domingo, julho 17, 2005

Esses cátaros fascinantes...

"A verdadeira Igreja de Deus é o coração do Homem". Belibasto, último Perfeito cátaro, queimado em Villerouge-Termenès entre Setembro de 1321 e Novembro de 1322. (E chegado ao martírio depois de uma vida em que violou os preceitos das duas Igrejas: a cátara, a que pertencia, e a romana, que o perseguiu, prendeu e condenou.)

Eu acrescentaria, no início da frase, "em última análise...", nada tenho contra a existência de uma hierarquia. Mas, se tivesse Fé, agradava-me pensar no coração do Homem como refúgio, altar e trono favoritos do Senhor.

63 comentários:

Andreia disse...

Obrigada pelo pensamento optimista com que nos brinda, Professor. Sabê-lo a pensar assim é, de facto, reconfortante!

João Mãos de Tesoura disse...

Estive na semana passada na capital dos cátaros, Carcassone. Fascinante, a história, o pensamento, a forma de estar.
Vale bem a visita, não pelas 3 estrelas do guia michelin, mas pela sensação única de se viver na "cité" épocas bem distintas, desde os romanos, mouros, visigodos, catáros e franceses.
E, mais a norte, havia gauleses que professavam "estes romanos devem estar doidos!".

Maite disse...

Exactamente, Professor. É precisamente aí (no coração de cada Homem) que Deus existe. A Instituição existe por uma necessidade social e tem como objectivo último ser um espaço de comunhão de todos aqueles que comungam de um mesmo projecto. Agora pensar que cidadãos livres e conscientes sigam cegamente regras feitas por outros homens depois de racionalizarem até à exaustão os princípios fundamentais que Jesus Cristo pregou, é tratar de forma redutora esses cristãos. Acrescentaria até, que se Jesus Cristo regressasse, trataria muitos dos que se dizem seus seguidores, como tratou os vendilhões do templo. A fé é um acto de amor, dádiva, tolerância e compreensão para com os outros homens, sendo eles imagens do próprio Deus.
Eu sou católica e praticante por tradição familiar e muitas vezes me rebelei (enquanto jovem) perante certas normas que me impunham, até que descobri que havia algumas que eram injustas mas que não tinham de ser levadas à letra por mim. Eu tenho uma consciência (que muito devo à educação cristã que tive)que me dita o que acho justo e injusto e por ela me pauto.

L. disse...

Fico-lhe grata por mais esta citação que não conhecia.
Assim tudo faz sentido.

António Pedro Ribeiro disse...

Professor, creio que há pontos obscuros na História dos Cátaros. Veja-se este excerto, da História do Cristianismo, da Bertrand, p. 322 - 323:
«Os Cátaros, como os primeiros maniqueus, acreditavam em duas divindades: um deus bom que tinha criado um mundo invisível e espiritual, e um deus mau que tinha criado o mundo visível material. Portanto, a matéria compreendendo o corpo humano, era má e era governada pelo deus mau, que os cátaros identificavam com o Deus do Antigo Testamento. (...) Os Cátaros estavam divididos em duas classes: os perfeitos, que tinham recebido o consulamentum, e os fiéis, que o não tinham recebido. Os primeiros viviam como ascetas em estrita pobreza, o que significava frequentes jejuns, castidade, vegetarianismo, renúncia ao casamento e recusa do juramento.» Curiosamente, tinham muitas das características negativas que se apontam à Igreja. Não estou a justificar a Cruzada contra eles - que já na altura foi justamente condenada. Mas é preciso dizer que esta comunidade tinha muitos pontos negros.

António Pedro Ribeiro disse...

O final do seu "post", subscrevo-o incondicionalmente.

frosado disse...

Maite, segundo Descartes, não é no coração do Homem, mas sim na cabeça, no "Cogito", mas seja num sítio ou noutro, como se explica Deus se não houver homem?

RAM disse...

Caríssimo,

Disse: "...agradava-me pensar no coração do Homem como refúgio, altar e trono favoritos do Senhor."
Mas assim é! Não "em última análise", todavia; mas porque esse constitui o verdadeiro sentido da mensagem de Cristo.

S. Tomás de Aquino, um dos grandes doutores do pensamento aristotélico na Igreja, dizia que: "A pessoa pode receber o Sacramento e não a coisa".

No fundo, o mais importante não são os ritos, mas a compreensão e interiorização de determinados principios.

Julgo ter sido João XXIII - o Papa do Vaticano II - quem disse: "O que é da fé é o CONTEÚDO DA FÓRMULA E NÃO A FÓRMULA".

Anónimo disse...

"O PS está tão desesperado com o Carrilho, que ordenou à Bárbara para mostrar o peito"
Quitéria Barbuda in "Efeito Cicciolina", Revista "Espírito", nº 10, 2005.

www.riapa.pt.to

Maite disse...

Cara Frosado mas "se não houver homem", quem, o quê e porquê explicar o que quer que seja. Já para não dizer que Deus é o princípio do Universo (acredito eu, claro).
Descartes diz que é na cabeça, S. Francisco (por exemplo) diz que é no coração. Duas teorias completamente opostas. Uma parte do princípio que o Homem criou Deus e a outra que Deus criou o Homem.

Julio Machado Vaz disse...

Meu caro António Pedro Ribeiro,
Não "idealizo" a doutrina cátara:). A sua condenação do mundo visível, em que as almas divinas estavam aprisionadas nos corpos humanos, levava-os a recusar a própria procriação, por levar ao aparecimento de mais "matéria do mal". Admiro, isso sim, a sua proximidade aos fiéis e o estilo de vida, inspirado nos apóstolos. Muitas das suas críticas ao clero da época, aliás, foram partilhadas por S. Francisco de Assis. E mesmo por S.Domingos, que os combateu calcorreando, como eles, os caminhos da Ocitânia e não a partir de palácios episcopais.

stardust disse...

:)

António Pedro Ribeiro disse...

Caro Professor: Certo!
Boa Semana, para si e para todos.

Olhar disse...

El surgimiento de esta corriente disidente con respecto a la instituición eclesiástica ya existente es(?) mayoritariamente de tipo social.Los cátaros llevan una vida austera y predican en la lengua del pueblo.Tenían casas de predicación en las calles de los burgos y se denominaban a si mismos Buenos Hombres o Buenos/as Cristianos/as. Alli vivían, vestidos de negro, sin comer carne y praticando la castidad, y además esas casas eran sus talleres de trabajo, escuelas, hospicios...Esta nueva iglesia no cobra diezmos predica en la ciudad, y trabaja para substitir. Leían sobre todo el Nuevo Testamento en lengua occitana, y lo contraponían al Antiguo: el Dios Bueno no pudo crear este mundo sin Lucifer. Los hombres eran ángeles caídos que tenían que libertarse de este mundo. Cristo seria el enviado de Dios para indicar el camino de salvación. Non reconocían la natureza física deste ni veneraban la cruz, que para ellos era un instrumento de suplício. El clero veía además en la mujer la fuente de todo pecado y perdición. En la Iglesia cátara la mujer consolada era igual de pura que el hombre. Sus predicationes no tenían nada de escandaloso, por lo que podian calar en cualquier cristiano. Pero que el pueblo incluso las damas de la aristocracia encontraban su lugar entre estes herejes: los Trencavel, del Vizcondado de Cascasona, Albi y Beziers, las damas del condado de Foix, e incluso Raimundo VI, conde de Tolosa, se muestra tolerante con ellos. La prática religiosa la via de salvación era rechazo a la violencia, la mentira..., el único sacramento fundado en el antiguo testamento era la imposición de manos, y rezaban el Padrenuestro y compartían el pan en memoria de Cristo, pero no consideraban que alli se encarnara. La imposicion de manos ( consolament) era a su vez bautismo, penitencia, ordenación ey extremaunción. Para los enfermos y para el perdon de los pecados lo podian ejercer incluso las Buenas Mujeres. No aceptaban que Dios fuera el creador de nada neste mundo, que consideraben que era un inferno transitório, del que todos saldrian para ir al verdadero Reino de Dios. Todas as almas se salvarian, y la que no, volveria a encarnarse. Tener hijos era alargar la vida de este lugar y traer as almas a este mundo de Lucifer y parece que quando a cosa se lles llegó a poner muy adversa practicaron la endura, que era una especie de suícidio mistico a causa de un ayuno total...
Tras la actitud de la Iglesia, el concilio de Létran de 1179 se va formando la idea de la intervención armada...
Uff!!!:))

e. disse...

Caro Professor: será difícil e complexo, mas natural, afinal, pensar com todo o corpo desse altar.

Se nada mais conhecemos, assim tão profundamente, para que depositar confiança em altares mais arrebicados e dourados?

Cristo falou desse altar.
Que mais poderemos acrescentar?

Entretanto, aprecio as suas reflexões, que nos prendem à terra e nos remetem ao corpo.

Julio Machado Vaz disse...

Olhar,
Bom trabalho:). Merece o consolamentum!

Rataplan disse...

Prof. JMV,

Como quase sempre, adorei o programa de hoje! Vi-me retratada no e-mail da telespectadora, o que é simpático. A diferença está em que eu decidi não ficar. Fui-me retirando emocionalmente da relação e de forma voluntária. A questão dos ciúmes e da ausência deles, foi uma surpresa para mim que até hoje me espanta. Esta relação foi fortemente enriquecedora e descobri coisas em mim que não imaginava. Hoje sinto-me mais mulher! Sou amiga dele e muito dificilmente me conseguiria zangar.
Tem toda a razão quando fala da diferença entre homens e mulheres divorciados. Também comigo, os maridos dos casais amigos se “atiram” e muitas das vezes de formas escandalosamente evidentes. Conseguem fazer-me sentir um nico de gente. Às vezes penso que acham que sou um táxi com uma luz verde.
Em relação ao frango, eu prefiro as coxas!

Obrigada pelo programa

Crisis disse...

E posso-lhe dizer que, para quem tem fé, o coração do Homem é mesmo tudo isso! Graças a Deus... :)

lunema disse...

**

Teixeirinha disse...

Pois é Professor, uma fé para consumo interno em casa, totalmente dissociada do mundo, para ser tomada em grandes festas de amigos que partilhem da nossa fortuna, que maravilha, que cómodo, que pratico, que consumista, que facilmente dispensável em pins, relógios da Swatch etc etc etc. E ou se escolhe a hierarquia ou essa calma plácida face ao mundo, que higiénico. Que bom, que salutar, que delicioso. Pois, tem razão Professor, uma fé assim nunca geraria uma hierarquia, havendo uma discussão entre essas vontades caridosas tudo se dissolveria e ia cada um continuar a sua "caminhada contemplativa". Mas felizmente o exemplo de Cristo ainda frutifica, se calhar precisando de uma boa poda, mas frutifica

Adoro os seus livros, especialmente o MUROS

João Mãos de Tesoura disse...

Para os que quiserem conhecer melhor os cátaros:

Em inglês: http://en.wikipedia.org/wiki/Cathars

Em português: http://pt.wikipedia.org/wiki/C%C3%A1taro

Em castelhano: http://es.wikipedia.org/wiki/C%C3%A1taro



P.S. O inglês é o mais completo. Andamos todos a ler o mesmo. :)

Tiago Pereira disse...

Teixeirinha, que belo quadro, mas olha que outras pessoas seguindo outros modelos chegam lá, eu próprio não frequento templos mas lá vou dando a mão no voluntariado, o que interessa é não sermos indiferentes À desgraça que acontece à nossa volta não achas? : )

Professor,

"Mas, se tivesse Fé, agradava-me pensar no coração do Homem como refúgio, altar e trono favoritos do Senhor."

Se tivesse Fé? Então arrange-a e depois palestre à vontade sobre almas, salvações e afins. Não lhe parece um pouco... tipo... exagerado querer moldar o mundo ás suas necessidade salvíficas, à sua big question? Fica a pergunta no ar ; )

Abraço e bom dia para todos

;))) disse...

tp
abraço e bom dia para ti pá

Tão só, um pai disse...

A Igreja Católica é uma instituição dos homens. Como tal, padece dos seus males. Esquecendo-se, talvez, de que a fé, como o pensamento, é libertadora, e que a condição de se estar vivo é um acto de alegria. Como tal, determinadas imposições históricas serão sempre derrubadas nas nossas consciências, independentemente das interpretações desvirtuadas que se façam da Palavra.

yulunga disse...

Maralhal amigo, bom dia.
Sobre os Cátaros o que sei é vago demais para falar seja o que fòr.

João Mãos de Tesoura
Gosto da djellaba

RAM disse...

Teixeirinha e Tiago Pereira,

Já o referi inúmeras vezes aqui e faço-o outra vez: a alegada imposição de pontos de vista que assacam ao Professor Júlio Machado Vaz e tantos outros que aqui comentam - ponto de vista do qual não partilho de todo porque conheço o Prof. o suficiente para saber que tal atitude é contrária a tudo aquilo em que acredita - essa imposição, dizia eu, tem-se vindo a revelar, isso sim, uma idiossincrasia vossa.
Não pelos pontos de vista que são expressados, mas pela sobranceria com que o fazem.
Meus caros, a VERDADE não é propriedade nem de vocês, nem de ninguém!

Cuca II disse...

Bom dia,

Completamente de acordo RAM...

Cada um tem a sua dimensão e esta reflecte-se também na dimensão das suas palavras.
"Fé" não é uma palavra interdita nem mensurável... acreditarão mais muitos que a questionam que outros que a adoptaram como palavra "chave".

andorinha disse...

Olá Júlio e maralhal.

Ram(11.40)

Partilho totalmente a tua opinião.
Nunca vi aqui (nem em qualquer lado) o Júlio tentar impor os seus pontos de vista a alguém, portanto ser alvo dessas críticas é de uma injustiça atroz.
Também eu o conheço o suficiente para saber que ele nunca assumiria tal postura.
Não somos livres de expressar as nossas opiniões? Alguma vez ele condicionou alguma coisa?
Como dizes - "A VERDADE não é propriedade de ninguém".

teixeirinha(1.38 am)

"...o exemplo de Cristo ainda frutifica..." - lendo o seu comentário, ninguém diria!

tiago pereira(10.15 am)

"Se tivesse fé? Então arranje-a e depois palestre à vontade sobre almas...".
Esta então é de bradar aos céus!
Vai-se ali ao supermercado da esquina e compramos um bocadinho de fé...
E só quem tem fé é que pode falar de almas, salvações e afins?!
Nós, os não-crentes estamos proibidos de abordar estes temas?!
Também deixo a pergunta no ar.

Afinal quem quer impor pontos de vista a quem?

Já agora deixo aqui uma citação que me parece oportuna:
" O oposto de uma afirmação correcta é uma afirmação falsa. Mas o oposto de uma verdade profunda pode ser outra verdade profunda".
Que tal reflectirem um pouco nisto? Talvez deixem de se considerar os detentores da VERDADE.

circe disse...

Olá Gente,

Onde andará o Lobices, que não dá cavaco às tropas desde sábado?

hum não acham que aqui há "gata"?

ts ts ts

andorinha disse...

Cuca (12.41)

Li agora o teu comentário.
"...acreditarão mais muitos que a questionam que outros que a adoptaram como palavra "chave"."
Sem dúvida.:)

e. disse...

Desculpem,

começo assim a medo,
mas não tenho encontrado sobranceria,
talvez alguma indelicadeza ou falta de tacto ...
e tonteria,

que têm sido registos também meus.

mas perecem-me sobressaltos
dos regimes caóticos da natureza.

da lua?
do cérebro?

Que sei eu?

Julio Machado Vaz disse...

Portocroft,
Obrigado pela Maria. Não a temos todos?:))))))

Joana (aka stardust) disse...

:(

Parece-me que o rumo que alguns comentários tomaram é de quem não tem fé no coração do homem (e, neste caso em particular, no verdadeiro homem do blog ;) ). E, assim sendo, que alicerces existem nas hierarquias que tanto estão a defender?
Conheci este blog de forma completamente casual e há muito pouco tempo (a vida dá-nos estes rebuçadinhos... e devemos aproveitar!), mas não vejo o prof. Júlio a querer impôr opiniões. Todo o contrário: este blog parece-me uma fábrica de opiniões... ou ruminações! Estarei correcta?

:)

sadpet disse...

off-topic...Circula na Net um artigo do prof.(?) em que fala da investigação dum(a) Dr. Karen Weatherby. Porém, não existe essa investigação...Deveria ter tido mais cautelas. Embora a hipótese até possa ser verdadeira.
PS- Aceite o reparo de quem gosta de o ver/ouvir (e de apreciar o peito das mulheres)

Cuca II disse...

sadpet,

Boa tarde,

Desculpe a intromissão mas serve só para esclarecer que isso tratou-se de uma brincadeira do Professor há uns meses atrás aqui no blog... Alguém pegou nisso e fez uma montagem :))

Olhar disse...

Olá boa tarde a todos, e, obrigado Professsor:), mas não vi nada sobre o como "lidavam" com o amor..., isso sabe-se?

Tão só, um pai disse...

Olhar, tanto quanto percebo, pelo que li algures, eram celibatários ferrenhos ...

Zsazsa disse...

Nesta aqui não consegui pescar a indignação de alguns dos participantes em relação ao que disseram dois participantes. Se uma pessoa não tem fé então pq se coloca diante de Deus? Para dizer que graças ao seu intelecto poderoso conseguiu libertar-se das suas amarras e os que acreditam são uns "coitaditos"? Sim, pq não sendo católica praticante e tendo perdido muita da minha fé não deixei, tal como outros aqui expressaram (e ao longo desta caixa de comentários tÊm sido barbaramente atacados por isso) de dar parte do meu tempo para ajudar os outros, tarefa da qual não abdico. Quer dizer, um cristão por se esforçar por ajudar os outros deve ter vergonha disso? Ou como o outro faz dar 1/3 dos seus rendimentos para causas meritórias deve ser motivo de opóbrio e de "soberba", e normal comprar mais um carro de dois em dois anos? Ou, tal como a Teixeirinha disse lá em cima, alguém fazer alguma coisa incomoda o pessoal nas suas festas e mundos herméticos? Parece que sim, pq eles não atacaram ninguém, disseram que quem não tem fé não pode discutir em tom de igualdade com quem a tem, pq quem a tem estará sempre limitado pelo exemplo de Cristo e por um conjunto de aceitações não codificadas pelo que argumenta de fora da fé... Mas ainda bem que vos incomodam (e a mim, para ser sincera) tanto pessoas que expressam a sua fé, só mostra que ainda são sensíveis à mensagem transcendente ;)

Beijinhos para tutti-frutti

Pamina disse...

Boa tarde JMV e maralhal,

Olhar e demais interessados nos Cátaros, o João Mãos de Tesoura(2.24) indicou já o site da Wikipedia. Vou deixar aqui também o endereço de um site chamado "Le Glossaire du Catharisme", onde se encontra alguma informação interessante, apesar destas definições "por palavra" serem, por vezes, demasiado redutoras.

www.cathares.org/glossaire1.html

Pela biografia, o Belibasto parece ter sido uma pessoa, igual a todos nós, com os seus defeitos e virtudes e, como tal, poder-se-ia dizer que foi profundamente "humano".
Foi vítima de uma abjecta traição por parte de um amigo, ou melhor, de um "agente infiltrado" a soldo da Inquisição que consegui ganhar a sua confiança. Li que após ter sido preso, juntamente com este delator (neste caso, no fim o "agente" não foi com a menina pr'ás Bahamas como o James Bond), tentou convencê-lo, em vão, a receber o consolamentum (género de baptismo) e a suicidar-se consigo próprio, de modo a irem ambos directamente para o céu.
Parece-me uma atitude muito cristã, ou, melhor, "a" atitude cristã por excelência, ou seja, perdoar aos nossos inimigos.

Relativamente às considerações do Prof. JMV, interpretei-as do seguinte modo: se se acredita num Deus Pai (que nos criou à sua imagem e semelhança), então em que outro lugar poderá esse Pai desejar
encontrar-se, senão no coração dos seus filhos?

Pamina disse...

Maralhal,

Acabei de tentar abrir o site que mencionei e, neste momento, parece estar em baixo, mas o endereço está correcto. Há cerca de 1 hora, estava a funcionar bem.

zsazsa disse...

queridos amigos

gosto tanto do peter e do tiago que apareço sempre colada a eles e a explicá-los melhor não vá alguém pensar mal deste santinhos

abraço e boa tarde para todos

Cuca II disse...

ZsaZsa,

A interpretação que damos a um tema não é a única, nem melhor que as outras... é como a Fé! - não é?! Podemos não "ter" a fé cristã e ter-mos outra, nem melhor nem pior, sujeita tb a críticas mas respeitosamente nossa ou dos outros e com o devido espaço para ser assumida.

. Quanto a uns serem "coitadinhos" e outros de "intelecto poderoso" trata-se de uma classificação que mais ninguém é por ela responsável.

Gostava ainda de escrever sobre o facto de a solidariedade ter sido aqui chamada, mas não tenho mesmo tempo...

Julio Machado Vaz disse...

Pamina,
O agente era Arnaud Sicre, que obteve como recompensa os bens confiscados a sua mãe, famosa cátara. Foi utilizando o nome dela que pôde aproximar-se das comunidades cátaras refugiadas em San Mateo e Morella. Quanto ao resto... é isso:).

Julio Machado Vaz disse...

Olhar,
Para os Perfeitos, nem pensar em componente carnal do amor, nem se podiam sentar no mesmo banco de pessoas so sexo oposto:). Nos fiéis era tolerado, mas não depois de receberem o consolamentum e, de preferência, sem descendência. Quanto ao amor ao próximo era "obrigatório" por amor a Cristo. No casal, um "amor assexuado" seria preferível, claro. Por razões diferentes, ainda desconfiavam mais da Carne do que Roma. Agora, imagine que a Inquisição acusava os Perfeitos de incitarem ao deboche sexual:).

lobices disse...

...em última análise concordo!
...
...ora vivam!... Não, não fugi... fui até à capital ao tal jantar de blogs e aproveitei para lá ficar o fds... acabadinho de chegar, vou por esta tralha toda em dia e depois regresso á minhas "lides murconistas" (ontem "vi-o" no rtpn; de quando era aquele gravação?...)
...um resto do dia feliz para todos

PortoCroft disse...

Caro Prof. m8, à 1:27 PM,

Eu já tive duas. Pelo menos.;)

Julio Machado Vaz disse...

Lobices,
Tinha para aí três semanas.

Portocroft,

Também não é preciso achincalhar:).

RAM disse...

Cara Zsazsa,

Tiago Pereira disse...
"Se tivesse Fé? Então arrange-a e depois palestre à vontade sobre almas, salvações e afins. Não lhe parece um pouco... tipo... exagerado querer moldar o mundo ás suas necessidade salvíficas, à sua big question? Fica a pergunta no ar ; )"


Então arrange-a?
Moldar o mundo às suas necessidades salvíficas?

Teixeirinha disse...
"Pois é Professor, uma fé para consumo interno em casa, totalmente dissociada do mundo, para ser tomada em grandes festas de amigos que partilhem da nossa fortuna, que maravilha, que cómodo, que pratico, que consumista, que facilmente dispensável em pins, relógios da Swatch etc etc etc. E ou se escolhe a hierarquia ou essa calma plácida face ao mundo, que higiénico. Que bom, que salutar, que delicioso. Pois, tem razão Professor, uma fé assim nunca geraria uma hierarquia, havendo uma discussão entre essas vontades caridosas tudo se dissolveria e ia cada um continuar a sua "caminhada contemplativa"."

E ou se escolhe a hierarquia ou essa calma plácida face ao mundo, que higiénico?????
...ia cada um continuar a sua "caminhada contemplativa".????

Não acha que há muita sobranceria nestes texto (to say the least)?
"Pescou" agora a minha """indignação""" (palavra excessivamente forte)?

Mais: dizer que "quem não tem fé não pode discutir em tom de igualdade com quem a tem, pq quem a tem estará sempre limitado pelo exemplo de Cristo e por um conjunto de aceitações não codificadas pelo que argumenta de fora da fé" é argumento com o qual não posso concordar.
Quem tem fé está limitado na argumentação?
Porquê?
Eu Católico, praticante, me confesso: não me sinto de forma nenhuma cerceado, muito menos limitado, na minha capacidade argumentativa com agnósticos ou ateus pelo facto de acreditar em Deus e em Jesus Cristo.
O "conjunto de aceitações não codificadas" a que se refere inserem-se mais, do meu ponto de vista, na vetusta corrente do fideísmo.
Eu prefiro a inteligência da Fé, isto é, a Fé como algo que não se basta a si mesmo, mas cujo significado advém da vivência plena do amor de Cristo, actuando como motor de permanente re-fontalização e re-nascimento do Ser Humano em prol de toda a Humanidade.
Disse.

PortoCroft disse...

Caro Prof. m8,;)

Que achincalhar? É a pura das verdades.;)

RAM disse...

PortoCroft,

Não vai começar a elencar as suas conquistas de D. Juan, pois não? :)))))))))))))))))))

Caríssimo Grande-Chefe-Cá-Do-Sítio,

Agora a sério, o PortoCroft estava somente a dizer que já tinha bebido dois Bloody Mary's nesta sua solarenga tarde londrina. :))))))

yulunga disse...

Depois de conseguir cortar a atmosfera à catanada cá estou para vos desejar um bom resto de dia.
Até amanhã maralhal.

RAM disse...

Nunca pensei que a questão dos Cátaros desse tanto pano para mangas :))))))
Ainda vão sair daqui dissertações de mestrado e doutoramento sobre "A Influência dos Cátaros no Debate Murcónico" :)))))))))))))))))))

Mais a sério: sobre a citação de Belisbasto e a proposta de adenda do Grande-Chefe já me pronunciei (9.17).

Agora, confesso que não nutro particular admiração pelos Cátaros enquanto povo. Curiosidade intelectual talvez. Admiração não.
O maniqueísmo é talvez uma das piores concepções filosóficas de todos os séculos, com reflexos evidentes no presente, onde Bush e Homos acephalus similares persistem na criação de eixos do mal e na divisão da mundo por transparentes cortinas de ferro onde criam mundos perfeitos - os deles - e imperfeitos - os dos outros.
O maniqueísmo corrente define a estruturação dualista que reduz a vida (ou alguns de seus aspectos) a pares antagônicos irreconciliáveis, tipo: direita/esquerda, corpo/mente, reacionário/progressista, belicista/pacifista, fiel/infiel, capitalista/comunista, individualismo/coletivismo, branco/negro, ariano/judeu, raça superior/raça inferior, objetivo/subjetivo.
É a intolerância no seu expoente máximo.

"É evidente que não se pode deixar de reconhecer a existência daquilo que cada um desses pares antitéticos nomeia, mas o pensamento maniqueísta vai além na medida em que considera que um lado deve destruir o outro, porque um é Luz e o outro Trevas" W Zusman

Zsazsa disse...

Como é óbvio aquela zsazsa que escreveu aquela besteirice de eu explicar ou rectificar seja quem fôr não sou eu, pessoas ruins essas que por aí andam... agora tem de ser tudo registado para não avacalharem é?

Deve ser

RAM disse...

Zsazsa,

É você? ;)))))

Zsazsa disse...

Eu bem tento ser, mas se é preciso fazer um blog só para não ser usurpada nas minhas palavras, não tenho problema nenhum, não custa nada ;)

Anónimo disse...

http://www.cathares.org/
Um site muito interessante, que não conheceria sem a curiosidade que o Professor me despertou por esta cultura. Presumo que conheceu esta cultura nas suas deambulações pelo Sul de França? Ou foi mais tardio o seu relacionamento com esta cultura? Como é que lhe surgiu o "problema cátaro"?
Fica a curiosidade de um leitor que muito o aprecia.

Bastos

PortoCroft disse...

ram,

Claro que não. Deixo isso para si. Até porque, como o calor deve apertar muito mais em Portugal do que aqui, com os efeitos das Bloody Mary's, você seria imbatível.

D. Juan nunca fui e, se quer que lhe diga, também nunca simpatizei com o "profile of the character". Faço o que posso. Sobretudo, sem necessidade de me autoproclamar.

Julio Machado Vaz disse...

Anónimo das 7.54,
Acertou:). Deambulava eu na peugada dos trovadores e atravessaram-se os cátaros no meu caminho! Fui com uma paixão e regressei com duas, embora esteja de acordo com o RAM, o maniqueísmo e seus derivados não me atraem. Curiosamente, os cátaros ficariam ofendidos com a "paternidade", a sua "Bíblia" era o Evangelho de S.João.

Julio Machado Vaz disse...

Meu caro Tiago,
A necessidade de que fala não se inclui no rol das minhas numerosas angústias:). Não acreditando noutra vida, a palavra salvação é exagerada no que me toca, procuro viver esta com a dignidade possível. Se não me expressei com clareza, lamento. Não procuro impor as minhas opiniões - ou simples associações livres... - a outros. Seria tão arrogante e insuportável como alguém tentar impedir-me de as expressar:).

noiseformind disse...

Bastos homem, apanhaste-te com o DVD da Obra Completa do Éme e deste logo uma de erudito em Júlio-Machadismo pá... e fiquei sem deixa para falar agora, acabaram-se as nossas relações comerciais, por mais gravações originais dos DOORS e de Tim Buckley que me arranjes. E para mais à falsa fé, estando eu padecente de jet lag. Isso não se faz, aposto que lá em casa ainda se come no chão de terra e com as mãos. Mas que se poderia esperar de um Mouro, geográfico e clubístico? ; )))))))))

Mas pronto, ao menos andas metido em 'boas' leituras (eu, humilde e plebeio, não troco o www.xnxx.com por nada deste mundo) ; )))))))))

Ai ai ai... desde a primeira vez que o Boss falou aqui dos cátaros tratei de ir cruzar a busca com os textos dele e surgiram referências a umas férias em busca de catedrais medievas, e pronto... de busca em busca e de referências a comunidades perdidas lá fui recompondo as meditações que o Dono do Tasco foi tomando no sentido deste povaréu tão especial. E pronto, se a deixa não me tivesse sido barbaramente roubada agora ia fazer um brilharete...

Mas como contricção, Éme, irei ler a tua crónica (provavelmente a mais longa saída da tua pena, se bem que a série em que encarnas os teus ídolos da adolescência são para mim as obras-primas) noite adentro (sim, que isto de ler a sério no ecran não tá com nada) sobre (ou melhor, que parte de) Cyrano de Bergerac :))))))))


Peter

Adenda (muito mais sexy que P.S.)

Porty, que é que te passou pela cabeça para tanto insulto lá atrás, para mais dando-me eu ao trabalho de complificar (vão ao dicionário murcões) as matérias que já tinha abordado mais lá para trás?

Só faltou pedires-me para marcar o duelo, escolher as armas e nomear os padrinhos ; ))))))) e olhando para trás, mal nenhum te fiz, muito pelo contrário, mas tu lá sabes o que andas a tomar, legal ou ilegal, e sabes que eu sou todo a favor das drogas, a começar por ParlamentoTV : )))) já tou a ver que aproximando-me eu de ti com essa disposição ainda me torno uma daquelas terríveis estatísticas de tipos mortos À sacholada no interior profundo português, mas se calhar com um daqueles mecos que os tão civilizados londoners usam para impedir que os carros estacionem nos passeios. Mas pronto, nada de cruzadas, eu tou bem contigo, tens bife comigo é problema teu, do teu psiquiatra que só vai ganhar com isso e da tua próxima conquista em quem vais descarregar todo esse witty spirit ; )))))))))))

E já que estámos para aqui a falar de drogas, deixo uma deixa histórico-religiosa que mostra o que 20 dias sem dormir fazem a uma pessoa:

“S. Domingos viveu entre os cátaros e os cátaros foram perseguidos como ninguém pelos dominicanos.”

Isto porque ao longo de 1206 S. Domingos escreve no seu diário estar impressionado com as técnicas de pregação dos pastores cátaros e com o seu estilo de vida, parecendo-lho especialmente admirável a forma como eram regrados sexualmente e como se abstinham de comer carne (aliás, não comiam nem carne, nem ovos, nem bebiam leite, não tocavam em nada que viesse de reprodução sexual animal).Aliás, o primeiro convento formado por S. Domingos foi nos arredores de Toulouse, o que mostra que os cátaros de intolerantes com os outros cultos não tinham nada. Se lermos a mater da Ordem Dominicana apresentada em 1208 ao Papa Inocêncio III lá estão muitos dos preceitos de vida dos cátaros, especialmente o ressuscitar da ideia de pobreza mendicante. Curiosamente, será por esse tempo passado por S. Domingos entre os cátaros que depois os Dominicanos serão especialmente indicados como aptos a julgá-los, pois conheciam melhor a “extensão” dos seus pecados, giro não é? Já parece a Missão, mas antes dos Descobrimentos. Mandámos para lá uns tipos simpáticos para aprender os costumes e depois usámos isso para dar cabo da espinha dos gajos ; ))))))))))

E já que estou a ser porcamente histórico, cátaros pq? Nos autores recentes é quase omnipresente a tradução literal de katharos, que depois deu Catharos e Cathari: “os puros”. Mas nos documentos militares e doutrinais da época a história não é assim tão simples. Cátaros tb porque uma das formas mais rápidas de acabar com eles, relatavam soldados experimentados na Cruzada Albigense e pregadores fervorosos era empurrá-los para uma escarpa das suas fortalezas. Como estas se localizavam nos cumes de montanhas, para quê matá-los quando se podia mandá-los monte abaixo? É que já nessa altura, numa lógica de intelectualização da ideia de Cruzada, se procurava derramar o mínimo de sangue possível dos infiéis (tou para saber a quem encomendaram o estudo comparativo da perda de sangue dos dois métodos). Claro que passado o calor da refrega se foi pela interpretação menos animalesca, mostrando assim uma certa vergonha histórica por certos gestos comuns…

Piada mórbida para definir Cátaros: o pessoal que se atirou das Twin Towers em chamas!

Anónimo disse...

Pois é Pedro, tirei-te a deixa :)
Mas tu mesmo assim não ficaste sem assunto, aliás, o teu comentário não é um comentário, é uma mini-enciclopédia!

Bastos

Anónimo disse...

E essa das Twin Towers lol quase que precisa de bolinha no canto lol

Bastos

Anónimo disse...

Noisy,

Não tenhas cuidado não, nus BUS com as cátaras que andam a cremes de cenoura e sem comer chicha desde a
última lua.cheia.
É que co's calores que provocam tantos fumos por aí, vê lá se tratas melhor o Porty - ou não há
betacaroteno nem Fe pra ninguém;)


Quero qui bocê
mi akêssa nestinberno
E qui tudo.o.a.mais.
bá pró inferno.........................
loooooooooooooooooooooooooooooooooLiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiITA ;)))))))