sexta-feira, fevereiro 03, 2006

Parece um bocadinho difícil de explicar...

Lucros do BES crescem 85% para 280,5 milhões de euros

Subida média de 55,5% nos maiores privados nacionais
[ 2006/02/03 | 08:27 ] EditorialMD


Os três maiores bancos privados portugueses tiveram um resultado líquido de 1,285 mil milhões de euros no ano passado. O que dá uma média de crescimento de 55,57% comparando com 2004.
O ganho do BES foi o que mais progrediu, mas o Millennium BCP foi o que mais ganhou, avança o «Correio da Manhã».
Os outros dois gigantes do negócio bancário em Portugal, a Caixa Geral de Depósitos, detida pelo Estado, e o Santander Totta, ainda não apesentaram resultados, mas provavelmente os lucros somados destas cinco instituições ultrapassarão os dois mil milhões de euros.


Sei que alguns de vocês considerarão a minha dúvida simplista e desconfio que até mo provarão:))))). Mas não será realmente difícil explicar tal "desafogo" a tantos portugueses que sentem o apertar do torno na bomba de gasolina, no supermercado, nas portagens, no salário ao fim do mês, etc, etc...?

24 comentários:

lobices disse...

...não será dificil explicar: será impossivel... porém, se eu fosse economista diria que o endividamento e o que os portugueses sentem nos seus bolsos é inversamente proporcional aos ganhos dos Bancos porque são eles que os estão a "alimentar" à custa da necessidade do crédito para o excesso do consumo...
...nestas coisas todas, desde sempre ouvi dizer que ao fim e ao cabo que se lixa sempre é o mexilhão...
...resta-me, ao menos, a possibilidade de desejar um bom fds
...and cheer up for all

Luigi Mario disse...

Será que chegou aqui a moda da apresentação de resultados inflacionados?
É que por experiencia de conhecidos, certos resultados são "arredondados" ou alterados usando números mais "giros". ;)

lena disse...

júlio, canto em gaia amanhã à noite, na casa da juventude :)
a entrada é livre e o sítio é pequeno :))
se não puder, avise quem queira ter um encontro com alguns dos autores mais nossos amados ;)
voz, contrabaixo, bateria, guitarra e trompete

e pagam cachet à gente!
eia!!
beijos ao maralhal, desculpem vir cair em cima dos bancos, mas foi por acaso ;)...

:)*

noiseformind disse...

Santíssimo e poderosíssimo Mahatma,
Permite-me salientar na minha falácia visão um ponto que me parece importante. Então se o Vaticano está a precisar de tanto dinheiro para pagar indemnizações então só aí já viste o lucro em juros que os bancos vão buscar??? ; ))))

lena disse...

júlio, canto em gaia amanhã à noite, na casa da juventude :)
a entrada é livre e o sítio é pequeno :))
apareça quem queira ter um encontro com alguns dos autores mais nossos amados ;)

voz, contrabaixo, bateria, guitarra e trompete

beijos ao maralhal,

desculpem vir cair em cima dos bancos, mas foi por acaso

ilco disse...

esses gajos são o que se chama ladrões institucionais, têm licença para roubar: comissões por isto e por aquilo (têm com.para gestão de conta mas se a conta ficar negativapor incuria deles cobram com. de descoberto na mesma), portes 3x superiores ao que pagam, juros já nem se fala, enfim a quem é que interessará esta situação?

Conserto disse...

Então se toda a gente sabe que os portugueses estão ultra-endividados, a quem é que acham que eles se estão a endividar?

A mim?

Aqueles anúncios que nos enxameiam as televisões a apelar ao crédito são para alguma coisa. :-)

nortesul disse...

Está explicado, e é do reino animal. São os abutres que mais beneficiam com a carnificina...
Vivam os juros, as taxas, os coeficientes, os spreads e outros emolumentos...!

Fiquem com um abraço Maralhal.

zmsantos disse...

Está explicado, e é do reino animal. Na carnificina, quem mais beneficia, são os abutres.
Vivam os juros, as taxas, os coeficientes, os spreads e outros emolumentos...!

Fiquem com um abraço, Maralhal

zmsantos disse...

Está explicado, e é do reino animal. Na carnificina, quem mais beneficia, são os abutres.
Vivam os juros, as taxas, os coeficientes, os spreads e outros emolumentos...!

Fiquem com um abraço, Maralhal

luisa lourenço disse...

Olá! Como trabalho em casa tenho o prazer de ouvir o vosso programa na Antena 1, quase todos os dias. É sempre tão bem humorado, seja qual for o tema, que me faz sempre sorrir! Parabéns e votos de felicidades!
Luísa

Gotinha disse...

Olá!
Já viu o desafio que lhe deixei lá no meu cantinho?!
O 4 dos Quatro

Ana Afonso disse...

Olá a todos
Dificil de explicar?? Eu diria mais impossivel é como fazer o milagre do pão ... ou talvez não ... talvez seja só necessário esperar a desgraça dos outros para o final do banquete!
Pelo menos hoje ainda há esperança de dias melhores para quem joga no euromilhoes !!!
Bom fim de semana
Abraços e beijos
Ana Afonso

fora-de-lei disse...

Então e o que é que a Juventude Socialista - tão activa na defesa do casamento entre pessoas do mesmo sexo - tem a dizer sobre estes lucros verdadeiramente escandalosos face à situação de recessão / miséria que este país está a atravessar ? Ou será que a J.S. alinha pela cobardia do (seu) partido do governo, o qual não tem coragem de tocar num mero tostão destes tubarões da banca, sacrificando sempre os mesmos ?!

E o que têm a dizer os artistas da "esquerda caviar", igualmente tão activos na defesa dos gays, do aborto livre, etc, etc ? Ou será que - desta vez - estão manietados por uma outra qualquer 'Joana Amaral Dias' que, aprendendo com o fiasco da primeira (aquela que apostou no cavalo errado...), se vai candidatar a secretária pessoal do Ricardo Salgado ou do Jardim Gonçalves ?

E a Igreja Católica também não tem nada a dizer ? Ou será que o facto da Opus Dei estar gananciosamente ansiosa por arrecadar a parte de leão destes lucros torna a Igreja cega perante a crescente injustiça social deste país ? E porque é que a Igreja só tem olhos e ouvidos para criticar a paneleiragem que se quer casar entre si, mas nunca aponta um dedo à crueldade inerente à injusta distribuição da riqueza deste país ?

Muito se fala da "falência" do sistema de Segurança Social... Por que razão não são directamente tributados estes lucros da banca conseguidos hoje em dia com 4/10 dos empregados bancários ? Onde estão os 6/10 de empregados bancários que anteriormente contribuíam com os seus descontos para a Segurança Social ? Pois...

A única forma de compensar o défice resultante da diminuição do número de contribuintes em certas "indústrias" altamente rentáveis consiste em tributar directamente os seus lucros. Não há volta a dar...!

E não me venham dizer que isso não é possível, porque isso levaria os galifões a pirarem-se com o pilim para o estrangeiro... Se assim é, pergunto eu: será que essa gentalha só foi patriota no tempo de Salazar ?! Ou será que só sabem ser patriotas enquanto puderem mamar à vara larga ? Ou a única pátria deles é o arame ?

MªLurdes Delgado disse...

Lembram-se do dr. Ulrich, PDG do BPI ter dito aqui há uns tempos que era necessário baixar os salários dos portugueses para sermos competitivos? Posso estar enganada, mas acho que ele deve ter outra nacinalidade

Anónimo disse...

O BES
Bem não será difícil fazer contas tendo em conta o seguinte:
1- Como diz o Lobices o endividamento do povo é enorme;
2- O próprio governo pôs nos cofres do BES dinheiros públicos.
Há acordos com o BES para depósitos diários do dinheiro auferidos em algumas Repartições. Deixou de ser monopólio da CGD.
Como o Estado é rico agora reparte lucros com o BES. Enfim....

andorinha disse...

A mim também me parece, digo eu, que destes assuntos percebo pouco.
Mas concordo com o que foi dito pelo Lobices, Ilco e Conserto; são as comissões por isto e por aquilo, os altos juros que cobram, todo o incentivo ao crédito, etc.
E vou-me calar, não quero correr o risco de dizer disparates.:)

papu disse...

Mas isso é uma coisa que sempre acontece em períodos de crise: há sempre bolsos a encherem-se de dinheiro, enquanto os do cidadão comum vão ficando cada vez mais vazios... é uma coisa tão difícil de explicar e tão irritantemente verdadeira que eu às vezes penso (assim numa espécie de delírio paranóide-persecutório) que estas crises são desejadas, pensadas, "fabricadas", "planeadas" por quem detém o poder (e os sifrões).

Pois não é o próprio governo, nos momentos de crise (estou a lembrar-me dos discursos durante a crise pós 11 se Setembro) que aconselham as pessoas a "apertar o cinto", pq vêm aí "momentos muito difíceis?"

Parece-me óbvio que se há uma quebra radical no consumo, o dinheiro não circula, a economia estagna, a crise agrava-se... É uma bola de neve...

Raquel V. disse...

É tão simples... juros de uma data de portugueses entalados até às bigodaças...

Su disse...

proffff os pt estão todos hipotecados ..até aos cabelos

e opss não me fale do bes nem do bcp...coisas minhas:)))

jocas maradas

Sandra Feliciano disse...

pois... e depois se temos o "desplante" de lhes pedir que nos passem facturas dos serviços que nos cobram - tipo transferencias bancarias, manutenção de contas, emissão de cheques, etc. - como se isso fosse algo do outro mundo, demoram uma semana a ver se tão estranha coisa é possivel e finalmente respondem: Ok, podemos passar a emiti-las mas vai ter de pagar 3,75 euros por cada factura emitida.

ACHAM NORMAL??????

Já agora, testem a vossa agencia e façam o mesmo pedido para ver o que vos respondem...

Anónimo disse...

Sobre os aumentos exponenciais dos lucros dos bancos prende-se com 1 acervo de factores tais como:

- Diminuição do nº de trabalhadores fazendo uso da extinção de empresas menos lucrativas ou mesmo deficitárias;
- Aposta nos mercados emergentes e de forte crescimento como, por exemplo, a Angola que cresce 10% ao ano;
- Maior endividamento das famílias;
- Busca de liquidez por parte das empresas que não usam mecanismos típicos de economias modernas como, por exemplo, o recurso à emissão de acções ou a lançamento de títulos que funcionam como um verdadeiro empréstimo e que são compensados com uma remuneração do capital gasto pelo investidor.

Espero ter sido esclarecedor.

Saudações rotarias.

Luís André Gonçalves

(Economista)


P.S.: Não tenho acções da banca, nem vou comprá-las.

a sol disse...

NS/NR

psi disse...

se calhar é preciso uma nova revoluçao, mas temo que volte tudo ao mesmo.