quinta-feira, outubro 13, 2005

Dicotomia escondida com rabo de fora.

O Congresso tem sido bom, reconheço-o com gosto. Mas dos dois primeiros dias para o terceiro a assistência não se limitou a aumentar; mudou. Não é uma surpresa. Da vertente curativa passámos para a preventiva e cuidadora. E o número de médicos diminuiu de imediato. Já é bom que as duas organizações sejam conjuntas, mas é imperioso que os temas se misturem e as populações profissionais trabalhem em equipa com maior frequência.

64 comentários:

fora-de-lei disse...

Da vertente curativa passámos para a preventiva e cuidadora. E o número de médicos diminuiu de imediato.

Ou seja, os médicos - por (de)formação profissional ou não - são pouco dados à prevenção.

Bem, uma coisa é certa: as oficinas de automóveis também ganham mais na reparação do que nas rotinas de manutenção...

IsaMar disse...

porque essas mentalidades são assim? é que prevenir não dá lucro aos privados...
interessante, gostei de saber esta.
E assim vai o ,país.

Débora disse...

dá os parabéns ao julinho,

O e-mail está certo? não consigo enviar ...

Saudações,
Débora

filipa disse...

Caro Professor:

"É imperioso que os temas se misturem"


Pedindo desculpa de derivar :

Não só os temas, mas as estéticas, a variedade, o não sectarismo, o não simplismo.

Vem isto a propósito da atribui~ção do Prémio Nobel da Literatura e de palavras de intolerância que li neste blog.
A Literatura e a Arte devem ser dos poucos sítios, onde a palavra intolerância não tem lugar.
Poetas como W. B. Yeats, Tagore,Pablo Neruda,Eugenio Montale, T. S. Eliot, etc, etc FORAM FELIZMENTE NÓBEIS,
Filósofos e ficcionistas como Sartre,Gide, Camus, Thomas Mann, Pearl Buck, Gabriela Mistral, Saramago e autores de teatro como Beckett, Pirandelo e Dario Fo.
Não há verdades em Arte! E deixem a competição para os estádios.
Por muito descredibilizado que esteja o Nobel, tenho respeito e gratidão por quem dedica uma vida à escrita. Não acha?

andorinha disse...

Boa tarde a todos.

Júlio,

De uma forma brincalhona o Fora de lei disse exactamente o que eu penso.
Infelizmente acho que há muitos médicos que ainda continuam a encarar as coisas dessa forma e curar ou tentar curar(às vezes tarde de mais) é mais rentável.:(

Mas afinal onde é o Congresso, podemos saber?
E a que duas organizações concretamente se refere?

Gerûndio disse...

Filipa
"A Literatura e a Arte devem ser dos poucos sítios, onde a palavra intolerância não tem lugar."
E nos outros sítios já têm?
E o espírito crítico? Fica no bengaleiro da literatura juntamente com o guarda-chuva?
E os artistas da intolerância? Deixam de o ser (intolerantes ou artistas?)

andorinha disse...

Só mais uma coisinha...:)
O que se aprende hoje em dia nas Faculdades de Medicina vai ainda nesse sentido?
Diagnosticar a doença, instituir a terapêutica adequada e ir monitorizando a cura? E se alguns médicos conseguirem fazer isto correctamente já não é mau.:)
E a vertente da prevenção continua a ser descurada?
Continuo a ter uma visão um bocado negativista da classe médica por este e outro motivos.
Mas a "culpa" está nos médicos e em nós. Quantos de nós não procuramos o médico só quando estamos doentes?
Quantos acham que fazer uma medicina preventiva ( seja no campo da sexualidade ou noutro qualquer) é pura perda de tempo e dinheiro?
Alguém deverá começar a inverter esta forma de pensar e aí penso que a responsabilidade dos médicos é maior.

Gerûndio disse...

Sobre o post principal: Em Portugal, infelizmente a saúde é o tratamento. A prevenção ou manutenção da saúde é tratada como um hoby. Não é que não haja uma indústria de prevenção e outra de tratamento. Não considero uma boazinha e outra mázona, acho que é mais uma condição de atrazo que outra coisa

viktor disse...

Débora (17:16)

O endereço de e-mail é todo em minúsculas, ou seja:

jantardomurcon@gmail.com

Anónimo disse...

Isto é um blog de restaurantes ou de círculo dos leitores?

RAM disse...

Caro "Conselho" (who ever you may be),

Deixei-lhe resposta no post anterior!
Grato pela atenção dispensada,

Pamina disse...

Boa tarde a todos,

Um pouco à laia de resposta à Andorinha (apesar dela já conhecer o blog), vou deixar uma link para o blog ou berlogue, como ele diz, de um médico muito jovem.
Tanto alguns posts dele, como posts de blogs de outros jovens médicos, que lá estão indicados, reflectem bem o quotidiano dos estudantes de medicina e dos jovens médicos portugueses.
Se estiverem interessados, dêem uma vista de olhos pelos arquivos e links.

Berlogue de um Viciado em Aisse Ti

Conselho disse...

Cara "ram"
Já respondi :-$

-Stardust- disse...

Caro Prof,

não nos esqueçamos que, além do ponto de vista do fora-da-lei com o qual concordo, o próprio ensino da medicina no nosso país está ainda demasiado ligado à clínica e pouco à investigação (por isso segui Bioquímica!!!). Além desse "pormenor" académico vemos poucos médicos a seguir a carreira científica e a dedicar-se a uma investigação de qualidade (não a que rende milhentos artigos com milhentos autores e poucos controlos nas experiências mal construídas). E poucos também a quererem acompanhar a investigação básica e aplicada que é feita mundo fora.

Gabriela disse...

«E o número de médicos diminuiu de imediato.»

Mas não foram todos embora. Ficaram os que têm dignidade e força para a mudança.

Bem haja!

lobices disse...

...o Profe disse:
"...Mas dos dois primeiros dias para o terceiro a assistência não se limitou a aumentar; mudou..."
...
...o fora-de-lei disse:
"...Da vertente curativa passámos para a preventiva e cuidadora. E o número de médicos diminuiu de imediato..."
...
...não percebi ou é algo que não entendo?
...
...a assistência aumentou ou dimunuiu quando se passou para a "preventiva"...?

Débora disse...

Viktor,

Aparece sempre esta mensagem:

Não foi possível contactar os seguintes destinatários:

'jantardomurcon@gmail.com' em 13-10-2005 19:36
550 5.7.1 Unable to relay for jantardomurcon@gmail.com

Porque será? O e-mail está certo.
Obrigada.

Débora

Sérgio A. Correia disse...

Gostaria de convidar todos os habitués deste excelente blog a visitar o pior blogue humorístico da Internet portuguesa:


http://cresceiemultiplicaivos.blospot.com

Obrigado pela visita.

Sérgio A. Correia

Anónimo disse...

Experimenta : 'jantardomurcon@gmail.com' com o computador desligado

Gerûndio disse...

Caro Lobices
Segundo percebi aumentou a audiência e diminuiu o nº de médicos.

andorinha disse...

Lobices,
Pelo que percebi,a assistência aumentou mas diminuiu o número de médicos quando se passou para a "preventiva". A assistência passou a ser maioritariamente composta por pessoas de outras profissões.
Penso que será isto...:)

viktor disse...

Débora,

Acabei de enviar um e-mail do meu endereço para o jantar do Murcon para experimentar e funcionou.
Poderá ter algum problema com o seu e-mail ou com a imagem que pretende enviar.
Em último caso envie para o meu mail (veja no meu perfil).

RAM disse...

Car@ "Conselho",

Contra-argumentei...
Fique bem...

RAM disse...

Caro Anfitrião,

Infelizmente o conceito da abordagem multidisciplinar - consubstanciado no "trabalho em equipa" e na decisão/responsabilidade partilhada - é um de difícil aplicação; pelo menos em Portugal.
A defesa das "capelinhas" ainda impera...
Paradoxalmente, a crescente especialização ao invés de nos aproximar, encerra-nos em pequenos mundos.
É o paradigma daquilo que eu designo como a "sociedade-condomínio-fechado", transposto para outras tantas vertentes da vida humana...

ginha disse...

Cada vez é mais importante a multidisplinaridade, só alguns médicos é que não percebem isso, porque será?

-Stardust- disse...

Caro Viktor,

já enviei a minha parte do presente! Espero que tenha chegado. :)

Conselho disse...

Atenção ram. Acabei de responder pelas vias oficiais (o post anterior)

Gerûndio disse...

A multidisplinaridade é coisa passada, especializamo-nos numa coisa e só quando amadurecemos é que desejamos globalizá-la. Depende da idade e da disposição. Também acho mau a generalização massificada (para isso à a SIC e a TVI)

filipa disse...

Gerúndio ou particípio passado?


Como sabe, a criação ou trabalho artístico vivem da procura de novos olhares sobre as coisas, novas sínteses e afastam-se do senso comum, das ideias feitas, de pecados e hierarquias mentais (e não só mentais) de cada época.
Logo o "fazedor" de arte está nos antípodas da intolerância porque ele visa, como o cientista, um infinito de combinatórias, livre de todos os constrangimentos.
O mesmo não se poderá dizer de outras actividades.
Esclareci?

de© disse...

A Carta da Transdisciplinaridade, “considerando que só uma inteligência que dê conta da dimensão planetária dos conflitos actuais poderá fazer face à complexidade do nosso mundo e ao desafio contemporâneo de autodestruição material e espiritual da nossa espécie” (entre outras considerações), adopta um conjunto de catorze princípios, de que se destacam aqui apenas três, pela pertinência no debate das ruminações de JMV:

Artigo 4: O elemento essencial da Transdisciplinaridade reside na unificação semântica e operativa das acepções através e para além das disciplinas. Ela pressupõe uma racionalidade aberta, por um novo olhar sobre a relatividade das noções de «definição» e de «objectividade». O formalismo excessivo, a rigidez das definições e a absolutização da objectividade comportando a exclusão do sujeito conduzem à deterioração.

Artigo 5: A visão transdisciplinar é deliberadamente aberta na medida em que ela ultrapassa o domínio das ciências exactas pelo seu diálogo e a sua reconciliação não somente com as ciências humanas mas também com a arte, a literatura, a poesia e a experiência interior.

Artigo 6: Em relação à interdisciplinaridade e à multidisciplinaridade, a Transdisciplinaridade é multireferencial e multidimensional. Tendo em conta a concepção do tempo e da história, a Transdisciplinaridade não exclui a existência dum horizonte transhistórico.

(Convento da Arrábida, 6 de Novembro de 1994)

Publicado em Cadernos de Educação nº 8, pp. 7-9, 23/11/1995, Instituto Piaget, Lisboa

in http://www.unipaz.pt/artigos/pierre.htm

de© disse...

Filipa 10:34

Embora não me fosse dirigida agradeço a sua explicação que traz um novo alento a este debate

Gerûndio disse...

Há quem goste de Ezra Pound, de Speer e de outros vultos da nossa História (só digo os mais óbvios para não fazer confusão). Não apenas do particípio passado (gostei dessa). Outros não gostam..., mas o que importa é que já não me lembro do começo da argumentação (o que não acho importante). Como ia dizendo :-) não creio que o fazedor de arte tenha de importar com a tolerância ou com a falta dela (Beethoven era intolerante com os cretinos segundo dizem). Já o J.Sampaio não é, o que também concordo (embora ainda não tenha lido nada dele)nem acho que seja um artista por aí além.

Gerûndio disse...

Sobre a nova "fashion" (a gripe das aves)quem acham que vai ganhar? Os preventivos, os curadores ou os cangalheiros, ou os canais de televisão já que acabou a temporada dos incêndios. :-(

Luis Silva disse...

Eles vêm aí...
brevemente "a revolta dos pinguins". Não perca!!!

Julio Machado Vaz disse...

Ram,
Tem razão. Cada vez sabemos mais sobre menos. "Le regard médical" afasta-se da pessoa em sucessivas análises que não desaguam numa síntese final. Por vezes usa-se o conceito de multidisciplinaridade para o justificar, mas é falso, ele traduz-se pela multiplicidade dos olhares "holísticos" (para usar o palavrão da moda:)))))). Boa noite, maralhal.

Débora disse...

Viktor,

agora enviei para o seu e-mail com cópia para o jantardomurcon@gmail.com.
Espero que algum chegue.

obrigada.
Débora

Anónimo disse...

Gerûndio 10:22 PM

"(para isso à a SIC e a TVI)"

E hoje à caracois...

Anónimo disse...

Boas!
Ainda não foi desta que deixei o anonimato. As minhas desculpas à ANDORINHA e, já agora, os meus agradecimentos pela quebra da regra.
Há um filme em que o protagonista é william Hurt e no qual de médico -cuidador- passa a doente (oncológico). Não me recordo do nome mas gostei de ver. É dos tais que dá que pensar...
É claro que o protagonista se safa mas não sem antes ter aprendido qualquer coisa.
A parte técnica é importante mas a vertente humana não deve ser esquecida.
Entre outras coisas, é delicioso vê-lo, depois, colocar os seus alunos de medicina na pele de doentes por um dia, com tudo o que isso encerra/pode encerrar: batinhas com rabos ao léu (quem já se viu nesse papel reconhecerá o desconforto), enemas, recolha de sangue e outras "peripécias"...
Um bom exemplo a seguir pelos nossos profs. de medicina!!!!
Tchau
Ps: No meio de tanta gente, miúdas giras há por aí????
Não me vai dizer que anda distraído, heim professor?!.....:)))

Débora disse...

Viktor,

Isto está difícil.
Não consigo enviar nem para si, nem para o outro.
Envio para mim mesma e recebo.
Que será?
Débora

viktor disse...

Débora,

Tente enviar um e-mail só com texto, sem a imagem, para ver se o problema é esse.

mtc disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Débora disse...

Viktor,

Já tentei sem anexo e também não "entra".
Recebo de outros e-mails, envio para mim própria, mas para o seu, da mãe (Pamina) e jantardomurcon, não consigo.
Pode ser que consiga mais tarde.
Obrigada.
Débora

Pamina disse...

Débora,

Tente o e-mail da Andorinha (está no blog dela). Se resultar, ela depois reenvia-o.
Até amanhã.

Débora disse...

Viktor e Pamina,

Não consigo - acho que alguém me "boicotou")))
Também não consigo para a Andorinha.
A última tentativa, veio devolvido com esta mensagem:

A sua mensagem não chegou a um ou mais destinatários.

Assunto: Foto
Enviada: 14-10-2005 4:25

Não foi possível contactar os seguintes destinatários:

'jantardomurcon@gmail.com' em 14-10-2005 4:27
550 5.7.1 Unable to relay for jantardomurcon@gmail.com

'bonamusica@sapo.pt' em 14-10-2005 4:27
550 5.7.1 Unable to relay for bonamusica@sapo.pt

'mabent@sapo.pt' em 14-10-2005 4:27
550 5.7.1 Unable to relay for mabent@sapo.pt

Enfim ... será que há bruxas?

Mesmo agora recebi e enviei mails para o meu sobrinho que está na Holanda e para aqui não dá?

Amanhã ainda tento.
Obrigada a todos.

Beijinhos
Débora

noiseformind disse...

O Éme está a ser claramente mauzinho (isto da aproximação dos anos rovocar TPM toca a todos ; ))))))))) )
Os médicos abandonaram a sala pq os painés seguintes não eram patrocinados por nenhuma farmaceutica de peso. E portanto, não havendo a quem agradar... desertaram. Sempre a combater fantasmas nos moinhos guapo ; ))))))))))

noiseformind disse...

E já agora, esta nova e. que por aqui anda é de uma sinceridade que só podemos aplaudir e incentivar, sem quaisquer cinismos ou hipocrisias, um exemplo a seguir, sem dúvida.

noiseformind disse...

Mas em termos de DST existe algum médico preocupado com a prevenção?
Por acaso no CAD (Centro de Apoio e Disgnóstico) temos algum médico? Nã!!!!!!!!!! Isso é trabalho para psicólogos e enfermeiros, não é coisa de médicos, não é suficientemente interessante. E como se sabe nessa vertente não se receitam medicamentos, portanto o retorno financeiro é marginalmente compensatório. Por deformação prosfissional e enquistamento nos seus templos onde são inacessíveis como diz o Ram? Até se desenvolverem os novos drones de cirurgia automatizada, sem dúvida. Mas com o tempo cada vez mais os médicos serão agentes de promoção da saúde mas também de BEM ESTAR, como por exemplo, refere o muito divulgado (e atacado) Relatório Woodstock.

Existe um exemplo bem conhecido em que os médicos, por mero exemplo, contribuiram para um problema de saúde. O tabaco. Quantos e quantos não se davam ao luxo de fumar em pleno centro de saúde diante os pacientes? E as pessoas diziam (e quantos ainda dizem): se o médico fuma, não deve fazer mal. Assim como as equipas de rua que lidam com toxicodependentes. Não são meios lucrativos de trabalho, portanto quem temos nelas? Enfermeiros e funcionários de saúde, nada de médicos, médicos não.

Será por serem escassos? Serão! Mas não me posso esquecer que ainda há umas semanas o profssor mário de Sousa dizia do "estes difíceis amores" que os conceitos éticos que ele recebeu dos seus professores foram os mesmos que ele transmitiu e no entanto... pois pois... não nos podemos esquecer com que barro trabalhámos. Serão já pelos dedos de uma mão os médicos que conheço que não orbitam em torno desta e da outra farmacêutica... e a escolha muitas vezes é claramente entre a necessidade de um vale de férias ou de um carro novo ;((((((((((((

E esta multa de 18 milhões ás farmaceuticas por combinarem os preços dos medicamentos nos concursos? E esta dificuldade dos novos retalhistas conseguirem comprarem medicamentos? Pois, isto gira muito à volta do comprimido e da pastilha, do supositório e do xarope. Ai gira, gira ; )))))))))))))

HarryHaller disse...

Eu como leigo que sou da ciência médica, pois, a minha formação é essencialmente juridica, embora fiel ao princípio renascentista, de que nada do que é humano me deve ser estranho,tenho para mim a ideia , de que ao longo da história do ensino da medicina, têm interiorizado nos futuros médicos, que a sua função essencialmente curar.Pensando um pouco, até se percebe porquê, pois, no dia em que se apostar na prevenção a sério as bichas para os consultórios médicos seguramente irão diminuir de forma drástica substancialmente, e consequentemente irá reflectir-se de forma assaz negativa na industria farmacêutica.Contudo, a aposta na prevenção não deve começar no mundo fechado da medicina, mas, na própria pessoa, isto é, no próprio cidadão.

Bom dia Professor e demias murcons e bom fim de semana.

Lobo das Estepes

noiseformind disse...

É uma pescadinha de rabo na boca Harry. Menos pessoas com SIDA menos necessidade de uma vacina, menos ganham as empresas a desenvolver a vacina... etc etc etc... o problema é que os melhores clientes para os medicamentos contra a SIDA são países em desenvolvimento. Mas logo as farmaceuticas mostraram receptividade em fazer um corte nas royalties, conquanto pudessem continuar a receber algumas ; ) como no caso brasileiro!

AG disse...

Espelho de duas faces
Plana e curva
Numa te afirmas
Noutra te negas
Em ambas te crês

amok_she disse...

noiseformind disse...

E já agora, esta nova e. que por aqui anda é de uma sinceridade que só podemos aplaudir e incentivar, sem quaisquer cinismos ou hipocrisias, um exemplo a seguir, sem dúvida.

9:17 AM



ahahahah, desde q ñ "te toquem" são todos uma maravilha...é a "filosofia" do grupinho, pois...mt gostam vc.s, os "corporativos", de colocar etiquetas nos outros...mas, cá por mim, apenas leio a coisa (a tal da sinceridade:->) como sendo uma forma de...te dar o devido lugar, nada mais q isso!:->...qt ao exemplo a seguir q tal seres o primeiro...???:->

...e então, já se resolveu a "saga do mail embruxado"???:->

Anónimo disse...

Se o mail fosse "embrochado" era bem pior...

João Henrique disse...

As Finanças andam a penhorar bens de pessoas que devem ao fisco.E eu sou uma delas. Eles decidiram ir a minha casa e penhoraram a única coisa de valor que eu tinha: a Banda Gástrica. :) Sim sou um graçolas!

Mário Santos disse...

A mentalidade preventiva tem começar claramente por nós. Quantos de nós não preferem os comprimidos para os colesterol em vez de comida saudável e exercício? Ou analgésicos em vez de uma postura correcta ao computador? Os "meus" médicos dão-me sempre o "sermão" da prevenção, não tenho, nessa área, razão de queixa.

Já gostava de ver os médicos um pouco mais proactivos na procura de se actualizarem e não ficarem só pelos congressos patrocinados pelas farmacêuticas, que são concerteza importantes, mas não chegam.

contra-chat(o)s disse...

PETIÇÃO À DONA AMOK-SHE:
-----------------------------
Estou em crer que isto é uma caixa de comentários e não um "Chat" onde se utilizam abreviaturas para encurtar a "transmissão" e agir-se mais rapidamente na resposta.
Se não tem capacidade de escrever correctamente em palavras simples mas completas, então mais vale a pena não escrever do que utilizar, como por exemplo, se verifica na sua última intervenção, caractéres sem qualquer sentido de escrita.
Peço desculpa pelo desabafo mas sou totalmente avesso às abreviaturas. Mais vale escrever "merda" do que um "m" seguido de pontinhos.
Uma boa tarde.
ahahahah, desde q ñ "te toquem" são todos uma maravilha...é a "filosofia" do grupinho, pois...mt gostam vc.s, os "corporativos", de colocar etiquetas nos outros...mas, cá por mim, apenas leio a coisa (a tal da sinceridade:->) como sendo uma forma de...te dar o devido lugar, nada mais q isso!:->...qt ao exemplo a seguir q tal seres o primeiro...???:->

pró-contra-chato(s) disse...

Bora !

Débora disse...

Viktor,

Agora tentei enviar pelo e-mail de um faliliar, para o jantardomurcon. Vamos ver.
A mensagem que me tem dado é do Admnistrador do Sistema e não do Mailer-Demon, como acontece quando envio algo a alguém que tem a caixa cheia, etc.
Não sei qual é a diferença da proveniência do aviso - sou uma burra nestas questões.

Um abraço
Débora

arobéd-itna disse...

Se fores burra só nessas questões, já não é mau de todo...

Conselho disse...

Cara amok-she:
p/o qq m... srt.fdp; :=] gpt.. dfrtfcd;fff!!!

Anónimo disse...

Noiseformind disse:
"E já agora, esta nova e. que por aqui anda"....
Estás a falar em concreto de quem ou do quê?
É raro vir cá mas quando o faço perco-me sempre. é cada termo.
Ps: só estou a tentar acompanhar
Préviamente agradeço a lição se se der ao trabalho de a dar. :)

amok_she disse...

...ora então, pequeno dicionário-tradutor das minhas abreviaturas...para mentes um tanto ou quanto mais...pois, como direi?...bem, é melhor não dizer ou ainda me sai mais uma "etiqueta corporativista"...:->

'bora lá, manel...

q = que
pq=porque
qt=quanto
qq=qualquer
mt=muito
ñ=não
p=para
vc.s=vocês
td=tudo
tds=todos
[de momento ñ me ocorre mt mais, mas se existir mais alguma coisinha q ñ entenda...cá estarei para ajudar!:->]

...entretanto, essa do chat [com ou sem "o(a)"'s] tem graça!...95% dos q aqui vêm apenas o fazem para chat(ar) e em 95% das vezes q eu aqui venho, faço-o pela mesma razão!...q outra à vista raramente se vê q justifique outro tipo de empenho...no entanto, nos outros 5%, por vezes, recolhe-se um certo prazer pelo q continuarei...até me fartar!:->

...qt ao uso de abreviaturas...pois, isto era suposto ser um sistema(zinho) de comentários [do Lat. commentariu

s. m., série de notas explicativas de qualquer obra literária ou científica;
crítica;
explicação;
esclarecimento;
análise;
observação de carácter irónico ou mordaz;
ant., notas históricas sobre acontecimentos em que o autor tomou parte activa.


...e, dado o contexto do espaço, deveriam ser coisas curtas, mas como se tem visto de td, desde chat(os) a prelecções [do Lat. praelectione

s. f., acto de preleccionar;
discurso;
conferência didáctica;
lição]
...supostamente academistas, entremeadas com umas notazinhas mais de cariz humoristico q outra coisa...pois, vai daí e eu alargo-me ou encurto-me, conforme o apetite, e uso da forma e do conteúdo q a mim mesma der na veneta...pelo q nada mais ficará p acrescentar sobre o assunto!:->

...mas é claro, claríssimo p mim!, q o caro anti ñ sei das quantas tem todo o direito de gostar ou ñ gostar e de, a esse respeito, se pronunciar!...ñ serei eu a tentar, sequer, quartar-lhe esse direito, mas e em remate: qd quero escrever merda, ou outra merdice qq escrevo-o com todas as letras!, aí ñ uso abreviaturas supostamente educadinhas!...de politicamente correcto tenho pouco e de hipócrita ainda menos!, já de cínica...deixo à consideração de quem me lê!:->

...ah, já agora...este :->...em certos casos, raros mas existentes!, quer dizer: a minha mais profunda expressão de desprezo!...outras vezes tb transmite o tal apelidado cinísmo...e noutras ainda será, tão só, um sarcásmo perante certas mentes pequeninas...agora escolha, caro(a)!:->

andorinha disse...

anónimo (12.08 am)

Quebro pela segunda vez a regra, até porque me pareces um anónimo simpático.:)
Mas é a última vez - os meus pais sempre me disseram para não falar com desconhecidos.:)))))
Também gostei muito desse filme e da problemática que é abordada.
Como as coisas mudam quando o médico se transforma em paciente!

rectificador disse...

para o comentário da amoh-she às 3 e 26:
Não é "quartar-lhe", é coarctar-lhe

amok_she disse...

'thank's, rect!!!, às quartas dá-me pra isto,mas...o pior é q nos outros dias ñ melhoro grande coisa!, esgrimi mal, foi o q foi!;-)

'brigada, mesmo!...imperdoável, Ly, imperdoável!!!