terça-feira, abril 25, 2006

Sem título.

Maralhal,
Peço desculpa pelo abandono. Ontem à noite, divertido pela animação do Gaspar no banco traseiro, deixei o carro deslizar um pouco em recta e a baixa velocidade. Foi o suficiente para dar cabo de lata e dois pneus nos limitadores de pedra da estrada. Fiquei danado, nunca tive um acidente sério por minha culpa na vida e o barulho não enganava - os estragos eram de monta. Um dos vários passantes que, solícitos, acorreram, disse uma frase estranha: "acabou por ter uma sorte tremenda, doutor". Saí do carro e olhei para lá dos mecos - dez a vinte metros de ravina, se não tivesse corrigido tão rapidamente a trajectória tinha-nos morto a todos. Hoje recebi uma equipa que vinha entrevistar-me a Cantelães e passei o resto do dia a ver os meus netos pintarem a manta. Lá no fundo, o pensamento era sempre o mesmo - por um triz e por minha culpa não estariam na piscina, no relvado, à mesa. Se algum de vocês passou pelo mesmo, sabe a que me refiro. Aos outros, só posso dizer que vir ao blog nem sequer me ocorreu...
Boa noite.

65 comentários:

noiseformind disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
noiseformind disse...

: ) já passou Boss... já passou ; )

noiseformind disse...

Só tivemos de meter uma algemas à Cetê que estava com tremuras e suores frios por falta de mais um post ; ) de resto tudo calmo por estas bandas. Foi só lata, é o que interessa. E no Verão de castigo vais fazer o curso de condução defensiva da BMW ; )

margarida disse...

Há sempre uma luzinha que ilumina o nosso caminho e ontem a sua não faltou.
Um beijinho muito luminoso

andorinha disse...

Júlio,
Como diz o Noise, já passou.:)
Estão todos bem, é o que importa.
Mais chapa, menos chapa, isso resolve-se.
Fique bem.:)
Um beijinho

Lusco_Fusco disse...

Boa noite!
Vir ao blog é o menos, o que interessa é que esteja tudo bem. Acontece a qualquer um e se pensarmos muito faz mal. Agora para a frente é que é caminho, Professor. Já passou!(Graças a Deus).
Beijoca e tudo de bom.
Até amanhã.
MJ

Pamina disse...

Ainda bem que foi só o carro:). É chato, mas comparado com o que poderia ter acontecido não tem importância nenhuma. Ainda bem, também, que os meninos andaram aí aos pinotes, pois isso quer dizer que não ficaram traumatizados. Na idade deles, felizmente não se devem ter apercebido do perigo que correram.
Um resto de noite descansada.

Anabelacps disse...

Descobri o seu blog por mero acaso... e que acaso feliz!
Parabéns, está excelente!
A banda sonora é igualmente remarcável, a dos anos 60! Sim senhor, voltarei a fazer-me passear por estes lados.

Aspásia disse...

Prof.
Também estranhei algo o silêncio, mas atrubuí a afazeres, como a todos acontece... agora é não pensar mais no assunto, felizmente não passou de um susto.
Beijinhos

Aspásia disse...

Ressalvo:"atribuí".

AQUILES disse...

São sempre momentos únicos.
Um Grande abraço e hoje já é outro dia, com coisas para cuidar.

Fora-de-Lei disse...

A atenção que dedicamos às brincadeiras de um puto sentado no banco de trás, ou o nervoso miudinho causado pelo seu permanente xinfrim, é muitas vezes tão ou mais perigoso que ir a falar ao telemóvel.

Ainda bem que não passou de chapa batida...!

Ameninadalua disse...

OOOOOOOOOOHHHHHH :(

Viver tambem é correr riscos...mas quando nos calha a nós e aos que nos são queridos!....

Enfim já passou :)))))))

Considere-se muito mimado e consolado mas tambem que esse sentimento de culpa seja rapidamente substituido por uma aventurosa lembrança que lhe fica para contar aos bis netos :)

Mário Santos disse...

Ainda bem que tudo não passou de um grande susto. E acho normalíssimo que não se tivesse lembrado de vir ao blog.

Manolo Heredia disse...

será o "doutor" que torna a frase estranha?

Su disse...

pof ,ainda bem, foi só o carro e já passou...a vida como bem o sabe é sempre cheia de coisas estranhas... e ficamos a remoer sem nexo..
já passou e tudo ficou bem
se....já não interessa ...
jocas maradas de bom tempo dentro de si

Angie disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Angie disse...

Professor: 1º o relato do livro, que nos congelou durante umas páginas. Agora, este susto em retroactivo...Se isto é para testar que para nós é como se fosse da família, acertou :) :)

Felizmente que não se magoou, nem aos seus, e felizmente que não magoou terceiros (às vezes escapamos mas causamos danos a alguns "passantes")

Bem diz o povo: «Ao menino e ao "borracho", põe Deus a mão por baixo» ...
(gostou do piropo?:0):0) Mas fiz uma ligeira adapatação semântica do provérbio...)

b' disse...

oh professor!!!

eu repito o que um murcónico terá dito, segundo o seu livro ;)

não se sinta obrigado a postar todos os dias!!!

afinal foi uma ausência de pouco mais de 40 horas...o que é isso entre amigos?

ainda bem que está tudo bem... :))

amanhã lá nos encontramos :)))
fique bem

@:)

a disse...

que sorte! a vida é de facto curta, mas ainda não acabou, felizmente!

maloud disse...

Ainda bem que foi só chapa! Mas o susto fica, não é?

CêTê disse...

Ó menino... (entenda-se: Noise) então o respeitinho?
Algemas????? ;]
(isso foi um acto falhado?)


Pois, professor, por acaso estranhei. Mas até pensei que uma estratégia sua para nos motivar para a leitura. ;]
Os homens são animais de hábitos e de facto...
Quando me acontece algo do género esforço-me por entendo-lo como aviso. Por isso professor, mime-os o tempo todo e vigie-os nas brincadeiras. Divirtam-se!
Nós por aqui ficamos bem e sabemos aguardar o queijo. ;P
(os seus miudos são liiiiiiindos, é verdade- e as crinaças tem um dom de encantamento que nos fazem esquecer por vezes regras e limites)bjnhs
O noise saberá entretere

yulunga disse...

Bom dia, bom diaaaa maralhal.

Dr. Murcon, Dr. Murcon...
Seu traquina, então eu não estou fartinha de dizer que os mecos não são para brincar ao bowling?
Ai, ai... este rapaz irrequieto...

A chapa é o menos.
Ninguém se magoou, pois não?
A criançada está toda bem e continua a pintar a manta, não é?
Logicamente que isso é o que importa.

Ameninadalua disse...

Oh professor!

É verdade, a Cê Tê tem toda a razão os seus meninos pequeninos (leia-se netinhos) são mesmo mesmo muito bonitos...encantadores!

Claro que a foto do livro nem sequer os deve favorecer muito :)

yulunga disse...

Angie
Gostei dessa do "borracho" :-)
E não fosse o Dr. Murcon uma figura pública e respeitável e eu uma rapariga contida, diria mais, diria um "pão".

yulunga disse...

Claro que estes comentários menos próprios nesta altura até são propositados.
Que é para aquele senhor que não tem caixa de comentários aberta, mas que gosta de meter o nariz na dos outros, que não abre a casa aos "filhos", mas que gosta de dizer como os outros devem educar os seus nas suas próprias casas...
... é para esse senhor ter mais matéria para novo artigo ou seja mais espaço para fazer novo buraco para se "enterrar".
Pela parte que me toca fiquei lixada com tão triste e deselegante artigo.
Troll...!

yulunga disse...

Por acaso até tenho um Troll de cabelo cor-de-rosa ao lado do PC.
Está feito! Está baptizado: Chamar-se-á Patcheco!
E está prometida a presença do mesmo num próximo encontro.

yulunga disse...

Manolo, ora viva.
Olha que não foi o termo "doutor" que tornou a frase esquisita, foi o após.
Soou estranha após ter percebido a ravina.
É quando se toma consciência.

Que bem que eu entendo o Dr. hoje e os seus pensamentos.
Aconteceu-me isso durante dias após aquele incidente com as crianças do Aquaparque.
Habitualmente ia com uma amiga e mais uma catrefada de sobrinhos dela e filhos de amigas, quase todos pequenos.
Mal entravamos, largavam as mochilas e lá iam eles doidos para as piscinas.
Era cansativo andar a controlar aquela criançada espalhada pelo parque e principalmente os que não sabiam nadar. Recolher a miudagem para o responso e para a ameaça de que ou obedeciam ou voltavam para casa.
Dias depois de se ter descoberto o que sucedeu, a consciência fez-me entrar em agonia:
E se tivesse sido com um deles? Que diria eu às minhas amigas ao voltar a casa sem um dos filhos? É o que é que eu teria feito?
O que soa estranho é o que poderia ter sucedido.
Apesar de nada ter sucedido, andei uns dias a bater mal e mais que uma vez cai em pranto.

yulunga disse...

É por essas e por outras que acho que não me apetece crescer com demasiada rapidez.
O tempo é relativo. A vida é relativa. A vida é um segundo.
Gosto de definir o tempo com esta expressão: It’s an heart beat.
As conversas de “gente adulta” irritam-me: programar a vida.
É num segundo que a Natureza mostra a sua força; é num segundo que se diz SIM a um pedido de casamento; é num segundo que se diz de uma relação: para mim, acabou; é num segundo que marcamos a ultima cruz que nos vai dar o totoloto; foi num segundo que Judas traiu Jesus…
Tudo o que se programou durante anos muda num segundo.
Comigo é: o que for, será. Logo se vê como se resolve. É irresponsável, bem sei.
Existe um pensamento chinês (salvo erro) que menciona qualquer coisa do tipo:
Para quê pensar num problema que ainda não existe?

Isto até parece um pouco antagónico, chorar pelo que não aconteceu e defender o pensamento chinês, mas são certas situações vividas que nos ajudam a dar mais valor à vida e a vê-la por vezes como aquele espaço entre dois batimentos de coração.
Acho que vou aprendendo; depois... logo se vê.

Angie disse...

Yulunga:

O tal Troll-JPP até tem cabeça, e muita cabeça.
(o cabelo do seu é que devia ser laranjinha:):): )
E tem além disso substância, também.

Pessoalmente gosto de críticos que dão a cara, como é o caso dele. E que além de dar a cara, veste a camisola, outro ponto que me deixa rendida, porque considero isso 1 prova de honestidade intelectual.

Mas a escorregadela a que alude, foi 1 enorme boutade, que me deixou boquiaberta. Precisamente porque não foi lá muito honesto. Ainda comecei uma missiva electrónica para ele, a propósito, mas depois desisti a meio, porque pensei com os meus botões Para quê perder o meu tempo precioso e gastar o meu latim?...Ele não disse aquela asneirada toda impropérica para "merecer" respostas, que nem se vai dar ao trabalho de ler (excepto no caso dos visados que se "defenderam").

Na minha opinião, a “coisa” merece uma leitura de psi, e chega um psi de trazer por casa como eu e como qualquer leitor.
- Sabe o que aquilo é? No fundo, e aliás à superfície?
("nada há de mais profundo do que é visível à superfície", como já não sei quem dizia...)
- É uma reacção violenta, encapotada e ao retardador da enorme mossa que lhe fez o meteórico blogue de VPP e CCS, "O Espectro".
Os autênticos visados são, não os comentadores, mas os próprios autores do blogue, que ele quis atingir, diminuindo-os e ridicularizando-os, através de uma "transferência" para os frequentadores da caixa de comentários.
O facto é que o ESPECTRO, de vida curta, foi 1 fenómeno demasiado marcante, logo e apenas pelos seus posts.
Ora, o tal Troll chegou a ser visado, mais do que 1 vez!
Mas o mais irritante para ele foi, além dos posts, o fenómeno de popularidade do blogue concorrente, com as suas crescentes fasquias no número de "entradas".
Essa custou-lhe especialmente a engolir: a abertura corajosa aos comentários livres, de certa forma ingenuamente gerida pelos donos do Espectro (que tudo admitiram, do lixo ao luxo).

Assim, ele aguardou um conveniente período de nojo (luto) e rematou golo como quem não quer a coisa, a coberto de uma pseudo crítica sobre caixas de comentários, e de um falso alvo: os seus visitantes.
Quando o alvo era... os visitados: CCS e VPV!

Muito desonesto, para quem optou por não abrir a sua própria caixa: concordo em absoluto consigo.

Para mim, esta é a leitura do caso.
De resto, há-de reparar que ele faz 1 pretensa generalização de comentadores e blogues, mas é o ESPECTRO que emerge, luminoso...
Nós nem estamos a vê-lo percorrer a blogosfera em busca de um vasto campo de pesquisa...E só isso conferiria a solidez necessária às pseudo conclusões sentenciosas a que ele chega.
Nem tão pouco disfarça: tomou a parte pelo todo, reduzindo o campo experimental, e não captou os cambiantes que a imensidão dos blogues apresenta, tal como também as diversidades do pretenso único “genotipo” “comentador”.
Embora eu deteste usar de juízos redutores e fórmulas extremistas de adjectivação, penso ele que não conseguiu escapar à exibição da sua soberba:
- de um lado, os tolos, os mentecaptos, ou os mal formados;
- e do outro, ele, o supremo juiz, o magnífico sábio, o ser humano de excepção.

Ficou-lhe mal: não está a falar de políticos, está a falar de pessoas, e pessoas concretas.
Um mundo estranho para ele, pelos vistos.

Por isso só nos resta, no fim, perguntar:
- Quem é que afinal será o diabolizador, o solitário, o eremita em busca de plateia (epítetos com que mimoseia os comentadores)?
A pessoa dele, está visto. Que também nos é imposta...ou nunca terá ele reparado?
Será que ele plebiscitou alguma vez a legitimidade dos seus tempos de antena?!!!! E porque raio se sente mais sufragado?

Disgusting...

PS- Quanto ao piropo ao Professor, estou ao contrário de si: é porque é 1 figura pública, claro! Se não fosse, não me atrevia... Em Espanha também não nos dizem “guapa!” e não é por isso que a gente leva a sério, não é?

lobices disse...

...bate chapas e tintas robialac, já lá dizia o antigo anúncio a preto e branco da nossa antiga televisão
...ainda bem que foi só isso
um abraço

maloud disse...

Angie
Como talvez saiba fui uma das "estrelas" do JPP. Respondi-lhe com um primeiro e-mail só tendo lido o período, em que nos citava. Depois de lido o artigo, mandei 2º e-mail. O primeiro ele publicou, era-lhe conveniente, o 2º não. Os meus "amiguinhos" tiveram menos sorte que eu.
Estou de acordo que nós fomos os peões da estupefacção que o Espectro provocou no rei da blogosfera, mas fomos mais do que isso. Servimos para afirmar que a net deve ser controlada por quem sabe, e o comentador deve ter acesso limitado. Ele nunca criticou os anónimos, nem os insultos, mas os nicks ou pseudónimos e os insultados. Pareceu-me um raciocínio algo enviesado.
Quem tem blog respondeu-lhe directamente. Eu tive a sorte de me ter sido oferecido espaço noutros blogs, para publicar na íntegra e sem censura a minha resposta ao comentador-mor. Fi-lo na GLQL, que publicou o meu 2º e-mail, o que para mim era suficiente. Estava lá tudo que tinha para lhe dizer. Um dos postadores deste blog também fazia parte do "bando". Outras "vedetas" deixaram os e-mails que o JPP lhes censurou, nas caixas de comentários. Como os li todos, nenhum era insultuoso ou menos próprio para publicação.
De qualquer forma, isto teve o mérito de nos alertar que, para alguns, a democracia é uma "chatice". E, entretanto, o debate sobre o cerne da questão continua noutros locais.

Como anteriormente disse isto não foram tricas entre blogs, mas algo mais sério.

yulunga disse...

Angie
Não lhe tiro o mérito da frontalidade em debates políticos, aliás a maioria dos políticos lava muito bem tanto a sua roupa como as dos outros. De facto esse mérito, se lhe pudermos chamar assim, não lho tiro. E disse se lhe pudermos chamar assim, porque quem opta por ser um crítico tem que dar a cara, não estando nesse caso a fazer nada de grandioso.

Mas se realmente ele queria atingir um blog que temporariamente lhe fez sombra, e já que é tão frontal, deveria tê-lo feito de forma directa e não dando voltas e voltas com caixas de comentários de blogs de canibais, de blogs de gente que de repente morreu e aos quais todos continuam a ir. E dai?

Citou de facto nicks mas também colocou etc., etc.
Eu senti-me incluída dentro dos etc. sem duvida alguma.
E não sei o que será mais baixo se estar a cobro do anonimato se a cobro dum vedetismo que permite dizer todo o tipo de grosseria.

Tenho algo alinhavado sim, que publicarei ou lhe enviarei ou ambas as coisas.

yulunga disse...

E agora o que me interessa mesmo é que amanhã vou estar com o Dr. Murcon e mai nada.
O resto são cantigas.

P.S. Vou levar o Troll Patcheco :-)

CêTê disse...

Boa noite para todos!
fkb desculmçpe mas dadnncontinuo de alsalgemas

andorinha disse...

Boa noite.

Não pretendo alimentar polémicas e muito menos esta entre blogues, mas em relação ao que foi dito pela Angie, Maloud e Yulunga gostava de fazer um pequeno comentário. Será o primeiro e o último.
Duas coisas apenas: se os visados por JPP são os autores do defunto Espectro (VPV e CCS), eles que se defendam, se assim o entenderem.
Se os visitantes são um falso alvo, não percebo tanta procupação e irritação da vossa parte, sinceramente.
Afinal quem são os visados? Parece-me haver aqui uma certa incongruência da vossa parte.

Ao contrário do que diz a Yulunga, não me senti minimamente atingida ou incluída em nada.
Continuo a dizer que concordo em grande parte com o que JPP afirma e continuo também a dizer ( tal como vocês implicitamente acabam por admitir) que isto são tricas entre dois blogues e , como tal, não deviam ser trazidas para aqui.

Mas já que abordaram o asunto aqui, como queriam, espero que possamos daqui para a frente abordar temas mais motivadores e não este "lavar de roupa suja".
Mas isto é, tão só, a minha opinião.:)

CêTê disse...

Isto hoje cheira a laca e verniz que tresanda LOL
Eu que sou nova nestas andanças não estou a perceber um (_._)inho!;P
Nas tb tenho muito que fazer.
Mas fiquei com a pulga atrás da orelha.
Até amanhã!
Professor-respire fundo e não pense em catástrofes- chega de pensar em coisas tristes! Abrace e trinque os netinhos até espantar o susto. Um abraço! (dormir com os ursinhos deles ajuda e nem precisa contar a ninguém que o faz- eles costumam suportar o intervalo entre apneias com olhar de botões!)
chuacK

Aspásia disse...

CêTê!!!

Aqui segue ajuda ao teu SOS, foi o mais urgente que pude...

********************

Abrir fechaduras com uma Bumping Key

Enviado por pi, Quinta, Agosto 25 @ 12:02:28 WEST
Este artigo dirige-se não só aos amantes de lockpicking, mas sim ao publico em geral, uma vez que a grande maioria das fechaduras existentes em Portugal estão vulneráveis a este tipo de ataque.
Membros da Toool estiveram no What The Hack a apresentar um método relativamente recente que possibilita abrir fechaduras e cadeados topo de gama em poucos segundos, sem a utilização de um lockping kit.
Apesar de partilharmos a informação da nossa experiencia e utilização do método, não nos responsabilizamos por qualquer acção punivel por lei que daqui possa surgir.
Apenas queremos alertar o publico em geral para estas questões de segurança fisica.
Seguem algumas fotos e texto adicional:

Básicamente a ideia é encontrar uma chave que consiga entrar na fechadura que queremos abrir (obviamente que não a abra, senão não era necessário mais nada ;), alterá-la e depois abrir a fechadura em poucos segundos.

Vamos então meter mãos à obra com a seguinte lista de material:
Uma lima de arestas triangulares, uma fechadura de porta, uma chave que entre na fechadura e um pequeno torno (não incluido na foto).

Aparência da chave normal:

Passemos a construir a bumping key:
Este processo chama-se construção de uma chave 999, ou seja, os vertices inferiores são limados até abaixo de modo a ficarem todos iguais ao mesmo nivel.

Bumping key já finalizada:
Podemos ver os vertices já limados e o batente da chave também retirado de modo a que a chave possa entrar um pouco mais na fechadura.

Aparência da chave normal e da bumping:
Podem ver a chave normal e a bumping key já terminada.

Vamos então testar a bumping key:
Para testar a bumping key, prendemos a fechadura firmemente no torno e inserimos a chave.

Com uma mão seguramos a chave entre o indicador e o polegar com a outra com o cabo da lima vamos dando umas pancadas:

ao mesmo tempo que tentamos rodar a chave:

Este processo baseia-se no mesmo principio da fisica das pistolas de lockping utilizadas por profissionais na área.

O processo de bater a chave para dentro da fechadura, gera forças que impulsionam os pinos para cima, possibilitando com alguma prática sincronizar os movimentos e conseguir muito facilmente rodar a chave em poucos segundos, equivalendo apenas a umas duas ou três pancadas.

Se não funcionar à primeira, nem à segunda, continuem até lhe apanhar o jeito, ou até os pinos moldarem a chave, uma vez que a liga metálica de que é feita a chave é mais mole que os a liga dos pinos.

Provavelmente muitos de vocês estão a pensar algo do tipo:
- Com tantas fechaduras diferentes, temos de andar com uma mochila cheia de chaves para conseguir encontrar uma que consiga entrar na fechadura que pretendemos.

Sim e não, ou seja, sim existem muitas fechaduras diferentes, mas se por exemplo forem a uma casa de chaves e perguntarem quantas chaves são encomendadas mensalmente, a resposta será por volta de uma centena de chaves diferentes.
No entanto, se perguntarmos de entre a centena de chaves quais as que são mais utilizadas em fechaduras e cadeados a resposta será apenas pouco mais do que uma dezena.

Esse grupo de dez chaves são precisamente as chaves mais comuns para as fechaduras e cadeados da zona.

********************

ENTÃO BOA SORTE!!!!;)))))))

Aspásia disse...

CêTê

Para ver as fotos:

http://www.ptnix.com/modules.php?name=News&file=article&sid=2531

Aaaaaaaaaaahhh! Parece que já te libertaste... deves ter um vizinho serralheiro, talvez...

Bjs

Aspásia disse...

Claro que agora todos vocês vão passar a praticar mais assaltos!!! Eu é que ainda vou ser a autora moral dos crimes... no que eu me fui meter!!! Ai ai ai... Por bem fazer, mal haver...:0(

yulunga disse...

Andorinhaaaaa
Alto e pára o baile.
Eu não acho que o principal visado seja lá o tal Espectro, mas sim todos os anónimos que comentam por aí.
E não gostei, e não gostei e “prontus” :-(

Já dei banhoca ao Troll e já lhe pus perfume e tudo.

Fora-de-Lei disse...

Do ponto de vista político, JPP - não deixando nunca de ser um verdadeiro democrata - situa-se, para o meu gosto, um pouquinho à direita. No entanto, do ponto de vista intelectual, é um homem com muito valor. E isso, para mim, conta muito mais do que o resto.

Mas deixem o Pacheco Pereira em paz. E não lhe façam a publicidade que ele não pediu e que, se calhar, nem merece. Pelo menos no âmbito que aqui tem vindo a ser discutido...

Ameninadalua disse...

Aspásia :)))))))))))

Francamente que escandaleira:) então a Cê Tê deve ter um visinho serralheiro! :)))

Devo dizer que estava entertida com leituras "pesadas" e espreitei aqui mas agora com esta piada já não me apetece mais coisas sérias:)))

yulunga disse...

Fora da Lei
Mau, mau...
Xiu!
Vê lá se queres que vá lá a casa deixar a letra da Mocidade Lusitana, meu infante(?)

Fora-de-Lei disse...

yulunga 11:42 PM

"Vê lá se queres que vá lá a casa deixar a letra da Mocidade Lusitana"

Mocidade Lusitana ??? Hehehehehe... a bufa chamava-se Mocidade Portuguesa.

yulunga disse...

O hino da feminina chamava-se "Mocidade Lusitana".
O poema original chamava-se "Giesta" escrito por Branca da Silveira e Silva e foi musicado por Frederico de Freitas.
Depois deixo lá ;-)

CêTê disse...

Aspasia e meninadalua:
LOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL


Ahhhhhhhh então era sobre o Pacheco? Que me perdoe a mãezinha dele mas esse homem é um pedante! Apesar de eu ser alaranjada ;]]] esse Sr. têm um travo de um citrino aberrante! É que há personalidades que até os disparates têm graça e divertem mas o tom em que esse senhor os diz (tipo estou a sofrer com a falta de inteligência dos outros como se de uma dor hemorroidal se tratasse dá dó!) Pronto tb já fiz o meu croché!
Estas algemas necrosaram-me!

Cila disse...

Então e o Sousa, Prof.? Urge recontratar esse homem, independentemente da sua (dele) opção clubística.
Se fosse o Sousa a conduzir, não apenas se divertia a ver a animação do Gaspar como participaria nela.
Vá lá... meta uma cunha à Gertrudes - ainda que por interposta pessoa, eventualmente através da Menina Maria - que ela sabe bem como poderá convencer o Sousa a retomar o cargo!

Falando a sério, ainda bem que apenas se ficou pelo susto.

Ameninadalua disse...

O JPP é sem dúvida um belíssimo exemplar de alguem em Portugal que tem preocupações sinceras ao nível do Saber...(contaram-me que tem uma fabulosa biblioteca e não é com certeza para enfeitar as estantes)...

Mas tambem e ao bom estilo português, gosta da crítica sistemática; não perde oportunidade de o fazer mas claro que isso não disfarça o seu "bocado de mau feitio" que o leva a defender afirmações polémicas como esta.

Julio Machado Vaz disse...

Maralhal,
Imaginem vocês que conheço o JPP desde a infância:))))).
De acordo com a Lusa, terminado o lançamento em Lisboa, regressarei a Cantelães para apadrinhar o retorno triunfal ao blog do Sousa, ainda afónico por cantar hinos contra o Glorioso!!!!!

yulunga disse...

MT

Troll
Inimigo dos gnomos. Os trolls são seres malignos que moram em cavernas. Preparam armadilhas para os animais e se divertirem com o medo que inspiram nas criaturas da floresta. Maltratam árvores, desmancham os ninhos e sujam as águas dos rios. São casados com as stregas, mulheres horripilantes com enormes unhas negras e uma longa cauda de asno.

Retirado do livro
O Guia dos Curiosos

yulunga disse...

Dr. Murcon

Imaginem vocês que conheço o JPP desde a infância:)))))

Eh eh eh eh eh eh
Que ganda bofetão cá na canalha miuda ;-)

Já me calei, pronto :(

yulunga disse...

Mas como desde miuda dou sempre azo a levar a segunda, só venho reafirmar que: eu levo o meu troll
:)))))

mtc disse...

Dr. JMV

"De acordo com a Lusa, terminado o lançamento em Lisboa, regressarei a Cantelães para apadrinhar o retorno triunfal ao blog do Sousa, ainda afónico por cantar hinos contra o Glorioso!!!!!"

Mais non, c'est pas vrai...:((((

Só pode estar a brincar ;))
Ou não ? :(
Diga-nos, Monsieur le Professeur, essa notícia vem de fonte fidedigna ? ;)




Yullie

Então vai lá ver o que são trolls internetianos ;))

mtc disse...

oh ! un troll !

http://images.google.pt/imgres?imgurl=http://www.timewarp-toys.com/troll.jpg&imgrefurl=http://forum.presence-pc.com/presencepc/LeMondedeLinux/Metal-Linux-sujet-223-5.htm&h=640&w=480&sz=12&tbnid=X0S1R8FLoR6JVM:&tbnh=135&tbnw=101&hl=pt-PT&start=61&prev=/images%3Fq%3Dtroll%26start%3D60%26svnum%3D10%26hl%3Dpt-PT%26lr%3D%26client%3Dfirefox-a%26rls%3Dorg.mozilla:pt-PT:official_s%26sa%3DN

e-konoklasta disse...

Só cá faltava eu, boa noite.

Sou um dos trolls que povoam as noites do JPP, mais exactamente: e-konoklasta, de "nick" segundo JPP, e de pseudónimo, segundo a minha prória pessoa, enfrarpelada de nicks, pseudos e avatares, a panóplia do bom blagger.
Claro, que indirectamente, é o Espectro que é visado pelo "esfregão" do grande "purificador", só que atira a as conspurcações para cima de uma dezena de pessoas que assumem responsabilidades e a quem essas manchas podem prejudicar. As pessoas visadas, nalguns casos, não o foram ao acaso. O homem sentiu-se muitas vezes perder pé, porque os blogues que ele designa, são ou muito bem escritos ou muito bem feitos. Razões para se interrogar sobre as suas insuficiências, para quem quer dominar a blogoesfera. Ele é a verdade e não são uns pobres trolls que irão fazer-lhe sombra... portanto, quanto a mim, pois que o Espectro já desapareceu, o desafio vem do nosso lado e é desonesto, porque o que ele diz é mentira. Agora é ao público que é preciso pedir contas.
Porr meu lado tenho 3 blogs a defender, 2 meus e 1 terceiro de um amigo.

Aspásia disse...

Além dos Trolls, há os Arimaspos, os Hiperbóreos e os Isedões... habitantes de um continente perdido. Os meus preferidos são os Arimaspos... Um dia destes talvez os convide para o Jardim...

Bons sonhos cheios de Trolls, etc....;))

Aspásia disse...

Bem, só para abrir o apetite: os Arimaspos tinham só um olho (eram ciclopes) e viviam por cima dos Isedões e abaixo dos Hiperbóreos no desaparecido Continente Hiperbóreo; além deles também havia os Cinocéfalos (com cabeça de cão), os Acéfalos (estes foram os únicos a perdurar até hoje!!!) e os Ástomos (que náo tinham boca... olha o que eles poupavam em comida, escovas de dentes, etc.)...
Tudo boa gente!!!

Bem, vou entregar-me a Hypnos, que já Chronos vai avançando...

noiseformind disse...

Relativamente ás faunas várias dos blogs são como as faunas várias de um Centro Comercial: sei que existem e tenho o direito de não lhes ligar nenhuma. Sendo assim JPP comentou sobre uma malta que o incomoda, não disse que A,B,C o incomodava. Acho engraçado o caso particular da Maloud. Por um lado usa o facto de o seu comentário ter sido escolhido para ter sido publicado no Abrupto como sinal da sua razão, por outro diz logo a seguir que o comentário seguinte não foi publicado por não ser conveniente. Como se o blog de alguém fosse alguma vez espaço que tivesse de ir além da reflexão pessoal que as pessoas fazem. Acho engraçado que milhares de pessoas tenham mailado JPP e tenho a certeza que 95% o fizeram mais na esperança de o seu mail ter aparecido para ser exibido para bloggers ver do que com alguma verdadeira rebelião. E agora amando-me a Fátima malta ; )))))))))))))))

Fora-de-Lei disse...

noiseformind 9:25 AM

Quem fala assim não é troll... ;-))

noiseformind disse...

FDL,
Sempre achei que aquela cena do LOTR em que eles matam o troll em Moria uma cena racista em relação à malta de sofre de trissomia 21 ; ))))))) (olha bem para a cara do troll e para um puto mongolóide a ver se aquilo não cheira a eugenia pura e dura) looooooooooooooool looooooooooooooooool looooooooooooooooooooooooooooooooooool looooooooooooooooooooool looooooooooooooooooooooool loooooooooooooooooooooooooooooooooool looooooooooooooooool looooooooooooooooool looooooooooooool loooooooooooooool

Fora-de-Lei disse...

noiseformind 9:52 AM

Noisy, o que não faltam por aí é "mongas" a precisarem de limpeza "(gen)ét(n)ica". Tendo por base, por exemplo, as reles cantorias anti-SLB, o cigano Quaresma é um deles... ;-))

Bolas, hoje estou mesmo xenófobo.

Rui disse...

Professor, já passei por uma situação semelhante (comigo foi a sintonizar o rádio do carro). A aflição e a nossa necessidade de consolo são sufocantes. No entanto, nunca há palavras que cheguem para nos consolarem do pavor do que podia ter acontecido a quem amamos mais que tudo. E vive-se com isto, aprende-se a viver com isto. Com cuidados acrescidos, porque pode não haver tanta sorte da próxima vez. Aqui fica a minha solidariedade.

Madalena disse...

Fico feliz por saber que a sorte tremenda o protegeu. E há-de proteger sempre, eu creio!

rb disse...

Só para duas coisas: subscrever totalmente o (sempre) iluminado comentário da Angie e dizer que mais nada há a acrescentar.