sexta-feira, setembro 30, 2005

S.Tomás estaria provavelmente de acordo sob o ponto de vista moral.

"Creio, como Da Vinci, que a decadência faz a sua aparição quando o Homem se esquece de contemplar a Natureza".

Gaudí, sobre a decoração dos portais da Sagrada Família.

128 comentários:

Anónimo disse...

Elizabeth Olá Prof.Um bom dia para si .

Julio Machado Vaz disse...

Elizabeth,
Para si também:).

yulunga disse...

Dr. Murcon
Não estou a entender muito bem essa relação da decadência e da Natureza.
E porque entra S. Tomás aqui?
Fala da natureza humana ou do equilibrio?
Palavra que a alusão a S. Tomás e Da Vinci me baralham toda.

Julio Machado Vaz disse...

Yulunga,
Desculpe não ser claro. S.Tomás dizia que se quiséssemos observar a obra de Deus não conspurcada pelo pecado original bastava olharmos a Natureza. A visão de Gaudí era estética. E S.Tomás não sonhava com as "imoralidades" que acontecem na Natureza:))))))))).

amok_she disse...

...mas ainda tenho tempo...

...aleluia!...um "tu cá, tu lá" do Prof com os seus "pacientes"...tesss tesss...:->

[desculpe lá, Prof, foi só para marcar pontos neste, mas...;-)]

yulunga disse...

Dr. Murcon
Não tem que pedir desculpa por nos propôr exercicios que nos obriguem a raciocinar e a relacionar coisas.
Li apenas dois livros de S.Tomás, mas mesmo assim não me sinto capacitada :(
Acho que vou esperar pelos outros comentários para tentar perceber.

e. disse...

Prof JMV, atrevo-me a dedicar-lhe estas palavras, prudentemente, porque admirando muito a arte de Gaudi, aprendi no meu percurso de investigadora, que Gaudi se empenhava, substancialmente, como cristão, em louvor o amor de Deus.

Aquele que se reflecte e se revela na Natureza.

Gaudi, como Escher [www.mcescher.com/], foi um dos percursores da pesquisa através do desenho das sugestões da esplendorosa e enigmática geometria fractal da natureza, à qual dedicava o carácter laudatório da sua arquitectura.

fora-de-lei disse...

Penso que Gaudi deveria ter analisado a crença de Da Vinci sob uma lógica de “olha para o que eu digo, não olhes para o que eu faço”.

É que, dado o seu comportamento moralmente decadente, só se pode concluir que o próprio Da Vinci deveria ter um enorme défice de contemplação da Natureza. Ou então, era Da VInci que sentia - em si mesmo - que a “aparição” de toda a sua decadência moral era fruto de uma descuidada observação da Natureza.

Claro que não é este o tipo de sequência que o Professor espera que demos ao “mote” por si lançado. Na realidade, esta foi uma simples extrapolação (muito ao estilo S. Tomás de Aquino) que foi por mim maquinada só para não dar pistas à Yulunga... ;-))

yulunga disse...

e. ATENÇÃO!
O jantar não é hoje, mas sim amanhã, sábado.
O local ainda não está definido mas, ou ainda hoje ou amanhã, alguém virá aqui informar o local e hora exactos para quem quiser aparecer.

Didas disse...

É giro, porque os elementos decorativos que fazem a mimese da natureza são a marca registada da arte nova, mas quando nós vamos a Barcelona os guias turísticos atiram-se a nós que nem cães se insinuarmos que Gaudí fez arte nova. A necessidade absoluta de marcar uma individualidade que não existe politicamente reconhecida é uma coisa lixada!

yulunga disse...

amok_she
Tu não sabias que eu e o Dr. Murcon após o jantar é tu cá tu lá?
E no MSN? É até altas horas da madrugada.
No primeiro dia de MSN e após o jantar, até fizemos aquela brincadeira (tal e qual como se não nos conhecemos) dd tc?* idd?** es m ou f?***
Enfim... Técnicas avançadas de sedução. © Copyright 2005 (e já para 2006 também) Yulunga

Tradução:
* De onde teclas?
** Idade?
*** És macho ou fêmea?

fora da lei
Obrigada :-)
Estou em processo de arquivar e processar informação.

e. disse...

Oh fora-da-lei oh caríssimo comentador (parabéns, entretanto, porque me pareceu ter entrado nos enta...)

É que, ao contrário do que acontece sempre, não percebo bem onde quer chegar?

O da Vinci era um transviado?

O 'seu comportamento moralmente decadente' permite 'concluir que o próprio Da Vinci deveria ter um enorme défice de contemplação da Natureza'?

Admito que esteja a divertir-se mas, no caso de estar a falar a sério da '“aparição” de toda a decadência moral' que 'era fruto de uma descuidada observação da Natureza.', relativamente ao Leonardo, será que se referia ao facto de ele ser considerado homossexual (naquela época esse comportamento não era tão maliciosamente assinalado como na nossa) ?

Bom, mas talvez não seja isto ... conte lá, se quiser fazer o favor.

Olhar disse...

E assim rezava o Santo Homem...

Tende sal em vós mesmos
S. Tomás de Aquino

Concede-me, Deus misericordioso,
que deseje com ardor o que Tu aprovas,
que o procure com prudência,
que o reconheça em verdade,
que o cumpra na perfeição,
para louvor e glória do Teu nome.

Põe ordem na minha vida, ó meu Deus,
e permite-me que conheça o que Tu queres que eu faça,
concede-me que o cumpra como é necessário
e como é útil para a minha alma.

Concede-me, Senhor meu Deus,
que não me perca no meio da prosperidade
nem da adversidade;
não deixes que a adversidade me deprima,
nem que a prosperidade me exalte.

Que nada me alegre ou me entristeça
para além do que conduz a Ti
ou de Ti me afasta.
Que eu não deseje agradar nem receie desagradar a ninguém,
exceto a Ti.

S. Tomás de Aquino (1225-1274), teólogo dominicano, doutor da Igreja

Para citar este texto:

S. Tomás de Aquino - "Tende sal em vós mesmos"
MONTFORT Associação Cultural
http://www.montfort.org.br/index.php?secao=oracoes&subsecao=diversas&artigo=tende_sal〈=bra
Online, 30/09/2005 às 10:32h

Anónimo disse...

e.,
Não vamos transformar isto em mais uma "caldeirada" de sexo, s.f.f.

e. disse...

anon 2:46

:)))

Gerûndio disse...

Acho que a decadência humana tem muito a ver com a harmonia da natureza. Mesmo que o Homem a não comtemple ele faz parte dessa mesma Natureza.

Manolo Heredia disse...

O Homem adquiriu a razão no acto simbólico do pecado original.

Antes disso o Homem era animal e, como os outros animais praticou actos que seriam imorais se não fosse o facto de terem sido praticados sem intenção, sem conhecimento de causa.
O pecado só existe quando há intenção de praticar actos que ofendem a Lei de Deus.

Por isso "S.Tomás dizia que se quiséssemos observar a obra de Deus não conspurcada pelo pecado original bastava olharmos a Natureza"

Por isso a Ciência é a mãe do Mal. Estuda as leis da Natureza, não para Glória do Pai, mas para servir as intenções dos homens, transformando-os em seres destruidores da natureza por excelência, reforçando a sua tendência para a prática intencional do mal, para o pecado.

Por isso Da Vinci, um dos primeiros grandes cientistas da Humanidade, chamou à atenção para que "a decadência faz a sua aparição quando o Homem se esquece de contemplar a Natureza".

e. disse...

fora-da-lei

Vamos prometer ao anónimo das 2:46 não falar de sexo a propósito do da Vinci. Valeu? Só do tema 'quando acontece arte' porque até falar de 'beleza' enerva muito.

Conseguiremos?

Se me atrasar a responder a uma eventual resposta sua será pq só poderei voltar aqui mais tarde ou pq desapareci ou me volatilizei.

Sabe que esses 'tipos da estética' reconhecem, hoje, haver muito interesse na estética do 'desaparecimento', na estética da 'degradação' e da 'decadência'

- falo a sério, apareceu um artigo sobre o assunto no Público de Sábado passado e ... ah o Google ... está pejado de alusões a isso.

espero que ...
até logo

fora-de-lei disse...

e. 2:36 PM

"Parabéns, entretanto, porque me pareceu ter entrado nos enta...)"

Tks. Ai já entrei, já...


"O da Vinci era um transviado ? Será que se referia ao facto de ele ser considerado homossexual (naquela época esse comportamento não era tão maliciosamente assinalado como na nossa) ?

Isso é o que se diz por aí ou então é o que a e. pensa. Ser-se homossexual não era socialmente reprovado ? Então porque será que Da Vinci ficou livre da tropa ao abrigo do artº 16 ? Por favor, não me venha a e. dizer que ninguém passava cartão a isso. Ah pois não... ;-))

Gerûndio disse...

À bocado não referi S.Tomás nem Deus porque não acredito nem em Deus nem em Santos. Quanto ao sexo, tudo bem, desde que não seja logo a seguir ao almoço por causa das congestões.

yulunga disse...

gerûndio
"Quanto ao sexo, tudo bem, desde que não seja logo a seguir ao almoço por causa das congestões."
Apenas mais um mito.

tá-se a passar ó quê?? disse...

Anonimo das 2:46 PM

mas tá-se a passar ó quê? então não vê que sem sexo e outras bandalheiras isto perde a graça!
Ó amigo basta olhar para os comments dos últimos posts: o dono da tasca virou o mote e olha no que deu: foram-se os comentadores( os mais aficionados) e os respectivos comments!!!
SEXO!SEXO!SEXO!

fora-de-lei disse...

Se bem me lembro daquilo que li num livro há já quase um ano, Da Vinci era de tal modo observador da mãe Natureza que até terá comprovado a veracidade científica da constante matemática a que é comum chamar-se a "proporção divina" (1,618).

Se calhar, só estou para aqui a dizer disparates... ;-))

Gerûndio disse...

Yulunga
É verdade? Ao fim destes anos todos é que vejo que me tenho andado a restringir inutílmente. (Não tanto quanto isso, mas fica bem dizê-lo)

yulunga disse...

Dr. Murcon
Leio e releio e cada vez me baralho mais.
"S.Tomás dizia que se quiséssemos observar a obra de Deus não conspurcada pelo pecado original bastava olharmos a Natureza."

Devo concluir que:
- Só a Natureza é obra de Deus?

Devo perguntar:
- Quem conspurcou o quê, através do pecado original?
- O Homem?
- O Homem é obra de quem?

Depois ouço dizer que:
- O Homem foi feito à imagem de Deus.

Depois volto a questionar:
- Deus teve necessidade de arranjar um bode expiatório porquê?

Anónimo disse...

Por falar em gregos e afins, preciso de uma consulta sobre homossexualidade feminina. Por favor Psis, comecem a debitar

Gerûndio disse...

Será que a Sagrada Família é decadente? e a Casa da Música? e o Palácio de Cristal? e New Orleans agora?

yulunga disse...

fora da lei
Exactamente por isso "proporção divina" (1,618). falei do equilibrio
depois leio
"É que, dado o seu comportamento moralmente decadente"

Ele era decadente, procurava o equilibrio, olhava para a Natureza ou não?

Tu elucida-me, que daqui a pouco com tanta duvida já nem sei quem sou.

e. disse...

yulunga

Poderá essa tua ideia ter hipóteses, sim senhora ... acho que talvez tenha sido mesmo Deus que quiz arranjar um bode expiatório porque plagiou toda a obra da criação da mente do diabo.

Oooppssss, evito falar de s... e caio na religião.

Deixa-me desaparecer.

[My head]
Passarei a usar esta certificação seguindo um conselho amigo :-)

e. disse...

fora da lei

Caramba acima dos enta? Eu também. Nada que não se cure com uns copos de água.

Já estava a andar de bicicleta mas não resisti a interromper, só para te dar parabéns. Falar da secção áurea ou proporção divina! Magnífico! Inspirador! Será que avalias quão in estás nos meios da ‘estética’?

É isso! Esses homens estavam imbuídos de uma teia de crenças que nos parece, hoje, dispensável e substituível

(e é certamente substituída, hoje, por outras redes de crenças e conceitos que originam novos pressupostos e paradigmas, de que não nos conseguimos libertar – só à bala)

e que remetia para a harmonia, a proporção e outras quantas qualidades consideradas de origem divina. Pois como haveria de ser de outro modo, se os ‘homens’ (apenas) percorriam os oceanos com cartografias pouco experimentadas, todavia já tão ambiciosamente exigentes?

É que os homens sempre foram exigentes, achas, não achas? Isso da exigência, rigor, esmero e dedicação a causas, não foi inventado com os ‘imorais’ cientistas dos séculos recentes, com insistem em considerar os denominados 'criacionistas' de agora.

Oooppssss, evito falar de ... e caio na religião.

Deixa-me desaparecer.

[My head]

yulunga disse...

gerundio
Se calhar os nossos olhos é que são decadentes.

e.
Cá para mim Deus é que é obra do Homem e o bode expiatório para aquilo que o Homem não consegue explicar ou para justificar a merda que faz.

yulunga disse...

e.
My head é a tua nova fonte?
Largaste o Google?
LOL

Pamina disse...

Olá Yulunga(3.43),

O homem foi feito à imagem de Deus, mas, tentado pelo demónio, quebrou as regras ao comer o fruto proíbido e foi assim expulso do Paraíso. Para remediar esta situação, pois não era justo que todos os futuros homens fossem punidos por algo que o 1º homem fez, Deus enviou o seu filho à terra e sacrificou-o na cruz. A morte de Jesus (um inocente) redimiu a humanidade do pecado original. Deus ama-nos tanto que nos deu esta segunda oportunidade à custa do sofrimento do seu próprio filho.
Não esquecer que o tal fruto proíbido era da árvore da sabedoria do bem e do mal, à qual o homem não era suposto ter acesso. Em troca, podia viver, com a sua companheira, sem fazer nenhum, num local paradisíaco:), com os animaizinhos todos ao seu serviço, no meio das maiores delícias, sem doenças nem morte.

Julgo que esta é a versão "oficial". Pelo menos, foi o que me ensinaram.

Quanto ao Da Vinci, acho que estas duas frases dele são esclarecedoras:

"It is a sign of decadence to find one's reference in art instead of in nature." (como refere o post)

"How from age to age the art of painting continually declines and deteriorates when painters have no other standard than work already done."

As minhas desculpas a ti e ao resto do maralhal por não ficar mais tempo à conversa, mas ainda não me livrei do meu tijolo.
Até logo.

andorinha disse...

Olá gente!

Que saudades depois de uma ausência (forçada) de um dia!:)

e.

Li-te já ontem e hoje com toda a atenção e interesse. Estás na "tua área" e é um prazer redobrado ler-te.:)

tásseapassaroquê???

Queres sexo?
Vai fazer.:)))
Aqui também se fala de outras coisas, que mania!

P.S. Ainda bem que vai estar um excelente fim de semana para praia.:)

yulunga disse...

Pamina
Essa história é a que nos contam e é bonita, mas falaha em muita coisa.
Deus fez tudo perfeito.
Deus
é anterior ao Demónio, logo o demónio foi invenção de Deus.
Como é que Deus (que fez tudo perfeito) inventou um arcanjo imperfeito que posteriormente se viria a rebelar contra esse ele próprio?
O Eden que também é anterior ao Demónio e que contem a tal arvore com o bem e o mal também é obra de Deus.
Então o bem e o mal estão ambos associados a Deus e não só o bem a Deus e o mal ao Diabo.
Engraçado que todas as religiões e crenças têm uma caixa e uma Pandora.

yulunga disse...

Quando digo invenção de Deus, talvez seja mais correcto dizer obra de Deus.

andorinha disse...

Yulunga,
Estás muito sisuda para uma sexta-feira.:)
Então e o jantar de amanhã?
Já preparaste a fatiota?:)

yulunga disse...

Andorinha
Sisuda coisa nenhuma, apenas tomei conhecimento do "Livro dos Porquês" já grandinha ;-)
Hoje deu-me para a duvida.
A minha fatiota para festas anda sempre comigo na mala.

andorinha disse...

Yulunga,
Ainda bem, pelo menos não és como o outro que "nunca se engana e raramente tem dúvidas".:)

E não se amarrota????:)

yulunga disse...

Andorinha
A nossa vontade e disposição é coisa que nunca se amarrota.

yulunga disse...

Dr. Murcon
Continuo o olhar para a frase como um burro para um palácio :-)
E cá vai mais uma duvida.
"E S.Tomás não sonhava com as "imoralidades" que acontecem na Natureza:)))))))))."
S. Tomás estava longe da realidade é isso?

yulunga disse...

Isto já parece os enigmas do fora da lei.
;-)

andorinha disse...

Yulunga,
Excelente resposta, sim senhora!
Tás inspirada.:)
Espero que se divirtam, amanhã.

Anónimo disse...

fora-da-lei

Leia, p. e., La Divina proporción de Luca Pacioli

Um abraço:)

andorinha disse...

Yulunga,
Já me estás a baralhar a mim, também:)
Confesso-me também um bocado perdida no meio disto tudo!

Arte e natureza são antónimos???
A arte tem que se basear sempre na natureza?
Das citações de Da Vinci feitas pela Pamina parece poder-se concluir isso. Mas será assim?

fora-de-lei disse...

yulunga 5:56 PM

"E S.Tomás não sonhava com as 'imoralidades' que acontecem na Natureza"

"S. Tomás estava longe da realidade. É isso ?"

Não é nada isso, bolas... As imoralidades que acontecem na Natureza são, por exemplo, aqueles macacos, chimpanzés ou lá o que é isso, que se papam uns aos outros, do tipo tudo ao molho e fé em Deus. Eram essas as imoralidades da Natureza que o Dr. Murcon estava implicitamente a referir.

Xiça, tenho que ser sempre eu a abrir-te a 'pestana'... ;-))

fora-de-lei disse...

Anonymous 6:11 PM

"Leia La Divina Proporción de Luca Pacioli"

Obrigado pela oportuna sugestão de leitura.

Gerûndio disse...

Além do Código da Vinci que está muito em voga será de ver também o Fausto (de Goethe)

yulunga disse...

Andorinha
Não sei.
Eu acho é que o Dr. Murcon se aliou ao Manolo e deve ter pensado com os seus botões:
Este meu maralhal a falar de sexo é um vê se te avias.
Agora vamos ver como é que eles se portam a falar de coisas do espirito.
E pronto... eu por mim esbodeguei-me toda :-)

yulunga disse...

fora da lei
"Não é nada isso, bolas... As imoralidades que acontecem na Natureza são, por exemplo, aqueles macacos, chimpanzés ou lá o que é isso, que se papam uns aos outros, do tipo tudo ao molho e fé em Deus. Eram essas as imoralidades da Natureza que o Dr. Murcon estava implicitamente a referir."
LOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL

"Xiça, tenho que ser sempre eu a abrir-te a 'pestana'... ;-))"

LOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL

yulunga disse...

fora da lei
E tu não me fales assim, bolas...
Ninguém fala nada, ainda não entendi nada. Vou por tentativas.

andorinha disse...

Yulunga,

Não concordo contigo. O Júlio não é tão perverso assim.:)))
E não estamos a falar de coisas só do espírito, estamos a falar de aspectos mais técnicos e aí é que nos faltam os argumentos.

yulunga disse...

fora da lei
Ok, ok.
S. Tomás naquela altura não tinha TV Cabo.
Já cá não está quem perguntou tamanho disparate.

yulunga disse...

Andorinha
Aspectos técnicos dos portais?
Com S. Tomás pelo meio?
O titulo não me parece à toa

yulunga disse...

Andorinha
Eu não diria perverso.
Mas parece-me que ele gosta um bocadinho de ler as nossas ruminações.
Diria curioso ;-)

RAM disse...

Caro Anfitrião (11:58),

Teilhard de Chardin também dizia que a melhor prova do divino era a matéria: "Tudo o que sobe, converge".
Porquê "o pecado original"? Que sentido lhe atribui?

yulunga disse...

Ram
Ao tempo....
;-)

RAM disse...

Manolo (3.07) disse:

Por isso a Ciência é a mãe do Mal. Estuda as leis da Natureza, não para Glória do Pai, mas para servir as intenções dos homens, transformando-os em seres destruidores da natureza por excelência, reforçando a sua tendência para a prática intencional do mal, para o pecado.

Caro Manolo,

Essa é, por certo, uma afirmação/pensamento sua/seu...

andorinha disse...

Yulunga,

Em relação ao título, o Júlio já explicou acima.
A partir daí faz-se a extrapolação para a arte.
E aí continuo com as minhas duvidas - existe necessariamente uma dicotomia entre a arte e a natureza, como se parece poder deduzir pelo post e pelas citações de Da Vinci?

O Júlio deve estar divertidíssimo com as nossas observações. Vê-nos aqui "à nora" e não nos dá nenhuma dica.:(

fora-de-lei disse...

yulunga 6:31 PM

"Ninguém fala nada, ainda não entendi nada. Vou por tentativas."

Estás distraída...! Tens que esperar que as pessoas que, sempre que aqui vêm, andam de volta dos 'tijolos', acabem de os pôr no forno. Depois, com um bocadinho de paciência das pessoas, talvez lá vás... ;-))

É assim tão difícil perceber isso ?

PS: I cant help you because I am in the middle of something, mais concretamente, ando aqui de volta dum 'saco de cimento'... ;-))

yulunga disse...

Acho que o Restaurante vai ser o "Espalha Brasas" nas Docas.
Mas parece-me que é conveniente marcar. Como tal quem quiser aparecer pode enviar um e-mail talvez ao Noisie, para termos alguma ideia do numero de pessoas.

RAM disse...

Yulunga,

"O Demónio é invenção de Deus?"
A vivência plena de Deus, não se compatibiliza, não se pode compatibilizar, com concepções maniqueístas - teologais ou "mundanas" - que dividem o mundo em territórios de "Bem/Mal", "Luz/Trevas".
O Mal/Trevas (whatever) é algo sem essência própria.
Tal como a escuridão é a mera ausência de luz, o mal é a ausência de bem...
... negação do ser, da existência.

RAM disse...

Cara Pamina,

Cristo não é o "Filho de Deus", no sentido que nós atribuimos à palavra filho: descendência.
Jesus é o verbo feito homem...

andorinha disse...

ram (6.41)
Porquê o "pecado original"?
Será a oposição Natureza/Homem?
A primeira não conspurcada pelo pecado e o segundo o seu causador?

yulunga disse...

Ram
Apenas segui um raciocinio naif. Se Deus fez tudo, fez também o Diabo, que como saberás até melhor que eu era um arcanjo. Era o Anjo da Luz.
Se tudo o que Deus fez foi perfeito, não entendo a existência do Diabo. Apenas isso.

fora-de-lei disse...

RAM 6:56 PM

"Luz / Trevas".

Luz e trevas ??? Mas que raio é que isto quer dizer ???

Ahh... já percebi. É a analogia com: "Luz / Dragão"

Ora nem mais. Concordo em absoluto... ;-))

yulunga disse...

Ram
Então o bem não existe mas sim a ausência dele enquanto existir o mal?

yulunga disse...

Ram
Existe a ausência.
Obrigada por me baralhares ainda mais ;-)

andorinha disse...

fora de lei(7.01)
LOOOOOOOOOOOL

yulunga disse...

Andorinha
Essa piada cheira-me a futebol.
Não a entendi, mas....
LOL

andorinha disse...

Yulunga,
Claro, Benfica/Porto.
E nós somos vermelhos, carago.:)

fora-de-lei disse...

Nunca assisti a nenhuma discussão em torno do carácter divino ou não divino de Jesus, que não conduzisse - invariavelmente - a conclusões do estilo 'clister de açorda'.

Eu ao menos sou um gajo mais prático, pragmático e sucinto. Com o devido respeito, para mim Jesus foi um gajo muita baril, se fosse português seria - por certo - um grande benfiquista e, se Ele ainda fosse vivo, gostava de o ver à frente da Intersindical.

Tenho dito !

andorinha disse...

ram

Isso não se faz.:))))
Vens aqui, dás a tua opinião e vais-te embora.
Então e as nossas perguntas?:)

yulunga disse...

fora da lei
Jesus é Português.
Tenho um estudo sobre isso.
Em breve publicarei lá no blog.

fora-de-lei disse...

yulunga 7:17 PM

"Jesus é Português. Tenho um estudo sobre isso."

Seria interessante poderes ficar mais esclarecida sobre isso, but I cant help you because I am in the middle of something, mais concretamente, ando aqui de volta dum 'saco de cimento'...

M disse...

Venha visitar-nos ... gostava mesmo que me lesse.

www.poloroids.blogspot.com


HOMEM INTELIGENTE SERIA UM PRAZER!

M disse...

A decadência aparece com a expressão dos desejos ... começou a desgraça no séc.XIX, a raiz alimentada no séc.XX fomos todos descontroladamente atrás desses desejos e que lindo resultado!

yulunga disse...

m
Excelente escolha de fotos!
E Mário Cesariny ;-)

Anónimo disse...

Estes posts lacunares e desmembrados de contextos, só podem conduzir a confusões e a conversas de chacha.Gaudí acreditava , acho eu, em leis cósmicas, uma espécie de geometria divina. È um caso singular, um génio visionário. Excursos pindéricos que aqui li "en passant", sobre pecado e natureza, fazem pena. E ninguém se lembrou de Le Corbusier? Esse gigante? Que deu origem a toda a arquitectura moderna? Incluindo o nosso Siza.

Su disse...

opsss o prof está a gozar connosco..pois é.... S.Tomas; Moral; Homem; Natureza

aqui o que importa é q para ele o S Tomas , Deus existe, é, é evidente..blá blá blá ..logo "eu creio" como crê Da Vince, na
Natureza - algo criado por Deus
bla´blá..

prof assim não vale..jogar estas filosofias e nos ver ruminar sem nexo, pois não esta em causa o estar de acordo, ou não, mas o entender q assim é e pq é, para esses

Anónimo disse...

DISCURSO NÃO PINDÉRICO:
"Gaudí acreditava , acho eu, em leis cósmicas, uma espécie de geometria divina. È um caso singular, um génio visionário."

yulunga disse...

anonymous

"Estes posts lacunares e desmembrados de contextos, só podem conduzir a confusões e a conversas de chacha"

"Excursos pindéricos que aqui li "en passant", sobre pecado e natureza, fazem pena."

Fazem pena?
Que comentário deselegante.

Se eu fosse erudita, tinha falado mais bonito.
Se fosse muito culta, não fazia perguntas de algibeira.
E se fosse homem nunca mijava contra o vento.

andorinha disse...

Yulunga,
Porque continuas a ligar a anónimos?
Pensa mas é no jantar e deixa esses idiotas a falarem sozinhos.

yulunga disse...

Bom fim-de-semana maralhal.
Boas blogadas.

P.S. Não se coibam de ruminar

yulunga disse...

Andorinha
Eu falo com toda a gente.
E este é um anónimo azul e em estrangeiro. É diferente!

andorinha disse...

Yulunga,

Mais uma vez, divirtam-se.:)

fora-de-lei disse...

El número Fi, Fibonacci y la armonía natural

"Los ejemplos se multiplican en todos los ámbitos del mundo natural y por eso no es extraño que desde la antigüedad la divina proporción fuera empleada por arquitectos y artistas para dotar a sus obras de mayor armonía, desde el Partenón de Atenas hasta la Sagrada Familia de Gaudí, o que en la actualidad aparezca en los utensilios más comunes. No tenemos más que dividir el lado mayor por el menor de nuestro DNI, de una tarjeta de crédito o de un paquete de tabaco."

http://www.quercus.wanadoo.es/natuweb/html/carticulos/67963_1.html

Se não houver harmonia natural, replicada a partir da contemplação da Natureza, até uma grande obra de arquitectura atingirá a decadência. I cant help you people anymore because I am in the middle of something. Concretamente, ando aqui de volta dum 'saco de cimento'...

yulunga disse...

Andorinha
Obrigada.
Em relação ao anonymous, apenas acho que se sabe deve partilhar o que sabe, mas nunca dizer que quem não sabe é merecedor de pena.
Ou teremos que ser nós a ter pena de si por pensar dessa forma.

anónima disse...

Estética da decadência, já houve no fim do séc. XIX. O DECADENTISMO a que pertence o celebrado Baudelaire.
Como é que querem perceber comportamentos humanos, se não sabem nada de História da Cultura (humana)?
Ó filha, não ligues a anónimas! :)

gold number disse...

fora-de-lei said at 7:48 PM

"Se não houver harmonia natural, replicada a partir da contemplação da Natureza, até uma grande obra de arquitectura atingirá a decadência."

Acho que chegou lá. Acho que, finalmente, alguém "descobriu o enigma" do Murcon.

RAM disse...

Cara Andorinha,

Eu não me fui embora...
... eu não fujo a uma boa discussão. ;))))
Acontece apenas que estava a trabalhar - aquilo foi só um breve intervalo - coisa que acabei agora de fazer...
Perdoar-me-á a falta de educação...

RAM disse...

fora-de-lei disse...
RAM 6:56 PM

"Luz / Trevas".

Luz e trevas ??? Mas que raio é que isto quer dizer ???

Trata-se de uma relação dicotomica, somente, utilizada para ilustrar um paralelismo com relação Bem/Mal.
Luz/Trevas, como poderia ter dito (escrito) Luz/Escuridão, Calor/Frio, etc:
Escuridão: ausência de Luz
Frio: ausência de Calor
... não são conceitos em si mesmo, mas a antítese daquilo que é, que existe...

PS - Além de que me desagradou profundamente essa colagem entre Trevas e o FCP! ts, ts, ts
Não se brinca com um "Dragon", ainda por cima quando ele está a lamber as feridas... Você é uma Águia, além de depenada, insensível (este um chamado pensamento tom[a]ista :))))))...

Gabriela disse...

"Nossa tarefa deveria ser nos libertarmos ... aumentando o nosso círculo de compaixão para envolver todas as criaturas viventes, toda a natureza e sua beleza."
Albert Einstein

JANTAR SEM MURCON disse...

REALIZA-SE AMANHÃ NAS DOCAS DE LISBOA O JANTAR SEM MURCON. ALÉM DE REPRESENTANTES DE TODO O TIPO DE NÚCLEOS ESPERAMOS QUE SEJA MAIS UM MOMENTO DE ENCONTRO DA FAMÍLIA MURCON. OBVIAMENTE OS NOSSOS PENSAMENTOS ESTARÃO COM ESSE JOVEM QUE É O JÚLIO MACHADO VAZ. O AJUNTAMENTO DAR-SE-Á EM FRENTE À PORTA DO RESTAURANTE ESPALHA BRASAS POR VOLTA DAS 9 HORAS E AÍ EM VOTAÇÃO DE BRAÇO NO AR SERÁ DECIDIDO ONDE IR FAZER O REPASTO :) COMO É SABIDO GRANDE PARTE DA POPULAÇÃO RESIDENTE EM LISBOA TRABALHA PARA O ESTADO PORTANTO AMANHÃ JÁ TERÃO O ORDENADO NO BOLSO E ASSIM ESPERA-SE QUE AS DOCAS ESTEJAM CHEIAS. USEM OS CONTACTOS DISPONÍVEIS DA HELPDESK (QUE POR MERO ACASO SÃO OS NROS DO NOISEFORMIND 964506312 934484044 919061297) PARA ALERTAR DA VOSSA VINDA OU SIMPLESMENTE APAREÇAM, NA TRADIÇÃO MURCON TODOS OS QUE TRAGAM VONTADE PARA CAVAQUEAR ESTÃO CONVIDADOS POR NATUREZA (E QUEM FÔR MUDO TRAGA INTÉRPRETE, NENHUM DE NÓS SABE BRAILLE). NO FIM DO REPASTO RUMAREMOS AO BAR ART, PERTO DA DISCOTECA KAPITAL, ONDE A TERTÚLIA IRÁ CONTINUAR, COM OFERTA DO PRESERVATIVO, LINHA DE COCA E LIVRO "MUROS" DA PRAXE ;)

CONFIRMADOS CONFIRMADOS ESTÃO

YULUNGA
AMENINADALUA
PAULA
LAURA
VIKTOR
PAMINA
NOISEFORMIND
E.

ÉME, NÃO TE ESQUEÇAS DE NOS AGRACIAR COM A TUA BENÇÃO URBI ET PSI ; ) VAMOS SACRIFICAR UMA VIRGEM EM TEU NOME PARA QUE ESTA REENTRÉ CORRA COMO DEVE SER E O PAÍS ATÉ AO FIM DO ANO VÁ DE VENTO EM POPA ;) (A VIRGEM SERÁ APENAS ANAL POIS NÃO CONSEGUIMOS ENCONTRAR NINGUÉM AINDA COM OS 3 INTACTOS EM TODA A CIDADE DE LISBOA)

ABRAÇO E FICA A EXPECTATIVA

JANTAR SEM MURCON disse...

DADAS CERTAS OCORRÊNCIAS RECENTES TEREMOS UM COMPUTADOR PORTÁTIL COM ACESSO À INTERNET PARA VERIFICAR QUE ALGUMA DAS IDEIAS ORIGINAIS APRESENTADAS PELOS PARTICIPANTES NO JANTAR FORAM COPIADAS HÁ 4 OU MAIS ANOS POR OUTRAS PESSOAS COMO SUAS.

Manolo Heredia disse...

Ram, 6:46
Que lhe interessa se o que escrevo é da minha autoria ou não?

O conteúdo do que se escreve tem valor ou não, em si próprio. Tem impacto em nós, ou não tem!

Mas eu explico:
Religião é cultura. Foi segregada pelo Homem com a finalidade de facilitar a cooperação entre os homens, isto é, para tentar, atravez da razão, viciar a lei da natureza que dá pelo nome de "Dilema do Prisioneiro", e fazer pender o comportamento médio dos homens em sociedade no sentido da cooperação (o comportamento que "paga" mais nesse jogo).
Todo o comportamento que se sobordina às leis da religião são "para Gloria do Pai".
A Ciência, no tempo de Da Vinci, fazia-se, como quase tudo, dentro da Igreja e, muitos dos conhecimentos adquiridos pelos monges tinha como finalidade única o próprio conhecimento e não as aplicações práticas que agora são a finalidade da Ciência.
Essas aplicações práticas são postas ao serviço do homem, para sua glória, o oposto à Glória do Pai, e Da Vinci previu isso, e desde logo avisou!

A ideia é basicamente esta e é da minha lavra, pobre ignorante engenheiro que sou, mas assíduo leitor de textos sobre o evolucionismo e também Stº Tomás e Stº Agostinho.

Anónimo disse...

O POVO E A NOSSA QUITÉRIA
Candidata à Presidência
"Não chores por nós ó Quitéria, a verdade é que nunca te deixaremos"
"A nossa Quitéria é a Princesa do povo Paço Arquiano, é muito boa para os ricos"
"A Quitérinha é incapaz de roubar alguém porque ela é a mãe de todos nós"
"Quando encontrar a Quitérinha vou-lhe dizer que já votei nela e que ela já ganhou as eleições"
"A Quitéria é um anjo, tanto dá uma festinha numa criança como aperta o pescoço a um comuna"

www.riapa.pt.to

Fora-de-Lei disse...

RAM 8:57 PM

Bolas, o RAM é mesmo susceptível. Eu estava apenas a brincar, RAM... não era precisa tanta explicação.

Lusco_Fusco disse...

Boa noite a todos!
Tenho-me omitido a comentários, mas tenho sido assídua. Limitei-me a ler os post’s que escreveram. :)

Quanto ao post de hoje não posso deixar de me pronunciar, Gaudí alude a Leonardo Da Vinci, génio multidisciplinar além de ter uma visão muito para além da sua época. Viveu no renascimento, época que valoriza o homem e a natureza. O Renascimento cria uma nova visão da natureza e a autonomia do homem perante ela, dissocia-o de Deus, dando-lhe autonomia para a objectividade, criando condições para a investigação experimental da natureza.

"Leonardo da Vinci, com as suas intuições antecipadoras, considerou a arte e a ciência como tendo a mesma finalidade: o conhecimento da natureza. A função da pintura é a de representar aos nossos sentidos as coisas naturais. "Quién reprueba la pintura, la naturaleza reprueba, porque las obra del pintor representan las obras de esa misma naturaleza..." e "Si tú menospreciares la pintura, sola imitadora de todas las obras visibles de la naturaleza, de cierto que despreciarías una sutil invención que, con filosofía y sutil especulación, considera las qualidades todas de las formas (...) Esta és, sin duda, ciência ey legítima hija de la naturaleza, que la parió (...) pues todas las cosas visibles han sido paridas por la naturaleza y de ellas nació la pintura" (DA VINCI, 1993:42) Por isso, a pintura trata das superfícies, das cores, das figuras. (cf. DA VINCI, 1993:n. 1-7) Arte e Ciência, ambas assentam nos dois pilares de todo o conhecimento verdadeiro da natureza: a experiência sensível e o cálculo matemático racional. "Critiquer la certitude absolue des mathématiques, c'est se repaître de confusion et sôter le moyen de réduire les contradictions des sciences sophistiquées, dont on ne tire éternellement que du bruit." (DA VINCI, 1987:73)
"Le peintre discute et rivalise avec la nature" (DA VINCI, 1987:112) ou "La nécessité oblige l'esprit du peintre à se mettre à la place de l'esprit même de la nature, et à faire l'interprète entre la nature et l'art; il recourt à cell-ci pour dégager les raisons de ses démarches assujetties à ses propres lois." (DA VINCI, 1987:117)

http://www.ipv.pt/millenium/esf_5mjf.htm

Sobre Tomás de Aquino:
"Em sua doutrina sobre os pecados capitais - ou vícios capitais -, Tomás repensa a experiência acumulada sobre o homem ao longo de séculos. Se o filosofar do Aquinate é sempre voltado para a experiência e para o fenômeno, mais do que em qualquer outro campo é quando trata dos vícios que seu pensamento mergulha no concreto, pois, citando o sábio (pseudo-) Dionísio, "malum autem contingit ex singularibus defectis" - para conhecer o mal é necessário voltar-se para os modos concretos em que ele ocorre. Assim, é freqüente encontrarmos nas discussões de Tomás sobre os vícios - para além da aparente estruturação escolástica - expressões de um forte empirismo como: "Contingit autem ut in pluribus..." (o que realmente acontece na maioria dos casos...)."

http://www.hottopos.com/notand10/jean.htm

Assim sendo o Dr. Murcon tem razão "S.Tomás estaria provavelmente de acordo sob o ponto de vista moral."

PS.Hoje cruzei na estrada com um certo Jipe negro ;-),por volta das 19 horas, na vila que dá acesso ao refúgio do "nosso" ilustre Mahatma Machado Vaz. Adivinham quem era o condutor?!....
BOM FIM DE SEMANA e recarregamento de energias :)
MJ

RAM disse...

Caro Fora-da-Lei,

Não sou nada susceptível. Estava apenas a """falar""" consigo.
Prova de que eu percebi a brincadeira foi o comentário sobre o FCP e as trevas.
Chill out...

Lusco_Fusco disse...

Dando seguimento ao que escrevi antes, acho que a "decadência" a que se refere Gaudí, aludindo a Da Vinci, é a Idade Média, que foi esse período médio de adormecimento e decadência quanto á cultura. O renascimento retorna a tudo o que é cultura clássica de origem, surgindo o novo conceito Homem natureza. Homem como ser capaz, valorizado como tal, usando a observação e a experiência (antropocentrismo). Pondo de lado o conceito existente na Idade Média Deus como centro do universo (teocentrismo).
MJ

RAM disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
RAM disse...

Caro Manolo,

Interessar, interessar, não interessa, embora considere que o tom da sua interpelação é - e aqui sim Fora-da-Lei - perfeitamente despropositado.

Todavia, a minha questão tem (ou tinha) uma razão de ser: se estamos a esgrimir pontos de vista diferentes, socorrendo-nos de fontes que contribuiram para a nossa formação, então estamos perante um tipo de discussão intelectualmente sem pré-conceitos, e como tal intelectualmente interessante e cativante, por muito contrárias que sejam as opiniões expressas.

Se, pelo contrário, efectuamos uma afirmação de nós perante terceiros - ou por outras palavras - se o que está em causa são convicções profundas que fogem ao âmbito do racional, então, meu caro, julgo que o debate é desnecessário por encerrar em si mesma uma conceptualização estéril.

Diz que religião é cultura. Mas sem dúvida.
A dimensão religiosa é parte integrante da dimensão humana...
A própria declaração de um ateísmo - mais ao menos militante - traduz o posicionamento do homem/mulher na dimensão religiosa que o caracteriza.
Não confundir:
A religião é um virtude moral.
A fé é uma virtude teologal. "Pensável"...

No entanto, quando diz que "Foi segregada pelo Homem com a finalidade de facilitar a cooperação entre os homens", Sartre discordaria de si, já que para ele a definição da tábua de valores que rege a humanidade não deveria estar na dependência de um Deus, cuja morte Dostoievski decretou e ele confirmou.

O verbo feito homem é mais, muito mais, do que um instrumento de formatação civilizacional.

Afirma também que: "Todo o comportamento que se sobordina às leis da religião são "para Gloria do Pai"."
Permita-me discordar, socorrendo-me de algo que já aqui citei em tempos: Teillard de Chardin escreveu:

"O que verdadeiramente acontece, nas camadas mais espirituais de seu ser, são os fluxos e refluxos contrários gerados pela atração dos dois astros rivais de que falávamos no começo: Deus e o Mundo. Qual dos dois se fará adorar mais nobremente? [...]
Há, pois, indubitavelmente, um quarto modo de sair do problema: É PERCEBER COMO, SEM A MENOR CONCESSÃO FEITA "À NATUREZA", MAS POR SEDE DE MAIOR PERFEIÇÃO, SE PODE CONCILIAR, DEPOIS DE ALIMENTAR UM PELO OUTRO, O AMOR DE DEUS E O SADIO AMOR DO MUNDO, O ESFORÇO DE DESAPEGO E O ESFORÇO DE DESENVOLVIMENTO."

"Tudo o que sobe, converge"...
...sobe na perfeição, na beleza...
...converge no projecto de Deus.

A Glorificação do Homem é a Glorificação de Deus. Mais: é uma relação biunivoca.

S. Tomás disse*:
"Respondeo dicendum quod Deus est in omnibus rebus, non quidem sicut pars essentiae, vel sicute accidens, sed sicut agens adest ei in agit. Oportet enim omne agens coniungi ei in quod immediate agit, et sus virtute illud contingere [...]" --» "Respondo dizendo: Deus está em todas as coisas, não como uma parte da essência delas, ou como um acidente, mas como o agente presente naquilo que age. É necessário que todo o agente se encontre em contacto com aquilo em que imediatamente age e o atinja com o seu poder."

* Suma Teológica - Capítulo I, Questão 8, Artigo 1

2:44 AM

RAM disse...

Caro Anfitrião,

Podemos transpor isto para a moral?
Parece-me óbvio que sim!

noiseformind disse...

4h55... Hoje supostamente era dia de dormir mas o meu periodo anda definitivamente trocado ;)

Rufem os tambores à vontade, vou mesmo dar razão à e. loooooool loooooooool looooooool
"Sabe que esses 'tipos da estética' reconhecem, hoje, haver muito interesse na estética do 'desaparecimento', na estética da 'degradação' e da 'decadência'". Mas só pq a menina citou fontes, estou a tentar utilizar o mecânico e estafado reflexo pavloviano para te estimular a ires, de passo em passo, ao encontro do teu verdadeiro "eu" intelectual, sem Googles pelo meio.

Gaudí não surgiu do nada, não foi um produto de geração espontânea, as formas que escolheu como traves-mestras da sua obra são monumentos Art Noveau. E a Arte Nova era uma afirmação essencialmente estética. Também foi nesta corrente que surgiu a teorização da Homeopatia, mais ligada a evitar dor desnecessária do que à ideia corrente de "medicina alternativa", foi nesta altura que o Naturalismo teve o seu arranque, havia uma redescoberta também dos corpos e imensas descobertas na Ciência, a Física clássica abria as primeiras brechas com a descoberta do electrão. Um período de mudança de paradigma é sempre nutrido pela re-descoberta do próprio Ser Humano e uma re-interpretação de estados. Mas a metaforização, para mais nos termos do post do Boss (tão curto, tão pouco sistemático) sempre me pareceu empobrecedora de qualquer debate, por mais palavreado que permita encaixar. Essencialmente Gaudí fez a transição espritual entre o Gótico e o Renascimento, e a Sagrada família é a prova dessa neurose. Num dos sites que tenho como referência história de Gaudi sinto que houve uma primeira procura nele que levou à frustração e que o levou a refazer a orientação da sua obra. Refazer parece-me a palavra mais correcta, pois Gaudí dá uma volta de 180º entre as suas primeiras obras, que fizeram dele um arquitecto gótico tardio, e que portanto lidava com as obras em termos de construção artesanal. Tb em estilo gótico, como os castiçais que iluminavam os palácios desse tempo remoto, foi a primeira encomenda que Gaudí estabeleceu para a Cidade de Barcelona. Candeeiros desproporcionados e toscos, mas a atracção estava presente, e o orgulho foi-se diluindo no contacto e na aceitação da azulejaria mourisca, primeira "organicidade" de Gaudí, antes das formas, antes da regularidade da forma oval. Um confronto sem dúvida, pois Gaudí demonstra logo ali que a "civilização" como separação, como estado hermético, é algo do empobrecedor. Reparem que o que Gaudí faz a partir desta fase (1886 até sensivelmente 1902) é ir confrontando estilos sem nunca tentar que se anulem mas que se enriqueçam. Não desiste da cornija gótica, não desiste do tamboriléu, mas começa o processo de dar à sua verticalidade elementos de transição cromática. E aqui começa a radicar a minha concordância com a e. (ou seja lá com quem ela anda a ler nos últimos tempos). O primado do passado faz para mim todo o sentido pessoal. Para mim Gaudí é universal pq não se limitou a inserir-se num estilo. Usou cada coisa que quis para a sua sensibilidade e não restringiu a sua sensibilidade ao seu gosto próprio. Bellesguard vai-se tornando menos gótico quanto mais nos aproxima-mos dele. E reparem no abandono do gótico ao nível das estruturas arquitectónicas na Igreja de Güell, para passar a ser mais um elemento decorativo, parte da formação de espaços interiores e não já elemento fundamental, inserido no edifício. Gaudí apercebeu-se, muito antes de todos os arquitectos que foram pelo lado economicista de Le Corbusier, que uma cidade não basta existir para estar viva. A teorização da existência tem de ser feita, um cidadão pode pertencer a uma cidade por mero acidente cronológico ou pertencer-lhe em termos afectivos fundamentais e são obras como as de Gaudí que fazem (juntamente com outros argumentos, é certo) com que se "pertença" a Barça mal lá se chegue. O Porz é minha testemunha: no fim do ano mudo-me para lá ; )))))))))))))))))

Além disso, gostaria de dizer que, mais do que naturalista, a arquitectura de Gaudí é infantilista, sem que o "ista" seja militância negativa. Olhando para o palácio da Bela Adormecida ou para a casa dos 7 anões (ou para as habitações dos Hobbits saídas da imaginação de Tolkien) não podemos deixar de nos sentirmos num mundo de magia, e sabemos que é de magia pq vai além do funcional, aliás, pq FUNDAMENTALMENTE o contraria. Penso que para Gaudí o máximo que existia de infantilidade que existia, o divertimento máximo que se lhe podia ser oferecido era construir uma Igreja. Pq uma Igreja não tem "funcionalidade económica". Tendo altar e uma centralidade votiva uma igreja não se limita À concepção de espaço própria a uma casa para habitar. Ocupa um espaço não contíguo com outras construções, o estilo pode ser definido livremente pq é uma construção que vai permanecer durante centenas de anos. Julgo que a procura de contacto com a natureza era uma inspiração estética através da qual Gaudí tentava inspirar os seus contemporâneos a desenvolverem espírito crítico em relação à sua cidade e como ela poderia afectar a construção da própria personalidade dos seus habitantes. A Sagrada Família, sendo eminentemente religiosa, não é eminentemente católica, é algo de gigantesco e único, é uma procura de algo singular, e portanto aponta para um sítio onde algum processo orgânico ocorre, assim como no interior das suas casas orgânicas imagino que Gaudí permitisse ás pessoas viver as suas vidas de forma mais natural também no interior deste templo não vejo problema nenhum em ver Gaudí convidar pessoas de todos os credos e sem credo a unirem-se num pedido ou numa exclamação (e pq não numa proclamação???) da singularidade da existência humana ; )))))))) Sendo a industrialização o outro polo deste esforço visual desmesurado: a possibilidade de pela repetição se conseguir a total e sistemática uniformização de ocorrências. Penso que Gaudí gostaria de ter uma obra sua em frente à porta de saída de cada uma das grandes fábricas do seu tempo, para mostrar aos que de lá saíam que a vida tb podia ser única, diferente e claro... desconcertante ; )

E o Pere anda sempre com um Livro deste tipo debaixo do braço (ou dentro da pasta será mais correcto) portanto ando tb em leituras dele, outro Art Nouveau dos melhores... dos melhores mesmo ;)


LA PLANA DE VIC

A L'ESBART DE SOS POETES

Niuada de calàndries, poetes de ma terra,
jo enyoro vostres càntics d'amor, dintre la mar;
avui que el maig aboca ses flors pel pla i la serra,
ai!, qui us sentís a l'hora de l'alba refilar!

Qui pogués amb vosaltres volar per les rouredes
que beuen les suades de l'aspre Pireneu,
i vora els banys de cignes d'aqueixes pollancredes
descabdellar lo somni que és vida del cor meu!

Ja es deuen prats i ribes cobrir de verds domassos,
cada turó amb la vesta de flors que més li escau,
la santa primavera per rebre entre sos braços
que amb nuvials adreços hi baixa del cel blau.

Per eixos camps que fiten los lladoners i saules,
lo fenc ja trau espiga, les pomeredes flor?
Les Coromines mostren a regadiues taules
fajols que es tornen plata, forments que es tornen or?

I el cànem que el desembre veurà de la filosa
rajar al fus, fusada tornant-se el fi moixell?
I el pèsol de flor blanca parenta de la rosa,
i el llir de flor vermella germana del clavell?

Vermellegen per eixos restobles les roselles?
La clavellina enrama finestres i balcons?
La barretina encara floreix al costat d'elles,
com flor de Catalunya que esclata sobre els fronts?

Lo rossinyol que canta, la tòrtora que plora,
a fer-li ses albades són gaire matiners?
Tornaren-li orenetes al porxo que s'enyora?
Ja van engarlandant-se de roses los rosers?

Ja deu brodar lo Gurri son riberal alegre
perquè a jugar-hi a estones davallin los infants,
i les bardisses cloure la boca del Gorg Negre
perquè el bram de l'abisme no esglaï els caminants.

Les serres, que es coronen de núvols i d'estrelles,
de neu sa vesta a esqueixos ja donaran al Ter,
restant-hi claps encara, com escamot d'ovelles
que delma cada dia la mà del carnisser.

Com deu alçar Casserres sa bizantina torra
per veure Saladeures i el vell cloquer de Vic!
Lo Ter que envers Girona marradejant s'escorre
se'n porta gaires pedres del seu mural antic?

Castells de Sabassona, d'Orís i de Centelles,
gegants d'altres centúries, encara alçau lo front?
Podré tornar a veure-us, masies i capelles
d'on raja amb l'amor patri la fe com d'una font?

Sant Jordi, guarda encara ses Lloses gegantines,
sepulcre de reis celtes o de llurs déus altar?
Ripoll, com altre fènix, renaix de ses ruïnes,
o l'arbre de la pàtria s'acaba d'esbrancar?

I l'arbre que us abriga, com deu ja fer bona ombra,
ornat de nou brancatge son tronc ja revellit!
Los raigs del sol, com deuen jugar amb sa resombra,
com vol de papallones per un verger florit!

Me'n guarda de mos somnis algun d'aletes blanques?
Volaren tots com fulles que escampa la tardor?
Les caderneres troben un niu entre les branques;
mos c~antics per niuar-hi trobaren algun cor?

Almenys oint los vostres d'amor i jovenesa,
de l'aigua al dolç murmuri, qui somniar pogués!
Mes ai!, fuig com la vida ma nau pel vent empesa,
qui sap a l'ombra dolça si ens hi veurem mai més!

Què amargues són, què amargues d'aquesta mar les ones
per qui nasqué en la terra i en un bressol florit!
dolç aire de la pàtria que a tots la vida dones,
per què a mi sols tes ales m'allunyen del seu pit?

Niuada de calàndries, poetes de ma terra,
jo enyoro vostres càntics d'amor, dintre la mar;
avui que el maig aboca ses flors pel pla i la serra
cantau, cantau vosaltres, deixau-me a mi plorar!

Jacint Verdaguer

Manolo Heredia disse...

Caro Ram,
Quanto ao despropósito da minha interpelação, pensei que me estava a acusar de plágio…, à semelhança de acusações anteriores aqui lidas.

A dimensão religiosa é parte integrante da dimensão humana porque é uma consequência da Razão, do conhecimento que o homem tem (os animas não) da sua finitude, de que vai deixar de existir um dia.
Não há nada de transcendente na dimensão religiosa.

A religião não é uma virtude, por mais citações que me faça de autores relativamente aos quais não tenho a mínima autoridade de discordar.

Qualquer religião é um conjunto de regras a impor comportamentos. Suportadas por crenças, pela fé.
A religião tem a finalidade de moldar o comportamento social no sentido de substituir comportamentos egoístas (primariamente egoístas) por comportamentos de cooperação entre os homens, pois isso é bom para a sobrevivência do Homem.

Por isso digo que a Religião é segregada, não digo criada. É segregada como o é toda a Criação (biosfera), por um algoritmo cego e determinista (a LEI). O mesmo que rege os sistemas de realimentação positiva do metabolismo ou da segmentação do ovo até ao aparecimento de um novo ser.

Isto é outra forma de dizer:
"Respondeo dicendum quod Deus est in omnibus rebus, non quidem sicut pars essentiae, vel sicute accidens, sed sicut agens adest ei in agit. Oportet enim omne agens coniungi ei in quod immediate agit, et sus virtute illud contingere [...]"

Não havia necccesssidade! ;)

Quero lá saber se o Sartre concorda comigo ou não. Li dois livros dele e um da Simone B., nem me lembro dos nomes! Não quero com isto dizer que não foi um filósofo importantíssimo. Mais que não seja por alimentar o Maio 68. Eu estive nas barricadas!

RAM disse...

Caro Manolo,

Não, não era uma acusação de plágio.
Bem sei que nos últimos dias, e a crer nas "esporadicamente assíduas" :))) visitas que aqui tenho feito, os decretos de plágio têm sido frequentemente emanados da pena dos "Torquemadas da Palavra", mas eu renego - sempre o fiz - aos invios caminhos dos libelos acusatórios de quem se julga detentor da verdade.

Além do mais, creia-me, meu caro, quando lhe digo que não tenho nem tempo, muito menos pachorra, para recorrer a um qualquer motor de busca a ver se o fulano ou sicrano citou A, B, C ou se é um "produtor de conteúdos"...
Esta aldeia global é interessante por muitas razões: o controle à moda do Big Brother não é, seguramente, um deles.

Duas explicações:
1ª - Sartre: era apenas para apresentar um contraponto

2ª - Eu disse que a religião era uma virtude MORAL; passo a explicar: virtude não no sentido virtuoso da palavra, mas no sentido de "valor"; "moral" no sentido de "costumes". Como tal, é comum a todo o ser humano - independentemente de cor, raça e orientação sexual ou política :).
O mesmo não se diz da Fé...

Seja razoável...
...exija o impossível :)))))))))))))

PS - A citação em latim era para o caso de alguém discordar da tradução efectuada e preferir o texto original ;)

Manolo Heredia disse...

Ram,
OK, até à próxima.

katraponga disse...

108 comments? Tenho de começar a imprimir para ir lendo aos poucos, Prof.! ;)

A.na disse...

Dr.Julio,
premito-me entrar por entre este mar de divagações difusas e tão inteiras...
Timidamente
me apresento como sua grande admiradora,admiradora,admiradora...
...miradora.
Já volto para o comentar...
Um abraço de
profundo respeito.

Manolo Heredia disse...

Brisa,
A adulação é pecado! Até porque traz sempre associada um tantativa de tirar vantagens jundo do adulado.

É como o Coitadismo; comportamento tipo de certos comunistas que também são cristãos, caracterizado por: [depois eu explico]

Manolo Heredia disse...

Estatísticas Murcon:
Nº de horas desde o "Post"= 28
nº de comentários = 111
nº comentários/hora = 4
nº comentadores = 24
Top comentadores :
Yulunga 33
Andorinha 12 (estiveram a namorar)
Fora-de-lei 11
Ram 11
Classificação:
Valeu pelas intervenções de Lusco_fusco (1:36), Ram (2:47), Moise (5,31).
A noite é boa conselheira!

Logo à noite passarei por vós na minha bicicleta!

Gotinha disse...

OFF-TOPIC
Um desafio:
já tiraRAM a foto do VOSSO frigorífico?!?

http://omeufrigo.blogspot.com/

RAM disse...

Um comentário sem dúvida inteligente!
Tipo: diz-me o que comes, dir-te-ei quem és! :)))))))))))))))))))

RAM disse...

Cara Yulunga,

Obrigado pela parte que me toca.

Manolo Heredia disse...

Elaboration of the Declaration
on Universal Norms on Bioethics :
Fourth Outline of a Text
… … …

Article 16 - Sharing of Benefits
a) Benefits resulting from scientific research and its applications shall be shared with the
society as a whole and the international community, in particular with developing countries.
In giving effect to this principle, benefits may take any of the following forms:
(i) special assistance to the persons and groups that have taken part in the research;
(ii) access to quality health care;
(iii) provision of new diagnostics, facilities for new treatments or medical products
stemming from the research;
(iv) support for health services;
(v) access to scientific and technological knowledge;
(vi) capacity-building facilities for research purposes;
(vii) any other form consistent with the principles set out in this Declaration.
b) This provision may be implemented through legislation, international agreements or by
other appropriate means, which shall be consistent in every case with international human
rights law.

Só contaram p'ra você!!!
Tem Tomás ké cego!

andorinha disse...

Ram (1.03pm)

"Esta aldeia global é interessante por muitas razões: o controle à moda do Big Brother não é, seguramente, um deles".

Não poderia estar mais de acordo.

Manolo Heredia disse...

andorinha,
O seu comentário foi às 3 tabelas! Não parece, mas eu sou a tabela que não foi tocada.
A terceira tabela que se acuse, se tiver coragem!

andorinha disse...

manolo (7.54)

Não percebi nada do teu comentário porque não percebo de bilhar ou snooker, seja lá o que seja.
Não estou a ser irónica, estou a falar a sério.
Se quiseres ser mais explícito...

E exprimi a minha opinião em termos gerais e não com o intuito de acusar alguém em particular.

A.na disse...

Pedindo as minhas sinceras desculpas Dr.Julio,

e a si meu caro Manolo(?),

sem descer ao seu nivel
demasiado rasteiro para quem
tão bem diz pensar ou falar...
Mostra aqui a pouca consideração que tem por este nosso Dr.Machado Vaz,
visto pensar que
seria impossivel alguem
ADMIRAR ou RESPEITAR(estas são as palavras certas),
o trabalho e o profisssionalismo de alguem!
Deve ser dos tais homens meninos que,
de explicações precisam para entender que
nem todos somos iguais,
nem vivemos dentro dos mesmos padrões de moral ou falta dela...
Tudo uma questão de
ética meu caro Sr.Manolo(?)!
Mas dou-lhe as explicações éticamente formuladas:

ADULAR:acção bastante clara,exagerada e interesseira, mentira directa sem vergonha na cara...(NÃO FAZ PARTE DOS MEUS PADRÕES!)
ADMIRAR:sentimento de afeição sincera,
digno de pessoas astutas,atentas(RESPEITO É UMA QUESTÃO DE FORMAÇÃO!)
E por aqui me fico,
infelizmente
dando explicações a quem
não as merece...
E espero mt sinceramente que
o nosso Dr.Julio não leia
tais argumentos,
tristes e rasteiros
deixados por um tal
Sr.Manolo(?)que
já tem idade para saber que
esses comentários profundos,intensos que
resvalam a filosofia da
politicazinha á portuguesa
já passaram de moda!
Meu Sr,
o simples e sincero,
sem segundas intenções nem
grandes palavrões tb existe...

"PARA SER GRANDE,
SÊ INTEIRO:
NADA TEU EXAGERA OU EXCLUI."

Deve saber concerteza
de quem são estas palavras
de pura simplicidade...
ou
quer que eu lhe explique??

Manolo Heredia disse...

andorinha,
Mas sabes que os bilhares têm 4 tabelas (paredes quem confinam as bolas ao interior de um rectangulo).
Jogar às 3 tabelas a uma bola colorida, é lançar a bola branca contra uma tabela (e não contra outra bola, como é habitual) por forma a que a branca bata sucessivamente nessa tabela e em mais duas tabelas antes de atingir a bola colorida, como se pretende.

Nesta metáfora, embora de uma forma não muito precisa, a primeira tabela és tu, a segunda o Ram e a terceira o autor da ideia que foi criticada pelo Ram relativamente à qual tu te pronunciaste de acordo.


Seria eu, portanto, a terceira tabela.
Só que eu não fiz nada que merecesse ser criticado e suponho que a reacção de Ram era uma boa carapuça para outro comentador que aqui tinha falado de plágio.
A terceira tabela, na metáfora ,é portanto esse outro!

Manolo Heredia disse...

Brisa,
Não a conheço. O meu comentário foi para criticar uma atitude, uma ideia, e não uma pessoa.

A forma como redigiu o elogio ao Prof. denuncia, em qualquer lugar do mundo em que se fale portugês, uma atitude adulatória.

Quem não quer ser lobo, que não lhe vista a pele.

andorinha disse...

manolo(9.46)

Repito o que disse em cima -
"Esta aldeia global é interessante por muitas razões: o controle à moda do Big Brother não é, seguramente, um deles".

É isto que eu subscrevo.
Quem está em qual tabela é, para mim, totalmente indiferente e irrelevante.

E se a carapuça não te serve, por que ficaste tão melindrado?
Sinceramente, há coisas que não dá para entender e para além disso este tema para mim está esgotado.

A.na disse...

E com todo o meu Apoio...
faço minhas as palavras
da colega Andorinha!
Assunto esgotado!

Sem mais palavras
e entendendo que o que comentamos,dizemos e
escrevemos
passa por ser a
nossa verdade mais profunda...
veio directamente tocar
na PESSOA!

PESSOA?
Sim,eu explico...
Fernando Pessoa
(o autor daquelas simples palavras)

Manolo Heredia disse...

Andorinha e Brisa,
Não levem isto tanto a sério, que se fazem velhas! lol.
Eu bem disse que essa ideia dos jantares dava mau resultado. Agora andam aí as fotos e toda a gente sabe quem é quem. E falta coragem para dar a cara!
Mas é simples! enterrem este "nic" desejando paz à sua alma e criem um novinho em folha!

henrique doria disse...

Eu que não sou cristão ajoelho-me diante da SAGRADA FAMÍLIA. Sem dúvida a obra mais bela do mundo.

A.na disse...

Manolito,a serio nunca o levaria...pimeiro porque sendo ou não verdadeiro,o seu nome faz-me rir(perdão),
Pois é ,pois é.....Manolo...
E para fotografias,tenho a minha pagina cheia,e são mt mt verdadeiras e se existe Manolo,Brisa tb existirá meu caro,ninguem tem culpa do nome que tem!
Um bom dia
Sr.Manolo(?)...manolo?

Roberto Iza Valdes disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.