domingo, abril 16, 2006

Esta loja nunca fecha, mesmo em dia santo:)))).

Amantes clandestinos (III)



É habitual que as mulheres se refiram ao envelhecimento sugerido pelo espelho com voz mais amarga e saudosa. Poderia ser de outra forma? As barrigas de cerveja ou calvícies deles, embora preocupando-os mais do que antigamente, não assumem proporções tão ameaçadoras no “mercado erótico”. A beleza obrigatória (ou pelo menos desejável) permanece duvidoso privilégio feminino. Mas se as consequências estéticas do inexorável passar dos anos já pesam diferentemente sobre ambos os sexos, uma palavra espreita as mulheres em cada esquina: menopausa.
De acordo, a pouco e pouco a terrível equação entre fertilidade e feminilidade vai-se esbatendo, elas sacodem o fardo que lhes foi imposto e percebem que não se esgotam como pessoas nas salas de parto. Mas seria ingénuo admitir que a carga simbólica desapareceu por completo, continuo a escutar mil variações sobre a mesma melodia: “Dr., talvez seja burrice, mas é como se algo acabasse”. Em muitos casos o lamento chega cedo e inesperado, por menopausa relacionada com extracção de útero e/ou ovários ou devida a quimioterapia. Nestas ocasiões, em que a doença, cruel, apressa a Natureza, a melhor preparação dos técnicos de saúde é urgente, demasiadas mulheres juntam ao receio pela vida o de terem morrido para o sexo. Ouço-as em consulta, culpando a mesa de operações pelas queixas sexuais, “estou assim porque me tiraram tudo!”.
Não têm razão, mas importa sublinhar que os caprichos das hormonas – ou almôndegas, como dizia a incomparável cozinheira dos meus Avós! – podem acarretar sintomas bem concretos. A baixa de estrogénios provoca amiúde secura vaginal e aumenta as hipóteses de infecção. Em ambos os casos o coito torna-se doloroso o que, por arrastamento, diminui o desejo sexual. Estas e outras possíveis alterações, como a maior dificuldade em atingir o orgasmo, sublinham a importância de uma consulta médica para discutir a estratégia a seguir, tanto mais que outros problemas, como a osteoporose, são frequentes. Os efeitos colaterais das medicações em curso devem também ser avaliados. O exemplo dos anti-depressivos é clássico, por aumentarem muitas vezes o peso (o que compromete a auto-imagem) e diminuírem o desejo.
Mas a nível sexual, raramente as alterações se devem a causa solitária, importa salientar a dimensão relacional dos sintomas. Sentir menor desejo em corpo e espírito de quem se ama, perceber que o outro beija distraído antes de virar as costas e adormecer pode provocar mossa bem maior do que o envelhecimento das entranhas. E como reage o casal ao abrir de asas dos ganapos? Longe de mim negar as saudades que sofregamente se matam Domingo ao almoço quando visitam casa – e mesa! – dos Pais. Mas como ficou o ambiente depois da sua partida? Deixaram para trás duas pessoas que redescobrem o prazer de um namoro pacífico, cheio das pequenas cumplicidades que o tempo segrega, ou um silêncio pesado entre quem se habituou a só viver alegrias e tristezas provocadas pelo crescimento dos miúdos e já nada mais tem a partilhar? Não raras vezes o casal descobre que se deixou invadir por uma rotina feroz que espezinha tudo. Incluindo o sexo, empurrado para Sábado à noite porque apenas ao Domingo esta vida alucinante permite um acordar mais preguiçoso. E, subtilmente, peso e responsabilidade do quotidiano cinzento caem mais sobre as mulheres, tidas por garantes da “saúde afectiva” do agregado familiar. Ou que pensar das mulheres divorciadas ou viúvas em meios culturais que lhes exigem o “decoro” respeitável e assexuado? Por vezes assisto ao fim do princípio de amores plácidos, elas debitam murmúrios resignados, “os meus filhos são contra”. Tristes, aceitam o seu destino: foram mães de uns, esposas de outros, empregadas de terceiros e pouco - muito pouco! - amigas de si próprias.
Tanto por dizer. Terei coragem para me refugiar nos homens já para a semana?

68 comentários:

yulunga disse...

Bom dia maralhal.

elas debitam murmúrios resignados, “os meus filhos são contra”. :((((

A todos desejos de uma Páscoa muiiiiiito FELIZ!!!

Lusco_Fusco disse...

"Tristes, aceitam o seu destino: foram mães de uns, esposas de outros, empregadas de terceiros e pouco - muito pouco! - amigas de si próprias"
Professor, que diagnóstico triste! Não devia, mas vou falar de mim. Separei-me aos 27, a experiência foi tão boa que, quer a nível sexual quer a nível de relacionamento, fiquei vacinada. Não vou dizer que sou diferente de ninguém mas o prazer sexual, segundo a minha maneira de sentir, vem com uma imagem a que dedicamos carinho, aquele carinho especial que nos faz vibrar e tremer por dentro, sem isso, nem lembra. Falo por mim. Não sou assexuada, no entanto não sinto o sexo separado do sentimento. Nunca fiz sexo, sempre fiz amor. Detesto violência e nunca me violentaria. Pode perguntar se não sinto vontade sem o sentimento e responder-lhe-ei que não, sem dores ou tristezas, porque sei que sou mulher e que quando o amor se alia e o desejo surge vivo-o intensamente sou testemunha disso :o). Para mim sexo é um complemento, não é uma necessidade. Depois de um opíparpo almoço uma sobremesa deliciosa ;-) Eu comparo a relação sexual por relação sexual a bebedeira, o fazer por fazer, beber uma qualquer mistela serve desde que aliene... Quem bebe por prazer e aprecia cada travo da bebida, fá-lo com outro sabor que perdura e se alienar é um alienar mais vivo, sentido, pulsado e consciente
Sinto-me inteira e bem viva. Sei que quando o amor me desperta toda eu estou lá.:)))
Um abraço

MJ

Lusco_Fusco disse...

Olá yulunga!
Beijinho e BOA PASCOA para ti tb.
MJ

Lusco_Fusco disse...

Errata "Opíparo" :)

Fora-de-Lei disse...

Um Feliz Domingo de Páscoa para todos !

mtc disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
mtc disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
azulcereja disse...

Ora Viva professor!
Às vezes ando afastada do seu site, mas garanto-lhe que quando cá venho sinto uma inveja de todos os que "religiosamente" o visitam.
Não sou perfeita! Admito que, além de não ser organizada para aqui vir, ainda me armo em perversa por ter destes pecados - Inveja! Se já se viu?
( Estou a brincar quanto à inveja; o que eu tenho é saudades de ler diariamente o que escreve, e depois fico com a leitura acumulada para beber desta fonte).

Depois de ler estes seus Amantes Clandestinos (III) lembrei-me de algo que terei escrito, de mim para mim, há uns anitos e vasculhei no bloco de notas o que transcreverei:

(Setembro 2001, aquando da visualização dum filme com Hugh Grant --- não me perguntem qual, que já não me lembro, e a minha desorganização assim se comprova!)

"É engraçado como os homens, invariavelmente, dizem perder a líbido, quando as companheiras estão grávidas, com a justificação de que receiam magoar ou, de alguma forma. lesionar o bébé que está no ventre da sua "amante".
Será?
Se calhar, para alguns até poderá ser essa a causa, mas a verdadeira razão, que é mascarada por uma preocupação na saúde da mãe e da criança que vai crescendo dentro dela, é que não é muito excitante fazer amor com uma barriga pelo meio. A sua mulher que tinha formas pronunciadas e sensuais ( não é o caso de todas, eu sei...)transformou-se num ser obeso e sem graça, disforme e prestes a rebentar.
Mas como têm receio de magoar psicologicamente aquela que está em "estado de graça", optam por cumprir um ritual de cobardia (ou de cortesia...) com uma "mentira piedosa".
Bom, se assim fôr estão perdoados, é por uma boa causa que mentiram...( ainda assim, não sei não!...eu abomino mentiras!)
E as mulheres?
Porque não se recusam a fazer amor quando os seus companheiros têm "barriga de cerveja"?
Como é possível, a nós, termos desejo com tamanha disformidade?
E com a agravante que neles a "disformidade" não desaparece em menos de 9 meses...a tendência, por sinal, é de vir a agravar-se com o tempo e os excessos de comida e bebida.
E depois somos nós que continuamos a ir à depilação e a encravar os pelos quando crescem de novo, nos locais mais intimos e mais incómodos. A barba deles continua a não ser feita (ou desfeita)ao fim-de-semana e a ser cuidada pela manhã, mesmo que tendencialmente façam amor à noite. Aí é que a barba devia ter sido acabada de fazer...evitava-se muitas visitas ao dermatologista e à esteticista para resolver problemas de alergia, rosácea e não sei quê mais..."

Professor, desculpe o abuso! Parece que tentei recuperar o tempo perdido, escrevendo isto tudo.
Corte, não publique, mas deixe-me ao menos perceber que "ouviu" o meu desabafo.
Hoje com 46 anos, começo, de novo, a tentar perceber a linguagem do meu corpo, apesar duma aparência de "trintona" ( sou uma privilegiada genéticamente, os anos não me deixam mossa aparente...)os "deslizes" das hormonas começam a deixar marcas internas ( polipos, miomas, quistos...enfim!...) que psicologicamente me afectam, tanto ou mais do que o fisico se ressente.
E depois há outra coisa que o aproximar destas, e outras, mudanças não se padece: o estar sozinha!
É tão mais dificil passar por estas transformações sem companheiro.
Eu sei que talvez seja o meu romantismo a trabalhar, pois muitas serão as mulheres que os tendo se encontrarão também "sozinhas", tanto ou mais do que eu.
Bom, despeço-me até uma outra (re)visita, esperando estar menos tempo afastada, para não me alongar tanto.
Boa Páscoa, com votos de renascimento de tudo o que nos faça felizes!
Ana Paula

andorinha disse...

Boa tarde.
Envelhecer não é uma coisa agradável e quem disser o contrário, mente.:))))

"...foram mães de uns, esposas de outros, empregadas de terceiros e pouco - muito pouco! - amigas de si próprias."
É um diagnóstico triste, como diz a Lusco_Fusco, mas grande parte das vezes verdadeiro.
O que é a vida de muitas mulheres senão isso?:(

Dreamer (6.16)
Loooooooooooooooooooooool
Para contrabalançar o envelhecimento, nada melhor que essa anedota.:)))

mtc disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
CêTê disse...

Gostei muito do que nos deu a ler, professor (uma vez mais). Por vezes pergunto-me como pode lidar com a sua clarividência, de experiências acumuladas. Eu como "rata" aqui do seu café sinto-me em pêlo! LOL


Faço votos que, quando os meus filhos partirem em voos mais longos, não sinta como grave e irremediável erro o de ter abdicado dos meus desejos muitas vezes para lhes dar tudo o que me parece bom terem. De facto não sou do tipo de "chorar pelo leite derramado" (que raio de expressão!) pois cada opção tem de ser contextualizada no tempo, no espaço e nos afectos que se organizam nesse referencial a cada momento. Mas não posso dizer que o não tema.

Bom fim de tarde para todos!

noiseformind disse...

Em fim de tempo pascal resta-me aplaudir para já (não há tempo para mais) o "milagre" das 250.000 visitas comemorado ao longo do dia de hoje. Um quarto de milhão de visitas de conhecidos, desconhecidos, velhos e novos : ))))))))))))))))

marakoka disse...

envelhecer é coisa horrenda...e isto não é capricho das "almondegas" .. o probl são todas as falhas que a máquina nos oferece diariamente..

o meu probl não é saber se vou ser apetecivel aos 60, pq isso já sei de antemão q é diferente, pois a diferença existe dos 20 para os 30 para os 40 opsss (fiquemos por aqui) é saber se não dependerei doutros nessa altura, aos 60....ops fiz-me entender?
nesse sentido o envelhecer é terrivel, pq a vida é isto....

sei lá, hoje é domingo de páscoa, aquela historia do renascer..blá blá..

o ter descoberto que sou mais pecadora do que era antes de "conhecer o bento"

tudo isto deixa-me abalada, mesmo sem espelho

jocas maradas

Fora-de-Lei disse...

azulcereja 6:50 PM

"É tão mais dificil passar por estas transformações sem companheiro."

Pois é... mas não se pode ter tudo.

A capacidade de amar implica saber conviver - de bom grado - com corpos irreversivelmente marcados pela gravidez... ou com "barrigas de cerveja".

Se calhar, é por causa da falta dessa mesma capacidade que - a manter-se a tendência actual - seremos, em 2012, um país onde há mais divórcios que casamentos.

Ou seja, ser-se 'psi' será - cada vez mais - uma aposta no cavalo certo... ;-))

CêTê disse...

Azulcereja,
volte e peque mais vezes: postar uma vez por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.
Ke o patrão deste café me perdoe, por mais este abuso!


Bom começo de semana para quem re-inicia amanhã!

andorinha disse...

Fora de lei (11.21)
"A capacidade de amar implica saber conviver - de bom grado - com corpos irreversivelmente marcados pela gravidez...ou com "barrigas de cerveja".

A coisa mais bonita que disseste até hoje.:)
Eu bem sabia que lá no fundo és bom tipo.:))))

"É mais difícil passar por estas transformações sem companheiro."
Isso não sei, depende do companheiro.

Fora-de-Lei disse...

andorinha 11:58 PM

"Fora-de-Lei, a coisa mais bonita que disseste até hoje."

Desculpa lá, mas tens andado distraída... ;-))

andorinha disse...

Fora de lei (12.21)
Não tenho nada, achei lindo o que disseste.

Mas olha lá, tu é que decides o que eu acho ou não bonito??????:)))

Lusco_Fusco disse...

Eu tambem felicito o Fora de Lei.
A vida implica transformação física, mas o interior de cada um continua a fortificar-se. Que interessa o involucro se a prenda é a mesma?!

Lusco_Fusco disse...

Fora de lei, não estou a lamber-lhe as botas, longe disso ;-)

Aspásia disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Aspásia disse...

Então será que a idade conduz inexoravelmente a sexualidade à clandestin-idade? Apesar dos exemplos apontados creio que não.
O que se passa com a maioria é que as pessoas arrumam em diferentes gavetas coisas que formam o todo do ser humano - sexo, idade, personalidade, grau de conhecimentos (ou habilitações literárias), etc., enfim somos dissecados a toda a hora... assim não somos considerados pessoas inteiras mas agregados de características que evoluem em separado... por isso uma pessoa pode sentir-se aos 60 tão bem ou melhor que aos 50, até na aparência física, mas já será arrumada noutra arrecadação...

Bem, se os que lerem isto antes de se deitarem, puderem poupar um Kainever...;))), já tive alguma utilidade...

Bons ZZZZZZZZZZZZsssssss... até amanhã.

noiseformind disse...

Fazendo uma transição do tríptico do Boss (que fala do que um Estudo Americano para depois desenvolver um conjunto de previsões do estado do tempo para a vivência da sexualidade numa idade mais avançada) para a realidade portuguesa eu diria (tal como o Profeta disse e foi claro nas suas palavras):

-A coisa tá preta e não há pretos por perto para resolver a coisa.

Não vejo em solo luso tanto cândido envelhecimento a dourar refrigérios da carne que me faça partilhar do optimismo militante (e acima de tudo e ainda bem: CONTAGIANTE) do Boss.

Em primeiro lugar pela ausência de diálogo entre os géneros que marca a sexualidade portuguesa, que não vejo apaziguar-se nas novas (sub-20) gerações. Os homens mostram-se altamente ignotos quer da eroticidade feminina quer da calibração da sua sensibilidade em termos afectivos, continuam a cantar a história do Amor antes do sexo e a falarem do Amor Pragmático após a consumação. Ejaculadores precoces até à medula óssea do seu ser com a agravante de não terem nas mulheres obstáculo bastante ao sexo com mínimos, os homens portugueses parecem ter no seu envelhecimento sexual o prolongar das suas certezas relativamente ao género oposto. Existindo exigÊncia da parte da mulher, mudam de parceira.
Quantas noites calejadas de caipirinhas, caipiroskas, vodkas e whiskies não suportei eu sob a muito geral mas decisivamente acusatória expressão de "cambadas de egoístas, são uns filhos da puta" apontada aos homens lusos por mulheres que pouco mais tinham pecado do que exigir a um parceiro que por vezes até era esposo um prazer que encontram naturalmente com as suas próprias mãos no corpo mas que para eles parece dilena de Holofrenes.

Em segundo lugar o sexo e o orgasmo criam percursos e aqui o criar tb é "não-criar". Já aqui referi ad-nauseum que os neurónios "snap" integrados no processo de orgasmo não s mantêm indefinidamente inespecializados. Até aos 26 a rede neural mantém-se em crescimento pelo que qq experiência conduzente ao orgasmo encontra receptores de memória estáveis. Não criar esses percursores d resposta em tempo útil em que existe disponibilidade determina a "memória" da sensação de prazer generalizada. Ora criar este layout em tempos de expansão neuronal, constância ou regressão não é a mesma coia. Não se trata de sentir, trata-se das limitações neuronais de sentir impostas pelo cébrebro, trajectos que não são tão estruturalmente intuídos pelo tempo. Não me parece realista olhar para a penealização que encontrámos profissionalmente e pessoalmente na sociedade e depois dizer que se melhora simplesmente pq se envelhece, ou que se melhora apesar de num contexto de satisfação feminina crescente que não vejo por onde ela anda.

O decréscimo de actividade sexual não pode ser só atribuido a situações de doença. Há simplesmente a exigência que é colocada diante de um potencial parceiro como atributo de atractividade ao acto. Ou seja, a própria falta de matizes nos homens em Portugal condiciona as escolhas das mulheres. Uma mulher aos 50 ou 60 não tem tanta disponibilidade para abrir a sua intimidade a alguém que não lhe garanta sensações diameteralmente opostas ás que tem em memória e que regra geral não são as melhores.

O grau de vaginismo prevalente na população portuguesa (e sendo o vaginismo secundário cumulativo e requerente de cuidados adaptativos por parte do parceiro) faz-me pensar que as mulheres portuguesas são verdadeiras heroínas ao confiarem o seu corpo a parceiros dos quais pouco sabem. Este é um travão fortíssimo à intimidade em Portugal. Aurelie Goodwin refere muitas vezes que sendo o orgasmo feminino algo perfeitamente acessível à esmagadora maioria das mulheres em termos biológicos e psico-emocionais é totalmente inadmissível que seja visto como algo colateral em relação à sexualidade feminina. No entanto cá temos no texto do Boss a ideia peregrina de que a satisfação tem cambiantes altamente etéreas. Mas a anorgasmia vai subindo em termos de motivo para a não-sexualidade. De uns míseros 4% nas mulheres até 30 anos vai trepando para uns assinaláveis 40% nas mulheres com mais de 60 anos. O Estudo "Low sexual desire in midlife and older women: personality factors, psychosocial development, present sexuality" é claro nas suas conclusões:

"These results are supportive of the growing evidence against a simple model of midlife sexuality that depicts women as victims of their bodily and hormonal changes. Instead, life stressors, contextual factors, past sexuality, and mental health problems are more significant predictors of midlife women's sexual interest than menopause status itself. Evaluation and treatment approaches require consideration of the full range of contextual factors, including relationship quality, personality factors, past experience, and mental and physical health."

Ora em Portugal não me parece que os apartamentos da nossa classe média (e alta e baixa, já agora) estejam polulados de intensos relacionamentos ou de mulheres com experiências passadas assim tão frutificantes que a acrescentar à menopausa tenhámos assim tanta expectativa positiva.

Mansfield, Kock e Voda assinalaram no seu estudo que enquanto que a perda de qualidade sexual é assinalada com factores fisiológicos os ganhos acontecem com alterações de estilos de vida e que quanto mais radical é a alteração desse estilo de vida mais correlacionada estará com melhorias ao nível da sexualidade. Não me parece que esta conclusão seja consentânea com um envelhecimento onde o Amor per se evolui numa relação a 2 (Olha o Mário Santos a aparecer já aí a dizer que todos os dias aprende uma forma nova de agradar à parceira ; )))))))))))) ).

Mais. Não li ainda (e não tem sido por falta de leituras especializadas nesta área) um estudo em que uma relação de longo curso fosse apresentada como factor protectivo em relação ao decaímento da idade. Haverão, mas por azar sempre que pessoas como Walsh, Bernman e Bitzer (3 exemplos de trabalhos profundos quer de análise do state of the art, quer de análise dos trajectos seguidos pela análise profissional) realizados nesta área nos últimos 10 anos). Pelo contrário, o gradiente de correlação entre decrescimo de qualidade na vida sexual e padrões de alterações fisiológicas estão enlaçados com um parceiro de longa duração. O grau de plasticidade dos comportamentos do parceiro num país como Portugal não me parece factor de promessa de desejos carnais intensos.Entre 55% e 75% das mulheres portuguesas (consoante os estudos em que se queira fiar) aprsentam patologias de ethos psico-somática que despoletam no longo prazo problema fisiológicos e eu pergunto-me o que muda entre as mulheres portuguesas e as mulheres australianas, em que 75% asseguram a pés juntos que o orgasmo não é problema no dia-a-dia sexual?


Mudam os homens, malta... mudam os homens...


Não creio portanto que a situação tal como a Lusco Fusco a vê se altere nos próximos 30 aninhos, pelo menos. Desconhecedoras das suas próprias capacidades, normalmente sem memórias de intimidade conducentes a uma percepção pouco menos do que ligeiramente indiferente em relação a colocarem os seus corpos sob homens ejaculadores precoces que não lhes inspiram grande confiança em relação a colmatar problemas como vaginismo secundário ou anorgasmia as mulheres portuguesas continuarão a deixar que a fome escolha por elas. Mais fome acabam por fazer sexo, o parceiro revela-se mau na cama (ou em qq outro sítio) e entretanto lá descobrem que afinal não o amam e esperam mais 2 anitos até ao próximo momento de míngua e desejo que as levará a nova paixão que fará por elas a selecção do parceiro.

As que até à meia-idade não tiveram nenhuma sensação descritiva passam a ver nos "serviços mínimos" com o parceiro corolário de Amor que ainda arda algures. As que já a sentiram rapidamente se convencem que o que é doce acaba e a idade já não permite grandes "cavaladas".
Prevejo que assim será por muito tempo, até pq sempre que uma mulher exija seja o que fôr de um parceiro ele pode sempre virar-se para a pouco exigente mulher seguinte que certamente lhe irá aparecer desde que ele mantenha uma intensa vida social...

Mas de homens o Boss vai falar a seguir ; )))))))))))))) Promete ele ; ))))))))))))))))

Té mañana malta!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

noiseformind disse...

A "situação" que referi que nos foi apresentada pela nossa irmã Lusco Fusco é a de as mulheres repetirem a mantra abstínula de que "o Sexo sem Amor não presta". Repete-se esta mantra pq se Ama antes do Sexo e depois se cala a ausência de prazer obtido nesse Sexo ou se aldraba a coisa dizendo que se tem orgasmos a trouche-mouche quando eles não aparecem na realidade. Aliás, o problema de muitas mulheres começa a ser esta facilidade com que o orgasmo é apresentado socialmente e que depois parece um bicho de sete cabeças quando elas e o Zé estão lá na cama (ou, como sempre refiro, outra superfície qualquer) e elas lubrificam, o Ze atinge o orgasmo e elas ficam ali hiper-activas ainda excitadas (muitas vezes aqui há o twist de uma mulher se auto-condicionar a ter um orgasmo e dar-se por feliz com isso quando o que se passa é que APESAR de o Zé ser um incompetente a elevadíssima sensibilidade de certas mulheres ainda lhes permite ter um orgasmo com tão mau serviço de peças) e o Zé quer é dormir um soninho. Isto leva-as a uma de duas atitudes prevalecentes para continuarem dentro do modelo de Amor Romântico como elemento decisório nas suas escolhas em initimidade: ou desvalorizam o orgasmo ou então criam uma qualquer "doença" nelas que tanto desculpa o parceiro (E até o o endeusa ainda mais, por andar com uma mulher "doente") como as tranquiliza a elas. Não têm o orgasmo pq são "pouco sensíveis" ou então "precisam de muito estímulo" e os parceiros, por mais que as amem, não chegam lá a esse patamar sobre-humano de esforço. Não chegam lá com o pénis e portanto não chegam lá de maneira nenhuma, que língua e dedo é coisa que não é de bom tom uma mulher "decente" (palavra abjecta) usar, mesmo que ofercidas pelo parceiro.

; )))))))))))))))))

yulunga disse...

Sempre apostei no Fora da Lei, vai-se lá saber porquê...
;-)

noiseformind disse...

fora-de-lei,
Em relação a essas boas notícias para a classe em 2012 ; ))))) só tenho pena que só haverá gente para nos pagar as sessões além dos funcionários do Estado se entretanto passarmos a ser uma colónia de Espanha (e a Madeira passar a ser uma colónia de Marrocos, que aquilo já só lá vai de cimitarra) looooooooool loooooooooool loooooooool looooooooooool loooooooooooooooooooooooooooool looooooooooooooooooooooool looooooooooooooooooooool looooooooooooooooooooooool

noiseformind disse...

Su,
claro que tu casarias, neste cenário, com o Rei Marroquino, e serias poupada com a tua família e pessoas amigas à matança que seria feita de toda a gente que tivesse votado uma vez que fosse no Alberto João ; )))
E a tua descendência iria repovoar a ilha!!!!!!!!!!!!!!! ; ))))))))))))))) Não é lindooooooooooooooo??????????????????????????????????????????

CêTê disse...

Sr. Dr. Noise,
Bolas, bolas, bolas!
Tem de tomar o mesmo tónico do nosso professor. Não devemos esquecer que a amostra que chega aos consultórios pode não ser representativa de toda uma população.E depois as disfunções nem sempre vêm para ficar, estão condicionadas por factores diversos e bem mutáveis.

"olhem para os animais, não consultam Kamasutras nem psis - e vejam como se satisfazem"- Jesus depois de umas sangrias


(nõa me perguntem porque estou acordada e aki tão cedo)
Abraços.

noiseformind disse...

Cetê,
Vou por a tua avaliação e permiti-me retorquir que no reino animal só em 2 espécies a fêmea tem um orgasmo consciente e susceptível de afectar as funções motoras: os golfinhos e os cavalos. Sendo assim olhando para a NAtureza vais ver apenas exclusivamente orgasmos masculinos. Mas atenção, a Natureza está totalmente de acordo com a realidade portuguesa, nisto tenho de conceder. Além disso esse olhar para a Natureza é capaz de ser complicadito dado que os seres humanos são dos seres em que a presença de ferormonas é menos importante para a receptividade sexual (lubrificação, entumescimento dos tecidos vaginais, etc) da fêmea. Ou seja: entre estar excitada e estar apta para o acto sexual vai uma distância com o seu quê de respeitável. Tb aqui Portugal está de acordo com a Natureza, com o seu grau elevadíssimo de vaginismo ; ))))))))) secundário, que o de tipo ambiental, provocado pela Fauna ; )))))))))))))))))))) looooooooooooooooooooooooooool

O Profeta tb disse:
-Sede mansos com os psis, eles não têm culpa que mesmo depois de umas sessões as mulheres passando a conhecerem-se e a saberem o que querem na cama não encontrem homens que lhes dêem o que querem e passados uns meses essas mulheres heterossexuais até à medula estejam e relacionamentos íntimos com outras mulheres e todos os males vagínicos de que padeciam tenham passado. ; ))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))

noiseformind disse...

Ou seja, em suma:
Antes do psi as mulheres têm problemas...
Depois do psi problemas têm...

Fora-de-Lei disse...

andorinha 12:29 AM

"Mas olha lá, tu é que decides o que eu acho ou não bonito ???"

Desculpa lá... tens razão. Sabes, é esta minha incorrigível tendência para pensar que as mulheres - sem o racional apoio dos homens - não sabem como fazer escolhas acertadas... ;-))

Fora-de-Lei disse...

Lusco_Fusco 12:30 AM

"Que interessa o invólucro se a prenda é a mesma ?!"

É isso mesmo. No entanto, acredito que também haja prendas que se alteram quando não sabem conviver com as alterações do respectivo invólucro...

mentecalma disse...

Não tem nada a ver com o post em si mesmo (ou tem?) mas achei interessante esta questão num blog pelo qual passei (existem bastantes blogs estrangeiros sobre o tema saúde, coisa que não vejo aqui em Portugal) e resolvi fazer um copy and paste
(sorry)
diz assim:
Is Oral Sex... Sex?
Posted by Deb Levine
on Fri, Apr 14, 2006, 12:24 pm PDT Post a Comment
It seems silly, but really, whether or not oral sex is considered sex depends upon whom you ask. A study done a few years ago of young people nationwide concluded that most youth did NOT consider oral sex to be sex. (In other words, if you only had oral sex, you were still technically a virgin.)

Here are some other opinions:

Some people consider oral sex more intimate than intercourse because your mouth is in contact with someone's genitals.


Other people think intercourse is much more intimate because the man is penetrating the woman's body during vaginal sex.


Some people consider sex to only entail vaginal intercourse because it's the only sexual activity that can result in pregnancy. (Former President Clinton seemed to take this position.)


On the other hand, some people ask: Why call it oral sex if you don't consider it sex? Why not call it oral pleasuring or something like that?
It's okay to be confused. This conversation has been going on for decades. What's most important is to make sure you're comfortable with any sexual activities in which you're partaking. You can call it what you like.

Fora-de-Lei disse...

yulunga 3:47 AM

"Sempre apostei no Fora da Lei, vai-se lá saber porquê..."

Because we are brothers in arms. Tão simples como isso... ;-))

Fora-de-Lei disse...

noiseformind 3:54 AM

"Fora-de-Lei, em relação a essas boas notícias para a classe em 2012 só tenho pena que só haverá gente para nos pagar as sessões além dos funcionários do Estado, se entretanto passarmos a ser uma colónia de Espanha..."

Achas ? Pelo andar da carruagem, eu acho que em 2012 já não haverá nenhum funcionário do Estado... ;-))

Ameninadalua disse...

Bom dia!

Mesmo com atraso, desejo que todos tenham passado uma boa Páscoa; seja ela na companhia das vossas famílias, seja em qualquer outro lugar de passeio:)

Quanto ao texto do post, são tocados aspectos muito "duros" e particulares às mulheres...em que elas por incapacidade ou por inevitabilidade da vida e da sua própria condição de mulher,não podem ou não sabem resolver...

Sensibiliza-me a forma mas principalmente a lucidez com que o professor trata e analisa a questão...
Mais uma vez nos dá prova não só do seu saber mas principalmente da sua enorme capacidade de ler e entender os outros...pondo nisso toda a sua sensibilidade e sentido de humanidade que tão bem o caracteriza...

noiseformind disse...

Fora-de-lei,
Essa incorrigível tendência já safou muitos tipos de verem os seus cartões de crédito cancelados pelos bancos. As escolhas das mulheres são acertadas em termos estéticos, mas normalmente são sempre no limite do orçamento disponível, o que as revela pouco acertadas em termos financeiros ; )))))))))))))))))

Mentecalma,
Sexo oral... a esta hora da manhã já marchava uma mamadita descontraída... ai, ai, ai... vamos ver que surpresas e delícias o almoço me reserva ; )))))))))))))))))) fui um frugal penitente durante o fds da Páscoa, espero que recompensa preste e na medida do meu sacrifício esteja disponível aquando da minha visita ao KUXIXO pra almoçar.

Ameninadalua,
Ai que ela é uma charmosa, mas dada a pessoa para quem é o charme faço minhas as tuas palavras ; ))))))

Su disse...

noisinho ..nós não somos uma colonia, ops, q mania a vossa ....mas caso o fossemos não duvides preferia ser estangeira.. entendes baby
as tuas almongedas andam num labirinto?:))))))))))))))))))))))))
jocas maradas

a disse...

Há um preconceito enorme em relação a mulheres divorciadas e sexo. então se já atingiram a menopausa, maior ainda. é ridículo, mas este fim de semana assisti a conversas entre as minhas tias assustadoras. Mulheres entre os 45 e os 55 a dizerem frases do tipo: "já não presto" "Já não sirvo" "já passei o prazo de validade"
Para além disto acham que já nem sequer podem procurar sexo, porque já "não têm hormonas".

A minha mãe divorciou-se aos 40 e nunca mais arranjou ninguém, estou certa que não foi devido às memórias de sexo com o marido (porque ela sempre teve uma sexualidade muito saudável, que transmitiu muito bem para as filhas), mas porque não é correcto procurar sexo, por sexo, tendo filhos, dá mau exemplo!?!?!?!?!?! Ultrapassa-me, mas a verdade é que não sei como passou sem, eu sou muito mais nova e não consigo passar sem...e não tenho namorado (e é tão bom, e não é amor, é sexo).

Ameninadalua disse...

Muito obrigado senhor Noise!

E à laia de retribuição, o menino quando quer tambem sabe ser caloroso, simpático e muito atencioso mas tambem quando ele está nas outras vezes!!! :)))

Beijinhos

Su disse...

ops mais uma palavrinha miúdo sabido, se nós pts estamos como no reino animal...mudemos de zés...quem disse que prestam :)))
o probl qto a mim está spre nas mulheres que não os mandarem dar um curva ao planeta....
jocas maradas

mentecalma disse...

Há algo de errado na presunção de que a sexualidade tem idade. Não tem. Eu vou tentar explicar. Meu pai morreu há cerca de 10 anos e minha mãe ficou viúva tinha ela 43. Ficou destroçada e demorou algum tempo a enfrentar a sua nova situação. Com a minha ajuda e dos meus irmãos, ela conseguiu ir enfrentando a ideia de que ainda era nova e que precisava de voltar a viver. Com 43 anos, uma mulher ainda está no auge!
Demorou, mas há cerca de 2 anos que encontrou um novo "amor" (eu diria um namorado pois não fazem vida de casados mas encontram-se várias vezes - ambos são livres - especialmente aos fins de semana. Confidencia-me ela o que se passa. E o que ela me diz é que nunca foi tão feliz a nível do corpo, a nível da líbido, a nível sexual. Ela tem agora 53 e o namorado 58. Diz-me ela, com olhos brilhantes, que está a ter o que nunca teve e que, agora, o sexo para ela é algo que faz parte da sua vida como nunca fez (e que o meu falecido paizinho lhe perdoe, diz ela, mas que está certa que ele onde quer que esteja, a está a entender).
Estou convencida, pelas conversas que tenho com ela que a sua sexualidade talvez ultrapasse a minha em matéria de qualidade e até de quantidade.
Por isso, acho que vou esperar pelos meus 50 anos para aí, nessa altura, saber o que é a verdadeira SEXUALIDADE.

andorinha disse...

Boa tarde.
Discussão interessante a que vai por aqui.

Noise,
De tudo o que escreveste ressalto duas coisas:"...a própria falta de matizes nos homens condiciona as escolhas das mulheres."

"...até porque sempre que uma mulher exija seja o que for de um parceiro ele pode sempre virar-se para a poiuco exigente mulher seguinte..."
Não podia estar mais de acordo, eu que o diga.:)))

Fora de lei (10.49)

"desculpa lá...tens razão."
Não sabes como fico feliz por um homem reconhecer os seus erros e me pedir desculpas.:)))

a,
Esse preconceito existe e infelizmente, penso que está para durar.
Não entendo como mulheres podem dizer isso "já não presto", "já não sirvo", lá está o sexo tendo como finalidade a reprodução.
A vida acaba com a menopausa???!!!
Penso que os profissionais de saúde teriam aqui um importante papel a desempenhar perante essas mentes menos esclarecidas.:)

E claro que sem namorado também é tão bom, e não é amor, é sexo.
Totalmente de acordo contigo.

Su,
Tens razão, muitas mulheres suportam tudo só pelo pavor de não terem nenhum homem ao lado.
jocas maradas, miúda.:)

andorinha disse...

Mentecalma (1.27)
Acho que não é por aí, não vamos agora também distorcer as coisas.
Não se vai endeusar o sexo aos 50, partindo do princípio que aos 20 ou aos 30 ele não é gratificante.
Cada idade vive a sexualidade e o sexo de diferentes formas.
Eu vivo o sexo agora de forma diferente do que vivi aos trinta anos.
Não vou dizer se melhor ou pior, porque não faço essas confissões em público.:))))
E lá virão os psis dizer, que cada caso é um caso e nisto concordo com eles.

E agora tenho que ir, gente.:)
Até mais logo.

sem cantigas disse...

excelente

sem cantigas disse...

sem querer reforçar a presunção do comentário anterior repito: excelente pq ao alto nível esperado do autor

ser

noiseformind disse...

Mentecalma,
Lá está, direi eu que sou um terrível afagador de estudos e análises de grupo. Mudanças no estilo e forma de vida são consentâneas com melhorias a nível de satisfação sexual ; )))))) foi o que disse no meu comentário ; ))))))))))))

Mas concordo com a irmã Odete: a vida sexual de cada um é, por definição um mundo. Mas o problema é que o mundo de muita gente é muito parecido ; )))))))))))) e está nivelado por baixo loooooooooool loooooooooooooool loooooooooooooooooooool loooooooooooooooooooooooooooool looooooooooooooooooooooooooooooool

a,
Sexo sem namorado? O que é um bom investimento, apesar de a conta ser à ordem e não a prazo. Crescem os dois enquanto estiverem juntos dado que para estarem juntos o sexo e de forma mais abrangente a companhia tem de valer a pena. Há sempre uma espada de Dâmocles pairando sobre ambos baseado na premissa de que "ser bom" é algo que vos faz voltar e tem de estar lá para que o boomerang volte À mão que o lançou.
Vivo assim há muitos anos e como o Profeta previu sou feliz além dos meus sonhos, mesmo com todas as perdas com que a liberdade tantas vezes nos surpreende : ))))))))))

Onde anda a nossa irmã Moon? Tá caladita hoje ; )))))))))))))))

Andorinha,
; ))))))))))))))))) mandei raptar um cão em Estocolmo e entregar à tua porta entregando o seguinte pedido de resgate ao dono. "Se quer voltar a ver o seu cão venha à Rua #"$%$%# #$%#$%#$%#$ nro #$%# na cidade de /#%#$%#$% em Portugal e faça sexo louco durante uma semana com a proprietária do imóvel" ; )))))))) para que é que são os amigos?????????????? ; )))))))))

Su,
Tb já mandei raptar um gato para ti em casa de um alemão ; )))))))))

CêTê disse...

Isso das fêmeas (do reino animal)não terem orgasmos... é mais uma leitura masculina da coisa. O facto de não revirarem os olhos, proferirem a palavra de Deus em vão, encolherem as patas e imitarem a encenação das coelhas porno não quer dizer que não tenham orgasmos! Os machos é que são uns excibicionistas e a distância ao cérebro é milimétrica. Se não fosse por prazer por que raio é que as aves traiem os seus parceiros? Ainda por cima atra dos arbustos? Quanto às ferormonas... hummmmmmm creio que nos afectam muito mais do que parece. (As mulheres que convivem amiúde menstruam ao mesmo tempo, por exemplo.)

CêTê disse...

Não preciso de cão! ;]

Desculpe antecipar-me mas não vale a pena sacrificar mais animais.
(apaguei o que escrevi a seguir-mas diverti-me à mesms) LOOOOOOOOOL
fiquem bem

noiseformind disse...

CetÊ,
Tamanho respeito pelo bem-estar dos animais de estimação alheios é, to say the least, louvável ; )))))))))) Essa de meter a bicharada a gritar "Ai Meu Deus" seria o pesadelo de qq ser humano que, como eu, já acorda só com o cacarejar do galo. Imagino 11 Alaskans e mais 3 irmãos de outras raças em bacanal no meu jardim logo de madrugrada. Mesmo com os muros bem altos suspeito que não me safava de pesada multa pelo município de Matosinhos por "atentado na forma zoófila ao pudor" loooooooooooool looooooooooooool loooooooooool looooooooooooooooooooooooooooooool loooooooooooooooooooooooool
; )))))

noiseformind disse...

http://www.philosophy.ilstu.edu/horvath/PHI150/lloyd.FemaleOrgasm.pdf

... e cetêzinha, cá fica uma das minhas fontes machistas, que por acaso é uma mulher ; )))))))))) mal posso esperar por ver aqui publicada uma das tuas ; )))))))))

E agora malta vou-me dar no duro e fico em extase à espera que o Dono do Tasco publique aqui o textozinho dos homens para aqui a malta lhes cortar na casaca até mais não ; ))))))))))))))

Rui disse...

As mulheres pensam que há duas palavras-chave para a sedução, para o sexo e para o amor: beleza e juventude! E aí concentram todos os seus esforços.
É certo que ambas atraem mais do que a sua ausência... atraem tanto que às vezes se tornam numa maldição.
Claro que o que atrai profundamente não é isso ou, pelo menos, não é só isso.
A verdade é que as mulheres portuguesas são pouco simpáticas (não sei porquê, mas estou pronto a admitir que também é muito culpa dos homens portugueses).
Quando fui passar um mês aos Estados Unidos - Costa leste (não nas grandes cidades), a simpatia natural era de tal ordem que, ao princípio, pensei estupefactamente que elas se estavam a atirar a mim. Depois vi que não. O problema é que eu estava habituado à má cara feminina portuguesa, à sua fisionomia cerrada, às suas palavras e modos ásperos, à sua postura de sempre à defesa.
Para concluir: não há nada de mais sedutor, de mais atraente e, para mim, de afrodisíaco, que um belo sorriso a iluminar a face de uma mulher que nos olha! E às urtigas a idade mais a beleza! Tenho dito!

CêTê disse...

A minha fonte sobre estes temas é sináptica-prática-experimental. Não sou sexóloga nem psi (nem "médica de almondegas").

Sobre outros temas tenho uns favoritos ennnnnnnnnnnormes.


nb- Também, não sou, profissional do sexo! LOL



Também estou para ver o que haverá para falar para além do aparelho genital masculino a nível da vossa sexualidade. Bem.... talvez ... como gerir o comando? LOOOOL

(até logo. tb vou dar no duro)

CêTê disse...

"Depois vi que não. O problema é que eu estava habituado à má cara feminina portuguesa, à sua fisionomia cerrada, às suas palavras e modos ásperos, à sua postura de sempre à defesa.
Para concluir: não há nada de mais sedutor, de mais atraente e, para mim, de afrodisíaco, que um belo sorriso a iluminar a face de uma mulher que nos olha!"- Rui, Rui! deve trabalhar numa repartição pública e em Lisboa.

andorinha disse...

Noise,
Estás com uma genica enorme, hoje, miúdo.
Delicias-te com este tema, diz lá?

Sexo louco SÓ durante uma semana???
Muito pouco, muito pouco, o pedido de resgate tem que ser maior.
Loooooooooooooooooool

andorinha disse...

Rui,
Caro colega:)
As mulheres portuguesas são pouco simpáticas? Ora essa!!!!
Eu conheço mulheres simpatiquíssimas e homens antipáticos e vice-versa.:)
Não somos todas sisudas, reservadas, de modos ásperos, nem estamos sempre à defesa.
É questão de procurares melhor.:)))
Tenho dito!

Rui disse...

Claro que há excepções. Mas as mulheres portuguesas acham que são mais interessantes se forem duras, se disserem palavras pouco delicadas, ou se contarem anedotas porcas. Para mim, isto é a anti-sedução.
Lembro-me de há poucos anos atrás um espanhol me dizer que, em Salamanca, os espanhóis fugiam das portuguesas que lá andavam a estudar porque elas eram na sua generalidade muito malcriadas.
Acrescento só que sei muito bem que os homens portugueses são também motivo de desmoralização para qualquer mulher que seja verdadeiramente bela e que queira espalhar beleza à sua volta!

Fora-de-Lei disse...

Rui 6:50 PM

Compreendo perfeitamente o seu ponto de vista. Hoje em dia, em Portugal, há muitas mulheres que - julgando-se muito assertivas - são autênticas imitações-baratas do homem. E não é preciso ser espanhol nem ir a Salamanca para ver isso...

Ameninadalua disse...

Cê Tê :))))))
como sempre a sua resposta tem imensa graça!!!

Rui

às tantas começo a concordar com a CêTê , será que trabalha numa repartição de finanças!...:)
Desculpe a brincadeira mas deve tentar conhecer mais portuguesas...só deve. Quem sabe tenha uma agradável surpresa! :)))

Rosario Marques disse...

Epas! Isso é que é passar rápido sobre a menopausa! Como é? Quero mais....

andorinha disse...

Rui (6.50)
Não concordo nada com a tua análise.
Mulheres (ou homens) com essas características serão tudo menos interessantes.

Fora de lei (7.07)
Mas quem é que quer ser uma imitação e ainda por cima, barata, do homem?:))))
Falando mais a sério, existem mulheres assim, eu sei, mas essas, para mim, são umas pobres coitadas.

Lusco_Fusco disse...

Boa noite!
O Noise regalou-se com a "irmã Lusco". Espero que tenha saciado a descarga. Respeito a opinião dele. Quanto ás críticas ou rotulos é a maneira dele ver a questão, nada tenho a apôr. Quanto a mim, não mudarei uma virgula da minha conduta ou atenderei ao psi que há nele.
Não seremos nós os nossos melhores psis?!.....

Fora de Lei
Concordo. Efectivamente há prendas que com o tempo não convivem bem com elas próprias.

CêTê disse...

Rui,
Ahhhhhhhhhhh deve estar falar das "bonekitas". Pois, deve ter razão sim. Nenhum amigo meu que esteja casado com uma é feliz... Coitados. Olham só para a ergonomia e não lêem o rótulo. Depois? a felicidade resume-se a desfilarem com o pacote perante o olhar guloso dos outros.
Mas há-as 2 em 1 - como todas aqui neste blogue! LOL
Olhe: Tenha cuidado com as adorinhas se não ainda acaba com o ninho na cabeça! (estou a brincar andorinha)LOL

noiseformind disse...

Lusco-Fusco,
"Irmã" era no bom sentido ; ))))))) no sentido de partilharmos todos sangue caso seja preciso (Apesar do meu retro-tipo ser um cadito complicado de arranjar), no sentido de união ; )))))))))))))
E quem sou eu para mudar seja quem for com violência? Eu sou totalmente contra a violência. Pois eu sigo o Profeta e foi o Profeta que disse:

-Deixa pensar quem se dá ao trabalho de pensar mesmo que seja em sentido diverso do teu, pois muitos são os que nem isso fazem.

Portanto só de pensares pela tua cabeça e teres as tuas ideias tens a minha admiração total e incondicional miúda. E só de pensar que na Sexta te temos por perto eu e a Andorinha e restantes comensais até saltitámos (isto se entretanto o sueco não vier começar a pagar o resgate do cão dele) ; ))))))))))))

andorinha disse...

Cêtê,
Estás sempre a implicar comigo, que chatice! Loooooooooool

Noise,
Sabes bem que não há nenhum sueco que me faça não estar em Matosinhos na sexta-feira.:)

Lusco_Fusco disse...

Noise e Andorinha
Lá estarei no jantar e "qui ça" na apresentação do livro?!
Joka bonitão!
:))))

noiseformind disse...

Andorinha,
Mas sabes que eu tb n escolhia o cão de um sueco qualquer para raptar looooooool looooooooooool looooooooooool

Lus_Fus,
Fossem todas as guerras do mundo resolvíveis como as guerras que por aqui despontam e o Bush já estava num hospício à muito tempo ; ))))))) lá estaremos Sexta, com ou sem bomba má para desarmadilhar ; ))))))))

Felina disse...

A idade não é física ou temporal: é mental!
Acredito que se se viver cada segundo intensamente, até mulheres aque se consideram apagadas, podem desabrochar e tornar-se frescas e desejáveis, independentemente da sua idade.
O futuro tratará de comprovar se a minha teoria tem fundamento ou não...
Um beijo, Professor!