terça-feira, setembro 20, 2005

O risco dos riscos.

Programa na televisão espanhola. Tudo em pânico. Idade média do primeiro coito: 12 anos nas raparigas, 17 nos rapazes. O risco das gravidezes indesejadas e das doenças sexualmente transmissíveis. A identificação dos factores de risco. Estratégias para lhes diminuir a influência. Não poderia estar mais de acordo, embora não tenha ouvido nada de novo. Mas esta visão "preventiva" do discurso sobre a sexualidade é tristemente redutora. O medo, a pressa e a visão parcelar escamoteiam outras vertentes da sexualidade. Não admira que depois os adolescentes se queixem da forma como o tema lhes é apresentado: como se fossem faunos pelas esquinas e sem uma palavra sobre a descoberta do prazer. Só o "dark side of sex" toca neste gira-discos.
Assim não vamos lá:(.

128 comentários:

Juca disse...

Oh Professor,


Então se aqui entre as hostes já Ram e avulso maralhal pintou a manta quando se falou que 35% das miúdas americanas

tinham sexo antes dos 15!

Jorge disse...

Oh meu caro Juca, então não leu lá atrás? Falou-se de ser gay e toda a gente de forma "politicamente correcta" disse que "se ele é gay é lá com ele" automaticamente sem sequer tentar perceber do que especificamente se estava a falar? Este blog é um espelho do país, sem tirar nem pôr! Alinha-se pela maioria e dá-se o piedoso retoque de "isto é muito importante" ao sabor da corrente

Jorge Gonçalves

Julio Machado Vaz disse...

Vejo que os ânimos estão um pouco exaltados:). Não é a primeira vez, não será a última.

Jorge disse...

Já estou a prever o que será esta caixa de comentários nas próximas horas. "A importÂncia da dimensão emocional", "o fim da moral" (alguém vai passar para a caixa algum texto qq numa língua qq de um filósofo qq com que se cruzou numa busca qualquer), "são como animais"...

Eu pessoalmente vou pela via das sensações. Procure-se sentir, entre pessoas que se tenham como iguais e não como pessoas cheias de fantasias sobre "como deve ser". Tive a minha primeira exp sexual muito cedo e só ganhei com isso. Na idade em que começava a lidar com as questões do prazer ainda andava colegas avulsos a lidarem em como "fazer" aquilo, com muita dor à mistura. Aliás, os meus colegas ainda hoje casados com a primeira mulher são aqueles mais incapazes de dar prazer seja a quem fôr, e elas, são apenas um utensílio doméstico avançado, prazer para elas é uma vez por ano passarem um fds num hotel de 4ª categoria! Pff!!!

Sim, pq para mim sexo e qualidade de vida estão ligados. Não acredito que alguém se preocupe com o prazer de outra pessoa constantemente e depois no dia-a-dia não tenha a mesma atenção com essa pessoa!

Professor, e nem nos pagam nem nada para "exaltar" os ânimos... e que é feito do Noiseformind? Tá a ficar tb com ares de "Murcon" e temos de orar de joelhos por ele? É que tenho um problema na rótula que me dificulta a jenuflexão:)

Myu disse...

qq dia, já não se pode acusar ninguém de pedofilia sequer.. a tendência é piorar.. o q fazer?? a mãe natureza nestes casos costuma ser bastante eficaz.. o começo da selecção natural novamente.. em último caso, as doenças espalham-se de tal forma q todos ficamos infectados e a humanidade acaba.. portanto, não há nada a temer.. :/

Mário Santos disse...

En também acho que insistir só no "dark side" é muito pobre. Mas quando o "bright side" se resume à vertigem do sensorial já não temos mais nada para oferecer e resta apenas o pânico da prevenção.

Ó Jorge, essas generalizações são perigosas. Eu casei com a primeira mulher e garanto-te que não é uma vez por ano (e nunca num hotel de 4ª categoria, xiça!). Por outro lado, conheço muita gente que começou cedo e caiu no erro que falas (e conheço quem não o tenha feito).

Felizmente nós somos bem complexos e a capacidade de termos prazer não se resume ao sensorial que, embora indispensável e fabuloso, não chega, pelo menos a mim não me chega. Embora, enfim, mesmo no capítulo do sensorial ainda temos muito por explorar. Então nós homens, que parece que a única coisa que temos com capacidade de sentir alguma coisa é o pénis!

Fora-de-Lei disse...

Antes do 25/4, era Fado, Futebol e Fátima. Entretanto, noutras paragens, as formas de entorpecimento já eram necessariamente mais evoluídas.

Nos entrementes, o Bilderberg (e outras "confrarias") aprendeu com tudo isso, refinou a estratégia e - uma vez com esta já devidamente operacionalizada - eis-nos então a caminho de...

Imparável !

Jorge disse...

Mario, quando temos generalizações na outra ponta como a da myu, a minha peca por difamatoriamente inocente;)
E concordo consigo, o pénis é apenas mais um ferramenta do verdadeiro canivete sexual em que podemos transformar os nossos corpos. E se começarmos aos 12 aos 20 já temos mais "bagagem", não tenho nada contra.
Eu pessoalmente comecei a, peço desculpa pela palavra, esgalhar aos 12 e tive o meu primeiro vislumbre aos 16. O meu avô é que era um homem ajuizado, levou-me a uma casa de meninas que havia ali na Praça da República e durante uma tarde inteira tive o curso básico. Mas só muito muito muito recentemente é que me cruzei com uma mulher que tivesse realmente opinião sobre si própria e me guiasse em relação ao seu prazer. Regra geral antes dela tentava fazer as coisas o melhor possível para elas mas a maior parte pedia-me para parar quando sentia aqueles tremores antes do orgasmo. Dizia-lhes que o melhor ainda aí vinha, não me deixavam continuar, caraças, um gajo não obriga ninguém. Quanto à minha primeira mulher, era um fabuloso saco de batatas que se limitava a ficar parada na cama e dizia "ja meti o creme de rosto, tem cuidado". Ora esta abordagem não dá grande embalo a um homem para fazer novas descobertas, ou dá??? Diga quem sabe da poda

Anónimo disse...

Canivete sexual?
Quando até escuteiros começam a falar de sexo a coisa promete...

Sergio Figueiredo disse...

Ainda ninguém se lembrou de que os inquéritos podem, muito provavelmente, ser viciados. Porque se aparecer a questão da praxe " a que idade praticou pela primera vez o coito ", a maioría das pessoas vai, ainda e infelizmente, sentir-se inibida na resposta! O mal é esse...a informação tanto pode ser verdadeira como aldrabada.

Não quero com isto, no entanto, parecer uma "bota de elástico" (com 20 anos eheheh)

Rataplan disse...

Jorge,

"Mas só muito muito muito recentemente é que me cruzei com uma mulher que tivesse realmente opinião sobre si própria e me guiasse em relação ao seu prazer."

E haverá muitos homens que se deixem guiar?

RAM disse...

Caro Juca,


Eu "não pintei a manta".
Limitei-me a referir um estudo publicado nos Estados Unidos, que abordava a questão do sexo oral entre adolescentes.

Pamina disse...

Boa noite,

Não acho, obviamente, que haja uma idade certa para ter a primeira relação sexual. Isso depende da maturidade de cada jovem. Os 12 ou 13 anos de uns podem equivaler aos 15 ou 16 de outros. O que me parece importante é o seguinte:

1.Que o/a jovem tenha essa relação por realmente o desejar e não devido a pressões exteriores. (Nem sempre é fácil, pois fazer parte do grupo é muito importante).

2.Que o/a jovem seja devidamente informado sobre vários pontos relacionados com a sexualidade, desde métodos contraceptivos até ao perigo das doenças sexualmente transmissíveis, passando,como refere o post, por aspectos relativos ao prazer, seu e do outro, E que esta informação lhe tenha sido transmitida de um modo ao qual, à falta de melhor palavra, chamarei "humano" (=embora prático qb., não puramente tecnicista).

Esta é a minha opinião.
Durmam bem.

e. disse...

Sobre o tema aqui vão umas palavras avulsas de que descarto qualquer responsabilidade:

“Naquele tempo havia gigantes na terra, e também depois, quando os filhos de Deus se uniram às filhas dos homens e delas tiveram filhos. Foram esses os famosos heróis dos tempos remotos.”
Génesis, 6,4

Tangas disse...

mas... santa abacate! saí daqui, fui de férias e voltei e dou de cara com o mesmo: tudo a falar sobre sexo...
não querem lá ver que não sabem falar sobre outra coisa?
o senhor júlio machado vaz diz bifinhos strogonnoff e lá desanda tudo a recitar as qualidades afrodisíacas do molho e da molhada; o professor sobe a um banco e recita uma peça de poesia e pronto, lá vai tudo debater o sexo dos anjos; se é futebol, vão das pernas depiladas dos jogadores às chuteiras largadas pela sala juntamente com outros detritos anunciantes de uma noitada de amor às carradas...
jasus! deusmalivre!
ó senhor professor júlio: eu cá desconfio que a si o tomam por sex-symbol ou lá o que é o role-model dos sexualmente aflitos ou desafligidos.
dê-me lá a receita de ficar assim, à cabeceira da mesa, a ver os discípulos desdobrarem-se em evangelhos de opiniões, se faz favor...

gonçalo disse...

Prof JMV,

Apresentar a sexualidade aos adolescentes como um risco é uma visão completamente neurótica que induz o medo e a culpa. Seria bom que se falasse no afecto sexual e na necessidade de o desenvolver, sem castrações. Talvez seja esta a base de tudo o resto.

e. disse...

Pamina

Os gigantes remotos que nasceram ensinados e a quem nada terá sido transmitido do modo que hoje consideramos humano, fizeram-se à estrada e procriaram à farta.

Trata-se disso hoje? De cumprir instintos?

Acho que se trata de cumprir modas.

manolita disse...

Quiero hacer un aparte especial para agradecer al niño del e. (uno de los rostros desconocidos) por atreverse a seguir la historia más disparatada y divertida que he podido escribir hasta ahora. El Genesis? je, je, je. Me ha salvado de serios ataques de aburrimiento. Gracias mil. Pero, ya está bueno ya… no puedes apropiarte de este espacio. Recuerda que en el header del blog dice: MURCON... nadie ha dicho que lo uses ni que seas columnista…

Lusco_Fusco disse...

Jorge
"...toda a gente de forma "politicamente correcta" disse que "se ele é gay é lá com ele" automaticamente sem sequer tentar perceber do que especificamente se estava a falar? Este blog é um espelho do país, sem tirar nem pôr! Alinha-se pela maioria e dá-se o piedoso retoque de "isto é muito importante" ao sabor da corrente"
Confesse que teve preguiça de ler o estava escrito antes... Confesse.
Não lhe digo para ajoelhar, os seus débeis joelhos não aguentariam :o)
Fique bem.
P.S.Resposta ao post de hoje darei amanhã, é tema que dá que pensar, sendo eu como sou :o)

andorinha disse...

Estou de acordo com as opiniões expressas pela Pamina e pelo Gonçalo.
Falar-se apenas dos riscos e não se mencionar os afectos e o prazer é extremamente empobrecedor.

e.

Desculpa meter-me na conversa com a Pamina.:)
Porquê cumprir modas?
Para alguns poderá ser, mas penso que esses serão uma minoria.

e. disse...

Andorinha

Para alguns poderá ser e não penso que esses sejam uma minoria.

Nota: Estamos a falar do universo que JMV refere no seu post.

e. disse...

Y gracias a manolita

que me da la oportunidad de sacar a Murcon para reirme de mí misma

yulunga disse...

Good morning maralhal.

PortoCroft disse...

Caro Prof. m8, (10:37 PM)
Assim é que é giro. Hajam paredes. ;))))

Ida média das raparigas 12 e dos rapazes (em Espanha) 17 anos?

Isso é um povo do terceiro mundo. Aos 13 já eu tinha cartão de sócio das mais prestigiadas casas de passe de Lisboa. ;)

Rataplan, (11:45 PM)
O meu reino por uma (boa) guia. ;)))

yulunga disse...

12 anos para a primeira relação sexual das meninas? É que nem pensar. Não estão preparadas. Nem fisicamente nem mentalmente. E que venha de lá o maior especialista no assunto a dizer que cada caso é um caso. Eu bato o pé e digo que não e não e não.
Nem mesmo para aquelas que por falências familiares começaram a ser senhoras muito cedo, a tratar da casa, dos irmãos, do cão e do gato. Isso são factores externos que obrigaram a tal.
A sexualidade não, é um ciclo interno e natural (penso eu de que).

yulunga disse...

Porty
Pois eu com 13 anos já tinha cartão de sócia dos Bombeiros dos Estoris e apenas para me começar a dar algum ar de gente grande.
Tirando isso estava na fase de já ter arrumado as bonecas (apesar de arrumadas ainda não me tinha desfazido delas) e de ter começado a dos olhares e dos beijinhos.
Tudo a seu tempo. E cada pedaço de tempo com a devida quantidade de tempo que lhe deve ser dedicada.

fora-de-lei disse...

PortoCroft 9:15 AM

"Isso é um povo do terceiro mundo. Aos 13 já eu tinha cartão de sócio das mais prestigiadas casas de passe de Lisboa."

E com essa idade já eu tinha "dois táxis na praça". Aliás, um deles até era bastante utilizado por ti. De vez em quando, e dado seres um bom cliente, até tinhas direito a umas voltinhas de borla e tudo... Remember ?

PortoCroft disse...

Minha Patanisca linda,

Também tiveste um bom princípio. Meritório, pelo menos.

O jeito que deves ter dado a desenrolar as mangueiras. ;))))))))

yulunga disse...

Felizmente que a minha virgindade "perdi-a" quando me achei preparada, quando achei que estava na altura. Felizmente porque assim o quis e não porque as colegas já o tinham feito.
Talvez uma das poucas tomadas de decisão das quais tenho o maior orgulho.

yulunga disse...

Porty
Não venhas com conversas de mangueiras levada para a malandrice. Foi apenas para competir com o teu.

PortoCroft disse...

Minha Patanisca linda,

Não foi Impulse, nem nada? ;)))))

Perdios3 disse...

Abençoada menina Yulunga.

Deve ter feito muito felizes os membros dessa meritória corporação.

Aliás, quero pedir licença ao Dr. Murcon para me dirigir a todos as Corporações de Bombeiros, Marinha de Guerra, GNR e, sobretudo ao Regimento de Cavalaria de Lisboa:

Se alguém mos encontrar, ficarei eternamente grata.

Perdios3 disse...

Abençoada menina Yulunga.

Deve ter feito muito felizes os membros dessa meritória corporação.

Aliás, quero pedir licença ao Dr. Murcon para me dirigir a todos as Corporações de Bombeiros, Marinha de Guerra, GNR e, sobretudo ao Regimento de Cavalaria de Lisboa:

Se alguém mos encontrar, ficarei eternamente grata.

yulunga disse...

perdios3
Qualquer cidadão que se preze ajuda os bombeiros da sua zona.

Perdi os 3 disse...

Abençoada menina Yulunga.

Deve ter feito muito felizes os membros dessa meritória corporação.

Aliás, quero pedir licença ao Dr. Murcon para me dirigir a todos as Corporações de Bombeiros, Marinha de Guerra, GNR e, sobretudo ao Regimento de Cavalaria de Lisboa:

Se alguém mos encontrar, ficarei eternamente grata.

(Credo! Não me aparecia a foto. Como seria possível o pessoal me reconhecer nas paradas?)

Perdi os 3 disse...

E eu ajudei e muito menina yulunga. Quanto mais não seja a manter a moral elevada.

yulunga disse...

perdi os 3
Se nesta história existe alguma mulher abençoada é sem duvida a senhora minha mãe, que nunca se escusou a falar de sexualidade comigo.
Não entendo como, hoje em dia, mães de crianças com 12 anos e que andarão certamente na casa dos 30 não falem ainda mais abertamente desses assuntos com os filhos.
Claro, eles que vão à net, está lá tudo!

fora-de-lei disse...

yulunga 9:27 AM

"Pois eu com 13 anos já tinha cartão de sócia dos Bombeiros dos Estoris..."

Nunca percebi muito bem essa dos "Estoris"... É uma espécie de palavra no plural, porque inclui S.Pedro, S.João e Monte, para além do Estoril, propriamente dito ? Será isso ?

Perdi os 3 disse...

Abençoada mãe, menina Yulunga.

Já a minha nunca sequer me ensinou a diferença entre um corneto e um perna de pau.

yulunga disse...

fora da lei
Julgo que sim :-)

Perdi os 3
Talvez a Olá não tenha tido nessa altura um papel activo na formação dos jovens.

Mas voltando à net e aos tempos actuais.
Parece-me que hoje a sexualidade/sexo é dada a conhecer aos jovens ou por outros "experientes" jovens ou pela net. Fisicamente a aula está dada! Afectivamente falta tudo

Perdi os 3 disse...

Abençoada menina Yulunga.

Credo! Nem podia. Aquilo derrete-se.

noiseformind disse...

Oh, lembro-me de tanto adolescente sentado À minha frente por indicação paterna:

-Ela voi violada por um colega de escola e não quer aceitar, anda num mundo de fantasia em que cisma que aquilo foi bom.

E depois via-se que foi mesmo bom por todos os padrões analíticos possíveis e tinha era de se conversar com os progenitores para os levar a aceitar a ideia que aquela menina de 13 anos já se sentia tão à vontade no coito como peixe na água e mais: Pela satisfação que obtinha nele não estava disposta a abdicar dele fosse através de que castigo paternal fosse (mesmo através de contacto homossexual)

A percepção que temos do sexo é totalmente oposta da realidade que temos do sexo e essa percepção tem tendência a tornar-se deficitária com a idade. Para pessoas com 20 anos é muito mais aceitável a actividade sexual em jovens de 12 anos do que para pessoas de 50, a distância em relação ao evento aplaina elementos activo e substitui-os por elementos moralizantes. Num país com 70% das mulheres a nunca terem tido um orgasmo que seja em toda a sua vida sexual "aciva" (mormente de saco de batatas como o Jorge mencionou) não me parece que haja grande diferença em começar as hostilidades mais cedo. Pq a questão essencial das sensações começa com uma correspondência, ou seja, o desejo de dar expressão física a um impulso e a uma sensação e nisso não me parece que, salvos honrosas excepções a malta aqui no feudo esteja com power de. Além disso, gostava de salientar que as taxas de primeira ez por insistência são elevadíssimas portanto prefigura-se como preferível que a pessoa esteja numa fase pós-influenciável de forma a ter uma atitude mais pró-activa em relação ao parceiro ou à parceira.

MAs atenção, isto é um problema indógeno de um país de terceiro mundo em termos de sexualidade como o é Portugal. E algumas coisas estão a mudar. Dou o exemplo das T-parties, mais e mais comuns (ao ponto de aqui o cota já ter sido convidado para algumas), em que um grupo de adolescentes, normalmente da mesma escola e até da mesma turma se juntam para explorar o corpo. Não há dados lançados nem medidas do que deve ser feito. Masturbação, sexo, massagem do corpo, interacção com objectos (E até alimentos) acontecem num ambiente em que os genitais não tomam todo o palco da intimidade. Estas festas para mim são estruturalmente positivas pois em primeiro lugar acontecem dentro do circulo de confiança do teen, não acontecem situações de abuso ou de insistência descontrolada, temos miúdos em dupla penetração num quarto e na cozinha temos miúdos a tocarem descontraidamente o corpo. Esta ideia de "tudo vale" cria sem dúvida, quanto a mim, um espaço realmente pro-activo de sexualidade, em que ela pode ser falada entre rapazes e raparigas de igual para igual pois é construída de igual para igual.

Conversávamos em Colónia o ano passado e Greggor Matsson dizia que a experiência sexual grupal tinha uma grande importÂncia na construção da sexualidade afirmativa feminina na Finlândia. A proximidade geográfica tremenda entre famílias permitia que a partilha de informação entre jovens separados por poucos anos fosse pratica comum. Além de uma mais desenvoltura com o papel da mulher no acto sexual, concebido em termos de muito maior actividade, o que levava os próprios homens a evitarem mulheres muito novas precisamente por esse elemento erótico ter entrado na "cadeia de valor" da sexualidade finlandesa.

Ora para mim isto é muito importante, pois verifico que adolescentes com bases assentes em experiÊncias de grupo ou pelo menos espacialmente assentes (por exemplo, vários casais a curtir na mesma sala) apresentam valores maiores de informação recorrente e construída relativamente ao prazer. Simples, tÊm amis referenciais do que os adolescentes que se baseiam em informação livresca e não-funcional. Reparem na pornografia sem ser de laboratório. Em praticamente 80% dos actos sexuais dos filmes pornográficos a mulher és estimulada de forma não genital portanto não vejo realmente nada de problemático em usá-los como fonte de informação, dado que a rapariga vai ver uam rapariga a ser beijada e estimulada de 5 ou 6 formas diferentes antes do coito e ainda por cima a ser penetrada por bastante mais tempo do que o coito médio luso.

;)

Portanto:

Com pornografia
E experiências grupais
Os nossos pré-teens e teens
Só têm a ganhar em termos de qualidade e preparação para a actividade sexual
E irá certamente despertá-los
Para a complexidade do acto
Que irá, a longo prazo
Elevar a idade do primeiro acto coital
Baixando porém a idade da primeira actividade activa sexual ; )


E tenho dito... ora maralhemos ; )

fora-de-lei disse...

"Programa na televisão espanhola. Tudo em pânico. Idade média do primeiro coito: 12 anos nas raparigas, 17 nos rapazes."

O meu sentido prático das coisas, leva-me - no momento - a raciocinar de uma forma que não tem muito a ver com os "efeitos colaterais" de uma perspectiva perversamente redutora sobre a vida sexual (a tal visão exclusiva do dark side of sex). De facto, o meu presente raciocínio tem mais a ver com a realidade da vida, principalmente com o dia-a-dia das famílias.

Sendo uma realidade que as miúdas a começam aos 12 e os miúdos aos 17, começo a dar razão àqueles pais e mães que dizem que "isto agora não é como antigamente, em que os pais tinham que ter cuidado - acima de tudo - com as filhas. Agora é exactamente ao contrário... se for preciso, são elas que lhes saltam para a cueca".

"Esteiros", de Soeiro Pereira Gomes, é um livro que este escritor neo-realista dedicou às "crianças que nunca foram crianças" porque, desde muito cedo, tinham que começar a dar no duro para poderem sobreviver. Era a miséria, em toda a sua extensão, mesmo às portas da capital do império... E hoje, como é ? Que mundo é este em que vivemos, onde há crianças que nunca serão crianças porque - quando era suposto ainda brincarem com bonecas ou jogarem à bola - dão início à sua vida sexual.

yulunga disse...

Noisie
Achas mesmo (acharás com certeza, mas mesmo assim pergunto)que é natural uma miuda de 13 anos iniciar a sua vida sexula a partir dessa idade? E tirar partido a 100%? O corpo está completamente formado para tal? A cabeça também? Ou as pressões exteriores, o que deve ser porque deve ser têm muito mais influência?
Se bem que nem se compare já tive várias cadelas e não me lembro de nenhuma ter tido o seu primeiro cio com 2 meses de idade.
Se calhar a natureza tem que ser forçada, porque o progresso deve ser em todos os campos.

fora-de-lei disse...

noiseformind 11:19 AM

"... que irá, a longo prazo, elevar a idade do primeiro acto coital, baixando porém a idade da primeira actividade activa sexual."

Pois é. Um melro de 15 dias já engole uma cereja; se fizermos com que ele a engula aos 8 dias, tanto melhor... Fuckin' hell !!!

fb disse...

Bom dia Pessoal,
Depois de ter lido atentamente o que cada um e todos ditaram de "sua justiça"sobre o tema, "quando", não resisti e vou deixar aqui algumas palavras. Está claro e transparente, que homems e mulheres, até á eternidade, jamais irão partilhar e comungar dos valores do sexo dos sentimentos e do prazer.Que me desculpe o "Jorge" mas caramba ele chegou aqui vindo de alguma máquina do tempo (milénios atrás)? e agarrou com as 2 mãos o conceito machista e viril, se não for cedo, não vou ser competente, mas esta competência, só refere execução, não sentimentos, lamento!Pensei que as mentes já estariam mais á frente!

António Pedro Ribeiro disse...

Sem dúvida. Devo dizer, entretanto, que fiquei surpreendido com o facto de as raparigas iniciarem mais cedo a vida sexual. Ainda haverá por aí quem vá na cantiga de que as raparigas pensam mais nos sentimentos, querem menos sexo peuro e duro, etc? Sempre achei isso uma variante deprimentemente falsa de um feminismo ao contrário.

noiseformind disse...

Yullie,
E os tais 70% de mulheres sem orgasmo estão a tirar 100% de alguma coisa? E os 30% de mulheres que aos 50 anos não tiveram actividade sexual nos últimos 6 meses estão? Tás a confundir sexualidade com intimidade e com orgasmicidade. Aliás, qualquer conversa em que se fale desses "100% de tirar partido" está ferida de irracionalidade logo À partida pq a sexualidade não é nunca 100%. Mesmo eu que determino em termos pessoais que o fim do acto sexual chega "no ponto de exaustão sexual da mulher" não chego aos 100% pq posso simplesmente não estar a encaixar a minha definição na de outra pessoa portanto chegas tu aos 100%? Fazes sexo todos os dias? Ou todos os dias satisfazes o teu impulso sexual? Tás a ver os erros de base dessa discussão? A natureza não é forçada quando as pessoas vivem a sua sexualidade DENTRO das suas possibilidades. Lembro-me que aos 9 não andava aí a fazer sexo com as miúdas de 9, mas aos 11 já era muito comum ter masturbação mútua com outras miúdas de 11. Natureza má que nos dava erecção e orgasmo com 11 anos mas não nos dava nas meninas uma vagina suficientemente lubrificada para o acto em si (que nunca pratiquei até aos 13). O problema fundamental é de adequarmos a libido do sujeito ás possibilidades anatómicas da sua idade. Se estámos numa sociedade super-charged de imagens sexuais e se isso resulta da grande frustração sexual dos seus adultos que procuram parceiros sem procurar SATISFAZER esses parceiros eu preocupo-me muito mais em que os adolescentes TENHAM Prazer na intimidade que praticam do que cresçam com INFORMAÇÃO DIABOLIZANTE nas cabeças que vai ser rejeitada no primeiro beijo que derem e serntirem prazer. Ou no primeiro estímulo do peito. LOGO AÍ ELAS E ELES vão dizer "ESTIVERAM-NOS A MENTIR".

Portanto vê se discutes isto sem ser a partir da tua nulificação sexual na adolescÊncia. looooooool
Não tenho culpa dessa actividade tardia miúda... nem todos os adolescentes actuais ; ))))))))))))

Aliás, já agora fica o desafio a todos os "educadores" que por cá orbitam. Como conversariam com um filho/a vosso que descobrissem estar a participar em T-parties?????? ; ) fica o desafio, a ver se se maralha a sério em vez do "Ai concordo plenamente com o que aquele meu amigo que diz sempre que concorda comigo" ;)))))))))))))))))

Beijinhos para todos

Até achei piada a essa da cabeça: "a cabeça também? [tá completamente formada]?" Isso quer dizer que não conseguem fazer sexo oral?

Anónimo disse...

sou mãe de 4 filhas, 3 em plena adolescência, logo este assunto está mais que presente nas nossas conversas. é uma faca de dois gumes, pois como mãe não sou a amiga a quem contam tudo, tento ser também a amiga sem nunca me esquecer de ser a mãe.devagar e sempre atenta as suas questões tento o meu melhor e mais nada posso fazer...sofialisboa

Meio-Burro disse...

Boa tarde. É a primeira vez que comento neste blogue,embora o visite todos os dias. Hoje tinha que vos cumprimentar e dizer qualquer coisa. Espero ser bem recebido.

Não há dia nenhum que não me lembre da minha burra. Mesmo ainda me doendo a mijadela que me deu para trás. Talvez se tivesse se iniciado mais cedo, tivéssemos podido beneficiar da sua maior experiência.

Visitante (já menos) ocasional disse...

Ó Ribeiro, você ainda engoliu essa? Se não, porque é que ficou surpreendido? A mulher é como o homem, quer é sexo. Que lhe importa se há sentimento, ou casamento, ou paixão , ou amor? Havendo tamanho e tusa, meu anigo, elas querem é acção. Só que há umas que, por educação ou hipocrisia, negam a coisa, e debitam palavreado relambido sobre o amor e o sexo, e blá blá blá blé blé blé. O Ser humano é um animal, só que sem cio. O que significa que, em nós, o Sexo é presença mais constante do que nas alimárias. Sexo é sexo. O resto (amor, paixão) é cultura. Ou seja, transitoriamente precário.

Manolo Heredia disse...

Noise,
Concordo no geral, mas recordo que
a pornografia violenta está a ser divulgada na Internet, em força, e de borla!

lobices disse...

...BOM DIA MARALHAL
...há muito tempo que não vos desejava (por escrito aqui) um dia feliz desta forma tão aberta!...
:)))
abreijos
...quanto ao tema de hoje, não me pronuncio (ou será que me vou pronunciar?...) Merda! Que faço? Digo ou não digo?
...raisparta a mania das "decências" e das "complacências"...
...
...cada caso é um caso e ninguém pode aferir o "valor" daquele pelo "valor" que professa
...ninguém é mais maturo ou imaturo do que o outro: somos todos iguais nas diferenças ou, de outra forma, somos todos diferentes na nossa igualdade
...12 anos, 13, 14, 15... que interessa?... o que vale isso para A ou para o B...?
...o que interessa é entender que não somos máquinas esteritipadas e da mesma valência; somos seres vivos obedientes às células que dentro de nós tudo comandam
...nada mais somos que meros obedientes duma vontade global porque somos partes de um todo e apenas cumprimos com a nossa parte
...fui criança e desde os tenros anos (8 anos) que aprendi a lidar com o sexo feminino
...nunca ninguém me informou de nada (anos 50 e 60 não eram anos 90 nem século XXI...)
...fui aprendendo com as experiências e com a vivência
...fui pai e meus filhos foram diferentes de mim
...fui avô e meus netos estão a ser diferentes dos seus pais e muito diferentes de mim
...o universo não está em constante evolução?
...porque é que a sociedade julga, como diz (e muito bem) o JMV quando refere que apenas se preocupam com o dark side, e não se preocupa com a "luz" que daí pode advir?
...o sexo não é nenhum papão, merda!...
...o Sexo é bom e é algo tão normal como outra função física do corpo humano
...se usamos todas as partes do nosso corpo para as mais variadas funções, porque "criar" o medo sobre o tema "sexo"?...
...viva o amor em amor
...viva o prazer em prazer
...idades?... quem tem o "poder" de julgar o que quer que seja?
...sejam felizes!...
...vivam

Perdi os 3 disse...

noisy, como o menino vai directo ao ponto. Ponto G, quero dizer. Deixa-me completamente fora de mim.

Ana Sampaio disse...

Professor, repare bem que o Jorge definiu logo ontem o tom da conversa. Muita gente a bater no peito e a dizer que o fim do mundo está aí, é o apocalipse. Como não conseguem aceitar que o mundo pule e avance sem eles diabolizam aquilo que não conseguem compreender.




Ai Dr. Peter, ainda bem que passou por este cantinho, agradecida pela qualidade da verve;)
E um beijinho para todos vocês que fazem do Murcon o meu blog favorito!




Desculpe-me senhor Fora-de-lei mas a sua estupidez é propositada. Pelo que li no texto do Dr. Peter ele referiu idades consentâneas com resposta sexual. Se quer ignorar isso então merece ser ignorado pq está a ser desleal à verdade.

E vocÊ Lobices, é uma lufada de ar fresco. Com estas duas janelas abertas (você e o Noise) o ar ficou de repente respirável dentro deste mosteiro hihihihihihihihihi

fora-de-lei disse...

noiseformind 11:19 AM

Em oposição com África, nomeadamente na sua região austral, onde as meninas são mulheres muito cedo, o efeito de latitude faz com que as escandinavas sejam as meninas deste planeta que mais tarde se tornam mulheres. Isso que descreves sobre a Finlândia é quase aberrante pois esse é um país onde - por via de "fenómenos" de natureza fisiológica - as raparigas se iniciam sexualmente com algum delay em relação a muitos outros povos. Garantidamente mais tarde que em Portugal, Espanha ou Itália... para não falar de Angola, Moçambique ou África do Sul.

Já agora, e a título de curiosidade, sabiam que as mulheres esquimós só têm o seu período fértil durante seis meses do ano ? Pois é... a latitude faz das suas.

yulunga disse...

Noisie
Tudo o que disseste foi muito bonito.
"confundir sexualidade com intimidade e com orgasmicidade.", isto por exemplo não entendi. Sexualidade não é uma mistura de tudo isso?
Então uma menina de 12 anos está preparadissima?
Ok! É tudo tão fácil e tão aceitável. Por mim dou por encerrado este assunto. Falaremos, e Deus queira que o contacto não se perca, quando a tua filhota tiver essa idade.

Meu querido os homens que acham que é normal que meninas com essa idade iniciem a sua actividade sexual, são os mais carrascos em relação à sexualidade das próprias filhas.
Como dizem os brasileiros: Pimenta no cu dos outros para a gente é refresco.

Os 100% refere-se não obviamente a 100%. Diria antes em pleno.
Parabéns para ti se uma miuda de 12 anos te dá tanto prazer, se te seduz, se conhece tão bem o seu corpo como uma mulher mais velha.
Parabéns para ti e para ela também.

Sobre a minha "tardia" iniciação, abençoada ela e abençoada a altura a partir da qual sobre o que significava a palavra retroactivos.

escrevinhador disse...

Lobices e Yulunga: plenamente convosco.
Esta coisa de as pessoas armarem em Moisés que regressaram do Sinai e agora vêm trazer a plavra de Deus aos incréus dá cabo de mim. Abomino os profetas de toda e qualquer espécie. Que importa que a iniciação seja tardia, ou não? Que importa que haja gente assim e gente assado? Sempre o velho problema de sempre: muita gente ama a humanidade e despreza os homens.

básica disse...

Lobices:
cada caso é um caso e ninguém pode aferir o "valor" daquele pelo "valor" que professa
quem tem o "poder" de julgar o que quer que seja?

- Quando aprenderá o ser humano a emitir a sua opinião como um direito que lhe assiste e não, como forma de chamar estúpidos aos outros ou de lhes tentar impor as suas próprias ideias?

Obrigado lobices pela tua resposta, e mais uma vez a minha vénia.

fora-de-lei disse...

Ana Sampaio 11:50 AM

"Desculpe-me senhor 'fora-de-lei' mas a sua estupidez é propositada..."

Será licito concluir que toda essa agressividade se deve ao facto da Ana fazer parte integrante dos tais 70 % ?

Se assim é, limite-se a chorar... ou então, se quer mesmo chamar estúpido a alguém, chame àquele que é materialmente responsável pela sua inclusão nesse famigerado grupo percentual.

Quanto a mim, é preferível desamparar-me a loja... (maralhal, existe algum 'smile' para simular o dedo indicador em riste ?)

noiseformind disse...

fora-de-lei,
Ai então já não é só o gay que é objecto de preconceito, a pobre finlandesa tb não escapa ás suas garras? ; )))))))))). Pois fica a saber desde já que a IslÂndia é o país europeu onde a sexualidade é iniciada mais precocemente e que sim, a escandinávia é a região europeia onde o contacto sexual acontece mais cedo.

E para ficar um pouco menos ignorante (ou, visto pelo lado positivo, um pouco mais sabedor), caso queiras, cá tens o link (nem o vou pôr a azul, não mereces tanto trabalho) para preencheres esses loopholes caso queiras. Mas não queres pois não? é que o preconceito é baseado na triagem selectiva de informação que interessa e não que é válida.

http://www2.hu-berlin.de/sexology/IES/finland.html

Tás a ver pá? Uma verdadeira pérola ao porco...

E já agora isso das mulheres esquimós é totalmente FALSO, MITO URBANO PURO

http://www.mum.org/menarage.htm

Manolo Heredia disse...

fora-de-lei,
o smile pretendido é: 8=

yulunga disse...

E se há merdas que me irritam é haver sempre alguém que aparece a chamar estupido a alguem que não partilha a mesma opinião e a dizer que as fufadas de ar fresco só aparecem quando a opinião é partilhada com a nossa.
Lufada é estarmos aqui a dar cada um a sua opinião com respeito pelas demais.

noiseformind disse...

Yullie, eu sei que tás irritada, mas não é assim que vais fazer que as adolescentes portuguesas adiem a sua vida sexual. Elas vão pensar "chiça, eu vou ficar assim irritada se esperar até aos 28?". O fora-de-lei usa pura preconceito na sua argumentação o ideal era, se não houvesse tanta gente aqui a alinhar pelo mesmo diapasão, ignorá-lo mesmo; ) mas sabes que isso ia contra as sagradas regras da tertúlia.

Estás é chateada pq o Lobices, teu confrade quinquagenário, não foi pela tua teoria de que aos 12 a miúda não pode dar prazer a ninguém nem sentir nenhum. E que aos 50 é tudo pleno e muito bom ;)

noiseformind disse...

Manolo, isso há vários, não é só esse

8- para os mais finos
e 8= para os grossos
e 8======= para os muito longos e grossos
e 8 para os muito curtos

Ana Sampaio disse...

fora-de-lei, como já outros disseram, a sua argumentação é puro preconceito, sem réstea de fundamento, portanto faça os sinais que quiser.
Yulunga, está irritada pq não consegue ter uam ideia que seja própria a não ser repetir todas as maravilhas que se abriram para si por ter esperado tantos e tantos anos. O problema é que se esqueceu que com a idade não só se amaduresse, tb se apodrece! Assim como para você esperar foi uma maravilha para muita gente fazer cedo tb é uma boa experiência. E concordo com o Noide na medida em que não diaboliza o sexo pela idade, tb diz que pode não ser extremo e que lhe dá um contexto mediante a capacidade de cada pessoa.
Eu se um filho meu participasse numa T-party ficaria curiosa e procuraria que ele tivesse á-voontade para me contar mais, preocupando-me especialmente em os aspectos da contracepção. Se isso lhe estivesse a trazer confiança e felicidade e fosse com pessoas da idade dele, então como mãe só teria era de ficar muito feliz, mesmo não tendo tido essas experiências na minha própria adolescência:)
Boa irritação para si, que ela lhe traga muito proveito;)

yulunga disse...

Noisie
Não, não estou irritada.
Mas estou agitada nesta tertulia, com certeza que estou.
E sabe-me muito bem estar neste estado.
Mas nós estamos falados.
Vou esperar sentada 12 anos.

Manolo Heredia disse...

noise,
Obrigado pela colecção.
Já agora um conselho: Batam-se mas não se mordam!

yulunga disse...

Ana Sampaio
Não esperei assim tantos anos quantos lhe pareçam ter sido.
E isso não me causa irritação alguma muito pelo contrário.
Sobre ter ou não ideias próprias essa é a imagem que lhe transmito, e sobre isso nada posso nem quero fazer.

Manolo Heredia disse...

Maralhal, estão todos esquecidos de "para que serve o sexo". Recordo a versão de uma cabo-verdiana que se recusava fazer modernices:
"Boca pá comé, cu pá cágá, cona pâs fodé!"
Esta mulher não podia ser acusada de atraso na questão sexual, era uma perita!

noiseformind disse...

Não me parece que estejemos Yullie,
Se te vais ficar pela "eu penso assim e está dito" então fico muito triste que afinal sejas apenas mais uma pessoa que usa esta tela para explanar preconceitos cristalizadas e não para lançar debates amplos.
Não vai ser pela tua mão na consciÊncia que os adolescentes vão seguir os teus ditámes. É preciso sim arranjar formas de enquadrar o que se está a passar numa frame que permita criar pesosas válidas em sociedade. E a sociedade portuguesa não está a criar pessoas válidas neste momento

Ameninadalua disse...

Lobices

Que clarividência...agrada-me imenso o seu sentido das "coisas"... fica-se com a noção que afinal viver pode ser uma coisa simples...tão simples...mesmo apesar de não o ser para a maioria das pessoas.
Concretamente em relação ao tema de hoje, o sexo, e à semelhança do que acontece ao nivel da relação das pessoas, anda-se muitas vezes às cegas; não nos entendemos porque não queremos ou porque não somos capazes de nos conhecermos melhor a nós próprios e uns aos outros. Por isso a informação e conhecimento que nos ajude nesse sentido é duma enorme vantagem. Quantos vezes se sofre por incompreensão daquilo que sentimos e igualmente por aquilo que os outros nos fizeram e que não fomos capazes de entender.
A partilha de informação que o Noise aqui nos faz, apresenta-se para mim como uma enorme oportunidade de ver as coisas de uma forma mais aberta, alargada e tambem especializada, mesmo que com isso não me cole à sua forma do sentir e principalmente de estar na vida, que essa é mesmo de cada um...

noiseformind disse...

Aliás, desde o jantar para cá que evito participações muito tecnicistas ou explícitas sobre as matérias. Um grupo de pessoas passou, com o contacto físico, a achar-se no dever de apenas conversarem entre si em público e portanto nada a fazer em termos de tertúlia em relação a isso. Fico feliz pelas pessoas novas que vão chegando ao debate trazerem essa capacidade de falarem com todos e de todos, e sem ser para morder nuns e fazerem festinhas aos outros; ))) aliás, nisso o fora-de-lei é um gajo porreiro ; )))))))))))) podemos não concordar em quase nada, mas não partimos para a auto-negação existencial : )))))))))))))))))))) aliás, no fds que vou aí abaixo temos de comer umas chamuças aí no Cais do Sodré ; ))))))))))))) que tal???????????????

yulunga disse...

Noisie
E tu também não pensas como pensas? E não está dito também?
Ora essa! Reservo-me a esse direito.
Eu não quero, nem pretendo mudar a mentalidade de ninguém. Apenas expressei a minha opinião e joguei com o baralho todo, todo o joguinho bem exposto em cima da mesa, partilhando uma atitude minha.

Manolo Heredia disse...

noise,
que estes debates alargados não sirvam para reforçar a posição detida pelos milhões de profissionais que vivem da exploração artificial do sexo:
Publicitários
Jornalistas
Laboratórios farmaceuticos
Indústria de filmes/fotos/ revistas eróticos e pornográficos.
Psicólogos que tratam as vítimas dos primeiros!

Quem me dera ver-me livre disto tudo, abandonar a civilização (eu e a minha Maria), para poder dar uma bela queka à século XII, sem preconceitos de afundamentos que tu tão bem dominas!

smooth_words disse...

Boa tarde Prof. Júlio e restantes bloguistas,
ao acabar de ler o seu texto, associei de imediato ao refrão de uma música dos Coldfinger, que passo a transcrever:
"Don't stop moving, you must keep on going
Don't you stop believing, you should go on dreaming
'cause its people like you that make the world go. . .", :)

noiseformind disse...

Mas Yullie, com a tua opinão não fica nada que os adolescentes possam aproveitar para melhoramento dos seus laços. É uma "posta de pescada" e mais nada. Tens a crítica mas não trazes nuance, não trazes construção. Ao menos podias dizer aquela estafada argumentação "os miúdos tÊm é de se sentar com os pais a falar um tempinho e tal ; ))))))". Sempre era mais complexo do que "aos 12 não a 100%". Estãoa quanto? 20, 30, 40, 50%??????
Manolo Heredia,
Olha que as mulheres são tão igualmente excitadas pela pornografia como os homens, o problema é que têm uma "percepção da excitação" mais baixa. Aliás, tu não te excitas com a pornografia pois não????? ; )))))))))))))))
Nem pensar nisso ; )))))))))))))
Uma actriz porno ganha 8 vezes mais do que um actor porno e neste momento são mulheres as proprietárias de 70% dos meios de produção nos EUA. Portanto, se já sítio onde a mulher está À frente do homem em rendimento e poder é na pornografia Ocidental (tirando os paraísos pornográficos de Leste claro, geridos pelas máfias)

yulunga disse...

Noisie
Sobre isto
"os miúdos tÊm é de se sentar com os pais a falar um tempinho e tal ; ))))))".
Leste para trás?
Claro, que leste mas a argumentação é estafada, ok.

"Tens a crítica mas não trazes nuance, não trazes construção."
Lamento que sejas mais um que acha que a construção só se faz com opiniões iguais às nossas.

Vou ficar amuada e calada?
Nem penses!
Sou como o caranguejo. Quando agarra não larga. ;-)

yulunga disse...

Noisie
Mas o tema aqui é sexo ou sexualidade em idade jovem seja ela qual fôr, pelo que já me apercebi, desde que a pessoa em questão dê e tire prazer. É isso?

Didas disse...

Ora se a idade média é 12... deixa ver... algumas mal se conseguem pôr de pé, pimba! Claro que assusta caraças! O discurso beato é mau todos os dias, mas compreende-se que assusta!

yulunga disse...

Dr. Murcon
Caramba! Apareça, dê-nos a sua opinião como entendido na matéria.
Afinal não partilha ruminações nenhumas connosco :(
Quer é só ler as nossas.

lobices disse...

...retiremos a palavra "sexo" do contexto...
...em sua substituição coloquemos a palavra "paladar"...
...então, por exemplo, diríamos: o paladar nas meninas começa aos 12 anos e nos rapazes aos 17
...as meninas começam a sentir maior gosto por certas comidas e condimentos e experimentariam mais depressa esses novos sabores; os rapazes, mais tardiamente...
...esta discussão sobre o paladar seria uma discussão sem problemas nem tabús; falar-se-ia dos cozidos à portuguesa, dos rojões, do caldo verde e de tanta coisa; dos vegetais, da forma como saborear este ou aquele aroma, este ou aquele alimento com um palato afinado e conhecedor; este saber iria ser cada vez mais aprofundado consoante a prática da alimentação e da variedade da mesma...
...como um enólogo que vai apurando o seu "sentir" em relação aos vinhos... o seu saber vai com a experimentação de diversas formas e de diversos sabores, cheiros, texturas, etc
...falar sobre o "paladar" seria um tema pacífico, sem black sides (excepto se me viessem com a história mal contada do colesterol) e seria um tema sobre a passividade de todos porque NORMAL... o acto de se alimentar é um acto normal do corpo humano!...
...fazer "sexo" NãO... é terrível, é um problema, é um pecado, é um horror, é um tabu completo; não se deve falar dele nem ao de leve
...no entanto, todos os Pais "forçam" os filhos a comerem a papinha toda... mas nenhum Pai "força" um filho a saber e a praticar sexo!... No entanto, ensinam-no como fazer chichi no potinho e depois na sanita...
...HIPOCRISIA total da sociedade
...merda!...
...deixem-se de pruridos!...
...AMEM com todas as forças do vosso físico e da vossa alma (e se não acreditais na alma, acreditai no vosso coração pois ele também sente e palpita a cada momento mágico da descoberta do sexo)
...procurai a felicidade porque nela também se encontra o sexo

HarryHaller disse...

Uma idade certa para a primeira relação sexual???Que fizeram os meus caros murcons de cerca de cem anos, mais ano menos ano, de psicanálise?Após, o que essa área do conhecimento humano nos deu a conhecer, ainda é pertinente a pergunta supra mencionada?Meus murcons, a sexualidade acompanha-nos desde o nascimento à morte, a primeira relação sexual, dá-se no momento em que abocanhamos o mamilo da nossa mãe,para absorver-mos o alimento necessario à nossa subsistência!

Quanto à questão paralela da educação sexual, nunca na história da humanidade o houve, neste momento histórico, ainda estamos à procura de caminhos, para chegar ao que se pretende adequado a essa educação. Contudo, sou de opinião que a educação sexual deve ser ministrada aos jovens e cada vez mais cedo,e por pessoas capazes nessa área.Pois, se os jovens já tiverem uma boa bagagem cultural nessa área, e quiserem passar à prática, não vejo nada de pernicioso nisso.

Boa tarde Professor e demais murcons(Diz-se murcon para os dois sexos?:)) ).

Lobo das Estepes

yulunga disse...

harryhaller
Sem duvida que a nossa sexualidade começa por aí. Se calhar até dentro da barriga da mãe, onde já se chucha no dedo.
O primeiro contacto com os orgãos sexuais até começa a ser feito pela criança quando se toca a ela própria e a partir desse momento tem a noção deles e do prazer.
Não entendo é porque é que a maioria dos pais lhes bate nas mãos e diz isso não se faz.
Há muita coisa que não entendo, há muita coisa que não consigo explicar.

fora-de-lei disse...

Ana Sampaio 12:32 PM

"fora-de-lei... faça os sinais que quiser."

Here they go: %

fora-de-lei disse...

noiseformind 12:49 PM

"... no fds que vou aí abaixo temos de comer umas chamuças aí no Cais do Sodré. Que tal ?"

Caixedré ??? Mas tu não és mais Príncipe Real ?

lover's disse...

boa tarde,
interessante, o nível está a descer, e os comentários a subir, é sempre assim........tudo escondido..tudo á mostra, cada um a tentar mostrar que é + competente e entendido na matéria de sexo, não fosse isso um grande trauma da sociedade, assumir "o que quer que seja".
Coragem malta, todos diferentes, todos iguais !

yulunga disse...

lover's
O nivel a descer? Porquê?

lover's disse...

yulunga
o nível é a pouca transferência de pensamentos, não é o banal nível de palavras! este é o sitio ideal para cruzar experiências, sem protagonismo, e com clareza, e de preferênciA SEM MACHISMO, já fora demodé........

yulunga disse...

lover's
Penso que é normal que numa discussão e onde existem sempre dois lados o protagonismo exista. Não como protagonismo propriamente dito mas como uma forma de as pessoas marcarem a sua posição. Afinal isto é uma discussão.
Não vejo mal nenhum nisso.

PortoCroft disse...

Lobices,

Tens toda a razão. Por outro lado, que eu saiba - corrige-me se estiver errado - nunca tiveste filhas. E, para um pai, saber duma filha ser seduzida ou induzida a práticas sexuais, nessa idade, não é nada agradável. Talvez porque não nos agrade nada a ideia que cedo ou tarde as iremos perder para um gabiru qualquer. ;)

PortoCroft disse...

Ou gabirua...;)

yulunga disse...

Porty
Isso só pode ser teoria, não?
Porque na prática todos os pais aceitam, e aproveitando o que o Noisie disse (11:49)
"Natureza má que nos dava erecção e orgasmo com 11 anos mas não nos dava nas meninas uma vagina suficientemente lubrificada para o acto em si" , até as entregam em kit com um lubrificante à mistura.
Pais que são pais querem mais é ver as filhotas felizes.

amok_she disse...

yulunga disse...

Noisie
Mas o tema aqui é sexo ou sexualidade em idade jovem seja ela qual fôr, pelo que já me apercebi, desde que a pessoa em questão dê e tire prazer. É isso?

1:28 PM


...minha cara, acho q estás a baralhar um pouco as coisas e é certo q a coisa por aqui fica difícil de clarificar pq lá se continua no registo "quem está por mim" está certo; quem me contradiz é estúpido e/ou louco e/ou preconceituoso e/ou outra merda qq... assim sempre foi e assim sempre será pq esta coisa dos grupinhos "às escuras" é o q dá: cada um gosta mais de se ler e está-se marimbando, genéricamente falando, para ler o q realmente é dito pelos outros, ou pelo menos dar o benefício da dúvida...de q pode ñ ter entendido o q leu!

Depois seguem-se os costumeiros diagnósticos: "está de mal com a vida"; "é louco"; "perdeu os três demasiado tarde e agora azedou"; "é quarentona/cinquentona, então fechou a torneira"; "é jovem ñ pensa, ñ sabe" e por aí fora, aqui já se viu de tudo...convenhamos q a originalidade é rara!:->

Qt ao teu receio no q toca à (im)preparação dos jovens face à idade - 12 anos - acho q estás a partir do principio q começam aos 12 anos a fazer o q tu fazes agora - e presumo q estejas um pouco longe deles!?!, é q ñ fui a jantaradas, nem vou "bisbilhotar-te" a foto para adequar o q te digo...:->

...mas a sério: ñ receis assim tanto...eles nem sempre estão a fazer aquilo q nós decidimos q eles estão a fazer. E digo isto por experiência própria q aprendi com o primeiro filho a ter calma com o segundo...mesmo assim o q sempre me preocupou foi a prevenção e aí não abdico, mas para lá disso...q aprendam a conhecer-se, a eles e aos outros, entre iguais e para isso nada melhor q nos seus grupos de amigos/ colegas/conhecidos...ag é q me "certifiquei" - com aquela das T-party's!:-> - do raio daquela malta, de vez em quando, resolver ir dormir tipo 'tudo ao molho e fé em deus' para a mesma roulote, eu q sempre achei q "um é pouco, dois é bom, mas três...sai de baixo!":-> -...só é preciso estar atentos(os pais) e presentes para o q der e vier...pq é claro q eles ñ nos contam tudo ali preto no branco - eu tb ñ partilho as minhas intimidades com toda a gente e há coisas q são só minhas e outras só minhas e do parceiro, logo tenho q lhes respeitar o mesmo desejo - por vezes deixam pistas (qd confiam), outras vezes colocam questões abstractas mas a gente vê onde querem chegar e isso é bom!...pq acompanhamento afectivo é a palavra chave; é q os "desgostos" nestas idades assumem proporções gigantescas e isso sim!, assusta-me q eles se vejam sós perante os seus "enormes problemas!" ...é claro q fica sempre uma ponta de medo - e eu q sempre tive o "trauma" de ñ ter tido uma menina dou por mim, de vez em quando, a dar graças aos deuses por, ag, ñ ter miúdas qd as vejo - tão novinhas! - a rondá-los, a "assediá-los"!;-)... mas de q servem as proibições?, as moralidades bacocas?, as hipocrisias? ...pq raio haveremos de querer os jovens castos numa sociedade onde reina a imoralidade em todos os campos do humano?

Deixem-nos viver a vida...desde que não os deixem sós, esse sim, esse é o drama actual da nossa juventude: solidão afectiva! E é essa solidão q os leva para caminhos perversos, não é a sua natural e desejada curiosidade...

[bem...já teclei tanto q ñ tenho pachorra p eventuais correcções...:->]

PortoCroft disse...

Yulunga,

Não li os últimos "comment" do noise.

Aquilo que te posso dizer é apenas o que sinto e penso.

Todos os pais, salvo as tristes excepções, querem o melhor para os seus filhos. Terem uma boa educação sexual, incluindo o aprenderem a explorar o seu próprio corpo, se disso sentirem necessidade, é uma coisa. Serem seduzidos ou induzidos em engajarem em sexo e/ou orgias, é outra completamente diferente.

yulunga disse...

amok_she
Podes crer que estou baralhada entre a noção de sexo e sexualidade ou na forma como as pessoas as dissociam uma da outra.
Rótulos, cago-me redondamente para eles caso contrário não falaria de mim e iria a wikipedia(?)
copiaria uma matéria e na teoria brilharia mais que o sol.

" Qt ao teu receio no q toca à (im)preparação dos jovens face à idade - 12 anos - acho q estás a partir do principio q começam aos 12 anos a fazer o q tu fazes agora"
Pelo menos foi o que entendi que as pessoas defendiam.

Marie disse...

caro Prof. JMV
sou mãe de um rapaz de 7 e de uma jovem em plena adolescência...
sempre fui pelo "laisser faire" e nunca pelo "laisser aller".Perdoem-me o francesismo...procurei nunca moldar as ideias dos meus filhos deixando-lhes espaço e liberdade qb para escolherem o seu caminho.Pensei que bastaria muito amor da minha parte...
Esqueci-me que não estávamos sós...e que mais cedo ou mais tarde eles teriam de ser entregues às feras...
a sexualidade para mim é algo que deve crescer NATURALMENTE em cada um de nós.
no caso dos meus filhos, sem exclusões nem mentiras...
mas dou comigo a repreender o mais novo que foi castigado pela professora por "ter mostrado a pilinha às meninas" pela 10ª vez....
e à minha pergunta parva: mas porque fizeste isso?
a sua resposta: porque elas riem-se!...
Amor não basta... preciso de argumentos para apagar o preconceito e não deixar que esta fase na sexualidade do meu filho deixe marcas menos desejáveis...ou será que são necessárias?...
o Noiseformind talvez me possa aconselhar alguma leitura....sem esquecer que sou uma ignorante na matéria e que de psicologia infantil pouco li....mas ainda li "Sommerhill" de A.S.Neil nos meus tempos de adolescente...marcante...

Meio-Burro disse...

O dia chegará em que hão-de chorar!...

...por mais.

yulunga disse...

Marie
O Noisie habitualmente dá o cartão de visita com a morada de casa e onde diz: Vinde a mim as criancinhas"
;-)

amok_she disse...

yulunga disse...

Pelo menos foi o que entendi que as pessoas defendiam.


...pois, isso achei eu!, mas...e sou insuspeita, tu sabes!, para "defender" quem quer q seja aqui:->...ñ li em lado nenhum - quer dizer: ñ interpretei! - q a defesa fosse a de deixar, ou sequer achar natural, uma miúda de 12 anos nas mãos dum "garanhão" qq, careca e barrigudo, c/ atracção por "lolitas":->

Isso, minha cara...a acontecer não o iria eu inscrever na natural curiosidade de pré-adolescente...os especialistas q o expliquem se for caso disso, aqui, mas ñ entendo este tipo de acontecimento como fazendo parte do natural desenvolvimento sexual de qq jovem...da mesma forma q o filhote da Marie ñ se põe a mostrar a pilinha às matronas das auxiliares lá da escola...pq elas ñ se riem, né!?...mas elas q o tentem poibir e logo verão...;-)

Essa questão dos adultos - em especial os q têm responsabiliades educativas escolares - ñ saberem (ñ lhes ensinarem, ou ñ quererem procurar aprender) lidar com as curiosidades infantis, sejam de natureza sexual ou outra!, é uma das pechas do nosso ensino...depois queixam-se q somos um povo ignorante...ó c'um caraças, mas esta gente ñ brincou aos médicos e às casinhas, qd crianças???:->

amok_she disse...

yulunga disse...

Marie
O Noisie habitualmente dá o cartão de visita com a morada de casa e onde diz: Vinde a mim as criancinhas"
;-)

3:37 PM


...mázinha, heinnnn!???!:->

yulunga disse...

amok_she
Pareceu-me que aqui se defendia o estar bem com o prazer e com o sexo independentemente da idade.
E parece-me que ninguém colocou entraves à idade ou aspecto fisico dos parceiros.
Parece-me

plim disse...

Meu caro professor, minhas senhoras e meus senhores,

Como o tema é sexo, são 15h e já cá cantam noventa e muitos comentários...
Então se me permitem eu diria que, se Elas começam aos 12 e Eles aos 17, parece-me, à primeira vista, que Eles estão a começar tarde, o que também não admira, até porque, elas se tornam mulheres muito mais cedo do que eles.
Ou o professor se esqueceu, o que não acredito, até porque é um estudioso e perito nesta matéria, ou não passou por elas... :S)
Como estará lembrado, a coisa era a atirar para o pecado, era, para depois de uns amassos ir-mos a correr lavar a boca e as mãos com água benta, mesmo, daquela benzidinha pelo "sô prior"...
Informação sobre como deveriam ser estas coisas, ZERO, nada, niente, capute... faço-me entender??
Hoje, grande parte dos adolescentes têm TV no quarto, têm NET no quarto, isto é, informação é o que não falta, e com um pouco mais de sorte, até têm o "tio" que sempre vai dando umas "dicas", no meu tempo professor, que é o seu, a coisa era realmente bem pior.
Eu, comecei aos 14 e em grande, para abrir o olho, fui logo parar ao Tribunal de Menores, acredite professor, que ainda hoje estou para saber se é por isso que ainda me encontro solteiro, ;))) mas voltando ao tema, quer-me parecer que hoje existe muitíssimo mais informação (?) que no nosso tempo, e no entanto Elas e Eles continuam a começar cedo... o professor é que é o especialista, mas se calhar... é do clima. ;)))
Diz o professor que "não admira que depois os adolescentes se queixem da forma como o tema lhes é apresentado..." - Porreiro pra eles, no nosso tempo não tinhamos do que nos queixar, certo?
Será professor, que agora já ninguém tem mão nisto? Será que já batemos no máximo da liberdade?
Resta-me lembrar que nesse tempo não havia esta doença que paira hoje sobre as cabeças deles (SIDA) era só as do costume... "trivial e almondegas"

Só mais um pedido professor, deixe de amandar estas "biscas" em terra de Espanha senão ainda nos arranja um problema "diplomático", já basta o TGV :)))))

bem hajam todos
plim

yulunga disse...

amok_she
Mázinha???
Nada disso. Brincalhona, apesar de o ter começado a ser MUITO tardiamente ;-)

amok_she disse...

yulunga disse...

amok_she
Pareceu-me que aqui se defendia o estar bem com o prazer e com o sexo independentemente da idade.
E parece-me que ninguém colocou entraves à idade ou aspecto fisico dos parceiros.
Parece-me

3:56 PM


ah pronto!, se ninguém colocou, coloco eu!...à idade e aos barrigudos, livra!:->

...mas, espera lá, aquele "e" ali..."estar bem com o prazer e com o sexo"!??!...prazer sem sexo, hummmm, ok...pode ser, mas... sexo sem prazer???...q os deuses me(nos) acudam!:->

...mas, diz-me cá...é q eu sou burra mesmo!...esteve pr'ai alguém a defender q "garanhões" barrigudos com miudas de 12 anos...é normalíssimo e bom para o desenvolvimento sexual...da miúda, claro!???...pq p o "velho" já ñ há safa possível...:->

..ah, mas tu começaste, mesmo?, mt tardiamente???;-)...bem, tb. ñ é de admirar...os machos latinos e os portugas em especial ñ ajudam muito...o tempo passa, mas evolução mental ñ é com eles...:->

HarryHaller disse...

amok_she

"pois, isso achei eu!, mas...e sou insuspeita, tu sabes!, para "defender" quem quer q seja aqui:->...ñ li em lado nenhum - quer dizer: ñ interpretei! - q a defesa fosse a de deixar, ou sequer achar natural, uma miúda de 12 anos nas mãos dum "garanhão" qq, careca e barrigudo, c/ atracção por "lolitas":->"

E deixar uma miúda de 12 anos, nas mãos dum garanhão,com as medidas e a fisionomia de um autêntico topo model das passereles internacionais, achas natural, Amok_she?

Lobo das Estepes

yulunga disse...

amok_she
Tardiamente a comparar à idade aqui mencionada e absolutamente normal.
Vocês são venenosos!

yulunga disse...

harryhaller
Cá para mim nem mesmo esses, ou...
principalmente com esses. ;-)

amok_she disse...

...ó lobo, tens razão!...deixei levar-me pela minha aversão a "garanhões", ainda mais se carecas e barrigudos!:->

...com miudas de 12 anos...e atenção q os 12 anos duma miuda ñ é igual genericamente falando, em termos de começo de amadurecimento, a um miudo d igual idade...mas é claro q qq gajo - mesmo o mais "top model das passerelas internacionais" - q tenha uma fixação em "lolitas" o melhor q tinha a fazer era consultar os vários especialistas q por aqui andam...mesmo q sejam as miudas a "assediar", como muitos dizem e eu ñ duvido, mas...vamos lá com calma...se há gajos e gajas maduros a cair de podres q ñ sabem o q querem e/ou fazem...como o esperar duma miuda de 12 anos...

...mas ñ se misturem as coisas...a sexualidade da adolescência ñ é a mesma da juventude, assim como ñ é a da idade madura...ora porra, por alguma razão é suposto irmos crescendo (=amadurecendo=evoluindo)

...e já ag, andavam pr'ai uns marmanjos a "queixarem-se" q ñ eram só eles (os homens, coitadinhos:->) a querem sexo e q as gajas eram tão sedentas como eles, só q disfaçavam... é por essas e outras q muitos lidam mal com a rejeição...macho q é macho ñ aceita uma nega, logo se a gaja diz q ñ quer - e muitas vezes só está a dizer q não o quer, mas isso é demais p as cabecinhas deles:-> - é pq está a disfarçar, a fazer-se difícil, a jogar ao gato e ao rato...

...ora, nesta fase da adolescência sucede muitas vezes q as miudas - e cada vez mais tb os miudos! - se sentem pressionadas por diversas formas...ou é o namorado q diz q se ela ñ quer é pq ñ gosta dele; ou é o grupo a dizer-lhe q é fatela ainda estar "selada"; ou é a propaganda da felicidade fácil a dizer q sexo é (sempre) bom e quem não o faz em quantidades industriais é anormal...e nem precisariamos de nos quedar pela adolescência apenas, mas ag é do q falamos, né?:->

...ora, cabe-nos a nós mães e pais dos rapazes, ensinar-lhes=transmitir-lhes q sexo é uma coisa muito boa e q tb pode ser bom sem necessáriamente associado a grandes amores= sentimentos, mas... acima de tudo há q respeitar a vontade (a liberdade) do outro...e se o outro não quer...nada a fazer!...ora os putos com o sangue a fervilhar e se mal "encaminhados" têm, com mais facilidade q os adultos, a tendência para "chantagear" afectivamente...e lá se volta ao circulo vicioso...

lobices disse...

...to PortoCroft at 2:58 PM:
...
...caro Porty: tive um filho e uma filha... razões diversas levaram-me a "perdê-los" na melhor das idades (ele com 14 e ela com 13)... só 6 anos depois eu "tive" de novo... na verdade, não vivi esses momentos e não "sofri" essa angústia ainda que tenha sofrido muitas outras...
abraço

PortoCroft disse...

Lobices,

Entendo. Mas, se tivesses tido a vivência, tendo ela essa idade, quase que de certeza, concordarias comigo.

É que não é pelo facto de o paladar delas apontar para "Junk Food" que nos inibimos de lhes dizer que não há nada como um bom cozido à portuguesa. É mais nutritivo. ;)

Julio Machado Vaz disse...

Plim,
Amanhã estou de volta, ainda por cima prenderam aqui dois tipos por cultivarem haxixe. E se pensam que sou eu o traficante para Portugal?:)

amok_she disse...

tcham...tcham...colhido de fonte absolutamente insuspeita!!!:->

noiseformind disse...
(...)
fica o desafio, a ver se se maralha a sério em vez do "Ai concordo plenamente com o que aquele meu amigo que diz sempre que concorda comigo" ;)))))))))))))))))

11:41 AM


noiseformind disse...

(...) o ideal era, se não houvesse tanta gente aqui a alinhar pelo mesmo diapasão,(...)

12:24 PM


noiseformind disse...
(...)
Um grupo de pessoas passou, com o contacto físico, a achar-se no dever de apenas conversarem entre si em público e portanto nada a fazer em termos de tertúlia em relação a isso.

12:49 PM


...é claro q ñ podia deixar passar em branco!...em especial a última pq se fosse eu a dizê-lo era por ser burra e por estar de mal com a vida:-> e terei de dar a mão à palmatória pq...lhe fica mt bem esta "auto-crítica"...se não pessoal, pelo menos no q toca ao grupo!:->

e. disse...

amok ...
grupo ou não grupo?
em que ficamos?
e os espanhóis
e os brasileiros
e os negros
e os brancos
e os parvos
e os inteligentes
e os acima
e os abaixo
e os ao lado

qual grupo?
e as margens
e o fundo?
e o estar aqui à vontade?

qual grupo qual quê!

amok_she disse...

e. disse...
e o estar aqui à vontade?


...minha cara, o "estar aqui" à vontade, seja qual for o "aqui", só depende de cada um de nós!...eu,pelo menos, nc me deixei intimidar por ñ pertencer a(os) grupos...:->

...mas se preferes ñ os "cheirar"...é uma opção como outra qq e à qual tens pleno direito1;-)

amok_she disse...

ah pois...as margens...é onde me sinto bem...:->

Débora disse...

Olá a todos!


Já venho tarde, claro, mas gostaria também de participar.

Prof.,

"Mas esta visão "preventiva" do discurso sobre a sexualidade é tristemente redutora. O medo, a pressa e a visão parcelar escamoteiam outras vertentes da sexualidade. Não admira que depois os adolescentes se queixem da forma como o tema lhes é apresentado: como se fossem faunos pelas esquinas e sem uma palavra sobre a descoberta do prazer. Só o "dark side of sex" toca neste gira-discos."

Talvez a visão da sexualidade preventiva seja redutora, mas é preciso considerar que os riscos têm efectivamente, um peso enorme -gravidez indesejada, sida, etc.
De que serviria só os ensinamentos sobre a descoberta do prazer e o prazer em si, para depois morrerem de sida ou serem pais, por não estarem informados?
É evidente que a educação sexual tem que ser abrangente!

Não sou técnica destas questões, portanto limito-me ao que aprendo e ao conhecimento empírico. Penso que se a sexualidade fosse encarada com naturalidade, não hevria tantos debates e discussões sobre o tema.

Noisy,

Ainda bem que referiu que há diferença entre sexualidade, intimidade e orgasmicidade. De qualquer forma, para mim, são sempre questões íntimas, de que não abdico, como muitas outras coisas (não partilho a casa de banho com ninguém, gostava de ter um quarto só meu - mas sou ameaçada com o divórcio))) etc.). Sei que sou um bocadito esquisita! Mas há coisas que não gosto de paartilhar e outras de partilhar só com quem quero, portanto essas cenas de T-parties e sexos grupais, para mim seriam constrangedoras. Quem quiser, é livre ....
Não foi por isso que deixei de iniciar a minha vida sexual quando "aconteceu" naturalmente (não digo quando, mas não foi com 12 anos), fui mãe bastante cedo, e não me queixo de falta de orgasmos - e não precisei de aprender em grupo.
Tenho uma filha e um filho, que penso nunca se terem sentido condicionados pela família, mas também não foram encorajados precocemente. Tudo surge a seu tempo, naturalmente, quando não vivemos obcecados - mas é sempre bom estarem informados das vantagens e dos perigos que já referi.

Saudações,
Débora

andorinha disse...

Boa tarde a todos.

Depois de ter lido todos os comentários, queria apenas destacar o seguinte:

Lobices(1.57)
Excelente, Quim!:)

Lobo das Estepes (1.58)
Estou totalmente de acordo.

E porque não falo só para o "grupo"(whatever that means)

Amok_she (3.11)
Passando por cima da habitual agressividade e cinismo que já são a tua imagem de marca, concordo plenamente com os comentários que fazes.

e. (5.11)
"grupo ou não grupo? Em que ficamos?
e o estar aqui à vontade? Qual grupo para quê!"

Subscrevo na íntegra!
Admiro imenso a tua forma sempre tão ponderada e sensata de analisares as coisas.
Gostaria de ter essa tua capacidade.:)

e. disse...

andorinha
:) :( :)

noiseformind disse...

-Tou aqui a ver como tá a correr a discussão aqui neste último post do Murcon…
-Então e não vais acompanhar os comentários que fizeram durante o dia no post anterior?
-Tás maluca? Escreveram mais de 70 comentários desde que saí de lá. Tou com sono
-Tu não DORMES!
-Tá bem… tá bem… eu passo por lá…


Ameninadalua said:

“A partilha de informação que o Noise aqui nos faz, apresenta-se para mim como uma enorme oportunidade de ver as coisas de uma forma mais aberta, alargada e tambem especializada, mesmo que com isso não me cole à sua forma do sentir e principalmente de estar na vida, que essa é mesmo de cada um...”

Oh menina, mas alguém mais trouxe mais alguma fonte de informação não-pesoal que fosse? Ganhar por desistência dos outros 110 comentários não tem piada nenhuma ;(
Parece que o Google em Portugal não funciona, pq se alguém quisesse saber sabia, está tudo À distância de um clique, estudos, análises estatísticas, abordagens psico-pedagógicas das mais variadas escolas. Mas pronto, navegar no local de trabalho tem estes inconvenientes… já temos o trabalho que é aborrecido, vamos tar agora a procurar saber coisas MESMO sobre algum assunto? Nem pensar!!!! Isso requer abrir um site sem nada de interessante (o GOOGLE) e teclar sem ser para uma plateia… e pior… pior de tudo… LER… LER… actividade que aqui na Tugalândia não é nada, nada, nada apreciada, tirando os rudimentos básicos para ler A Bola, a Caras, o Record e a Flash (e depois há os gauleses que arriscam coisas com palavras mais complicadas como o Público ou o Expresso)


(a Amok_she deve aqui ser destacada pela positiva, pois apesar de desaparecer por longos períodos de tempo é das poucas pessoas que estrutura a conversa que tem de forma a ficarmos mesmo a perceber a opinião dela. Só por isso já merece um beijo na boca (boca fechada entenda-se, que é para o Amok_he não flipar))
Amok_she said

“dou por mim, de vez em quando, a dar graças aos deuses por, ag, ñ ter miúdas qd as vejo - tão novinhas! - a rondá-los, a "assediá-los"!;-)... mas de q servem as proibições?, as moralidades bacocas?, as hipocrisias? ...pq raio haveremos de querer os jovens castos numa sociedade onde reina a imoralidade em todos os campos do humano?”

De repente lembrei-me do Jaws e daquele ritmo frenético da autoria do maior musicólogo de sempre do cinema americano: John Williams ; )))))))) mas não é bom? Termos meninas activas na procura do seu prazer? Ao menos já sabem mais cedo O QUE/QUEM NÃO QUEREM. Ora caraças, o início precoce tb é mesmo isso, abertura de espaço futuro para encarar em idades mais activas tb uma mais activas sexualidade. Sendo mais activas poderão dizer mais afirmativamente o que não querem e serem mais discricionárias no que querem!!! : ))))))))

”Deixem-nos viver a vida...desde que não os deixem sós, esse sim, esse é o drama actual da nossa juventude: solidão afectiva! E é essa solidão q os leva para caminhos perversos, não é a sua natural e desejada curiosidade...”

Oh, e este é o pecado capital, perda de contacto por abandono. Penso naqueles pais que constataram que a filha, tão casta e pura, feito sexo aos 13 e até aos 15 com um colega mais velho de escola. Motivo do fim da relação: o conhecimento de outro parceiro mais satisfatório. Nada chocou mais os pais do que a ausência de consciência do que a filha andava a fazer. Este elemento foi fundamental para estruturar a raiva deles e para partirem para uma argumentação de “abuso continuado”. A solidão grassa, oh se grassa, cresce um pouco por todos os lados da estrutura familiar. Os pais procuram manter os filhos ocupados, por um lado para os desenvolver, por outro para saber onde e com quem está a menina ou o menino. E quando ele percebe que dizer que não gosta desperta a raiva do progenitor logo aí nasce a necessidade de mentir: mentir que se gosta, mentir que se foi, logo aí se quebra o selo de que o pai é “um gajo porreiro e um grande amigo”. Mas os pais são duros de aprender, têm muito amor para dar e demasiado pouco tempo para o dar, prefiro acreditar que a corrente intensa de emoções os impede de se transmitirem como verdadeiramente estruturam o seu carinho e não por inseguranças próprias. Eu… o eterno optimista ; )))))))))))

“ah pronto!, se ninguém colocou, coloco eu!...à idade e aos barrigudos, livra!:-> “

Lamento Amk_she, mas em nome da associação “a semana passada 137.100, esta semana 128.900” venho cá dizer-te que nós, barrigudos (os da idade terão de arranjar outro advogado) estamos muito bem em termos de sexo, o nosso calo sexual é do melhor que é e não temos registo de queixas de relevo ; )))))))))))

”...mas, espera lá, aquele "e" ali..."estar bem com o prazer e com o sexo"!??!...prazer sem sexo, hummmm, ok...pode ser, mas... sexo sem prazer???...q os deuses me(nos) acudam!:->”

Amok_she, és tão engraçada, e pensar que a esmagadora maoria das mulheres portuguesas faz sexo baseada nessa premissa que tanto desprezas. És mesmo uma Simon Bolívar do prazer Tuga. Ou apenas dizes isso para justificar o “sacrifício” que fazes lá por casa…? Fica a (inocente) dúvida. É que as mulheres ficam sempre surpresas comigo por só parar na exaustão delas… imagino que ao fim de todos os dias seja isso que acontece aí por essas bandas… sexo contínuo com múltiplas posições e orgasmos a rodos… pois pois pois… mas tu lá disseste, prazer sem sexo… a casa de banho não se criou apenas para fins de higiene, tb é um lugar muito afrodisíaco, para mais com o parceiro a roncar no quarto ao lado ; )))))))

”...mas, diz-me cá...é q eu sou burra mesmo!...esteve pr'ai alguém a defender q "garanhões" barrigudos com miudas de 12 anos...é normalíssimo e bom para o desenvolvimento sexual...da miúda, claro!???...pq p o "velho" já ñ há safa possível...:->”

Amoky… tão não é? Assim ao menos a miúda já cresce sem esse preconceito em relação aos barrigudos… ai ai ai… não pescas mesmo… sua negativista…




“...mas ñ se misturem as coisas...a sexualidade da adolescência ñ é a mesma da juventude, assim como ñ é a da idade madura...ora porra, por alguma razão é suposto irmos crescendo (=amadurecendo=evoluindo)”

Amadurecendo… evoluindo?????????????????? Mas bates mal???????????????????? Deve ser… é que o problema é precisamente o inverso, a redução de praticas sexuais e variação sexual com a idade. Mas se queres acreditar nisso, quem sou eu para te dizer que o Pai Come não existe ; )))))))))))))) Era porreiro que 30% das pitas com 50 ou mais anos não nos dissessem que há um ano não fazem sexo, sempre comprovava a tua teoria. Mas infelizmente a coisa não vai por aí miúda. É que sexo faz-se com um parceiro. E temos precisamente os homens mais preocupados com o prazer feminino agora com 20 e poucos… portanto cinquentonas e afins, querem evoluir…? Ataquem… ataquem… tã tã tã tã tã tã tã tã tã (o tã tã tã é uma versão parva da música do Jaws)



“...é claro q ñ podia deixar passar em branco!...em especial a última pq se fosse eu a dizê-lo era por ser burra e por estar de mal com a vida:-> e terei de dar a mão à palmatória pq...lhe fica mt bem esta "auto-crítica"...se não pessoal, pelo menos no q toca ao grupo!:->”

Mas a auto-crítica fica sempre bem. Auto-critico-me por não ter ainda contribuído para o peditório das sub-16 este ano, mas em breve me vou por a jeito para ser mordido para uma para que não se perca a minha integração nessa cadeia (precoce) de saber…




marie said

Amor não basta... preciso de argumentos para apagar o preconceito e não deixar que esta fase na sexualidade do meu filho deixe marcas menos desejáveis...ou será que são necessárias?...
o Noiseformind talvez me possa aconselhar alguma leitura....sem esquecer que sou uma ignorante na matéria e que de psicologia infantil pouco li....”

Oh Marie… o Boss é que tinha obrigação de dar Bibliografia aqui nas aulas. Mas pronto… ele anda metido no tráfico de haxixe e está a descurar a parte do tráfico de informação ; ))))))))) por acaso estou em pulgas para ler um livroq eu vai sair recentemente com uma visão Edgy destas questões que mencionou. Se quiser partilhar da espera excitada comigo (já tenho a reserva do livro feita e tudo…) o livro chama-se
Girls, Boys, And Junior Sexualities : Exploring Children's Gender And Sexual Relations In The Primary School: Exploring Children's Gender And Sexual Relations In The Primary School
Não se deixe assustar com o título, é um livro bastante acessível escrito a partir de um conjunto delicioso de work-shops coordenados pela autora ; )))))))))))))))))

yullie said

“Marie
O Noisie habitualmente dá o cartão de visita com a morada de casa e onde diz: Vinde a mim as criancinhas"
;-)”

Yullie, estás-te a esquecer de que sou normalmente chamado “o psi do Z8” por comparação do “médico do Ferrari” aí de Lisboa ; ))))))))))))))))))))))))) com a simpática vantagem de não ter tanta pelosidade facial looooooooooooool loooooooooooool


Débora said


“Talvez a visão da sexualidade preventiva seja redutora, mas é preciso considerar que os riscos têm efectivamente, um peso enorme -gravidez indesejada, sida, etc.
De que serviria só os ensinamentos sobre a descoberta do prazer e o prazer em si, para depois morrerem de sida ou serem pais, por não estarem informados?
É evidente que a educação sexual tem que ser abrangente!”

Estou nesta coisa de passar os olhos por alguns comentários À meia-hora e ninguém me vai pagar esta meia-hora. Estou frustrado… vou-me afogar em Guronsan e em Cloreto de Magnésio loooooooool looooooooooooooooooool mas eis senão quando chego aqui à Débora e tudo muda… tudo pára… “tudo pára quando a gente faz o amor…” Realmente gostei de todo o teu comentário Debs, sabes que gostei. Quanto aos riscos é criar logo no ciclo uma disciplina com informação sobre a biologia do corpo com informação a partir do 7 ano sobre contracepção. E a partir do 9 ano informação sobre afectividade e valorização do indivíduo num contexto afectivo-sexual. Há pois… isto não há bela sem senão, não podemos dar uma no cravo e outra na ferradura. Basta ver a palhaçada do referendo do aborto. Venderam ao pessoal que não era preciso legalizar, afinal iam-se desenvolver 1001 planos de prevenção educação e sabe-se lá que mais coisas maravilhosas. Afinal… népia… pois… é muito bonito vir para aqui falar dos riscos. Mas depois não queremos que lhes falem dos riscos, pq como qq país de ignotos, ainda pensámos que falar de sexo aumenta a pratica de sexo em idade precoces. Ora nada disso, mesmo sendo os países em que a idade de início da actiidade sexual é das mais baixas, nos países nórdicos foi onde essa idade menos baixou nos últimos 40 anos!!!!! Mesmo sendo os países com sistemas de informação mais avoluídos em termos de informaçaõ sobre contracepção ; ))))))))))))))

”Não sou técnica destas questões, portanto limito-me ao que aprendo e ao conhecimento empírico. Penso que se a sexualidade fosse encarada com naturalidade, não hevria tantos debates e discussões sobre o tema.”

Se fosse encarada com naturalidade haveria a responsabilidade do estado em preparar minimamente os seus cidadãos para lidar com as questões sexuais. Os nórdicos têm os campus de verão, os alemães têm os cursos livres, os franceses têm a disciplina de sexualidade… os canadianos têm uma disciplina baseada nos inquéritos realizados aos estudantes de uma determinada escola, em que o programa é orientado exclusivamente para os alunos a partir das suas dúvidas/lacunas. Em Portugal temos a casa de putas, a queca no festival de rock de verão e a violação depois de as alcoolizar (que normalmente é assumida como uma iniciação “normal” e “quando quis” a posteriori)



“Não foi por isso que deixei de iniciar a minha vida sexual quando "aconteceu" naturalmente (não digo quando, mas não foi com 12 anos), fui mãe bastante cedo, e não me queixo de falta de orgasmos - e não precisei de aprender em grupo.
Tenho uma filha e um filho, que penso nunca se terem sentido condicionados pela família, mas também não foram encorajados precocemente. Tudo surge a seu tempo, naturalmente, quando não vivemos obcecados - mas é sempre bom estarem informados das vantagens e dos perigos que já referi.”

Tudo surge a seu tempo??????????????? Mas estamos a falar aqui de uma doença? Do tipo genética???????????????? Do tipo cancro??????????????????’ Meu Deus, NSJC!!!!!!!!!!!! Debs… fiquei triste… muito triste, desiludido mesmo… as coisas vão surgir??????????????????????? Tão não vais tomar nenhuma medida pró-activa em relação À educação sexual dos teus filhos? Quando surgir o q? Primeira vez que reparares num pacote da pílula lá em casa????????? Primeira vez que a miúda andar nervosa por o período estar atrasado? Primeira vez que o miúdo for apanhado a gabar-se ao pai de ter dado uma queca?????????????? Tipo, um tipo acaba precisamente de dizer que há 40 anos que os nórdicos e canadianos não encarama informação precoce como ensitamento e logo vens com uma coisa dessas?????????? Obrigado mas acho que não precisávamos de uma exposição tão asperamente realista do que é a educação típica Tugalesa… sim… realmente não é assim que vamos debelar a SIDA e afins… tens toda a razão…
Mas atenção... amigos como dantes... mi casa és su casa ; )))))))))))))))))))))))

Anónimo disse...

Ok... não quero parecer alarmante mas... mais alguém além de mim acha anormal que um ser humano escreva o que está aqui por cima em meia-hora?

amok_she disse...

ai...ai...ai...eu tb. fico... estarrecida!, mas...li...tudo, porra!...quer dizer: tudo, tudo o q a mim se referia, claro! q sou bem egocêntrica!:->...no resto li por alto...

...mas, oh sr faz barulho, ag presumo q tb. barrigudo!?!...pois, o rico é mt giro e mt bem apetrechado - de saberes, meu caro, de saberes q do resto ñ sei, nem temos interesse em saber,né?! e olhe q por mim ñ é só pelo 'barrigudo'(eu já explico esta m/ aversão:->)- mas...mas é mt preconceituoso!, desculpe q lhe diga mas é!...ah! e limitado!...o rico faz os seus filmes com base nas personagens q lhe dão no casting, mas ...oh rico, a vida é mt mais vasta q esses seus filmes...e olhe q essa sua (aparente?!?) fixação por pitas de 12 anos está a toldar-lhe o espírito e a visão das quaren/cinquentonas...ou então é por o menino se fixar mt aí por essas bandas do nuoooooooorte!:->

...avancemos...uma coisa q lhe acho graça...e nem pense q vou p os googles procurar informação p o entender! ... mas o rico está mt fixado, ainda!?, nessa do sexo...tipo teen de 17 anos(pois, ao q parece os boys é só c essa idade...ai q filhos precoces eu tive, caraças!)...é q o prazer, sabe rico!?, o prazer sentido apenas através do sexo é coisa de puto imaturo (ag imagine-se um puto imaturo e barrigudo, ai q os deuses me acudam!)...q me desculpe se lhe percebi mal a verve, mas...posso já ñ estar pr'ai virada, para as mil trezentas e quarenta e nove posições e meia a serem levadas a cabo todos os dias, mas...ñ me venha com estórias q aos 12, ou aos 13, ou aos 14, ou aos 15 (porra, chega!) se faz sexo com a mesma qualidade(!) que aos 20, ou 21, ou 22, ou 30, ou 31, ou 32...ok, fico-me por aqui...:->...ag se o rico se refere à quantidade...ok! se os putos e as pitas tivessem com quem acho q, realmente, devia ser a toda a hora e a todo o instante...mas a natureza sabe o q faz, né!?...em todo o caso ñ tão bem assim ou ñ exisitiriam tantas pitas...grávidas! ...é q a natureza ñ cuidou de fazer acompanhar os bébés dum curso completo de como ser pai e mãe...e depois as sociedades ajudam a escaqueirar o resto...e os "garanhões",carecas e barrigudos são só um dos instrumentos para esse escaqueirar...

...posto isto, deixe lá de tecer considerações jocosas acerca do q as quaren/cinquentonas são ou ñ são capazes de fazer pq o problema ñ está aí!, está no q fazem ou não fazem porque, quando e com quem querem!...e aí é q a porca torce o rabo!...em geral, dada a falência do macho, desistem de procurar outro melhor...ou então embalam no primeiro puto q lhes dá uns trocos de conversa...mas, rico, eu...pior q carecas barrigudos...são os putos!...é q ñ me dão tusa nenhuma!...ah, ag explico essa do barrigudo...o rico ñ se ofenda, ñ é coisa de avaliação física...q eu sei q a beleza q interessa é a interior (pois sim, m'engana q'eu gosto!:->), mas...é pá!, ñ sei...fico assim a modos q gelatinosa...ñ me dá pica...a pança, percebe?...ñ é q coloque em dúvida as capacidades do macho, mas...ñ dá pronto!, q mais quer?!?...o menino tb se encavalita com toda a gaja???...claro q ñ, né!?!...e daí...:->

...bem...se há coisa q eu ñ gosto é de imitações...por isso ñ teclo mais, ñ vá ter-lhe batido o record... reservo-me p a próxima!:->

manolita disse...

Gracias a amok_she por darle el tono de color apropiado a la imagen Disney del niñoxinfrin .

amok_she disse...

ahhhhhhhhhhhhhhh...acho q já entendi....eheheheheh...ok...ok...é q li primeiro no outro lado...:->

Lusco_Fusco disse...

Olá a todos! Prometi vir ontem mas não me foi possível.
A Educação sexual deve partir de casa. Nos primeiros porquês responder com verdade sem chocar. É preciso usar as palavras adequadas á idade. Cada vez mais cedo a curiosidade se manifesta. A minha filha com 4 ou cinco anos deixou-me um pouco perplexa com uma delas, mas acho que me saí bem, inventei uma estória que a pedido dela tenho até escrita. Esta é a estória do sucedido (os nomes são fictícios)
A sementinha da arvore


(...)A Luísa era (...). Muito traquina, viva, alegre, inteligente e curiosa. Desde cedo fez perguntas inoportunas á mãe e por vezes, atendendo á idade, difíceis de explicar.
(...)Tomava banho junto com adultos e não era proibida de entrar fosse em que compartimento fosse da casa.
Certo dia, na casa de banho, é descoberta, pela mãe, a colocar pensos higiénicos na cuequita e a deitar no cesto do lixo. A mãe, com um sorriso, dirige-se a ela e diz:
- Luisinha, estas a estragar os pensos à mãe, depois a mãe não tem.
A mãe reparou que o cesto estava cheio de pensos limpos e ralhou:
- Isso não se faz! A mãe agora precisa… isso não se faz! - e continuou- Chega um penso á mãe,dos limpos, se fazes favor. A mãe precisa…
A menina, como sempre, assiste á higiene feita pela mãe para substituição do penso e vai perguntando:
- Mãe é dói dói?
Perante a pergunta e vendo a aflição estampada naqueles olhitos grandes e ovais responde:
- Não, Luísa, não é dói dói.
A menina estranha e comenta:
- Tanto sangue!!!!!!- com uma carita de aflição
Perante isto a mãe disse:
- Luisinha isto é normal, todas as mães têm, não te preocupes a mãe está bem. É bom a mãe ter isto, sabes? Quer dizer que a mãe não está doente.Todos os meses a mãe tem, não é?
Ela pareceu sossegar um pouco, mas perguntou:
- E a Luísa não tem, porquê?
A mãe, franziu o sobrolho e começou a pensar numa maneira de explicar para que ela percebesse, e disse:
- A luisinha vai ter, agora só tem uma árvore sementinha, como a mãe tinha da idade dela…
Ela interrompe:
-Mas não deita sangue!!!!!!!!!
A mãe explica:
- É assim, a mãe também já foi pequenina como tu e também tinha uma árvore sementinha na barriguita que não deitava sangue, como dizes, mas essa sementinha deu uma árvore que cresceu, parecida com as árvores que a avó tem na quinta que dão maças, sabes?- ela estava atenta e ia abanando a cabecita curiosa de olho arregalado – É uma arvore diferente esta da barriguita, só dá uma maçã, ás vezes dá duas e até mais, mas poucas vezes. Essa sementinha está plantada na nossa barriguinha e vai crescendo como nós, devagarinho, quando já é grande, como a mãe, começa a dar uma maçã todos os meses… Se a maçã for comida, nasce um bebé, se não for comida apodrece, cai da árvore e sai este sangue … Se ficasse na barriguita estragado a mãe ficaria doente, percebes? Lembras da maçã que ficou na fruteira quando fomos de férias, lembras?... – ela assentou afirmativamente – Lembras da mãe atirar no caixote do lixo? Lembras de como ficou?
Ela muito pronta:
-Lembro ficou toda esborrachada e castanha, blheck…..
E a mãe:
- Pois, é isso, a maçã fica assim, esta não é castanha mas é igual- convencida de que a tinha elucidado deu o caso por encerrado e olha-a…
Ela estava ainda de olho arregalado e perguntou desconfiada:
- Hummm mas a "bó" num tem!... Ela é grande… - pensativa
A mãe continua:
- É verdade, a avó não tem maçãzinhas, agora. Mas já teve! Tem a árvore mas já não dá maçãzinhas. Esta árvore que temos deixa de dar maçãzinhas com a idade e a árvore da avó já não dá, percebes? – olhou-a a ver se a carita dela mostrava algum sinal de dúvida e vê-a radiante e satisfeita com a explicação e comenta:
- Eu também vou dar maçãzinhas, vou, vou!
E saiu apressada.


Desde essa idade sucederam-se outras cada vez mais complexas, para as quais criei outras estórias com conteúdo relativo á idade. Comprei livros para ajudarem a solidificar com imagens a aprendizagem. Infelizmente a juventude da idade dela não teve este contacto com verdade desde o início e a curiosidade foi maior, iniciando-se mais cedo. Gozavam-na por apenas saber teoria e ser boa conselheira, recorrendo a ela em aflição pedindo-lhe a ela para interceder junto de mim e ajudá-las. Sofri um pedacito com isto tudo, mas, posso dizer, valeu a pena! A idade ajuda a perceber junto com a educação que levam, que se devem respeitar acima de tudo e não violentar-se para não ser motivo de gozos. Poderei ser antiquada mas preservo a minha intimidade como ensinei a minha filha a fazê-lo. Sempre a eduquei para que, quando se sentisse preparada ou achasse que era a hora o fizesse. Não estou arrependida e "acompanho-a" em cada tropeço ou desilusão. O meu papel de mãe não cabe neste assunto hoje que é adulta. Apenas a ajudo e oriento sempre que me pede.
Fui muito longa. Desculpem-me.

Boa tarde

Lusco_Fusco disse...

Olá a todos! Prometi vir ontem mas não me foi possível.
A Educação sexual deve partir de casa. Nos primeiros porquês responder com verdade sem chocar. É preciso usar as palavras adequadas á idade. Cada vez mais cedo a curiosidade se manifesta. A minha filha com 4 ou cinco anos deixou-me um pouco perplexa com uma delas, mas acho que me saí bem, inventei uma estória que a pedido dela tenho até escrita. Esta é a estória do sucedido (os nomes são fictícios)
A sementinha da arvore


(...)A Luísa era (...). Muito traquina, viva, alegre, inteligente e curiosa. Desde cedo fez perguntas inoportunas á mãe e por vezes, atendendo á idade, difíceis de explicar.
(...)Tomava banho junto com adultos e não era proibida de entrar fosse em que compartimento fosse da casa.
Certo dia, na casa de banho, é descoberta, pela mãe, a colocar pensos higiénicos na cuequita e a deitar no cesto do lixo. A mãe, com um sorriso, dirige-se a ela e diz:
- Luisinha, estas a estragar os pensos à mãe, depois a mãe não tem.
A mãe reparou que o cesto estava cheio de pensos limpos e ralhou:
- Isso não se faz! A mãe agora precisa… isso não se faz! - e continuou- Chega um penso á mãe,dos limpos, se fazes favor. A mãe precisa…
A menina, como sempre, assiste á higiene feita pela mãe para substituição do penso e vai perguntando:
- Mãe é dói dói?
Perante a pergunta e vendo a aflição estampada naqueles olhitos grandes e ovais responde:
- Não, Luísa, não é dói dói.
A menina estranha e comenta:
- Tanto sangue!!!!!!- com uma carita de aflição
Perante isto a mãe disse:
- Luisinha isto é normal, todas as mães têm, não te preocupes a mãe está bem. É bom a mãe ter isto, sabes? Quer dizer que a mãe não está doente.Todos os meses a mãe tem, não é?
Ela pareceu sossegar um pouco, mas perguntou:
- E a Luísa não tem, porquê?
A mãe, franziu o sobrolho e começou a pensar numa maneira de explicar para que ela percebesse, e disse:
- A luisinha vai ter, agora só tem uma árvore sementinha, como a mãe tinha da idade dela…
Ela interrompe:
-Mas não deita sangue!!!!!!!!!
A mãe explica:
- É assim, a mãe também já foi pequenina como tu e também tinha uma árvore sementinha na barriguita que não deitava sangue, como dizes, mas essa sementinha deu uma árvore que cresceu, parecida com as árvores que a avó tem na quinta que dão maças, sabes?- ela estava atenta e ia abanando a cabecita curiosa de olho arregalado – É uma arvore diferente esta da barriguita, só dá uma maçã, ás vezes dá duas e até mais, mas poucas vezes. Essa sementinha está plantada na nossa barriguinha e vai crescendo como nós, devagarinho, quando já é grande, como a mãe, começa a dar uma maçã todos os meses… Se a maçã for comida, nasce um bebé, se não for comida apodrece, cai da árvore e sai este sangue … Se ficasse na barriguita estragado a mãe ficaria doente, percebes? Lembras da maçã que ficou na fruteira quando fomos de férias, lembras?... – ela assentou afirmativamente – Lembras da mãe atirar no caixote do lixo? Lembras de como ficou?
Ela muito pronta:
-Lembro ficou toda esborrachada e castanha, blheck…..
E a mãe:
- Pois, é isso, a maçã fica assim, esta não é castanha mas é igual- convencida de que a tinha elucidado deu o caso por encerrado e olha-a…
Ela estava ainda de olho arregalado e perguntou desconfiada:
- Hummm mas a "bó" num tem!... Ela é grande… - pensativa
A mãe continua:
- É verdade, a avó não tem maçãzinhas, agora. Mas já teve! Tem a árvore mas já não dá maçãzinhas. Esta árvore que temos deixa de dar maçãzinhas com a idade e a árvore da avó já não dá, percebes? – olhou-a a ver se a carita dela mostrava algum sinal de dúvida e vê-a radiante e satisfeita com a explicação e comenta:
- Eu também vou dar maçãzinhas, vou, vou!
E saiu apressada.


Desde essa idade sucederam-se outras cada vez mais complexas, para as quais criei outras estórias com conteúdo relativo á idade. Comprei livros para ajudarem a solidificar com imagens a aprendizagem. Infelizmente a juventude da idade dela não teve este contacto com verdade desde o início e a curiosidade foi maior, iniciando-se mais cedo. Gozavam-na por apenas saber teoria e ser boa conselheira, recorrendo a ela em aflição pedindo-lhe a ela para interceder junto de mim e ajudá-las. Sofri um pedacito com isto tudo, mas, posso dizer, valeu a pena! A idade ajuda a perceber junto com a educação que levam, que se devem respeitar acima de tudo e não violentar-se para não ser motivo de gozos. Poderei ser antiquada mas preservo a minha intimidade como ensinei a minha filha a fazê-lo. Sempre a eduquei para que, quando se sentisse preparada ou achasse que era a hora o fizesse. Não estou arrependida e "acompanho-a" em cada tropeço ou desilusão. O meu papel de mãe não cabe neste assunto hoje que é adulta. Apenas a ajudo e oriento sempre que me pede.
Fui muito longa. Desculpem-me.

Boa tarde

Débora disse...

Noisy,

"Tão não vais tomar nenhuma medida pró-activa em relação À educação sexual dos teus filhos? Quando surgir o q? Primeira vez que reparares num pacote da pílula lá em casa????????? Primeira vez que a miúda andar nervosa por o período estar atrasado? Primeira vez que o miúdo for apanhado a gabar-se ao pai de ter dado uma queca??????????????"

Não me exprimi devidamente. A maioria das vezes fui eu que comprei a pílula e os preservativos. Nós falamos com os miúdos - não existe falta de diálogo.
Eles sabem que, se ela tiver o azar de, apesar da pílula, surgir uma gravidez e ele, não de engravidar, claro, mas engravidar a miúda, podem e devem contar comigo.
Se não pedirem ajuda, pode ser mais complicado.
Está bem assim?

Saudações,
Débora

e. disse...

Débora
A sua excelente resposta que revela uma excelente condição física e mental para criar e amar gente (nascida de si e dos outros) ainda não teve resposta do seu interlocutor. Como não posso deixar passar a sua grandiosa humanidade aqui vai o meu VIVA. Passe bem Débora.