quarta-feira, setembro 21, 2005

Lógica aristotélica.

"Qualquer pessoa pode zangar-se, é algo muito simples. Mas zangar-se com a pessoa adequada, no grau exacto, no momento oportuno, com o propósito justo e do modo correcto, isso, certamente, não é tão simples".

Aristóteles, citado por Goleman no seu best-seller Inteligência Emocional.

Comentário lógico mas pouco fecundo:) - Ai não é, não...

181 comentários:

yulunga disse...

Dr. Murcon
Pela parte que me toca, e se é que me toca alguma...
Tau-tau aceite!
;-)

P.S. Rumine connosco, caramba...

yulunga disse...

Dr., Dr.
Primeiro dá-nos uma faca para que nos esfaqueemos.
Depois larga-nos o anti-coagulante.

e. disse...

Não consigo gostar desta lógica nem de tanta fecundidade anunciada.

Não sendo o erro de nos enganarmos permanentemente zangando-nos sem medida, que exercícios faríamos com o dom da fúria, tão fecundo como o da complacência?

Haja alguma fúria por favor que estas subtilezas cansam.

Manolo Heredia disse...

Tratado de inteligência emocional = tratado dos engolidores de sapos.
Salvo raras excepções!

e. disse...

alguma daquela fúria dos gigantes dantes

amok_she disse...

e. disse...
Haja alguma fúria por favor que estas subtilezas cansam.


...ah bom!, já começava a achar q era só eu...a pensar isso!...é q engolir sapos não faz nada, mas mesmo nada!, o meu estilo...:->

e. disse...

amok

mas não temos todos de engolir sapos alguma vez?

e as margens?
e o fundo?
e o estar aqui à vontade?

qual grupo qual quê!

rebeca disse...

Pois, eu por mim zango-me sempre com as pessoas que me estão mais próximas...talvez porque, inconscientemente, sei que "serei perdoada"...

Paula disse...

Na mouche Professor. :-)

Tão difícil que é zangarmo-nos 'correctamente'. Tão difícil que é a arte de libertarmos as emoções e as ideias na hora certa e com a pessoa certa. E quão difícil continua a ser discurtir discordando mas respeitando. Será que a humanidade alguma vez atingirá esse estádio?

Fiquem bem.

Juliana disse...

Boa tarde a todos!

E se fosse só nas zangas que nos "enganamos", tantas vezes....

Acho que deve estar relacionado com a dificuldade tão típica dos humanos de claramente expressarem tudo, o bom e o mau, com os medos a falarem mais alto, enfim, tudo aquilo que nos retira a autenticidade, seja qual fôr o sentimento em questão.

Não acho que seja uma questão de engolir sapos, é precisamente o contrário...se não engolissemos sapos nenhuns com certeza conseguiriamos ser muito mais tranquilos, e quando nos zangássemos não vinha a fúria, mas apenas a partilha de um sentimento.

Confesso que é um exercício que tento fazer, mas que é muito difícil - a assertividade.

yulunga disse...

Paula
Isso é quase como dizer a coisa certa, na hora certa, à pessoa certa.
Em ambos os casos algumas vezes não se acerta.
Ainda continuamos em busca do equilibrio e da perfeição.

yulunga disse...

Zangar faz bem.
Fazer as pazes faz bem.
Sal q.b. na vida ou ela seria consumida insonsa.

Juliana disse...

Lanço um desafio aos murconetes....

Uma experiência de uma semana a cultivarmos uma auto confiança que nos permita olhar para os outros e para as suas atitudes sempre com um sentido de justiça muito apurado, de forma a expressarmos tudo o que sentimos às pessoas certas, mesmo aquelas coisas pequeninas que acumuladas depois rebentam, tipo passarem-nos descaradamente à frente, na fila do supermercado...

ACEITAM??

O prof. também está convidado, claro....

yulunga disse...

juliana
A assertividade causa alguns dissabores, mas também dá um alivio que compensa a maior parte das vezes.

amok_she disse...

...mas, ó Ju, ainda te dás ao trabalho de te zangares por te passarem à frente numa fila???? bahhhhh...as coisas qd se repetem infinitamente deixam de nos causar efeito...ao menos q nos zanguemos por coisas grandes e absolutas e radicais...:->

...eu ñ posso aceitar esse desafio... já sai q nc o conseguiria...zango-me, zango-me muito, forte e feio...só assim consigo estar sempre bem... pq depois passa rápido!...aquelas alminhas q nc se zangam, q fazem sempre td muito correcto(zinho), td como manda o figurino, qd se passam ...são capazes de matar!:->...nc ouviste dizer q "cão q ladra ñ morde" e q "é dos sonsos q precisamos ter medo"???:->

PQ disse...

Temos de ter zangas politícamente correctas? Incrível...querem é acabar com as espécie...não esqueçam nem olvidem jamais ( o humor é o sal da vida ) que somos bichinhos alados e sedentos, predadores da pior espécie, o topo de todas as cadeias tróficas.

gonçalo disse...

A zanga é uma emoção que, por princípio, não deve ser reprimida. Reprimir não é o mesmo que extinguir, e por isso ela não desaparece por magia. Há zangas que duram uma vida. Mais, conter uma zanga com alguém ou algo resulta normalmente numa outra, desta vez com nós próprios, o que é uma enorme frustração:(...
A zanga pode gerar uma sensação de alívio, por isso se diz que em certo sentido é saudável.
Por regra, tendemos a zangar-nos com as pessoas mais próximas, porque são justamente aquelas que não imaginamos perder...pelo menos por causa da zanga:).

PS: Deliciosas estas músicas de Mccartney. Há cantores intemporais:)).

Maria Manuel disse...

Tanta gente que precisava de saber isto, reconhecer, melhorar... inclusivamente eu... :-), claro está!

yulunga disse...

Até amanhã maralhal.
Boas blogadas e, zanguem-se, zanguem-se mas maralhem.

Julio Machado Vaz disse...

Ó Juliana,
Isso é quase tão difícil como amar o próximo como a nós mesmos! Eu não tenho ilusões: fervo e gelo muitas vezes nas ocasiões erradas:).

Anónimo disse...

Perdemos a cabeça demasiadas vezes e muitas dessas vezes de forma dramatica. Quase sempre exageramos.

PortoCroft disse...

Caro Prof. m8 e maralhal,

Não há ninguém neste mundo que, sob determinadas condicionantes, não exploda. E nem de longe me ocorre que isso seja uma coisa negativa. Pelo contrário. O não explodir, mesmo em momentos impróprios, pode ser tão negativo como o acto em si. Se explode, alívia. Retirou uma carga negativa de si. Embora possa ser impróprio para outrém. Mas, se o não fizer, se for o borreguinho que tudo cala para não ser olhado como pessoa conflituosa, prejudica-se em termos de saúde.

O difícil é, realmente, encontrar "the right balance" entre a atitude borrêga e a agressiva.

E isso, nem com Xanax se consegue. ;)))

PortoCroft disse...

Caro Prof. m8 e maralhal,

Não há ninguém neste mundo que, sob determinadas condicionantes, não exploda. E nem de longe me ocorre que isso seja uma coisa negativa. Pelo contrário. O não explodir, mesmo em momentos impróprios, pode ser tão negativo como o acto em si. Se explode, alívia. Retira uma carga negativa de si. Embora possa ser impróprio para outrém. Mas, se o não fizer, se for o borreguinho que tudo cala para não ser olhado como pessoa conflituosa, prejudica-se em termos de saúde.

O difícil é, realmente, encontrar "the right balance" entre a atitude borrêga e a agressiva.

E isso, nem com Xanax se consegue. ;)))

Manolo Heredia disse...

Quem tem expectativas sai frustrado por vezes. Quem se frustra zanga-se.
Moral da história: Só não se zanga quem não tem expectativas.

É por isso que o cliente tem sempre razão quando se zanga! Ou é o produto que não presta ou foi o vendedor que não lhe soube explicar que o produto não correspondia às suas expectativas!

Isto é válido sobretudo para os "doentes" dos psicólogos que, não raramente, vêem a sua vida devassada pelo dito, vêem a sua bolsa esvaziada pelo dito, e quanto a melhoras.... nada!

Fora-de-Lei disse...

Eu cá sou como o Silas do Código Da Vinci... sempre que me armo em carapau de corrida, flagelo-me até cansar.

Só que em vez de usar cilícios para me fincar as enxadas ou cordas com nós para vergastar a mochila, sento-me à mesa para expiar os meus pecados, batendo-me - por exemplo - com um belo cozido à portuguesa.

Como já aqui me "zanguei" duas vezes com as pessoas certas (Porty e Noisy) e uma vez com a pessoa errada, ou melhor, com uma qualquer 'ana sampaio' que está do lado errado da percentagem (70 %), tenho que me preparar, três vezes, para a auto-flagelação.

Assim sendo:

Já amanhã - feijoada de lebre, aqui na capital do reino;
6ª feira, à noite - choco frrito, junto ao estádio do Vitórria;
Sábado - como vou passar por Ponte de Lima à hora de dar ao serrote, vai ser rojões até cair de cú.

Domingo venho de tábua a escorregar por aí abaixo, limpinho que nem um santo. Quais pecados, quais caraças... tudo expiado até à última pinga.

lobices disse...

...to Juliana at 6.03 PM:
...cito:
Não acho que seja uma questão de engolir sapos, é precisamente o contrário...se não engolissemos sapos nenhuns com certeza conseguiriamos ser muito mais tranquilos, e quando nos zangássemos não vinha a fúria, mas apenas a partilha de um sentimento.
...quando nos zangamos vem a fúria e mesmo essa fúria é já em si mesma uma partilha de sentimentos...
...é preciso a "zanga" de vez em quando para exorcisar a "débil calma" que se vai instalando ao engolir os tais sapos...
...daí que, a única necessidade é a partilha, seja ela qual for; mesmo partilhar uma zanga pode ser saudável e, como já disse, não deixa de ser um sentir (lembras-te do que te disse?...)
:)*

andorinha disse...

Júlio,

"Qualquer pessoa pode zangar-se..."
Eu diria, todas as pessoas se zangam, ou não seriam pessoas.:)
Como pergunta a e., se não nos zangássemos, que exercícios faríamos com o dom da fúria?
Eu zango-me muitas vezes, se calhar mais vezes do que devia.:)
Mas faz-me sempre imensa confusão as pessoas que dizem que nunca se zangam. Serão humanas?:)

manolo,
Ter inteligência emocional não significa que se tenha que engolir sapos, é uma visão muito extremista, quanto a mim.

e. (5.58)
" e as margens? e o fundo?...
qual grupo qual quê!"
Escrevi-te no post anterior.

gonçalo (6.56)
"...tendemos a zangar-nos com as pessoas mais próximas, porque são justamente aquelas que não imaginamos perder..."
Penso que nos zangamos com as pessoas mais próximas porque são aquelas com quem se tem relações mais profundas; em relações superficiais é difícil que haja motivos para zangas.

andorinha disse...

Lobices (8.44)
Mais uma vez estou totalmente de acordo contigo.
Estamos a ficar em perfeita sintonia, já reparaste?:)))
Gostei também do teu comentário no post anterior e disse-o lá.

Anónimo disse...

Na tropa, nas equipas de futebol, nas empresas, nas famílias, etc só há "zangas" quando há falta de disciplina, ou seja, falta de liderança.

No caso concreto aqui do blog, o Dr. Murcon tem que vigiar mais de perto o balneário... :-)

amok_she disse...

...ah o q eu gostava mesmo, mas mesmo!, era de ver alguém zangado...com meiguice!:-> ...assim a modos q alguém em fúria falando baixinho, sussurrando os impropérios, raiando ternura nos olhos irados; alguém q no meio duma zanga (daquelas bem feias) dissesse "amo-te" e continuando a zanga aqui e ali beijava e/ou acariciava o "inimigo" do momento...ah como eu pagaria para ver uma cena destas...:->

...é costume esperar-se q seja o lobo a vestir a pele do borrego, mas...ele há borregos q tb gostam de se mascarar...:->

Já que aqui estou disse...

Momento histórico
Caiu a máscara (de lobo mau)à Amok
looooooooooooooooooooooooooooooool

Anónimo disse...

Está por aí a Laura?

Laura disse...

A Laura? Qual delas? Eu?

amok_she disse...

já que aqui estiveste podias ter dito alguma coisa de jeito! amok q é amok não usa máscaras!, é agressiva e cínica por natureza!!!...anota aí!:->

Anónimo disse...

A da Maria Manuela de Sá.

Laura (a outra) disse...

Maior eclipse solar dos últimos cem anos visível dia 03
O maior eclipse solar visível em Portugal nos últimos cem anos ocorrerá no próximo dia 03, quando se registar um alinhamento perfeito entre o Sol, a Lua e a Terra. O fenómeno ocorre por volta das 10 da manhã e será mais visível no norte do país.

( 20:26 / 21 de Setembro 05 )




Durante cerca de cinco minutos da manhã de 03 de Outubro, a Lua vai sobrepor-se totalmente ao Sol, ficando visível apenas um anel de luz em torno da Lua, razão por que se chama a este tipo de eclipse anular ou anelar.


(in: tsf/sapo.pt)

Ainda aqui estou :) disse...

Tá anotado...aliás tenho um bloco só pra isso loooooooooooooooooool
As coisas de jeito deixo-as para tu dizeres. Fazes isso com uma mestria inigualável :->

Lúcia disse...

Boa noite Murcons.
Prof: esse tema logo hoje? Em que tive um dos piores dias profissionais da minha vida? Pois é, e se não fosse a minha inteleg. emocional, poderia estar na rua...

As coisas são assim: quem está perto de nós (normalmente companheiro ou amigos íntimos)serve-nos de saco de pancada. Mas já há, nomeadamente, nas relações amorosas, um entendimento basal segundo o qual se um pergunta o que é o jantar o outro responde com insultos e depois o insultado vai abraçar o que insultou porque repara que ele/ela não está bem. O companheiro servirá de explanador de frustrações e má disposições. Depois, se corre, bem, desculpas mútuas, e promessas de melhor comportamento no futuro. Há alguma liberdade para perdermos o auto controlo.

Mas se a coisa se passa noutro tipo de relações, nomeadamente profissionais, aí o apelo à assertividade e à inteleg. emocional penso que será a atitude mais correcta.

Tentamos pensar no que poderemos perder se respondermos de determinada forma. Ou não pensamos sequer, perdem-se as estribeiras e, normalmente, neste tipo de relações, as perdas serão maiores que os ganhos.

Se conseguirmos, apesar de vermelhos de raiva, conter a forma como dizemos as coisas (e muitas vezes o que estraga tudo é a forma e não tanto o conteúdo)poderemos não ganhar tudo, mas deixamos uma possibilidade de reduzir perdas. nem que não seja o pensar: o outro perdeu as estribeiras, mas eu controlei-me e o outro ainda ficou pior:)))

Por acaso acabo de sair de uma situação semelhante que foi a primeira na minha vida em que muitas coisas estavam em causa. Tenho que me cumprimentar por ter dito tudo o que quis da forma mais correcta, no momento oportuno e à pessoa certa. Não ganhei tudo, pois para se chegar a um ponto destes é porque já há algumas perdas pelo caminho, mas reduzi danos.

E apesar de estar a ferver de raiva, sei que tomei a posição correcta. Claro está que, assim que a coisa terminou, quem estava perto de mim (felizmente anmigos daqueles) levaram com a raiva contida em mim que, normalmente, se manifesta sempre da mesma maniera: isnulto, digo os maiores palavrões que conheço, bato na mesa e... prontos... Disse o que quis, antes e da forma que quis depois :))
Duvido vir a sofer de angina de peito:)) Ah, e segurei o emprego:)))

Anónimo disse...

Está a ver, Dr. Murcon?! Quem é que tinha razão?

Tem mesmo que vigiar o balneário mais de perto... Caso contrário, caem aqui estes indisciplinados todos!

amok_she disse...

ai...ai...ai!, se ainda aqui estás devias saber, de ginjeira, q eu não digo coisas de jeito! ...digo-as agressivas e cínicas!:->

Anónimo disse...

Lúcia 10:37 PM

E o que é que isso contribui para a nossa felicidade?

amok_she disse...

...desculpa lá, lucia, mas dizer depois quer dizer q ñ se disse à pessoa certa, no momento certo...é claro q fazer uma dessas tem custos, mas...ele há momentos em que a nossa dignidade vale mais q algumas perdas...é claro q nos tempos q correm colocar em risco um emprego...é do caraças!,mas...enfim, a gente aprende tudo na vida...até a ser cínica!:->

Fly_Away disse...

Aristóteles era um tipo fantástico. Já Goleman...

Um abraço de boa noite para vocês.

Anónimo disse...

amok_she 10:41 PM

Tem dó de ti própria, pariga...

A outra Laura disse...

A Laura já apareceu?

Lúcia disse...

amok_she

Não me expliquei: tive oport. de dizer o que quis, à pessoa certa, da forma mais correcta e assertiva possível e no momento certo, pois ainda tive tempo de apelar à minha intl. emocional. O depois que refiro tem a ver com a ausência da pessoa, em pude explanar a amigos o que se passou, mas utilizando outro tiop de linguagem, que me permitiu soltar a língua e dizer, por palavrões o que havia dito, à pessoa em causa, com uma linguagem mais correcta. Não quer isto dizer que o ambiente foi morno. Foi quente, muito quente. Mas não será também nesses momentos que a nossa intel. emocin. é posta à prova?

Por isso, continuo a achar que reduzi perdas. pelo menos por enquanto..:)

Anónimo disse...

Lúcia 10:52 PM

Tu não és emocionalmente inteligente. Tu és é uma grande engraxadora!

amok_she disse...

Lucia, claro q sim...é mais difícil segurar a raiva q aguentar com as consequências...e o importante nessas situações é o q cada um acha q pode e deve fazer...o resto são balelas de quem ñ está no "convento"!;-)

...ó pra mim cheinha de peninha de...mim, face à valentia dos anônimos disse...:->

vou tando por cá...mas por pouco mais tempo :) disse...

Oh anónimo tu tem lá calma, pk se a rapariga quer expôr o seu dia, tem todo o direito. Tamos cá é pra isso...ler. Vá rapariga não te acanhes, desabafa. E se te deixa feliz dizeres palavrões, diz. Quem somos nós pra julgar. Ninhguém.

Eh pah Amok tás a desiludir-me. Nada de jeito? só agressividade e cinismo gratuitos? "puro e duro"? como diz o Mestre

Anónimo disse...

vou tando por cá 11:07 PM

Tens razão. Daqui vão umas palavras de conforto para a Lúcia: não te encolhas nunca!

vou já desamparar-vos a loja disse...

apoiado
Abaixo os chefes, viva o proletariado (só digo isto sob disfarce, claro) loooooooooooooool

Su disse...

eu zango-me com frequencia ... raramente na hora indicada, no melhor momento, no grau exacto...
enfim qd me zango..não penso nisso, simplesmente...me excedo .. mesmo com xanax ....opsss acho q terei de optar pelas drogas duras :))) mesmo assim acho q me zangaria....é feitio e defeito

amok_she disse...

Não Deixes Transparecer o Teu Ódio e a Tua Ira

Deixar transparecer a ira ou o ódio em palavras ou expressões faciais é inútil, perigoso, pouco inteligente, ridículo e vulgar. Sendo assim, a ira ou o ódio devem ser demonstrados unicamente nas acções, e isso poderá ser feito tão mais perfeitamente quanto mais perfeitamente forem evitadas as atitudes anteriores.

Arthur Schopenhauer, in 'A Arte de Ser Feliz', in Citador


...ah! isto sim!, disto é q eu gosto...a vingança serve-se fria!:->

Anónimo por agora disse...

Será que não há, na zanga, algo de tão verdadeiro que deveríamos "ficar contentes" por aquela pessoa "explodir" connosco? Quando se discute, se zanga com quem está mais próximo, é porque de facto a relação assim o permite - como já alguém disse, nas relações superficiais isso não acontece, nessas nem nos damos ao trabalho, digo eu.
Creio que a zanga é algo tão genuíno como o Amor. Tudo desaba, tudo se diz, mas é sentido, é algo que vem de dentro, que não foi pensado - acho que ninguém, numa zanga, pensou convenientemente nas palavras a usar! Deste modo, o turbilhão de emoções numa zanga, penso, é dos mais autênticos. Para mim, por muito que me custe a zanga, acabo sempre por pensar "ao menos foi autentico, disse o que lhe ía na alma, sem rodeios, sem disfarces; puro e duro!" Gosto das pessoas sinceras. As zangas lavam a alma, dámo-nos a conhecer e conhecemos melhor os outros também através delas. Penso que ninguém se zanga por tudo e por nada; há sempre uma acumulação. Uns "fervem em mais água" que outros, mas como diz a canção, "todos nós temos um lado lunar". O mal não está em mostrá-lo de vez em quando, está sim, no meu entender, em não saber lidar com ele (seja o nosso ou o dos outros).
Aqui fica a provocação. Fiquem bem.

amok_she disse...

ai anônimo, anônimo...isso é uma provocação???...somos mesmo um povo de brandos costumes...:->

plim disse...

Pois eu cá, só me zango por dois motivos... Por tudo, e por nada!

Uma noite descansada
plim

dKin disse...

Alguém tem alguma receita, para conseguir, pelo menos, um bocadinho do q está descrito?

RAM disse...

Caríssimos,

Tenho a comunicar que eu reajo sempre com peso, conta e medida, com uma de 3 penas:
1 - Pena ultra-leve: "Levantar os espinhos contra problemas menores é uma sensatez de ouriço" - Nietzsche; regra de ouro!!!!!! Resolve 80% dos casos;
2 - Pena leve: Diplomacia sobre quem despoletou a minha ira! E o que é a diplomacia?
É a arte de mandar alguém à fava de tal maneira, que a pessoa fica ansiosa por ir! Resolve 18% dos casos;
3 - Pena pesada - Método queirosiano: duas bengaladas na cabeça. Resolve os restantes 2%.
Como disse...
... sempre com peso, conta e medida!
Infalivel...

noiseformind disse...

Caso para dizer... não há respeito... tá um gajo a acabar de responder a um post e tem logo pela frente... OUTRO??????

Éme, tás a perdê-la, traz mas é ganza com fartura aqui para o pessoal que a minha tá a acabar ; )))))))))))

Mas pronto, pronto, pronto, vamos lá...

A Lúcia safou-se, fez ela muito bem, e até nos deixou com uma ideia dos processos pelos quais passámos no processo mais geral de ficarmos "putos da vida" loooooooooooooooool looooooooooooooooooooooooooooool loooooooooooooooool looooooooooooooooooooool looooooooooooooooooooool oooooooooooooooooooooooool looooooooooooooooool looooooooooooooool
; )

Ficar chateado não é problema nenhum até ao ponto em que se torna uma resposta em que ficámos ausentes do próprio contexto em que ficámos irritados. Se eu fico irritado com uma bola que me entrou pela janela é uma coisa. Se eu no processo de ficar chateado com uma bola que me entrou pela janela dentro fôr buscar 4 pistolas, 3 revólveres, uma UZI e uma shotgun e matar toda a minha vizinhança já temos aqui um pequeno problema de deslocação do elemento reactivo. ; ) (petit detail claro... petit...)

O contexto em que nos irritámos é essencial para determinar até que ponto a nossa resposta está em consonância com a realidade. Sempre ADOREI os meandros do controlo da raiva (anger management) e tenho bem presentes os elementos que distorcem a nossa reacção em relação a resultados "produtivos" (ou seja, diálogo).

Vejam o caso da agressão por antecipação, muito mais comum nos homens que nas mulheres. Agride-se para se evitar ser agredido, logo os homens fazem escaladas muito mais rápidas em termos de conflituosidade verbal. Logo têm tendência em irritarem-se facilmente em excesso em relação ao elemento que provoca a discussão se o elemento reagir a argumentos de baixa intensidade.

Isso nota-se em termos de "comportamento gregário afectivo" quando a mulher exige directamente do homem (em casa ou no consultório) uma mudança de comportamento que não é aceite por ele. Dada a insistÊncia dela no único ponto que acha válido para a defesa da sua causa ele escala a discussão como forma de acabar com a mesma, ciente que o grito dele será sempre mais alto e mais definitivo. Prefere mil vezes provocar o choro nela, prefere lidar com a possibilidade de despertar nela elementos ainda mais reactivos que nele como forma de não racionalizar uma discussão que poderia levar à negociação.

Vejam bem que temos uma grande proximidade entre pessoas facilmente irritáveis e pessoas que não suportam lidar com contraditórios ás suas opiniões, portanto o nosso Santo Mahatma Ju peca quando nos traz assim tão fora do contexto o Santo Padre Goleman. Pq temos muitas vezes pessoas que têm uma pre-disposição para a irritação pq simplesmente não cultivam a argumentação cognitiva e procuram posições de superioridade moral ou afectiva como forma de resolver debates em que as variáveis e as relativizações abundem.

No processo de formação de raiva temos uma percepção de que os nossos valores e as normas que temos por nossas estão-se a perder no discurso lógico e portanto precisámos de escalar a discussão para aumentar a eficácia de controlo do canal de transmissão das nossas intenções. Esta escalada e aumento de banda traduz-se num resultado comportamental, a irritação, a raiva. (Curry e Constantine por exemplo, fizeram uns diagramas muito úteis para esquematizar o processo de escala emocional na comunicação verbal e corporal)

"Por regra, tendemos a zangar-nos com as pessoas mais próximas, porque são justamente aquelas que não imaginamos perder...pelo menos por causa da zanga:)" foi-nos dito ali pelo Gonçalo. Eh pá, então o pessoal que se zangue no namoro que é para ver se a taxa de divórcio por "diferenças irreconciliáveis" abranda. Zangamo-nos com quem nos está mais próximo pq não os imaginámos perder? Pois, se calhar é por isso que hoje em dia as amizades vão tão ao charco. Antigamente, de forma educada, as pessoas expressavam a sua frustração através de uma profunda intrispecção. Com a superficialidade (vulgo futebolização) das personalidades o berro passou a ser a forma de expressão mais adequada, mas se calhar as pessoas não aceitam isso. Olha, Gonçalo, e pq não levar isto mais longe? Vamos lá... coragem!!!!!
Vou fazer uma experiência, posso? Deixas? Vou susbtituir Zanga por bater e vamos ver como fica a tua frase?????????

BORA LÁ!!!

"Por regra, tendemos a bater nas pessoas mais próximas, porque são justamente aquelas que não imaginámos perder... pelo menos por causa de lher bater" ;) lá está... se calhar dá para perceber pq é que os maus-tratos surgem no matrimónio em dose de leão e não no namoro. Obrigada pelo teu contributo ; ))))))))))))))))))))

já o Manolo continua a sua cruzada contra a classe ; ))) "Isto é válido sobretudo para os "doentes" dos psicólogos que, não raramente, vêem a sua vida devassada pelo dito, vêem a sua bolsa esvaziada pelo dito, e quanto a melhoras.... nada!" Eh pá... manolito, guapo, já começo a achar que isso tem qq coisa de pessoal. Algum psi sacou-te o pin do multibanco? ; ))))))))))) estou em crer que não sejemos assim tão más rezes ; ))))))))) mas que posso eu fazer senão dizer que na primeira parte da tua mensagem estou plenamente de acordo, apesar de ser um pouco zen demais. Sabes que no processo relacional temos de ter uma certa medida de expectativa futura como forma de nos motivar-mos ; ))))))))) é um pouco como a raiva, precisámos de saber que estámos a progredir no campo de transmitir as emoções e para termos feedback das emoções transmitidas temos de pegar nas nossas e atirá-las para o lado de lá.
Passa-se o mesmo com os psis... temos de atirar as emoções para os lados desses abutres ; ))))))))))))))))) manda para cá, manda... loooooooool loooooooooool looooooooool looooooooooooooooool loooooooooooooool loooooooooooooool

Atenção, pessoal, cuidado com a Juliana, elas quer-vos ver a todos despedidos!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Sem provocar a deglutição de sapos pessoais, os chefes perderiam muita da sua razão de ser. Acreditemos na bondade humana, mas sem exagerar. Afinal 80% do pessoal que participa nesta caixa faz a sua participação roubando tempo de trabalho aos respectivos patrões (aí está mais um sapo para engolirem, TOMEM LÁ looooooooooool loooooooooooool)

"A raiva funciona melhor quando explicada em termos de bater nos nossos filhos. Nenhum pedagogo consciente dirá que bater por si é mau. Dirá que bater é mau QUANDO não é seguido de uma explicação cabal e de uma sincera expressão que "bater" tb doi a quem bate, não fisicamente mas emocionalmente. É esta empatia que depois não nos dizem para aplicarmos ao nosso semelhante. Quando estámos a agredir emocionalmente alguém ou a agredir para fazer parar a agressão de alguém algures pelo meio e de forma perversa perdemos a capacidade de auto-conter a nossa frustração pq devíamos nos ter apercebido lá pelo meio que estavamos a perder toda a razão endógena" do já muito citado "Criando Caim"

Mas em termos de raiva o que mais recentemente tenho apreciado são as contribuições ainda em bruto de J.S. Lerner, infelizmente muito pouco divulgado fora dos cursos especifícos de anger management. A gestão efeciente da raiva não permite apenas tomar melhores decisões, permite tb reduzir a raiva e irritação do parceiro trazendo os problemas na relação para patamares de discussão mais racionais. Além disso, o trabalho com grupos de anger management trouxeram para fora a ideia de que a raiva serve como complemento emocional de protecção para os indivíduos que recorrem a ela como meio de debater ideias e comportamentos. Os indivíduos quanto mais agredidos se sentem e mais desfasados estão da dimensão real da discussão mais usam argumentos irracionais para fazer valer o seu ponto. Normalmente as pessoas acusadas de erros reais pelo parceiro são susceptíveis de responder 8 vezes mais com debate irracional e baseado na raiva e irritação do que as pessoas acusadas sem fundamento. Como por exemplo no caso do ciúme, em que a parte acusada pela parte "susceptível" não encontrando elemento reactivo na sua acção mantém muito mais a calma no seu discurso.

Tb há o efeito bola de neve na percepção, em que pode chegar ao EXTREMO de duas pessoas acordarem na cama e uma diz com a maior inocência:

-Bom dia

e a outra, susceptível de todas as discussões passadas responde logo com um animado:

-Foda-se, já começas a discutir pela manhã??????????????

; )))))))))))))))

Vejam lá se não deixam a Juliana tirar-vos os empregos, tratem bem os vossos chefes, eles só querem lá no fundo lá no fundo o vosso bem ; )))))))))))

noiseformind disse...

Ram,
dado que hoje em dia já não se usam bengalas e dado que não te vi com nenhuma canadiana no jantar não achas que estás a exagerar no tamanho do teu marsápio? loooooooooooool looooooooooooool looooooooooooooool loooooooooool loooooooooool
E entre o colocar o dito a jeito para "bengalar" o sujeito da tua irritação e a própria bengalada não daria um espaço de tempo precioso ao antagonista para te atacar ou se pôr a jeito para outro tipo de estocada?
Perguntar... não ofende!!!

Anónimo disse...

Noise! Não sai daqui sem me explicar como faz para manter os neurónios tão acordados a estas horas irracionalmente irritantes! Cocaína talvez? Li que as pessoas com metanfetaminas ficam dias acordadas, será esse o seu caso?

noiseformind disse...

Ya, apanhaste-me anónimo, é isso mesmo. Estou entupido de Met desde os 15 anos, é tipo Obelix, caí no caldeirão da coisa em criança e agora é como vês. Tem alguns efeitos colaterais como erecção permanente e leitura compulsiva de livros de arte e de história, mas não posso fazer nada em relação a isso. Desampara mas é a loja cromo, não tens nada mais interessante para dizer sobre o post? Olha que eu tenho mesmo uma bengala, que é mais dura que qq Juranço que por aí ande escondido para "monkey spanking" loooooooooool looooooooooool looooooooooool
Já posso sair? (agitando a bengala de forma ameaçadora em frente ao écran ; )))) )

Boa noite... e bom dia!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Fugido disse...

Nada é perfeito, nós não somos perfeitos. Uma coisa é certa: a quente, as reacções são genuínas, mas muito descontroladas. Exige-se distanciamento para uma reação equilibrada.

-Stardust- disse...

Bom dia!

Ontem abandonei o computador com o post "O risco dos riscos". Hoje acordei, e no meu aquecimento matinal de pensamentos soltos e ruminações sem propósito... lembrei-me da lógica aristotélica!

Até aqui tudo bem... de manhã sou capaz de me lembrar de coisas se qualquer tipo de nexo ! O estranho foi chegar ao laboratório, abrir a página do Murcon e ler o título do mais recente post!!! Creeeeeepy!

Professor... não sei se me zangue, ;), ou se gele!!!

-Stardust- disse...

Bom dia!

Ontem abandonei o computador com o post "O risco dos riscos". Hoje acordei, e no meu aquecimento matinal de pensamentos soltos e ruminações sem propósito... lembrei-me da lógica aristotélica!

Até aqui tudo bem... de manhã sou capaz de me lembrar de coisas se qualquer tipo de nexo ! O estranho foi chegar ao laboratório, abrir a página do Murcon e ler o título do mais recente post!!! Creeeeeepy!

Professor... não sei se me zangue, ;), ou se gele!!!

yulunga disse...

Booooooooooom dia maralhal.

-Stardust- disse...

Boooooooooom dia, Yulunga!

Adorei o post do esfaqueio+anticoagulante!!! lol

RAM disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
fb disse...

Bom dia,a todos........
Aplicar "A lógica aristotélica" é como conseguir estar "no sitio certo, á hora certa" vamos lá adivinhar, saber! o impulso é algo imprevisivel, mas é esta imprevisibilidade que faz de cada um de nós seres "únicos"!

RAM disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
yulunga disse...

amok_she
Esse cinismo de que falas é mesmo cinismo? Não será uma ironia a modos que inteligentemente usada?
É que não gostaria mesmo nada de te continuar a ler e achar que possa haver por aí uma pontinha de cinismo, mesmo nada.

RAM disse...

Noise, meu Caro,

Provocações aquela hora? :)
Shame, shame.
Claro que perguntar não ofende e responder-te-ei sempre.
O recurso à bengala não implica - em 70% dos 2% de casos em que a ela temos de recorrer :))) - a consumação da bengalada.
Como sabes, a mera agitação da mesma serve, tantas vezes, o propósito de sublimação da ira, nada mais sendo necessário. A libertação de catecolaminas endógenas que antecedem o ("possível") ataque formal, dilatam as pupilas e contraiem as fibras musculares, gera uma espécie de orgasmo - não sei de quantos joules :)))))) - seguido de estado refractário posterior que permite voltar a encarar o nosso semelhante com um sorriso nos lábios. :)))))))))))))
Quanto ao jantar e ao tamanho do marsápio, começo por informar/afirmarque não sou dado a hipérboles. :)))
Agrada-me, todavia, ver que a memória não é curta. :)))
Pois bem, confesso: tentei arranjar uma mas não consegui. Ainda pensei utilizar umas das cadeiras, mas sempre achei os crimes bárbaros em público um sinal de pouca inteligência. Por fim, as amáveis e úteis indicações prestadas para tão agradável repasto serviram de atenuante, permitindo-me, já com a distanciamento que sublimou metade da raiva, comutar a pena em "pena ultra-leve". :)))))))))
Vá em Paz... ;)

yulunga disse...

Ram
O Noisie gosta de especular.
Afinal quem esteve sentado ao teu lado o durante o jantar fui eu e a Cláudia, mas já jurámos que não damos entrevistas.

RAM disse...

Yulunga,

Obrigado pela discrição.... ;))

yulunga disse...

Sobre zangas.
Zango-me quando as coisas não me correm de feição e sem Xanax; aliás eu não tomo Xanax nem coisas dessas.
Aliás um qualquer Buscopan me põe a viajar facilmente.

yulunga disse...

Ram
Qual discrição, qual carapuça.
Apenas elimino o risco de não me sentar no mesmo sitio num próximo jantar.

P.S. Ainda não tenho mais fotos.
;-)

someioburro disse...

Yulunga, se a menina montasse em mim, vez em quando, nem de buscopan precisaria. ;)

Meio-Burro disse...

Yulunga, se a menina montasse em mim, vez em quando, nem de buscopan precisaria. ;)

yulunga disse...

Meio Burro
Uma coisa a pensar.
Como sabiamente dizia uma personagem de Gil Vicente: "Antes quero asno que me carregue que cavalo que me derrube."

HarryHaller disse...

Bom, digamos,que nunca tive grande empatia, por sujeitos que gostam de arrumar a vida em armários, identificando-a por rótulos.Perguntam vocês, o que é que isso tem haver com Aristóteles e com a inteligência emocional?Tem porque Aristótetes foi o primeito tipo a colocar a vida em prateleiras, toda arrumadinha, e bem rotulada, dirão, por isso mesmo foi o primeiro filósofo, cientista, concedo, assim seja. Quanto à frase do Aristóteles, que serviu de mote às meditaçãoes do Goleman, sobre o seu conceito de inteligÊncia emocional, penso, que é um patamar emocional, que não passa de uma mera utopia, pois, nenhum ser humano, consegue alcançá-lo. Pois, a vida, não se deixa apreender por fórmulas, pois, quem consegue zangar-se com a pessoa certa, no momento certo....etc, ninguém! E porquê zangar-se,porque não cultivar a capacidade de autodominio, sem perder a firmeza? Talvez, neste patamar alcançável, esteja a verdadeira inteligência emocional, penso eu, que voa parece?

Bom dia prof.murcon, e demais murcons.

Lobo das Estepes

Meio-Burro disse...

Yulunga, zurro de prazer. ;)

yulunga disse...

Harryhaller
"porque não cultivar a capacidade de autodominio, sem perder a firmeza?"
Seria magnifico, mas é tão dificil para pessoas banais.
Talvez um qualquer Dalai Lama nos explique como se consegue.

Meio-Burro disse...

Dr. Murcon

Se até a minha burra mija para trás... ;)

Anónimo disse...

A outra Laura

Não. Não és tu.

É a que faz bicos por broches.:->

Lúcia disse...

Bom dia Murcons.
Pois é; esta coisa da inteligência emocional é lixada:
Portocroft disse que é difícil encontrar o "rigt balance" entre o borrego e agressivo.
A questão que o Harry Haller traz vai, penso eu, de encontro a esta perspectiva : Porquê não cultivar o autodomínio sem perder a firmeza? Mas se isso for alcançado, (e se colocas a questão é porque me parece que achas que essa base pode ser alcançada) não consideras que será alcançado um patamar emocional sem ser utópico? É que acho que tocaste num ponto certo, sendo por isso que não se deverá falar de utopia, dado que a aprendizagem do autodomínio será possível, pelo que a situação descrita no post poderá ser alcançada. Será assim?

O Noise faz um repto ao Gonçalo interessante: substituir a palavra zangar por bater. Interessante, mas pouco real. Noise: acho que zangar e bater são verbos com uma carga moral completamente diferente. E se há muitas zangas nos relacionamentos amorosos, nem sempre há pancadaria pois há uma base (de preconceitos, conceitos e morais sociais) que muitos casais não ousam passar. POr isso acho que não será comparável. Acho que sim senhor, o companheito/a leva muitas vezes com a frustração do outro/a, mesmo que nada tenha a ver com algo entre eles. Mas em alguns relacionamentos amorosos essa base de entendimento existe: hoje estás chateado, vá, despeja tudo, manda lá vir tudo o que tens a mandar vir e depois dizes-me o que tens afinal.

RAM: Parabéns pela intelegência na sistematização das situações possíveis: é p'ra levar com humor mas não andam muito longe do retrato que há para fazer. E aquele 2º ponto da pena leve: arte de mandar à fava de tal modo que a pessoa quer ir... Bem, se tiveram pachorra para aturar o que escrevi ontem à noite sobre uma situação específica que passei, então complemento com esta pena leve do Ram: foi exactamente isto que se passou.

Ana Samapaio disse...

A inteligência emocional é das que necessita mais de complemento nas pessoas à volta do sujeito para se manifestar. Um sujeito rodeado de pessoas nada capazes de gerir emoções tenderá a perder complexidade emocional, ou a não a manifestar dentro desse ciclo, é o que tudo o que tenho lido me tem dito. Deixo duas perguntas em relação aos dois últimos posts do Noise

Em relação ao livro que indica no comentário ao post anterior, Exploring Children's Gender And Sexual Relations In The Primary School: Exploring Children's Gender And Sexual Relations In The Primary School, estará disponível apenas na Amazon e apenas no fim de Outubro, Noise?

J.S. Lerner está traduzido em português?

Perdi os 3 disse...

Abençoada menina Yulunga.

Como invejo vê-la montar em pêlo.

noiseformind disse...

Ram,
Mesmo assim, acho que deves usar uma meia para abrigar a bengala orgânica ;) e sendo que muitas vezes basta mostrar isso não pode trazer-te problemas? Olha que o exibicionismo na via pública (ainda) é crime looool looooooool loooool
Quanto a cadeiras já me estou a lembrar dos trabalhadores do comércio "Chamem a polícia... chamem a polícia..."

Ana S,
J.S. Lerner traduzido para português???????????? Bem... isso quereria dizer que os programas universitários Tugas estariam up to date com os programas americano e Britânico, o que seria uma vergonha para as nossas universidades, tão firmemente arreigadas a terem currículos mono-clássicos ; )))

Quanto ao livro em epígrafe, pode sempre assaltar a editora e obter, sob ameça de arma/bomba, um exemplar. Ou dois, depois mande-me um via Serviços Prisionais ;) a Amazon costuma ser a forma mais rápida de obter o livro pq o enviam de forma a estar em sua casa no dia da publicação e não o enviam apenas no dia da publicação. Pode parecer um pormenor, mas mais 3cm de comprimento no pénis tb são um pormenor e há gente a pagar balúrdios para o obter ; ))))))

Lúcia,
Num país em que a maioria das adolescentes diz que levar uma chapada na cara não é motivo para acabar uma relação podes crer que a substituição faz todo o sentido ;) Portugal não é só o teu bloco de apartamentos ou a minha casa looool loooooool loooooooool se bem que aqui por casa a agressão mais comum é mesmo a dentada e só entre espécimens caninos looooooooooooool



Mahatma Éme!!!!!!!!!!!!!

Em suplício venho até ti pedir orientação!!!! Candidato a presidente de Câmara (e Presidente há já muito tempo) pede-me que integre a sua lista (vitoriosa à partida) para fazer parte de uma ofensiva psi a ser lançada sobre a cidade, mormente na área do marketing e de gabinetes de apoio vários, desde o Gabinete de Apoio à Dona de Casa Traida ao Gabinete de Apoio ao Companheiro Homossexual Passivo. Será que já tenho idade para lidar com sacos azuis? E não poderei usar os comuns sacos de lixo pretos ou sacos ecológicos? Será que tenho seguro de deslocação ao Brasil? E continuarei a receber lá o vencimento? A angustia da incerteza consome-me, ajudai-me!!!

fora-de-leie disse...

Ana Samapaio 10:51 AM

"A inteligência emocional é das que necessita mais de complemento nas pessoas à volta do sujeito para se manifestar. Um sujeito rodeado de pessoas nada capazes de gerir emoções tenderá a perder complexidade emocional, ou a não a manifestar dentro desse ciclo, é o que tudo o que tenho lido me tem dito."

Se isto não é o povo, onde é que está o povo ?

PS: o meu nick está propositadamente estúpido na sua escrita (leie) para poder respeitar as regras ortográficas do anagrama "samapaio"

yulunga disse...

fora da lei
Olha já pareces o outro do tal livro. Todo dado a simbolos.
Olha que ainda não cheguei lá (à minha relação com ele).
Tenho mesmo que ler o tal Código?

Ana Sampaio disse...

fora-de-lei,
Não acha um pouco (para ser pífia) infantil andar a reparar no que é obviamente um lapso de escrita?
Sim, é o povo, um povo estúpido. Se a pressão grupal for no sentido de estimular o indivíduo a melhorar-se teremos um povo inteligente. Ou só lê comentários de 40 caracteres ou menos? É que muito já se falou de nós como povo neste post e no anterior. Ou essa ideia assusta-o e só está bem quando a malta se junta e acende uns archotes e se faz uma revoluçãozita? Um povo pode ser mais ou menos inteligente, mais ou menos complexo. Desculpe-me se não acho que um maior nro de BMWs e Mercedes nas ruas se traduza numa melhoria dos portugueses como povo.

fora-de-lei disse...

noiseformind 11:18 AM

"Será que tenho seguro de deslocação ao Brasil? E continuarei a receber lá o vencimento? A angustia da incerteza consome-me, ajudai-me !!!"

Embora o pedido de ajuda não me seja dirigido, ninguém pode ficar indiferente a tamanha aflição. Seria desumano... ;-))

Assim sendo, cá vai o meu pequeno contributo: fazes como o outro... não precisas de ir para o Brasil. Mesmo que já tenhas tido bombistas na família e até já tenhas praticado todo o género de patifarias, arranjas por aí uma Amarante qualquer e estás safo.

Valeu ?! Manda sempre... os amigos são para as ocasiões !

Ana Sampaio disse...

Mas obrigada pela solidariedade demonstrada com a minha dislexia temporária ;)
Isso não foi feito com segunas intenções pois não? Não vou começar a ouvir o tã tã tã tã tã do JAWS como no comentário do Noise lá atrás, certo?

HarryHaller disse...

Respondendo às questões colocadas pela Yulunga e pela Lúcia, esclareço pela ordem das perguntas: cultivar não é ter á priori a capacidade, isto é, faz parte de uma aprendizagem ao longo da existência de cada individuo, e não creio que isso,só esteja ao alcance de iluminados,pois, quem é o Dalai Lama? um ser humano como eu e como tu, com o seu singular percurso de vida.Perguntas, é uma tarefa fácil? Não não é!

Sim Lúcia, o que é afirmado no post(digo, o que afirmou o Goleman) é na minha perspectiva inalcançável, e firmeza, não se confunde com violência, de qualquer espécie, ou com ficar zangado.

Lobo das Estepes

fora-de-lei disse...

yulunga 11:27 AM

"Olha já pareces o outro do tal livro. Todo dado a simbolos."

Sou assim desde puto. Não pertenço à tribo dos circuncizados mas sempre fui muito cabalístico... ;-))

By the way... se adivinhares o símbolo que representa o meu coração, dou-te um doce !

yulunga disse...

Harryhaller
Por ele precisamente ser um ser humano é que falei dele.
Aquele pessoal daquelas bandas, não sei se por não serem praticantes de uma religião mas sim de uma filosofia de vida, têm uma capacidade para o auto-controle fora de serie.
E pessoalmente acho esse auto-controle muito importante quando a zanga é interior do que quando é com os outros.
Aos outros podemos sempre virar as costas e deixá-los a falar sózinhos

yulunga disse...

fora da lei
Cabalistico?
Se adivinhar? Baseada em quê? Nalguma simbologia em particular?
Sei muito pouco disso, mas aceito o desafio, mais que não seja irei procurar informação. Alguma coisa aprenderei.

fora-de-lei disse...

Ana Sampaio 11:29 AM

"Desculpe-me se não acho que um maior nro de BMWs e Mercedes nas ruas se traduza numa melhoria dos portugueses como povo."

Primeiramente, quero deixar bem vincado o facto de ter apreciado positivamente teres escrito BMWs em vez de BMW's. É uma evolução significativa (joking)...

Quanto ao conteúdo descritivo do parágrafo, em si, concordo. Ainda para mais porque muitos desses BMWs e Mercedes são como certos casacos de pele que custaram às respectivas donas os olhos da cara... ;-))

Embalado pela ideia, deixo-te aqui um verdadeiro ícone do "white rabbit squad" do qual eu fiz parte integrante quando vagueei pela Old Albion. "Sabes qual é o maior sonho de um coelho ? É ter um casaco de pele de puta. E sabes porquê ?"

white rabbit squad - grupo de marado(a)s que se entretinham a lixar os casacos de pele das tias que se passeavam pela down town

lobices disse...

...BOM DIA (boa tarde já...) PARA TODO O MARALHAL...
...nada melhor que uma zanga para estancar os diques que se abrem e deixam verter as lágrimas...
...depois vem a paz de espírito e a pacificação...
...estar bem é sentirmo-nos bem aconteça o que acontecer
...e a paz nos circunda
abreijos

fora-de-lei disse...

yulunga 11:54 AM

"... aceito o desafio..."

1-9-21-7-1

Tens o dia todo para resolver... ;-))

PS: não se trata de uma progressão geométrica !

yulunga disse...

fora da lei
Tanto, mas tanto que se lê na imprensa ONG's por exemplo.
Mas olha que BMW não se é considerado sigla se não.
Que raio de apontamento esse que me levantou agora uma duvida tramada.

fora-de-lei disse...

lobices 12:12 PM

"... depois vem a paz de espírito e a pacificação..."

E, às vezes, uma bela queca... ;-))

yulunga disse...

fora da lei
É um anagrama?
A relação é de numeros com letras?
Tou tramada.
E se não te importas tenho pelo menos uma semana.

fora-de-lei disse...

yulunga 12:19 PM

"Mas olha que não sei se BMW é considerado sigla se não..."

Bayerisch Motor Wagen

fora-de-lei disse...

yulunga 12:22 PM

"E se não te importas tenho pelo menos uma semana."

Tens que ter isso resolvido até 30 de Setembro !

yulunga disse...

fora da lei
Assim sendo escreve-se por ex. vários BMW sem nenhum "s".

Até 30 de Setembro tenho neurónios para matar é isso?
Ok. Vou tentar.

fora-de-lei disse...

fora-de-lei 12:24 PM

ERRATA: Bayeriche Motoren Werke

Entschuldigung, meine Dame !

yulunga disse...

fora da lei
O anagrama da palavra águia ou água em catalão(?) é demasiado óbvio para valer um doce.

fora-de-lei disse...

yulunga 12:33 PM

"Até 30 de Setembro tenho neurónios para matar é isso?
Ok. Vou tentar."

Vais ver que é fácil... é como quem limpa o cú a meninos ! Ou melhor, é como quem joga ao botão ! Isto para que não hajam interpretações insidiosas de certas palavras, nomeadamente por parte do Noisy... ;-))

só prá ajudar lol disse...

Fora de lei
Tens ainda de fazer uma errata da errata.
ai ai ai ai quando querem falar estrangeiro!!!!

ovo mole disse...

"Mas zangar-se com a pessoa adequada, no grau exacto, no momento oportuno, com o propósito justo e do modo correcto(,,)"


Pois claro que não é fácil.
é por não ser capaz de o fazer assim que tenho pantanais dentro de mim.
Mas vou melhorando com a idade.

fora-de-lei disse...

yulunga 12:45 PM

"O anagrama da palavra águia..."

É isso mesmo. O meu coração tem uma águia por símbolo.

A ideia era chegares lá rapidamente, dada a facilidade de "leitura". Um dia destes, lanço-te um que te parte a carola toda. Ok ?!

Fácil ou não, a verdade é que estás de parabéns !

yulunga disse...

fora da lei
YES!
Prepara então aí um desses.
Fico a aguardar.

Lúcia disse...

HarryHaller:
Compreendi que quando falaste de firmeza não te referias a violência ou zanga.Mas dizes que a inteligência emocional da forma decrita é um patamar emocional que não passa de mera utopia. O que te pergunto é se não achas, mediante a tua afirmação (com a qual concordo) que cultivar a capacidade de autodomínio (e acho que é uma tarefa para concretizar ao longo da vida)sem perder a firmeza, não será o caminho para alcançar o tal patamar emocional que achas ser um utopia?
É que a mim parece-me que sim, a inteligência emocional é algo que não vem connosco a priori (poderá haver uma predisposição biológica, mas não sou apta a falar disso), mas é fruto de uma relação de equilíbrios que aprendes a estabelecer ao longo do tempo. E aí acho que, aos poucos, podemos chegar ao estádio que Aristóteles referiu.

É uma aprendizagem com muitos recuos. Há alturas que pensas que atingiste um ponto de controlo emocional que te permite gerir a tuas vivências de forma equilibrada, pesando e medindo as perdas e os ganhos. e, de repente, foge-te o pé para o chinelo. Porque ninguém é perfeito e poucos são os que tentam ser.
Noise:
Entre chapada e dentada, prefiro a dentadinha:)))

fora-de-lei disse...

só prá ajudar lol 12:46 PM

"Tens ainda de fazer uma errata da errata."

Tem a ver com a declinação do "meine", não ?!

PortoCroft disse...

Caro Prof. m8,

Tomei a liberdade de colocar, no Som, um exemplo que contraria a "Lógica aristotélica". ;))))))

yulunga disse...

Oh Dr. Murcon
E por vezes não será essa pessoa adequada que por nos ter feito zangar no momento errado, na hora errada se transformou ela em adequada?
Para haver uma zanga entre pessoas têm que existir pelo menos duas.
Qual a adequada e a desadequada?

UNIVERSALEX disse...

MURCON

és mesmo murcão...então não sabes que os blogistas são todos apanhados da pinha?

A unica coisa que te safa é a musica que dás..eh! eh!

yulunga disse...

Oh Dr. Murcon
Explique como coloca no titulo a lógica e depois na post tem um MAS.
Afinal falamos de lógica, de duvida ou das duas?
Ganda nóia!

PortoCroft disse...

UNIVERSALEX,

Bananas é mais o departamento da Yulunga. Vai lá vai. ;)

yulunga disse...

Porty
?????????????
Olha lá o respeito

Rataplan disse...

Caros Murcons,

Isto parece andar animado! Pena eu não conseguir acompanhar, dei baixa à enfermaria!

Beijos e abraços a gosto!

PortoCroft disse...

Yulunga,

Que foi? ;)

És muito maldosa miúda. ;))))

yulunga disse...

Porty
Respeito sim.
Sabes bem que estou de dieta.
Que adoro fruta, mas que a banana está excluida, bem como as uvas.
Já só me faltam perder 5 :)))))))))

PortoCroft disse...

Yulunga,

Pois, pois. ;))))

De joelhos já. Três Murcon nossos e uma Avaria. ;))))))))

yulunga disse...

Universalex
Este pessoal é realmente todo apanhado da pinha.
Ora nos comemos vivos, ora nos amamos...
Wellcome to the jungle.

yulunga disse...

Porty
Vê lá se para o teu fetiche esta imagem está boa.

Meio-Burro disse...

Também não era preciso lhas dar descascadas.

PortoCroft disse...

Yulunga, Minhá filhá...

Bót'um olhá máis dji pécádôra, né guria? ;)

yulunga disse...

Porty
Também já estás como o Noisie?
Vinde a mim as criancinhas que está na hora da catequese.

amok_she disse...

Este homem, de vez em quando, passa-se...e diz umas coisas de jeito...

noiseformind disse...
Vejam bem que temos uma grande proximidade entre pessoas facilmente irritáveis e pessoas que não suportam lidar com contraditórios ás suas opiniões, portanto o nosso Santo Mahatma Ju peca quando nos traz assim tão fora do contexto o Santo Padre Goleman. Pq temos muitas vezes pessoas que têm uma pre-disposição para a irritação pq simplesmente não cultivam a argumentação cognitiva e procuram posições de superioridade moral ou afectiva como forma de resolver debates em que as variáveis e as relativizações abundem.
4:13 AM


...deixem-me lá ir ler o resto...;-)

PortoCroft disse...

Yulunga,

Olha lá. Respeitinho. O único menino (Jesus!...) que comi, com gosto, já há muitos anos, era de chocolate, ok? ;)))))))

fora-de-lei disse...

PortoCroft 2:27 PM

"De joelhos já."

Se não tivesses acrescentado "três murcons nossos e uma avaria" eu até pensava que a finalidade era outra... ;-))

Mas isso não interessa... isto é que é importante: agora é que devias ir à tua terra - Seixal. Aquilo está a ficar lindo... mais lindo que nunca !

Qual Alcochete, qual Olival, qual caraças... Seixal é que é !

PortoCroft disse...

Fora-de-lei,

A Avaria é isso. ;)))))))))))

Sei. Aquele Seixal é muito lindo. Agora então, passa a figurar nos mapas desportivos de todo o mundo. ;))))

yulunga disse...

Esse meio burro também me parece suspeito.
Nunca entendo com que parte ele se exprime; se com a parte do burro se com a parte do meio.
Até mais logo.

amok_she disse...

yulunga disse...

amok_she
Esse cinismo de que falas é mesmo cinismo? Não será uma ironia a modos que inteligentemente usada?
É que não gostaria mesmo nada de te continuar a ler e achar que possa haver por aí uma pontinha de cinismo, mesmo nada.

9:18 AM


...minha cara, a isso ñ posso ser eu a responder-te...etiquetas ñ é comigo! ...uso as q os outros me fornecem... tão simples como isso!...e é claro q, neste caso, prefiro a tua etiqueta: "ironia inteligentemente usada" ...uauuuu, começo bem o dia!...mas ñ me dês muitas destas q o meu ego ñ aguenta...;-)

amok_she disse...

(xiiiiii, com esta do "começo bem o dia, toda a gente vê q acabei de acordar, caraças...grrr)


:->

Anónimo disse...

Está por aí a Laura?:->

yulunga disse...

Meio Burro
Ressalva ao meu comentário das 2:48
"se com a meia parte do burro, se com a meia parte do meio"
:-)


amok_she
;-)

Meio-Burro disse...

Yulunga = Meia parte do meio é um quarto, não é? Isso é um convite pró palheiro? ;)

Imprevista disse...

Noiseformind
"Como por exemplo no caso do ciúme, em que a parte acusada pela parte "susceptível" não encontrando elemento reactivo na sua acção mantém muito mais a calma no seu discurso."

Como eu compreendo esta frase. As minhas maiores dicussões são sempre motivadas por ciumes. E o q é q o meu companheiro faz?! Mantém-se com a maior das calmas enquanto a minha raiva vai aumentando.

Além de me continuar a zangar, tb não tenho aprendido muito com os erros. O meu amar é assim!

;)

noiseformind disse...

Até À perda da coisa amanda...
Ou até aprenderes a amar a amar de outra forma...
Ou até deixares de acreditar no Amor...

CAminhos vários a seguir, faz o favor de ser feliz imprevista... ; )

amok_she disse...

imprevista

...menina!, toma tento e recua!!!...ciúme ñ é sinónimo de amar...aliás, eu acho q quem ama...ñ duvida!, mas podes ter como certo q o silêncio do "acusado" é o começo do caminho do fim...ñ há nada pior, no amor, q sentirmo-nos acusados de algo sem razão de ser...e ciúme é isso: dúvidas, acusações e agressões (as psicológicas são as piores!) sem fundamento...se existir fundamento chama-se tudo menos ciúme!

Anónimo disse...

boa tarde,
entrei e li, se percebi mal, digam !!! mas isto pareçe mais um blog fechado, um grupo com "uma sala de conversação privada"..........é este o conceito?

Imprevista disse...

Obigada Noiseformind.

amok_se
Pois, tomar tento e recuar. É mesmo o q tenho q fazer. Mas depois de já nos termos sentido traidos(mesmo não tendo sido uma traição física), fica dificil não duvidar.

amok_she disse...

...antes de duvidar há q tentar entender...ainda mais nessas das "traições não físicas"...meus deuses, onde é q já ouvi isto...

...só posso dizer-te para tentar /procurar entender...os juizos precipitados só provocam sofrimento...tantas vezes desnecessário...as coisas nem sempre são o q parecem, ou o q se quer q pareçam...e nós somos - todos! - humanos, ñ somos máquinas...

yulunga disse...

Anonymous
Parece, mas não é.
Faz o seguinte: lê o post, lê os comentários, pega numa ponta qualquer deste novelo e enrola-te para aí.
;-)

amok_she disse...

imprevista, toma lá:

"O Verdadeiro e o Falso Ciúme

E desprezamos um homem que é ciumento de sua mulher, pois isso é uma prova de que não a ama da maneira certa e tem má opinião de si ou dela. Digo que ele não a ama da maneira certa porque se lhe tivesse um amor verdadeiro não teria a menor inclinação para desconfiar dela. Mas não é à mulher propriamente que ama: é somente ao bem que ele imagina consistir em ser o único a ter a posse dela; e não temeria perder esse bem se não julgasse que é indigno dele, ou então que a sua mulher é infiel. De resto, essa paixão refere-se apenas às suspeitas e às desconfianças; pois tentar evitar algum mal quando se tem motivo justo para temê-lo não é propriamente ter ciúmes.

René Descartes, in 'As Paixões da Alma', in Citador



;-)

Imprevista disse...

amok_she
Mais uma vez obrigada.
Vou reflectir sobre tudo isto.

:)

Marie disse...

Noise,
mesmo que tardiamente
um grande bem haja.

HarryHaller disse...

Lucia
respondendo,à questão que me colocaste,concordo contigo que estamos predispostos para a inteligência emocional, como estamos predispostos para a inteligência intelectual, acrecento eu, e que portanto, ambas, para se realizarem fazem parte de um percurso existencial. Já, quanto ao cultivo do autocontrolo, sem perder a firmeza, quando temos que ser firmes, e uma vez alcançado, esse estado emocional,chegarmos ao estado emocional preconizado por Aristóteles, não creio, na medida em que,naquele estado, não há lugar para a zanga.Contudo,concedo, que poderá haver uma semelhança entre os dois estados emocionais, na medida em que, em ambos, se estaria num nível elevado de inteligência emocional.

Amok-She

Quem consegue amar, sem ter ciúmes!? De que amor estás a falar, e de que amor falava Descartes?E já agora sabes ou alguém sabe-me explicar o que é o amor? Imagina,que amas alguém e que és correspondida, se essa pessoa, mostrar indiferença, por um acto teu, que humanamente,é susceptível de criar ciúmes,diz lá, que não vais pensar que essa pessoa não te ama?Claro que vais, pois, és humana, e é assim que todos nós somos, e é assim que todos nós reagimos.Quem diz o contrário, está a pensar somente no plano abstracto,pois, é isso, que os filósofos falam, quando dizem que quem ama verdadeiramente não sente ciúmes, é mentira. Pois, esse amor, é uma criação intelectual, até que não consta que Descartes alguma vez tivesse tido alguma relação amorosa.Nisso, do amor , que é fruto de um sistema filosófico,dou tanto crédito, como dou aos padres que falam do amor entre o casal e os seus filhos, pois, que sabem eles, de uma coisa que não vivem!

Lobo das Estepes

barman disse...

Igreja Católica, 1 - Lobby Gay, 0

O Vaticano vai promulgar normas que proíbem os homens com tendências homossexuais de serem admitidos em sacerdócio, ainda que mantenham o celibato. Esta exclusão dos homossexuais deverá entrar em vigor dentro das próximas seis semanas.

As novas normas não supõem nenhuma mudança de doutrina, uma vez que, apesar de não terem sido aplicadas nas últimas décadas, existem regras semelhantes anteriores. Existe um documento de 1961 que aconselha contra a ordenação de quem tenha «inclinações perversas, como a homossexualidade ou a pedofilia».

Católicos como os da organização norte-americana “Católicos Unidos pela Fé”, apoiam as normas porque acreditam que alguns aspirantes heterossexuais ao sacerdócio poderiam ter receio de entrar nos seminários se a maior parte dos seminaristas fosse homossexual. Um porta-voz dos “Católicos Unidos pela Fé”, afirmou que admitir homens com tendências homossexuais num seminário «é o mesmo que encarregar um alcoólico de gerir um bar».

Manolo Heredia disse...

Muita inteligência emocional temos nós, os ocidentais, que sofremos durante séculos a influência do catolecismo intolerante. Quem não reprimia as emoções inatas (próprias na natureza) ia para a fogueira!
Deu-se tal depuração na Espécie que ficámos a "carneirada" que agora somos. Tudo se levanta cedinho para ir para o emprego, e ninguém refila quando o autocarro chega 1/2 hora atrasado!
Isto não é inteligência emocional?
Ainda querem mais?
Só se querem que sejamos todos "pederastas de balcão" como dizia o poeta!

amok_she disse...

bem...bem, lobo...vamos lá a ver se usamos o mesmo dicionário...pq é certo: existe uma infinidade de amores...tantos quantos nós somos, posto q cada um ama à sua maneira, mas...

Imagina,que amas alguém e que és correspondida, se essa pessoa, mostrar indiferença,(...)

...repara, há aí qq coisa q ñ joga...como é q para alguém q me ame...lhe sou indiferente?...o problema, tantas vezes, é q as pessoas se recusam a olhar os sinais...e por outro lado tb empenham-se a inventar sinais!...aquilo a q tantas vezes se chama indiferença (ou mesmo um certo afastamento) nem sempre corresponde a menos amor...c'os diabos! todos precisamos, nem q seja só de vez em quando, dum tempo e dum espaço só para nós!

...o q eu não recuso assumir é, aqui e ali, alguma pontinha de insegurança, mas...o amor, se é amor, acalma essa insegurança natural em todo o ser humano q ñ viva fixado no seu umbigo...ag o q ñ posso aceitar é o ciúme desenfreado e mt menos q mo apontem como sinal do mt amor existente...recuso pq é mentira!, em geral os ciúmes, qd ñ resultantes de desequilibrios psicológicos, são meramente desejos de posse e um ser humano ñ é propriedade de ninguém! nem da pessoa q mais ama!...e isso é uma coisa q nós esquecemos de deixar claro qd no auge da paixão...depois, paga-se caro...

yulunga disse...

amok_she
Eu parece-me que o excesso de ciume, com ou sem fundamento, pode (por deficiência de principios e de educação) ou não levar levar acusações e agressões.
Pus de parte as duvidas, pois acho que em certos momentos estas podem surgir sem que isso implique falta de amor.

Os ciumes com conta peso e medida acho que fazem parte do amor.
Somos ensinados a partilhar tudo desde pequenos, mas também somos incentivados na busca da felicidade.
Com terceiros partilhamos de ânimo leve quase tudo menos o amor.
Partilhamos o amor com quem nos trouxe essa felicidade e porque ela é por vezes tão dificil de alcançar, é-nos dificil a partilhá-la com terceiros talvez com o medo de a perder.
Acho que por outro lado os ciumes são um pouco também uma protecção em relação ao outro, ou seja uma protecção à felicidade que lhe damos e que julgamos mais ninguém conseguir dar da mesma forma.

amok_she disse...

... mas ñ está mais q bem esclarecido q essas teorias da "inteligência artificial" se devem às pesquisas pagas pelo poder - seja ele qual fôr! - para manobrar as massas...já q o ópio do povo já deu o q tinha a dar?!?:->

...curiosa esta fase da Humanidade onde as investigações científicas se centram mais nos interesses económicos q no bem estar da dita...só se a definição de Humanidade, agora, é "lindos, ricos e poderosos"...já agora em contraste com os "feios, porcos e mais" q sempre fomos...

yulunga disse...

Harryhaller
Eu acho que o amor é alcançar a felicidade.
Desde que se ame algo ou alguém é-se feliz.

HarryHaller disse...

Amok_she

"repara, há aí qq coisa q ñ joga...como é q para alguém q me ame...lhe sou indiferente?...o problema, tantas vezes, é q as pessoas se recusam a olhar os sinais...e por outro lado tb empenham-se a inventar sinais!...aquilo a q tantas vezes se chama indiferença (ou mesmo um certo afastamento) nem sempre corresponde a menos amor...c'os diabos! todos precisamos, nem q seja só de vez em quando, dum tempo e dum espaço só para nós!"

Pois, imagina, que esse alguém que te ama,vem a saber por ti, que tu tens uma paixão por um colega, e que não manifesta,qualquer sentimento, limita-se a "encolher os ombros" ora segundo as tuas opiniões, temos aí o paradigma, do verdadeiro homem ou mulher que ama, que sabe o que é o amor. Contudo, se o ciúme não faz parte do amor, então nunca houve amor na humanidade, salvo excepções, onde estás incluida tu.

PS: O meu dicionário foi durante muitos anos o da Porto Editora,mas agora,estou na fase do da Academia de Ciências.

Lobo das Estepes

fora-de-lei disse...

Manolo Heredia 6:18 PM

"Tudo se levanta cedinho para ir para o emprego e ninguém refila quando o autocarro chega 1/2 hora atrasado!"

Mas refila o chefe porque um gajo chegou atrasado por causa do atraso do autocarro. E um gajo, carregado de inteligência emocional, deixa que o chefe refile da forma que mais lhe apetecer.

Assim, um gajo começa logo de manhã a encher o saco e depois chega a casa, ao fim do dia, já sem qualquer inteligência emocional... Depois, por uma merda de nada, arranja uma confusão desgraçada com a mulher, com os filhos, etc.

Ou seja, é tudo gente sem inteligência emocional. À excepção do chefe... ;-))

yulunga disse...

fora da lei
à excepção do motorista, não?

Olha lá e aquilo é só uma unica palavra?

fora-de-lei disse...

barman 6:10 PM

"O Vaticano vai promulgar normas que proíbem os homens com tendências homossexuais de serem admitidos em sacerdócio..."

Eu, que até achava que o actual Papa Bento XVI tinha uns certos trejeitos que lhe davam assim um "toquezinho a azedo", sou agora obrigado a dizer: ah ganda pastor alemão, é assim mêmo !

Meio-Burro disse...

Fora-da-lei,
Não entendo a tua alegria: Ou largas o hábito ou os maus hábitos. ;)))))))

HarryHaller disse...

Amok-She

Seguramente que as massas não lêem literatura sobre inteligÊncia emocional, a não ser, que estejas a falar dos povos nórdicos, ou dos povos da ex-União soviética, ou, em alternativa, consideres os jornais desportivos, literatura sobre inteligência emocional!? Nós vivemos no País dos futebóis, e dos talk show,big brothers, e quejando afins, tal como há dois mil anos em Roma,o ópio do povo, continuam a ser esse exemplo de eventos. Quem me dera, que a inteligência emocional, fosse o ópio do povo português. E deixa-me que te diga,que estou estupefacto, quando dizes,"...curiosa esta fase da Humanidade onde as investigações científicas se centram mais nos interesses económicos q no bem estar da dita...só se a definição de Humanidade, agora, é "lindos, ricos e poderosos"...já agora em contraste com os "feios, porcos e mais" q sempre fomos... " Em que fase da história da humanidade, as investigações cientificas, se centrou, no bem estar da humanidade,e fico estupefacto, por que a minha(sem qualquer laivo de conetação possesiva) ou o meu(sem qualquer laivo de conotação possessiva)parece-me uma pessoa com alguma cultura,fazer uma afirmação dessas, não lê história universal? Diga-me portanto, ou escreva aqui neste espaço de debate, alguns exemplos demonstrativos daquilo que afirmou.

Lobo das Estepes

fora-de-lei disse...

yulunga 6:50 PM

"Aquilo é só uma única palavra ?"

São várias, mas igualmente fáceis. Ainda não é o ultimate challenge... ;-))

plim disse...

Boas...

Yulunga

..."Somos ensinados a partilhar tudo desde pequenos, mas também somos encentivados na busca da felicidade."

Achas mesmo que isto é verdade? - ou gostarias muito que assim fosse?
Ou será que não habitamos o mesmo planeta, e o Murcon já chegou a outra galáctica e eu não sei?

Como eu gostaria de acreditar nestas tuas palavras... Como seria bom...

plim

lobices disse...

...já escrevi tanto sobre o amor e sobre o amar que não o vou fazer aqui outra vez... iria cair na minha "verdade" e ela é, como toda a gente sabe, apenas minha, porque todos vós tendes a vossa própria verdade...
...mas não resisto e vou voltar a falar e a culpa é vossa!...
...
...aquilo que para mim é o "amor" pode não o ser para o outro (e de certeza que não o é)
...o "amor" é um sentimento, um sentir algo por uma determinada "coisa"; eu posso sentir amor pelo meu filho mas isso não significa que o esteja a "amar"...
..."amar" é outra coisa: é uma acção, uma entrega, uma dádiva, um querer bem sem esperar retorno; logo, quase que é impossível "amar" porque desde logo quem ama quer ser amado...
...e, amar, não é isso; amar não é amar e querer ser amado; amar é apenas amar...
...já o "amor" é o que duas pessoas (ou mais) sentem um pelo outro num sentir que se está "bem";
"amor" é o que se sente por um sem abrigo mas "amar" esse sem abrigo será demonstrar esse amor com a entrega de algo a ele; nem que seja um sorriso, um estender de uma mão, um ajudar a levantar-se...
..."amor" é o que se "sente"
..."amar" é o que se "faz"
...
...o "amor" pressupõe a existência do ciúme; não há amor sem ciúme e ponto final!...
...o "amar" pressupõe a sua total disponibilidade, logo a ausência desse ciúme...
...quando sinto amor o ciúme é seu companheiro
...quando amo, entrego-me, dou-me e o ciúme não está presente porque se trata de uma entrega e não de uma troca
...o "amor" pressupõe um sentir em reciprocidade
...o "amar" pressupõe apenas o acto de se "entregar"
...o "amor" pressupõe um retorno, um ciúme, logo pode-se tornar doentio e ferir e acabar...
...o "amar", sendo apenas dádiva, é puro, não pode nunca acabar
...
...o acto de "amar" tem de ser, "obrigatoriamente", suficiente para o ser que ama; ele, o ser que ama, apenas ama, não espera que o amem, não espera ser "recompensado"... sorri e dá-se aos outros em todos os sentidos
...
...mas "esta" é apenas a minha verdade que pode muito bem não ser a dos outros
...amor será sempre dor
...amar será sempre dar
...o amor pode purificar
...o amar já é em si mesmo a pureza
...
...claro que senti, sinto e sentirei ciúmes; sempre que exista amor entre mim e alguém mais
...claro que nunca o sentirei se me limitar a querer o bem desse alguém (e, nesse caso, eu apenas amo... ou melhor dizendo, apenas eu amo...)

fora-de-lei disse...

yulunga 6:50 PM

"À excepção do motorista, não?"

De facto, também podia ser visto dessa maneira pois o motorista foi o único que não se envolveu em questíunculas...

Mas eu estava a ir noutra direcção, tentando concluir que - para se ter inteligência emocional - é preciso ter-se algum poder. Aos que não o têm, está-lhes reservada a inteligência emocional obrigatória. Aquela que foi conceptualizada pelo poder, porque lhe dá imenso jeito...

yulunga disse...

Plim
Falo da educação que me foi dada em pequena.
Ensinaram-me (ok, por vezes obrigavam-me ;-) ) a partilhar coisas com as outras pessoas.
A busca da felicidade tanto ma foi dada a conhecer por ensinamentos falados, como por atitudes e tomadas de decisão por parte dos meus pais.
E olha que as crianças apreendem bem mesmo aquilo que parece complexo.
E acho que a maioria das pessoas é dessa forma que educa os filhos.

yulunga disse...

fora da lei
Não concordo nada com essa do poder, desculpa lá.
No meu caso preciso do meu emprego mesmo muito, mas se o meu chefe me der com a inteligência emocional dele eu devolvo-lhe a minha.

yulunga disse...

fora da lei
No exemplo que deste então a inteligência emocional do empregado deveria ser a capacidade de mostrar que a necessidade não implica nem humilhação nem subserviência.
Respeito meu caro, respeito.
Dar o exemplo para ser imitado.

fora-de-lei disse...

yulunga 7:10 PM

"... se o meu chefe me der com a inteligência emocional dele eu devolvo-lhe a minha."

Mas tem cuidado para não seres inteligentemente despedida. Seria uma emoção... ;-))

Quem não tem poder (pouco ou muito), pode fazer apenas uso de uma inteligência emocional de algibeira que se chama "ratice". A qual, como todos sabemos, não leva a lado nenhum.

yulunga disse...

fora da lei
Não seria uma emoção, seria um merda.
:-)

yulunga disse...

fora da lei
Acredita que quem tem muito poder é que usa a "ratice".
Vai por mim, rapaz.

plim disse...

Yulunga
Se a maioria das pessoas educa assim as crianças, então já estou mais aliviado, é que esta sociedade onde vivemos, só pensa no "pilim"... tudo se transforma em "pilim", tudo tem que dár lucro senão não serve...
Não tenho a mínima dúvida que foi essa a educação que te deram, mas nesse tempo, os "humanos" tinham tempo para passar essa sabedoria para os mais pequenos... hoje não me parece :-(( - andamos todos a correr para arranjar mais uns "pilins"... (salvo raras e honrosas...)

plim

yulunga disse...

Plim
Compete a quem a recebeu passar o testemunho.

Lusco_Fusco disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Lusco_Fusco disse...

Somos uma caixa de surpresas muitas vezes reagimos adequadamente, outras, por razões inexplicáveis e até inconscientemente, engolimos e vemos depois a fruta podre que causa. Costumo ser frontal, não agrada a muitos mas gosto de dar o direito de defesa e muitas vezes não passam de equívocos que se esclarecem. Mas o pior é perante prepotência cega, termos de engolir adoece-me, neste caso, não reajo logo, fermento a ideia e na oportunidade possível abordo o assunto com diplomacia, umas vezes resulta, outras... baaaahhhhhhh é como plantar árvores em granito. Passei a ignorar estes últimos. vivo melhor. Se preciso recorrer a eles escrevo. Não preciso ouvir enxurrada de verborreia com que sempre brindam quem contrapõe as opiniões deles. Eles estão bem eu também.
Não usarei o melhor método, mas assim ando mais feliz :)
Saudações.

Anónimo disse...

To read more about blue cobalt dish follow that link

Anónimo disse...

Hola ¡ Fantástico Blog ! felicidades. Lo he añadido a mis favoritos para consultarlo frecuentemente, porque en temas de marketing inteligente nunca termina uno de aprender...

Te comento que yo también tengo un sitio web, dedicado a tratar los temas relacionados con el marketing inteligente, te sugiero puedas echar un vistazo a nuestro web en internet marketing inteligente

Roberto Iza Valdes disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
paul hino disse...

2500 anos depois A. Damasio descobriu a mesma coisa e ganhou o premio Pessoa mesmo sem escrever um romance.O erro de quem?Por detras dec cada filosofo ha uma psicologia uma imperfeição muito mpropia cognitiva e vemocional...DAAAAAAAA!!!!