segunda-feira, setembro 12, 2005

Back to work!

Não creio que o Murcon sofra com uma eventual "desidealização pós-prandial". A única desilusão que tive durante o jantar foi comparar a minha forma física com a do Lobices:(((((. Em contrapartida, vendo as fotos que ele me enviou, fiquei com pena de não ter girado pela mesa depois do pato e do Benfica. Porque percebi que só tinha trocado palavras "protocolares", por exemplo, com a Juliana, a Blue, a Elizabete e outras pessoas. Se calhar acabamos a fazer jantares volantes:)))).
Não acho que, sete meses volvidos, haja muita idealização dos outros nesta tertúlia. Uma troca tão longa de comentários propiciou um conhecimento intuitivo que não treme perante a cor dos olhos, centímetros não fantasiados, gargalhadas mais roucas do que o previsto. Por isso o jantar correu bem. E, como sempre acontece, uns aprofundarão as relações extra-blogosfera e outros não. Com os riscos e recompensas inerentes, é a vida. Gosto de imaginar que o Murcon não é refúgio para ninguém. Antes rampa de lançamento para uma comunicação estimulante entre as pessoas. Quando, onde e como o desejem.

Se


Se tanto me dói que as coisas passem
É porque cada instante em mim foi vivo
Na luta por um bem definitivo
Em que as coisas de amor se eternizassem.

Sophia.

246 comentários:

1 – 200 de 246   Mais recente›   Mais recente»
Menina_marota disse...

Deixo um sorriso... e, o meu apreço por um poema de Sophia Andresen...

"...Aqui livre sou eu — eco da lua
E dos jardins, os gestos recebidos
E o tumulto dos gestos pressentidos
Aqui sou eu em tudo quanto amei."

(Excerto)

Um abraço a todos ;)

noname disse...

"Deito-me tarde
Espero por uma espécie de silêncio
Que nunca chega cedo
(...)
É então que os espelhos acendem
O seu segundo brilho."

Sophia

Fora-de-Lei disse...

Professor,

Quando marcarem uma data para um próximo jantar, avaliem muito bem todas as variáveis em jogo.

Uma delas (bastante importante) é saber, antecipadamente, onde e contra quem joga o Glorioso. Não vale a pena correr riscos.

É que, de facto, não há necessidade nenhuma de estar a "estragar" um jantar com um pormaior dessa natureza... ;-))

Alentejana disse...

Professor
Não podia estar mais de acordo.

A desilusão só acontece quando se aparenta ser alguém (mesmo que seja ao realizar um mero exercício de estilo ao participar nas conversas do blog) e na realidade se é outra pessoa e os outros descobrem que existe mais do que um "eu".

O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
que chega a fingir que é dor
a dor que deveras sente.
E os que lêem o que escreve,
na dor lida sentem bem,
não as duas que ele teve,
mas só a que eles não têm.
E assim nas calhas de roda
gira a entreter a razão,
este comboio de cordas
que se chama coração.

Fernando Pessoa, Autopsicografia, 1932.

Se somos genuínos e verdadeiros connosco próprios conhecer-nos e conhecer os outros é apenas uma questão de tempo e desejo de conhecer.

noiseformind disse...

Comer pato é realmente uma comida de mau agoiro. O pato é primo afastado do frango e o frango volteia na gíria futebolística como animal ingrato ;) eu bem tentei fazer do jantar monoprato, o bacalhau resolvia bem os problemas de apetite sem trazer as nuvens negras respectivas. Também houve o caso de não termos, na esteia de toda uma tradição humana que vem desde o primeiro campeonato de futebol, ainda no tempo em que o jogo era praticado À base de punhaladas nas cavernas (os primeiros estádios cobertos) que foi não termos sacrificado uma virgem. Como parte da organização me penitencio por essa falta de atenção em não arranjar nenhuma comensal nessas condições (O Luís Filipe não cumpria claramente os requisitos de virgindade apesar da tenra idade, basta pensar no almoço) ;))))))))

Em relação a não ter dado tempo para conhecer o ppl tens toda a razão Éme, ainda estou vergonhosamente para saber quem era a Elisabeth e ela veio de tão longe para estar junta a todos nosotros ;( pelo mal me penitencio com 400 chicotadas imediatamente, o Éme devia estar não numa cadeira mas numa cadeira de rodas e mudar de 10 em 10 minutos de poiso (se bem que acho que sentar numa cadeira de rodas não lhe fosse agradar muito loooooooooooooooooooooool)

Eu e o Portz da nossa parte não fomos apegados ás cadeiras e à uma da manhã demos (pela modica quantia de 300.000 euros cada um) os nossos lugares à Andorinha e à Lena ; )))))))))))))))))))))

mtc disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Manolo Heredia disse...

Um jantar destes, nestas circunstâncias, por quebrar a magia associada ao desconhecido, só pode ser o princípio do fim do Blog Murcon. Mais, o Blog Murcon já morreu.
Viva o Murcon!

andorinha disse...

Boa tarde Júlio e companheiros de tertúlia!

Júlio,
Gostei imenso do seu post, estou totalmente de acordo com tudo o que diz.
"Não creio que o Murcon sofra com uma eventual "desidealização pós-prandial".
Também não.Não haverá desidealização, porque também já não havia idealização.Como diz -"uma troca tão longa de comentários propiciou um conhecimento intuitivo que não treme perante a cor dos olhos..."
Se nunca houve máscaras, não houve lugar ao receio do frente-a-frente, apenas o desejo de conhecer melhor os outros.
Gostaria de realçar também a parte final do seu post - "...antes rampa de lançamento para uma comunicação estimulante entre as pessoas. Quando, onde e como o desejem".
Penso que isso já se está e continuará a verificar; vão-se desfazendo alguns equívocos e mal-entendidos, vão-se descobrindo afinidades, logo isso contribuirá para o cimentar e aprofundar de várias relações.
Por mim falo: existem pessoas que quero conhecer melhor, sem dúvida.
Seria frustrante não o fazer.
O jantar foi sábado e já sinto saudades de algumas....:)

P.S. Para a sua única desilusão, também há solução, não desanime.:)))

Débora disse...

Prof.

É bem melhor a nostalgia do desejo de que as coisas do amor de eternizem, do que nunca as ter vivido. Além do mais penso que se eternizam sempre na nossa cabeça ou no nosso coração (seja lá onde for).
Pode doer quando passam, mas fica sempre a expectativa de que outras virão – que optimista!
Também se pode viver de memórias – lembra-se do “Paciente Inglês”? É uma felicidade poder ter boas memórias, quando tudo o mais já é inviável.

A esse jantar! Essa memória não tenho, infelizmente, porque não fui!

Saudações,
Débora

PortoCroft disse...

Caro Prof. m8,

Já eu, a única desilusão que tive, foi com os copos. Ainda estou para entender como é que, no norte, fabricam os copos. Aquilo vaza que é uma maravilha. ;))))))

Foi muito bom ter conhecido e convivido com todos os presentes. Foram horas muito agradáveis, quer antes e durante, quer após o jantar.

Contrariamente, ao manolito, estou convicto que, pelo contrário, "O Murcon", ultrapassou a fase da adolescência, nos blogues. E hoje sim, porque já nos conhecemos melhor, temos um núcleo duro de indefectíveis que nunca lhe perdoarão, sequer, o atrasar-se na colocação de um novo "post".

O resto é, apenas, conversa dos "Velhos de Gondomar". ;)))))))

andorinha disse...

Noise,

"O Éme devia estar não numa cadeira mas numa cadeira de rodas e mudar de 10 em 10 minutos de poiso..."
Looooooooooooooooooooooooool
Looooooooooooooooooooooooool

"Eu e o Portz da nossa parte não fomos apegados às cadeiras e à uma da manhã demos (pela módica quantia de 300.000 euros cada um) os nossos lugares à Andorinha e à Lena".

Pela parte que me toca, fico-te eternamente grata.:))))))))))))
Não sei é como te vou poder pagar...
Temos que combinar um encontro para debater essa candente problemática, não te parece? :)))))))))))))

Juliana disse...

Boa noite a todos, especialmente ao professor e ao lobices, e aos organizadores, foram fabulosos.

É muito interessante e enriquecedor conhecer pessoas e histórias diferentes, e as gargalhadas que o Noise nos proporcionou foram dignas de registo.

Gostei muito do jantar, só senti falta de um pouco mais de intimidade nas conversas, gostava de ter falado MUITO mais com o professor, mas espero que a experiência se repita e da próxima vez vou chegar meia hora mais cedo para trocar o papel com o meu nome para o lado do professor.....

Um beijinho especial para o lobices...

O poema de hoje é lindíssimo...se soubessemos que tudo o que sentimos iria acabar algum dia, será que escolhíamos não sentir? Parece-me que não...

andorinha disse...

Juliana,
Não vás fazer isso que é batota!
Pode-se sempre seguir a sugestão que o Noise faz em cima, já leste?:)))))))))

Neste tipo de situações é sempre complicado conseguir-se falar com toda a gente. Eu penso que nem sequer falei contigo.:(

Quanto ao poema, é, é lindo!
E concordo contigo, a escolha seria (terá que ser) sempre o sentir.:)

António Pedro Ribeiro disse...

Este comentário era mais para o último post, mas cá vai ele, até porque eu não estive no jantar:
Murcon, Obrigado!

Gabriela disse...

Boa noite Julio e boa noite a todos,

Como "não treme perante a cor dos olhos"?!...

Ninguem mudou de máscara para ir ao jantar?

"Obrigado pela companhia"
"O seu afectuoso discurso deixou-me o coração emocionado"
"Foi muito bom lá ter estado, apesar de só termos conversado no final"

yulunga disse...

Voltando ao jantar.
Agradecimentos:
Ao Dr. Murcon por tudo.
À Lena pelo momento musical.
Ao Lobices pela expressão corporal e pela poesia.
Ao Viktor pela música.
Ao Porty pela poesia.
Ao José Gomes pela distribuição de um livro de poesia.
À Pamina pelo CD que gentilmente me ofereceu.
Ao Noisie pelos marcadores de lugares e pela visita guiada.
Ao restaurante pela paciência noite fora.
À pastelaria pelo bolo.
A todos os que desviei para uma directa e que se aguentaram firmes como uma barra de ferro.

yulunga disse...

Quanto ao tempo que se passou com cada pessoa, provavelmente se o jantar tivesse sido volante falariamos mais com todos os presentes, mas como não foi paciência.
Outros virão.

Gabriela disse...

Esperando que me leia, fora-de-lei,

Tente imaginar que pode ser ambos, masculino e feminino; basta-lhe escolher.

Cláudia disse...

Boa noite para todos!

NOISE,
para poupar o Prof. a esse sacrifício podemos montar uma plataforma giratória programada para rodar automaticamente de X em X tempo e jantarmos em cima dela. Porque não? Sejamos ambiciosos, carago!!!!!!

PORTOCROFT,
o rápido vazamento dos copos é só MAIS UMA das muitas maravilhas aqui do Norte. ;))))))

JULIANA,
concordo contigo. Sem as poderosas gargalhadas do Noise e as que provocou em nós com a sua boa disposição e espontaneidade a noite não teria sido igual. :))

Acho que o Murcon está no seu auge e nada perto do fim. E espero que continue assim por muito tempo, não aspirando a que se eternize, mas sim a que permaneça bem vivo enquanto passa e chega a todos nós.

Rataplan disse...

Prof. JMV

Jantar volante! Que bela ideia!

Também eu tive pena que não tivesse girado pela mesa.

Organizadores,
Para a próxima já sabem, jantar volante!

yulunga disse...

Não me decepcionei com ninguém. (acho esta frase do mais injusto e do mais ridiculo que há)
pois não faço caras para colocar nas palavras que leio.
A única decepção que poderia ter seria a falta de divertimento, e isso houve de sobra.

PortoCroft disse...

rataplan,

Volante, se for em Lisboa. No Porto, terá que ser bolante carago! ;))))))

Fora-de-Lei disse...

Gabriela 9:41 PM

"Esperando que me leia, fora-de-lei..."

I'm coming, I'm coming...


"Tente imaginar que pode ser ambos, masculino e feminino; basta-lhe escolher."

I didn't get the point...! :-(

yulunga disse...

Sobre o meu tempo com o Dr. Murcon foi q.b. e controlei-o com mestria.
A nossa grande vontade de estarmos com uma figura publica qiue apreciamos pode tornar-se extremamente maçadora se nos deixarmos levar.

andorinha disse...

Yulunga(9.36)
O "desvio" foi óptimo.
Aguentar, aguentei; não tão firme como uma barra de ferro, mas...
houve quem aguentasse menos.:))))))))))))))))))))
Agora a sério: foram momentos que nunca vou esquecer, as conversas, os olhares, o toque, tudo isso que falta aqui e que lá se estendeu pela noite dentro.
ADOREI, ADOREI, ADOREI!:)

yulunga disse...

Cá para mim, numa próxima deviamos fazer por ai num parque de campismo uma coisa tipo "semana de campo". Com provas de resistência e tudo.
;-)

andorinha disse...

Cláudia (9.43),

Como dizes, é claro que o Murcon não está perto do fim.
Quem faz esses vaticínios, não deve jogar no Totoloto.:)))
E mesmo que um dia termine, o que será o mais natural porque tudo na vida tem o seu fim, há algo que já se construíu e que ninguém conseguirá apagar.
A tertúlia permanecerá, maior ou menor, e ficarão as enormes cumplicidades e amizades que aqui se foram fazendo.
Isso é indestrutível, haverá sempre laços que nos vão unir.:)

Ameninadalua disse...

"Em que as coisas de amor se eternizassem"...
A imagem é mesmo muito poética, assim como são todos os caminhos que nos levam até ele (amor).
Nesses caminhos do amor, alguns são feitos de momentos de riso e de alegria que nos elevam como todas as coisas simples e boas que nos acontecem na vida..
A Festa dos Murcons foi feita desse espírito de alegria que cabe a cada um já no seu canto relembrar.
Não sinto qualquer desilusão por vos ter conhecido mem podia, pelo contrário sinto sim uma outra vontade não só já a partilha de ideias mas tambem o gosto antecipado pela partilha das vossas agradáveis presenças.
Agora até posso enviar beijinhos para todos porque já sei onde é que eles vão parar :)))

Fora-de-Lei disse...

Quem sabe se este blog (?) não é um 'case study'...

Este blog não é propriamente um WebLog típico. Os blogs que se vêem por aí são registos permanentes de estados de espírito, são emanações grosseiras de clubite aguda, etc, etc. Ou então são como o meu blog, onde as coisas se misturam, pois tanto digo mal do Porto e/ou do Sporting, como das forças políticas neo-liberais. Mas este blog - o murcon - não é isso, propriamente.

Este blog também não é propriamente um NewsGroup. Um newsgroup tem um motto rígido, havendo de tudo... desde newsgroups para quem gosta de heavy metal até newsgroups para criadores de porquinhos-da-índia. Um newsgroup só se assemelha a este blog pelo facto das mensagens também chegarem lá em "diferido". Mas os temas em discussão nunca são os mesmos (pelo menos, aparentemente).

Mais difícil ainda: este blog está longe de ser um ChatRoom. As mensagens não são instantâneas, ninguém pergunta "donde teclas ?" ou "H / M ?" e não há hipótese de se falar em private. Quer dizer... haver há, mas só usando os e-mails de cada um. Mas, mais uma vez, as mensagens chegam aí em diferido.

Será este blog - parcialmente - uma espécie de instant messenger ? Talvez, mas apenas numa vertente muito reduzida: para mandar umas bocas para a geral ou no contexto de algumas private jokes...

Será este blog uma tertúlia (virtual) ? Não sei... a minha experiência pessoal não é muita a esse nível. Aqui em Lisboa, com a transformação dos cafés dignos desse nome em bancos ou em "manjedouras", morreram muitas tertúlias. Se calhar no Porto, ainda não é assim tanto... mas - infelizmente - lá chegará. Mas, para todos os efeitos, acho que uma tertúlia (real) não permite o aparecimento esporádico de alguém que em seguida desaparece, muito provavelmente para nunca mais aparecer. E se calhar, também não permite a presença de artistas como eu, que - volta não volta - lá mandam uma bocas fatelas sobre isto ou sobre aquilo.

Então o que é este blog ? Sinceramente, não sei... se calhar, é um bocado disto tudo que acabei de descrevr. Mas se eu tiver presente o número de comentários que, em regra, cada post suscita, então acho que este blog é capaz de ser um case study !

Ameninadalua disse...

Yulunga
Já tentei eniar-te várias vezes um mail mas vem sempre devolvido.
Serei eu concerteza a distraída e que me enganei a anotar.
Espero em contrapartida que não te tenhas tu esquecido do meu.
Fico à espera de notícias e das fotos.
beijinhos

yulunga disse...

ameninadalua
Não faltará o ".com.br"?

yulunga disse...

ameninadalua
Eu estou a tentar passar as fotos do CD para o PC e enviar.
Digo já que é uma tarefa muito complicada para mim. Mas chego lá. Calma ;-)

andorinha disse...

Fora_de_lei (10.45)

Ufa!!!
A que propósito veio essa longuíssima ruminação?:)

Yulunga,
Também ainda não tenho nenhumas fotos das tuas.:(

yulunga disse...

Andorinha
Estive a dormir se não se importam ;-)
Já envio.

Ameninadalua disse...

Fora da lei
Penso que em relação a tudo que disse, ao ponto de nos podermos tornar num Case study, o que de facto nos diferencia de todos os outros blogs é mesmo a presença e o espírito particular do nosso anfitrião.Até porque existem pessoas aqui que já participaram noutros blogs e cujo resultado em termos de prazer, assiduidade e motivação não foram tão bem conseguidos.
Claro que tambem existem sinergias e empatias entre as pessoas, que encontram aqui espaço propício para se desenvolverem mas o grande denominador é mesmo o testemunho, a orientação e a sensibilidade do professor e que nos faz sentir próximos.

Fora-de-Lei disse...

andorinha 11:00 PM

"A que propósito veio essa longuíssima ruminação ?"

Se não retiras já essa insinuação de 'ruminante' que me dirigiste, fico inseguro à brava, ponho-me a desconfiar de tudo e de todos, vou lá dentro num instante e escavaco a maria toda.

Acabaste de te tornar materialmente responsável por uma brutal cena de violência doméstica... ;-))

Ameninadalua disse...

yulunga
Falta mesmo o "br"

:))))

Fora-de-Lei disse...

Ameninadalua 11:11 PM

"Penso que em relação a tudo que disse, ao ponto de nos podermos tornar num 'case study', o que de facto nos diferencia de todos os outros blogs é mesmo a presença e o espírito particular do nosso anfitrião."

Tenho um igual entendimento do assunto. Mas talvez não se esgote aí...

Paula disse...

Boa noite!

Parece que tenho uma opinião contrária à maioria das pessoas que se manifestaram. O conhecer no real pessoas que se conhecia apenas pelos comentários que deixam aqui revelou 'outras pessoas'...caracteristícas físicas aparte. Algumas pessoas tornaram-se apenas mais reais, com uma imagem fisíca associada, sem contrariarem muito o ideia ja formada. Noutras, descobri pessoas, que não eram aparentes para mim pelos comentários. Nalgumas, descobri facetas que me permitem perceber melhor o que está por detrás do que escrevem. Com algumas senti afinidade, com outras nem tanto.

Mas... definitivamente gostei muito do jantar e do que se seguiu. Nada mau, para uma pessoa pouco sociável como eu...

Obrigada aos organizadores, e ao professor.

Pamina disse...

Boa noite JMV e Maralhal,

"Em que as coisas de amor se eternizassem". Muito bonito.
Alguns momentos estão, se não eternizados, pelo menos fixados. A reportagem já está toda colocada no jantardomurcon.blogspot.com

Yulunga:
Não tens nada que agradecer.
Está um grande plano teu no outro blog.

José Gomes disse...

Uff! Acabei de ler os todos comentários!!!
Novo nestas andanças, é o 3º Encontro a que fui.
Todos eles com características diferentes, mas com um denominador comum: a passagem do virtual para o real!
Foi um prazer reencontrar amigos, uns que não via desde o século passado (Lena e o próprio professor), outros que estreitamos amizades desde os outros Encontros.
Fomos uma espécie de "penetras" (eu, a Milú e a Maria Mamede) pois só conhecíamos meia dúzia de elementos do maralhal (agradeço à Blue C o alerta que tomei como convite!).
Mas o convívio foi agradável, o Victor mostrou a sua virtuosidade, gostei da poesia lida pelo PortoCroft, da voz quente da Lena (a lembrar tempos passados...) e dos dotes de dançarino do Quim Lobices (que eu desconhecia!!!).
E gostei de ver a cara do prof. quando lhe entregaram o medalhão do Benfica (que estava no bolo) e nas costas ainda vinha o preço... só tive pena de a Milú não ter captado a expressão!!!
Gostamos muito de ter estado convosco, embora - e isto é mais de minha parte! - me tenha reduzido ao meu estado de sempre: ouvir, sorrir e aplaudir (quando valia a pena, carago!!!). E o Quim a dançar com a Menina da Lua até foi um espectáculo!...
Meus amigos.
Temos algumas fotos que gostaríamos compartilhar convosco.
Vou tentar pelos vossos emails.
Tentarei escrever alguma coisa no "Movimentum" http://movimentum.blogs.sapo.pt/
e embeber lá algumas imagens.
Esperamos a próxima confraternização.
Milú, Maria Mamede e eu.

andorinha disse...

Fora da lei (11.11)

Hábil forma de te esquivares à pergunta.:)
O Júlio também partilha aqui as suas ruminações connosco e achas que eu o estou a considerar ruminante???:)
Não te sabia tão susceptível e inseguro.:)))))))))))

Pamina,
Já vi a reportagem e está excelente. Vocês continuam a fazer um óptimo trabalho!
Parabéns.:)

Julio Machado Vaz disse...

Juliana,
Vou-lhe ensinar o truque:). Suborne o Noise para colocar os papéis por ordem alfabética..., do primeiro nome!

plim disse...

Boa noite a todos,
Este humilde comentário vai directo para esse núcleo duro que diz ser este um blog não interdito a estranhos e principalmente ao murcon-mor, pois é ele o pai da criança...
Todos os que por aqui passamos, todos os dias, ou de quando em vez, é porque gostamos bastante do murcon-mor... uns, do tempo das conversas nessa rádio do Porto, outros mais recentemente, não interessa, foi atrás dele que viemos. Até aqui estamos de acordo.
Mas, talvez o núcleo duro não se tenha apercebido de como é difícil entrar, fazer um comentário e não levar duas "marretadas" como o fora-de-lei deu na lluar, (não abia nexexidade) mas, curiosamente apareceu logo o ram dizendo que não senhor, não era necessário insultar ninguém para entrar na "roda".
Bom, eu acredito que seja verdade, mas que é difícil é, acreditem que sim.
Eu também sei que a "velhice é um posto", mas que diabo, a maralha, o núcleo sempre poderia dár uma colher de chá...
Eu também entendo que muitos de vocês que agora se conheceram, estão concerteza animados de um outro espírito, ainda por cima depois de uma jantarada bem regada, eu próprio presumo pelo que já li, que o lobice, o noise a yulunga devem ser gente "do baril", mas acreditem, não é fácil para quem chegou agora.
Diz o murcon-mor, honra lhe seja feita, que o Murcon não é refúgio para ninguém... Antes rampa de lançamento para uma comunicação entre pessoas... "bora lá maralha, mas sem núcleos, na boa com e sem jantaradas...bora lá carago..."

Com os meus respeitos
plim

Julio Machado Vaz disse...

Manolo,
Não azare, carago!:))))

Julio Machado Vaz disse...

Plim,
Seja bem-vindo. Eles parecem façanhudos, mas têm coração de manteiga, não se preocupe:).

Fora-de-Lei disse...

plim 11:37 PM

"... é difícil entrar, fazer um comentário e não levar duas "marretadas" como o fora-de-lei deu na lluar..."

E é porque eu estava bem disposto. Senão levava logo com a mixela à caixodré... ;-))

umquejácáandahámuitotempo disse...

Plim:

Ainda bem que há mais quem pense como eu, caraças! Sim, caraças, num blog cheio de caragos :)

Cláudia disse...

Pamina,

fui logo espreitar a reportagem. Ficou 5 estrelas e dá uma recordação espectacular. Ainda por cima por ordem cronológica e tudo... ;)))

Obrigada.

Fora-de-Lei disse...

Julio Machado Vaz 11:41 PM

Extraído do Dicionário da Língua Portuguesa - Fernando J. da Silva - Editorial Domingos Barreira - Porto - 3ª edição - 1966:

Façanhudo - que pratica façanhas; desordeiro; brigão; carrancudo; mal encarado.

Vou passar a portar-me bem... ;-))

Anónimo disse...

Plim,

Não é pai! É Vôvô! LOOOOOOOOOOOOL

Rataplan disse...

O comentário anterior é meu!

naoseiquenome usar disse...

... Sempre haverá idealização! esta impulsiona-nos e leva-nos a um certo mundo de sonhos e fantasias! Em pessoas maduras e equilibradas, a idealização é no entanto sublimada pela razão e o desvio à dita é aceite de forma tranquila e, por vezes até surpreendente, pela positiva... :)

Gabriela disse...

Fora-de-Lei,

"I didn't get the point...! :-("

Está lá tudo.

yulunga disse...

Plim
Mas afinal o que é isso de entrar no núcleo duro?
Cada um chega coloca o comentário que acha que deve colocar e pronto.
É assim que as coisas se fazem.
Quanto às marretadas, ou se ignoram ou se retribuem.

yulunga disse...

Perdoem-me a franqueza, mas vocês também são muito lamechas.
P.S. Isto não é uma marretada.

Anónimo disse...

andorinha 11:34 PM

"Hábil forma de te esquivares à pergunta."

Então vamos lá à questão...

A ruminação surgiu-me de uma ideia que (aparentemente) não tinha nada a ver com isto. Aliás, só eu - na minha qualidade de trabalhador da área da psiquiatria, mas na condição de doente (crónico) - poderia ter tal divagação.

Eu estava a pensar por que carga d’água o Glorioso nunca mais foi como nos tempos do Borges Coutinho e surgiu-me a tal ruminação...

Talvez, ao nível do sub-consciente (eu não percebo nada da poda... não sei se é consciente, sub-consciente ou inconsciente), eu estivesse a pensar em liderança, carisma ou qualquer coisa desse género.

Satisfeita com a explicação ?!

Fora-de-Lei disse...

Gabriela 12:25 AM

"Está lá tudo."

Ok... mas derivava de que assunto ?

Fora-de-Lei disse...

Andorinha, como terás tu própria "realizado" (mais uma que está na moda...), o anónimo das 12:33 AM é o 'Fora-de-Lei'.

Gabriela disse...

Fora-de-Lei 12:34 AM

Abaixo-assinado

Lusco_Fusco disse...

Boa noite!
É bom sentir esta agradável sensação de alegria e bem estar. Saber que se divertiram.
Já, como vocês, estive presente em convívios de amigos cibernautas. Convívios dos quais guardo boas amizades reais. Há pessoas muito bonitas atrás do monitor. Não duvido, pelo que tenho lido aqui, que todos o são.
O Dr. JMV “conheci” pela TV há anos atrás, não perdia um programa de "Sexualidades". É um excelente comunicador, natural, simples e tem o dom de criar empatias, etc etc e mais não digo :o). Não era, por isso, difícil que o anfitrião mantivesse a simpatia que lhe é inatal. Tem outra coisa que me faz gostar dele (ihihihih) Cantelães :o) O nick “imagem” (de posts atrasados) é meu.A pessoa que o veste, veste este também. Usei-o, mas sinceramente este nick “Lusco-fusco” tem mais a ver comigo a dualidade do “eu”.
Como amizade parte de verdade, ou tem de partir para vencer, penitencio-me.
Espero um dia poder compartilhar com vocês um almoço ou um jantar ( Dr. JMV quando for no "Pancada" eu vou !!!! :o) ), brincadeirinha. Teria ido ao Porto se a minha convivência aqui fosse mais longa, não era o caso .
Lindo esse poema… ou este...

Pudesse Eu

Pudesse eu não ter laços nem limites
Ó vida de mil faces transbordantes
Para poder responder aos teus convites
Suspensos na surpresa dos instantes!



Sophia de Mello Breyner Andreson

Boa noite

Fora-de-Lei disse...

Gabriela 12:43 AM

"Abaixo-assinado"

Ok... now I got your point. Understood !

Lusco_Fusco disse...

Por erro de tecla, antes que leve marretada...:) escrevi "inatal" quando devia ter escrito "inata". Fica a Emenda. :)

andorinha disse...

Yulunga (12.26)

"Cada um chega, coloca o comentário que acha que deve colocar e pronto. É assim que as coisas se fazem".
Discordo. Se fosse assim, isto ficava uma sucessão de comentários apenas e seria tão interessante como é?
Onde ficaria então a tertúlia?
Acho que há espaço para todos.
"Seja bem vindo quem vier por bem",já dizia o Zeca.
Se quem já cá está não interage duma forma "normal" com quem entra pela primeira vez, é natural que as pessoas se ressintam e fiquem com a sensação de que isto é uma coutada só de alguns.

fora da lei (12.33)

Temporariamente satisfeita.:)))

lusco_fusco (12.47)
Gostei das tuas palavras e sobretudo desse belíssimo e tão significativo poema. Obrigada por o teres partilhado connosco.

Até amanhã, gente.:)

Fugido disse...

Sim senhora ... eu a beber cafés frios e o pessoal na maior ... tch tch tch ... já vi que não prestaram atenção nenhum a este vosso empregado de mesa ... andou o homem a esfalfar-se para passar despercebido, "incognito", e não é que consegue?

Fugido disse...

Yulunga, que raio, rapariga, estava á espera de te ver com um saiote de palha e ... um colar de missangas ao pescoço. Estás muito tradicionalista.

Fugido disse...

Noise, man, então tu ... não eras o cozinheiro? Desculpa lá, fiz confusão ...

Fugido disse...

Porto, tu vê lá, bebe mais uma "pint" à nossa, olha que secas.

Fugido disse...

Lobices, és um verdadeiro vintage, boa cepa, boa colheita.

yulunga disse...

Andorinha
A tertulia reside ai mesmo.
Na pessoa que aqui chega dar a opinião que acha que deve dar, sem ter que pedir licença para entrar.

yulunga disse...

fugido
E já agora o ossito no nariz, não?

yulunga disse...

fugido
Achas mesmo que fui muito tradicional?
Diz lá como queres que vá da próxima vez.

Débora disse...

Olá a todos!

Pamina e Viktor,

Parabéns pela reportagem. Depois de ver ainda tenho mais pena de não ter ido.
Estavam todos com um semblante tão feliz, excepção feita à foto em que o Prof. JMV está a olhar para o écran, com ar de sofrimento - imagino que aquando do 2º golo do Sporting - também fiz e vi essas caras por aqui ...
Para a próxima, farei os impossíveis para ir.
Dos lindos comensais, apenas conheço o ilustre anfitrião (da TV, Rádio e livros) e a Lena, que foi minha vizinha na adolescência.
O Prof. tem mesmo o condão de unir as almas "belas" (estou-me a incluir, como depreendem ))).

Saudações,
Débora

Fugido disse...

Yulunga, só tu para me fazeres rir a esta hora, ó rapariga.
Pois, um ossito no nariz ... ficava bem com um colar de missangas e o saiote de palha. Isso sim, são modernices.

comment disse...

Só um par de comentários:
Atenção ao "concerteza", erro ortográfico tão feio.
É uma locução, COM CERTEZA.

Núcleo duro é claro e inevitável, só que há uns "dreamers" que fazem de conta que não notam, até porque fazem parte dele.

Há umas boas almas que julgam poder "conhecer-se" e "conhecer os outros".

Peço desculpa, mas virtual e ideal não são sinónimos. O virtual é um naipe de possibilidades realizáveis ou não. O ideal ou o desidealizável tem uma conotação emocional e valorativa totalmente diversa.

Sempre a considerar-vos.
C.

Fugido disse...

Débora, das almas, diria ainda. "diabólica e pecaminosamente escriturais"

yulunga disse...

Até mais logo maralhal.
Boas blogadas.

plim disse...

JMV
Obrigado professor pela gentileza, nem seria de esperar outra coisa de um "rapaz" educado e da nossa geração...

Fora-de-lei
Mas nem esperava outra coisa de um fora-de-lei, e se com a mixela não chegar... dá-lhe c'um pau (já vi que não vais ao caixedré à muito tempo... os tempos mudaram fora-de-lei)

umquejácáandahámuitotempo
Nem podia ser de outra maneira... senão eles "num percevem" carago!

Yulunga
Obrigado yulunga, fiquei completamente inteirado com essa explicação. Por isso já comprei umas granadas defensivas, umas minas anti-pessoais e mais uns "brinquedos", nem imagina como isto vai aquecer... (lamecha?) malhe à vontadinha que eu aguento...

Andorinha
Por morrer uma Yulunga, não acaba a primavera...

Uma noite descansada para todos
plim

RAM disse...

Esclarecimento para @ Car@ Plim,

Plim disse.. "Mas, talvez o núcleo duro não se tenha apercebido de como é difícil entrar, fazer um comentário e não levar duas "marretadas" como o fora-de-lei deu na lluar, (não abia nexexidade) mas, curiosamente apareceu logo o ram dizendo que não senhor, não era necessário insultar ninguém para entrar na "roda"."

Mas, por acaso, é capaz de me conceder 1 minuto da sua existência e explicar-me porque raio é que a minha pessoa teve de vir à baila?

Quando falei em não ser necessário insultar ninguém estava a dirigir-me ao Fora-da-lei. Não me estava a referir ao/à Lluar.

Não era óbvio????

O comentário dizia:
"Fora-da-lei,

Foram duas perguntas pertinentes.
Porquê a agressividade, meu caro?!!
Sublime essas coisas de outra forma... de outra forma...
... de preferência sem se voltar contra mim!"

Como é possível haver dúvidas?

Além do mais, qual o porquê do "curiosamente" o ram...????

mtc disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
mtc disse...

Olá Yullie

Isso é que foi tertuliar noite dentro ;)) Gostei!! :))

E também gostei das palavras que lusco-fusco escreveu.

Tenho comentado ;)

Bajoulo disse...

“O Louçã está na Assembleia em representação de várias minorias nacionais. Ele é meio preto, meio cigano, meio monhé, meio xungoso e meio homossexual.” – Quitéria Barbuda in “O Deputado Palhaço”, nº 19, 2005.

www.riapa.pt.to

Manolo Heredia disse...

Porto K 8:36, JMV,
Ninguém está a azarar.
Este blog baseou todo o seu interesse na escolha dos temas, e no desconhecimento (pessoal) mútuo de quem fazia os comentários.
Cada comentador ia, a pouco e pouco, criando uma ideia sobre o perfil dos outros com quem dialogava.
Todos estávamos numa espécie de laboratório de comunicação, livre. Porém com duas restrições (o jogo tinha duas regras) sendo a primeira a aceitação do "trunfo" marcado pelo Prof., e a segunda o desconhecimento pessoal entre comentadores.
Ao ser quebrada a segunda regra o Murcon I morreu.
Vamos então ao Murcon II, com mais uma regra que é a da existência de um "núcleo duro" de comentadores que se conhecem pessoalmente: sexo, cor dos olhos, forma de vestir, timbre da voz, proximidade do Prof., etc..
Desejo sinceramente longa vida ao Murcon II.

Fugido disse...

Mau, mau, mau! Mas vocês, os tais do núcleo duro não anónimo, julgam que suplantam os outros do núcleo duro anónimo? Há por aí muito cimbalino e bica por beber, ai há, há!
Ademais, esse referência tão frequente ao termo núcleo "duro" ... enfim.

e. disse...

O que é o núcleo duro?
Duro de roer?
Duro de ouvido?
Ainda não encontrei aqui nenhum duro nem nenhum surdo.

E, como gostei desta conclusão de dreamer, aqui vai:

Tenho comentado ;)

Anónimo disse...

fugido, pareces o Prof. a "falar"

lena disse...

o momento da noite foi quando ele disse "estes olhos eu conheço"
:)))

beijinhos a todos, especiais para a rosinha, a pamina, o viktor, a cláudia, a yulunga, a paula, o puto croft ;D e respectivo pai 8), o grande noisy, a nina da lua, o pp e todos e todos
ufa!

vou sempre cá dando umas espreitas, mesmo que não pareça

adoro a sophia :)

Manolo Heredia disse...

e.,
Não te faças de desentendido(a). Nunca fizeste braço-de-ferro porque nenhum dos teus braços é de ferro? lol. :)
P.S. Desculpa se fores braçeta!

HarryHaller disse...

Não vejo como é que um local de troca de ideias, isto é, de comunicação inteligente entre as pessoas pode levar à criação de imagens idealizadas dessas pessoas,é que este blogue não é "Um local de engate",ou uma "agência de matrimónio"embora possa vir a acontecer, entre os bloguistas alguma relação mais profunda e quiçá até matrimonial, pois, como diz o Professor na corrente da vida, de que faz parte este blog, uns irão aprofundar mais as suas relações extra- blogosfera e outros não.Contudo, do pouco tempo que frequento este blog, a ideia primordial que eu tenho dele, é que é um local que aproxima as pessoas, e que só por isso, já justificou a sua razão de ser. Aproximação entre os seres humanos, que faz parte do significado dessa palavra que todos sabemos dizer, mas cujo significado é tão complexo e indifinível,sim estou a falar da palavra Amor, que na minha opinião integra todos os sentimentos que levam à aproximação dos homens e mulheres de hoje e de amanhã, e embora eu não tenha estado presente no jantar, pelos documentos do mesmo(fotos) e pelos comentários que li, creio que esse sentimento que enobrece o ser humano esteve presente, e peço-vos a todos os que estiveram presentes, que o façam perdurar em vós nas vossas vidas quotidianas, agora e até ao fim. Pois,faço do grito de alerta da grande e bela poeta(não digo poetisa, porque o poeta não tem genero sexual)se o amor for eterno em cada um e em todos, o bem de todos se realizará.

Termino com um excerto que publiquei hoje no meu blogue(passe a publicidade), dito por Hans Castorp, personagem do grandioso romance(Houve um tempo em que se escrevia romances desta forma "ROMANCE") "A Montanha Mágica"de Thomas Mann que reza assim "Em nome da bondade e do amor, o homem não deve conceder à Morte nenhum poder sobre os seus pensamentos" já dizia Freud que devemos ser donos dentro da nossa própria casa.

PS:Fico a aguardar aqui em Lisboa um futuro jantar do Murcon.

Bom dia a todos os murcons e ao murcon mor, o Professor JMV.

Lobo das Estepes

Anónimo disse...

Conheço este espaço à pouco tempo e, como já ontem aqui escrevi, embora como anónima que os comentários não me permitiram colocar o nick que costumo utilizar, continuo a dizer que tenho pena de não ter participado no jantar. Tenho lido com atenção muitos dos comentários que tem sido feitos acerca das vantagens ou desvantagens deste tipo de aproximação do virtual ao real. Sou, e serei sempre, a favor da aproximação das pessoas; não vejo qualquer interesse em estabelecer diálogos, seja com quem for, se os mesmo não tiverem como base uma aproximação futura mas, no entanto, percebo muito bem o que o manolo quer dizer com os seus comentários; a verdade, é que algo se perde depois do cara-a-cara e, para quem o fascínio do virtual é magia do desconhecido, esta é uma verdade difícil de negar. Mas acredito no Murcon II e desejo acima de tudo, que nele não aconteça aquilo que já vi acontecer noutros blogs: o fechar do circulo de interacção das pessoas, tornando-o restrito aos que se conhecem pessoalmente . Acompanhei, ainda que à distância, este tipo de situação noutros blogs; houve o convívio, as pessoas conhecerem-se e a partir daí, o blog passou a ser, e a viver dessas pessoas, os outros passaram a ser apenas os virtuais, os desconhecidos que por ali passavam.
Acredito neste blog e nos seus objectivos:
"Gosto de imaginar que o Murcon não é refúgio para ninguém. Antes rampa de lançamento para uma comunicação estimulante entre as pessoas. Quando, onde e como o desejem".
Parabéns Prof, a si e ao seu blog seja ele Mourcon I ou II. Parece que continuo a não conseguir colocar o nick portanto resta-me escreve-lo à "má fila": comentário da básica

umquejácáandahámuitotempo disse...

Eu não disse? Nada como uma provocaçãozinha para agitar o pessoal.
Um bom dia para todos. E vejam lá se trabalham também um bocadinho porque assim dá mau aspecto.

LLUAR disse...

Marretadas?Nao percebi essa : }
UMkjaandaakihamttempo sera que denominei bem o seu nick? Na verdade, eu e que ainda vivo da ilusao que as coisas possam ser diferentes mas independentemente de tudo tenho direito as minhas opinioes por muito que se tornem diferentes das demais......

Aprender sempre mesmo que isso custe opinioes contrarias

um bom dia e que nao estraguem os dos outros :}

e. disse...

manolo

"Não te faças de desentendida".

Ham? diz lá outra vez? Não recordo ter deixado de te responder ou cumprimentar. Se assim foi, fala, pergunta, que responderei.

Como perceberás, não passo aqui o dia e deixo escapar mts comentários.

Mas para ti, a partir de agora, passarei a ter uma atenção especial ...:)

braceta, não ...

LLUAR disse...

Gosto do umquejaandahamttempo : }

LLUAR disse...

Esse comentario foi para mim?E que nao me estou mesmo a fazer de desentendida : }}}

e. disse...

lluar

Vejo q perguntas se 'esse' comentário era para ti - será o meu?

Por mim, estava a responder ao 'virtual' manolo mas qt a ti ñ te vejo a fazer de desentendida - e se fizesses? Acho mt piada a isso e a toda a ficção q aqui se passa.

Ou será q ñ podemos viver esta lúcida ficção como a cada um aprouver?

Ou haverá quem queira impor regras nesta comunicação virtual?

Deixa cá por estes gatafunhos para todos me acharem boazinha:))))

Anónimo disse...

Elizabeth. Olá a todos e em especial ao Prof.Gostei imenso das fotografias que estam no jantar do murcon.Estam de parabens o Noise o Viktor.

Nylda disse...

Olá... passei aqui pelo teu cantinho e aproveito para te dar os parabéns e desejar-te felicidades...e ainda dizer que gosto do teu trabalho.....beijinhos :)

Lúcia disse...

Boa tarde Murcons.
Pois é... Já vi umas fotos e achei que o ambiente há-de ter sido humanamente acolhedor.

Tenho ouvido p'rái umas histórias sobre murcon II e não sei quê... Acredito que os que tiveram o priviliégio de se contactar pessoalmente possam dirigir umas bocas mais enigmáticas a quem esteja de fora. Mas daí a achar que há um núcleo duro que vai dificultar a vida a quem quer continuar ou começar por aqui...

Seria lamentável e não acredito nisso.

Além do mais, verdade seja dita: o que nos trouxe a todos e aproximou foi o Prof. e a partir daí as relações desenvolveram-se. Mas o único "núcleo" disto aqui é ele, ou seja, é o pai deste grupo aberto.

Minha gente, no próximo espero não faltar.

Porty, Fora de Lei, Prof:
Mas tenho uma dúvida: no caso de eu ter ido, será que seria a única sportinguista verdadeiramente leõa por lá? é que, bem vistas as coisas, o fim de semana correu-me bem por ter podido assistir ao meu leão a rugir...

noiseformind disse...

Bem, nem sequer percebo o tema de conversa, o ppl está mais ou menos unido? Não sei, não acompanhei os trajectos neuronais ou padrões psicológicos dos presentes na fase pós-jantartica ; )))))))

Do que sei (ou seja, de mim próprio) tenho falado mais amiudemente com quem já falava antes, o trato está mais simples, a comunicação mais fluída. E no fim do mês lá vou passar o fds a Lisboa, plano que não estava planeado antes do jantar ; )))))))) será isto bom ou mau? Meus caros, teremos carradas de tempo para nos desiludirmos uns aos outros, isso já aconteceu no passado, muitos chegaram, muitoutros partiram. O jantar foi uma oportunidade, fica ao critério (e pq não dizer, cuidado) de cada um fazer mais ou menos sobre ele, levar mais longe as empatias criadas de forma quanse inocente, ou não.

Não vejo que tipo de regras se possam aplicar a um momento de vontade pura e convívio puro (e duro). Estava lá só quem quis estar, quem quis estar a sério, pessoas para quem o Murcon representa algo realmente importante. E claro, quase todos solteirinhos, divorciados ou viúvos, que isto de deixar o parceiro para partir em busca de interesse próprio é coisa que não funciona muito aqui na Tuga ; ))))))))))))))))))))))

Venha de lá outro post Boss, estámos em seara lavrada, e "eu espero conhecê-las (ás palavras) até não saber nada" ; ))))))))))))))

abreijos mútuos ; ))))))))))))

Lúcia disse...

NOISE
Parece que deste sucesso como mestre de cerimónias...
Quando os tugas andarem melhorzito e não precisarem de psi, sempre podes ir para embaizador:))

Manolo Heredia disse...

e.,
"Não te faças de desentendida" referia-me à ironia de não saberes o que era um "núcleo duro", só isso!

yulunga disse...

Bom dia, bom dia maralhal.

yulunga disse...

Plim, oh Plim
Eu não malhei em ninguém. Apenas dei a minha opinião sem floreados e sem paninhos quentes.

Manolo
Irra! Que tu andas pirrónico com essa cena do Murcon acabar.
Claro que não vai acabar pelo menos para já. Ainda falta organizar um jantar onde tu estejas presentes :-)

noiseformind disse...

Lucia,
embaixador da boa-vontade talvez? ; ))))))))))))))))
Ou embaixador da vontade?
O jantar para mim, em termos pessoais, teve o seu quê de epifania. Mudanças profundas deram-se nas alavancas da minha consciência e uma responsabilidade maior emergiu ; ))))))))))))))
Amemo-nos irmãos como Ele (o Júlio) nos Amou ; ))))))))))
Aliás, ao ver o Homem tão tranquilo com aquela idade só pude pensar: "caraças, tão novo e já arrasto tanto lastro?" já para não dizer a paz nos olhos do Lobices ou a traquinice da Andorinha ou da Yullie. Pecador admito, ando rodeado dos quinquagenários errados ; )))))))))))))))) o pessoal tem de se amorfinhar mais vezes, a mescla liberta-nos de pressupostos ; )))))))))))))))

Lúcia disse...

NOISE
É, pá! Bonito, sim senhor...
Com uma declaração de boas intenções desse calibre, é mesmo p'ra emb. da boa vontade...
Quem disse que só as gajas boas é que conseguiam o dito posto?

Os gajos bons também. És prova viva!:)

yulunga disse...

Noisie
Mas tu ontem no MSN disseste-me que como orgia foi um fiasco completo.
Parece que só temos falado dos pontos positivos, não é?
Vá lá, venham os negativos.

Camuflada disse...

...já li algumas coisecas acerca disto em sociologia jurídica, a propósito dos círculos de integração/exclusão social..., mas num blog...ena, ena!

Ah, é verdade, faço parte do núcleo duro dos que vêm cá espreitar uma vez por semana!

Lúcia disse...

Após um breve estudo suncitológico, decidi traçar o perfil do murcon médio:
- benfiquista
- dicotomia regional presente neste grupo: há os que são de Lisboa e os que são do Porto. Não há meio termo
- gostam de sexo
- Extasiam com poesia
- bons comensais
- utilizadores de net
- gostam de música para desenvolverem os seus rituais quotidianos
- dependem emocionalmente da figura paterna - pequeno grupo, portanto, assente na afectividade partiarcal
e, são apancadados; i.e., todos têm uma pancada que lhes serve de mote para as suas actividades ocupacionais.

Será que estou correcta ou infirmam-me as hipóteteses?

Fly_Away disse...

Bom dia.

JMV, encantadoras, as suas palavras.

A experiência diz-me que, de facto, criam-se no "depois" relações extra-virtuais; no meu caso, com pessoas de um outro blogue português de grande afluência, criei amizades que hoje alimento com todo o carinho. Faz algum tempo.

Descobri com algumas dessas pessoas sincronicidades interessantes que têm na raiz as nossas infâncias, liceus e adolescências.

Felizmente, os riscos não se manifestaram; só houve recompensas. É preciso saber afastar os riscos, com a devida sensatez e inteligência, e olhar para as pessoas como oportunidades de partilha e aprendizagem. Há sempre alguém que tem algo a ensinar-nos, de facto. E isso é uma recompensa de valor incalculável que nem sempre estamos dispostos a reconhecer.

Abraços.

yulunga disse...

Lucia
Olha que bela descrição.
Será mais ou menos por aí.
Pessoalmente como detesto futebol acrescento essa quantidade de "gosto" à do sexo, quem sabe num próximo jantar não venho de "mãos a abanar" ;-)

Sobre o Porto e Lisboa deixo desde já aqui um conselho ao gajêdo fêmea (como diz a Sissi):
Não percam um jantar de blogs no Porto.
A noite do Porto tem homens lindos e bons de tirar o folego e todos eles extremamente simpáticos.
A maioria dos "bons" de Lisboa peca pela estupidez natural.

HarryHaller disse...

Oh Lúcia
Fizeste um estudo com os neurónios noutro lugar, pois, parece-me que traçaste o perfil da maioria dos portugueses e do ser humano em geral, senão vejamos: Do benfica é mais de metade da população portuguesa, a fazer fé nas estatisticas, de sexo todo o ser humano gosta, salvo excepções de carácter patológico. Quanto a ser de Lisboa e Porto, o que as pessoas querem dizer, e que portanto, uma mente atenta, lê nas entrelinhas, é que umas são do norte e outras estão mais a Sul de Portugal. Quanto a serem bons comensais, também era melhor que num momento de partilha humana, os mesmos fizessem greve de fome, ou reduzissem a dieta a pão e água.Quanto a gostarem de música, tanto gosta o cidadão minimo, médio ou superior, (utilizo os teus critérios de classificação), quanto a utilisarem a net, quem nos dias de hoje não a utilisa?Quanto à dependência da figura paterna,não dislumbro nada disso, mas, sim respeito e reconhecimento intelectual por alguém que nos tem dado muito com os seus programas e escritos, dado que , dependência, seria, se nós dependessemos do Prof. para tomar decisões no nosso quotidiano, por mais pequenas que fossem. Já quanto a cada um ter uma pancada, pergunto se na ´sua "casa" tem tudo no seu devido lugar e limpinho de pó?

Face ao exposto, apraz-me concluir, que a sua análise, peca por desajustada com a realidade.

Um abraço

Lobo das Estepes

Lúcia disse...

YULUNGA
Vieste de mãos a abanar? Então algo falhou.. E eu que já disse ao Noise que foi bom mestre de cerimónias...Precipitei-me, prontos!
Num blog de afectos como este, essa é uma falha imperdoável:))

Fugido disse...

Ham, ham! ... Ham, ham! ...
Querida Yullie, põe lá aquela nota de pé de página, que deverá rezar, como sempre, "Salvo raras, honrorosas e belas excepções."

Agradecido,
Um que vai fugindo à prisão dos tormentos lisboetas

Lúcia disse...

HARRY HALLER
talvez tenha que redefinir os critérios de amostragem.
Mas olha que isto está a modos que empatado: tu dizes que não a yulunga diz que é mais ou menos isso... Vocês não me baralhem!;)

Tripas disse...

Yulunga dixit:
A noite do Porto tem homens lindos e bons de tirar o folego e todos eles extremamente simpáticos.
Como tripeiro de gema, fosga-se, essa soube-me bem!
Fez-me subir o ego (e não só)!

Anónimo disse...

Murcão médio? Errrrr .... depende se pertence, "de facto", ao ... ao tal "núcleo duro" ... mas quem sou eu para contradizer as "murconhas" ...

Milay disse...

k pena ñ ter ído ao jantar... Espero ñ perder o próximo! :-)

yulunga disse...

Harryhaller
Reconhece que existem sim, uma diferença entre Norte e Sul (vamos representá-los por Lisboa e Porto, ok?).
Um exemplo simples:
Não sei se te lembras quando a IURD comprou o Coliseu do Porto.
Aquela gente fez de tudo, estando-se completamente a cagar para o que parece bem, e conseguiu desfazer o negócio.
Acredita, meu querido, que se a situação se tivesse passado em Lisboa a esta hora o Coliseu estava nas mãos desses senhores.
Seria uma pena, mas tá a ver, ir fazer escandalo para a porta da Câmara e frente à televisão.
Somos muito mais comichosos, somos pouco bairristas, temos pouco sangue na guelra.

yulunga disse...

fugido
já estás nas excepções, faz muto tempo. Gosto do teu humor!

Protestante disse...

Um ponto de ordem á mesa. A afirmação da Yulunga é falsa e redutora.
Murcões de Lisboa (uups, uma contradição axiomática), estais convidados para uma reunião secreta no Xangrilá, bar fino ali ao Cais do Sodré, e ... e depois convidamos umas moças de virtude materialista para se nos juntarem. Já vi que, por aqui, o desdenho das "murconhas" (o termo não é meu) atinge proporções ofensivas.
A animação está garantida. Se os murcões do Porto se quiserem juntar, terão de se fazer acompanhar por genuínas moças do Norte (só estas têm a boa disposição e o "engenho" que tornam um homem feliz)

Lúcia disse...

HARRYHALLER
De qualquer forma, ainda te digo que, tendo eu um pouco mais de tempo te rebateria os argumentos um por um, principalmente porque notei um sorriso amarelo com algum azedume na tua resposta.

Mas como até estou bem disposta e não tenho muito tempo, sempre te vou dizendo 2 ou 3 coisitas:
1- sou sportinguista
2- não sou do Porto nem de Lisboa e não considero que a terra onde moro seja pertença dessas localizações (ou seja, quando me perguntam onde moro não respondo Porto; respondo Ovar)
3- nem toda a gente gosta de música
4 - nem de poesia
5 - nem de sexo e se nalguns casos tem a ver com patologias noutros poderá não ter
6 - por bons comensais incluo não os gostam e comer para sobreviver mas os verdadeiros amantes da boa comida e da boa bebida: muitos não o são
7- falo em depenência afeciva no âmbito do blog e não em dependência doentia, género tenho que o consultar para saber se a marca de carro que tenho é boa ou se devo ir jantar com um namorado novo ou se devo ir para a cama às 10 ou 11 porque estou mais cansada que o costume e coitadinha de mim parvinha como sou não sei decidir e o prof. tirou um curso para me responder a estas e outras questões
20 ou 30 - sim senhor, tenho uma bruta e salutar pancada. E podes estranhar, mas sou feliz assim.

Ainda assim vou rever a amostragem, como prometido.

Fugido disse...

Protestante, man, tem paciência, eu pertenço ao grupo dos "escolhidos", não contes comigo, eu sou uma "Honrorosa Excepção" ao gajio doentio lisboeta.
Ah, linda Yulunga, como me sinto leve, leve, que belas palavras as tuas.

yulunga disse...

Protestante
Olha que porra de bar tu foste escolher.
Eu voto no Texas com a sua cortininha preta e sebosa.
Aí nesses são todos muito simpáticos, claro, sempre na esperança que o preço dessa noite esteja em saldo.

Anónimo disse...

Ora gaita! É impressão minha, ou isto por aqui, está assim a modos que a cair numa coisa meio esquisita?!

Protestante disse...

Eh .. he he he ... Yulunga, tu és uma marota bonita, ai és, és. Tás perdoada.
Com que então em saldo ... ele há gajos que dão cabo do mercado, não se faz ... mas será que é produto genuíno, ou não passará de mais uma imitação reles, importada sabe-se lá de onde, fruto (podre, diga-se) da globalização?

Fugido disse...

Anónimo/a, não te apoquentes, agora é que está a sugir uma coisa menos esquisita. Também não sei o que para ti será "esquisito/a". Define.

yulunga disse...

Protestante
E eu sei lá.
Portugal que abra a pestana e se faça à vida.
Desde longa data que o produto nacional é considerado mau e o que é estrangeiro é que é bom, não é?
Pronto! Têm agora por aí o produto made in lá fora em todos os sectores. Não sei do que reclamam agora.

HarryHaller disse...

Lucia

Talvez por deformação profissional,aprendi que a excepção só confirma a regra,logo a regra é que toda a gente gosta de sexo e música, logo esses critérios cientificamente falando não servem para definir ninguém. E tu acabas com o teu comentário, de pulverizar o que já restava da tua análise.
E olha que até não sou uma pessoa ácida.

Um abraço

Lobo das Estepes

Anónimo disse...

Olha fugido, creio que perante o desenrolar da conversa, nem sequer vale a pena definir seja o que for. Hasta la vista!

Protestante disse...

Yullie,
A malta reclama mais do bacalhau, que não tem o mesmo sabor do que era seco por cá. E um bacalhau com o cheiro de cá ... é melhor que o outro com o cheiro da Noruega.

Que queres, ainda andamos à procura do tal vinho português que é o melhor do mundo, do queijo da serra que também é o melhor do mundo, mas só se for clandestino, da mulher portuguesa que é a mais bonita do mundo (verdade seja dita ... ). Enfim, somos uns tipos atreitos a contrafacções, nos produtos nacionais, nos regionais e ... na estrada.

Lúcia disse...

HARRYHALLER Caríssimo:
De acordo com o pressuposto, em desordo com a aplicação neste contexto.
"...logo a regra é que toda a gente gosta de sexo e música, logo esses critérios cientificamente falando não servem para definir ninguém".

Quem falou em cientificidade? Falei num estudo SUCINTOLÓGICO.
Quanto à cientificidade: faltam duas coisas básicas: uma amostra digna desse nome; definição de conceitos, suas dimensões e indicadores. Por isso falei em SUCINTOLÓGICO, Não Sociológico.

E falta, também, outra coisa: definição de um problemática de estudo, que não foi intenção, pois somente tinha intenção de brincar um pouquinho pois apanharam-me num momento em que não tinha nada para fazer o que já não acontece agora pelo que vou-me fazer à vida.

mas vou dizendo: se for preciso fazer um estudo à séria, cá estarei. mas levemos as coisas no seu contexto. E eu estava a brincar, ok?

yulunga disse...

Anónimo
"Olha fugido, creio que perante o desenrolar da conversa, nem sequer vale a pena definir seja o que for."
Eh, maldoso! Junta-te mas é a nós e deixa-te de frescuras.
Somos gente boa.

yulunga disse...

Anónimo
E se achas que a conversa está a descambar porque não tentas que ela tome outro rumo?
Aqui pegamos nas dicas uns dos outros.
E por muito que alguns reclamem que a meio dos comentários este blog toma outro rumo, acredita qie é isso mesmo que o torna tão "único".
Começar a falar de alhos e acabar em bugalhos só mostra que felizmente não somos limitados e que o prazer de comunicar está aqui bem presente.

Anónimo disse...

hmmmm

Anónimo disse...

foi-se o encanto. morreu.

yulunga disse...

Ainda sobre os agradecimentos, esqueci o PP com a realização de grande metragem.
E a meninadalua pelo seu pas-de-deux com o Lobices.
Espero estar desculpada.

(Chinezzinha) disse...

Júlio M. Vaz e restantes

Que pena...tenho andado afastada dos blogs e nem soube do jantar a que tanto gostaria de ter ido, para vos poder conhecer.
Vim aqui somente para desejar um excelente dias a vocês todos.


Beijinhos

AB

e. disse...

manolo

só isso ?
que pena...

e. disse...

noise
Deixaste de ser aquele enigmático e múltiplo ser virtual? Não!
Mas é certo que 'a mescla liberta-nos de pressupostos', de alguns certamente.
Foi um prazer ver o que mostraste.
e.

umquejácáandahámuitotempo disse...

Hum, por falar em Lobices. Qué feito do homem? Querem ber que já anda no estreitamento de laços, carago? Lá que ele estreitou bem a meninadalua, num há dúbidas :)

Imprevista disse...

Olá

É a primeira vez q aqui coloco um comentário, embora venha diariamente ao blog há já algum tempo.
O q me trouxe aqui foi a admiração q sinto pelo Prof. JMV, mas o gosto pela tertúlia, o ouvir outras opiniões, foi o q me tb me tem trazido aqui diariamente.

Espero q este tenho sido o primeiro de muitos comentários meus.

CuscaAcidental disse...

Anonymous, 3:04 PM
"Foi-se o encanto. morreu."

Tanta crítica e entregas assim os pontos?...Bah!

Lúcia disse...

IMPREVISTA
Olá. és do benfica?
Gostas de comer saborosamente e beber melhor ainda?
Gostas de sexo, poesia, música e de trocar opiniões avidamente?
Então estás no sítio certo.
Emitiremos o seu cartão de Murcona já a seguir...

Aguarde, por favor.

Operação em curso...

Lúcia disse...

IMPREVISTA

Mas se fores do Sporting ganhas uns bónus extra.
Por isso vê lá.

Se não fores de nenhum... bem antes isso que a ser lampião!:)))

andorinha disse...

Boa tarde a todos.

Uma tipa chega aqui a esta hora e fica perdida neste labirinto de comentários.
Vi que ainda se continua a falar sobre o jantar, os "days after", o núcleo duro, virtual/real e por aí fora.
Já expressei a minha opinião sobre isso, modificações pode ter havido (não nego isso) mas para mim serão sempre no sentido positivo.
Tudo o resto é futurologia e pura especulação.

Parece que há gente que quer à viva força convencer os outros de que as coisas se modificaram para pior aqui no Murcon ou até de que este morreu.
Em relação a isso só uma pequena observação.
Alguém disse - "...para quem o fascínio do virtual é a magia do desconhecido, perde-se algo depois do cara-a-cara".
Mas alguém obrigou alguém a ir ao jantar???????????????!!!!!!!!!!!!
Há coisas que eu, pura e simplesmente, não percebo...

Dos restantes comentários estou de acordo com harryhaller (11.02) e fly_away (1.01).
Concordo também, no essencial, com os comentários do Noise.
Realço o seguinte:
"Não vejo que tipo de regras se possam aplicar a um momento de vontade pura e convívio puro (e duro). Estava lá só quem quis estar, quem quis estar a sério, pessoas para quem o Murcon representa algo realmente importante."

Penso rigorosamente o mesmo.

andorinha disse...

e. (3.33)
Subscrevo o que dizes ao Noise.:)

número 1 do núcleo mole e resistente ao núcleo duro disse...

Faço um apelo aos anónimos, cuscas, espreitas, etc e tal que não desisitam. Que prossigam com a sua luta até ao fim. Não se importem com as marretadas e cacetadas. Iremos constituir o novo núcleo mole do Murcon. Com ou sem jantares volantes. Até ao fim do Murcon.

Rataplan disse...

Andorinha,

Apoiado, apoiado e apoiado

e. disse...

olá andorinha

:))

e tu elegante, q galante me saiste!

Anónimo disse...

andorinha

Alguém disse - "...para quem o fascínio do virtual é a magia do desconhecido, perde-se algo depois do cara-a-cara".( o alguém sou eu, a do nick: básica

Lamento que tenha lido o meu comentário tão fugazmente, se o tivesse feito de outra forma, com certeza não escreveria o que escreveu. E mesmo que eu tivesse usado essa frase dando-lhe a conotação que o seu comentário lhe pretendeu dar, deixe-me que lhe diga minha cara: a liberdade de expressão é algo pelo que muitos no passado lutaram arduamente, e desde que usada de forma educada, não vejo em que pode ofender seja quem for. Cada individuo é um mundo, um ser único e cada um tem direito a ter a sua opinião e muito mais do que isso, tem direito a poder expressá-la.

nº 2 núcleo mole disse...

muito bem, muito bem, muito bem

apoio a básica

continuaremos a lutar arduamente pela nossa liberdade de expressão

a

Cusca Acidental disse...

Número 1 do Núcleo Mole e Resistente ao Núcleo Duro, tou contigo (apesar de, pessoalmente, gostar mais de "núcleos duros", mas enfim, os tempos são de crise e uma miuda tem que se adaptar, que a vidinha tá difícil pra todos ...)!

Mole até ao Fim!

Cusca Acidental disse...

...serei a sócia nº. 3 do Núcleo Mole??

noiseformind disse...

básica,
daqui a nada temos aqui um 25 de Abril ; )))))))))))))
Posso ser o chefe da Pide posso? ; )))))))))) é que esses mesmo depois da revolução safaram-se todos ; )))))))))))
Não tou a ver essa do núcleo mole e núcleo duro, terá a ver com a rigidez dos bumbuns? ; )))))))))

Número 1 do núcleo mole e resistente ao núcleo duro disse...

boa cusca
os tempos são de crise pois são mas olha à falta de melhor é o que se arranja
o núcleo mole unido jamais será vencido
Viva o Mole

Cusca Acidental disse...

...e de resto, eu até gosto de umas boas marretadas...

Cusca Acidental disse...

Noise, não era na rigidez dos bumbuns que eu pensava...

número 1 do núcleo mole e resistente ao núcleo duro disse...

noise
não é glúteo man é núcleo
estamos a falar de núcleos
o núcleo duro e o núcleo mole
mais tarde ou mais cedo tinha que haver uma revolução aqui
estamos fartos de levar marretadas atrás de marretadas
pronto

básica
ficas então a sócia nº 3 do núcleo mole do murcon


e viva os moles!!!!

Cusca Acidental disse...

Mole's beautifull...mas, Number One, eu é que a Sócia N.º 3! LOL

Rataplan disse...

Prof. JMV

Outro post, please...
Corremos o risco de desfragmentação, já há núcleos!

noiseformind disse...

Já temos cartão de sócio?
E o clube vai ser de futebol, basket, andebol, sueca?
Eu voto por sermos um clube de sueca, bisca lambida parece mal ; )
Ou então faz-se uma confraria com entrada restrita. Não tenho jeito para essas exclusividades ; ) limito-me à posta ; )

yulunga disse...

Em principio, até amanhã maralhal.
Boas blogadas.

nº1 núcleo mole e resistente ao núcleo duro disse...

desculpa lá cusca acidental
mas isto de fazer uma revolução virtual assim sem mais nem menos é uma canseira.
claro que és a sócia nº 3

e viva o núcleo mole

gonçalo disse...

Prof. JMV,

O título do post sugere uma pergunta "óbvia":

Mantém a colaboração com a Antena 1?

Espero bem que sim:).

O que sempre me marcou mais no programa "O amor é..." foi o afecto que existe entre o Prof. JMV e o António Macedo, esse ilustre sportinguista:). Poderá até parecer um aspecto acessório, sendo certo que é impossível ignorar o "resto" do programa, especialmente a sua vertente pedagógica. A dupla com o António Macedo é das melhores que há na rádio, complementam-se muito bem. A sabedoria do Prof. JMV, aliada à capacidade de comunicação e à humildade do Macedo devem ter subido as audiências. Mas, volto ao início, "O amor é..." é a prova de que o afecto é algo que "só existe" se for demonstrado. Oxalá assim continue!

nº 1 do n disse...

dizes que não tens jeito noise man mas és um exclusivo do núcleo duro

sócia(o), elemento, nome de utilizador - o que tu quiseres man mas tu fazes parte do duro não do mole

Raquel V. disse...

Há direito a neutros? Aos que nem sempre podem vir espreitar e tb nunca poderiam ir ao jantar? :))

yulunga disse...

Logotipo
Já temos.
Só no falta tudo o resto.

Sócia n.º 3 do Núcleo Mole, Anteriormente Conhecida por Cusca Acidental disse...

Mole Number One,

eu sou um coraçãozinho...Mole...estás desculpado!

RAM disse...

Caro Noise,

Decididamente o jantar constituiu para ti uma epifania: estás um homem novo, sereno! :))))))))))))))
Nem uma só palavra ainda sobre sexo?!!!

Nº 1 do Núcleo Mole!!! disse...

Oh Raquel mas segundo o que tenho lido esses são os moles. Os que os duros acham que não estivémos lá - porque não quisémos estar lá a sério!!
Continuamos no fascínio do virtual e na magia do desconhecido
lolololol

RAM disse...

Cara Lúcia,

Não me revejo no perfil que traçou das pessoas que ocasional ou frequentemente deixam o seu comentário neste blog.
Aliás, diga-se em abono da verdade (a minha visão da verdade), pouco interessa o perfil; interessa só o conteúdo.
Tudo o mais é acessório (na minha humilde opinião)...

Nº 1 Núcleo Mole disse...

Mole nº 3

Estás a ver. Desculpamos logo tudo uns aos outros. É o que tem de bom - o pertencer ao núcleo MOLE, não há marretadas, nem cacetadas
lololololol

Sócia n.º 3 do Núcleo Mole, Anteriormente Conhecida por Cusca Acidental disse...

Raquel, honey, eu falo por mim, gosto da idealização, de criar expectativas por detrás das palavras, de manter o anonimato, de não ter ido ao jantar porque simplesmente, não me apeteceu, não obstante achar que o Profe ao vivo e a cores deve ser uma pessoa ainda mais interessante; não fui porque...não!
Gosto de levar marretadas, só para ver que afinal, a fragmentação já cá andava! Eles "toleram-nos", topas?
Vá, marretada pra cima, qu'eu gosto!

P.s. - Number One, deixa-me idealizar... com essa tua maneira de escrever, deixa-me imaginar que és igualzinho ao Ralph Fiennes, deixas...ui...

Mole Forever!!

Sócia n.º 3 do Núcleo Mole, Anteriormente Conhecida por Cusca Acidental disse...

Number One, you're my Hero!!

RAM disse...

Caríssimos,

E se se deixassem dessas histórias absurdas de núcleos duros, restritos, e quejando.
O blog está aberto a todos, sem excepção, porque o Grande Chefe Indío assim o quis.
Não há pessoas de primeira, nem de segunda.
Comple(men)tamo-nos nas diferenças...

Como canta a Maria Rita:

"Todos os dias é um vai-e-vem
A vida se repete na estação
Tem gente que chega pra ficar
Tem gente que vai pra nunca mais
Tem gente que vem e quer voltar
Tem gente que vai e quer ficar
Tem gente que veio só olhar
Tem gente a sorrir e a chorar

E assim, chegar e partir
São só dois lados
Da mesma viagem
O trem que chega
É o mesmo trem da partida
A hora do encontro
É também despedida
A plataforma dessa estação
É a vida desse meu lugar
É a vida..."

Assim é este - e tantos outros - blogs...

Espiona Soviética a topar-vos disse...

Ou muito me engano ou o núcleo mole está a começar a criar calo.
Daí para o duro vai só mais um passinho.
Depois digam que não.

RAM disse...

Caro PortoCroft,

A propósito de Maria Rita...
Que tal uma música da ínclita descendência da Elis????!!!

umquejácáandahámuitotempo disse...

Boa meninos! O que eu me tenho rido. Agora vai ser mais interessante, com dois núcleos, ó se vai! E viva a saída do marasmo!
Força, Moles! Com muitos loles!

N º1 Núcleo Mole disse...

Ralph Fiennes...morno, morno

Tenho que ir agora aos preparativos do nosso novo logotipo. Não vês, Cusca, o núcleo duro já anda para aí com novos logotipos. Bora lá.

Mole forever

Mole N.º 3 disse...

Morno?...já serve...Uffff...(ai o que eu adoro idealizar...uuuffff)...
...Bora...até porque se ficar por aqui, endureço...

Nº 1 Núcleo Mole disse...

Espiona

Estás connosco?
Vê lá não espies demais
lololol
Junta-te mas é a nós
Os Moles

umquejácáandahámuitotempo

Obrigada pela força. És dos duros ou dos moles?
Não te queres juntar a nós???
Olha que eu também me tenho rido a valer, se bem que nisto de revoluções temos que ser mais sérios.

Oh Ram meu caro
Onde está o seu sentido de humor hoje?

Mole Forever

Sócia n.º 3 do Núcleo Mole, Anteriormente Conhecida por Cusca Acidental disse...

Para "Umquejácáandahámuitotempo":

We aim to please.

Moles ForEver!

mole number one disse...

mole n.º 3

Que bem que te fica esse novo visual!!!!!!

mole number one disse...

mole n.º 3

Moles ForEver

Vai ser esse o nosso novo logotipo

E vejo que andas a trabalhar no duro, perdão no mole
lolololol

Fora-de-Lei disse...

Eh pá, o blog Murcon parece uma bolsa de valores com montes de especuladores a degladiarem-se entre si. São tantos, que até parecem as moscas atrás do cavalo do pitrolino...

Por este andar, a cotação do Murcon não irá parar de subir e, se não houver uma rápida intervenção de uma qualquer entidade reguladora, ainda aparece por aí alguém a decretar uma Oferta Pública de Venda (ou uma Oferta Pública de Compra) do Murcon...

Há que pôr cobro, enquanto é tempo, a estas obscuras manobras de engenharia financeira... ;-))

Sócia n.º 3 do Núcleo Mole, Anteriormente Conhecida por Cusca Acidental disse...

Number One,

Like it??...You're such a charm!

Tomorrow, same place, same time...

Moles ForEver

mole number one disse...

Quais moscas, fora da lei

Tu e mais uns quantos fugidos bem que podiam dar uma força aqui aos Moles. De eue é que estás à espera man? No rpóximo jantar - bolante - moles e duros
lololololol

Anti-Ram disse...

"Moles ForEver

Vai ser esse o nosso novo logotipo"

Se assim é, escusam de me enviar o kit de adesão...
ForEver???? Não acham um pouco radical?

mole number one disse...

Tomorrow...same place and same time

Moles ForEver

Não endureças
lolololol

Sócia n.º 3 do Núcleo Mole, Anteriormente Conhecida por Cusca Acidental disse...

...não resisto...
Anti Ram, dear, deixa-me explicar-te a concepção mole de "for ever":
...é quando calha, querido, quando calha, tipo, se não aparecer por lá todos os dias a comentar, também não fico um murcon-ó-excluído...(fonéticamente soa mal com'ó caraças, mas ficas mais ou menos com a ideia, certo?

Moles 4Ever

mole number one disse...

anti-ram

Bem-vindo sejas lololol

ForEver - pois então - os moles não são muito bons nisto de logotipos.
O que sugeres?
Present Moles

lololol

Maria disse...

Deus escreve direito por linhas tortas
E a vida não vive em linha recta
Em cada célula do homem estão inscritas
A cor dos olhos e a argúcia do olhar
O desenho dos ossos e o contorno da boca
por isso te olhas ao espelho:
E no espelho te buscas para te reconhecer
Porém em cada célula desde o início
Foi inscrito o signo veemente da tua liberdade
Pois foste criado e tens de ser real
Por isso não percas nunca teu fervor mais austero
Tua exigência de ti e por entre
Espelhos deformantes e desastres e desvios
Nem um momento só podes perder
A linha musical do encantamento
Que é teu sol, tua luz, teu alimento

Sophia

Um abraço :)

Sócia n.º 3 do Núcleo Mole, Anteriormente Conhecida por Cusca Acidental disse...

Number one, deixemo-los, aos duros, agora...

Caso contrário, pegam no blog e mudam-se. E já devem estar a mailar freneticamente...

Moles 4Ever

mole number one disse...

oh mole nº 3

Tu tens-te esforçado miúda lá isso tens.
Esse novo logotipo vem mesmo a calhar


Moles4ever

Melhor não há!!!!!!!!!
Votem Moles!!!!!!!!!!!!!!!
looooooooooooooooooooooool

mole number one disse...

ai maria que há tanto tempo não te via :))))))))))))))))))

umquejácáandahámuitotempo disse...

ihihihihihihih
Claro que sou dos Moles.
"Mole" mas sempre em Português. Porque em Inglês tanto pode ser borbulha, mancha na pele, etc, como toupeira. Isto é para os duros não virem com bocas :)))

Fugido disse...

Errrrr ... sem querer desfeitear-vos, eu alinho no núcleo dos "sempre anónimos e rijos", vulgo SAR ... é isso, nem duro nem mole, mas rijo, como aqueles chouriços empedernidos que até servem para pregar um prego.

Aceitam-se de imediato inscrições.

mole number one disse...

Hellooooo

Cadê os duros?

:((((

Mole N.º 3 disse...

Um outra maravilhosa característica dos Moles em Português, é esta capacidade de autoconsciencialização...

" umquejácáandahámuitotempo said...
ihihihihihihih
Claro que sou dos Moles.
"Mole" mas sempre em Português. Porque em Inglês tanto pode ser borbulha, mancha na pele, etc, como toupeira. Isto é para os duros não virem com bocas :))) ".

See??

É claro que, sendo uma Mole, não pude deixar de reparar ali na aliciante proposta do semirígido Fugidio...

«O mais antigo ‹Mais antiga   1 – 200 de 246   Mais recente› Mais recente»