sábado, abril 15, 2006

Bom Domingo de Páscoa, maralhal!

Amantes clandestinos (II)


Regressemos à relação entre sexo e envelhecimento. Antes de mais, para referir que o aconselhamento sexual nesta área é cada vez mais procurado. Seguramente porque as populações envelhecem, as estatísticas e as dores de cabeça governamentais não mentem. Mas também porque alguns mitos se resignaram a ser apenas isso – mitos.
Tomemos o exemplo de um inquérito levado a cabo pelo Conselho Nacional Americano para o Envelhecimento. Das mil pessoas de ambos os sexos entrevistadas, todas com mais de cinquenta anos, 60% estavam satisfeitas com as suas vidas sexuais. Cerca de 61% diziam ser o sexo tão bom ou melhor do que na juventude e 70% tinham relações pelo menos uma vez por semana. Não menos elucidativo, das que afirmavam ser o sexo raro ou inexistente, 34% responsabilizavam pelo facto doenças variadas, a perda do parceiro ou efeitos colaterais de medicações. As queixas sexuais referidas eram semelhantes às dos mais novos, embora a frequência de coito e masturbação fosse menor. Os indivíduos para quem a actividade erótica fora satisfatória no passado continuavam a destacar-lhe a importância, demonstrando como é falso o mito segundo o qual existiria o risco de nos “gastarmos sexualmente” enquanto jovens e depois, velhos falidos, servirmos apenas para mimar netos, vencer campeonatos de sueca ou tricotar junto à lareira.
Mas devemos ter cuidado quando falamos de “pessoas”. Porque em cultura celebrando o individualismo, mas que ao mesmo tempo procura tornar-nos igualmente cinzentos, apáticos e passivos consumidores, torna-se ainda mais necessário evitar generalizações perigosas. Há quem acolha o envelhecimento como uma oportunidade para se retirar de uma vida sexual unicamente encarada no âmbito da procriação ou geradora de conflitos e culpabilidades por diversas razões. Respeitar trajectos e escolhas individuais é obrigatório, sob pena de substituirmos o estereotipo do envelhecimento assexuado por um outro imperialismo, que decretaria anormal quem referisse menor apetência pelo sexo.
A enorme variação de atitudes e comportamentos justifica também uma constatação reconfortante, no passado exagerámos atrozmente a rigidez dos mais velhos, eles aceitam e utilizam as mudanças no mundo que os rodeia. A curiosidade pela Net é um bom exemplo. O sucesso de drogas como o Viagra é outro, bem como a exigência por parte de muitas mulheres de terapêuticas semelhantes para o sexo feminino (outro dia falarei dos riscos que a prescrição eufórica ou simplesmente desonesta de tais medicações comporta). Se conscientes dessa inesperada mas real abertura, os técnicos poderão estar a caminho de deliciosas surpresas. Dizia uma noiva americana de 76 anos ao seu médico: “A nível do sexo, nunca experimentei nada de muito original durante o meu primeiro casamento. Mas se o doutor o recomendar, estou pronta a fazê-lo agora”. O livro não diz que receita o colega lhe passou!
Mas se os mais velhos partilham interesses com os jovens, o mesmo se verifica, infelizmente, com as angústias. As alterações da função sexual relacionadas com o envelhecimento são-lhes desconhecidas e por isso mais assustadoras, não são apenas os adolescentes a precisarem de – pelo menos! – informação de boa qualidade. E imaginem ( os que por lá não passaram ) a angústia de quem fica sozinho e não acredita poder ainda despertar o desejo que fala através de um olhar maroto ou do convite hesitante para jantar. Há gente que sufoca sob uma solidão sofrida e não escolhida, simplesmente porque o espelho confirma os seus receios, “credo!, quem me pode achar piada?”. Os adolescentes dizem o mesmo, a insegurança não tem idade.
Para a semana falarei de problemas sexuais específicos e do seu diferente peso em cada um dos sexos. E começarei pelas mulheres, o caminho para a igualdade não é incompatível com as velhas regras de cortesia. Logo…, primeiro as senhoras!

17 comentários:

lobices disse...

...depois de assistir ao empate do Sporting em casa da Amadora (ou será do Amadora?), o que pressupõe a possibilidade do meu FCP no próximo Sábado poder ser Campeão (Campeôn carago), vim aqui deliciar-me com mais uma "velharia" (ó Amigo Prof., desculpe lá: aqui só para nós: eu acho que ainda estou na flor da idade: será loucura?...) sobre o sexo e o envelhecimento!...
...muito bem!... Deixem-me dizer apenas uma coisa: aquele ditado que diz que o Vinho do Porto quanto mais velho, melhor, é uma verdade que todos sabemos ser indesmentível!... Pois, no caso do tema em apreço, permito-me afirmar o mesmo!...
:))

lobices disse...

...não me queria esquecer:
SANTA PÁSCOA
e...
...viva o amor, carago!...

AQUILES disse...

Yulunga
Expressar as emoções, é expressar conforme cada um arranjar engenho e arte, não é forçosamente só exibição.

Para todos um bom Domingo.

andorinha disse...

Boa noite.

Quanto às velharias já o tenho dito, venham elas.:)

Lobices,
Se for loucura, é uma loucura saudável e saborosa.:)

"...demonstrando como é falso o mito segundo o qual existiria o risco de nos "gastarmos sexualmente" enquanto jovens..."
Noise, podes ficar mais descansado. Loooooooooooooooool

Bom domingo de Páscoa para todos.
Fiquem bem.:)

CêTê disse...

Bolas! Ou a velhada é muita mentirosa ou o futuro parece-me risonho, ;]
LOl Por acaso eu vejo-me (no futuro, entenda-se: para aí daqui a 30 anos como uma velha gaiteira) Nessa altura o lema será: "é para a desgraça? É para a desgraça". Pois serão bebedeiras, noitadas na discoteca, troca de casais é que está fora de questão (nessa altura já terei despachado o marido) LOOOOOOOOOOOOL (o que me vale é que ele não sabe deste meu refúgio. LOOOOOOOOOOOOOOL: é um querido), pois será para a veia e para a artéria, serão viagens, compra de vibradoreSSSS a 5 rotações e com atendedor de chamada e telecomando incluído; sessões de massagens localizadas, banhos de cultura nos grandes centros.

Pronto e prometo umas missinhas pelas almas dos que já lá estiverem incluindo alguns de vós! LOOOOOOOOOOOOOl
;]))))))))

CêTê disse...

BOLAS (para não dizer fds!)Esquecia-me da triste realidade que me espera.
É que o raio o "c@Vrone" do Socrates com a lei da aposentação já me traçou o futuro:

Nessa altura arrastrar-me-ei pelos corredores do rés-do-chão de uma qualquer escola, com mapa e bússula para ir ao Bar e ao WC, com um alvo pintado no occipital e automatizada com "penes" de software educativo. Enfim... provavelmente também nós professores teremos professores de apoio!

Su disse...

é o espelho que confirma os receios, ou o tempo?


jocas maradas dum bom domingo de pascoa junto aos seus seres amados

AQUILES disse...

Maralhal
Cheguei aos 52 sem interrogações sobre a minha vida sexual. Vou vivendo dia após dia, como sempre vivi. E julgo que bem. Não tenho nenhuma psicose sobre envelhecer.
Espero nunca ficar tolhido nem da mente nem das pernas. A vida é bela e para se viver dia a dia.
(O pão nosso de cada dia,, lembram-se?)

Lusco_Fusco disse...

Boa noite!
Amar tem prazo de validade como o iogurte?!!!!! Se é um sentimento como o da amizade e outros amores que tão bem sabemos cuidar, porque não vê-lo e vive-lo como nos der na real gana?
Ó Mahatma tenha dó!
A propósito, a minha filha com dezasseis anos, depois duma conversa com as minhas amigas a que ela assistiu, disse-me "Mãe, o coração não tem rugas".Ela tem razão! Ser gente é sentir esse e outros sentimentos e queres que nos movem. Idade? Por acaso o amor pergunta á idade se pode entrar?!...
Condenar o amor ou atitudes que nos dão prazer(correr, saltar, rir, brincar...) não é mutilarmo-nos? SE sempre o fiz, se faz parte da minha maneira de ser, que tristeza ter de me "comportar bem" só para os outros. E para mim?!
Não há idade para o amor e ainda bem que "o coração não tem rugas" :)))
Um abraço a todos e Boa Páscoa.
MJ

Lusco_Fusco disse...

Ora bem, este meu comentário era para o post anterior :)))

CêTê disse...

(Se calhar) Exagerei nos comentários... ;] Destoei.
Desculpem... são efeitos da chegada à "meia idade" estou a caminho dos 40. Disseram-me que a partir daqui o plano é inclinado... e eu ando cuidadosamente a explorar os ângulos com o sentido de humor que o diabo me deu.



Só não queria ter um dia a andar com canadianas.



"Coisa" por "coisa" ao menos uma sque se depilem!


(garanto-vos que é só "mokambo")

Beijocas "des"maradas ;]]]]

Aspásia disse...

Ó CeTê!!!

Isso de não andar com "canadianas" é apenas xenofobia... ou também homofobia??? ;);););)...

Os teus comentários têm andado cheios de adrenalina!!! Calmex, mulher, senão assim não chegas a velha... que direi eu que vou no fim dos quarenta???

Come um ovinho de Páscoa que isso passa...

Professor

Buáááááááá !!! :(((( Deixei O Amor é... de hoje, o grande, programado para gravar, porque a essas madrugadas estou a dormir... mas a cassette emperrou!!!
E não há repetição !!!
Não se podia repetir no espaço que ficou livre na A1 (muito infelizmente!!!) do belíssimo "Amigo da Música" do Nuno Martins às 23 Horas de hoje ??? Peça aí uma ressurreição à Antena1 !!! Peça à Ana Mesquita !!! Peça ao Dom Bento 16 !!! Ou então repetir outro dia... que diabo,(salvo seja...), é Páscoa !!! Snif snif sniiiiiiiiiiiiiiiiiiiiif, it´s an injustice isn´t it??? E porque não se faz um Podcast com os seus programas de rádio??? Murcónicos façam um abaixo-assinado !!!

Bjs p todos, até mais logo...

Pamina disse...

Bom dia.

São estas as frases mais do post que achei mais relevantes:

"Os indivíduos para quem a actividade erótica fora satisfatória no passado continuavam a destacar-lhe a importância…" (Faz todo o sentido. Se as experiências são boas, queremos repeti-las.)

"Respeitar trajectos e escolhas individuais é obrigatório, sob pena de substituirmos o estereotipo do envelhecimento assexuado por um outro imperialismo, que decretaria anormal quem referisse menor apetência pelo sexo." (Acho essencial. Já há tantas "ditaduras comportamentais".)

"…no passado exagerámos atrozmente a rigidez dos mais velhos, eles aceitam e utilizam as mudanças no mundo que os rodeia.” (Muitos são bem mais "aventureiros" do que outros mais novos. É mais uma questão de carácter do que de idade.)

"…não são apenas os adolescentes a precisarem de – pelo menos! – informação de boa qualidade." ("Money, money, money makes the world go round…" e normalmente vai para a Defesa, em vez de ir para onde devia.)

"Há gente que sufoca sob uma solidão sofrida e não escolhida, simplesmente porque o espelho confirma os seus receios, "credo!, quem me pode achar piada?". Os adolescentes dizem o mesmo, a insegurança não tem idade."
(Gostei da frase da filha da Lusco Fusco: "O coração não tem rugas.")

Não tem propriamente a ver com o post, mas… Ontem a RTP ofereceu um belo presente de Pascoa, o filme "Esplendor na relva". Gostei muito de rever. Maravilhosa a Natalie Wood, especialmente nos momentos finais. E que formidável libelo contra os pais prepotentes, a hipocrisia e a repressão sexual.

Bom domingo de Páscoa.

Su disse...

cêtê...........isso foi uma confissão, numa de eu pecadora me confesso???
aqui não há desculpas, as palavras são como as pedras atiradas
opssssss

o probl de consciencia resolve -se no consultório do psi, dos analistas, aqui nada se esqueçe, mas é tempo de perdoar..coias bem diferente

opss domingo de pascoa spre me inspirou, isso, xanax e malte:)

jocas maradas sem desculpas, pois eu escrevo o que me dá na real gana:))))

CêTê disse...

Ok! Estás "dito".
Quanto à "adrenalina"... estou mesmo a precisar de uns banhitos de areia e de água com profundidade oceânica.

Abraços.

(É impressão minha ou hoje é "dia santo na loja"?)^;]

CêTê disse...

Su,
LOL agora que releio: LOOOOOL. Não, Su! Era a "mangar". Mas a vida tem-me ensinado a ser prudente.

Rosario Marques disse...

Ah! Como eu gostei, do "primeiro as senhoras!" (risos).