sábado, maio 03, 2014

Boa noite, gente.

12 comentários:

andorinha disse...

Fique bem, Júlio:)



http://www.publico.pt/local/noticia/secretaria-de-estado-da-cultura-autoriza-mudanca-de-actividade-do-cinema-londres-1634511

O antigo cinema Londres será uma loja de venda de produtos chineses.


Várias vezes fui ao Londres...
Mais um triste sinal dos tempos...:(


Fiquem bem:)

bea disse...

Hoje, Adriana Calcanhoto deu uma entrevista tão bonita de se ouvir e ver que me fez sentido o “somos todos iguais, mas uns são mais iguais que outros”. Há pessoas que valem a pena. Pela originalidade. Por serem simples e directas. Porque se apresentam desarmadas. Porque sim. Suponho que foi no programa “Só visto”.

Princesa Isabel disse...

É linda esta música... è lina esta canção! <3

andorinha disse...



Bom domingo! Bom Dia da Mãe, que é, afinal, todos os dias.



:)

bea disse...

Para todas as mulheres que são mães no natural de o serem - no corpo; ou na alma -: BOM DIA DA MÃE!!!


Dia da Mãe

Bem sei, não cumpri o prometido: nunca te dei o braço e não saí contigo em viagem; não te comprei um doce, um agrado onde os teus olhos se prendessem. Não sei sequer o que acordaria a tua atenção de passeio. Desconheço os teus sonhos mesmo teus, os anseios de raiz que calaste, quem sabe, até perante ti mesma. Ignoro o que pensarias da filosofia e dos filósofos, das teorias difíceis em que se enredaram para explicar um mundo que para ti nunca houve. Julgo que não sou a filha que criaste, que às vezes segui com os pássaros e o vôo me vestiu novas cores.

Se agora viesses, mãe, conhecias-me? Diz que me sabias até debaixo de água, diz que mudar a penugem não me roubou de ti. Diz-me como o Zeca na canção que era tão do teu gosto, “e embora seja ladrão, aquele que tem a mãe, lá tem no meio da luta ternos abraços de alguém”.

A verdade é que o meu egoísmo filial cerceou o saber-te de outros ângulos. Não sei as tuas cores preferidas, sei que não usavas vermelhos, laranjas ou amarelos e as cores suaves te atraíam; que detestavas o preto. Não sei, por exemplo, que casa gostarias de ter tido, como seriam os nossos quartos, a cozinha, a sala… se o teu gosto, ao menos por uma vez, tivesse contado. Como andaríamos vestidos e calçados…o que teria sido se…

Mas não se. E por isso somos quem somos. Desculpa não ter vislumbrado que te apagavas sem um som e julgar natural o teu sempre de sermos nós.

E, contudo, o meu amor contigo. Do tamanho da minha eternidade.

E biépi

bea disse...

A canção do Zeca: Quanto é doce

https://www.youtube.com/watch?v=DrU-3FCB5Sk

afinal a letra diz "ternos afagos de alguém" e não "ternos abraços":)

João Pedro Barbosa disse...

Professor? Não se esqueça dos óculos! Há uma linha. Que nos divide...

João Pedro Barbosa disse...

Princesa. Hoje vi! Quatro como a de lá de cima? E duas não eram as mesmas...

João Pedro Barbosa disse...

QUE GRANDE NUMERO QUE ESTÁ ALI EM CIMA

João Pedro Barbosa disse...

Da Forma Que Eu Já Vi Este País E Como O Vejo O Melhor É Continuar A Falar De Desgraças

João Pedro Barbosa disse...

Amanhã... É. Segunda! Feira?

andorinha disse...



Sem palavras, Bea...:)
Quanto sinto/vivo o que alguém escreve, as palavras não saem.
Foi o caso.

E obrigada pelo Zeca:)