segunda-feira, outubro 03, 2005

Para evitar o pânico e a vergonha entre os murcónicos...

... apresso-me a esclarecer, em relação ao poema de Pedro Tamen, que apesar de vários e dolorosos naufrágios e não poucas violentas abordagens, nunca desisti da minha modesta navegação. E digo modesta, por ter tido sonhos que incluíam mares longínquos, Adamastores vencidos, Índias acolhedoras. Não aconteceu. Mas as águas tranquilas e irmãs da praia em que navego não traduzem calmaria resignada. Apenas a convicção de que a brisa, se a mão do leme está calejada por alguma sabedoria feita de nódoas negras, é suficiente para atingir o meu objectivo. Qual? Não sei, talvez só continuar!

133 comentários:

andorinha disse...

Júlio,
Belíssimo post.
Já tinha saudades de o ler assim. Isto é poesia em prosa!
Excelente toda a simbologia utilizada.
"Mas as águas tranquilas e irmãs da praia em que navego não traduzem calmaria resignada".
E nós não sabemos?:)
"Apenas a convicção...para atingir o meu objectivo.
Qual? Não sei, talvez só continuar!"
E continuar a ser quem é, quer objectivo melhor do que esse?

Anónimo disse...

Curvar-se permite a plenitude

Lao Tse

andorinha disse...

Naufrágios todos temos, abordagens violentas também, encontramos por vezes o mar tão revolto que estranho seria não os termos.
Mas não desistir da navegação é essencial, não vamos ficar ancorados no porto. Seria mais seguro,mas certamente mais monótono.
E isso nunca o fez, pois não?
Quantos poderão dizer o mesmo?
Navegar como tem feito ao longo da vida, quantas vezes contra a corrente, faz de si a pessoa que todos aqui apreciamos e por quem sentimos enorme carinho.

Paulo Pisco disse...

Tal como os antigos peregrinos diziam mais do que chegar ao santuário o importante é a"caminhada".

A.na disse...

Dr.Julio,
"Apenas a convicção de que a brisa...é suficiente para atingir o meu objectivo!"

Pela"graça",
e por,talvez,me ter sido
clara a interpretação deste Poema deixado por si,
arrisco continuar um pouco mais...

"Gozo a brisa que me dão e a
alma que me deram
para gozá-la..."
(F.Pessoa)

Grande
abraço Dr.

Débora disse...

Prof.

Nunca pensei, nem por um momento, em eventual desistência e muito menos resignação da sua parte!!! Essa seria outra pessoa...

"Qual? Não sei, talvez só continuar!"

Pois, o caminho faz-se caminhando.

Saudações
Débora

primitiva disse...

J.M.V
Será que essa brisa não será o grande problema das pessoas depois dos 45 anos de idade?O que ganham em prudência perdem em espontaneedade, deixam de assumir os riscos da vida, valerá a pena?

RAM disse...

"Águas bonançosas" Professor...
:))))))
Linda prosa... Mais lindos os sentimentos que encerra!
Nada mais a acrescentar...
Até novo post...

ameninadalua disse...

Professor
Que belas palavras as suas!
Só podem ser de alguem que com lucidez consegue ver a vida com sabedoria, ternura e profundidade e por isso tambem com simplicidade.
Não será já isso um grande objectivo ou as calmarias não resignadas traduzem o desassossego de quem gosta de querer ainda mais de si próprio?
Que bom! para quem como nós pode apreciar e aprender com seu testemunho...mas por vezes essa exigência de nós próprios quando demasiada pode pesar...

RAM disse...

Adenda:

As Índias das paixões arrebatadoras e os mares longínquos onde julgamos atingir plenitudes...
Quantas vezes fugimos ao nosso encontro. Paradoxal, não?
... mas a verdadeira plenitude reside na capacidade de estabelecer a síntese da existência e do ser, com a convicção de que as plenitudes se encontram tantas vez ao alcance de um mero estender de mão, na blandícia de um olhar, nos lábios de alguém que pronuncia docemente o nosso nome e diz: "Vem!"
Boa noite...

Su disse...

panico?...vergonha? modesta!!!
objectivo? tb não sei qual é.
navegar é preciso ....
jocas maradas mas sem "noia":))))

RAM disse...

Errata:

Quantas vezes fugimos, ao nosso encontro.

Anónimo disse...

...tranquilas e irmãs da praia em que navego...
para quem não gosta de praia:((((

andorinha disse...

ram (10.11)
Lindo, também.:)
Subscrevo.

Julio Machado Vaz disse...

Primitiva,
Compreendo a sua interpretação, tem lógica. E no entanto eu diria que persigo um pouco mais de lucidez para mais lucidamente a perder se valer a pena:). O que não significa que aos 55 a espontaneidade seja a mesma de há quarenta anos atrás. Por mais rápidos que surjam o desejo, o acto, o sim ou o não, carregam as influências - ainda que inconscientes - de uma vida.

Julio Machado Vaz disse...

Andorinha,
Cabe-lhe a responsabilidade de aceitar o meu obrigado pela ternura de todos vocês:))))).

Lusco_Fusco disse...

Navegar é preciso.
Desistir, nunca!
Verá que quando menos esperar, o Marinheiro de sempre, vai deitar mão á obra, reparar os estragos causados pela tempestade, já que, além dumas nódoas negras que o tempo se encarrega de fazer desaparecer, nada mais relativo á saúde o impede. Há sempre ondas que nos parecem gigantescas e intransponíveis, que nos levam parte do vigor e nos fortalecem para as próximas.
No oceano da vida há ondas mais ou menos transponíveis, há que ter força, vigor e vontade para as ultrapassar. Se não for de barco vai a nado. Há que traçar novas rotas orientar o barco para as coordenadas a atingir. Podemos e devemos usar a brisa, mas nós a orientá-la e não ela a nós. Nunca parar de lutar pelos nossos objectivos por mais difíceis que se nos tornem os caminhos.
O oceano da vida está para nós, como os oceanos da terra estiveram para os nossos antepassados.
Nada os deteve, aperfeiçoaram instrumentos, instruíram homens ganharam novos horizontes.
Temos de ser teimosos e porque não um pouco aventureiros? ...
Tempestades que trazem estragos que podem resolver-se, não podem fazer um marinheiro experiente parar e esperar que a brisa o leve. Ainda que haja um momento de indecisão, e há sempre, para ordenar ideias traçar novas rotas e novos planos com objectivos precisos. Isso não significa resignação, significa sim maturidade e reflexão.
As adversidades só devem servir para nos fortalecer, nunca para nos derrubar.

É marinheiro experiente para saber orientar o barco.
Força “lobo do mar”!
“Após a tempestade vem a bonança”

Tudo de bom.
MJ

Anónimo disse...

Volto à questão qye levantei ontem dos comentários que fogem do post, para dizer que, se venho aqui, não é por ser masoquista mas porque gosto muito dos posts do prof. JMV e às vezes gostaria de participar numa conversa sobre eles. Acontece que acaba sempre por acontecer o mesmo (conversa desconversada de um grupo de amigos) e tenho pena . Têm esse direito, é bonito para vocês, mas acho que o Murcon merecia melhor. (mantenho o anonimato pela simples razão de não me apetecer ver o meu nome crucificado - pela amostra de ontem, seria pior que isso).

Rataplan disse...

Prof.

Sou só mais uma, a dizer que este post é realmente lindo. Gosto da paz e da tranquilidade que passa para este lado.

Ram (10.11)

Também muito bonito!

andorinha disse...

Júlio,
Agora deixou-me sem palavras.
Não tem nada que nos agradecer; sente-se ternura por quem a merece.:)

Pamina disse...

Boa noite,

Concordo com a Andorinha. Tal como ela, este é o género de posts que mais gosto de ler. Belo texto.

Desejo uma boa viagem, porventura calma, desde que nunca resignada.
Ofereço-lhe a si JMV e ao Maralhal (especialmente o menos jovem) estes versos finais do poema Ulysses, com os votos de que possa ser o nosso lema:

"Tho' much is taken, much abides; and tho'
We are not now that strength which in the old days
Moved earth and heaven; that which we are, we are;
One equal-temper of heroic hearts,
Made weak by time and fate, but strong in will
To strive, to seek, to find, and not to yield."

Alfred, Lord Tennyson

Julio Machado Vaz disse...

Pamina,
Just beautiful:).

Lusco_Fusco disse...

"persigo um pouco mais de lucidez para mais lucidamente a perder se valer a pena".
Muito bonito e digno de todo o meu respeito.

Acho a alma grande ...o "se valer a pena" é que me parece a condicionante que não poderá avaliar sem lucidamente perder a lucidez. Dr. dê-se uma chance não se condicione.
MJ

noiseformind disse...

Eh pá... não sei não... posso ser mesmo sincero e aproveitar aqui o teu canto para dar uma de meditabundo Boss? Tanto quanto sei nós tb temos alguma a dizer em relação ao vento. Pomo-nos a jeito, navegámos pela costa, navegámos pelas estrelas, dámos mais valor a este e áquele destino...

Dou o exemplo clássico que me atiram à cara: a família.´
"Ainda é solteiro? Que pena!" (e normalmente olham para a minha barriga e devem pensar "Pudera, gordo dessa maneira"
Não tenho problemas nenhuns com o conceito de casal ou mesmo de família. Simplesmente primeiro do que fazer uma família minha vem a minha família afectiva, que muito valorizo e acarinho. Encontrando alguém que pense como eu é que é o verdadeiro problema. Mesmo as membros desta família quando promovidas a namorada ganharam logo ciumite aguda portanto só tinha duas hipótoses: deixar para trás a teia de cumplicidades em tempo real e esperar, tal como muito se diz por aqui, que de mês a mês as outras pessoas na ponta dessa teia me acolhessem como fazem hoje diariamente. Ou então deixar-me estar nesta teia, repôr aquela pequena distância e continuar a ser quem sou com as pessoas que sou.
Porém a maioria, a tal sociedade semi-abstracta corporizada nas pessoas com que me vão cruzando e que me dão a sua resposta mais ou menos automática, acha que eu me devia casar e que devo ter algum problema sério (tal como as pessoas que ficam admiradas de eu ser solteiro, normalmente tb dizem isto olhando para a barriga) para não estar já a caminho de uma consumação matrimónica ; ))))))
Porém, habituei-me ás coisas em absoluto e se uma amizade em absoluto é possível vom várias pessoas um casamento em absoluto não o estou a ver dessa forma descontraída de um "querida, a Bel vem cá a casa dormir esta noite" loooooool loooooooool loooooooool e portanto limito-me a pôr essa hopótese do casamento teoricamente, sem fazer com que ela seja parte de uma pessoa já existente. Não procuro enquadrar as pessoas nas minhas expectativas, pelo menos em expectativas em que talvez elas não se enquadrem por vontade própria. E talvez seja tb um pouco por causa da carreira. Uma carreira do tipo que prossigo (multi-nacional, procurando mais oportunidade e projectos do que propriamente ordenados ou instituições sociais) não é muito complacente com uma abordagem mais gregária. Tanto estive nos EUA como vim para Portugal como me preparo para ir para Espanha. Mas claro, esta é uma fase na navegação. Aliás, cada vez mais dou por mim a constatar o absurdo que é alguém acumular um valor estupidamente elevado durante grande parte da vida para depois o ir gastar na porcaria dos médicos para ter mais uns anos ligados ao tubo.

Neste particular o Porty e mais algumas pessoas são para mim exemplos a seguir. Viver a vida como um grande prazer, seguir as nossas ganas, não calar a nossa dor, deixar a nossa marca, amar sem ser correspondido e, acima de tudo, perdoar aos que não nos adoram pelas pessoas fantásticas que somos...

Volto para a navegação, vai começar o "Leanvanta-o e Ejacula", na TVI, o programa que mais contribuirá para a valorização dos terapeutas sexuais em Portugal, ao verem que "aquilo" foi o melhor que conseguiram arranjar com o cachet milionário que lhe estão a pagar looooooooool loooooooooooooool loooooooooooool ooooooooooool looooooooooool

A.na disse...

noise,
não és unico nesse teu estar opcional solitário...
Sinto-me tantas vezes
de igual modo
ao ver todas e
tantas fotografias de festas,férias,
natais,anos e
anos e anos a passar...
e eu,
a unica,
sempre sózinha no Retrato de familia.
Cheguei a um ponto da minha vida que
a restrição passou a ser,
e muito naturalmente,
a minha opção!
Esse
(E quando é que casas?)
(E filhos?)sarilhos,
...mais essa,
mais o problema dos filhos nas mulheres trintinhas e por ai fora!
Acredita que a razão não passa o olhar pela minha barriga!
Mas e
seriamente...
a repetição constante de relacionamentos
(in)acabados,fingidos,
traidos,magoados,
chorados...tiram e limitam
toda uma vontade
de um dia existirmos
num Retrato de familia complecto!
Agora,
esse sentimento será opção real,racional?
Já nem sei...
só sei que sempre quis formar a minha querida familia,
ter os meus filhos,
não apenas os sobrinhos e
fihos dos amigos
e amigos dos filhos dos outros...
Sempre quis um amigo companheiro, amigo amigo,companheiro amigo a meu lado...
e no fim de contas,
vejo-me dentro dum sentir que parece opção,
um sentir de
ter de viver como estou e
ser feliz assim...
E o pior é que começo a acreditar verdadeiramente nesse meu lado egoista,só
e tudo porque
provavelmente tenho
um imenso medo de
nunca conseguir voltar
a acreditar
que um dia
até tive o sonho de ser
como os outros todos
presentes no
Retrato de familia!
E assim vou vivendo
e convivendo,
muito bem obgrigado
chamando opções
ás minhas frustações!
Abraço.
(20 abdomináis por dia,
num mÊs fica o caso arrumado!)
:)

Débora disse...

Olá a todos!

Este blog hoje está particularmente ternurento. Que belas palavras se têm escrito! O nosso terno anfitrião dá o mote e depois é o que se vê (lê) … Apraz-me constatá-lo.

Pamina,
O poema é lindo, mas penso que mesmo que o não fosse, depois da vitória do Glorioso, o Prof. diria sempre que é belo – já há dias falámos nisso. Quando o Glorioso ganha, a vida parece mais bela (para alguns de nós). Não há nada a fazer … o nosso olhar sobre as coisas, é outro …mas a beleza é potenciada, como no caso do poema.

Noisy,
Apesar de brincalhão, como habitualmente, está hoje excepcionalmente ternurento.
Mas tenho uma dúvida: a barriga será mesmo a responsável, por tudo o que nos conta? Não será um “álibi”?
Eu penso que o seu maior problema reside na dificuldade (comum a todos) de se ter tudo ao mesmo tempo – por isso muitas vezes, temos que fazer opções, não é assim?
Deve considerar que estou para aqui a dizer um chorrilho de asneiras, o que é natural, pois desta matéria sabe seguramente infinitamente mais do que eu. (e de outras também).
Já sabe que a sociedade espera geralmente de nós que casemos, constituamos família, etc. (aquela norma …). Mas a sociedade que tenha paciência, porque nós é que sabemos o que mais nos convém e temos o dever, perante nós mesmos, de o tentar obter.
Eu não casei por objectivo, mas porque me apaixonei (mas não me casei todas as vezes que me apaixonei, claro) e houve certamente a reunião de outros factores que o propiciaram. Claro que não me vou divorciar sempre que qualquer devaneio apela, passível de contrariar o meu parceiro. Não é viável. Por isso, vou fazendo opções …
Mas não tenho nada que falar de mim.
Quanto a si, estou certa de que a barriga não constituirá impedimento se o apelo for imenso)))

Saudações,
Débora

PortoCroft disse...

Caro Prof. m8,

E quando toda a "Inteligência Wikipediana" estava convicta de que falava da morte, eis que "Para evitar o pânico e a vergonha entre os murcónicos...", vem o esclarecimento: Falava de vida. ;))))

Brisas há muitas. Algumas, só aparentemente, a favor. Nesta vida, o importante é navegar à bolina.;)

yulunga disse...

Bom dia maralhal.

Anónimo disse...

Elizabeth .Olá como estam. Comungo piamente com o que a Andorinha e a Pamina escreveram.
Um abraço

básica disse...

Nenhuma navegação é modesta se o sentido de orientação, tiver a capacidade de nos satisfazer o corpo e a alma. É gratificante ler palavras como as suas e sentir, que apesar de tudo, ainda existem pessoas com a capacidade de aceitar sem resignação e que, com sabedoria, degustam o prazer de cada segundo, em cada dia que vivem. Deixar seguir a vida deslizando lentamente qual veleiro embalado por águas mansas, é um lema que encerra em si a essência de uma vida vivida com verdade. Saber viver assim, faz a vida valer a pena, e faz com que cada nódoa, possa ser sentida como uma mais-valia a adicionar à sabedoria que se colhe no percurso.
É um prazer ler palavras como as suas.
É destes pequenos prazeres que hoje, as águas da minha praia se alimentam.
Um bom dia para todos.

yulunga disse...

Dr. Murcon
Acho que todos lemos este texto e é como se tivessemos a desfolhar o nosso albúm de fotos.
Numa frase ou numa palavra todos nos identificamos um bocadinho; e depois dá um aperto no peito...

Acho que essa brisa de que fala é a nossa vontade, a nossa fé em nós.

E como nunca deixei aqui nenhum poema vou deixar algo do qual não sei quem é o autor.
Este texto foi-me dado a conhecer por uma amiga que é portadora do HIV, e que o lê e relê nos momentos de desalento.
Foi-me dado numa altura de tempestade, e acho que este Deus é essa tal brisa, essa nossa vontade, esse não desistir de acreditar em nós.


"Pegadas na areia"
Sonhei que estava caminhando na praia juntamente com Deus.
E revi, espelhado no céu, todos os dias da minha vida passada. E em cada dia vivido, apareciam na areia, duas pegadas: as minhas e as d`Ele.
No entanto, de quando em quando, vi que havia apenas as minhas pegadas, e isso precisamente nos dias mais difíceis da minha vida.
Então perguntei a Deus:
"Senhor, eu quis viver contigo, e tu prometeste ficar sempre comigo. Porque me deixaste sózinho, logo nos momentos mais difíceis?"
Ao que Ele respondeu:
"Meu filho, sabes que Eu te amo e que nunca te abandonei. Os dias em que viste só umas pegadas na areia são precisamente aqueles em que Eu te levei nos meus braços".

Julio Machado Vaz disse...

Noise,
Vai haver muita gente surpreendida com a toada desse comentário:). Eu não, muito menos depois do serviço de apoio aos participantes do jantar. Quanto à TVi - enfim...

fora-de-lei disse...

noiseformind 12:32 AM

”Não procuro enquadrar as pessoas nas minhas expectativas, pelo menos em expectativas em que talvez elas não se enquadrem por vontade própria. E talvez seja também um pouco por causa da carreira. Uma carreira do tipo que prossigo não é muito complacente com uma abordagem mais gregária.”

Já só te falta dizer como outros / outras que não vou nunca casar e, muito menos, ter filhos, porque da maneira como esta vida está é uma irresponsabilidade trazer alguém ao mundo. Pois é, Noisy, o mais fácil para mim e, quiçá, mais prazenteiro para ti, seria eu dizer-te qualquer coisa do estilo caga nisso, assim é que tu estás bem, esperto és tu em não quereres compromissos, etc, etc. Mas - muito sinceramente - não consigo ir por aí.

Fica, no entanto, tranquilo que não vou dizer-te para teres atenção ao facto de não sermos eternamente jovens, que os teus pais não duram sempre, que os amigos irão inapelavelmente afastar-se de ti, que um dia te sentirás realmente só mas já será tarde de mais, etc, etc. A vida é tua, as opções são tuas. E ninguém tem nada a ver com isso !

Prefiro dizer-te para, quase numa lógica sistémica, alargares o diâmetro do círculo que envolve o micro-sistema onde te encerras por forma a ires obtendo uma visão mais abrangente da vida. Constrói um sistema para ti onde hajam outros sub-sistemas que não sejam propriedade tua, ou seja, que não tenham apenas a ver contigo directamente. No fundo, tenta arranjar um ponto de observação que, fruto da factualidade, te permita tomar opções na verdadeira acepção da palavra e sem margem para arrependimentos. Sim, porque aquela milonga do “não me arrependo de nada que fiz, só me arrependo daquilo que não fiz” é um mero chavão e, acima de tudo, é tanga !

M disse...

Malarmé o naufrágio azul

Um bom dia ao Professor!

Anónimo disse...

yulunga

'e acho que este Deus é essa tal brisa, essa nossa vontade, esse não desistir de acreditar em nós.'

bem me parecia que vives atenta :-)

noiseformind disse...

Fora-de-lei,
Consciente disso (alargar as vistas, arranjar um ponto de observação) ando de olho num cantinho ali no Miradoiro da Graça, em Lisboa ; ) nada de espectacular, um T1 para não ter de continuar a enriquecer a hotelaria olissipolissense ; )

Quanto ao círculo sim, mas isso hoje em dia é complicado, pois repara que hoje em dia a amizade é um conceito muito instrumentalizado, podemos conhecer muitas pessoas mas numa peneira fina de reciprocidade e carinho muita gente se perde de nós, e de mim então que encaro a amizade como plena ou então não vale a pena andar a trocar uns mails de mês a mês é que não há mesmo hipótese de todas as pessoas com quem me cruzo permanecerem em mim e eu nelas (nada de pensamentos sexuais nesta frase, seus lúbricos). Não caio no chavão de que tenho poucos e bons amigos. Tenho o prazer de ter uma vintena de pessoas que me afagam acima de qualquer merecimento e continuo a sentir que há pessoas fantásticas por aí que ainda não conheci (e claro, com quem também não fiz sexo loooooooool loooooooool looooooooool se bem que, noto cada vez mais, especialmente nas saídas nocturnas, que não é preciso sequer falar com alguém para criar uma química básica que leve ao sexo, mas isso são contas de outro rosário).

Quanto aos arrependimentos não percebi bem o que disseste, pq me parece teres dito coisas contraditórias meu caro ; )


(...te permita tomar opções na verdadeira acepção da palavra e sem margem para arrependimentos. Sim, porque aquela milonga do “não me arrependo de nada que fiz, só me arrependo daquilo que não fiz” é um mero chavão e, acima de tudo, é tanga !)


Então se não há margem para arrependimento, como é que vamos dizer que nos arrependemos de algo que fizemos? I need a translation here.

Não penso que amizade seja sinónimo de instabilidade. Uma amizade tem uma liberdade de formatação que o casamento, definitivamente, não tem. Dou o exemplo de numa noite uma pessoa ter várias hipóteses de estar com diversas pessoas amigas e escolher, efectivamente, estar com uma delas. Ou uma delas escolher estar ou não connosco. Porém, numa amizade verdadeira (como a entendo por verdadeira, outros terão as suas verdades e serão muito felizes vivendo por elas ; ))) ), essa escolha não é (e dentro de um certo grau de exigência) condicionante da relação. O tempo numa amizade (DAquelas que não é uma corrida até À queca mais próxima para futuro abandono) não corre de forma tão contínua como no casamento. Por entender as minhas amizades como uma verdadeira responsabilidade afectiva não encaro o casamento de "mão-leve" (nada de pensamentos masturbatórios sobre isto). Desde a cedÊncia de esperma, passando pelo acompanhamento ao estrangeiro para fertilização, desde a cedência de guarida, a partilha de férias em conjunto e outros, as minhas amizades mais próximas têm actividades que poderiam ser organizadasp or quaisquer casais.

Com a diferença de que quando os dois carros saem da garagem de manhã nessa noite podem não voltar À mesma garagem os mesmos dois carros, pode voltar só o meu, ou até possi ir dormir a qq sítio fora de casa. E como em todos os casamentos, nem sempre "dormir" quer dizer "sexo" ; ))) ás vezes é mesmo dormir, pq se ficou até ás 4 da manhã na cavaqueira ; )))


Oh Grande Mahatma, Luz do Círculo da Vida, Quintessência do Fausto Telúrico,
O Programa da TVI é imperdível em termos psis. Resolveram fazer aquilo sem filtro e de uma vez por todas pode-se constatar a total ignorância que é a planta mais abundante deste belo jardim. Repara que pela 3ª vez consecutiva o tema absoluto das chamadas foi orgasmo. E depois chamam-me tarado. Já perceberam agora pessoal? É que é só aquilo. Orgasmo, orgasmo, orgasmo, orgasmo, onde está o meu orgasmo, pq é que não tenho orgasmo, pq é que ela não tem orgasmo, pq é que me doi, pq é que não sinto nada etc etc etc etc etc etc etc etc orgasmo, orgasmo, orgasmo, orgasmo. No mundo da fantasia do amor romântico ele anda aí à batelada, aos montes, aos molhos, como dezenas de rosas compradas ao vendedor indiano ; ) mas no mundo real, dos talk shows foreiros em directo ele tá lá, orgasmo feminino!!!!!!!!!!!!!!!!!!! E claro... quem é que devia ser responsável num coito por provocar o orgasmo à mulher? O GRANDE AMOR DA SUA VIDA, O PARCEIRO ; )))))))))

via láctea disse...

ainda vais ter de serrar muita pedra

antes de conseguir tirar leite

fora-de-lei disse...

noiseformind 11:46 AM

Quanto aos arrependimentos não percebi bem o que disseste, porque me parece teres dito coisas contraditórias...

Tens razão pois há aqui, de facto, uma aparente contradição. Anyway... o que eu queria dizer era qualquer coisa do estilo “tomar opções com a mínima margem de erro”

Mário Santos disse...

boas malta!
Hoje os posts estão particularmente inspirados. obrigado.

Em relação à tranquilidade da meia-idade, acho que ela só é possível quando conseguimos de alguma forma integrar as nódoas negras e fracassos de tentar pôr na prática os nossos projectos de forma a que, à luz dessas vivências, reafirmar aquilo que é realmente importante para nós.

Aos 40 tenho as mesmas convicções que tinha aos 25. Estou é mais humilde e menos ingénuo no que toca ao que se consegue construir, mas convicto de que vale a pena continuar.

abraço a todos (anónimos incluídos)

yulunga disse...

Pegando no que disse a Débora (9:13) "Nunca pensei, nem por um momento, em eventual desistência e muito menos resignação da sua parte!!! Essa seria outra pessoa...".

Essa seria outra pessoa?
E porque não: essa seria também a pessoa?
Desiste-se por bom senso, mas também se desiste por falta de forças.
Até o mais forte perde as forças por vezes e não deixa por isso de ser o mais forte.
Por vezes é tão cansativo ouvir: Tu és forte!
Tu vais conseguir, tu tens que conseguir!
Não quero ouvir um não da tua boca!
Tu dás sempre força a todos, também tens que a ter para ti!
Nem pensar, esse não és tu!
Não, e não! Por vezes temos que naufragar e queremos que os amigos nos vigiem nesse naufrágio, mas que nos deixem naufragar.
Por vezes é tão necessário que nos animem como é importante que se juntem ao nosso carpir.

Anónimo disse...

mário santos

abraço

-Stardust- disse...

Bom dia, Prof e Maranhal!

Estes são os melhores posts!
Não que achasse que o professor tinha desistido, mas porque é sempre bonito ver como põe, em verdadeira aguarela de palavras, (mais) um bocadinho de si! Assim, especialmente para si, o meu muito obrigada! :)
(sem pânicos nem vergonhas!)

Noise (12:32am),

lindo! :) Mais que nada, por fazeres o que realmente queres. A questão da companheira, se te fizer sentir como nunca, vai ser encaixada em todos os teus objectivos, sem quase te dares conta de que estás, afinal, a fazer certas opções/cedências! E só assim vale a pena fazê-las.

Pamina,

já tinha deixado uma vez, aqui nos comentários do Murcon, o mesmo excerto desse poema. É magnífico! E hoje foi a cereja no topo do bolo! :)

-Stardust- disse...

Que é como quem diz... porque eu nem gosto muito de cerejas em cima dos bolinhos! :)

TR disse...

...tenho sempre a deliciosa sensação de que estou prestes a naufragar... e ao mesmo tempo a estranha certeza de que ainda não é desta...

Paula disse...

Faço minhas algumas das coisas já ditas aqui, nomeadamente:

Andorinha (8:48 PM)

"Navegar como tem feito ao longo da vida, quantas vezes contra a corrente, faz de si a pessoa que todos aqui apreciamos e por quem sentimos enorme carinho."

Ram (10:11 PM)

"... mas a verdadeira plenitude reside na capacidade de estabelecer a síntese da existência e do ser, com a convicção de que as plenitudes se encontram tantas vez ao alcance de um mero estender de mão, na blandícia de um olhar, nos lábios de alguém que pronuncia docemente o nosso nome e diz: "Vem!""

Yulunga (9:52 AM)

"Acho que todos lemos este texto e é como se tivessemos a desfolhar o nosso albúm de fotos.
Numa frase ou numa palavra todos nos identificamos um bocadinho; e depois dá um aperto no peito..."

Mário Santos (1:12 PM)

"Aos 40 tenho as mesmas convicções que tinha aos 25. Estou é mais humilde e menos ingénuo no que toca ao que se consegue construir, mas convicto de que vale a pena continuar."



Anônimo disse...( 11:53 PM)

"Volto à questão qye levantei ontem dos comentários que fogem do post, para dizer que, se venho aqui, não é por ser masoquista mas porque gosto muito dos posts do prof. JMV e às vezes gostaria de participar numa conversa sobre eles. Acontece que acaba sempre por acontecer o mesmo (conversa desconversada de um grupo de amigos) e tenho pena . Têm esse direito, é bonito para vocês, mas acho que o Murcon merecia melhor. (mantenho o anonimato pela simples razão de não me apetecer ver o meu nome crucificado - pela amostra de ontem, seria pior que isso)."

Já reparou que aqui se conversa (se conversa, e não discursa) à volta dos posts do Professor? Os comentários deste post são um bom exemplo disso, acho. Afinal, se tivesse numa conversa entre amigos gostaria/apreciaria que lhe dissessem: "Não, isso não interessa, não faz parte do tema da conversa." ?! :-) Junte-se mas é à conversa!


Noise (12:32 AM)

"Encontrando alguém que pense como eu é que é o verdadeiro problema. "

Nunca se encontra alguém que pense como nós! Isso é algo que o amor romântico nos 'impingiu'. Podemos sim encontrar alguém com quem, apesar das diferenças, nos sentimos bem. E Amar, é gostar de alguém apesar das diferenças, e sem querer (nem necessitar) que essa pessoa se transforme no 'nosso ideal'.


A Todos

Confesso que começo a sentir que muitas das pessoas daqui fazem parte da minha família afectiva.

Fiquem bem!

yulunga disse...

Paula
Obrigada por teres pegado nessa frase.
Pois é... É estivessemos a desfolhar e não tivessemos.
Enganos perdoaveis, julgo eu.

Anónimo disse...

A B Sexo

A sra. dra. q apresenta o programa da TVI pode ser fracalhota, mas acho q o programa atinge o objectivo pretendido, q é ter uma audiência numerosa num horario +/- aceitavel. Pelo menos existe ali alguém a quem as pessoas podem fazer perguntas pelo telefone. Ou pessoalmente, como foi o caso de 1 indivíduo presente no estudio q teve a CORAGEM de dar a cara ao dizer à frente de todos q a sua mulher nunca atinge o orgasmo.

Mas acho q a solução avançada pela sra. dra. não será a + viável pois aconselhou o indivíduo a estimular o clitoris da mulher em simultaneo com a penetração. E se ela não estiver afim disso ??? E se ela lhe disser que se assim é então não valia a pena ela ter casado. Continuava sozinha e sozinha se desenrascava. Eu tenho esse problema com a minha esposa e acabo por lhe dar razao. Tenho um penis de tamanho normal, sou mt carinhoso com ela mas realmente se ela não se consegue vir através do acto sexual normal por + preliminares q existam e só consegue vir-se com a estimulação simultanea do clitoris, então ela tem razao qd diz q + valia estar solteira e masturbar-se a ela propria. Para isto ninguém tem soluçao.

naoseiquenome usar disse...

Permitam-me mas não resisto a deixar aqui uma passagem de António ramos Rosa in "Não dissemos as palavras mais simples", à guisa de eufemismo, ou aforismo, sei lá, sobre o sentido da navegação e o divergir quase inevitável para a sexualidade:
"(...)do ventre o arranque para a primeira explosão no mar eo muro
onde o tempo se condensa como um navio suspenso sobre o mar vertical"
Abraços

tripeirinha disse...

Porque é que as fotos do jantar de lisboa desapareceram do site onde já estiveram ? Estranho... esta malta de lisboa é mesmo muito estranha.

Paula disse...

tripeirinha

Acho que se esqueceu de fazer refresh... ;-)

fora-de-lei disse...

yulunga 1:21 PM

“Por vezes é tão cansativo ouvir: tu és forte! Tu vais conseguir, tu tens que conseguir! Não quero ouvir um não da tua boca! Tu dás sempre força a todos, também tens que a ter para ti! Nem pensar, esse não és tu!”

Está visto que tu não és daquelas que procuram o sucesso a qualquer preço. Então, desculpa que te diga, és uma fraca... ;-))

TMara disse...

melhor objectivo não haverá. esse leva smp a algum porto. bom feriado.

tripeirinha disse...

Já não é a primeira vez que esta minha fobia aos "mouros" me leva a dar certas barracadas... :)

jb disse...

marear - que se faz ao mar.
almarear - que enjoa no mar

Imobiliária Purim disse...

Lindo T1 na Graça
Bista para o Nuorte
Muito usado
Sem acabamentos
Aceita tripeiros

jb disse...

"Cabe-lhe a responsabilidade de aceitar o meu obrigado pela ternura de todos vocês:)))))."


Até no agradecimento é pedante.
Ai narciso arrogante disfarçado de "gente boa".

Anónimo disse...

jb

mareando almareias-me

Anónimo disse...

Elizabeth
Não sei,mas penso que existe alguem com dor de cotovelo do Mestre. Que estranho, e feio.
Abraços

1313 disse...

bom blog feriado spot

elisa disse...

Tenho vindo aqui quase, quase todos os dias ler os posts do prof. e espreitar, curiosa, os comentários do maralhal.
Hoje (sem razão aparente) apetece-me deixar marca da minha visita, Mas, sem inspiração e sem palavras inteligentes, resta-me apenas deixar ficar beijinhos e votos de bom feriado a toda esta boa gente que por aqui, passa, pára e conversa:)!!!

andorinha disse...

Olá a todos.

Noise (12.32)
Gostei da tua ruminação, do facto de partilhares connosco parte do teu mundo e das tuas vivências. Estás muito mais solto, miúdo:) e é muito mais interessante ler-te agora.

Yulunga(9.52)
"...e depois dá um aperto no peito..."
Então não dá? É mesmo uma coisa física...

Paula (2.12)
Excelentes as respostas ao anónimo e ao Noise.
Conversar é isso mesmo, falar de alhos e bugalhos; aqui não existe "ordem de trabalhos" que tenha que ser seguida.:)e isso é um dos prazeres desta tertúlia.
E seja bem vindo quem vier por bem...:)

"Nunca se encontra alguém que pense como nós! Isso é algo que o amor romântico nos impingiu".
Boa, Paula, concordo contigo.
Mas atenção: olha que estás a atingir o Noise no seu domínio.:)))Ninguém se identifica totalmente connosco;isso é uma miragem que pode conduzir a muito desencanto e a muitas frustrações.

Referes, por último, que sentes que muitas pessoas aqui fazem parte da tua família afectiva.
Sinto o mesmo, já há muito.
Seria para mim impensável perder o contacto com vocês.
A tribo dos afectos somos nós que a escolhemos e a esta já estou ligada por laços muito fortes.
Sei que estou a repetir o que o Júlio disse um dia, mas gosto mesmo muito de vocês.:)

Manolo Heredia disse...

Hoje, até o Professor precisa de "colinho"! De tanto dar, ficou com falta!
Aonde estão as mulheres deste Reino?

Manolo Heredia disse...

Quem é nossa Alma Gêmea ?

É uma pessoa que se identifica muito com agente. Dá aquela impressão de que nós conhecíamos já há muito tempo, mesmo só fazendo dois dias. Pensa as mesmas loucuras... parece que nos entende melhor do que nós mesmo.

Enfim, é alguém que encaixa muito bem com nossos ideais, nossas idéias, que acrescenta muita coisa, ajuda a gente a crescer. E reciprocamente a coisa acontece igual.

Uma série de exigência cercam essa relação: Esperamos que ele seja nosso companheiro, que construa junto com a gente nossa vida. Atraente, sedutor, que nos envolva emocionalmente. Determinado, centrado nos próprios ideais e cúmplice nos nossos projetos. E por fim, que nos dê o sentido de nossa vida. Essa relação fica muito ideal, e muito difícil de acontecer, se nós mesmos não conseguirmos ser tudo isto que agente espera do outro.

Google

lobices disse...

...há uns dias atrás deixei dito que ia ali e viria já...
...assim foi...fiz uma pausa para ver se me encontrava...
...não vos sei responder; não é fácil encontrarmo-nos a nós mesmos quando nos procurámos noutras alturas já; olha-se e vemo-nos da mesma forma, apenas com algo mais para ver, talvez uma ruga ou um esgar de espanto por constatar a sua existência...
...mas não nos encontramos jamais
...essa paz que procuramos a todo o momento não existe
...resta-nos deixermo-nos ir com e na brisa, ao sabor do vento, sendo a folha e não esse mesmo vento...
...hoje "regressei" aqui a este "nosso" canto e deparo com um dos mais bonitos textos do nosso amigo Profe (os meus sinceros parabéns, Júlio, pela forma da luz que nos "pinta" nesse quadro)
...
...e os comentários que se lhe seguem pisam a mesma esteira; não quero ficar atrás; vou com todos e deixo-vos um texto (que não sendo meu é como se fosse) que reflecte o que penso desse caminhar com a brisa; aqui, é apenas uma outra forma com um título "Amar como o vento":
...
"Em cada relação que começa, a vida e o amor renascem. A paixão coloca cada pessoa num ponto alto e excepcional, inevitável e imperdível. Gostosamente. Mas as pessoas no seu melhor vêm depois, às vezes muito depois, quando se chora e luta, quando se aceita e se resiste, quando se constrói e quando se acredita. As verdadeiras relações, os grandes amores são sempre virtuais. Não por serem irreais, antes por serem imateriais, apesar de nos darem a ilusão de um corpo, de um suporte material que tocamos e possuímos, que acreditamos nosso, real, físico, material. Sentimos amor, quase conseguimos tocar, agarrar essa sensação. Dizemos convictos que é real. Olhamos o outro nos olhos e parece real, parece que o outro ali está e nos ama mais que nós... Mas ver, sentir, tocar, são formas de aceder ao amor, ascensores, facilitadores. Difícil mesmo é planar. As relações são feitas de ar, planar. É no vento que se ama. Talvez ser o próprio vento, e não a folha. Vê-se melhor o que é amar quando é difícil amar, aceitar que é sempre mais do que improvavelmente, um esforço, um desejo, um empenho pessoal em algo que materialmente não existe, não é palpável nem mesmo se sente. Nunca se ama realmente, a realidade do amor é nunca ser real. Virtual. No dia a dia, corpo a corpo, sonha-se o amor, sonha-se um amor virtual, que se não for virtual não é amor. Virtual porque não depende da presença do outro, da aparência do outro, do comportamento do outro. Um amar que perdura e se sustenta (Vento) mesmo quando não vemos o outro. Amar é memória, antecipação e crença profunda em memórias que hão-de vir. Virar a cara a quem nos vira a cara, sabemos todos que é real, bem concrecto, mas não é amar. Ama-se mesmo quem não nos ama e nos quer deixar. É na paciência, na persistência que se mede o amor. Amar é escolher amar. Depende de quem ama e não de quem é amado. Depende do esforço e disponibilidade de quem ama. Ninguém merece ser amado, porque ninguém pode deixar de merecer ser amado. Não depende do mérito, não depende do comportamento, não se vê nem se comprova. Posso ter que silenciar, posso ter de partir... vai comigo o amor."

lobices disse...

Reforço a base da ideia:
...
Ama-se mesmo quem não nos ama e nos quer deixar. É na paciência, na persistência que se mede o amor. Amar é escolher amar. Depende de quem ama e não de quem é amado. Depende do esforço e disponibilidade de quem ama. Ninguém merece ser amado, porque ninguém pode deixar de merecer ser amado.

yulunga disse...

fora da lei
(3:43)
"Está visto que tu não és daquelas que procuram o sucesso a qualquer preço. Então, desculpa que te diga, és uma fraca... ;-))"

E não é que tens razão?
E não é que sou mesmo?

E não é que tinhas razão?
"Lixei-me" com a minha inteligência emocional.

Por motivo de férias impostas...
Até um dia destes maralhal.
Boas blogadas.

Teresocas disse...

AB... Sexo

Saliva..... use muita saliva para lubrificar a sua parceira? Nunca tinha experimentado saliva? Saliva é o melhor lubrificante!

Fico a pensar na chegada ao emprego hoje do corajoso, saudado por um baner a dizer SALIVA!
Fico a pensar na pobre parceira espantada antes do acto. Mas seria necessário tanta SALIVA!?!?!?

Não sei se é assim que o país fica sexualmente mais feliz! mas também não sei como é.....

Pamina disse...

Boa tarde JMV
Boa tarde Maralhal

Andorinha(5.12):
Como se diz no Parlamento Inglês:"Hear,hear!"

Lobices(6.10/6.17):
Sê bem aparecido. Já estava um bocadinho preocupada contigo. Gostei da frase:"Ninguém merece ser amado, porque ninguém pode deixar de merecer ser amado."

Pamina disse...

Esqueci-me que amanhã é feriado.

Bom feriado para todos. Aproveitem o solinho e divirtam-se.

Até depois.

andorinha disse...

Yulunga,
Vais de férias? Outra vez????
Quantas vezes por ano tens férias?
Que inveja.:)
Vai-se notar a tua falta por aqui...
Mas pronto, boas férias.

andorinha disse...

Lobices,
Ainda bem que voltaste.:)
Fazes aqui falta, homem, a tertúlia precisa de ti.
Sentimos falta dos teus uivos.:)

Fora-de-Lei disse...

yulunga 6:39 PM

"Por motivo de férias impostas..."

Férias impostas ???

-Stardust- disse...

Yulunga,

férias impostas? Volta depressa, que és um dos nossos sóis! :)

yulunga disse...

Permitam-me deixar isto aqui.

IMPERATIVO NÃO VIRAR A CARA

http://www.ekincaglar.com/coin/flash-br.html

Fora-de-Lei disse...

andorinha 7:09 PM

"Yulunga, vais de férias ? Outra vez ??? Quantas vezes por ano tens férias ? Que inveja."

Oxalá eu esteja enganado, mas acho que não é essa propriamente a situação...

-Stardust- disse...

Yulunga,

brutal... :(

andorinha disse...

fora de lei (7.57)
Pois, se calhar não, até porque ela diz "férias impostas".
Já vi que me precipitei.:(

-Stardust- disse...

Entao? Calaram-se?! Estou a ficar preocupada...

noiseformind disse...

Yullie,
Não te preocupes que no fds vais receber a dose de miminhos adequada ; )
E "eles" que se fodam, passe o eufemismo ; )

Ameninadalua disse...

Lobices
Até que enfim que aparece.O vasio deixado pela sua ausência, ninguem ainda o tinha preenchido, até porque não podia.
Seja bem aparecido e principalmente com estas suas escritas arejadas...
É bom pensar que o amor tambem pode ser assim...

amok_she disse...

Julio Machado Vaz disse...

Noise,
Vai haver muita gente surpreendida com a toada desse comentário:). (...)

10:23 AM


...olhe q ñ, Prof, olhe q ñ!;-)...mas, a acontecer...só para os q andam a leste do paraíso!:->

amok_she disse...

noiseformind disse...
(...)ou até possi ir dormir a qq sítio fora de casa. E como em todos os casamentos, nem sempre "dormir" quer dizer "sexo" ; ))) ás vezes é mesmo dormir, pq se ficou até ás 4 da manhã na cavaqueira ; )))

11:46 AM


...este homem, de há uns tempos pra cá, anda-me nisto!...tesss...tesss...acho q os jantarinhos te andam a fazer...mal!:-> ...mas, tira o cavalinho da chuva!, pq a partir do momento em q adiras ao santo matrimónio 'tás feito!... "isso" acaba-se!...e venha de lá a mais pintada dizer q não...ou o mais pintado!:->

Lúcia disse...

Boa noite, Murcons.

O Prof. justificou, mais uma vez, o estarmos por aqui, como se estivéssemos à volta da lareira, com as castanhas a crepitar ao lume e uma jeropigunha consoladora.

Penso que não seria mal pensado que houvesse uma compilação de textos seus publicados no blog para um livro.

Nada a crescentar ao que foi dito pelos caros Murcons, a não ser que há dias que apetece vir aqui mais do que outros. Porque por vezes isto fica um cantinho muito ternurento e reconfortante nestas noites frescas de Outono.

Bom feriado a todos.

dreamer disse...

Olá Boa noite a todos

Que bom chegar aqui ...
Ler este belíssimo post e ouvir esta música que tanto gosto...
Também eu muitas vezes não sei qual é o meu objectivo...mas continuar sim, sempre em frente...

E Porty - Grande Capitão da Revolução ;)) - obrigada pelo tema "una palabra"...era um dos meus discos pedidos, remember?;)))


«I»Hey
Porty

Sempre viste o filme "O piano"??

E o filme Os diários de Che??

Lembrei-me disto agora porque adoro esta música do filme do Che bem como a letra...
Se houver lugar ainda para mais um...olha que é bonito...


Professor
Did you watch this movie? ;))


Carlos Varela
Una Palabra

Una palabra no dice nada
y al mismo tiempo lo esconde todo
igual que el viento que esconde el agua
como las flores que esconde el lodo.

Una mirada no dice nada
y al mismo tiempo lo dice todo
como la lluvia sobre tu cara
o el viejo mapa de algun tesoro.

Una verdad no dice nada
y al mismo tiempo lo esconde todo
como una hoguera que no se apaga
como una piedra que nace polvo.

Si un dia me faltas no sere nada
y al mismo tiempo lo sere todo
porque en tus ojos estan mis alas
y esta la orilla donde me ahogo,
porque en tus ojos estan mis alas
y esta la orilla donde me ahogo.«/I»

«b»Sweet dreams to all of you«/b»

dreamer disse...

Enganei-me nos itálios e bolds...
é de tanta emoção :)))
vou tentar de novo:
sweet dreams ;)))))

PortoCroft disse...

Dreamer,
É verdade.;)

Mas, estas musicas inicias, hoje, têm outro propósito.;))))))

Também gosto muito desta:

Bailar Pegados
Sergio Dalma

Bailar de lejos no es bailar
es como estar bailando solo
tu bailando en tu volcan
y a dos metros de ti
bailando yo en el polo.

Probemos una sola vez
bailar pegados como a fuego
abrazados al compás sin separar jamás
tu cuerpo de mi cuerpo.

Bailar pegados es bailar
igual que baila el mar
con los delfines
corazón con corazón
en un solo salón, dos bailarines.
Abrazadísimos los dos
acariciándonos
sintiéndonos la piel
nuestra balada va a sonar
vamos a probar, probar el arte
de volar.

Bailar pegados es bailar
Bailar pegados es bailar
es bailar.

Verás la música después
te va pidiendo un beso a gritos
y te sube por los pies
como algo que no ves
o que nunca se ha escrito.

Bailar pegados es bailar
igual que baila el mar
con los delfines
corazón con corazón
en un solo salón, dos bailarines.
Abrazadísimos los dos
acariciándonos
sintiéndonos la piel
nuestra balada va a sonar
vamos a probar, probar el arte
de volar.

Bailar pegados es bailar
Bailar pegados es bailar
es bailar.

Maite disse...

Professor
Diria que este post é à Lobices ;)
Muito intimista.
É caso para dizer que o mestre também aprende com os discípulos ;)))

A propósito...finalmente comecei a ler os seus livros ;) Quero dizer, comecei a ler "Muros", seguir-se-ão outros, tenho a certeza. Confesso que às tantas me senti perdida no meio de diálogos labirínticos, mas isso foi nas primeiras páginas, porque agora já encontrei o "caminho" :).
Termino com uma frase do livro que me ficou na memória "cada um é livre de escolher os seus naufrágios"

RAM disse...

Caro PortoCroft,

Bonito! :)

PortoCroft disse...

Caro RAM,
É. Muito bonito.;)

dreamer disse...

Porty

Também percebi isso;))

A letra do Bailar Pegados também é muito especial e muito bonita.
Gostei muito.
Na maior parte das vezes estou mais atenta às letras do que à música em si.
Sonhadora e romântica...

El toro y la luna...só apetece dançar:)))

Lusco_Fusco disse...

Mahatma Machado Vaz
A propósito do post já escrevi, mas acho que esta frase também pode ajudar

"Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o bem que poderíamos conquistar se não fosse o medo de errar".

(Willian Shakespeare)

Não me parece que isso tenha muito a ver com a idade, talvez em parte também tenha, mas principalmente com a nossa formação.
Já tive oportunidade de dizer, e repito-me, acho-o uma pessoa bem formada.
Sinto carinho e simpatia pelo ser humano que é (desinteressado, note-se). Espero que descubra o caminho que o faça mais feliz.

Um abraço a todos até ao próximo post
MJ

PortoCroft disse...

Dreamer,;))))
Pois é. Tanta coisa se pode dizer muito melhor por música. ;))))

Maite,
Long time no see.;)

Ainda hei-de ir ver o contexto, mas olhe que discordo da frase do Professor. ;)

Lusco_Fusco,
Erremos. Erremos muito. Quem nunca errou não viveu. ;)

dreamer disse...

Como são quase inexplicáveis os segredos do nosso cérebro! Vejam como conseguem ler isto, com facilidade:



Sguedno um etsduo da Uinvesriadde de Cmabgirde, a oderm das lertas nas pavralas não tem ipmortnacia qsuae nnhuema. O que ipmrtoa é que a prmiiera e a utlima lreta etsajem no lcoal cetro. De rseto, pdoe ler tduo sem gardnes dfiilcuddaes... Itso é prouqe o crebéro lê as pavralas cmoo um tdoo e não lreta por lerta.

Chi dinfe es achu mimer weider ertsaunlcih, wsa Pyshcologen so allse heruasfinden.

Bnos snohns :))))

azia disse...

da hipótese de ser eu a carregar no play

andava saltitando descontraído e de cigarro ao canto da boca de blog para blogue, acompanhado pelo som dos tinariwen. de quando em vez, e é sempre mais uma razão para me furtar ao trabalho, percorro a lista à direita de uma ponta à outra.

os blogues têm as suas manias e vejo que há uma sede grande, umas vezes de exibição, noutras de partilha e conselho, de mostrar o que se anda a ler mas sobretudo a ouvir.

e confesso até que, das vezes que me pus a investigar, já descobri coisas boas através deste sistema.

mas estava eu a ler o murcon, confortavelmente instalado numa cadeira almofadada que aqui tenho, a fumar o meu cigarro e a beber a minha caneca de chá verde (faltava-me o cognac ou um whisky para a construção da personagem) eis senão quando dispara o carlos varela aos berros do meu computador. confesso que dei uma salto da cadeira, o meu coração acelerou, e durante uns parcos segundos não percebi o que se passava.

estou farto que me dêem música. restaurantes, centros comerciais, lojas, na rua, o governo e agora até os blogues.

por favor, dêem-me ao menos a hipótese de ser a carregar no play.

PortoCroft disse...

Azia,
Pelo que o whisky não é aconselhável, no seu caso, que tal beber uns sais de frutos e clicar no Stop? ;)

dreamer disse...

Grande Guardião :))))

Paula disse...

Anônimo disse... (2:54 PM)
A B Sexo


"Mas acho q a solução avançada pela sra. dra. não será a + viável pois aconselhou o indivíduo a estimular o clitoris da mulher em simultaneo com a penetração. E se ela não estiver afim disso ??? E se ela lhe disser que se assim é então não valia a pena ela ter casado. Continuava sozinha e sozinha se desenrascava."

Desculpe-me mas nao resisto a meter-me consigo... :-)

O senhor e a sua mulher devem ter um grande nível de interactividade com vibradores, mãos, bonecos/as insuflaveis e o que mais vos aprover. Para estar a comparar dessa maneira a experiência de sexo com outra pessoa com masturbação....

mtc disse...

Porty

Gostas de Wim Mertens?
Just asking;))

PortoCroft disse...

calma_matinal,
Nim. Não tenho ideia de... Averiguarei. ;)

mtc disse...

Porty

Estou a tentar construir a minha choupana virtual
Pela noite fora:))
Could get by...with a little help from my friends...

Depois, se gostares de Wim Mertens(of course) digo-te quais as minhas faixas favoritas;))

dreamer

PortoCroft disse...

calma_matinal,
No que me for possível ajudar... Suborna-me que eu deixo. ;))))))

mtc disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
RAM disse...

Caro PortoCroft,

Eu subscrevo a "calma matinal".
Wim Mertens ficava bem...
Proponho: "Wia", "Houfnice", "Hufhuf" ou "Iris" do "Strategie de la rupture"...
... melodias quase etéreas...

Anónimo disse...

E alguém sabe como se chama o tema do programa da Ana Sousa Dias? Do Mertens, claro :)

mtc disse...

Ainda bem que gostas,Ram
Já somos dois;)
Pois então: Wia, Houfnice e Hufhuf...

Também são essas as minhas preferidas:)

J.M.Broekman about Wim Mertens: "Contemporary music seldom evokes philosophical reflections upon the Arts, yet the exquisiteness of the music of Wim Mertens demands it."

mtc disse...

Anónimo 2.18
Se não me engano:
Hufhuf
;)

RAM disse...

Car@ calma matinal,

Estaria Wim Mertens a pensar em JM Broekman quando editou "The Belly of an Architect"? :)))

mtc disse...

Car@ Ram
Belly of an architect: An American architect arrives in Italy, supervising an expedition for a French architect, Boullée, who is famous for his oval structures...

Who knows...;)))

RAM disse...

Dear (palavra neutra quanto ao género :)))) calma matinal,


Peter Greenaway's movie?! :)))
A beleza da associação entre sentimentos transmitidos pela luz e percepcionados nas sonoridades...

É como a beleza de uma mulher ofertada na luz que nos entra pelos olhos, conjugada com o paradoxo interior de calma/ansiedade que gera a voz doce que nos acolhe no seu seio...

Para acompanhar: Opening, de Philip Glass...

noiseformind disse...

Amok, normalmente afogas-te nas tuas próprias diatribes e deixas-nos durante uns meses. Ainda bem que desta vez não é o caso e que pelo menos eu etereamente te prendo, como amarras ao cais, mesmo que continues sem dizer nada de específico sobre coisa alguma ; )))

A e. é que não aguentou e é caso para dizer "Nunca mais a vi", como aquele anúncio velhinho da TMN, da vaca desaparecida. Não que esteja a estabelecer termos de comparação entre a vaca e a e., muito pelo contrário. Como é sabido cada vaca tem o seu padrão de distribuição cromática de manchas único, e assim uma vaca não pode copiar aquilo que é apanágio de outra pois isso obedece a determinismos genéticos, alimentares e ambientais. Mas pronto, adiante.

Amanhã, como é sabido, não é feriado aqui em Barça, portanto há que trabalhar no duro pessoal ; )


A Lúcia disse-o e eu alinho já ; ) MAGUSTO DO MURCON looooooooooool loooooool looooooool looooooooool looooooooool
Esta franchise nunca mais acaba. Ou muito me engano ou daqui a uns tempos vamos ter os baby-Émes, fruto dos relacionamentos intelectualmente (e genitalmente) intensos provocados pelo blog.


Depois de praticamente um ano de valorização contínua as acções da Toll Brothers estavan a vir por aí abaixo. E de repente, os muito bem-vindos furacões para salvar aqui o investimento do miúdo. Louvado sejas Katrina ; )))))))) VIVA O CAPITALISMO!!!!!!!!!!!!!

vaca da TMN disse...

2 Tanz Theater Wuppertal Pina Bausch em jejum e 2 a cada refeição.

Desejam-se melhoras

De Barça Só o Deco disse...

Este tipo tem dupla personalidade!

Ronaldinho disse...

Deco fez o terceiro numa inovadora deixadinha e o Barça lidera sua chave.

Bom jogo!

deco disse...

"As pessoas reais estão repletas de seres imaginários"

Graham Greene

lobices disse...

...to Maité at 11.47 PM:
...cito:
...
Professor
Diria que este post é à Lobices ;)
Muito intimista.
É caso para dizer que o mestre também aprende com os discípulos ;)))...

...
...Maité:
...my God!... esse teu comentário é uma estrondosa honra para mim mas acredita que o mestre nosso amigo profe não "aprendeu" com o discípulo; ele é assim: intimista (o que não quer é que se saiba)
...mas de vez em quando lá vai deixando sair uma ou outra demonstração das suas próprias "lobices" que, como toda a gente sabe, para mim, significa: meiguices de "lobo" e não só...
...
abreijos e um voto de bom feriado

de barça só o deco disse...

:))))))))))

Paula disse...

Para quem possa achar que Portugal não é racista:

"Há coisas que basta reproduzir, sem mais:

«Em declarações ao PÚBLICO, no âmbito de um trabalho do jornalista Ricardo Dias Felner, publicado a propósito do vigésimo aniversário do Centro Comercial das Amoreiras, a sua directora de marketing, Maria Galvão Sousa, refere-se à descida do número de frequentadores do centro para explicar que não o considera preocupante e acrescenta que ele teve mesmo um lado positivo: traduziu-se no desaparecimento dos frequentadores "de cor".Diz Maria Galvão Sousa: "Nós tínhamos pessoas de cor - é chato dizer isto, e eu não tenho nada contra as pessoas de cor - e deixámos de ter. Portanto, esta quebra de três por cento até foi bem-vinda."» (crónica de José Vítor Malheiros no Público de hoje)

A empresa teve a decência de afastar a senhora das suas funções. Mas JVM diz, e com razão: «há pessoas que são afastadas para fora, outras para baixo, outras para o lado e outras até para cima.»"

Do blog de Miguel Vale de Almeida, http://valedealmeida.blogspot.com/

PortoCroft disse...

Paula,
Portugal não tem nada disso.

Não seja má lingua. Então acredita que isso possa ser verdade? No país, provavelmente, mais mestiçado da Europa, essas coisas não acontecem. ;)

Ó António Costa, explica aí... Quando chegas a Primeiro-Ministro? :(

PortoCroft disse...

«há pessoas que são afastadas para fora, outras para baixo, outras para o lado e outras até para cima.»"

Mas, o JVM também não descobriu a pólvora. O Peter Roff, se bem me lembro, já tinha explicado isso muito bem. ;)

Paula disse...

PortoCroft

Pois é, é um engano concerteza, só pode! ;-)))))) Se já no tempo das Descobertas se incentivavam os casamentos mistos. Assim nos diziam os livros da História oficial.

Racistas são os outros países, onde se pergunta a raça das pessoas, se procura às vezes pessoas de outras raças que não brancas para certos postos (polícia p.e.), etc, etc. Aqui nem nos censos não se pergunta a raça, que horror!!!!!

Paula disse...

Quem é o Peter Roff?

PortoCroft disse...

Paula,
Foi o rapazinho que escreveu: "The Peter Principles". Lá ele explica, muito bem como fazer com que um indivíduo atinja o seu nível de incompetência (o tal afastamento para cima de que fala o JVM).

Paula disse...

PortoCroft,

Obrigada, hei-de ir espreitar.

andorinha disse...

Olá! Bom dia e bom feriado!

Noise(6.44)

Magusto do Murcon - alinho entusiasticamente.
Vá, trata de começar a organizar.:)))))

"Ou muito me engano ou daqui a uns tempos vamos ter os baby-Émes, fruto dos relacionamentos intelectualmente ( e genitalmente) intensos provocados pelo blog".

LooooooooooooooooooooooooooL!

Paula (11.45)
É incrível como pessoas com responsabilidades são capazes de produzir esse tipo de afirmações.
E assim vai este país...:(

Até mais logo, gente.
Vou curtir o feriado.:)

PortoCroft disse...

Paula - (12:40 PM)
Por coincidência, ainda ontem num canal canal digital aqui do Reino, passou um documentário sobre uma miúda, muda, que incapacitada de exercer as funções regulares dum polícia, nem por isso foi impedida de ser admitida na Força. Foi treinada e colocada no departamento que recolhe evidências de crimes.

Uma optima resposta para aqueles que consideram os deficientes como incapazes de serem úteis à sociedade.

thecoolestblog disse...

Visit http://www.filmekl.3x.ro/ and download free movies!! - dont't forget, bookmark http://www.filmekl.3x.ro/. Visit http://www.filmekl.3x.ro/ and register, it's totally free ! http://www.filmekl.3x.ro/

noiseformind disse...

Paula, paula, paula... que inocente. Não reparaste que a senhora não foi despedida? Alteraram-lhe as funções e tá a andar. É que ela fez uma publicidade impagável ás Amoreiras, enviando a mensagem a todos os potenciais clientes da "Alta de Lisboa" que podem ir lá sem se preocuparem com essa pretalhada. Aliás, alguém fez manifestações À porta das Amoreiras contra essa atitude racista? Claro que não! Os negros aceitam essa realidade e os brancos tb a aceitam. Uma dança bem sabida pelos dois pares ; (

ameninadalua disse...

Boa tarde!
Isto aqui está muito animado em termos música... está muito alegre!!!! mete dança e tudo! :))))

Maite disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Maite disse...

Portocroft 12.28AM
Acho que irá concordar quando encontrar o contexto onde ela está inserida ;)
Mas mesmo descontextualizada não deixa de encerrar o seu quê de verdade.

Lobices 10.57AM
Claro que concordo com tudo:)
Mas tenho a certeza que o Professor também aprenderá alguma coisa com muita gente que por aqui passa. Embora sejemos nós quem mais aprende com ele.

AH mas há uma coisa com a qual eu estou veementemente em desacordo: o acento no meu nick :(

Boa noite a ambos e a todos que ainda por aqui passarem :)
(já vi que há um novo post)

PortoCroft disse...

Maite,
Num contexto específico, até posso concordar. Descontextualizada, a frase é demasiado ambígua.

O triste é que, na realidade, a esmagadora maioria nem sequer é verdadeiramente livre de escolher a sua "navegabilidade".

Lótus disse...

Belíssimas palavras... belíssimas imagens .. as q me transmitiu
Há quem pinte com as letras..
Naveguei um pouco também e senti o vento q me despenteia .. e não será isso suficiente .. sentir .. viver?
Obrigada :)*

Lótus disse...

Jokas para todos os q reencontro por aqui .. já vos sentia na saudade ;) **