domingo, fevereiro 19, 2006

Sorry, maralhal:(.

Não desapareci por causa do Benfica. Ao que me disseram, quem joga assim pertence ao meio da tabela. Estive o dia todo em Congresso. Trabalhei e - bem mais importante! - revi velhos amigos. Alguns a passarem momentos maus, outros curiosos sobre os meus, todos de sorriso aberto. Os veteranos da Sociedade Portuguesa de Sexologia Clínica encontram-se cada vez menos. Mas continuam a repartir enorme carinho. Estive quase para não ir, arrepiou-me trocar Cantelães por Lisboa. E no entanto, em plena auto-estrada, exausto e chateado pela miséria que me relatavam de Guimarães, uma parte de mim ansiava pelo conforto da Invicta e outra congratulava-se por ter ido. Palmilhámos escolas, anfiteatros e bibliotecas. Como eles, orgulho-me das gerações que nos substituíram. E enquanto tiver genica para o fazer irei ter com eles a todo o lado, incluindo o Inferno. Sobretudo porque vejo o futuro com apreensão. A Sexologia arrisca-se a ser "engolida" pela Medicina Sexual, o que me horroriza. Se tal acontecer, a perspectiva multidisciplinar será substituída por uma visão terapêutica e anatomo-fisiológica que nunca chegará perto da palavra erotismo. (Muito menos do conceito, da realidade ou da sua representação, como em Romeu e Julieta de Zeffirelli...). Não imaginam como desejo estar enganado!
Sorry, maralhal, I missed you too.
But the bitch is back:)))))))))))).

39 comentários:

Isabel Pietri disse...

"A Sexologia arrisca-se a ser "engolida" pela Medicina Sexual, o que me horroriza. Se tal acontecer, a perspectiva multidisciplinar será substituída por uma visão terapêutica e anatomo-fisiológica que nunca chegará perto da palavra erotismo."

Pufff! Agora que "a coisa" começa a dar resultados, vamos substituir isto tudo por um conjunto de sintomas e tratamentos a la carte?

Os sex-psis continuam a existir mas apenas em consultório privado. É isso?

...

Hummm... já estou a ver o Noise a pedir meças ao Belmiro! ;-)))

CêTê disse...

1-"E enquanto tiver genica para o fazer irei ter com eles a todo o lado, incluindo o Inferno."-

Inferno segundo que prisma? Tudo dependerá de quem oprganiza esses espaços pós-mortem...


2- "A Sexologia arrisca-se a ser "engolida" pela Medicina Sexual, o que me horroriza. Se tal acontecer, a perspectiva multidisciplinar será substituída por uma visão terapêutica e anatomo-fisiológica que nunca chegará perto da palavra erotismo."- Ficará a Medicina mais rica e a Sexologia menos lírica.(provocação ;P)- Já prespectivou o mercado a conquistar pelas empresas farmacêuticas com a área que vão poder explorar? Comprimidinhos azuis e hormonas de substituição...
Mas a vingança chegará: a Medicina passará a um capítulo da Bioquímica.

3- "Estive quase para não ir, arrepiou-me trocar Cantelães por Lisboa. E no entanto, em plena auto-estrada, exausto e chateado pela miséria que me relatavam de Guimarães, uma parte de mim ansiava pelo conforto da Invicta e outra congratulava-se por ter ido."

Há sempre a vencer a inércia do hábito e do conforto e aquele instinto de conservar as memórias à nossa maneira. Mas depois sabe bem saber que coleccionámos mais um doce registo para recordar e apertámos mais um laço de histórias comuns.

(Ainda bem que está bem.;])

Bom resto de fds para todos, para si tb, claro!;]

Idiossincrasias disse...

Bom dia Professor,

E porque a felicidade são momentos, e porque hoje é Domingo, e porque chove, e porque é sempre agradável ouvi-lo/vos, mas mais agradável umas vezes que outras, e porque hoje foi - Excelente! - com tudo que a opinião possa ter de subjectiva, por pessoal e intransmissível, e também por nada, porque há pequenos nadas muito maiores que grandes tudos, e...

Desejo-lhe um dia prazeroso,

Ameninadalua disse...

Professor!

" A Sexologia arrisca-se a ser "engolida" pela Medicina Sexual, o que me horroriza. Se tal acontecer, a perspectiva multidisciplinar será substituída por uma visão terapêutica e anatomo-fisiológica que nunca chegará perto da palavra erotismo."
Eu tenho para mim que o seu posicionamento e a sua maneira de estar como especialista é de facto contrastante relativamente à maioria da mentalidade existente na classe médica...e eu sinto até por ter privado por razões pessoais com o meio...noto que esta sua observação não só é pertinente como fatalmente passível de ser concretizável...

O seu programa de hoje de "O amor é" mais uma vez continua a ser muito tocante, ternurento e divertido:))

Quanto a ontem! I missed you too!!!
Não chegou a ser um susto mas quase...:)))

dita disse...

Para um bom dia e a propósito do que escreveu, lembrei-me de David Mourão Ferreira
Desvio dos teus ombros o lençol,/que é feito de ternura amarrotada,/da frescura que vem depois do sol, /quando depois do sol não vem mais nada.../Olho a roupa no chão;que tempestade/há restos de ternura pelo meio,/como vultos perdidos na cidade/onde uma tempestade sobreveio.../Começas a vestir-te, lentamente,/e é ternura também que vou vestindo,/para enfrentar lá fora aquela gente/que da nossa ternura anda sorrindo.../Mas ninguém sonha a pressa com que nós/a despimos assim que estamos sós!

Gertrudes disse...

Menino Julinho,
estou muito ofendida com o seu post. Lá porque a menina Maria está de volta no Carnaval e o senhor doutor está a extravasar de ansiedade (e quiçá porque o Benfica perdeu) escusava de se dar a esses excessos e chamar-lhe nomes feios, muito feios...
Vocês homens são "cachorrinhos" que não conhecem o dono, é o que é...!
E porte-se bem aí no congresso que eu já ouvi dizer que essas coisas são uma pouca vergonha!
Nós logo estamos de volta ao Porto e eu levo-lhe aquela broa que adora e uns bifes desta carne que só há em Vieira. Por isso, se achar que merece, na volta talvez lhe faça um jantar de bifes com batatas fritas como tanto gosta, mas só se achar que merece...!
Bom regresso e conduza com cuidado que está um tempo terrível.

sereia disse...

Olá Prof.,
Lamento o que aconteceu com o seu Benfica..para mim - que sou sportinguista, mas não "doente" - as coisas correram melhores. Mudando de assunto, e falando de coisas bem mais importantes: o que nos diz acerca da possibilidade da Sexologia poder ser "engolida" pela Medicina Sexual, é de facto prova, de que nem sempre evolução é sinónimo de melhoria...
Será que o Sr., os seus colegas e demais entendidos a nível mundial, não conseguirão "travar" essa tendência??!! Ainda que pareça exagero, passaremos a corpos com problemas sexuais?? Se assim fôr Prof., prefiro não saír do meu mar...lá continuarei a cultivar o erotismo, a sedução, a química e os olhares que, às vezes, dispensam o debitar de palavras. Tanta coisa envolve a sexologia, será que estão todos loucos???

atolle disse...

As coisas estão a melhorar? Nao fiz nenhum estudo sobre isso. Congratulo-me pelo menos com novos métodos. A professora de Biologia do meu filho(6ºano) solicitou (em jeito de introdução ao tema da sexualidade), que anónimamente colocassem questoes sobre o tema. Ele que já sabe muitas cosias anseia por saber como se desenvolve um bébe na barriga da mae e veio-me contar que um dos pequenos colocolou o seguinte: " como se atinge o ponto "g"?e outro " como se excita uma mulher".? Hehehehe. Grande pequenada!
Vamos lá ver as respostas.Ontem, por sua vez contou-me que foi com os amigos ( sem perceber qual a motivação) ver uma revista pornográfica para o cemitério. Maldita educação judaico-cristã que nós herdamos.

sereia disse...

A propósito, um poema de Florbela Espanca,

Se tu viesses ver-me...

Se tu viesses ver-me hoje à tardinha
A essa hora dos mágicos cansaços,
Quando a noite de manso se avizinha,
E me prendesses toda nos teus braços...

Quando me lembra: esse sabor que tinha
A tua boca...o eco dos teus passos...
O teu riso de fonte...os teus abraços...
Os teus beijos...a tua mão na minha...

Se tu viesses quando, linda e louca,
Traça as linhas dulcíssimas dum beijo
E é de seda vermelha e canta e ri

E é como um cravo ao sol a minha boca...
Quando os olhos se me cerram de desejo...
E os meus braços se estendem para ti...


Um resto de bom dia para todos.

fora-de-lei disse...

"A Sexologia arrisca-se a ser "engolida" pela Medicina Sexual, o que me horroriza. Se tal acontecer, a perspectiva multidisciplinar será substituída por uma visão terapêutica e anatomo-fisiológica que nunca chegará perto da palavra erotismo."

Será mesmo assim ? Não haverá por aí um certo "desconforto" com a mudança ?! É que, para o Prof. Nuno Monteiro Pereira, urologista e presidente da Sociedade Portuguesa de Andrologia, a chamada medicina sexual é uma área interdisciplinar, ou seja trabalha com outras especialidades, entre elas ginecologia, endocrinologia, genética, psiquiatria e psicologia.

Se calhar, as perspectivas nem são assim tão diferentes. Assim fossem as perspectivas para o Glorioso... :-(

porta disse...

Às crises sexuais deverá dar-se o nome de Patologia. E aos pacientes o nome de doentes-membros. Contarão com o sector privado - duas erecções grátis ao fim de quatro prestações em conta bancária do grupo.

Julio Machado Vaz disse...

Fora-de-lei,
Que coincidência falar do Nuno! Ainda ontem estivemos a puxar pelas cabeças para arranjar datas para as minhas aulas no Curso de Medicina Sexual que em boa hora ele decidiu pôr de pé:). Entendamo-nos: não estou a apontar o dedo a pessoas em particular, mas à "ideologia" da Instituição Médica. Repare que todas as especialidades que refere... são médicas! Com excepção da Psicologia, é verdade, mas olhe que os psicólogos, mesmo os clínicos, não costumam ter vida fácil na sua relação com a Medicina. Repare nisto: eu ensino Socio-Antropologia Médica, ou seja, a Sociologia e a Antropologia aplicadas à Medicina e não "Medicina socio-antropológica". Debrucemo-nos sobre o léxico: fará sentido, no futuro, uma Sociedade Portuguesa de Medicina Sexual e outra de Sexologia Clínica? Não existirá uma duplicação? Por isso há muitos anos atrás defendi que a Sociedade devia chamar-se de Sexologia, com a Clínica a constituir "apenas" uma das suas áreas de intervenção. Manda a justiça admitir a abertura cada vez maior a outros saberes que se tentou e conseguiu praticar, mas as palavras têm o seu peso, até na percentagem relativa das diversas formações de base no conjunto dos sócios:)))). Sou um pessimista e por isso espero estar enganado, mas sempre que a Medicina reivindicou a hegemonia de uma área, pelos seus próprios objectivos práticos, acabou por lhe estreitar os horizontes culturais. O que é arrepiante e epistemologicamente impossível no que à sexualidade diz respeito.

atolle disse...

Por favor....que legislação há sobre a educação sexual nas escolas? Nunca entendo nada do ponto da situação..

andorinha disse...

Júlio,
Welcome back!
Mas como a ausência foi por uma boa causa, está desculpado.:)))
Mas sentimos a sua falta, sem dúvida...
Saliento o que já foi salientado por todos.
"A sexologia arrisca-se a ser "engolida" pela Medicina Sexual, o que me horroriza. Se tal acontecer, a perspectiva multidisciplinar será substituída por uma visão terapêutica e anatomo-fisiológica que nunca chegará perto da palavra erotismo."
Tal como a sereia pergunto: tanta coisa envove a sexologia, será que estão todos loucos?
Será que também nesta área haverá um retrocesso?
Esperemos que o seu pessimismo não tenha razão de ser...

Isabel Pietri disse...

Ai!!! Ao ler o meu post outra vez, apercebi-me que podia ser mal entendido. Quando fiz aquela observação ao Peter (Noise), apenas queria brincar com ele com algo tipo:

- Eh pá! Aproveita agora para ganhares uns cobres! :-)

Antes que haja mal-entendidos, queria deixar bem claro que, como muitas outras pessoas, sei que o Noise é uma pessoa com uma inteligência absolutamente invulgar e extremamente generosa: por exemplo, vai a escolas secundárias e a outros grupos de jovens "pregar" a título gracioso. Além disso, faz muitas outras coisas a bem da comunidade e que não têm directamente a ver com a actividade profissional dele.

E eu sou testemunha e uma prova viva desta generosidade: o Noise tem-me dado um apoio inestimável para que possa compreender alguns factos da minha vida e, assim, possa vir a alterar alguns comportamentos.

E até agora ainda não me enviou o NIB!!! ;-)))

(acho que depois desta mo vai enviar mesmo e eu vou ver-me aflita pq o que ele tem feito comigo não tem preço! :-) )

a sol disse...

“Se tal acontecer, a perspectiva multidisciplinar será substituída por uma visão terapêutica e anatomo-fisiológica que nunca chegará perto da palavra erotismo.”

Ou, como esta frase do filme ‘Walking Life’ pode ser entendida substituindo a palavra arte por sexo:
“A arte não era o fim, mas a ocasião e o método de achar o nosso ritmo”

e ... hoje domingo.. parabéns

CêTê disse...

O que se fica a saber aki! ;P

O professorinho LIVRE-SE de nos pedir o NIB! Ou de nos obrigar a pagar para "postar".


Por terem falado do sr.Dr. Noise...
As histórias do tal Calhau Rolado, são escandalosas, a ser verdade o seu envolvimento no caso. Não é por nada mas o rapazola tem um ar meu aparvalhado, não tem?. Apesar de ser, provavelmente, o elo mais fraco é o que se irá safar melhor. Se calhar também foi apanhado à falsa fé. O fulano às tantas pensava que aquilo era uma ritual maçon... ;o.

CêTê disse...

E o professor, o que acha deste mediático caso "Casa Pia"? Ou se quiser tão somente da Pedofilia.


Já sei que não vai "falar"... ;[[[

(Aceito troca de "assuntos")

Não precisa ser hoje, claro!

Assumida Mente disse...

Júlio, o que é lá isso da Sexologia ser substituída pela Medicina Sexual?!... Há espaço para tudo! Acaso a cardiologia matou o Amor?!

Angie disse...

Este seu dasabafo fez-me lembrar as reacções que tive ao ler a National Geographic deste mês, que traz como matéria de fundo um extenso artigo sobre o Amor finalmente explicado pela ciência...
Confesso que as expecativas que criei se desvaneceram à medida que fui esgotando a leitura. Com uma revista destas, espera-se sempre o melhor, é claro. Mesmo assim, tem o seu interesse (a começar pela autora Lauren Slater, que tem imenso sentido de humor!)
Então é isso mesmo, Professor: a chave-mestra está nas substâncias químicas, que são umas quando as relações são duradouras e outras quando são "meras"(?) paixões.
Um dia deste todos passaremos a ir ao laboratório fazer exames pré-matromoniais (ou pré-relacionais!)não para despistar a incompatibilidade sanguínea, mas a incompatibilidade do casal, tout court!
O sonho de qualquer um...a bola de cristal que todos em vão nos desunhamos por possuir!
Queremos 1 paixão tórrida? Checar níveis de dopamina, que têm de estar em alta. Queremos um cúmplice para a vida? É só confirmar que o candidato nos provoca o elevado grau de oxitocina requerido para o êxito da experiência...
De forma que o passo a seguir à triagem do laboratório será certamente a própria terapêutica: uns suplementos químicos tudo resolverão no futuro!
Qual divã, qual psi, qual infelicidade!
....
E quanto aos TS, Prozac em cima, e os crimes sexuais descerão vertiginosamente!
(Aliás, o Estado devia pensar em administrá-lo gratuitamente a partir de agora em certas IPSS...)

Mas o que mais me divertiu foi a teoria de Helen Fisher, segundo quem o orgasmo é usado pelas mulheres para inconscientemente escolherem o parceiro certo para a vida (sexualidades aparte)!
Para 1 antropóloga (mesmo americana...) é obra!

Não sei, não, Professor.
Não percebo nada de medicina, menos ainda de psiquiatria e zero de sexologia.
Mas sei que a minha intuição me diz que a coisa vai evoluir mal, se forem por onde diz que se preparam.
Tudo se desumaniza a olhos vistos.
E não é só na Medicina.
Mas o que tem graça é que as visões ultra-positivistas já deram o que tinham a dar, ou não?
Parecia-me...

Há 2 anos atrás assisti a uns painéis de um congresso internacional de Biologia, em Lisboa. Fiquei "addicted". Nunca me passou pela cabeça encontrar nos oradores gente que aliava a alta craveira científica a uma equivalente e completamente inesperada (para mim!) craveira cultural.
Quando acabavam, eu ficava enterrada na cadeira, agradavelmente afundada nas revelações (iniciáticas) que acabava de ouvir (e de que mais de metade pela certa me tinham escapado!).
E lembro-me bem do vaticínio de 1 americano: o dia chegará em que a Biologia abarcará todas as áreas disciplinares, porque ela é a síntese de todas as ciências.
Se tivesse lido a frase algures, teria pasado adiante. Ali, naquele contexto, surgindo como corolário das várias intervenções, deixou-me também, ciente embora de que não capatria a fundo as implicações da profecia... com a intuição de que ele estava a dizer qualquer coisa de muito acertado.

De forma que, depois disto....
-Quem se pode queixar de ser anexado?!

Conserto disse...

"But the bitch is back".
Será que vão acabar as velharias?

moon disse...

"But the bitch is back"

??????????????????

Que (raio) quer isto dizer?
Tudo bem consigo, professor?
Ai os congressos...

a sul disse...

As minhas homenagens a JMV no 1º aniversário do Murcon, "um lugar para albergar, temporariamente, todas as abstracções (...) e dar forma e coerência ao mistério", como diria R. Linklater

a sul disse...

A autora da frase "um lugar para albergar..." é Mona Lee e não R.Linklater, autor do filme 'Walking Life', onde ela ocorre.

Mar Antes disse...

A evolução precisa-se!
Assustar, assusta-nos sempre ou não fôssemos nós animais adversos a mudanças (não generalizando evidentemente).
Mas... Não se desumanize a Sexologia. Se já nos custa tanto abrir-nos sobre assuntos do foro sexual íntimo - mesmo com um sexólogo - como será quando forem tratados com frieza de outras disciplinas da área da saúde?
Se estiver errado nalguma coisa ou tenha feito mau juízo do que o Professor disse, agradeço que me corrija.

Um Abraço!

Anónimo disse...

Pelo menos a medicina sexual é menos propicia a ser instrumentalizada por ideologias.

Carlos Barros disse...

A mudança trás sempre algum desconforto, mas com o tempo vê-se a evolução, ou a real estupidez feita.
o homem é inteligente tem de saber mudar, mas também tem de saber conviver com o seu próprio erro.


P.S ai o senhor...com uma radio da concorrencia... eu vou falar com o director...

abraço.

Anónimo disse...

Cópia de quatro comentários inseridos na caixa de comentários de outro blog:
O meu record é 117 mas foi no dia em que a ... fez 2 anos e foi com publicidade...
Sempre disse q o nº de comentários n atesta a qualidade do blog pq há por ai mtos com imensos comments (tipo o do Julio Machado Vaz) que é tudo bajulanço e masturbação intelectual...

---
...Totalmente diferente é, de facto e a meu ver, o Murcon (nem do nome gosto). Foi n'O Jumento que já há bastante tempo li um artigo a criticar o Murcon, nomeadamente por causa dos comentários ("... posts cujas caixas de comentários se transformam em reais sessões de chat..."). Como tinha link, dei uma espreitadela, senti... olha, em vez de dizer palavrões, que era o que me apetecia, vou repetir o que disseste: ... é tudo bajulanço e masturbação intelectual... (nos dois sentidos, acrescento...)
Quando, há muitos anos, o Júlio Machado Vaz aparecia regularmente na TV, eu até lhe prestava atenção. Se fosse hoje, jamais... e isso porque resolveu tornar-se murcon, na verdadeira acepção da palavra. Ainda que fosse murcão, porque murcões e palermas há muitos!

---
O Abrupto e o Murcon estão incluídos na segunda categoria. Não os visito regularmente e nunca deixei um comentário que fosse no Murcon (úncio que dá acesso a comments) pela mesma razão que apontou aqui o "...": é um rol de bajulanço e masturbação intelectual tal, que de vez em quando dá lugar a "jantares do Murcon", segundo já me apercebi...
E de tempos a tempos, faço uma visita e constato que o bajulanço continua, os comentadores continuam os mesmos e enfim, nada de novo. Em tempos, também gostava de ver o progama do JMV na tv e não entendo como foi que ele chegou a esta "pimbalhada" toda.

---
E se viste o blog dele, devias ver o blog de comemoração das 100 mil visitas... É de gargalhada... A verdadeira pandilha do Pateta!!!

Anónimo disse...

Este Blog tem os comentários abertos e permite, de sua livre vontade, comentários anónimos. Se o comentário anterior, inserindo por cópia quatro outros comentários, não for publicado, a censura será devidamente denunciada.

Julio Machado Vaz disse...

Meu caro anónimo das 4.38,
Ainda bem que cheguei cedo a casa:). Não se preocupe, a moderação só foi activada quando alguns comentários atingiam terceiros através de mim, nomeadamente vizinhos que não têm culpa de viver no mesmo prédio que eu. Jamais me passaria pela cabeça censurar legítimas opiniões discordantes acerca do estilo do Murcon ou do seu autor. Fique bem.

jose_pardal_diabrete_jr disse...

Amiguinho murcon, pela minha parte sempre gostei deste blog, eu gosto da sua forma de estar e dar e por vezes de receber.
Este blog inspira-me uma tarde com bolachas e chá de camomila.

andorinha disse...

Boa tarde.

Júlio,
Faço minhas as palavras de a sul.
Parabéns pela existência deste cantinho onde há um ano partilhamos ruminações.:)

-Stardust- disse...

Professor,

ainda bem que nao desapareceu! As suas ruminacoes ja causaram dependentes!!! =)

-Stardust- disse...

E ja agora, carissimo Mahatma, mais do que os parabens mais do que merecidos pelo Murcon, um muito obrigada por ter dado a luz este projecto... este laboratorio de ruminacoes! =)))

fora-de-lei disse...

O PRETENSIOSISMO É UMA COISA MESMO MUITO FEIA !


Anonymous 4:33 PM

"Cópia de quatro comentários inseridos na caixa de comentários de outro blog..."

O ressabiamento subjacente a estes comentários sugere-me uma conversa entre putas do Cais do Sodré (ou entre paneleiros de urinol)...


Anonymous 4:38 PM

"Se o comentário anterior, inserindo por cópia quatro outros comentários, não for publicado, a censura será devidamente denunciada."

Não me digam que vem aí uma campanha anti-murcon com cartoons à mistura e tudo... ;-))

Pamina disse...

Estou a escrever por baixo do comentário do Fora de lei (6.40) que cita parte de comentários enviados às 4.33 e 4.38.
Se o primeiro, embora cobarde e injurioso, talvez se pudesse ainda classificar como "expressão de opinião", quanto ao segundo não restam dúvidas. Aquilo é uma ameaça. Que arrogâcia ridícula!:(

Parabéns pelo aniversário e muito obrigada. Saudações aos companheiros comentadores de boa-vontade.:)

(E não venham falar de bajulação. Parece que alguns não entendem, mas há uma diferença entre bajulação e apreço, tal como, entre crítica e detracção.)

andorinha disse...

Pamina (8.30)
Não vale a pena perder tempo com anónimos idiotas e cobardes.
O lixo ignora-se e eles ficam a falar sozinhos. Não os vamos deixar estragar o saudável ambiente murcónico que temos vivido ultimamente.

Achas que eles entendem as diferenças? Claro que não.
O que os faz falar é a raiva e a inveja, é tão simples quanto isso.

Angie disse...

Qualquer dia, não muito longínquo, os blogs serão tema tão analisado que darão "pano" para teses de doutoramento em ciências da comunicação e áreas afins...
Até a um simples leigo dá vontade de começar a sistematizar o que encontra na navegação, tais as bizarrias,quanto mais!

Não me importo rigorosamente nada como facto de um blog da minha preferência ser pertença de gente mais marcante, ou menos, ou nada marcante mesmo. Interessa-me o que diz o autor, e ponto final.
Mas já agora gostava de lavrar o meu testemunho:
- gosto do Murcon, porque gosto de JMV. Óbvio.
Mas não por querer vir aqui beber doutrina...
Há até aqui muitas coisas com que não estou 100% de acordo; algumas das quais discordo apreciavelmente; e lá de raro em raro..coisas com as quais discordo completamente.
Para não falar nas coisas que me deixam a repensar... e nas que me provocam uma adesão absoluta, desde o título (the last but not the least).
-Mas o que é que esperavam com essa boca sarnenta das "bajulações"??
Que se guerreasse o autor? Só alguém de mente distorcida pode visitar um blog com o premeditado objectivo de agredir o "dono da ca(u)sa". Trocar ideias, discordar civilizadamente e sem folclores, sim. Penso até que essa será a maior homenagem que se presta a um blogger.
Mas, quando se gosta, ou do blogger, ou do que ele escreve, ou do que ele emana, será que essa exteriorização significa "bajulação"? E com que fim?!
Não: empatia não é bajulação.

O Murcon, a que não me ligam sequer quaisquer instintos bairristas (sou rigorosamente isenta nessa matéria!), é um blog da "1ª divisão", no que aos seus posts respeita. Quanto aos comentários e comentadores - eu incluída -, talvez não estejam muitas vezes (ou a maioria das...?) à altura do blogger...
Mas a diferença é que me parece que esse mesmo blogger se está nas tintas para o campeonato que se disputa na blogosfera!
Não pretende levar a taça, e não quer saber se os comentários estão na linha de qualidade pretendida, ou não...
Se assim fosse, tínhamos um gestor de blog tipo Pacheco Pereira, onde só "pia" quem ele quer. Embora todos possam comentar (mas não editar).
Resultado? O Abrupto é uma coisa limpa de acessoriedades, onde tudo encaixa tão harmoniosamente quanto a beleza das imagens nas suas "Coisas Simples" e nos seus "Early Morning Blogs". Goste-se ou não.
No Murcon, tudo é espontâneo.
Os temas abordados não convocam de per si controvérsias abertas (na maioria dos casos). Têm um tom contido, conciliatório, e nunca incendiário, à imagem e semelhança do autor(o que não justifica a guerrilha que por aqui se viveu há uns tempos atrás). E exactamente ao contrário de outros blogs onde, por se dedicarem a matérias de cidadania, se expõem (e bravo por isso) a uma autêntica guerra civil nas respectivas caixas de comentários(veja-se o caso d'O Espectro...). Ou simples e democraticamente não se expõem de todo: veja-se o Causa Nossa...

Noutros blogs da inteligentsia nacional mais novata, e por isso não tão proeminente ( não tanto quanto JMV, p ex...) a pretensão e a arrogãncia toca os limites da pura indecência. E da pura inocência...Os bloggers escrevem uns para os outros, e as caixas de comntários abrem ou fecham ao ritmo dos achaques das primadonnas: quando o movimento "subterrâneo" é demais, entram em histeria, alguns autores chegam a vestir nicks para entrar em diálogo directo com os comentadores, zurzindo-lhes como um blogger, na sua veste normal, não poderia. (veja-se o Mar Salgado, p.exº).

Enfim: O Murcon é o que é.
Os comments não primam pela discussão de ideias? Mas a trabalheira que isso ia dar ao JMV, já viram?! Triar laboriosamente o trigo do joio, atrás dos critérios de "excelência total"...e da vitória na "taça dos blogues"?!
Não, este blogger tem mais que fazer, deve ser isso! E optou por nas traseiras da casa virtual construir uma tertúlia de carne e osso. Até faz almoços e jantares, pois é! Coisas de escolar de outras eras? Efeitos reprisitinados do velho tempo das cartas e dos telefones? Não sei: não é típico num blogger de 1ª divisão, lá isso não. Mas eu, como não vou aos tais encontros imediatos de 3º grau (e de resto não sou obrigada) falo portanto e outra vez com inteira isenção:
- JMV não escolheu os seus comentadores; não os esconde, não os selecciona (descontados os casos compulsivos dos "subcomentadores") e prefere viver bem com eles.

Porque será então que os pretensos árbitros de uma competição inexistente têm que vir aqui meter o nariz?!!
E dizer coisas tão absolutamente cómicas e descabidas quanto
"...este blog tem os comentários abertos e permite, de sua livre vontade, comentários anónimos. Se o comentário anterior... não for publicado, a censura será devidamente denunciada..."
Esta ameaça foi DEMAIS, ri-me a bom rir!!!
Professor! Cá vai mais uma "bajulaçãozinha"... você é um santo! Então dá trela a isto?!
O pseudo árbitro anónimo... ou está corrompido, ou nem a Liga Portuguesa o deixou inscrever-se, tamanho é o desconhecimento da realidade e da amplitude das sua jurisdição!!!
Desde então, o homem não pára de apitar fora dos campos, e enganado veio parar aqui...

Angie disse...

Ai, ai.
Outra vez a bola de cristal.
Experiência própria mesmo, ou os tais 30 anos de psiquiatria?

OS HOMENS NA SUA ESSÊNCIA:

..."E eu sem medo de fazer batota, inventando-te defeitos que me libertassem..."
.....
"...Verdade é que eu tinha um medo enorme de encurtar as pequenas distâncias que me faziam correr para ti, sou um bicho instável, receio tanto o abandono como o sufoco..."
.....
Um dia destes vingamo-nos todas.
E ficamos assim, tal qual eles são.

Vai ser bonito, vai, vai...

(e tudo começa quando começamos a perceber melhor o lado de lá. Depois é só 1 passo!)