domingo, setembro 25, 2005

Outono.

Com as primeiras chuvas.


Abrir as mãos. Como se o vento fora a maravilha. Acariciar-lhe a crina, a lentíssima garganta. Deixá-lo partir, jovem ainda. Com as primeiras chuvas.

Eugénio de Andrade.

185 comentários:

lobices disse...

...Eugénio de novo?...Acho bem...
abraço

iuri disse...

Afinal de contas quando é que surgem as primeiras chuvas?...
O Eugénio de Andrade teve sorte em não viver tempos de seca!

nikita disse...

AH! CHUVAS!!!!
Eram benvindas, eram...mesmo que tivese de deixar partir o inseparável...

iuri disse...

"Deixá-lo partir, jovem ainda. Com as primeiras chuvas."

Tenho a certeza que é isso que os meus pais pensam quando a faculdade começa e e me veem partir no comboio :)

Lusco_Fusco disse...

A calma desse gesto.
Aceitar sem prender"Abrir as mãos. Como se o vento fora a maravilha" sentir até prazer de ter "Acariciar-lhe a crina, a lentíssima garganta.Deixá-lo partir, jovem ainda" e de perder...

Apreciar o lado bom das coisas, sem parar nele ou prender. Aceitar a mutação.
Precisa-se de alma grande para isso e ele tinha-a.

Muito bonito.

e. disse...

iuri.é mesmo isso q eles pensam. e será assim qd fores viver só e só os vires e lhes telefonares de quando em onde.e te acariciarem cerimoniosamente a crina.e deixarem q aclares a garganta com outros vinhos e outros alimentos q não os de sua casa.vive bem iuri.

plim disse...

Meu caro professor,

Eugénio de Andrade, será sempre um dos meus preferidos também...
Mas como as chuvas e o outono ainda me parecem longe... este calorzinho ainda me lembra o verão, respondo-lhe com Gomes Leal...

A UMA HORIZONTAL

Mulher de tranças negras e compridas
e de falas fingidas
que, alta noite, ao ruído das orgias,
com casquinadas frias,
achincalhavas corações dolentes...
- com prazer vejo que não tens dois dentes!

Ó sereia das tranças cetinosas,
e falas melodiosas,
toda cheirando a rosas...
Senhora do Deleite!
sempre em banhos de leite,
sempre inventando sensações estranhas...
- hoje estás boa para assar castanhas!

(Antologia de poesia portuguesa erótica e satírica)
editora antígona&frenesi

Um bom resto de domingo para todos

plim

PortoCroft disse...

Caro Prof. m8,

Só abre as mãos quem as manteve fechadas, prendendo algo ou, figurativamente, alguém.

Quem teve medo que à passagem dos primeiros ventos agrestes, se libertassem nas suas asas ou, quem pretenda isso mesmo, que nas asas do vento, as coisas ou pessoas que para nada mais lhe servem, num silêncio feito de brumas, se afastem.

noiseformind disse...

Ai o efémero dos amores, Éme. Reconhecer que apenas passam por nós, prolongar o momento de sentir, quando o sentimento acaba o amor passou. Muitos agarram lufadas de vento já passado, traem-se com a memória para permanecerem naquele sítio onde já só estão eles e a passividade do outro e o seu interesse em não ir... e interesse em não ir é um sucedâneo muito pobre do amor pá! ;)

Paulo Pisco disse...

Também aqui pelo Sul esperamos as primeiras chuvas.O Outono, esse está ai para ficar. Espero...

Ameninedalua disse...

Noise
Mas que desencanto!
Os vasios podem sempre ser preenchidos pelas lembranças, desde que se saiba disso...

Mas tambem concordo contigo: e interesse em não ir é um sucedâneo muito pobre do amor pá! ;)

noiseformind disse...

ameninadalua,
Sabes que eu sou tudo PRÓ-memórias, desde que elas não nos imobilizem no presente para fazermos escolhas que determinem o nosso futuro. E não vamos ser tão profundos, Eugénio tava apenas a despedir-se de um desses "amores de verão", que nós temos em todos os géneros ;)

Ameninadalua disse...

Parece-me uma boa imagem..associar-se o Outono à "Partida de amores de verão".A valência é notória; a partida do sol que dá brilho, com o sentimento nostálgico que nos acompanha nas Partidas e o efémero que é tambem a passagem do tempo...tudo isso é tambem o Outono.

se um dia ouvires a voz do vento disse...

Especially when the October wind
With frosty fingers punishes my hair
Caught by the crabbing sun I walk on fire
And cast a shadow crab upon the land,
By the sea’s side, hearing the noise of birds,
Hearing the raven cough in winter sticks,
My busy heart who shudders as she talks
Sheds the syllabic blood and drains her words.

Dylan Thomas

Lusco_Fusco disse...

Portocroft
1º Gostei muito do seu blog. Gosto da forma como escreve.

Mas deixe-me discordar de si quanto a essa da mão fechada...
Nem só quem teve mão fechada a abre.
Pessoas há que a tiveram aberta, achando o vento ameno até sentiram frieiras sangrando do vento agreste que a sulcou...
Mas ter mãos sempre abertas acho também indiferença e uso de recurso, aceitação até do menos desejado "... como se o vento fora maravilha" Não era o desejado, era o possível...
Lembra-me a Florbela Espanca no poema "Amar" é um grito de desespero. O querer sem poder foi auto flagelação... Sempre mão aberta, foi eterna procura e desilusão sucessiva... :(
Sejamos moderados :) , no meio ta a virtude, entreabertas e não se fala mais nisso.... :))))))

e. disse...

noise.li-te.era só mesmo disso q o Eugénio se despedia? e será seguro que consigamos libertar-nos das memórias que nos imobilizam no presente?e será garantido que façamos escolhas que determinem o nosso futuro?e parece-te supérfluo apenas acariciar cerimoniosamente?vive bem noise.

Dinada disse...

Degusto Eugénio de Andrade como faço com o 'doce de leite'. O que não é necessáriamente bom.

O poeta em qustão é demasiado zás! Ou seja, à primeira percebo-o o que me leva a ser rápida demais, não conseguindo fugir à gula.

Deixo aqui um poema que me diz muito, que conhecerá, de e.e. cummings. Um poeta mais 'difícil' mas equivalente em brilhantismo:

my girl's tall with hard long eyes
as she stands, with her long hard hands keeping
silence on her dress, good for sleeping
is her long hard body filled with surprise
like a white shocking wire, when she smiles
a hard long smile it sometimes makes
gaily go clean through me tickling aches,
and the weak noise of her eyes easily files
my impatience to an edge--my girl's tall
and taut, with thin legs just like a vine
that's spent all of its life on a garden-wall,
and is going to die. When we grimly go to bed
with these legs she begins to heave and twine
about me, and to kiss my face and head.

Esta sou eu! Ou a fé me engana...

Julio Machado Vaz disse...

Noise,
Quand vient la fin de l'été, sur la plage... Les Chats Sauvages, há décads e décadas:))))))).

noiseformind disse...

Quand vient la fin de l'été sur la plage
Il faut alors se quitter peut-être pour toujours
Oublier cette plage et nos baisers
Quand vient la fin de l'été sur la plage
L'amour va se terminer comme il a commencé
Doucement sur la plage par un baiser

Le soleil est plus pale mais nos deux corps sont bronzés
Crois-tu qu'après un long hiver notre amour aura changé ?
Quand vient la fin de l'été sur la plage
Il faut alors se quitter les vacances ont duré
Lorsque vient septembre et nos baisers

Quand vient la fin de l'été sur la plage
Il faut alors se quitter peut-être pour toujours
Oublier cette plage et nos baisers, et nos baisers
Et nos baisers !

Éme,
Fui passear os cãezinhos pela praia, e os carrinhos ali todos alinhados, eles inclinados para trás no banco do condutor e elas conduzindo o membro deles para dentro da boca, numa pobreza desarmante. 13 carros, 13 fellatios. O fim do Outono levará também ao erotismo real? Ou o erotismo de pacotilha dura todo o ano? A dúvida, bem sei, vai-me continhar a ser tirada todos os dias na salinha... ;)

PortoCroft disse...

Lusco_Fusco,

Obrigado. ;)

Ter as mãos abertas, não me parece atitude de indiferença, senão de confiança.

Só quando o que está nas nossas mãos abertas, resiste, livre, aos ventos que sopram, poderemos ser verdadeiramente felizes.

E só assim:

LEISURE
W.H.Davies

What is life if, full of care,
We have no time to stand and stare.

No time to stand beneath the boughs
And stare as long as sheep or cows.

No time to see, when woods we pass,
Where squirrels hide their nuts in grass.

No time to see, in broad daylight,
Streams full of stars, like skies at night.

No time to turn at Beauty's glance,
And watch her feet, how they can dance.

No time to wait till her mouth can
Enrich that smile her eyes began.

A poor life this if, full of care,
We have no time to stand and stare.



No meio, a virtude. Mas, sem liberdade, onde está a virtude? ;)

PortoCroft disse...

Noisy,

Certas alturas ponho-me a pensar como seria no tempo dos meus avós, em que nem sequer carochas, sem bancos reclináveis, haviam. ;)))))

noiseformind disse...

Meu caro Ports, o Éme te dirá (na qualidade de moçoilo que já teve pelo menos um Mini) que o pudor feminino, quando não era exagerado, era o maior afrodisíaco do rapaz e a lenta rendição obrigava a gestos muito mais complexos que estas mecanicidade dentro da viatura. Podiam não estar conscientes, mas criavam (e ressalvo de novo o não excesso de pudor que era bastante comum) universos de uma complexidade tremenda. E era precisamente na vulgaridade do matrimónio que encontravam o desgosto maior. Hoje em dia nem o matrimónio tem esse anseio ;( vai-se para lá já ciente do cinzentismo do egoismo deles e da subserviência delas. Oh tempo... volta para trás (mas sem acabar com a depilação dos genitais moderna claro...)

amok_she disse...

( vai-se para lá já ciente do cinzentismo do egoismo deles e da subserviência delas. Oh tempo...

...c'um caraças!, este rapaz está a precisar, mesmo, duma grande paixão...daquelas de caixão à cova!...e desde q veio do jantar está pior q nc!!!:->

...logo hoje, q passei uma belissima tarde de praia em fim de verão... belissima a vastidão da areia q me dava a sensação de posse sobre toda a área...sem, no entanto, sentir-me isolada do mundo já q à distância óptima - aquela em q divisamos o ser humano sem lhe vislumbrar as feições, garantia da nossa (e da deles) privacidade - estavam mais uns quantos fanáticos dos sol e do mar... a sensação do sol e do vento q se misturavavam, maravilhosamente, num casamento perfeito - meu caro "faz_barulho", os casamentos não são (todos!) esse poço de infelicidade q o menino insiste em retratar...foi-lhe assim tão penosa a infância?:->...nem todas as fêmeas são tão subsmissas como o menino as conhece... meu caro, os 13 "fellatios(os)' da "sua" praia não chegam para fazer uma praia de fim de verão assim tão limitada d'imaginação...há outros espécimes...sabia?...conheces desses???...pois, mas devia...o menino com quase metade da minha idade tem quase o dobro do meu pessimismo, valha-o todos os deuses do Olimpo!...:->

amok_she disse...

Nada como entremear um post a apelar à inflamação das gentes, com um outro a colocar td nos devidos eixos...:->

...resta perceber: devidos para quem?:->

Lusco_Fusco disse...

Lê-los faz-me rir... :)
Estão vivos!

Fly_Away disse...

Por vezes é necessário abrir as mãos, deixar partir...

É quase sempre sempre quando mais amamos que somos impelidos a deixar partir, pois o amor é assim mesmo, grande e maravilhosamente possessivo na chegada; porém tão verdadeiramente altruísta na partida que quase não parece amor, mas dádiva.

PortoCroft disse...

Noisy,

Em primeiro lugar, não me parece que o "boss" seja ou alguma vez tenha sido de "mini's". Cá para mim, é mais homem de "cabriolets". O que até daria um certo jeito para arrumar as longilíneas pernas das companheiras. Estou convencidissímo que é até daí que vem a expressão: "pernas ao léu". ;)))

E depois, na busca incessante da "vulgaridade do matrimónio", qual não arriscaria, livre e conscientemente, desafiar os seus gestos tão simples quanto eficazes, acompanhados com os, deliciados, sussuros vibrantes de virgens insaciáveis e renascidas em cada novo lollypop? ;))))

andorinha disse...

Boa noite.

Júlio e Noise,
"Quand vient la fin de l'été...", il fault l'accepter.:)

"Abrir as mãos...deixá-lo partir".
Nem sempre é fácil.
Como diz a lusco_fusco, é o aceitar a mutação e para isso, precisa-se de uma alma grande.
Mas só aceitando a inevitabilidade da mutação conseguiremos viver a vida em pleno.

clave de sol disse...

Professor Júlio

Que apropriada a citação às circunstâncias do meu momento...
Hoje sentia uma nostalgia e certamente deve-se à energia do Outono... vibra no sangue que me escorre pelas veias. Os meus pensamentos nunca deixaram de ser o tecto do meu abrigo, mas hoje repesquei o que tenho cá de música, para entender claramente o que se pode encontrar por detrás deste tecto...

Por aqui, pelo Norte da Europa, já se fez sentir o cheiro do Outono. Caem as primeiras chuvas, caem as folhas douradas no chapéu de chuva, caem as primeiras lágrimas, caem simplesmente... a árvore está penada e só me resta pensar "como se o vento fora a maravilha". Tenho talvez a sorte de poder transmitir todo este cenário através das 4 cordas do meu violino, o Outono de A. Vivaldi

Deixo-vos aqui o Outono nas mãos...

Sonetto dimostrativo sopra il concerto intitolado LÁutumno de Sig.re D Antonio Vivaldi

"Celebra il villanel con balli e canti
del felice raccolto il bel piacere,
e del liquor di Bacco accesi, tanti
finiscono col sonno il loro godere

Fa ch'ogn'uno tralasci e balli e canti
l'aria, che temperata dà piacere,
e la stagion, ch'invita tanti e tanti
d'un dolcissimo sonno al bel godere

I cacciator alla nov'alba a caccia
con corni, schioppi e cani escono fuore;
fugge la belva e seguonno la traccia;

già sbigottita e lassa al gran rumore
de'schioppi e cani, ferita minaccia
languida di fuggir, ma ippressa muore"

Façam uma boa viagem e deixem-no partir...

Anónimo disse...

... Eugénio, de novo?!... a mim me parece
Acho bem... só lamento que uma ou outra vez não seja Eugénio...a mim me parece
Quando não é desligo logo o rádio...
A mim me parece.
Nota:
O Eugénio devia ser usado sempre!
A mim me parece
Desculpem, mas é o que a mim me parece.
Assina:
A mim me parece

noiseformind disse...

Portz,
Realmente minis nunca meu caro, como qq bom Murcon o Boss só se deixa seduzir por umas boas imperiais:)


Isso de pernas ao leu é mais complicado de esclarecer. Sendo léu o factor de elevação das supra-mencionadas pernas por cima das portas do véiculo e o cabriolet estar de capota em baixo o rácio de exposição real das mesmas e o local escolhido o vector de ampliação do factor de risco E temos que léu = C(abriolet) + P(ernocas) log5 (repetição da exposição sendo aqui log uma metáfora de compreensão bastante fácil) /E(spaço onde se estacionou). Um léu menor aumentaria a tranquilidade face ao ainda juvenil Éme não ser cravejado por chumbadas do putativo sogro ou de um trauseunte em idade de bengalar tamanho atrevimento mas por outro lado diminuiria a sua capacidade para confirmar diante dos convivas em carros limítrofes a partilha da verosimilhança (e da experiência de saber feito) da sua manifestação activa de afecto íntimo.
Que te parece? tá sistematizado como deve ser?

amoke_she,
Eu não percebo, eu falo em geral e tu sentes-te sempre na obrigação de dizer que o teu casamento isto, o teu casamento aquilo, os cabelos, os orgasmos, o vento na praia, a perfeição acabada e até mandas nele e tudo. Sinceramente, não percebo, contrariar o que disse seria dizer "mas eu hoje dei uma no carro ao meu Tó Zé que ele até viu estrelas, nem sabia onde estava ou como se chamava" e mesmo assim seria recessivo pois eu falei especificamente de casais de namorados em imberbes e não de quarentonas com os rebentos no banco de trás (que poderia perfeitamente acontecer, não seja eu a limitar a tua capacidade criativa sexual) ;)
Manda-me a prudência que te diga que manisfestar constantemente a relação que se tem como arquétipo face a frases gerais é um dos sinais inconscientes mais eficazes que nós psis temos de efectivação de problemas relacionais, cria-se um "super-casamento" que está presente sempre que a instituição em si (e não o próprio casamento) é afectado. Sim, que eu vi lá os jovenzitos e não disse "já eu, quarta-feira, tive 3 horas dentro do Range Rover da Tatiana e fizemos o Kamassutra todo (o que seria já por si mentira pois a posição touro entre manada de vacas implica muito maior nro de parceiros que apenas uma)". Não, pq não preciso dessa manifestação pública para me assegurar, tanto dessa como de qualquer outra posterior. Queres dizer que há casais diferentes? Tudo bem, estás no teu direito, mas estar sempre a dizer "no meu casamento?". E o teu marido? Não tem voto na matéria? Ele limita-se a estar nessa "Garden of Eden" sem qualquer manifestação de aspereza? Só se tiveres algum comando espetado nele ; ))) ou pronto, ou pronto, já dando o braço a trocer por antecipação coloco a outra hipótese que já gemoleia aí no teu espírito: são almas gémeas cujo amor eterno, faiscante e assombroso elevou até um paradigma de perfeição transcendente a distribuição do carinho. E claro, neste âmbito todo e qq sexo oral a existir é absolutamente mútuo, absolutamente satisfatório, absolutamente funcional... : )

Julio Machado Vaz disse...

Porty,
Obrigado pelo optimismo:(. Cabriolet? Pernas longilíneas? Onde? Onde?:)

A Woman's Poetic Blow Job disse...

On Giving And Taking

To give pleasure is to hold control. My favorite act -
Subversive, perverse, and strangely beautiful. Your moans are
Sharp and silken morsels of delight. I give you
Pleasure, and I take from you control.

Subversive, perverse, and strangely beautiful, your moans are
The sweetest of earthly rewards. I know
pleasure, as I take from you control:
trembling with the force of this desire --

the sweetest of earthly rewards. I know
the moment you slip away and lose your mind,
trembling with the force of this desire,
my velvet tongue upon your barest skin:

The moment you slip away and lose your mind,
and your soul quivers inside your hard cock,
my velvet tongue upon your barest skin;
with soft sounds and slick sweat you belong to me utterly.

And your soul quivers inside your hard cock,
I give you -- another moment -- another --
with soft sounds and slick sweat you belong to me utterly --
the way your breath catches when I lift my head for a moment --

I give you another moment, another,
and my lips move in delicious spirals.
The way your breath catches when I lift my head a moment
erotic -- makes my cunt throb and my back writhe,

and my lips move in delicious spirals,
and I'm all business now, immersing you, working your flesh,
erotic -- makes my cunt throb and my back writhe,
shudder and spasm, electric, nerve impulses --

and I'm all business now, immersing you, working your flesh,
and draw out an animal whimper from your throat, and elicit
shudder and spasm, electric, nerve impulses,
a fierce crescendo and I make you lose yourself,

and draw out an animal whimper from your throat, and elicit
sharp and silken morsels of delight. I give you
a fierce crescendo and I make you lose yourself.
To give pleasure is to hold control. My favorite act.

dolphinna disse...

Esta woman anda a ler umas coisas lá pelos últimos postos no blog do Noiseformind, ai anda, anda!

Lusco_Fusco disse...

"Noiseformind "
Tanta poluição "sonora" por causa de quarentonas no banco de carros?!!!! Vai lá vai!!! Não sabe que a rotina do leito estraga o casamento? Que o cheirinho da urze dos pinheiros, eucaliptos e arbustos afins(para não falar no perfume iodado da maresia), tiram a asma que causa a rotina?...
O que o Noise tem de aprender com quarentonas!!!!! lol
No tempo delas (que também o é hoje, queira ou não) alguns bancos como, dizia antes, não desciam... Mas os homens de antes não eram ou são “ninos” de hoje, yogurt(ados) ou suissinh(ados) homens de dobrada e de substancia fibrosa que cria elasticidade, eram malabaristas desenferrujados como elas (muitas vezes desajeitados accionavam a buzina... Acidentes.... Quem os não tem?! E agora, acredito que no meio da escuridão accionem os 4 piscas.... :o))... Ah pois eh!!! O que o menino tem de aprender!!!! Ó ó se tem!
(agora sabe porque ri antes)

Pamina disse...

Boa noite JMV e Maralhal que esteja por aqui,

Quando li, talvez por deformação maternal, também me vieram ao pensamento as imagens/situações referidas pelo Iuri(3.04) e pela E(4.31). Mais do que a ideia de amores efémeros. Li depois outros comentários e agora, enquanto escrevia, saltou de algum canto da minha memória a peça/filme "Suddenly, Last Summer" do Tennessee Williams. Os pensamentos são como as cerejas.:)

Até amanhã e bom começo de semana para todos.

amok_she disse...

...pronto!, lá volta ele aos blá, blá, blás, daqueles intermináveis q nada dizem e uma pessoa fica assim, a modos q...com os olhos em bico e os neurónios num xinfrin!... pronto!...cheguei aquele ponto em q, blá,blá, blá "eu falo pra geral e tu, blá, blá, blá, o teu casamento"... ai o rico é tão giro!:-> e tão tradicionalista!, átão só pq eu digo q tenho filhos, q sou quarentona e...acho q nem todos os casamentos são esse enterro da liberdade individual e da infelicidade do par, logo aí o menino acha q...eu tenho casamento!???...oh rico, o menino, tão viajado, tão culto, tão conhecedor profundo das pesquisas nos googles...átão ñ me consegue uma melhor q essa???!tesss,tesss,tesss...'tá a precisar doutro jantarzinho!:->

amok_she disse...

bem, como faço com aqueles livros q começam por me enfastiar, mas q raios, se paguei a factura lá na Fnac, ao menos deixa-me ler o final...quem sabe...vai daí, fui-te ler o final...grrrr

«ou pronto, ou pronto, já dando o braço a trocer por antecipação coloco a outra hipótese que já gemoleia aí no teu espírito: são almas gémeas cujo amor eterno, faiscante e assombroso elevou até um paradigma de perfeição transcendente a distribuição do carinho. (...)... : )

...tesss...tesss...parece desconheceres q eu era aquela q defendia os triângulos amorosos...captou, caro!????!:->

noiseformind disse...

O porty tinha isto tudo preparado. O homem das 2 cabeças apareceu para satisfazer todas as mulheres, dos 12 aos 120 loooooool looooooool loooooooool loooooooooooool pronto meninas, façam-se a ele(s)

PortoCroft disse...

Noisy,
Isso que estás a ouvir é um marco histórico na música brasileira. ;))))))

Pela primeira vez um tuga escreveu a letra dum Forró!... ;)))))))

noiseformind disse...

Amok,
sempre redutora. Muito bem, tu e mais quantas figuras geométricas couberem no carro, sejam lá quantas divisões gemológicas sejam necessárias fazer nesse Amor. Sim, pq defendeste esses vértices baseada no Amor, que esta mioleira não está estragada e lembra-se bem.
E já agora, por acaso compraste o meu comentário para te sentires na obrigação de o ler até ao fim? ; ) podes ficar a meio, não te levo a mal loooooooooooooooool

Se o tempo de espera não fôr muito grande eu e o Portz estámos a ponderar fazer parte desse triângulo das "barbudas", desde que a qualidade do "léu" em causa seja manifestada e aprovada ; )
Somos uns participantes de orgia não-discriminatórios. Equal oportunity é o nosso lema, apesar de infelizmente os padrões serem um pouco elevados em termos de performance, mas nada que uma "mulher de armas" como tu tenha a temer.

O Forró segue dentro de momentos, a farra essa nunca pára...

noiseformind disse...

Caso não aceites o Portz não sei... mas eu vou continuar a atravessar esse deserto de afectos sem Amor que é o Sexo-puro-e-duro... lá terá de ser.

E pede-se o cabrio ao Éme para o test drive mútuo, que tal?

Durmam bem pessoal, que eu já me deixei disso

amok_she disse...

noiseformind disse...

Amok,
sempre redutora


....então, seremos dois!!!...a achar o mesmo um do outro...e é só isso q me leva a tentar ler-te...e responder-te!... ñ gosto de reducionismos!...e se me achas...grrrr, vou rever-me!!!:->

Ameninadalua disse...

Porty
Com essa música... deves estar cheio de vontade de ir de férias para o Brasil !!!mas olha que agora não é a melhor altura....tem paciência e espera um pouco mais, talvez para a passagem de ano!! quem sabe a música melhore até lá :))))

PortoCroft disse...

Caro Prof. m8,
Haja Cabriolet!... ;))))

Ameninadalua,
Pronto. Pronto. Coloquei as tuas favoritas. ;)

e. disse...

Neste espaço vem-se tornando difícil saber ao certo quem inferniza quem. E quem é ao certo o paciente.

Alguns ‘tropos’ podem traduzir a questão da incerteza diagnóstica e terapêutica, que tem sido dissimulada através de um ar de bravata conhecido como ‘doutorite’ (o sintoma patognomônico é andar na rua com estetoscópio pendurado no pescoço, como se fosse uma gravata).

Só para citar um exemplo, uma variante da figura discursiva chamada ‘antanaclásia’ está ocorrendo subtilmente neste espaço, isto é, cada vez que um bloguista incomoda com múltiplas intervenções, aparece o ‘perito’ para o engessar. O termo ‘engessar’ expressa a impaciência de alguns médicos em relação a pacientes graves e/ou com múltiplas internações - engessar um paciente pode significar orientar o tratamento de maneira que o paciente não reclame.

Ou acontecerá que, como denunciou Freud*, a rejeição de certos pacientes esteja a provocar uma invectiva verbal desmesurada?

*"A hostilidade brutal, proibida por lei, foi substituída pela invectiva verbal. Tornando nosso inimigo pequeno, inferior, desprezível ou cômico, conseguimos, por linhas transversas, o prazer de vencê-lo..."?

Quem é aqui o paciente?

yulunga disse...

Bom diaaaaaa maralhal.

Pois eu não vejo nada de amores de verão que partem.
A esses habitualmente agarro-os forte e feio... agarro-os exactamente por aí por onde estão a pensar, pelo menos até ao Natal não fosse eu adoradora de presentes.
Desculpem a falta de romantismo, mas o que vejo é mesmo a partida do verão, do sol e do calor... de muito calor.

lobices disse...

...BOM DIA MARALHAL
...sejam felizes
...portem-se mal
...amem-se atá ao tutano da vida
...sorriam
...façam "macacadas"
...libertem o ácido que possa haver dentro de vós
...leiam as entrelinhas dos vossos próprios pensamentos
...saibam ser o que desejariam que os outros vissem em vós!...
...
abreijos e um bom início de semana

Laura disse...

SAIBAM SER O QUE DESEJARIAM QUE OS OUTROS VISSEM EM VÓS
-------------
Chiça, grande tirada!
Parabéns, ó lobices!

andorinha disse...

Bom dia Júlio e maralhal.

Yulunga,
Tu és sempre do contra, rapariga.
Nunca vês o que os outros vêem.:)

Lobices,
Eu diria - saibam ser o que desejariam ser.

Estou, supostamente, numa aula de substituição, por isso pude dar aqui um saltinho.:))))

PortoCroft disse...

e., - (2:29 AM)
E depois, há sempre aqueles que são mais papista que o Papa, não é? ;)))

Lobices,
Fizeste-me lembrar dum quadro que havia num programa do Jô Soares, em que ele, desajeitadamente, batia palmas, escarnecendo dos políticos brasileiros e exclamava:

- Eu quero aplaudir!

Porque será? ;)))))))

PortoCroft disse...

Lobices,

Ou terá sido qualquer coisa que o Marques Mendes tenha dito ultimamente?;)))))

yulunga disse...

Andorinha
Pois é.
Então e os amores de Outono, e os de Inverno, e os de Primavera?
Não fazia idéia que os amores tinham estação. À excepção dos gatos e mesmo esses já vão miando um pouco por todo o ano.

amok_she disse...

Minha cara e. qd te metes a escrevinhar aasim "sujeitas-te" a não receber os aplausos da ordem!;-)

"Quem será aqui o paciente?" ...pois, deixa-os poisar...afinal de contas isto deverá servir, apenas!, para uma certa descompressão...para os ainda comprimidos!...o "prazer de vence-lo" é 'deles', mas... só nas suas próprias cabecinhas, naturalmente!...e a 'nossa' obrigação, aqui, é deixá-los pensar tal...há q ñ contrariar,né!?!...pq por esse mundo fora há, ainda, tanto por fazer...;-)

[yulunga...q nc se te acabe esse teu inconformismo, ainda por cima as marionetas estão em vias de extinção!:->...apesar de precisares rever aí umas coisinhas...de direita, hein?!? ;-)))]

yulunga disse...

amok_she
Ai que cinica....
;-)

e. disse...

lobices
belas tiradas as tuas, direi mesmo muito ajuizadas.


portocroft
perguntas: não é? ;)))
respondo: é é ;)) ou melhor, é preciso também existir disto ;))


amok_she
há tanto que fazer. vou ali e já volto.

Pólux disse...

Folhas de Outono


Na alameda do esquecimento,
onde o vento de outono varre as folhas
esquálidas outrora verdes,
ouço os suspiros moribundos
dos velhos estandartes
que na vernal brisa drapejaram
tendo por fundo o azul dos céus.

Na frescura dos tempos idos
ciciavam aos ouvidos dos rouxinóis e colibris
o hino da mãe natura,
a mesma que ora as aniquila e devora,
enquanto o viço da relva,
soluçante, bebe as suas lágrimas
e em orvalhados beijos se despede
das companheiras dum equinócio distante.


Pólux

Pólux disse...

Chanson d'Automne


Les sanglots longs
Des violons
De l'automne
Blessent mon coeur
D'une langueur
Monotone.


Tout suffocant
Et blême, quand
Sonne l'heure,
Je me souviens
Des jours anciens
Et je pleure;


Et je m'en vais
Au vent mauvais
Qui m'emporte
Deçà, delà,
Pareil à la
Feuille morte.


(Paul Verlaine)

e. disse...

Portocroft

Ainda mais papista que o papa, aqui vai:

A função da gíria irónica para pacientes ajuda a manter o bom relacionamento do grupo/equipe de saúde. Mas num blog, será que contribui para manter a confiança entre os intervenientes? Será o sarcasmo um problema de ‘instrução’ (ou instrumento?) Teremos que ser engessados tantas vezes nesta ‘internação’ (ou internamento?).

Sabendo-se como a gíria pode servir para fonte de deleite entre membros de uma mesma categoria profissional (assim como o distanciamento conseguido através da utilização do criptográfico ou impessoal jargão médico) e dado tanto sarcasmo, usado aqui de uma forma colorida mas assertivamente desprezível, perguntar-se-ia se, inadvertidamente, ao lidar neste blog com profissionais de saúde, estaremos, porventura, a ser virtualmente examinados.

Não creio. Mas ainda não confirmei a suspeita de que há aqui muito tipo de pacientes. Efectivamente, produzindo a gíria irónica uma ‘coisificação’ do paciente, mais do que um distanciamento em relação a ele, poderia perguntar-se: Quem faz aqui, afinal, o papel de paciente?

Passa bem, caro Luís

andorinha disse...

Yulunga,

Os amores de Verão são diferentes, rapariga.:)

cão com pulgas disse...

Porque é que vocês são assim tão "coisinhos" uns com os outros ? Não vos custa ? Não vos faz impressão ?

andorinha disse...

e.

E quando o sarcasmo é usado de ambos os lados?
Agressividade gera agressividade, sempre assim foi.
Quem inferniza quem? Quem é aqui o paciente?
As pessoas só serão engessadas se o deixarem.
E é também engraçado verificar a evolução de algumas pessoas; ainda há dias consideravam que isto era um chat de 5ª categoria, agora participam alegremente nele.
Mas enfim, quando a coerência não é importante, acontece isto.

e. disse...

Viva Andorinha

Tudo o que escreves bate certo. Mas ... sobre a distanciação ao discurso ‘feminino’, porque é isso que quero atingir neste comment, perguntaria “Como alguém pode escolher se tem que ser?”

A ‘reprodução’ e a capacidade de ‘participação’, que a ‘mulher’ (a mulherzinha, para alguns) teima em revelar, assume equivocamente o estatuto de ‘empowerment’ feminino – assim o julgam alguns homens.

Pobre gente (as mulherzinhas) que tanto têm penado para se revelar, sem tiques e sem medos. Quão pouco respeito isso merece de todos os ‘géneros’ humanos.

Respeitemos então todos os géneros e respeitemos este blog, que sempre apreciei, o melhor que soubermos e quisermos.

Trata-se de querer

PortoCroft disse...

Quem faz aqui, afinal, o papel de paciente?

Carissíma e.,
Em primeiro lugar o próprio Professor. Paciente consigo, comigo, com todos os que aqui vêm e debitam as suas opiniões sérias e abalizadas. Mas, sobretudo, paciente com todos os que aqui vêm, despretenciosamente, para usufruir do espaço de liberdade em que o Murcon se tornou.

Eu!
Impaciente comigo, consigo, com o próprio Professor quando nos deixa à deriva, nos seus "post" herméticos.

Uma das coisas que o Prof. expressou, já por diversas vezes, foi o seu desejo de que neste espaço sejam como são. Com todos os defeitos e virtudes inerentes à sua condição humana. E expressou até a sua convicção de que, com o tempo, a auto-regulação de comportamentos, sem recriminações, acabará por acontecer de forma natural.

Ora, quando o Papa diz isto, quem é o prior da minha freguesia para, em bicos de pés, dizer o contrário? ;)))))))

Um dia feliz para si.

Paula disse...

yulunga (10:44 AM)

Os gatos sempre miaram todo o ano! A tradição é que se enganou e disse-nos o contrário. ;-)

e. disse...

Portocroft

"(...) E expressou até a sua convicção de que, com o tempo, a auto-regulação de comportamentos, sem recriminações, acabará por acontecer de forma natural."

Aguardemos assim essa autoregulação.

1 abraço virtual

andorinha disse...

Uma vez que estou noutra aula de substituição, posso continuar mais um bocadinho.:)

Acho imensa piada ao facto de estas lutas pelo poder estarem constantemente a acontecer; mudam-se os tempos, mudam alguns dos intervenientes.
A propósito de marionetas - tantos que o são sem o saberem.:(

pulgas disse...

que chatos

e. disse...

andorinha

o 'pulgas' tem razão ... só mais uma coisinha para me penitenciar, enquanto espero pela autoregulação ... do poder:

não tinha percebido que se tratava disso - será que acertaste na mouche?

Paula disse...

Quanto ao poema....

Desculpem-me a franqueza mas não consigo ver poesia nem beleza nenhum no mesmo. Pondo-o no contexto (da pessoa que o escreveu)...

Qual a beleza pela nostalgia da perda de um corpo jovem (quando se é tudo menos que jovem) que só se deseja porque é jovem e 'belo'? Nada mais. Parece-me uma coisa puramente masculina, e especialmente muito comum em homossexuais masculinos (pelo menos em algumas gerações). E nos hetero também, claro. A sedução pelo corpo. Apenas isso...

andorinha disse...

e. (11.16)

"Respeitemos então todos os géneros e respeitemos este blog, que sempre apreciei, o melhor que soubermos e quisermos".

"Trata-se de querer". Sem dúvida,
totalmente de acordo.

andorinha disse...

e.
Não acredito que não tenhas percebido.
Estás a brincar comigo.:)))

andorinha disse...

Paula (11.26)

Há alguma coisa de mau na sedução pelo corpo?

e. disse...

Paula

Subscrevo tudo o que disse, incluindo a referência à redutora "sedução pelo corpo. Apenas isso...". Por isso contornei o tema (mais acima) com a alusão à despedida aos filhos.

e. disse...

Andorinha

Percebi - percebi? - que te referias (explicitamente aliás) a quem rejeita (inferniza?) um grupo para depois se reintegrar sem peias.

Mas devo esclarecer que também aceito e gosto disso, se me permitires - faz parte do engano (melhor, equívoco) permanente com que a vida nos presenteia.

Como diz o 'pulgas' isto é mesmo uma grande chatice, às vezes.

Toma lá 1 encontrão... que é o mesmo que 1 abração (na minha gíria, pois claro).

Paula disse...

andorinha (11:33 AM)

"Há alguma coisa de mau na sedução pelo corpo?"

Não, não acho k aja nada de mal na sedução pelo corpo. O que seria do sexo se ela não existisse? Argh... :-)

Não consigo é aceitar/compreender/respeitar muito bem a obssecção compulsiva masculina pela juventude (em termos de parceiros/as), especialmente quando, se está longe da Primavera da vida. Parece-me profundamente egoísta e egocêntrica, e claro, na maior parte das vezes implica uma contrapartida material para a pessoa mais nova. Por isso, lamento, mas não consigo ver beleza nenhuma nessas situações.

Nota: estou a falar nas situações mais comuns, não estou a por em causa que possam existir situações diversas com diferentes idades entre parceir@s.

lobices disse...

...cada vez respeito mais o nosso Amigo Profe por nos aturar a todos
...porém, não se esqueçam, todos temos para além dos defeitos as nossas próprias virtudes
...por isso, nem tudo o que "aqui" se passa, diz ou grita, é mau!...
abreijos
e
portem-se mal
:))

nega fulô disse...

baum! agora temos outra veiz uma discução sobri assucárr cum fel. vamu lá. vamu procurá o homí poderôso.tanta xingação mi faiz mal nas cadeira.

cão com pulgas disse...

Boa paulinha... dá-lhes nas orelhas !

manolita disse...

Nega

Y todavía me tengo que calar acerca de las bondades de las niñas ...

RAM disse...

Caro PortoCroft e Anfitrião,

A música está excelente.
Mas "MADONNA"??????!!!!!
Vá lá... não havia necessidade... :))

PortoCroft disse...

RAM,
Não seja redutor com as madonnas. Vá lá... dê-lhes espaço. Antes cantarem que aos pulos e gritos histéricos. ;))))))

RAM disse...

Caro PortoCroft,

Foi só um comentário para desanuviar o ambiente... ;))))
Está muito tenso... :)))

Manolo Heredia disse...

O mês está no fim! A falta de dinheiro gera a "raivinha de dentes" que tanto se nota por aqui!

PortoCroft disse...

Caro RAM,
Pois. Mas passa. Nada que uma boa TRH, com Premelle p.e., não resolva. ;))))))

yulunga disse...

Acabou o Verão.
E os amores... foi uma nortada que lhes deu.
Bem feita, que é para não ligarem ao amor só no Verão.

PortoCroft disse...

Paula (11:44),
Onde é que assino? ;)

PortoCroft disse...

Caro RAM,
Amanhã joga o glorioso. Espero que até lá, tenha decorado o Hino. ;)))))))

Paula disse...

PortoCroft (12:53 PM )

"Onde é que assino? ;) "

Vou fazer um abaixo assinado! lol

RAM disse...

Caro PortoCroft,

Ainda não tive oportunidade.
Estou a saborear os pasteis de Belém ;)))))))))))))))))))))

Ameninadalua disse...

Boa tarde!
hoje está-se um pouco tenso por aqui!
E que tal fazermos então o que nos aconselha o nosso senior Lubices:...
"...sejam felizes
...portem-se mal
...amem-se atá ao tutano da vida
...sorriam
...façam "macacadas"
...libertem o ácido que possa haver dentro de vós
...leiam as entrelinhas dos vossos próprios pensamentos
...saibam ser o que desejariam que os outros vissem em vós!..."

Ram
Concordo consigo a música melhorou imenso! mesmo com a Madona ;)))))))

e. disse...

Portocroft alô

Não ouvi o q disse às 12:34 ...

Sorry seems to be the hardest word, indeed

1 kiss

fora-de-lei disse...

Porty,

Vê lá se consegues acalmar o maralhal, que isto está um bocado para o (veladamente) azedo. Será que esta minha transcrição te inspira ?! Mas podes deixar ficar a Madona, coitadinha... ;-))

BB King at 80

From the streets of Mississippi to the stadiums of the world, BB King has spent a lifetime spreading the magic of the blues.

Born in 1925 on a cotton plantation in the Mississippi Delta, Riley King discovered the power of music at the Sanctified Church.

When he wasn't working in the fields, Riley could be found playing gospel and blues on street corners. In search of a better life, he headed for the bright lights and big sounds of Memphis.

PortoCroft disse...

Paula,
;)))))

Caro RAM,
:((( Desconfio que ainda se há-de engasgar com umas nunices. ;))))
ameninadalua,
Isso é má língua. Quando é que o som foi mau, hein? ;))))))
Cara e.,
Com todo o seu magnetismo, rogo-lhe, não seja tão magnética. :)

1 kiss para si também.;)

PortoCroft disse...

fora-de-lei,
Quando dizes: veladamente, referes-te às Back Street Girls? ;))))))

Pois. O B.B., por experiência própria, sabia que o algodão não engana. ;)

e. disse...

... a...a ..m a g n....ética? !!

bem dizia a nega 'tanta xingação mi faiz mal nas cadeira' :))))))

Ameninadalua disse...

Porty
Não! eu nunca me queixei do "seu som"...a sua voz até que é interessante...;))))))

Quanto à "minha má língua"!
De vez enquando acontece....

Paula disse...

fora-de-lei, Ameninadalua, Manolo Heredia, RAM said...

Onde é que vêm tanto azedume e tensão?! É melhor irem aos arquivos para relembrar o que pode ser azedume e tensão por aqui.. :-))))

O será que para vocês só bocas ligeiras são bom ambiente (ou não mau ambiente)?

Paula disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
fora-de-lei disse...

PortoCroft 2:22 PM

"Quando dizes: veladamente, referes-te às Back Street Girls ?"

Não, refiro-me às "New girls on the block". ;-))


"O B.B., por experiência própria, sabia que o algodão não engana."

Este 'bibi' fez 80 anos no passado Sábado. A título de celebração do seu aniversário, é hoje mundialmente lançado o disco "BB King at 80". Este disco tem a participação de Eric Clapton, Elton John, Mark Knopfler e muitos outros.

É sempre gratificante ouvir BB King e "ver" como ele dedilha a sua querida 'lucille'...

e. disse...

OH ameninadalua, comolheagradeço

Nestas brincadeiras virtuais tenho sempre presente o meu próprio ridículo e o logro de pensar na minha idealizada liberdade que tão bem é avaliada aqui:

"Não são livres todos aqueles que zombam de suas cadeias." (Lessing, apud Freud, 1905a:111)

e. disse...

OH PAULA

afinal é a si que quero agradecer

que me desculpe 'ameninadalua'

PortoCroft disse...

Fora-da-lei,
Pois. ;)))))))

Vou ver o que tenho do BB e mais logo coloco.

noiseformind disse...

e. said,
"A hostilidade brutal, proibida por lei, foi substituída pela invectiva verbal. Tornando nosso inimigo pequeno, inferior, desprezível ou cômico, conseguimos, por linhas transversas, o prazer de vencê-lo..."?

Quem é aqui o paciente?"

e,
A paciente só poderás ser tu, pois só tu estás a tentar curar o teu sentido de humor ;) repara que Freud falou nesses termos no capítulo terceiro da terceira secção tendo em vista a busca de prazer através do resultado do humor, e no contexto das piadas hostis. Portanto, tu sentiste-te hostilizada e como não consegues obter prazer através de uma nova piada procuras a racionalização. Resumindo, levas-te muito a sério miúda ; )))))))))

Andorinha,
Esta gente se não desingessa nunca mais chega lá, fazem-me pensar nos "Toy soldiers" do Eminem que estão aqui a sair pelas colunas fora. Tudo as afecta, tudo as ameaça, em cada recanto um perigo, em cada toque uma pedra. Onde vão as palavras de Grândola Vila Morena? Em cada esquina um amigo /Em cada rosto igualdade. Agora não, o pessoal sente-se ameaçado e incomodado com tudo, valha-nos a Amok_she que sabe lutar uma boa luta de palavras sem medo que a plástica se desfaça na agrura do combate ; ) e tu claro, que avoaças por estas bandas e não desistes de nos fazeres maiores ; )

Paula,
Mas então, se as da idade deles, desses velhos (vou já dizer só de espírito para o lobbie 50 não me cair em cima) se recusam a prestarem-se ao acto, como é que é? Sabemos que ali a Amok é uma mean machinne, mas e as outras 80% das mulheres lusas? Hã pois? No access, ausÊncia completa de ilusões em relação ao desempenho deles, e a maior parte delas bem colocada e sabedora que o "jantarzinho" de luxo não é mais do que oferta passageira. Resumindo, eles procuram onde há, e deixam-nas em paz... ;))))))))

Lobices,
então vamos ser como gostaríamos que os outros nos vissem? Sim senhora? E como nós somos mesmo? Não podemos ser? Pronto, pronto, seja, vamos lá usar o teu método:

Sempre fantasiei intensamente com pessoas que pegam em frases de pessoas mais ou menos conhecidas e usam-nas como sound-bytes para os seus discursos. Fascina-me essa inteligêcia emocional automática que vem da leitura da revista de fds mais próxima, ou então essa incapacidade em colocarem as questões a partir do seu próprio universo. Que ponta... que ponta... que ponta... ás vezes acordo de noite e vou logo a correr a um site de citações e masturbo-me demoradamente por lá, esperando encontrar alguém que ouça as que já decorei e a partir daí construámos uma relação baseada na nossa capacidade de irmos lendo e usando citações um com o outro até À fusão completa a dois... ou a três... ou a quatro... ou a setenta!!!!!!!!!!!!!!!! ; ) sim... que o Amor e as citação são quando o homem e a mulher querem, e alguém tá lá para os ouvir.

Agora que fiz este esforço pelo Lobices quero ver resultados, quero ver resultados, caso contrário processo o Luby por feitiçaria não-diplomada ; )))))))))

fora-de-lei disse...

PortoCroft 2:54 PM

"Vou ver o que tenho do BB e mais logo coloco."

Ta mate !

Na onda do meu anterior comentário, dei por mim a pensar que, se todos os homens "dedilhassem" os 'grelos e áreas adjacentes' como BB King dedilha as cordas da sua 'lucille', os famigerados 70 % que o Noisy se farta de trazer à colação, reduzir-se-iam bastante, por certo. Isto não seria necessariamente mau para os profissionais de Sexologia, embora fizesse baixar o número de consultas da especialidade... ;-))

One cold night in 1949, two men started fighting and knocked over the barrel of burning kerosene. The burning fuel spilled over the floor like a river of fire. Every one, including B.B., ran out the front door of the bar. Once outside, B.B. realized that he left his guitar, a Gibson acoustic, inside the inferno. He went back inside the collapsing building to save his guitar, almost losing his life in the process. The blaze that night claimed two fatalities.

The next morning, B.B. discovered why the two men were fighting the night before. It seems as though they were fighting over a lady. Although he never met the woman, B.B. learned her name was Lucille. B.B. named that guitar Lucille, as well as every guitar he has owned since that night, "to remind me never to do a thing like that again."

fora-de-lei disse...

Noiseformeind 3:00 PM

"Tudo as afecta, tudo as ameaça, em cada recanto um perigo, em cada toque uma pedra..."

Resiliência, precisa-se !

noiseformind disse...

E já agora, que caraças é que temos de aturar o livro da "Gíria médica carioca?"

Sim e, pq não estás a citar Freud a partir de Freud, estás a citá-lo de um sítio específico.
Ao menos permite-me partilhar o teu "saber" e divulgar o texto integral de onde te vem toda essa sapiência condensada ok?

http://portalteses.cict.fiocruz.br/transf.php?script=thes_chap&id=00000105&lng=pt&nrm=iso

Pronto... agora já toda a gente pode armar-se em analista durante 1 hora ou seja lá o tempo que vão demorar a ler o texto!

Até a dos "tropos" está lá, logo na primeira frase!

Queres uma reacção sem humor nenhum e.? Metem-me nojo as pessoas que se baseiam em saberes de pacotilha virtual. Dizes estar a citar FREUD mas estás a citar um estudo (E fizeste-o duas vezes) que utiliza algumas das frases de Freud! Estás a ser totalmente acrítica e incapaz de ter um discurso próprio, e isso para mim está ao nível de um anónimo a dizer meia-dúzia de palavrões, pq me insultas na mesma, falando de um assunto utilizando uma fonte que pouco tem a ver com o assunto em causa.
O texto basea-se em MEDICINA e relação paciente-médico, não nessa relação generalista que estavas a tentar efectivar docemente.

Mas a net é assim mesmo... gera QI's elevados à velocidade das convulsões do tracto intestinal, vulgo peido...

Fora-de-lei,
Precisámos é que venham as Chuvas de Março e levem estas "sabichonas" para dentro das suas salas À volta das suas lareiras e párem de se tentarem demonstrar como qq coisa que nem sequer se esforçam por parecer ; )))
As chuvas de Março em Outubro? Pq não meu caro? ; )))))))))

Manolo Heredia disse...

Paulinha,
Desculpa. Vai... pede lá a tua música ao PortoK. É linda!

nega fulô disse...

señorita e.

O Jorge dissi uma veiz: Ora, se deu que chegou (isso já faz muito tempo) no bangüê dum meu avô uma negra bonitinha, chamada negra Fulô...

Maiz isso já faiz muito tempo memo e hoji mi liguei à manolita para um baixinado pró crofiti o noisi e o f-d-l pená um pocoxinho só. Ucê alinha cunôsco? Si chama di ‘A saga das mulé qui spéra e sófri’. Prá elis não desconfiá vamos fingi qui si chama di ‘A saga das mulé qui spéra e sofri pelas vitória do futibó’.

Pronto aqui está a manolita no celulá prá falá cum ucê (zzrrr… ptzzxx… zzxxrr) .... coño, y todavía me tengo que calar el letrerito ese de las madonnas y del freudtório, coño.

Baum será melhó qui ela si cale memo.

Mando-te o baixinado planet

fora-de-lei disse...

noiseformind 3:14 PM

"As chuvas de Março em Outubro ? Porque não meu caro ?"

Águas de Março

É pau, é pedra, é o fim do caminho
É um resto de toco, é um pouco sozinho
É um caco de vidro, é a vida, é o sol
É a noite, é a morte, é um laço, é o anzol
É peroba no campo, é o nó da madeira
Caingá candeia, é o matita-pereira
É madeira de vento, tombo da ribanceira
É o mistério profundo, é o queira ou não queira
É o vento ventando, é o fim da ladeira
É a viga, é o vão, festa da cumeeira
É a chuva chovendo, é conversa ribeira
Das águas de março, é o fim da canseira
É o pé, é o chão, é a marcha estradeira
Passarinho na mão, pedra de atiradeira
É uma ave no céu, é uma ave no chão
É um regato, é uma fonte, é um pedaço de pão
É o fundo do poço, é o fim do caminho
No rosto um desgosto, é um pouco sozinho
É um estepe, é um prego, é uma conta, é um conto
É um pingo pingando, é uma conta, é um ponto
É um peixe, é um gesto, é uma prata brilhando
É a luz da manha, é o tijolo chegando
É a lenha, é o dia, é o fim da picada
É a garrafa de cana, o estilhaço na estrada
É o projeto da casa, é o corpo na cama
É o carro enguiçado, é a lama, é a lama
É um passo, é uma ponte, é um sapo, é uma rã
É um resto de mato na luz da manhã
São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração
É uma cobra, é um pau, é João, é José
É um espinho na mão, é um corte no pé
São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração
É pau, é pedra, é o fim do caminho
É um resto de toco, é um pouco sozinho
É um passo, é uma ponte, é um sapo, é uma rã
É um belo horizonte, é uma febre terçã
São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração
É um resto de mato na luz da manhã

Tom Jobim

e. disse...

noise

psicanalista e o que mais te aprouver.

não aprecio ouvir-te palrar da tua profissão por aqui dando palpites sobre os presentes e os ausentes.

insistindo em dar consultas grátis, por que não tas pedimos.

parecendo sugerir que te procuremos no teu consultório.

negarás tudo isto com a verborreia habitual.

desculpa, mas custa-me acreditar no que mostras.

mostras-te mas não és frontal.

PortoCroft disse...

Fora-da-lei,
Estavas a dizer que ele não vinha? ;))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))

Pulgão disse...

Li o texto em link colocado pelo Noise e comparando com as citações de Freud outros exemplos realmente é bom saber que já temos tanta elevação intelectual que já temos a nossa própria Clara Pinto Correia. Obrigada ezinha, por nos fazeres cada vez mais parecidos com a sociedade actual! Lá fora tb há pessoas que são capazes de fazer tudo para fazer um pequeno brilharete intelectual!

No link tem lá praticamente metade do texto da e sobre pacientes em copy paste:
" Outros tropos desse grupo refletem a questão da incerteza diagnóstica e terapêutica, dissimulada pelo acadêmico brasileiro através de um ar de bravata conhecido como doutorite (o sintoma patognomônico é andar na rua com estetoscópio pendurado no pescoço, como se fosse gravata)"


"Contudo, uma série de termos expressam a impaciência de alguns médicos com pacientes graves, terminais e/ou com múltiplas internações. Por exemplo, engessar um paciente pode significar orientar o tratamento de maneira que o paciente não reclame (nesse exemplo, recorre-se ao uso figurado de um termo da própria medicina, uma variante da figura discursiva chamada antanaclásia - Ducrot & Todorov, 1979/83:277)."


TOTALMENTE COPY PASTE
Olhe ezinha, CALE-SE!!!!!!!!!!!!!

e. disse...

pulgão

estarei aqui a ensinar alguém?

não gostaste do discurso ou da citação?

noiseformind disse...

Pulgão,
exactly. Basta pegar nas palavras "estranhas" do texto da e. e colocar na caixa Localizar do Internet Explorer para ver que foi tudo copiado a partir desse texto que coloquei aí, thanks por te adiantares ;)

Minha cara Clara Pinto Correia do Murcon,
A citação não estava assinalada em relação à verdadeira fonte. Colocaste aquilo lá como se fossem palavras tuas, e não eram nem tuas nem portuguesas. E nem quero saber quantas vezes já fizeste isto, para mim basta-me uma para ver que tipo de pessoa és, mas isso o Pulgão já tratou de evidenciar e eu já fiz a minha parte, o resto do maralhal que diga de sua justiça. Que até podem achar piada a uma pessoa copiar um estudo brasileiro e fazer dele suas palavras, se calhar, tal como a Fátima Ferlgueiras, sais daqui em ombros miúda... quanto a mim não comento mais o que disseres, só o trabalho para andar a ver se é mesmo escrito por ti ou de uma tese/estudo qq...

PortoCroft disse...

Com 1 kiss para a e.,

Noisy,
ts ts ts :(((((((

Stop all the clocks
W.H.Auden

Stop all the clocks, cut off the telephone,
Prevent the dog from barking with a juicy bone.
Silence the pianos and with muffled drum
Bring out the coffin, let the mourners come.

Let aeroplanes circle moaning overhead
Scribbling on the sky the message He is Dead,
Put crépe bows round the white necks of the public doves,
Let the traffic policemen wear black cotton gloves.

He was my North, my South, my East and West,
My working week and my Sunday rest,
My noon, my midnight, my talk, my song,
I thought that love would last forever: 'I was wrong'

The stars are not wanted now, put out every one;
Pack up the moon and dismantle the sun;
Pour away the ocean and sweep up the wood.
For nothing now can ever come to any good.

noiseformind disse...

Mas Porty,
Morreu mas voltará com outro nick em breve certo? ; )
Talvez ao 3º dia, conforme estava na Tese?

fora-da-lei disse...

PortoCroft 3:26 PM

"Estavas a dizer que ele não vinha?"

Fala-se no diabo e...

e. disse...

noise

Gostaria de reiterar a ideia subjacente ao texto (parcialmente) citado que aqui coloquei às tantas da manhã, e reafirmar as palavras que usei (‘descobertas’ amavelmente por ti, com a tua apurada deontologia profissional que te tem guiado em momentos de tanto rigor psicanalítico que nos ofereces à borla):

[“Alguns ‘tropos’ podem traduzir a questão da incerteza diagnóstica e terapêutica, que tem sido dissimulada através de um ar de bravata conhecido como ‘doutorite’ (o sintoma patognomônico é andar na rua com estetoscópio pendurado no pescoço, como se fosse uma gravata).

Só para citar um exemplo, uma variante da figura discursiva chamada ‘antanaclásia’ está ocorrendo subtilmente neste espaço, isto é, cada vez que um bloguista incomoda com múltiplas intervenções, aparece o ‘perito’ para o engessar. O termo ‘engessar’ expressa a impaciência de alguns médicos em relação a pacientes graves e/ou com múltiplas internações - engessar um paciente pode significar orientar o tratamento de maneira que o paciente não reclame.

Ou acontecerá que, como denunciou Freud*, a rejeição de certos pacientes esteja a provocar uma invectiva verbal desmesurada?

*"A hostilidade brutal, proibida por lei, foi substituída pela invectiva verbal. Tornando nosso inimigo pequeno, inferior, desprezível ou cômico, conseguimos, por linhas transversas, o prazer de vencê-lo..."?”]

e ainda às 11:00 AM:

[“Ainda mais papista que o papa, aqui vai:

A função da gíria irónica para pacientes ajuda a manter o bom relacionamento do grupo/equipe de saúde. Mas num blog, será que contribui para manter a confiança entre os intervenientes? Será o sarcasmo um problema de ‘instrução’ (ou instrumento?) Teremos que ser engessados tantas vezes nesta ‘internação’ (ou internamento?).

Sabendo-se como a gíria pode servir para fonte de deleite entre membros de uma mesma categoria profissional (assim como o distanciamento conseguido através da utilização do criptográfico ou impessoal jargão médico) e dado tanto sarcasmo, usado aqui de uma forma colorida mas assertivamente desprezível, perguntar-se-ia se, inadvertidamente, ao lidar neste blog com profissionais de saúde, estaremos, porventura, a ser virtualmente examinados.

Não creio. Mas ainda não confirmei a suspeita de que há aqui muito tipo de pacientes. Efectivamente, produzindo a gíria irónica uma ‘coisificação’ do paciente, mais do que um distanciamento em relação a ele, poderia perguntar-se: Quem faz aqui, afinal, o papel de paciente?]

Pergunto novamente se não estaremos, mais uma vez, a assistir a uma hostilidade (profissional) substituída por uma invectiva verbal, que pretende, sistematicamente, tornar o antagonista pequeno, inferior, desprezível ou cómico.

Deves sabê-lo bem. Mas saberás?

fora-de-lei disse...

Eh pá, deixem a e. em paz. Quem nunca prevaricou, que lhe atire a primeira pedra !

Dassse... deixa-me esconder aqui atrás senão ainda me partem a carola... Mas quem é que mandou a mim armar-me em Jota Cristo ?! Dassse... oh abre !

e. disse...

f-d-lei
prevaricou?

e. disse...

Professor JMV

Como bem entenderá, nada do que afirmo - sem prevaricar - se dirige à sua excelsa pessoa e ao seu distintíssimo blog.

Pulgão disse...

Oh Clara PC,
Mas continuas sem dizer que o que andas a meter aqui nas últimas horas é de

Peterson, Christopher Robert. Gíria médica: trambiclínicas, pilantrópicos e embromeds. [Doutorado] Fundação Oswaldo Cruz, Escola Nacional de Saúde Pública; 1999. 129 p.

e não teu como tavas a tentar vender o peixe. Agora podes subscrever tudo e mais alguma coisa, até podes dizer que subscreves a TvCabo!

fora-de-lei disse...

e. 3:57 PM

"Prevaricou?"

Não sejas 'nheque-nheque'... Não vez que eu estava a brincar com isto tudo ?!

By the way... tenho um amigo de infância que, perante este tipo de confusões, costuma dizer “Por favor, não confundas foder com partir vidros”

e. disse...

fora da lei

entra

parte vidros

gosto

grata

e. disse...

pulgão

há mt tempo q ando por aqui fazendo comments c os nicks E&E, Ester e e. - colocando as citações entre aspas e dando-me ao trabalho (ou ao rigor, pq trabalho em pesquisa na net e sp referencio o q cito) de colocar o nome do autor, o nome do livro, a edição, a data e a página(s) !!! - Assim fosse com todos os que debitam por cá, mas percebo que alguns passeiam diletantemente por este espaço o q acho justo e me diverte.

Sei bem o q faço, quando se trata de citar textos de livros e da net - posso-te acrescentar que tenho origem brasileira, o que ajudará a explicar esta aparente 'falta de atenção' com que insistes em acusar-me.

Como não estamos num ambiente académico nem tão pouco universitário e como não tenho que prestar provas a ninguém neste blog onde, pela 1ª vez, me insurjo contra a falta de deontologia profissional de alguém, fico-me por aqui.

Se me permites assim continuarei SEM PREVARICAR. Assim desejo que o façam os outros.

Passa bem pulgão

Ultras disse...

Cá para mim o sketch dos "Gato Fedorento", intitulado "O Meu Filho é Uma Jóia de Moço" é dedicado ao Noise e ao Pulgão.

e. disse...

NoisePulgão

Ao pretender demonstrar que o uso efectivo da cidadania, em todas as suas formas expressivas, traduz a gramática da vida, reconheço a necessidade de uma aproximação ao diálogo através de uma pragmática que investigue os graus de uma verdade instrumental; uma verdade que acontece a uma ideia que se torna verdadeira, ou melhor, que se faz verdade por meio dos acontecimentos.

Aconselho uma consulta ao googleblog

PortoCroft disse...

Fora-da-lei,

Já coloquei o BB com o Clapton.

E, com isso, espero - usando uma expressao querida ao nosso mentor -que daqui a uns minutos, se possa dizer:

"Até as águas se acalmaram!"

Até mais logo que agora vou beber uma Guinness. ;)))))))))))

e. disse...

nega

Só agora dei por ti, desculpa. Assino esse baixinado mas só se se chamar mesmo ‘A saga das mulé qui spéra e sofri pelas vitória do futibó’.

yulunga disse...

O pessoal hoje está bravio...

Porty
Põe aí no gira-discos
"El toro y la luna"

fora-de-lei disse...

PortoCroft 4:26 PM

"Até mais logo que agora vou beber uma Guinness."

Lager = cat piss

Guinness = YES !

fora-de-lei disse...

PortoCroft 4:26 PM

"Já coloquei o BB com o Clapton."

Ta mate !

lobices disse...

...to Caro NOISEFORMIND at 3:00 PM:
...
...a frase por mim escrita e que diz:
...saibam ser o que desejariam que os outros vissem em vós!...
...
é de minha inteira e única lavra e não foi "pescada" em nenhuma citação... akiás, desafio e encontrá-la como tal
...não uso frases repescadas dos outros como se elas fossem minhas; quando "pesco" o que quer que seja (pouco) textos ou fotos adiciono a informação da fonte
abraço

lobices disse...

aliás, bastará ler o meu blog para ver a enormidade de textos meus que parecem citações
...são mas são minhas!...

lobices disse...

...já uma vez aqui referi que não leio quase nada; sou como aquele analfabeto que sabendo ler não lê
...não li os grandes autores
...não conheço nada dos grandes pensadores
...até disse que nunca li um único livro do nosso amigo JMV
...vivi; isso sim e tudo o que digo, faço ou sou é um "derivado" da experimentação da vida
...escrevo o que me "sai" da Alma ou lá de onde é, ao correr da pena sem me dedicar à busca de elementos na literatura dos outros para nela me basear
...digo coisas simples saídas bem cá de dentro de mim

lobices disse...

estas minhas palavras não significam que fiquei "zangado" com o que o Noise insinuou
... é apenas a "reposição" da verdade... o chamado "rigor informativo" a que se refere o post de hoje do Profe e que eu questiono se é que existe tal rigor
...mas, senti-me "ofendido" (entre aspas e um sorriso)

fora-de-lei disse...

PUBLICIDADE

Se a tua propriedade intelectual está em risco, não hesites... dirige-te a:

http://www.spautores.pt/default.aspx

Os amigos são para as ocasiões... ;-))

lobices disse...

...obrigado fora-de-lei at 5.14 PM:
...
...a minha "produção" literária (se se lhe pode dar esse nome) não está registada na SPA (apesar do seu Director Manuel Freire ser um grande amigo meu...)
...

e. disse...

CARO Lobices

Já lhe disse aqui que gosto muito de o ler. e diz você: ...não uso frases repescadas dos outros como se elas fossem minhas …
Digo-lhe eu: Eu também não.

E diz ainda: ...não li os grandes autores ...não conheço nada dos grandes pensadores
Digo-lhe eu: Li alguns que me ensinaram algumas coisa e me dão muito que pensar. Nem por isso valorizo especialmente quem os cita, mas cito-os várias vezes sem me apropriar do que dizem indevidamente.

Passe bem Lobices

e. disse...

Lobices
Será melhor acabar assim:
...sem me apropriar do que dizem, indevidamente.

kid carcaça, o terror da padaria disse...

YMCA

O filme "Brokeback Mountain" do realizador de Taiwan Ang Lee, conquistou o Leão de Ouro para o melhor filme na 62ª edição do Festival de Cinema de Veneza. Taiwan Ang Lee descreve o seu filme como «uma história universal sobre um amor extraordinário».

Os protagonistas de «Brokeback Mountain» - Ennis Del Mar e Jack Twist, interpretados por Heath Ledger e Jake Gyllenhaal - são dois cowboys homossexuais que se conhecem num rancho, tornam-se amigos e depois amantes.


Quem gosta de ir ao cinema e sair de lá com a sua sensibilidade à flor da pele não deve perder este filme. Pensam que vão ver cenas violentas do estilo do cowboy vestido à ‘rapaz malboro’ que entra no saloon e arruma todos à cabeçada...? Nada disso. Os cowboys estão todos no bar, sim, mas vestidos de cabedal e com os braços por cima uns dos outros. Vão à espera de ver dois maduros a andar à pêra por causa de uma lolita qualquer...? Nada disso... desenganem-se. Mas poderão, em contra-partida, ver cenas de grande beleza estética, com os belos prados americanos por fundo, em que os cowboys rebolam-se todos na relva e dão gritinhos de alegria. Esperam ir ver os cowboys a pegar nas patas dos cavalos para assim os ferrarem ? Nada disso. A única pata com que eles se divertem é a 5ª pata do cavalo. And so on, and so on...

Não percam este filme. Expressem na bilheteira o vosso firme apoio ao ‘lobby gay’. Yohhh silver !

yulunga disse...

Meu Deus...
E desde quando somos donos das palavras?
E de que forma se pode provar que juntar as palavras: Penso, logo e existo;
e formar a frase: Penso, logo existo
foi autoria de A, B ou C?

e. disse...

yulunga


Permitindo-me (ainda) uma (última) aproximação a este território que me é estranho (e qual será o território que não me é estranho?), passarei a utilizar esta frase da Débora colocada no Murcon às 8:40 do dia 5 de Set 05 (admitindo que estou autorizada a fazê-lo – se assim não for, a Débora que mo comunique por favor):

“Depois das citações de (…) e (…) e outras considerações, nada tenho a acrescentar num tema que não domino, apenas o percepciono como leiga.”

yulunga disse...

e.
O importante é que se usem (bem) as palavras, que se juntem e que estas se transformem em comunicação.
Não gostei disto hoje.
Soou-me a falso, soou-me a rasteiras, soou-me a cinismo (amok_she à parte, para a qual o cinismo foi uma brincadeira) e não, não gostei.

fora-de-lei disse...

yulunga 6:08 PM

"... foi autoria de A, B ou C ?"

Andas muito conspirativa / cabalística... ;-))

e. disse...

yulunga, cara compincha virtual

Grata por me interpelares.
Não usei de cinismo, melhor ainda, tentei ser muito explícita. Será que quando não 'arremedamos' estamos a ser 'cínicos'?

Penso ter sido mt clara qd pretendi denunciar o inadequado jargão profissional q, por vezes, se usa aqui para denegrir os comportamentos alheios.

Realmente não falei a brincar.
Para isso temos cá a nega e a manolita.

Ah, e os gatafunhos :)))))

andorinha disse...

Oops!!!
O que se passou por aqui!
É preciso um certo distanciamento temporal (e não só)e aguardar desenvolvimentos futuros para perceber tudo isto. Análises a quente não gosto.

e. (11.41)
Devolvo-te o encontrão.:)))

Paula (2.33)
Concordo plenamente.

Várias pessoas referiram que o ambiente esteve tenso e azedo.
Já houve dias piores e se a tensão faz parte da vida, não vejo qual é o problema.

yulunga disse...

e.
Se calhar não usei bem o termo, sei lá se notei cinismo, se jocosidade.
E não me referia apenas ao teu discurso, referia-me a alguns discursos a algumas frases soltas.
Não tenho o dom da palavra, nem da interpretação, mas tenho o da sensação; o da minha sensação.
Se calhar estou a fazer um filme do caraças, mas que não gostei não gostei.
E aguentar essa sensação sem a deitar cá para fora?
Não sou capaz.

andorinha disse...

e.

Permito-me discordar.:)
Não é só através do "inadequado jargão profissional" que se tem aqui tentado denegrir os comportamentos alheios.
Sem esse jargão muita gente tem tentado o mesmo.

Não estou a defender nem a atacar nenhum dos principais intervenientes na discussão, estou apenas, como sempre, a exprimir a minha opinião; o que penso, digo, doa a quem doer.:)

yulunga disse...

Andorinha
Claro que já houve dias piores, mas por vezes as coisas soft podem ser muito mais hard do que parece.
Por exemplo vês o filme "Sexta-feira, 13" e o terror está todo lá bem explicito, com sangue, machadada, facada, cabeças a rolar e por aí.
Depois vez o filme "The Owen" o terror não se vê, mas sente-se. Muito mais incomodo do que o primeiro.

yulunga disse...

fora da lei
Costuma-se dizer quem se deiat com miudos acorda mijado.
Eu tenho-me deitado com números mágicos.
Ainda não cheguei lá. Isto está mal.
;-)

yulunga disse...

Andorinha
Ver o filme com "z" é quando já se tem muito sono

andorinha disse...

Yulunga,

Eu acho que houve uma disputa acesa entre pessoas com concepções diferentes. Porquê e para quê ainda não percebi bem.
Se sentiste isso, claro que fizeste bem em o dizer, mas já houve aqui situações que eu penso terem sido muito mais conflituosas e de uma agressividade totalmente despropositada. Esta não me parece ser o caso.

e. disse...

yulunga e andorinha

Não devo nem quero explicar-me mais.

Não pretendo nem sei fabricar terror - seria a primeira vez que o faria e é, seguramente, a primeira que disso sou acusada.

Bom anoitecer
Vou dar a sopa aos netos

yulunga disse...

Andorinha
E eu não sei?
Se calhar hoje estava mais sensitiva.
Sei lá... Mais parva.
O problema pode ter sido meu.

Mudando de assunto...
NÃO ESQUECER que hoje é dia de AB Sexo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
logo
AMANHÃ é dia de má lingua!!!!!!!!!!!!!
:-)

yulunga disse...

e.
Terror?
Apenas dei um exemplo de como uma coisa explicita incomoda muito menos do que uma coisa implicita.
Usei como exemplo os filmes de terror.
Moça, be cool
;-)

fora-de-lei disse...

yulunga 6:52 PM

"Se calhar hoje estava mais... parva."

É de te deitares com números mágicos... ;-))

-Stardust- disse...

Eugénio de Andrade... sempre! :)

yulunga disse...

fora da lei
Podes crer que ando meio aparvalhada.
Fiz uma pausa porque cada vez vejo menos e complico mais.

fora-de-lei disse...

e. 6:51 PM

"Não pretendo nem sei fabricar terror..."

Como é possível conseguir levar tudo isto tão a sério ? Tenha calma... isto é tudo irreal.

Um beijinho na testa de cada netinho !

andorinha disse...

e.

"Não pretendo nem sei fabricar terror - seria a primeira vez que o faria, e é, seguramente, a primeira que disso sou acusada".

NUNCA TE ACUSEI DE NADA DISTO, por que o faria????

andorinha disse...

Yulunga,
Take it easy!:)))

andorinha disse...

Fora de lei,

Irreal não é, poderá ser surreal.:)

fora-de-lei disse...

yulunga 7:03 PM

"Podes crer que ando meio aparvalhada."

Até pareces a chavala dos "Azeitona" a cantar... ;-))

yulunga disse...

Andorinha
O ver menos e o complicar mais é um desafio cabalistico que o fora da lei me colocou.
Quer-me ver a bater pior do que já bato...

yulunga disse...

Andorinha
Escrever em caps para quê?????

NÃO GRITES!!!!!!!!

andorinha disse...

Yulunga,
Bateres pior do que já bates é complicado.:))))))))))))

andorinha disse...

Yulunga,
É que estava muito barulho e não se ouvia.:)))

andorinha disse...

Até amanhã, gente.
Esfriem esses ânimos.:)

yulunga disse...

Andorinhaaaaaaaaaaaaaaaaa???????
"Bateres pior do que já bates é complicado."??????????????????
Deixa estar que tu não pecas por defeito, não.
Até amanhã passarinha

Anónimo disse...

"Como não estamos num ambiente académico nem tão pouco universitário e como não tenho que prestar provas a ninguém neste blog onde, pela 1ª vez, me insurjo contra a falta de deontologia profissional de alguém, fico-me por aqui."

Tão temos uma gaja a usar palavras que nem sequer são dela e ainda por cima dão-lhe todos palmadinhas nas costas? Blog mais rasca. O autor é uma pessoa que me agrada e pela qual nutro simpatia mas se os participantes não sabem a diferença entre um copy paste e uma opinião então realmente são muito cábulas e rascas. O que determina a qualidade do blog, rasteirinha, lá por baixo mesmo
Cheguei e já parto, imagino que estejam aí a procurar frases muito intelectuais para parecerem verdadeiros intelectuais. Bye bye bicharada

amok_she disse...

e., menina!...a menina passou-se!?!? grrrrrrr...saio assim-assim, chego e fico...estarrecida! ...ñ tinhamos, nós pelo menos, já aqui chegado à conclusão q a coisa ñ merece tanto esforço, tanto empenho, tanto aborrecimento!?...átão a coisa ñ era suposto ser para...descomprimir!?;-)

...tesss...tesss, eu bem avisei a menina q, a escrevinhar assim, se lhe acabavam com os aplausos da ordem!?;-)

...porra q até me sinto culpada...quem costuma levantar estes vendavais é a tonta da amok, né!?...a menina está a querer tirar-me o vedetismo!?...átão a menina ainda ñ "capiscou" q no dicionário "murconiano" ironia/ sarcásmo/ sentido de humor/ brincadeira/cinismo [ñ tem nada a ver contigo, ok?, yulunga!;-)]...tem tudo o mesmo significado, para certas marionetices!? :->

...descomprime, rapariga, descomprime...mas eu avisei, eu avisei...ou bates palmas, ou levas palmadas!:->

...em todo o caso...obrigada, pelo esforço...;-)

...e quero esse fino humor (q invejo!) sempre no alto!...'bora lá, e., preciso da tua "lanterna" para me alertar qd já estou a ir depressa demais...

noiseformind disse...

Lobices,
fui ler o comentário em que te refiro e não falei de copy paste nenhum teu, falei de te SEGUIRMOS ; ) então eu a fazer de ti luminante para nosotros homem...

Amok_she,
Pela quantidade descumunal em em que foi preciso enterrar as minhas descobertas deu para ver o incómodo causado. Os factos porém estão lá atrás, translúcidos. A e. ás 2h30 de ontem tava muito animada a falar de bla bla bla e o bla bla bla afinal era o livro Peterson, Christopher Robert. Gíria médica: trambiclínicas, pilantrópicos e embromeds. [Doutorado] Fundação Oswaldo Cruz, Escola Nacional de Saúde Pública; 1999. 129 p.
Mas como toda a gente ficou muito preocupada e a dizer no peito "atire a primeira pedra quem nunca pecou" posso atirar À vontade. Nunca até hoje, mesmo em texto traduzidos e que portanto seria totalmente impossível detectar o copy paste, utilizei matéria alheia como minha, indiquei sempre autores e livros. A e. não precisa disso, assim como tu não precisas disso, estão bem juntinhas lá no fundo, no esgoto. Fiquem-se por lá... the plaece where you belong ;)
Não sei que é que tem a ver o que a e. fez com bater palmas ou levar palmadas. Mas imagino que não tenhas ido a

http://portalteses.cict.fiocruz.br/transf.php?script=thes_chap&id=00000105&lng=pt&nrm=iso

onde poderias ter constado a mentira que a tua amiguinha trouxe até ao meio de nós. Se não te incomoda és como ela, o grau de lixo é, para mim, o mesmo. Não pretendo ser o best buddy de ninguém, só primo pela honestidade intelectual do que aqui escrevem, seja com muita polidez ou com um chorrilho de palavrões. Mas que seja da pessoa e não de uma tese que "agradou" e portanto vem-se para aqui exibir uma cultur que não se tem. Portanto se não tens esse filtro de honestidade miúda, só tenho a fazer o mesmo que faço aí à Clara PC aqui do blog, ignorar-te por conivência.

Mas como referiu o pulgão, no país dos cábulas seria estranho que se critica-se o embuste. Muito pelo contrário, a solidariedade só poderia ser esperada, pq no fundo o que tremeu foi outros perguntarem-se "quando é que me vão apanhar a carca a mim?" e fecharam o bico.

amok_she disse...

«(...)E é também engraçado verificar a evolução de algumas pessoas; ainda há dias consideravam que isto era um chat de 5ª categoria, agora participam alegremente nele.
Mas enfim, quando a coerência não é importante, acontece isto.(...)»


...desta vez até vou tentar ñ ser...agressiva!, mas ñ garanto a ausência de sarcásmo, já q ironia num caso destes seria demasiado soft...:->

...por esta ordem de ideias, devo(?) concluir o seguinte:
1)Nunca critiques nada e se o fizeres faz de mansinho pedindo, logo a seguir, as mais intensas desculpas;

2)Mantem-te na linha, ñ levantes ondas, diz q concordas com tudo, e se o ñ disseres pede desculpa, mas nunca por nunca esclareças, duma forma inequívoca, o porquê;

3)Não digas preto, nem branco: cinzento é a cor q'está a dar;

4)Não uses de conceitos e/ou palavras q os outros ñ saibam (ou ñ queiram por ñ lhes interessar!) interpretar, mas se tiveres de as usar admite q se use uma das "leis de Murphy": se algo puder ser deturpado, eles deturpam!

5) Sê coerente...diz sempre q és inteligente e os outros, os q ñ te batem palmas, são burros!

...anotei!
:->

:->

:->

amok_she disse...

Meu caro Psi_jr...tanto barulho por tão pouco préstimo...vamos lá a ver se nos entendemos...

Para mim, texto colocado entre «», e/ou "" é sinal de autoria alheia ponto final parágrafo!

Se alguns assim o ñ entendem o problema ñ é meu...logo, não li as citações da e. - ou de qq outro(a)nestas condições - como sendo uma tentativa de fazer passar por próprias as palavras cop&pastadas...

Qt às considerações q continuas a tecer, na tal base dos reducionismos!:->, assim ñ vamos lá...é q tal como a ti,presumo... a mim pouco me importa os conceitos q os outros fazem de mim...até ganharem a importância de me preocupar com isso...presumo q faças da mesma forma...ou dás logo importância a qq gato pingado q te apareça pela frente e te diga o q queres ouvir?:->

...posto isto, entende das minhas palavras de apoio a parte q menos (ou nenhum)peso terão, pq esse tb ñ é um problema meu...

Débora disse...

Olá a todos!

Aqui venho extemporaneamente, pois não queria deixar de exprimir o apreço que tenho pela força das palavras de Eugénio, em geral.

Noisy,

"Muitos agarram lufadas de vento já passado, traem-se com a memória para permanecerem naquele sítio onde já só estão eles e a passividade do outro e o seu interesse em não ir... e interesse em não ir é um sucedâneo muito pobre do amor pá!"

Já o disse neste blog e é minha convicção de que também se pode viver de "memórias", sobretudo se forem boas.
Supondo, no limite, que ficamos inválidos, entrevados, dependentes, etc, mas lúcidos - ai de nós se não tivermos memórias ... penso eu de que)))

Saudações,
Débora

noiseformind disse...

Amok_she, A MENSAGEM DAS 2h29 não está entre ASPAS NEM ENTRE PARENTESES!!!!!!!!!!!!!!
SÓ DEPOIS É QUE ELA A REPETIU DURANTE O DIA, DEPOIS DE JÁ TER SIDO EXPOSTA!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Ou não consegues fazer subir o rato até lá acima? Aposto que consegues... anda lá... faz um esforço ; ))))))))))

amok_she disse...

...lá voltas tu ao faz_barulho... sabes aquela coisa q se chama confiança?...aquela coisinha q se adquire em relação a uns, nc em relação a outros e se perde, ainda, com outros?!?...isso faz-me perceber (quase sempre) qd alguém é capaz de coisas feias...ou não!...é claro q posso, mais tarde, enganar-me...e nesta coisa da confiança no outro engano tanto, oh se me engano, mas...tenho q começar por acreditar...ok?!?

...e não me grites q apesar de te ler, na maior parte dos casos, por alto...capto-te bem!:->

sussurro disse...

ahahahahaha!
Adoro esta amok_she!

amok_she disse...

noiseformind disse...
(...)
Ou não consegues fazer subir o rato até lá acima? Aposto que consegues... anda lá... faz um esforço ; ))))))))))

11:38 AM


...bem, é claro q consigo fazer subir o rato e outra coisa qq e sem esforço!...basta, para tal, q a isso esteja disposta!...ou seja, trocado por miúdos: se me apetecer! ...e ao outro tb., claro! q'isto de omeletas sem ovos ninguém as faz!:->

Lótus disse...

Não há nada como encontrar bons e "velhos" amigos .. não os sabia por aqui :p .. mas agora q sei vou ver se venho espreitar-vos de vez em quando ;)

Quanto ao post.. sem dúvida uma excelente fragância ... com as primeiras chuvas guardo sempre o cheiro da terra quente e molhada e do som impar das gotas fortes, pesadas e cadenciadas q salpicam o meu alpendre, onde gosto de ficar sentada vendo o verde tronar-se mais verde e a vida tomar formas em desenhos misturados de cores e cheiros .. Gosto das primeiras chuvas de final Agosto ... sempre gostei .. mas só dessas ;)

Há uma qq libertação nas primeiras chuvas depois de um longo Verão...

Jokas para todos**
Voltarei mais vezes .. haja tempo!

Infactahost.com disse...

Hey, you have a great blog here! I'm definitely going to bookmark you!

I have a collection php script ultimate site/blog. It pretty much covers collection php script ultimate related stuff.

Come and check it out if you get time :-)

Hoodia disse...

Help me Dude, I think I'm lost..... I was searching for Elvis and somehow ended up in your blog, but you know I'm sure I saw him in a car lot yesterday, which is really strange because the last time I saw him was in the supermarket. No honest really, he was right there in front of me, next to the steaks singing "Love me Tender". He said to me (his lip was only slightly curled) "Boy, you need to get yourself a San Diego cosmetic surgery doctor ,to fit into those blue suede shoes of yours. But Elvis said in the Ghetto nobody can afford a San Diego plastic surgery doctor. Dude I'm All Shook Up said Elvis. I think I'll have me another cheeseburger. Then I'm gonna go round and see Michael Jackson and we're gonna watch a waaaay cool make-over show featuring some Tijuana dentists on the TV in the back of my Hummer. And then he just walked out of the supermarket singing. . . "You give me love and consolation,
You give me strength to carry on " Strange day or what? :-)

Hoodia disse...

Help me Dude, I think I'm lost..... I was searching for Elvis and somehow ended up in your blog, but you know I'm sure I saw him in a car lot yesterday, which is really strange because the last time I saw him was in the supermarket. No honest really, he was right there in front of me, next to the steaks singing "Love me Tender". He said to me (his lip was only slightly curled) "Boy, you need to get yourself a San Diego cosmetic surgery doctor ,to fit into those blue suede shoes of yours. But Elvis said in the Ghetto nobody can afford a San Diego plastic surgery doctor. Dude I'm All Shook Up said Elvis. I think I'll have me another cheeseburger. Then I'm gonna go round and see Michael Jackson and we're gonna watch a waaaay cool make-over show featuring some Tijuana dentists on the TV in the back of my Hummer. And then he just walked out of the supermarket singing. . . "You give me love and consolation,
You give me strength to carry on " Strange day or what? :-)