quinta-feira, setembro 29, 2005

Ai Barcelona, Barcelona, que saudades:).

Novo Estatuto define Catalunha como "Nação" (Público).

Se pudesse, também votava:).

39 comentários:

Didas disse...

Isto fez-me lembrar aquela senhora gorda que berrava Barcelona com o Mercury! Ui! Até me arrepiei toda!

A Sagrada Família é linda!...

Maite disse...

Concordo Professor.
Barcelona é possuidora de uma cultura e um salero muito próprios.

Didas
Diria mesmo magnificente.
Espera-se que em 2026, aquando do centenário da morte de Gaudi, esteja fianlmente concluida :)

amok_she disse...

...ai esta juventude!:->

...e eu sou fâ acérrima de Freddie Mercury... eternamente!,mas...

...a "senhora gorda" é tão só uma das maiores vozes - soprano - da Ópera dos nossos tempos: Montserrat Caballé

...e qt a Gaudi...ah Gaudi q descobri um pouco melhor através dum conto do Prof!;-)...é o meu sonho adiado... Barcelona/Gaudi...um dia será...;-)

e. disse...

Barcelona, antes região autónoma, agora 'Nação' e comunidade vibrante, onde se entretêm as gentes que não se conformam com uma unidade linguística forçada e com uma Espanha integrada numa Europa que “é cada vez menos uma construção de povos e cada vez mais uma construção dum outro mundo de negócios. As pessoas assistem indiferentes a tudo o que vai acontecendo à sua volta e só reagem quando tocam no quotidiano das suas vidas.*

Mas permitam-me também que, de uma forma livre, observe Barcelona como um paradigma europeu da urbe-aberta, alargando a este caso um conceito de M. Ponty, quando refere as estruturas organizacionais urbanas que incentivam o homem a “dotar-se de civilização, mais do que de cultura, buscando formas de “investigação livre”, mais do que deixando-se enredar em “verdades adquiridas” (...) e evitando instalar-se no “saber absoluto” **

* Ferreira, J.Vicente - Europa: o pesadelo da globalização dos mercados in Expresso-Economia, 97/04/05, p 20

** Merleau-Ponty, Maurice - Elogio da Filosofia (1953) - Guimarães, 1993, pp 9-11

yulunga disse...

Barcelona!
Adoro! Adoro! Adoro de paixão.
Sem conhecer nem San Sebastian, nem Santander, se fosse obrigada a ir viver para Espanha e pudesse escolher, escolheria Barcelona.
Por tudo. Pela cidade em si, pela cultura, pelas pessoas. É um país dentro de outro.

lobices disse...

DECLARAÇÃO AO MARALHAL:
...
...por motivos estritamente privados não me tem sido possível "andar" pelos blogues (incluindo o meu próprio)
...humildemente peço desculpa pela ausência mas prometo que voltarei um dia destes...
abreijos

Julio Machado Vaz disse...

Lobices,
Falta justificada. MAS QUE NÂO SE REPITA:)))))))))).

fora-de-lei disse...

By the way... quando é que alguém resolve dar a independência à Madeira só para que os restantes portugueses se possam ver livres das alarvidades do Alberto João ?

amok_she disse...

...já ag...o tal conto era o «Fim-De-Semana Em Barcelona» do «Olhos Nos olhos - histórias de sexo e vida», (4ª)ed. D. Quixote, 2003 ...mas tb gostei da Rede:->

http://amok-she.blogspot.com/2004/10/
gaude-jlio-machado-vaz.html


:->

Lúcia disse...

Bom dia Murcons
Fora de lei

O "problema" é que na Madeira vota-se. E o homem está lá com a legitimidade do povo. E não é só por lá que há personalidades daquele gabarito nas quais o povo vota e aclama.
Motivos? Ora aí está uma conversa que nos iria levar dias e dias e

Barcelona... porque será que de repente algumas pessoas que conheço decidiram ir para barcelona nesta altura?
Às tantas é melhor tomar esse rumo...

yulunga disse...

Dr. Murcon
Ao contrário do Lobices, peço desculpa por fazer tantos comentários, mas motivos laborais (blharc) obrigam-me a tal.
:-)

amok_she disse...

eheheheh...e eu...por estar de férias e ñ poder ir p a praia!grrrrr...

(ñ caros machistas, ñ é por "isso", já ñ se usa ñ ir por "isso"!:->...é por ter hora marcada para assuntos relacionados com a frivolidade...humana!, sim q os machos tb. já "lá vão"!!!:->)

yulunga disse...

fora da lei
O Sr. João Jardim por vezes diz uma alarvidades é uma verdade.
Mas que tanto bate no partido dele como no dos outros e que diz o que bem lhe apetece também não deixa de ser outra verdade.
Acho-o uma figura, que quer se goste ou não, não passa indiferente a ninguém.
Acho um piadão à expressão: os cubanos lá do contenente.

Rataplan disse...

Caros Murcons,

O grande chefe está com saudades! Bora lá marcar o próximo jantar em Barcelona! Temos que ser uns para os outros. ))))))

amok_she disse...

hummmm...Barcelona, é????;-))) ..hummmm...se fôr em Barcelona até sou capaz de quebrar as minhas próprias regras...:->

Ameninadalua disse...

Rataplan

Excelente ideia!.. alem do grande chefe quem não tem saudades daquela cidade absolutamente linda...depois de a ter conhecido.

Mesmo sem o estatuto de Nação da Catalúnia, Barcelona sempre teve um ambiente próprio das cidades que pretencem ao mundo e não necessáriamente apenas a um determinado país. Pelas diversidades arquitéctónicas, pela beleza natural mas principalmente pelo palpitar de vida das gentes que lá moram ou que por lá passam.

yulunga disse...

rataplan
Por mim haja algum dinheiro e algum tempo vou jantar a qualquer lado.
Fazer uma visita ao Porty, também está nos nossos (meus e do Noisie) planos. Que te parece?

Cá nestas coisas a minha máxima é:
"Good girls go to heaven, bad girls go to everywhere" *

* Autor/a desconhecido

fb disse...

Boa tarde pessoal,

Falando de Barcelona,desse génio Guadi, anos luz á frente, só quem realmente já pôde observar ao vivo as suas obras, percebe sem perceber, como é possivel materializar o futuro. Lembram-se de uma das suas casas? para a época aqueles interiores (já n falando do aspecto exterior, inexplicável proeza de criatividade) fazem reflectir como alguns seres humanos, nascem dotados duma sabedoria ainda não inventada.Talvez por tudo isto aquela cidade encante.....

Amok_she

Uma coisa em comum "Freddie Mercury" the BEST, inagualável, por favor não tentem imitar, o espólio que deixou chega-nos para nunca deixar de ser ouvido, como se cada tema tivesse sido escrito no dia anterior.

yulunga disse...

Miró não merece nem um elogio?

fb disse...

yulunga,

Claro que sim, até tenho uma réplica de um dos "seus" quadros, mas temos sempre as n/ preferências..............

Anónimo disse...

Yulunga,

Cá para mim o céu já está ganho!
Mas continuo a achar que não podemos deixar o chefe neste estado tão luso.))))

Rataplan disse...

O comentário anterior é meu!

amok_she disse...

yulunga disse...
(...)Cá nestas coisas a minha máxima é:
"Good girls go to heaven, bad girls go to everywhere" *

* Autor/a desconhecido

2:07 PM


...desconhecido uma ova!...ñ estudas as lições do faz_barulho e depois é o q dá!;-)))...pesquisa, rapariga!, pesquisa...q te cultivas!:->

Good Girls Go To Heaven - Bad Girls Go To Everywhere
Modern Talking


Good girls go to heaven
Good girls go to heaven
Maybe when the night will fall
Baby, loneliness will call
Oh, call me, please call me
Oh your dreams will never lie
Just behind a painted smile
Just call me, please call me
I try
With you will the rainbow dry
My heart is still alive
I have a rainbow in my eyes

Good girls go to heaven
Bad girls go everywhere
Good girls go to heaven
Bad girls are here and there
Just come feel my love inside
Call me when you're sad
There's no love to hide
What you see is what you get
Tonight

Oh I make your dreams come true
For a tango it takes two
Oh call me, please call me
I'm a prisoner of your heart
007 in the dark
Just call me, please call me
A man, a child, oh in my eyes
I'm hating all these lies
A rainbow is still alive

http://modern-talking.
letras.terra.com.br/letras/168935/

Julio Machado Vaz disse...

Ramblas here we come:)))))).
Porty, o som do Murcon foi-se:(

yulunga disse...

fb
A sensação que tenho da obra de Gaudi, e que apesar de toda a cidade estar "minada" (sem sentido pejorativo pois gosto imenso dele) com o seu trabalho, parece que este se dilui com o dos outros artistas. São obras visualmente pouco humildes, mas são a partilhar por todos.
Isto é o que me transmite a obra dele.
Por isso acho que quando se fala dele é quase obrigatório falar dos outros também.

fora-de-lei disse...

yulunga 1:44 PM

"O Sr. João Jardim diz o que bem lhe apetece..."

É verdade. Mas o que eu acho de mais estranho no meio de tudo isto, é que toda a gente se encolha perante certas bacoradas do Alberto João. Inclusivé, o Presidente da República.

Bem... a não ser que a atitude de quem o deveria pôr em sentido, mas não o faz, se pauta pelo tal ditado que diz mais ou menos isto: "nunca discutas com um idiota porque nesse campo ele tem, por certo, mais experiência do que tu".

Mas custa-me a crer que seja só por isso...

fb disse...

Preencham:

Fly nº:.........
Time:...........
To: BARCELONA

Only for us, the blog "O som do Murcon"

fora-de-lei disse...

Um pouco de história, mas só para quem tiver paciência... ;-))

Origen de les institucions polítiques catalanes

La configuració actual del poder polític a Catalunya es defineix bàsicament en el seu Estatut d'autonomia de 1979 i en les institucions polítiques de la Generalitat de Catalunya.

A diferència de les altres institucions autonòmiques de l'Estat espanyol, la Generalitat de Catalunya no va ser creada després de la nova Constitució espanyola de 1978, sinó que va ser "restablerta" l'any 1977, abans de la promulgació de la Constitució. Va ser restablerta perquè la Generalitat de Catalunya no sols ja havia existit en l'Espanya democràtica del temps de la Segona República (1931-1939), sinó que amb aquest nom s'ha designat, des de fa gairebé set-cents anys, l'organisme executiu creat per les Corts generals de la Confederació de la corona catalanoaragonesa (s. XIV-XV).

Les arrels de Catalunya com a poble amb una unitat de territori i de govern s'endinsen en la llunyania dels segles de l'edat mitjana.

L'emancipació progressiva dels comtes catalans dels segles X i XI respecte als reis francs; la conquesta de nous territoris als sarraïns i el seu repoblament consegüent amb gent de parla catalana, i la supremacia del comtat de Barcelona (Ramon Berenguer III i Ramon Berenguer IV), van ser determinants en el llarg procés d'unificació del territori, de creació de la capitalitat de Barcelona, de consolidació de la unitat de govern dels comtats catalans i d'implantació de la llengua pròpia del país. Els caps de la Casa de Barcelona regirien els catalans durants cinc segles llargs.

La nació catalana ha tingut al llarg dels segles les institucions polítiques i les formes de govern pròpies de cada època, amb un grau de sobirania també divers. Aquestes institucions han estat, en certs períodes de la seva història, les pròpies d'un estat sobirà, i en d'altres més recents l'expressió d'un poder compartit amb el poder central de l'Estat espanyol.

Amb el matrimoni de Ramon Berenguer IV amb Peronella d'Aragó (1137) nasqué el regne de Catalunya-Aragó, que a més d'aquests territoris i els de Provença i el Rosselló incorporà successivament les illes Balears, València, Sicília, Còrsega, Sardenya i Nàpols i arribà fins a Atenes i Neopàtria.

La progressiva cohesió del territori i del govern de la Catalunya d'aquella època per la força dels fets culminà amb una realitat de dret: en virtut del Tractat de Corbeil (1258) entre Jaume I el Conqueridor i Lluís IX (Sant Lluís de França), el primer signava la pèrdua dels seus dominis ultrapirinencs (llevat de Montpeller i el Rosselló) i el rei de França, com a successor dels reis carolingis, renunciava als seus drets sobre els comtats catalans de Barcelona, Urgell, Besalú, Rosselló, Empúries, Cerdanya, Conflent, Girona i Osona. Catalunya perdia territoris, però guanyava la indepèndencia de dret. La independència de fet se situa en l'any 989.

La dinastia autòctona catalanoaragonesa s'extingí al començament del segle XV. El tron passà successivament a dinasties d'origen castellà (els Trastàmara), austríac (els Habsburg) i francès (els Borbó). Però els països de la confederació catalanoaragonesa disposaven des del segle XIV d'un organisme políticoadministratiu sorgit de les Corts Reials, la Generalitat, que esdesvindria una institució de govern. Aquesta institució, amb els seus alts i baixos al llarg de la història, és el precedent de les actuals institucions polítiques catalanes.

És veritat que l'exercici del poder en l'època medieval poc té a veure amb la separació de poders dels estats moderns de dret democràtic. Però és simptomàtic que l'única institució d'autogovern que al llarg dels segles ha expressat el poder polític a Catalunya i ha perdurat fins als nostres dies és la Generalitat.

L'exercici dels drets i les llibertats d'aquest poble i la vigència de les seves institucions han estat interrompudes contra la seva voluntat en llargs períodes de la seva història. Però Catalunya s'ha recuperat tard o d'hora, sobretot quan en els moments decisius els seus ciutadans han donat prova de la seva unitat a l'entorn de les institucions polítiques pròpies.

Per això quan a l'Espanya contemporània s'ha recuperat la democràcia, amb un cert reconeixement del dret dels pobles, la Generalitat ha sorgit de nou immediatament després del canvi de règim i abans que s'iniciés el període constituent. Així succeí l'any 1931 i també l'any 1977, com es veurà més endavant. Abans, però, cal retornar als orígens de la institució.”


Generalitat de Catalunya

fb disse...

yulunga,

O destaque que dei a Gaudi, não quer de alguma forma ofuscar, minimizar, todos os outros, só transmiti de forma exuberante, aquilo que senti. E como na realidade a obra é impare, talvez daí uma imagem mais forte na minha retina.

Manolo Heredia disse...

fora-de-l,
não percebes porque não viste o Matrix I.
Vivemos num Mundo Virtual, pairando sobre o oculto e obscuro Mundo Real, aonde se compram cadeias de jornais, cadeias de televisão, empresas de marketing, para cozinhar a Democracia (mundo virtual), aonde nada é o que parece. Tudo para poder lavar dinheiro sujo, dominar os mais fracos, etc.
Quem mijar fora do penico é esmagado! Até o PR, se cometer a loucura de denunciar!
O Alberto é uma peça gasta de tanto colaborar com o Mundo Real. Tão gasta que já "bate válvulas" e deixa sair umas dicas para o Mundo Virtual.

yulunga disse...

fora da lei
Sobre o porque de até o PR admitir determinadas coisas ao Sr. João Jardim não faço a menor ideia. Vejo a politica de forma muito infantil, vejo o obvio e com palas nos olhos.
Estofo e capacidade para falar desses meandros não tenho.
Daí opto pela do idiota.

Gerûndio disse...

Yulunga disse:"vejo o obvio"
E como também alguém já disse: "em política o que parece é"
Não acho que isso seja muito infantil

CrazyJo disse...

Boa tarde, Professor!

... e aos presentes também!!!

Por uma vez que fosse, adorava ver um "post" seu, escrito e afixado em Espanha, no qual "gritasse":

"- Ai, Porto, Porto! Que saudades!..."

Lanço-lhe este desafio! Porque não?...

J. (The Crazy-One)

Didas disse...

Juventude deve ser comigo :) Que preconceito Amok! Devo ser mais velha que a menina, sei perfeitamente quem é a Monserrat. Só me reservo o direito de não gostar destas campanhas de marketing para tornar bimbo o que nunca o deveria ser.
Beijinhos

Ah! E Gaudi já conheço e aprecio desde miúda...

amok_she disse...

Didas disse...
Ah! E Gaudi já conheço e aprecio desde miúda...
2:27 PM


...pronto, rica, concedo-lhe!...a menina nasceu em berço de ouro e eu...num de latão!...tenhamos calma q ñ vem daí mal ao mundo!:->

[mas...bimbices à parte...a senhora, apesar de gorda...tem nome, ñ tem!?...a menina pode conhecer Gaudi desde a mais tenra infância, mas...perdeu algum do cházinho q tomou pelo caminho...:->]

Didas disse...

Chazinho não leva acento.

Roberto Iza Valdes disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Roberto Iza Valdes disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Roberto Iza Valdes disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.