbosa disse...

Resistirse a olvidar (1ªparte)

http://youtu.be/0LeNlVH1DZM

João Pedro Barbosa disse...

Quadplex - Online Scrabble

http://www.quadplex.com/

João Pedro Barbosa disse...

Rain,

A "aranha" e as duas que se seguem. Estou a preparar um triptico:

http://water-inside.blogspot.pt/2012/06/el-placer-es-la-aura-de-dios-en-la.html

http://eondoic.blogspot.pt/2012/06/blog-post_54.html

Boa Tarde (está tudo na pachorice / se não os consegues vencer, junta-te a eles:))

Caidê disse...

Já que brincar às palavras nos aproxima de enigmas...

Uma história árabe e judia (contam-na nas duas tradições).
A rainha de Sabá, quando recebeu a visita do grande Salomão, com quem rivalizava em saber, propôs-lhe uma espécie de enigma. Levou-o a um compartimento do seu palácio onde uns artesãos prodigiosos tinham enchido tudo de flores artificiais. Dir-se-ia um prado miraculoso, onde muitas e olorosas flores se balançavam docemente sob o efeito de uma brisa desconhecida.
— Eis o meu enigma — disse a rainha. — Uma destas flores, uma só, é verdadeira. Podes indicar-ma?
Salomão olhou atentamente em seu redor. Apelou aos tesouros da sua sensibilidade, a todas as forças da sua concentração. Não soube designar a flor verdadeira. Então, como suasse abundantemente, aproveitou para dizer à rainha de Sabá:
— Reina aqui um calor pouco habitual. Podes pedir a um dos teus criados que abra uma janela?
— Aqui está a verdadeira flor — disse o rei um pouco mais tarde.
Não podia enganar-se. Uma abelha, entrada pela janela, acabava de pousar na única flor verdadeira.
Se é sempre difícil ser Salomão, dizem os comentadores desta história, é ainda mais difícil ser abelha. Mas o mais difícil em todos os tempos é ser a flor.
In Jean-Claude Carrière, Tertúlia de Mentirosos, Teorema.

Carlos Fonseca disse...

"Am I your man?"

A eterna pergunta que, salvo breves intervalos, nunca paramos de fazer.

bea disse...

Rain

Fui olhar a minha foto…parece em África, e não se vê a cascata. Bolas.
Também tenho várias.

Andorinha

Desconhecia que a partir dos 55 anos houvesse descontos em viagens…mas devem ser em épocas em que não dá, a gente no emprego e assim.

João Pedro

Os sons tristes de um instrumento que tenho aqui ao lado afinal fazem parte da música chinesa tradicional; pensava que faltasse ouvido a quem o toca:)

Olimpíadas. Obrigada. Para entender alguma coisa de futebol teria de fazer um normalerweise curso, ter professores, estudar em casa e estar com atenção nas aulas. Não é garantido que chegasse ao 11.

Pois, também li essa notícia sobre Gabriel Garcia Marquez. Mas deixa tanta palavra junta, que o exílio de si é, nesse aspeto, um pormenor; e as doenças são mais fáceis se as sofremos sem a consciência de sofrê-las. Como se a alma/espírito parta primeiro, por ser quem mais se gastou. É que há lucidez de sobra no legado.

Regressamos todos ao zero, Pedro. Rápida ou lentamente. Desta ou daquela forma. E uma vez lá, não se “repart à zero”.

Caidê

A tertúlia de mentirosos é um livro que aprecio :). A flor apenas estava, por um capricho de rainha. A abelha reagiu como habitual na espécie. Salomão teve a sorte de poder usar a inteligência que tinha, relacionando o que viu. Conclusão: salomão era bom observador. Até suando abundantemente. Seria por estar enervado no meio de tanta flor postiça.

bea disse...

Rain

os lugares, quase todos, me maravilham. Não por romantismos de serem lindos, mais ou menos agradáveis à vista. Mas porque há neles uma alma ou um espírito que captamos. è isso estar num sítio. quando lá estamos pertencemos-lhe. Não há outro caminho para saber as coisas. Ou ficas só a pensar que bonito, que agradável, que. Se eu tiver alma, de certeza que é parecida com uma árvore de sol, como um sobreiro por exemplo. Tão inábeis que não sabem o das outras árvores, dar sombra. E, contudo, de 9 em 9 anos eles nús, em carne viva, expurgados de si mesmos a golpe cauteloso. Nãp dão flor, não são bonitos, nem sabemos porque nasceram ermos e sós. Nem eles.

E vou ali que.

Fora-de-Lei disse...

Os anos não perdoam. É uma merda...

Manuel disse...

Entre a Joni Mitchel e a Joan Baez, não acham?
Bom fim-de-semana para todos e boas músicas.

«Broom of Cowdenknowes»: June Tabor
http://youtu.be/lTfdeETw50Y

«Green Bushes»: June Tabor
http://youtu.be/sST5mz4g1tM

Impio Blasfemo disse...

Acrescento estas duas do Leonar Cohen
http://www.youtube.com/watch?v=Ki9xcDs9jRk
"Dance Me To The End Of Love"
Dance me to your beauty with a burning violin
Dance me through the panic 'til I'm gathered safely in
Lift me like an olive branch and be my homeward dove
Dance me to the end of love
Dance me to the end of love
Oh let me see your beauty when the witnesses are gone
Let me feel you moving like they do in Babylon
Show me slowly what I only know the limits of
Dance me to the end of love
Dance me to the end of love

Dance me to the wedding now, dance me on and on
Dance me very tenderly and dance me very long
We're both of us beneath our love, we're both of us above
Dance me to the end of love
Dance me to the end of love

Dance me to the children who are asking to be born
Dance me through the curtains that our kisses have outworn
Raise a tent of shelter now, though every thread is torn
Dance me to the end of love

Dance me to your beauty with a burning violin
Dance me through the panic till I'm gathered safely in
Touch me with your naked hand or touch me with your glove
Dance me to the end of love
Dance me to the end of love
Dance me to the end of love




http://www.youtube.com/watch?v=x_223jKXKgQ

"The Partisan"
When they poured across the border
I was cautioned to surrender,
this I could not do;
I took my gun and vanished.
I have changed my name so often,
I've lost my wife and children
but I have many friends,
and some of them are with me.

An old woman gave us shelter,
kept us hidden in the garret,
then the soldiers came;
she died without a whisper.

There were three of us this morning
I'm the only one this evening
but I must go on;
the frontiers are my prison.

Oh, the wind, the wind is blowing,
through the graves the wind is blowing,
freedom soon will come;
then we'll come from the shadows.

Les Allemands e'taient chez moi, (The Germans were at my home)
ils me dirent, "Signe toi," (They said, "Sign yourself,")
mais je n'ai pas peur; (But I am not afraid)
j'ai repris mon arme. (I have retaken my weapon.)

J'ai change' cent fois de nom, (I have changed names a hundred times)
j'ai perdu femme et enfants (I have lost wife and children)
mais j'ai tant d'amis; (But I have so many friends)
j'ai la France entie`re. (I have all of France)

Un vieil homme dans un grenier (An old man, in an attic)
pour la nuit nous a cache', (Hid us for the night)
les Allemands l'ont pris; (The Germans captured him)
il est mort sans surprise. (He died without surprise.)

Oh, the wind, the wind is blowing,
through the graves the wind is blowing,
freedom soon will come;
then we'll come from the shadows.



Saravá
Ímpio

João Pedro Barbosa disse...

Bea,

Consegui perceber mas sem encontrar o sentido imediato das tuas palavras. o "repart a zero". Levou-me para outro lado. Quando já não há mais para subtrair, ainda fica uma gota no Oceano. E dessa gota se faz um Oceano! Se quizermos!

http://2.bp.blogspot.com/-tc1-kcpV_jE/T5GLLOr3kPI/AAAAAAAAD3Q/4JT64Y8sDd8/s1600/(13)+8655.jpg

andorinha disse...

Rainbow,

Não chorei, mas é emocionante!
Comovente, muito!
Obrigada por dares a conhecer:)

Quanto aos benefícios seniores, tivesses nascido mais cedo! Não se pode ter tudo:))))))))


Pedro e Bea,

Também ouvi a notícia sobre Gabriel Garcia Marquez. Ficam connosco todos os belos livros que escreveu.
Mas é uma notícia triste!

Manuel e Impio,

Vou-vos ouvir. E já:)

Manuel disse...

Acabo de ver esta proposta, não resisti a deixá-la:

Retirado do blog: De Rerum Natura.

Eu, como académico universitário que estudei 5 anos para me licenciar e "queimei as pestanas" para ser um dos melhores do curso (1968 - Faculdade de Letras de Lisboa), já com um percurso de seminário de c. 11 anos que me deu forte componente cultural e crítica, apesar do arregimento religioso com o qual nunca pactuei, sinto-me envergonhado como português que tal governação e legislação tem! Mas, para não ficarmos na eterna indignação e crítica - que nada adiantam! - proponho a propagação de um movimento anti-voto, para que possamos realmente escolher os melhores que ponham ordem na casa e acabarmos de uma vez por todas com as propostas partidárias de incompetentes nos quais nos convidam a votar. Eis o texto:
«NAS PRÓXIMAS ELEIÇÕES LEGISLATIVAS VAMOS TODOS votar em branco ou não votar (abstenção geral!) - SERÁ A MANEIRA PRÁTICA E LEGAL DE CORRERMOS COM OS ACTUAIS POLÍTICOS CORRUPTOS. Passemos palavra para sermos a maioria!
SE VOTAREM EM BRANCO, e se esta for a maioria da votação, a CNE é obrigada a anular as eleições e marcar novas, mas com outras pessoas diferentes nas listas. A legislação eleitoral tem esta opção para correr com quem não nos agrada. (Mesmo assim, irão dar aos partidos eleitos, 3,60€ por cada voto e durante a legislatura, ou seja, durante 4 anos, o que perfaz 14,40€, o mesmo acontecendo com os votos nulos ou riscados.)
SE SE ABSTIVEREM, protestam e não vão dar dinheiro nenhum aos partidos!»
Esta, uma acção que poderá dar frutos. Vamos então actuar!
Autor, Francisco Domingues

Manuel disse...

Fiquem bem:

«Desde que te quiero»: Patxi Andion
http://youtu.be/IdfA7bn9OjU

andorinha disse...

Manuel,

Não conhecia June Tabor. Bela voz num timbre que achei muito semelhante sobretudo ao da Joan Baez.
Duas canções que prendem pela melodia e letra.

Quanto a essa proposta é irrealista, sabes bem. Também não é por aí...:(

rainbow disse...

Boa noite:)

Bea,

"... Mas porque há neles uma alma ou um espírito que captamos. è isso estar num sítio."

E captamo-lo com a nossa subjectividade, as nossas vivências e sensibilidade.

Pedro,

Li a notícia sobre Gabriel Garcia Marquez...
E continua com as fotos.

Manuel e Ímpio,

Obrigada pelas músicas. Gosto muito do "Dance me to the end of love".

Andorinha,

Estava a ver que ninguém tinha visto aquela curta-metragem, de uma grande beleza e sensibilidade, realizada por um português.

"Mais um belo dia de inverno aqui no berço..."

Weather report:
Por aqui, céu limpo e às 20.30H ainda o Sol brilhava. Gaivotas em terra (sinal de vendaval), mas nem uma nuvem no horizonte. Vento moderado:)))
Afinal, pode-se ter tudo:)

andorinha disse...

Um músico que tem andado esquecido: Janita Salomé - Morena flor

http://www.youtube.com/watch?v=YuaSWcHm4XQ

Da partilha se faz a vida, se fazem os afetos, se faz o Murcon.

Fiquem bem:)

João Pedro Barbosa disse...

Andorinha,

Quando ainda desconhecemos o sentido das palavras. Os nossos olhos começam cedo a aprender e expressar o que sentem sobre o mundo e as pessoas com quem vivem. Perde-se a escrita mas fica a pessoa. Agora restrita a quem realmente o adorou. Ver isto como uma partida. É uma ingratidão!:(

Muitas vezes pensei que o fim nos traria de volta os primeiros segundos das nossas vidas. Não é por isso que deixamos de ser importantes. Mas num mundo em que se procuram heróis e sabendo que para cada herói tem que haver um milhão de desgraçados.

Viva o Gabriel e tudo que a vida ainda lhe tem para lhe dar. Que concerteza será bonita. Os holofotes da fama ofuscam a essência da vida.

Open your mind:

http://3.bp.blogspot.com/-TxLkFlPkjlA/T5Hfver9OxI/AAAAAAAAD5g/vVYX2yKf3L0/s1600/(29)+7605.jpg

Ou usando uma musica da Anfitrite:

Mercedes Sosa - Gracias a La Vida:

http://youtu.be/AzFSzeyKspU

P.S: Mesmo numa partida sem retorno. Apenas ficaria uma sombra da nossa existência. Somos muito maiores que a imagem que se nos escapa. E com Gabriel Garcia Marquez, até nisso a vida é justa. Guarda-nos o melhor de forma egoista e só se revela a uma ou outra pessoa. Nós leitores é que deixamos de existir. Gabriel Garcia Marques! Sempre...

Manuel disse...

Andorinha:

Irrealista é a situação do tira o Cavaco põe o Guterres, tira o Guterres põe o Durão, tira o Durão põe o Santana, tira o Santana põe o Sócrates, tira o Sócrates põe o Passos, tira o Passos põe o Seguro?... fosca-se, Deus nos livre.
E isto em 17 anos, com 5 primeiros-ministros, 4 governos que não terminaram a legislatura (e este arrisca-se ao mesmo) e uma média de 3,4 anos de duração dos mandatos dos governos.
Se não houver um tremor de Terra isto não muda nada.
Está nas nossas mão pressionar.
Já imaginaste 70% de abstenções?
A perda de receitas para os partidos e o descrédito nos candidatos-oportunistas?
Ainda há gente decente nos partidos, mas estão abafados pelos incompetentes.
É preciso dar-lhes oxigénio.

bea disse...

É isso Pedro. O ponto zero que já não dá para começar de novo. E concordo.
Boa noite:)

João Pedro Barbosa disse...

Manuel,

Eu vejo como uma forma de tentar curar a situação que passamos com terapia do riso. Juntar poucas centenas de bem intencionados e receber todas a manifestações publicas do amigo Passos Coelho com infinitas gargalhadas.

Com protestos o nosso amigo cada dia fica mais prepotente. As gargalhadas iam fazer sentir o ridículo da sua imagem.

Eu pessoalmente não gostaria de estar na pele dele.

bea disse...

Não sei mesmo se essa é a solução Manuel. Mas terá de ser alguma coisa de diferente e que resulte.

Pedro, não pode ser uma vida boa a de demente. Mas, para o próprio, também não será má.Além do que GGM está doente há muito. Não acredito que quem gosta dele seriamente, caso esteja em sofrimento, não julgue a morte preferível.

Somos muito mais que a imagem, sim. Cohen é ainda ele, mas impressiona-me o canto atual, falta-lhe voz, tenho medo que não consiga cantar tudo,dá-me um pouco de pena. Quando Amália já não cantava mas surgia em público e as pessoas pediam que o fizesse, ficava em suspenso, com medo que ela cantasse e não saísse aquele trinado cheio de voltinhas que nem a estrada de uma serra qualquer onde se perde a gente sem saber como.

Boa noite - 2ª vez. Agora é que é.

João Pedro Barbosa disse...

Bea, Andorinha, Anfitrite, Rainbow, Caidê. Ou seja: todos para não me esquecer de nenhum:

http://water-inside.blogspot.pt/2012/07/it-will-never-be-for-ever.html

Anfitrite disse...

Este é especialmente dedicado ao Aquiles:

http://www.youtube.com/watch?v=CFo0vCKdrSA

E este é para todos aqueles que tiverem bom gosto, incluindo o
Aquiles.

http://www.youtube.com/watch?v=1IDTJ-xhXnI

Este para os que têm memória:

http://www.youtube.com/watch?v=UwXIpUVG8Ns

Falta-me ânimo para escrever...

BFS

João Pedro Barbosa disse...

Anfitrite,

"Mesmo sabendo. todos o idiomas, há coisas que não conseguimos dizer". Sem vontade de dizer ou escrever, aqui fica um:

Beijo

bea disse...

Anphy

Tão bonito o vídeo. Amor é amor. E pronto. E os gestos também são palavras, significam. Ontem um bocadinho para o parvoide como dizia há tempos a Interessada:). Chinesices.

A canção sobre Lisboa eu a cantava e canto ainda, letra toda adulterada, a caminho da praia. Sobre as duas seguintes: a Estrêla da Tarde é um poema tão intenso e contudo, cantamos a debitar as palavras, atentos à música e não tanto ao que nela dizemos. E ele vale sozinho, corporiza completo, sem a voz, sem as notas…há assim coisas. Que coisas não são.

Pedro e Anphy

Tem vezes em que também eu penso que escrever é nada. E de certa forma é. Mas também é e não é :) Portanto, espero o dia seguinte. O dia. A claridade. A vida a nascer. Onde tudo é um passo não sei bem para quê. E espero sem estar parada. Espero contra os inevitáveis. Espero sempre. Em funduras de crença na vida. E o que assim me ajuda a esperar? Coisas simples e pequenas, como vir qui, olhar as borboletas no jardim, ouvir às vezes as canções de Lullaby, sentir a brisa e o corpo a dizer-lhe que existe…sei lá.

Bom domingo a todos.
Obrigada pelo Beijo, Pedro. Há Beijos que se podem olhar, vêm nos livros :)

andorinha disse...

Bom dia:)

Pedro,

Eu apenas disse que era uma notícia triste porque saber que alguém tem uma doença grave é triste. Aí penso no ser humano e não no escritor.

"Perde-se a escrita mas fica a pessoa." dizes tu.
Eu diria, perde-se a pessoa mas fica a escrita. A pessoa fica, mas de uma forma que doi...

Manuel,

Eu disse que isso não será solução porque haverá sempre gente que vai votar, nunca se conseguiria uma unanimidade em relação a esse ponto.
Não sei mesmo como vamos sair disto, se é que vamos:(

Anfy,

Sobre o video a Bea já disse tudo:)
O amor traduz-se de várias maneiras, basta apenas que exista.

Bea,

Escrever não é nada 'nada':)
Escrever é muito.

Estou parca em palavras mas os sentimentos estão cá.

Um beijão para vocês:)
Bom domingo

A Menina da Lua disse...

Professor

Serão em muito boa companhia!:) Boa música e pensando em amor!...:)

Pois o amor é mesmo assim...dá direito a trocadilhos, a dúvidas e a muitas mais confusões...:)

Já a Edith Piaf dizia : "Tu me fais tourner la tète"!
Aqui fica!:)

Bom domingo!:)

https://www.youtube.com/watch?v=8A8yNmmUgHI&feature=player_embedded#!

Caidê disse...

Anphy
O vídeo é sobre os sentidos e inscreve-se nos sentidos. E de como é difícil lidar com a diferença …
A vida de professor vem cheia de janelas que se abrem dos alunos para as pessoas que eles trazem dentro de si. E é raro o ano em que não ficamos depositários de um trecho de vida que há de perdurar na nossa memória. Este vídeo fez-me lembrar um aluno de quinze anos (muito repetente), a quem a overdose levara a mãe, e que, chamado à Direção por incorreção de comportamento, juntamente comigo, a DT, respondeu à pergunta da minha colega “O que esperavas obter com o que fizeste?”. E ele, já desesperado, de tanta resposta dada antes, chorou mais fundo, mais verdadeiro que nunca, e mais descontrolado e disse: “Não esperava nada. Nada. Eu só quero ser um miúdo normal. É só isso que eu quero!”.

Bea

A história parece 2 mais 2 igual a 4. Mas podemos entrar nela com mais ou menos imaginação. Tem a sua carga simbólica. Embora, só nos deixemos encantar quando queremos ser encantados, e com o que queremos ser encantados, é claro!

Eu gosto de pequenas histórias por vício profissional. De um borrão faço história, se for preciso.

Já leu “ A psicanálise dos contos de fadas?” (Bruno Bettelhein) ou “O Fio da Memória” (Maria Emília Traça) ou “Os itinerários do Maravilhoso” (Mª Luísa S. de Matos) ?

Uma leitura possível:
Jogos de poder. Uma rainha governando pela dominância e usando as armas da sua dominância para provar que merece ter mais poder que o outro, também ele rei. Porque pode provar como Salomão é ignorante. E ela, ao contrário, Sabiá.
Salomão mostra-lhe que sobre a natureza ela não tem dominância e que o que julga ser indecifrável é absolutamente óbvio e imediato. Uma simples abelha num esfregar de olhos tem a resposta para Sabiá.
Ora, num ramalhete, como num povo, ter a força da natureza, maior que a de Sabiá é realmente extraordinário – uma só flor ou “virá um dia, virá… “.

João Pedro
Tanto azul e é como se a gotinha continuasse a encher a tela de azul…

As folhas mostram como um só pedacito de natureza tem tanto para decifrar e descrever – cada rugosidade, cada imperfeição, cada nervura, cada vasinho fino, traçando como que uma impressão digital, cada plano colorido e cada intervalo ressequido – ainda assim, subtraído o cheiro, o movimento, o tato, o paladar – e já faz uma ilha de infinito!

Manuel
Fiz digressão pela sua proposta musical, porque também não constava do meu registo June Tabor. Agradecida. Mas acho um folk triste. Porque será?

Andorinha
“Turismo sénior” ou de como os idosos são descobertos como mercado e passam a valer mais. Com a quebra do poder de compra, baixa a idade da senioridade, pois o objetivo é continuar a garantir público-alvo em número e em lucro. Tá claro!
Não viste nada por aí sobre “reforma” sem penalização para os seniores maiores de 55?

Estou a precisar de boas notícias.
:-)

João Pedro Barbosa disse...

Mudando de assunto,

Um pensamento quase involuntário:

Sendo o cristianismo o ultimo movimento que teve como raiz a libertação do ser humano. Comungo com algumas partes da sua história. Não é por acaso que é a religião que está mais representada nos vários continentes. Só a politização que foi feita em alguns momentos. Não me fazem de mim um cristão. Mas mantenho uma profunda admiração por quem ainda consegue viver a religião longe da politica efemera a que a historia nos habituou.

Em acta,

João Pedro Barbosa

Caidê disse...

João Pedro

Há História do Cristianismo, mas, creio que existem Cristianismos. Particularmente, encanta-me algo no sentido de uma teologia do oprimido.


ARETHA FRANKLIN
http://www.youtube.com/watch?v=KtBbyglq37E&feature=share

Manuel disse...

Caidê:

É, de facto, um pouco triste, mas nem tudo o que é triste é mau nem tudo o que é alegre é bom.
Mas cabe a cada um de nós escolher aquilo de que gosta.
Eu vou deixando de vez em quando umas musiquinhas sem ter a esperança nem a pretensão de que agradem a todos.
Cada um decidirá por si.

bea disse...

João Pedro

"Mas mantenho uma profunda admiração por quem ainda consegue viver a religião longe da politica efemera a que a historia nos habituou.

Em acta,"

Gostei :)

Caidé

Li apenas o primeiro, oferta de uma pessoa que me é importante. Talvez que leia os outros para o ano. Ou quem sabe compre algum nas férias. Obrigada pelas sugestões :)

Espero nesse dia que virá. Espero sempre. Ainda que morra na espera. Porque sempre morremos a esperar alguma coisa. E prefiro esperar essa mudança que esperar a descoberta da partícula que apelidam de deus. e encontro meio estupido. Vê-se à légua que é um ignaro batizmo.

Andorinha

tu às vezes és uma querida;) um doce de garota.

andorinha disse...

Bea,

Só às vezes?:((((((((((((((
Tento ser sempre, mas tenho os meus momentos de absoluta idiotice como toda a gente. Ainda hoje me penitencio por causa de um desses momentos.
Tu sabes...


Caidê,

Reformas? Não querias mais nada...:)))

Andreia disse...

Like ;)