quinta-feira, maio 03, 2007

Mais uma luzinha...

Alzheimer: cientistas dão novos passos

2007/05/03 19:41

Descoberta de cientistas dos EUA pode levar a diminuição de sintomas

Cientistas norte-americanos descobriram que a redução dos níveis de uma proteína específica diminui os sintomas de doenças neurológicas, nomeadamente o progressivo e incurável Alzheimer, noticia a Lusa.
Esta descoberta é conhecida poucas horas depois de um outro grupo de cientistas, também norte-americanos, anunciarem que uma terapia hormonal pós-menopausa poderá ajudar as mulheres a combater a demência, um dos principais sintomas da doença de Alzheimer.
Num artigo publicado hoje pela revista «Science», os cientistas do Gladstone Institute of Neurological Disease (Universidade da Califórnia, San Francisco), assinalaram que ao eliminar a proteína «tau» em ratos modificados geneticamente para simular o Alzheimer, estes mantiveram a sua memória e o seu ciclo de vida normal.
Além disso, uma redução nos níveis da proteína conseguiu aumentar a resistência dos roedores aos ataques epilépticos.
«Este é o efeito terapêutico mais surpreendente que vi nos nossos modelos da doença», afirmou Lennart Mucke, professor de neurologia na Universidade da Califórnia e um dos autores do estudo.
«Se esta estratégia também resultar em seres humanos pode ajudar-nos a dar um enorme passo na nossa capacidade de tratar e prevenir as devastadoras doenças neurológicas», concretizou.
Até agora, a luta contra o Alzheimer baseou-se na redução dos níveis de proteínas beta-amilóides porque os neurologistas suspeitam que podem ser as causadoras da doença.
O Alzheimer afecta principalmente pessoas com mais de 65 anos e os seus principais sintomas são a perda de memória e a demência, provocando também a morte prematura dos doentes.


P.S. Ontem fui à Junta de Freguesia de Paranhos colaborar com a Associação Lágrima Humana num Encontro sobre Alzheimer. E, como de costume!, fiquei maravilhado com o empenho de toda esta gente: familiares, técnicos, amigos. Até agentes das Forças de Segurança estavam na plateia, caderno de notas em punho. Foi bom, sentir que a solidariedade continua por aí a preço de saldo: um dia inteiro sobre Alzheimer por meia-dúzia - literalmente! - de euros. Quando me lembro do preço de inscrição de alguns Congressos...

18 comentários:

thorazine disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
thorazine disse...

Era bom que num futuro próximo toda a gente se consiga "lembrar" do Sr. Alemão..:)

andorinha disse...

Boa noite.

Abençoadas luzinhas que nos vão mantendo a esperança...

AQUILES disse...

A solidariedade nunca está a preço de saldo. Tem sempre o seu justo preço. Há é muito poucos a abastecer-se por um preço justo nesta sociedade de egoismos. Gostei de ouvir um jovem a dizer isto mesmo, no progarama do António Barreto. Eles têm consciência de si.

AQUILES disse...

Lapso: programa

Aspásia disse...

A PEQUENOS PASSOS CREIO Q LÁ SE CHEGARÁ, SE NÃO À CURA, PELO MENOS A UM GRANDE RETARDAMENTO DOS SINTOMAS.

EM GERAL, O EXCESSO DE PROTEÍNAS, NOMEADAMENTE ANIMAIS, NA ALIMENTAÇÃO É SEMPRE DE EVITAR, POIS SÃO AS MOLÉCULAS QUE MAIS SOBRECARREGAM O ORGANISMO. POR ISSO SE SENTE SONO SE SE COMER MEIO QUILO DE CARNE AO ALMOÇO, MAS NAO SE SE COMER MEIO QUILO DE BATATAS...

ALIÁS TODOS OS VIRUS, AO QUE ME PARECE, ALGUNS DELES CAUSADORES DAS DOENÇAS MAIS MORTIFERAS DA ACTUALIDADE SÃO APENAS COMPOSTOS DE RNA E/OU DNA OU SEJA CADEIAS PROTEICAS E NÃO CONTÊM LÍPIDOS NEM GLÍCIDOS...PELO MENOS DO Q ME LEMBRO TER LIDO SOBRE O ASSUNTO.

irneh disse...

Para quando um regresso à TV? É das raras pessoas cujas palavras prendem...

thorazine disse...

Aquando a recente visita a portugal do James Watson, co-descobridor do ADN, este disse que num prazo máximo de 10 anos a grande parte das doenças mentais que afectam a sociedade contemporânea iam estar descodificadas e possivelmente "curadas". Ele disse que de toda a era da ciência esta era a que o mais entusiasmava e o motivava. Gostei da fé do homem! Especialmente por ele já estar na casa dos 90..e estar à espera de ver estas doenças curadas.. :)))


PS - Sabiam que o Dr. Crick, quando morreu deixou uma carta em que admitia que as suas experiências com LSD possiblitaram-no "sentar-se" em cima das moléculas de ADN! :) Assim como Kari Mullis, também premio nobel, inventor da técnica PCR que premite duplicar ADN e ARN apartir de fragmentos muito pequenos..e este assume-o ainda em vida! :)

Cristina Seabra disse...

Excelente notícia Professor. Creio que todos nós conhecemos alguém que acabou a sua vida de forma muito dramática, justamente pelo Alzheimer...
Os progressos da biologia molecular e da genéticaa, aliados à investigação no campo das neurociências, são a minha grande esperança para uma melhor compreensão de muitas patologias, não só as degenerativas do foro neurológico, como também as síndromes de dor crónica actualmente incompreendidas, como é o caso da fibromialgia, com a qual convivo.
As escolas de medicina em todo o mundo, segundo escutei pela boca dos experts internacionais num grande congresso, o ano passado em Amesterdão, formam os futuros médicos na dependência de provas "visíveis" do sofrimento. Como observadora, doente e representante de doentes, deu-me um gozo tremendo ouvir da boca de um guru (Prof. Robert Bennet) para os seus ilustres colegas, que afinal a ciência já "mostra" a dor: experiências com ressonância magnética funcional, feitas na Alemanha e EUA, provaram que quando os FMs dizem sentir dor, as áreas do cérebro que se sabe já,estarem envolvidas na dor, se "iluminam" com mais intensidade- coisa que não acontece com os grupos controlo, com indivíduos saudáveis, que obviamente têm um limiar muito superior à dor. Abençoados investigadores, certos psis e profissionais da área da dor- os médicos que melhor entendem estes pacientes.
Deixe-me dizer-lhe que a verdadeira solidariedade é sempre gratuita, paga-se a si mesma, e quem exerce actividades de voluntariado pode bem testemunhá-lo. Há uma alegria imensamente gratificante em sentir que se fez a diferença para melhor na vida de alguém. Não há títulos académicos nem dinheiro que paguem isso.

Um abraço e obrigada pela boa música que por aqui se ouve. (Acabei de escutar o fado tropical do Chico, na voz de Georges Moustaki, coisa rara...)

maiaToRga disse...

Aspásia,

O "intake" excessivo de proteínas animais na alimentação não tem nada a ver com Alzheimer... Os doentes com Alzheimer produzem demasiada tau porque estão predispostos geneticamente para isso. O sono que se sente quando se come demasiado deriva normalmente da digestão exagerada de lípidos ou gorduras, dado que a sua digestão implica alterações bioquímicas no estômago e produção de mensageiros químicos que induzem essa sensação de cansaço. Meio quilo de carne, tem uma quantidade astronómica de gordura especialmente se for vermelha, daí essa sensação.
Os compostos de RNA e DNA não são proteínas nem compostos proteicos, são ácidos nucleicos. Ao contrário das proteínas não são constituídos por aminoácidos mas por nucleotídeos que são algo diferentes na sua constituição.
Alguns vírus são de facto constituídos por uma cápside proteica e por um "core" com RNA ou DNA, enquanto que outros possuem um envelope em tudo semelhante à membrana das nossas células ou seja fosfolipídico, basicamente.

maiaToRga disse...

Errata:
O sono que se sente quando se come demasiado deriva normalmente da INGESTÃO exagerada de lípidos ou gorduras

A Menina da Lua disse...

Professor

Esta luzinha tem um brilho muito esperançoso!:)

Mesmo sem terem ainda sido feitas experiências em humanos, o processo descoberto parece em si ser duma enorme eficácia nos tais ratos geneticamente modificados pois e de acordo com o artigo da "Science" estes mantiveram a sua memória e o seu ciclo de vida normal.
Ao verificarem-se os mesmos efeitos nos humanos os resultados podem ser de cura total, será?

Pessoalmente é uma doença que me toca particularmente porque senti bem de perto os efeitos que ela provocou durante anos em minha própria mãe:(

A Menina da Lua disse...

Quanto ao empenho da Associação Lágrima Humana e da Junta de Freguesia de Paranhos tambem penso que a generosidade nunca tem preço e que as "boas" causas põem sempre em primeiro lugar e muito acima do lucro, os seus verdadeiros e reais valores.

Aspásia disse...

MAIATORGA

OBRIGADA PELA SUA EXPLICAÇÃO. QTO À INGESTÃO EXCESSIVA DE PROTEÍNAS PODER SER NOCIVA (CANSATIVA) P O ORGANISMO REFERIA-ME À SAÚDE EM GERAL E NÃO CONCRETAMENTE AO CASO DO ALZ. EM PARTICULAR.

MAS DE QQ MODO, TUDO EM EXCESSO É PREJUDICIAL, QUER AS PROTEÍNAS, OS AÇÚCARES OU AS GORDURAS...

maiaToRga disse...

Aspásia,

Aí é que está, é de facto nociva, mas não cansativa...

yulunga disse...

Bom dia maralhal.
Pois hoje é mais uma luzinha sobre a proteina que retarda, amanhã será mais uma nova luzinha sobre uma outra coisa qualquer que diminui basatante e depois de amanhã teremos a noticia da cura.
Parecem-nos luzinhas quando falamos de uma só doença, mas a medicina é um fogo de artificio constante.
Tenho lidado ultimamente com doentes de Alzheimer e uma das coisas que "defendo" que também retarda, de alguma forma, é a estimulação. Conseguir comunicar é uma vitória com um sabor grandioso.

Marx disse...

«...a verdadeira solidariedade é sempre gratuita, paga-se a si mesma...»

Cristina, concordo em absoluto. Tal como gostei do comentário que aqui deixou.

Júlio Pêgo disse...

O envelhecimento e a maior esperança de vida traz-nos novos problemas e desafios. A demência, por acumulação neuronal da tal substância amilóide, é temível... pois o paciente, inexoravelmente, vai perdendo a sua identidade.Existem doenças crónicas, variadas e incapacitantes, com controlo, permitindo estratégias de lidar com elas. Grosso modo, podemos dizer que o corpo "fala", quando vamos sentindo dores e desconfortos, ao longo da nossa vida... avisando-nos... Será que a doença de Alzheimer também de deve detectar, com outra semiologia, com outro olhar científico?
Júlio Pêgo