quinta-feira, fevereiro 09, 2006

Cortesia da Pamina:).

Tal como entraste e disseste olá,

e saíste das tuas roupas e das tuas palavras



(a penúltima coisa que despiste à minha frente

foi a palavra “querido”

e a última um sorriso; então

abriste parênteses e eu entrei

e fechaste-os)



assim também te foste, agasalhaste-te

apenas com palavras de despedida

demasiado finas e estremeceste.



Herman de Coninck

35 comentários:

moon disse...

Belíssimo. Obrigado Pamina!
Beijinhos

noiseformind disse...

Tal como os poemas de Eugénio, é totalmente impossível quer mapear géneros quer estereótipos. O poema indicado para o dia em que estreia Brokeback Mountain ; ))))))))

Já me imagino lá no escuro a ouvir o resfolear dos casalinhos homo. Mas responderei não com indignação mas sim com o meu resfolear hetero ; )))))))))))))

fora-de-lei disse...

Dank, Pamina !

De lenige liefde

Zoals je binnenkwam en dag zei,
en uit je kleren en je woorden stapte

(het voorlaatste wat je voor me uit-
deed was het woord 'lieveling'
en het laatste een glimlach; toen
opende je de haakjes en ik kwam erin
en je sloot ze)

zo ging je ook weer weg, trok
enkele veel te dunne woorden
van afscheid om je heen
en rilde.

Julio Machado Vaz disse...

Noise,
Ts, ts, essa necessidade de afirmação hetero:). E ainda por cima a "resfolear"!

fora-de-lei disse...

noiseformind 2:48 PM

"O poema indicado para o dia em que estreia Brokeback Mountain"

Broke(n) = quebrado
Back = traseiro
Mountain = montanha

Nome do filme = "A montanha do traseiro quebrado" ;-))

Olhar disse...

Obrigado a ambos, Professor e Pamina, por o partilharem:)
O erotismo na meiguice suave da cadência destas palavras, parece-me traduzir algum do sentir, de todos os géneros...

noiseformind disse...

Fora-de-lei,
Essa mente perversa bissexual que é a tua não terá limites na sua depravação? Back quer dizer "costas" e não traseiro. No máximo poderia ser "A montanha onde se parte as costas" (que até poderia acontecer num acto mais intenso ou com pessoas de mais idade) mas mesmo assim BrokeBack normalmente quer apenas dizer uma montanha ou monte bastante íngreme ; )))))))))))))

Para ser esse título que conjecturas teria de ser "BottomBreaker Mountain" ou então "AssBreaker Mountain".

Para me escudar de eventuais efeitos perversos na minha estrutura hetero (não acreditam que eles existam? Leiam as crónicas do MST que vão ver) provocados pelo filme tenho já agendada noite multi-hetero no Motel Havay, Suite Taity. Tudo para não dar desgostos à minha Santa Mãezinha ; )))))))))))))))))))))))) para ela antes saber-me no Havay que por baixo de um homem ; ))))))))))))))))

andorinha disse...

Boa tarde.

Sehr schön!
Vielen Dank, Pamina e Júlio.:)

Não conhecia este poeta, tentei ler alguma coisa, mas tudo o que encontrei está em flamengo, penso eu.

Fora de lei,
Quando ganhas juízo, homem?:))))

Angie disse...

Estive a pensar...e palpita-me que esta fúria postativa prenuncia grande actividade intelectual extra-blog.
As tarefas devem ser directamente proporcionais em volume, ao contrário do que pensamos.
Pelo que...acho que temos conferência à vista...
Temos?
:):):)

andorinha disse...

Noise,
Estás assim tão preocupado com os possíveis efeitos perversos na tua estrutura hetero?
Serão os efeitos colaterais assim tão gravosos? Looooooooooooooool

Onde está a tua habitual segurança, miúdo?:)))))))

Julio Machado Vaz disse...

Angie,
A próxima conferência é só em Março:). E o próximo livro também. Por isso, ainda estou longe de me poder candidatar a tratamento contra a ansiedade:(((( (snif!).

CêTê disse...

Ena ena! Livro e Março! CLAP, CLAP, CLAP.- Hummmmm, cheira-me a bluf1

Tenho uma amiga que assinava sim para superar os seus complexos:

abrir parênteses espaço ponto espaço fechar parênteses abrir parênteses espaço ponto fechar parênteses.


Dava qualquer coisa como



( . ) ( .)


Tinha complexos de ter uma glândula mamária maior do que a outra. LOOOOOOOL

PS- Nem sempre se pode "postar" com qualidade. 1/2 volta, volta e 1/2 tem de sair o disparate maior.
Jinhs e Boa Noite para todos.

`Quando é que neste café empregam um fulano como aquele da bandeja da menina da bilha? ;]]]]]

andorinha disse...

Júlio,
Não seja por isso...Março está já aí.
E se a ansiedade for forte, pode já ir pondo em prática o tratamento.:)))))))))))))

a sul disse...

já ausente?
muito frio
muito triste

Pamina disse...

Boa noite.

De nada/Graag gedaan.
Para a Andorinha e quem mais se interesse, o Herman de Coninck é o que nós chamaríamos um poeta belga. Como se um "belga" ler isto fica todo chateado, é melhor dizer, em termos politicamente correctos, que é um poeta flamengo. Nasceu em 1944 em Mechelen e faleceu em Lisboa, em 1997, quando participava, aqui em Portugal, num congresso sobre literatura. Era licenciado em Letras, foi professor e, posteriormente, redactor de duas revistas. Este poema foi publicado em 1969 no livro "De lenige liefde" que se poderá traduzir por "O amor maleável/ágil". A palavra "lenig" usa-se normalmente em relação a um ginasta ou trapezista, alguém cujo corpo é flexível.
Acho interessante o modo como o poema está construído à volta da "metáfora de roupa", o despir/vestir/destapar/tapar.

Lusco_Fusco disse...

Boa tarde!
Eu ia ser atrevida com o comentário do Mahatma á Angie, mas vou conter-me...lol
O veneno é muito deste lado :))))
Aconselho que vá fazendo uns treinos de contenção...:)
Mahatma, por quem me toma!!!! Yoga, sim senhor,para conter ansiedade ;)))

Gostei do poema e fui ler outros dele este por exemplo

Triângulo
Parecia uma boa relação triangular
eu gostava de ti
e de mim.

Eu gostava de ti como só se gosta
pela primeira vez: como se cada vez
fosse a última vez.

Eu gostava de ti e da maneira como tu,
lendo por cima dos meus ombros, sabias dizer:
Sim, senhor, que bem que escreves,
disso sabes tu, mas deixa-me ver.

E gostava de mim, ah como gostava
de mim depois disso, e que bom que era
ser eu próprio
nos teus braços.



Herman de Coninck
in "Hectares da Memória

Su disse...

entrei para dizer olá:)))
jocas maradas

Ameninadalua disse...

Lindo! Pamina!...mesmo Bonito!

Num "ar singelo" brincando num jogo sentido e profundo, saltando das palavras para os sentimentos e dos sentimentos para as palavras...

Professor obrigado tambem a si por o partilhar connosco...:)))

a sul disse...

Pamina, procurei o teu poeta e ainda encontrei mais da mesma delicada tristeza, bela, sem senão, com frases como esta (doutro poema):
‘E eis-me deitado na relva
segurando com os dedos
uma orelhinha onde vasava essa longa palavra
"queridíssima" sem a entornar’

E da roupa que falas, haverá algo mais punjente que os adereços com que nos revestimos de alto a baixo?
Mais deprimente?

Grata pelo poeta e pelo poema

Anónimo disse...

Então, com o frio que está lá fora, a miúda só levou por agasalho umas palavritas finitas? Ainda se fossem quentes... Não se livra de uma pneumonia, coitadita.
Não se faz, ai não senhor!

fora-de-lei disse...

andorinha 5:08 PM

"Fora-de-Lei, quando ganhas juízo, homem ?"

Meine Lieber Schwalbe, Sie wissen dass ich wirklich verrueckt bin...!

fora-de-lei disse...

noiseformind 4:43 PM

"Fora-de-Lei, back quer dizer "costas" e não traseiro."

Porra, pá... mas quem é que te mandou estragar a minha tradução livre ? ;-))

Vou deixar aqui mais um título possível, mas um pouco ao estilo Walt Disney abrasileirado: "Os dois vaqueiros viadões"

Anónimo disse...

Boomerangue,recado para ninguém:

Que pena não me poderes ler aqui, não poderes passar por esta rua e partilhares neste café os meus lábios. Nem sabes, nem sonhas que quanto mais te afasto mais te desejo perto de mim.
Dorme bem.
Um qualquer dia, num qualquer lugar, numa qualquer outra vida serei eu que estarei contigo ao amanhecer, "miúdo".

andorinha disse...

Fora de lei (11.00)
"Minha querida Andorinha, sabe que eu sou realmente maluco"- disseste tu.

E eu respondo, pois sei!
Mas não te podias regenerar?
Com um post com um poema tão bonito, só dizes disparates???
No outro dia estávamos nós a falar do almoço, começas a falar do levantamento spinolista...
Valha-ta Deus, homem, não tens mesmo sensibilidade nenhuma.:)))

P.S. E não te respondo em Alemão. Conversas privadas só por e-mail. Loooooooooooooool

Pamina disse...

Lusco Fusco e A sul,

Depois de ver os vossos comentários, fui procurar no Google em português. Encontrei os "Hectares da memória", que a Lusco Fusco refere, publicado pela Quetzal em 1996. Espero que ainda esteja à venda, para quem gostou destas pequenas "amostras" ter oportunidade de ficar a conhecer melhor este poeta.
Concordo que ele merece.:)

Lusco_Fusco disse...

Áchei lindo este também

Aqui
Não é preciso muito para morar.
Alguém que diga "aqui" face ao incomensurável.

E um medalhão sobre a lareira,
um retrato de passe. Tão pequeno
é o inesquecível.

Herman de Coninck

Aspásia disse...

Pamina, obrigada por dares a conhecer esse poeta de tanto valor e sensibilidade.


Quanto à dicussão sobre o "Brokeback",
de facto este nome não existe só em inglês. Cá em Portugal temos Becos, Travessas ou Escadinhas do Quebra-Costas em várias cidades como Lisboa, Coimbra, Évora e Torres Vedras. Esse nome derivou de esses caminhos, em geral, serem íngremes e acidentados, de modo que os transeuntes lá caíam muitas vezes. Também parece que “Costas” é um eufemismo…

Numa breve pesquisa, também vi que em Coimbra existe o Bar Quebra- Costas, junto das Escadinhas do mesmo nome - curiosamente um bar “gay-friendly”! Será que o Ang Lee passou por lá e se inspirou para o nome do filme? Sabe-se lá… Talvez algum murcónico coimbrão nos possa esclarecer…

fora-de-lei disse...

andorinha 11:38 PM

"Mas não te podias regenerar ?
Com um post com um poema tão bonito, só dizes disparates ???"


Em primeiro lugar, também não se trata propriamente de um poema assim tão fora do normal. Bonito, sim, talvez, mas nada do outro mundo. Ainda por cima quando há uma percentagem tão significativa de mulheres para as quais "abrir parêntesis" não as leva a lado nenhum... ;-))

Em segundo lugar, o meu apreço pelo poema "postado" foi de tal ordem que eu até me dei ao trabalho de o "repostar" na língua original. Mas para poder chegar ao flamish, foi grande o meu esforço para lembrar algo do rude afrikaans...

Em terceiro lugar, talvez movido por este tipo de questões linguísticas, achei por bem arranjar um título português para o filme mais falado na actualidade, aquele dos cowboys que confundem a cela do cavalo com o colinho do namorado.... ;-)) A bondade desta minha tarefa ficou comprovada pela empenhadíssima colaboração do Noise.

Só me arrependo (mas muito pouco...) desta última parte, pois - segundo parece - a crítica é cusensual quando diz tratar-se de uma bela estória de amor entre dois cowboys maricanos...

Andorinha, warum bist du immer so schlecht für mich ?!

fora-de-lei disse...

Aspásia 2:07 AM

Isso para não falarmos do "Antigo Retiro Quebra-Bilhas" em Lisboa (Campo Grande)...

http://www.quebrabilhas.com

Isabel Pietri disse...

cusensual??? :-))))

Gostei!

hehehehe...


Isabel

fora-de-lei disse...

Isabel Pietri 12:58 PM

Consensual ou não, eis a questão.

Noutras situações, até poderia ser "cãosensual". Mas neste caso concreto, só "cusensual" poderia ser a palavra ortograficamente correcta... ;-))

Aspásia disse...

Fora de Lei

Sim, tb me tinha lembrado do Quebra-Bilhas... outra versão...

E já que andamos às voltas com o Português...

"...cowboys que confundem a cela do cavalo com o colinho do namorado..."

Desculpa o reparo, mas vê lá "a cela do cavalo"... não queiras encarcerar o pobre bicho na cadeia, em que talvez estivesses pensando, visto estares fora da lei... ;))))))))))

fora-de-lei disse...

Aspásia 3:40 PM

Desculpa o reparo, mas vê lá "a cela do cavalo"...

Tens toda a razão. É "sela" e não "cela". Obrigado pelo concelho ! ;-))

andorinha disse...

Fora de lei(10.17)
Eu não sou má para ti, onde foste buscar essa ideia?:)
Apenas quero que te tornes numa pessoa ainda melhor.Looooooool

E já disse que não te respondo em Alemão; conversas semi-privadas só por e-mail.:))))))))))

atolle disse...

Analise a poema de Camões

> Teste de Português
> -Pedido de análise do poema
>
> Amor é fogo que arde sem se ver;
> É ferida que dói e não se sente;
> É um contentamento descontente;
> É dor que desatina sem doer.
>
> A Análise de uma aluna de 16 anos da Escola C+S da Rinchoa foi a
> seguinte:
>
> Ah!!! Camões!!!
> Se vivesses hoje em dia!
> Tomavas uns anti-piréticos;
> Uns quantos analgésicos;
> E Xanax ou Prozac para a depressão; Compravas um computador;
> Consultavas a página do Murcon; E descobririas, Que essas dores
> que sentias; Esses calores que te abrasavam; Essas mudanças de
> humor repentinas; Esses desatinos sem nexo; Não eram feridas de
> amor; Mas somente, Falta de sexo.
>