quinta-feira, julho 07, 2005

Londres.

Penso falar em nome de todos ao expressar o meu alívio por saber o Portocroft bem.


Paris era a cidade de meu Pai, desconfio que Nova Iorque foi a dos meus filhos. Londres acolheu a minha adolescência, fez-me sentir vivo entre paredes onde se lia "Clapton is God". Conheço os britânicos - cerrarão os dentes. Talvez alguns em "quiet desperation", como cantaram os Floyd, mas sem vergarem.

179 comentários:

PortoCroft disse...

Caro Prof. m8,

Clapton é? ;) Eu bem me parecia reconhecer esse 'east londonner accent'.;)))

Estou bem felizmente. Grato pela lembrança.

Dizia um velhote à BBC:

- Nós já fomos bombardeados. Comparativamente isto é um passeio no parque. Não nos deterão.

Assim será. A walk in the park. A determinação deste povo é uma das suas maiores qualidades.

clô disse...

Os britânicos estão habituados a estas ameaças e combatem-nas da forma mais eficaz: continuando a trabalhar, a passear, a brincar, a apanhar o metro. Duas guerras mundiais e duas décadas de terrorismo republicano na capital deixam as suas marcas. A melhor metáfora disto é a chuva, coisa tão temida pelo tuga: pode chover à vontade que os britânicos nunca param de correr, de andar de bicicleta, de ir a concertos, de levar as crianças à rua.
Por aqui parece que a vida acontece sempre no futuro.

lunema disse...

Olá a todos.

Outro dia vi no canal 2 o concerto de encerramento do festival de Verão de música clássica do ano passado, em Londres. No final, todas as pessoas (que me pareceram pessoas comuns e não elites intelectualizadas) se levantaram e cantaram o hino nacional (com chapéu e cachecol como no futebol) com uma fé patriótica que me emocionou. Fiquei a pensar o quanto gostaria de sentir aquela emoção ao cantar o hino português (devo confessar que nem sequer tolero a letra do hino de Portugal)

lobices disse...

...ainda bem que não foi demasiadamente catastrófico com o 11/9 e o 11/3...
...este ataque em Londres tem o mesmo "carisma" do de Espanha; diversas bombas em diversos sítios ao mesmo tempo
...a cimeira dos Açores, também teve Portugal no seu seio
...América já sofreu
...Espanha também
...Inglaterra também
...Portugal?
...sera bom não descurarmos a possibilidade de também virmos a sofrer "represálias" por lá termos estado...
...mas era bom que houvesse maior controle, o que não vejo
...há dias fui ao Aeroporto Sá Carneiro; fim de semana; tudo cheio de gente... Polícia? Só se estivessem à civil disfarçados; Segurança? Só os de serviço nos Arrivals...
...esperemos que não; esperemos que nos considerem de tal forma pequeninos que não haja interesse em fazer bum bum cá dentro
...Luís: vãi dizendo mais coisas

PortoCroft disse...

Lobices,

Agora pouco mais há a dizer. Apenas, como diria o Sebastião José..."enterrar os mortos e cuidar dos vivos". Oficialmente, há 45 mortos confirmados, centenas de feridos, entre os quais cerca de 200 em estado crítico.

Londres está sem transportes. Todos os comboios estão a ser inspeccionados. E já começou a caça ao homem.

melganoturno disse...

Amigos,

Não estejam colados à BBC, façam um
zapping, please, não sofram em vão.

E também, esta tendência de chamarmos a polícia pra tudo, não me digas Lobices, que nas tuas walkings esqueces o perfume das rosas se não vires uma farda por perto...LOL

Em qualker lado k haja um estrondo,
os mirones, correndo e olhando e ouvindo - pisam, sem dar por ela,
os canteiros de amores-perfeitos´:(

E depois lá vem a Brigada da Jardinagem ter que reparar os estragos;)

A sesta hoje foi curta, hein;)

Love you all

smooth_words disse...

Boa tarde Prof. Júlio e todos os demais,

Bem haja Portocroft!
Estreia hoje em Portugal o filme de Steven Spielberg "Guerra dos Mundos". Até que ponto estamos próximos dessa realidade?

homem de verdade disse...

O pai entra no quarto do filho e vê um bilhete em cima da cama. Ele vai até lá, já temendo o pior, e começa ler o seguinte:
"Querido Pai , É com grande pesar que o informo que eu estou fugindo com meu novo namorado, Dadinho. Estou apaixonado por ele. Ele é muito lindo, com todos aqueles piercings", tatuagens e aquela super moto BMW que tem. Mas não é só por isso descobri que não gosto de jeito nenhum de mulheres e como sei que o senhor não vai consentir com isso, vamos fugir e ser muito felizes. É que ele quer adoptar filhos comigo, e isso foi tudo que eu sempre quis para mim. Aprendi com ele que "erva" é ótima, é uma coisa natural que não faz mal a ninguém, e ele garante que no nosso pequeno lar não vai faltar marijuana.
Dadinho acha que eu, nossos filhos adotivos e os seus colegas "gays" vamos viver em perfeita harmonia. Não se preocupe pai, eu sei cuidar de mim, apesar dos meus 15 anos já tive várias experiências com outros rapazes e tenho certeza que ele é o homem da minha vida. Um dia eu volto, para que o senhor e a mãe conheçam os nossos filhos. Um grande abraço e até um dia.
Do seu filho com amor."

O pai quase desmaiando continua a ler:

PS: Pai, não se assuste. É tudo mentira e estou na casa da Mariana, nossa vizinha (que é boa como
o milho).
Só queria mostrar pro' senhor que existem coisas muito piores na vida que as notas negativas do meu exame que está na primeira gaveta.
Abraços, Seu filhão, burrinho, mas HOMEM de verdade.

lobices disse...

...to melganoturno at 4:15 PM:
...
...a sesta curta? Não; costuma ser sempre mais ou menos 1 horita...
...claro que o cheiro das rosas não se perde com ou sem fardas por perto, da mesma forma que o cheiro a pólvora (é preciso não esquecer isso)...

lobices disse...

...to smooth_words at 4:23 PM:
...7/7 Guerra dos Mundos estreado
...humm, lembro a primeira versão, a de Byron Haskin, em 1953... tinha eu 10 anos pois só o vi em 1955... um filme aterrador, algo que nunca esqueci; não sei se esta versão terá o terror que aquela tinha; esta deve ter efeitos especiais muito diferentes de há 50 anos atrás; mas olha que aquele filme ainda é um marco do cinema de ficção da altura...
...
...um pormenor interessante é que o Actor principal daquela versão de 1953, Gene Barry, também entra nesta versão de 2005, fazendo o papel de grandfather...
...interessante homenagem que Spilberg lhe quis fazer
...nascido em 1921, Gene Barry, hoje com 84 anos tem um "último" olhar sobre o terror que vivera 50 anos atrás...

RAM disse...

For while the tired waves, vainly breaking,
Seem here no painful inch to gain,
Far back, through creeks and inlets making,
Comes silent, flooding in, the main.


And not by easlern windows only,
When daylight comes, comes in the light;
ln front the sun climbs slow, how slowly,
But westward, look, the land is bright.


Winston Churchill, BBC London

Maite disse...

Boa tarde Maralhal e Professor

"A gentleman is always a gentleman" e antes quebrar que vergar. Infinitamente melhor.
O medo nunca levou ninguém a lado nenhum a não ser a uma "toca" desesperante, a um beco sem saída onde facilmente seremos aniquilado.

Portocroft, já vi que sobreviveu :)

RAM disse...

Caríssim@s,


Em vez de pessimismo, que tal mensagens de esperança num Mundo Novo.

Winston Churchill fê-lo, em condições muito mais adversas.

RAM disse...

Caro PortoCroft,

A propósito do Zink, deixe-me dizer-lhe que estava brincar consigo.
Não leve a mal....

Anónimo disse...

Será que os terroristas só irão parar quando, em termos numéricos, igualarem os 100.000 civis iraquianos mortos - na sua terra - pelos camones ?

Quando é que, de uma vez por todas, deixam de ser os inocentes a pagar pelos criminosos ?!

All I am saying is give peace a chance !

Tão só, um pai disse...

A situação é grave e, em muitas instituições da "City" (o centro financeiro, para quem o não sabe), as pessoas estão impossibilitadas de abandonar os edifícios, por motivos de segurnçassão aconselhadas a não sair dos edifícios.

A hipocrisia política e a história, mais uma vez, encarregaram-se de cobrar o seu preço a quem estava no local errado à hora errada.

O terror voltou a falar mas, muito em breve, estará tudo, de novo, esquecido. E a liberdade individual ficará, sempre, mais pobre, em nome da segurança.

Anónimo disse...

E quando começa a caça ao Bush?

Rosebud disse...

Qualquer sentimento é hoje subsumido pelo choque de ser novamente espectadora das terríveis imagens de mais um atentado terrorista. Não tenho palavras para descrever nada disto. Para ter palavras precisaria talvez de conseguir entender, racionalizar, mas este tipo de violência está além da minha capacidade de fazer ordem das coisas do mundo. Londres acolheu não a minha adolescência mas o início da minha vida adulta. Também Madrid foi cenário de alguns anos. Ambas cidades encerram experiências, recordações e amigos. São acontecimentos como o de hoje que nos fazem sentir na pele quão limitadas são as palavras na hora de descrever um sentimento.

Tão só, um pai disse...

Os meandros do poder e da hipocrisia não se esgotam num homem.

Mário disse...

Gostava de perceber de onde vem esta barbárie e de como pará-la.

Maite disse...

Exactamente Tão só, um pai e de ambos os lados da barricada. Caso contrário, seria fácil parar a "barbárie".

Débora disse...

Olá a todos,

Londres hoje – o ser humano mais uma vez mostrando a sua pior faceta, a de monstro!
A violência sobre inocentes, conduz onde, se não ao desespero, à raiva e à impotência? Não tenho palavras, nem sei como se resolve.
Ao ser humano não chegam as catástrofes naturais, inevitáveis?
Folgo por saber que os nossos “amigos virtuais” se encontram bem, felizmente.

Saudações.
Débora

escrevinhador disse...

Mário: tolerância 0 ao terrorismo. Evitar explicações simplistas a preto e branco. Perceber que, infelizmente, estes acontecimentos não são únicos na história da Humanidade. Perceber que o Homem não é, e nunca será, perfeito. E, sobretudo, continuar o dia-a-dia habitualmente. O medo é o que eles querem. Não lhes vamos dar essa vitória. Saudações especiais ao portocroft e parabéns aos londrinos pelos J.O. de 20121

Anónimo disse...

Insisto: e quando começa a caça ao Bush? Ou o terrorismo também só tem aquela face?

Anónimo disse...

Esqueci-me de dizer que pensei no PortoCroft quando ouvi a notícia. Está bem. Fico contente.

António Pedro Ribeiro disse...

Anónimo das 7:20 :

Comparar Bush aos terroristas seria cómico se não fosse absurdo.

Pamina disse...

Portocroft,

Ainda bem que está tudo OK consigo. Claro que também pensei em si, quando ouvi falar nos ataques.

Revi-me no comentário da Rosebud(6.07):
"Londres acolheu não a minha adolescência, mas o início da minha vida adulta". O mesmo se passou comigo e, embora tenha sido por relativamente pouco tempo, nunca esquecerei o mês e picos que passei num hotel de estudantes chamado "London Musical Club" (alguém conheceu?) e ainda sinto um apertãozinho no coração quando penso no meu querido Holland Park.

Relativamente ao comentário do Lobices(3.58), penso que, sem entrar em paranóia, é preciso estar vigilante. Julgo ter ouvido uma notícia sobre um terrorista que foi apreendido em Portugal durante o Mundial 2004. Parece, portanto, que o sistema funcionou.

Para acabar, deixo aqui os versos duma canção que já acompanhou a nação britânica em tempos muito difíceis e que reflecte bem o seu carácter:

What's the use worrying?
it never was worth while
So, pack up your troubles in your old kit bag
and smile, smile, smile!

Elisa disse...

António Pedro Ribeiro
absurdo? Porque é que o terrorismo institucionalizado é melhor que o outro? Essencialmente tendo em conta que foi o 'institucionalizado' que patrocinou o outro'? E porque é que os bombardeamentos de londres valem mais que os bombardeamentos no Iraque? Não terão o mesmo valor?

Anónimo disse...

António Pedro Ribeiro 7:46 PM

Bush não se compara aos terroristas porque é pior que eles...

PS: atenção que eu sou o anonymous das 5:36 PM

All I am saying is give peace a chance !

PortoCroft disse...

Pamina,

Obrigado pela lembrança.

Se acabassem as religiões, se calhar, tínhamos meio caminho andado para a resolução de muitos conflitos no mundo.

Opposites
by Eric Clapton

Night after day, day after night.
White after black, black after white.
Fight after peace, peace after fight.
Life after death, death after life.

A vida continua e, mais importante que apontar dedos é o darmos as mãos.

RAM disse...

PortoCroft,

Hoje é o centro do blog :)))
Quando cogitou sobre o fim das religiões lembrei-me de Lennon:

Imagine there's no heaven,
It's easy if you try,
No hell below us,
Above us only sky,
Imagine all the people
living for today...

Imagine there's no countries,
It isnt hard to do,
Nothing to kill or die for,
No religion too,
Imagine all the people
living life in peace...

Imagine no possesions,
I wonder if you can,
No need for greed or hunger,
A brotherhood of man,
Imagine all the people
Sharing all the world...

You may say Im a dreamer,
but Im not the only one,
I hope some day you'll join us,
And the world will live as one.

RAM disse...

Caríssim@s,

Será esta uma questão religiosa?
A dimensão religiosa ou metafísica, se preferirem, faz parte, desde o início imemorial dos tempos, da condição humana.

Não é "A RELIGIÃO" que está em causa.

Muitas das "reflexões" que aqui temos vindo a produzir e partilhar têm na TOLERÂNCIA a palavra-chave.

Não será essa a verdadeira questão. A falta de TOLERÂNCIA associada à crença na SUPREMACIA de algo.

Analisem os grandes conflitos do século XX:

II Guerra Mundial - A defesa da SUPREMACIA RACIAL

Guerra Fria - A defesa da SUPREMACIA SOCIAL (OU DE UM MODELO SOCIETÁRIO)

Século XXI - A defesa de uma SUPREMACIA RELIGIOSA/CULTURAL

Não é negando/cerceando qualquer uma das dimensões do Ser Humano que conseguiremos atingir a Paz.

Tal desiderato só será possível alcançar quando TOLERAMOS diferentes ideais, ideias, modelos sócio-económicos, raças, religiões.

No fundo, quando aceitarmos cada homem/mulher na plenitude das dimensões política, religiosa, ética e estética que @ enformam.

Fiquem bem...
Eu bou jantar...

PortoCroft disse...

RAM,

Também me recordei do Lennon:

Imagine there's no countries,
It isnt hard to do,
Nothing to kill or die for,
No religion too,
Imagine all the people
living life in peace...


Confesso que fiquei sensibilizado pela demonstração de amizade de algumas pessoas. Vocês aqui, alguns email que recebi e telefonemas de familiares e amigos de longa data em Portugal, no Brasil e em Angola.

O que ainda mais veio reforçar o que escrevi aqui no outro dia, quando se discutia as amizades virtuais: Quando se é amigo, basta sê-lo. Tanto aqui como "lá fora".

António Pedro Ribeiro disse...

Portocroft (com saudações sinceras): «Se acabassem as religiões, se calhar, tínhamos meio caminho andado para a resolução de muitos conflitos no mundo.»

Ou talvez os conflitos fossem ainda maiores. Pensava que já ninguém usava o velho argumento jacobino de fazer das religiões a causa dos males do mundo.

Quanto a Bush, será preciso lembrar que o 11 de Setembro é anterior à invasão ao Iraque? Será preciso recuar até aos atentados dos J.O. de 1972, quando Bush não passava de um teen-ager?
Leitura recomendada: "A Obsessão Anti-americana", Jean François Revel

Julio Machado Vaz disse...

Exactamente. A tecnologia não modifica o mais íntimo de nós. As mui e variadas sacanices à sombra do anonimato não reflectem um "poder modificador" da Net. Apenas as inesperadas oportunidades que trouxe aos cobardes:).
Você está bem e os seus amigos da blogosfera - e não virtuais!:) - congratulam-se com isso.

PortoCroft disse...

António Pedro Ribeiro,

Nunca este argumento foi tão actual.

Quando o homem fizer de si próprio a deidade, deixará de ser autofágico.

António Pedro Ribeiro disse...

Portocroft: são pontos de vista. Eu diria, pelo contrário, que a tragédia começa quando o Homem esquece a sua condição de pó da terra e quer fazer de si uma deidade - que nunca será. E que não sew deve confundir o sentimento religioso com as suas realizações históricas.

Mas permita que subscreva as palavras do nosso anfitrião, num comentário anterior.

Maite disse...

Exactamente, Professor :)

PortoCroft disse...

Apenas as inesperadas oportunidades que trouxe aos cobardes

Caro Prof. m8,

Dos cobardes não reza a história.;) E aqui, como "lá fora", nós sabemos quem são os amigos reais.;)

PortoCroft disse...

António Pedro Ribeiro,

Julgo que não me fiz entender. O que eu queria dizer era: Quando a humanidade, em si, for mais importante que figuras míticas ou divinas que, ao longo dos tempos, se foram construindo, então não restarão motivos para ódios e guerras.

Cristina disse...

boa noite:
A propósito da reação dos britânicos ao atentado, achei piada um jornalista ter perguntado a uma inglêsa porque reagiam com tanta calma e ela ter respondido:
'nós não somos como os americanos ou os espanhóis', ou seja são todos vítimas, mas eles 'são diferentes!'

Maite disse...

Portocroft
Discordo consigo. Deus é apenas um pretexto para se cometerem atrocidades e os fundamentalistas, sejam eles de que religião forem, apenas O usam para justificarem a sua cobiça, ânsia de poder em suma a sua vontade de dominar os outros e pô-los à sua mercê.
Deus não é nada disso. Deus é acima de tudo a vontade mais sublime de o Homem se elevar acima da sua pequenez.

Maite disse...

No comentário anterior queria dizer discordo de si

PortoCroft disse...

Maite,

Precisamente. Deus não existe. É apenas aquilo que o Homem construiu para, por um lado justificar os seus actos bárbaros e por outro se absolver deles.;)

Terrorista disse...

António Pedro Ribeiro disse...
Anónimo das 7:20 :

Comparar Bush aos terroristas seria cómico se não fosse absurdo.

Embora terrorista,Bush é pouco dotado de inteligência.
Estes de hoje, são terroristas inteligentes...ehehe

Terrorista disse...

Elisa disse... às 8:10 PM

Completamente certa...

Maite disse...

Permita-me discordar novamente. Deus existe.
(bem, pelo menos eu acredito que Ele existe, mas claro que não posso impor essa minha crença a ninguém)

PortoCroft disse...

Maite,

Eu respeito a sua crença. Como a de todos. Agora, talvez você seja a pessoa indicada para me responder a esta dúvida:

A quantos milénios se julga Ele com direito a férias? ;)

Terrorista disse...

Maite disse... 10:09 PM

Permita-me discordar...

Deus não existe.

Terrorista disse...

PortoCroft disse...

A quantos milénios se julga Ele com direito a férias? ;)

ehehe Boa! Gostei...

mia disse...

Mas afinal, em nome de quem se fala "N'Ele"? quem é tal identidade? E quem é ELe?

Maite disse...

Portocroft e então o livre arbítrio?
(Eu sei que esta é a resposta mais fácil à sua pergunta)
Mas eu não sou teóloga para lhe responder e é também uma questão que muitas vezes me coloco :(. (faz parte das minhas dúvidas existênciais)

PortoCroft disse...

Maite,

Essa do "livre arbítrio" lembra-me sempre um jogo de futebol em que o árbitro se demite de arbitrar.;)

Julio Machado Vaz disse...

Para mim, a ideia de Deus traduz o mesmo que a de amor feliz:): a nossa nostalgia de transcendência. Com a vantagem de dar um sentido global à existência humana. Quanto a mim, a vida chega para me maravilhar e torturar, é um milagre laico que não necessita de justificação:).

António Pedro Ribeiro disse...

Portocroft: o livre arbítrio, das duas, uma, ou existe ou não existe. Se existe, é evidente que somos nós os reponsáveis pelo "mal" (simplifiquemos). Se não existe, não somos os responsáveis. Diria La Palisse. Já que estamos numa de perguntas costumeiras, permita-me responder: concebe que do nada, nada veio? Então, como explica o início do Universo?

mia disse...

:) passe-se a minha arrogância! Graças a Deus estamos a dar avolta ao texto quanto ao dramatismo da coisa! sIm! Graças a um milagre laico, talvez, haja espaço para a felicidade! Porque sim!!!!!!

António Pedro Ribeiro disse...

Queria eu dizer, evidentemente, "concebe que do nada, algo pode vir?". E porque será que Séculos (não só duzentos anos, como por vezes se pensa) de Racionalismos, ateísmos, agnosticismos, etc, não dizimaram o sentimento religioso, ao passo que mil e um projectos ditos racionais de transformação da Sociedade sucumbiram?

António Pedro Ribeiro disse...

Professor: gosto da expressão "milagre laico". Sobretudo porque também ela espelha a tal nostalgia da transcendência.

Terrorista disse...

Qual o maior terrorista?

Vietname...

Os americanos apoiaram a Indonésia para ocupar Timor...

Guerra do Golfo...

Invadem o Iraque e mataram, matam e matarão, milhares e milhares de inocentes iraquianos.

Muito mais se poderia referir quanto aos maiores terroristas deste planeta: E.U.A.

mia disse...

... Quereria dizer há 2 000 mil anos?
:) enquanto tal pensamento permanecer, ....... assim será! Vamos acabar com ele e tentar a paz?

Terrorista disse...

Julio Machado Vaz disse...


«...a vida chega para me maravilhar e torturar, é um milagre laico que não necessita de justificação:).»

Muito bem dito;-).

Maite disse...

Professor, pode até chamar-lhe nostalgia de transcendência, mas penso que se não a trouxermos dentro de nós a vida tornar-se-ia insuportável e diria mesmo sem sentido.

Maite disse...

Mia, agora está a ser naif ;)

Terrorista disse...

Vou atacar para outra freguesia... a minha cama.

Boa noite e paz aos que morreram hoje, sem julgarem ao acordar que iriam ser vítimas do atentado de hoje.

Anónimo disse...

António Pedro Ribeiro 10:39 PM

"... racionalismos, ateísmos, agnosticismos, etc, não dizimaram o sentimento religioso..."

E porque será que a Inquisição também não dizimou a vontade de liberdade da Humanidade ?!

Além disso, os Homens livres nunca tiveram que pedir perdão a ninguém, ao contrário da Igreja Católica que se viu na "obrigação" de o fazer... talvez por causa de um grande sentimento de remorso em relação ao mal que fez à Humanidade.

PortoCroft disse...

António Pedro Ribeiro,

Agora fez-me lembrar dum 'post' do Prof., em que se falava de Astronomia, da luz das estrelas que só nos alcança depois de mortas...

Pois. Ninguém sabe a quantos anos-luz está da verdade. Esta é a estrela que luz no meu horizonte. Neste momento, ela é tudo, sendo já nada.

circe disse...

Assim como em nome de Deus muito se
atribui a ausência ou distracção, em nome de etas, bins ou b(r)ushos e afins alguém, justificando algo,
está atento aos holofotes.
Potenciais QIs , em detrimento de
pacíficos QEs, certamente já estão
bem longe do show que monopoliza as atenções mediáticas.
Nada mais simples e elementar :(

Ah, e permitam-me discordar, com todo o respeito, do nosso MM:

Infelizmente, dos cobardes também
reza a História:(

Precisamente - o anonimato, quando usado com QE (quociente emocional)
descobre-se rapida e tranquilizadoramente bem;
Agora quando tens de lutar contra um inimigo que não imaginas onde está ou quem é,o que é que podes
fazer, hem?

E até o descobrires?
Provavelmente, e para tua própria segurança, vais fazer um delete em
todos os folders virulentos; mas, se isso não bastar, desfaz-te do disco rígido totalmente.

Nova formatação, nova CPU - Cabeça Pronta a Utilizar ;)

Terrorista disse...

Terrorista disse...
Vou atacar para outra freguesia... a minha cama.

Boa noite e paz aos que morreram hoje, sem julgarem ao acordar que iriam ser vítimas do atentado de hoje.

10:50 PM


Correcção:

Terrorista disse...
Vou atacar para outra freguesia... a minha cama.

Boa noite e paz aos que hoje morreram, sem saberem ao acordarem que iriam ser vítimas de um atentado.

andorinha disse...

Boa noite Júlio e maralhal

Terríveis tempos os nossos.
Mas é neste mundo que temos que viver, portanto temos que continuar em frente e não ceder ao pânico - isso seria o mais trágico.

Belas e sábias as palavras de Winston Churchill citado pelo ram às 5.15.
Nesta hora, mensagens de esperança são necessárias.

Ram (8.58)
Excelente comentário.
Assino por baixo.
Não é a religião que está em causa.

Totalmente de acordo - dos cobardes não reza a história.
Frontalidade e verticalidade acima de tudo!:)

Terrorista disse...

circe disse...
10:57 PM

Boa Circe ;-).

António Pedro Ribeiro disse...

anónimo 10:54:
confundir sentimento religioso com a Inquisição é intelectualmente tão pouco, que lhe faço a justiça de a considerar uma ironia mal conseguida.

Quanto ao anti-americanismo que por cá grassa, repito: leiam "a obsessão anti-americana". E, já agora, caso não saibam, foram os americanos que inventaram a Internet. Porque é que, em protesto, não a deixam de usar? :)

Good night, and God bless you all!

andorinha disse...

Júlio (10.31)

Exacto. Muito bem dito.:)
Não poderia estar mais de acordo.

Pamina disse...

JMV et al.,

Há um programa de televisão holandês magnífico com 26 "episódios", chamado "Do belo e da Consolação" onde personalidades dos mais variados quadrantes, músicos, escritores, psicólogos, físicos, etc. (incluindo vários Prémios Nobel) discorrem sobre o sentido da vida e o que a torna merecedora de ser vivida.
A SIC passou alguns destes episódios às 3 da manhã, como seria de esperar, portanto provavelmente ninguém viu.
Foi dos programas de televisão que mais me impressionaram.
Para mim, o "belo" é a minha "consolação".

circe disse...

Ooooops,

serei hoje o 69 ?

Terrorista disse...

António Pedro Ribeiro disse...

«...Quanto ao anti-americanismo que por cá grassa, repito: leiam "a obsessão anti-americana".»

E viva a América porque adoro ser subjugado.;-).

Maite disse...

Boa noite Maralhal e Professor

Amanha é dia de trabalho.

Fiquem bem

Terrorista disse...

Um ponto final a mais ou a menos.Entenderam.Não é?

PortoCroft disse...

Maite,

Resto de noite feliz.;)

Anónimo disse...

Gostei de ler...
mas a dúvida continua...
parece a do ovo e da galinha...
quem começou?...
quem atacou primeiro?...

Terrorista disse...

O Terrorista está cansadito...trabalhei muito hoje...
xixi...cama...

Amanhã o alvo será?... O Murcon!

Boa noite a todos;-)

Terrorista disse...

Quem começou?...
Quem atacou quem?...

Tenho as minhas ideias... Têm todo o poder de discordar delas;-)

Anónimo disse...

António Pedro Ribeiro 11:02 PM

Admira-me é que o seu sentimento religioso, com ou sem Inquisição, lhe permita ser assim tão displicentemente pró-americano...

Da próxima vez que se confessar, aproveite bem a ocasião. É que, em minha opinião, os sentimentos religiosos não jogam lá muito bem com a defesa do Mal (entenda-se por Mal os EUA).

Anyway... somos livres e é meu dever cívico-moral respeitar a sua opinião.

All I am saying is give peace a chance !

Terrorista disse...

Anônimo disse...
António Pedro Ribeiro 11:02 PM

Admira-me é que o seu sentimento religioso, com ou sem Inquisição, lhe permita ser assim tão displicentemente pró-americano...

Da próxima vez que se confessar, aproveite bem a ocasião. É que, em minha opinião, os sentimentos religiosos não jogam lá muito bem com a defesa do Mal (entenda-se por Mal os EUA).

Anyway... somos livres e é meu dever cívico-moral respeitar a sua opinião.

All I am saying is give peace a chance !

11:19 PM



Não me confesso;-)
Confessar-me a quem peca mais?...

Terrorista disse...

O Terrorista foi embora...
Não vos chateia mais;-)

E vocês dizem para os vossos botões:
Graças a Deus;-)
Acertei?

Débora disse...

Olá a todos!

Questionamentos sobre a existência de Deus à parte, não concebo nenhum Deus capaz de incitar à guerra e à violência.
Que Deus será esse? Será antes o Diabo?
Tudo o que se tem feito em nome de Deus (Inquisição e terrorismo incluídos), não passa de cobardia, com a finalidade da não assumpção das barbaridades cometidas.
O homem é responsável pelos seus actos – Sartre (a menos que seja inimputável).
E ainda que o mesmo Homem seja o ser e a sua circunstância (Ortega Y Gasset) – caramba! Era preciso “afundar-se” na circunstância.
A minha concepção de Deus é paz, amor, tolerância e todos os sentimentos positivos, seja ele qual for.
Saudações
Débora

circe disse...

Pamina,

Eu vi 2 desses programas. E há pouco, aquando meu último coment,
estava a ver uma deliciosa rubrica semanal na N, aonde o Prof. Doutor
Sobrinho Simões trouxe 2 investig.
que, com o seu trabalho sobre a pedra nos rins, titulou o prémio Bial em 2004. E isto a propósito de k? Ainda e sempre o milagre da
vida, pois.

E "porque é urgente o Amor", sobretudo em momentos frágeis, eu
atrevo-me aqui a partilhar com todos vós, MM incluído, que o M. e
o J. foram os meus primeiros meninos. Literalmente. Podem passar
10, 15 ou 27 anos, o Amor ignora o
andar do relógio, e não precisamos de medir o tempo para nada, a não ser para o pôr ao nosso serviço e
felicidade.E ainda, constatar como
a nossa massa cinzenta, associada ao bom EQ, tanto faz pela Humanidade.
Que a "Pátria que nos pariu" não
acompanhe estas pessoas, é de lamentar, pois não perdendo, continua sem saber o que perde.

E tenho dito, por hoje
Sleep with the Angels, have fun with the devils, but remember,
nothing to fear - canta o Chris Rea

Roseau pensant disse...

Deus existe porque não existe. Se existisse não era Deus.

Roseau Pensant disse...

Para os que porventura não se lembrem: " Roseau pensant" é uma definição do homem feita por Pascal.

RAM disse...

Pois bem sobre o assunto do post do Grande Chefe Índio já me pronunciei hoje por quatro vezes:
5.15, 5.19, 8.40 e 8.58.
Sobre esse tema, disse!

Sobre as dissertações em torno de Deus, ficar-me-ei por um breve comentário ao seguinte post:

Caro PortoCroft, quando se questiona por onde tem andado Deus nestes últimos milénios, já reparou que lhe atribui, inconscientemente, a paternidade do que de mau existe no mundo?
Não lhe parece ser isso uma assumpção da sua existência (ainda que pela negativa) e, simultaneamente, uma inusitada desculpabilização da praxis humana?

"Julio Machado Vaz disse...
Quanto a mim, a vida chega para me maravilhar e torturar, é um milagre laico que não necessita de justificação:)."

Teilhard de Chardin, teólogo francês, escreveu um livro fantástico intitulado "Le Milieu Divin" ("O Meio Divino").
Refira-se que Chardin foi (e se calhar continua a ser) um teólogo vanguardista, anterior a próprio Concílio Vaticano II, que tendo sido obrigado a renunciar ao magistério, ao apostolado e à vida intelectual de Paris, retornou à "Missão Paleontológica Francesa" de Tientsin, na Cina, onde estivera já antes em missão científica e expedições paleontológicas.
Vejam só... afinal os Padres não estão confinados às Igrejas... surpreendidos???

Pois nessa obra, logo na primeira parte ele diz:

"O que verdadeiramente acontece, nas camadas mais espirituais de seu ser, são os fluxos e refluxos contrários gerados pela atração dos dois astros rivais de que falávamos no começo: Deus e o Mundo. Qual dos dois se fará adorar mais nobremente?
[...] o conflito poderá vir a terminar de uma destas 3 maneiras: ora o cristão, recalcando seu gosto pelo tangível, forçar-se-á a não mais buscar interesse senão nos objectos puramente religiosos; e tentará viver num Mundo divinizado pela exclusão do mior número de objectos terrestres; ora, irritado com a oposição interior que o entrava, atirará longe os conselhos evangélicos e decidir-se-á a levar o que lhe parece uma vida humana e verdadeira; ora, e é este o caso mais frequente, desistirá de compreender, nunca totalmente a Deus, nunca totalmente as coisas: imperfeito aos seus próprios olhos, insincero segundo julgmento alheio, resignar-se-á a levar vida dupla.
Por diferentes motivos, essas três saídas são temíveis. QUE ALGUÉM SE FALSEIE, QUE ALGUÉM SE DESGOSTE OU QUE ALGUÉM DE DUPLIQUE, OO RESULTAO É IGUALMENTE MAU e certamente oposto àquilo que deve autenticamente produzir em nós o Cristianismo.
Há, pois, indubitavelmente, um quarto modo de sair do problema: É PERCEBER COMO, SEM A MENOR CONCESSÃO FEITA "À NATUREZA", MAS POR SEDE DE MAIOR PERFEIÇÃO, SE PODE CONCILIAR, DEPOIS DE ALIMENTAR UM PELO OUTRO, O AMOR DE DEUS E O SADIO AMOR DO MUNDO, O ESFORÇO DE DESAPEGO E O ESFORÇO DE DESENVOLVIMENTO."

"Tudo o que sobe, converge"...
...sobe na perfeição, na beleza...
...converge no projecto de Deus.

Para mim, a vida é um milagre que nos cabe (tentar) cumprir.

São convicções!
A laicidade do milagre é uma antítese :)))))))

E&E disse...

ram
ou, como dizia o tal engenheiro:
"místico é apenas o facto do mundo existir"

Mário disse...

Professor, com essa definição de Deus acho que nos podemos todos rever para deixarmos, crentes e não-crentes, de andar às turras e trabalharmos para que não haja mais invasões do Iraque e atentados como o de ontem (e os outros anteriores).

um abraço a todos

Maria disse...

Pensei que gostasse de ficar na história, Sr. Portocroft.

Tão só, um pai disse...

As origens destes actos são sempre várias, não apenas uma.

Todos os povos têm os seus ódios e humilhações acumulados, já para não falar dos que se defrontam, no dia a dia, com a luta pela sobrevivência física.

Saber quem começou primeiro?

Agora, é irrelevante. Duma coisa poderemos estar certos: a lei, nestes casos, será sempre a do olho por olho, dente por dente.

Daí a legitimidade sentida por quem executa estes atentados, contra populações "civis".

O fechar de olhos e a indiferença por situações gritantes, em favor de benefícios políticos e económicos dos grupos que, em cada momento, controlam o poder das nações mais poderosas, será um dos denominadores comuns no despoletar destas situações.

Outro denominador comum residirá na cumplicidade do cidadão comum, que prefere ignorar o mais infame dos actos dos seus governantes, desde que não seja posto em causa o seu nível de vida.

Ou seja, em maior ou menor grau, acabamos por ser todos responsáveis. Estou a falar de NÓS.

É claro que não queremos ficar sem o petróleo e voltar à idade das trevas, mesmo que isso custe a vida a milhares por esse mundo fora. É mais cómodo chorarmos criancinhas que morrem á fome e fazer grandes espectáculos televisivos de solidariedade, do que questionarmos o poder político, das formas mais puras e duras, sobre o que andam a provocar por esse mundo fora.

Assim, ficamos todos desculpabilizados. E quando estes atentados acontecem, pomo-nos a gritar para nós mesmos (será que para acreditar-mos melhor?) que se tratam de actos vis e cobardes, perpretados por psicopatas cobardes e fanáticos os quais, sabe-se lá porquê, decidiram não gostar de nós.

Agora, que estamos encostados à parede, não nos resta senão continuar neste jogo do sei mas finjo que não sei, porque há muito declarámos nós, o cidadão comum e os seus governantes, esta guerra.
Agora, já não apenas em nome do nosso estilo e nível de vida, mas também da sobrevivência física dos nossos filhos e crianças, iremos ser mais uma vez cúmplices da hipocrisia e da injustiça, porque não temos outra saída.

Não tenhamos, no entanto, o despudor de julgar seja o que for, depois disto.

yulunga disse...

Anónimo das 7,20.
Porquê Bush em particular?
Eu diria à governação americana.

Retirado de "Carta ao Presidente Bush" de Mia Couto

- Os USA foram a única nação do mundo que lançou bombas atómicas sobre outras nações.
- Foi a única nação a ser condenada por #uso ilegitimo da força" pelo Tribunla Internacional de Justiça.
- Treinaram e armaram fundamentalistas islâmicos (incluindo Bin Laden) quando os russos invadiram o Afeganistão.
- Apoio ao regime da Saddam Hussein enquanto este praticava as maiores barbaridades contra o Irão.
- Ajuda da CIA ao assassinato de Patrice Lumumba.
- Ajuda na condução ao poder de Mobutu.
- Apoio à Indonésia na invasão de Timor.
- Recusa ao pedido de extradição de um dos puiores lideres do Taiti, Emmanuel Constant.
- Bombardeamento no Sudão duma fábrica de MEDICAMENTOS como retalição dos atentados de Nairobi e Dar-es-Salam.
- 1987 USA juntamente com Israel votou CONTRA uma moção de condenação ao terrorismo internacional.
-Ajuda na preaparção de um golpe de estado no Irão.
- Terrorismo biológico e quimico: o agente laranja e os desfolhantes no Vietname, e o virus da peste contra Cuba.
- Desde a Segunda Guerra os USA bombardearam:
China, Coreia, Guatemala, Indonésia, Cuba, Congo, Perú, Laos, Vietname, Camboja, Granada, Libano, Libia, El Salvador, Nicaragua, Irão, Panamá, Iraque, Kuwait, Somália, Bósnia, Sudão, Afeganistão, Jugoslávia.

Os Usa não são propriamente uns meninos de coro.
Se calhar a eles devemos a fomentação do terrorismo.
O povo americano deve agradecer aos seus governantes os atentados de 11 de Setembro. Os espanhóis e os britãnicos também, bem como aos seus próprios governos pelo apoio dado a uma outra facção terrorista.

Lamento a morte da coluna vertebral de um pais: o seu povo.

yulunga disse...

P.S. Desculpem as gralhas.

yulunga disse...

António Pedro Ribeiro, disseste e muito bem "Comparar Bush aos terroristas seria cómico se não fosse absurdo."
De facto considero os USA o grande Mestre do terrorismo.
O "cómico" será o de que os aprendizes superaram o Mestre, e nesse caso sim, acabou por se tornar absurda a comparação.
Quando acontecem estas coisas inesperadas diz-se que são efeitos colaterais, não é?

yulunga disse...

Lobices, para te acalmar (mas para mal dos espanhóis) nós estamos a salvo :-).
A maioria considera-nos como fazendo parte de Espanha.
Oa ataques a Portugal serão direccionados para Madrid.
Podes fazer as tuas caminhdas tranquilo.

lobices disse...

...BOM DIA à tutti
...
...como não podia ter deixado de o ser, a questão veio trazer uma pseudo discussão sobre o "papel" de Deus sobre a situação
...se Ele existe ou se não o é
...Deus é um conceito formatado pelo Homem
...o Homem teve necessidade de "responsabilizar" alguém por tudo o que não entendeu (e ainda não entende)... quando são coisas boas é um Deus bom, quando são coisas más é por vontade Dele
...
...porque é que me refiro a Ele utilizando a inicial maiúscula?
...por respeito à minha própria crença, ou seja, ao meu crer que o Universo é algo que existe e se existe tem uma razão para existir; quem o fez existir ou se ele se fez a si mesmo, algo de transcendente se passou, algo o criou ou mesmo que incriado ele está patente aos nossos sentidos
...sendo assim, nada mais me é possível entender como, num sentido laico, aceitá-lo como sendo ele, o Universo, a entidade única, a Entidade Una Viva e não tendo nada nem mais ninguém
...sendo assim, o Universo É por ele mesmo e não foi criado para nós; nós somos uma consequência da Sua própria existência
...daí que, Ele, o Universo, apenas gere a Sua própria vida, o seu próprio ciclo e nós, apenas nos movemos num deambular de sucessivas tentativas de sobreviver
...Deus (o Universo) nada pode fazer por nós; somos nós que fazemos "coisas" e culpámos um Deus que, existindo como Universo, ou não existindo como ser criador, nada tem a ver connosco
...Deus é um conceito, "aquilo" que eu escrevi num dos meus ensaios como alguém com as maõs atadas...
...o Universo possui o bem e o mal para o seu próprio equilíbrio e a sua sobrevivência... Ele, o Universo, ainda está a aprender como "fazer" a sua própria caminhada
...e ela passa por se defender, em primeira instância, a Si mesmo; o resto, nós incluídos, somos meros peões num tabuleiro de xadrez infinito onde não existem jogadores mas apenas o passar do tempo e a acumulação do pó sobre o tabuleiro
...Deus não tem culpa pela simples razão de que Ele é tudo o que é, logo, tanto o bem como o mal fazem parte Dele e Ele não pode fazer nada quanto a isso
...é aquilo a que eu chamo de Fatalidade do Divino
...resta-nos tentar "olhar" a nossa existência como que um "milagre" de sermos o que somos inseridos num ambiente que de tão gigante e infinito que é, só podemos dar graças a nós mesmos (porque somos partes do Todo) por ainda estarmos vivos
...o caos é a única ordem e a ordem é o único caos
...assim se equilibra o Universo na procura constante do porquê da Sua própria existência
...vou dar a minha caminhada; também procuro a razão do porquê de estar aqui...

circe disse...

Bom Dia,

"Os americanos são uma raça de convictos e devem estar agradecidos
por tudo aquilo de os deixemos fazer sem os enforcar"
Samuel Johnson

De qualquer forma, prefiro começar o dia com Churchill:

We shal never surrender! ;)

yulunga disse...

Lobices, eu deixava Deus ou os vários Deuses fora disto.
A falta de respeito entre religiões é uma coisa que me revolta, bem como a forma como usam "Deus" como bode expiatório para os vários comporatmentos humanos.
Arriscava dizer que Ele foi uma invenção humana para tentar justificar e desculpar o injustificável e o indesculpável.
Em certas coisas necessitamos sempre de alguém ou algo acima de nós que acarrete com as culpas.
Até mais logo

PortoCroft disse...

RAM,

Sabe bem que não. Estava apenas a titilar a fé da Maite. ;)

Mas, falando em paternalismos e livre arbítrio. Um pai, ainda que sabendo que o seu filho é irresponsável e incompetente, lhe permite tomar as suas próprias decisões, é tanto ou mais incompetente e irresponsável que o filho. Quando me dizem que Deus existe e dá-nos o 'livre arbítrio', no fundo é isso que me estão a dizer: Deus existe e é irresponsável.

teresa disse...

Yulunga:
Faço minhas as suas palavras e as de Mia Couto.

lobices disse...

...Luís:
..."Deus existe e dá-nos e livre arbítrio"...logo, tal como esse pai que permite as irrespondabilidades do filho, Ele existe e é irresponsável...
...pois
...aqui se coloca a grande questão "filosófica" da Humanidade: imaginemos que Ele existe e que, sendo responsável, não permite que os seus filhos façam asneiras...
...para isso, TERÁ de irradicar o MAL... tudo seria bom, belo, bonito, doce, formoso, harmonioso, etc, etc, etc...
...estaríamos assim, no tal "paraíso" inicial de onde o Homem foi expulso por ter "comido" da árvore da sabedoria (???)
...LOGO
...o mal tem de existir
...logo, se Deus não existe tudo é aleatório e sem uma ordem tudo funciona no caos, à deriva, à vontade de cada um e de cada coisa; se, por outro lado, Deus existe, e permite tais "barbáries" é mais irresponsável que os que as comentem pois, tal como o tal pai, permite a "asneira"
...daí que, Deus existe sim na sua forma mais total, o Universo em si mesmo, mas nada pode fazer; Ele, Deus o que quer que seja, o próprio Universo, nada pode fazer do que sobreviver; para isso há que nascer e morrer, há que haver um equilíbrio e este é o grande fulcro da existência ou não de Deus
...diria que Deus não existe
...diria que Ele se chama Equilíbrio!...

melga disse...

Enquanto Deus está a almoçar, e com as orelhas ambas quentes,apetece-me perguntar ao Portocroft, que ontem disse "Já começou a caça ao homem(?)se tem
alguma pista:(
É que os 25 milhões davam-me cá um jeito...LOL

Sr(a) terrorista, ao menos dormiu
bem, ou vai pedir trovoada hoje ?

É que, atenta ao que cita lá o Perros (escrevemos pq ninguém nos ouve), V. desejou paz aos mortos.
Assim sendo, e como a carapuça não
me serve (sou mesmo cabeçuda) eu sempre desejo paz aos...VIVOS

Confesse lá, ontem teve mesmo um
mau dia, não quer partilhar essa
angústia connosco?

Inté

lunema disse...

Bom dia a todos,

Para mim, Deus existe enquanto o Homem existir, pois Ele é uma criação do Homem. O ser humano não consegue apreciar a sua grandeza, o milagre que é a vida, o milagre que é o planeta azul e o milagre que é o Universo. Como tal, necessita de se apoiar numa fé, em algo que não consegue tocar, apenas sentir. Se isso dá força e alento, pois que sim, que o façam. Para mim, chega-me o milagre da vida, dos afectos, dos AMORES!

lunema disse...

Preciso de ajuda para colocar uma imagem no blog. Como se faz?

lobices disse...

...to Lunema at 1:10 PM:
...
...e qual é o teu blog?... para te poder "ensinar" a postar imagens tens de me dar o endereço do teu blog...

RAM disse...

Caro PortoCroft,

O pensamento religioso, na sua matriz judaico-cristã, divide-se teologicamente em duas alturas distintas.
Na primeira, antes de Cristo, viveu-se sob a alçada da lei, a lei de Moisés, baseada num principio dogmático: "Não faças aos outros o que não gostarias de te fizessem a ti."
Jesus Cristo, quebrou o ciclo, com a "regra de ouro" expressa no Sermão da Montanha: "O que quereis que os homens vos façam, fazei-o também a eles" (Lc 6,31).

No fundo, e simplisticamente, estabeleceria um paralelismo entre a evolução histórica da matriz judaico-cristã e o perspectiva ontogenética da evolução do Ser Humano:
- os milénios que vão de Abraão a Jesus: a infância e adolescência do Ser Humano, e a necessidade do Pai impor regras
- os milénios subsequentes a Jesus: a idade adulta, em que o Ser HUmano é responsabilizado pelos seus actos.

Pois diga-me lá, caro PortoCroft: quando criança por certo seus Pais seriam responsabilizados pelas suas incursões no fabuloso mundo das coisas interditas (eu sei que o fiz); mas agora, com a sua idade, serão seus Pais responsabilizados por alguma alarvidade que entenda fazer ou dizer?
Creio que não.
Mas amá-lo-ão sempre... disso creio que podemos estar certos.
Cumprimentos a tutti

RAM disse...

Uma proposta musical:

Agaetis Byrjun - Sigur Ros

Vale a pena...

melganoturno disse...

Ó gente, tá a repetir na N o tal programa

melganoturno disse...

Adelaide Serra e Fernando Domingues

Mas isso agora n interessa nada, né?

Bora lá ao tacho.

Lunema,
o Blogger faz o upload das imagens

Inté

melganoturno disse...

Creio que todos sabem que eu, a Circe, assina melga ou melganoturno
para n estar sempre in/out blogger.

Achei melhor explicar, não vá alguém pensar que se trata de brincadeira de mau gosto!

Então, boa sesta, que me vou.

Fui;)
Love you all

PortoCroft disse...

mas agora, com a sua idade, serão seus Pais responsabilizados por alguma alarvidade que entenda fazer ou dizer?

Caríssimo, RAM,

Devolvo-lhe o cumprimento.

Reconheço os valores de A Lei de Moisés e dos "ensinamentos" de Cristo, como deles próprios, não como vindos duma entidade transcendente. E aceito e adopto alguns deles no meu dia-a-dia. Como, de igual modo os aceitaria se tivessem vindo do nosso anfitrião, numa das suas ruminações.

A minha fé está no Homem justo que, se transcende, se eleva e lidera por exemplo e não em supostas entidades paternalistas.

lunema disse...

lobices, o que eu quero é colocar uma foto/imagem no profile

lunema disse...

"...também procuro a razão do porquê estar aqui..." - lobices 10:41

Especialmente para si,

"Aquele homem viajara muito. Ao longo da sua vida, visitara centenas de países reais e imaginários...Uma das viagens que mais recordava era a sua curta visita ao País das Colheres Compridas. Chegara à fronteira por acaso: no caminho de Uvilândia a Paraís, havia um pequeno desvio em direcção ao tal país. Como gostava de explorar, seguiu esse caminho. A sinuosa estrada terminava numa enorme casa isolada. Quando se aproximou, reparou que a mansão parecia dividida em dois pavilhões: uma ala oeste e uma ala este. Estacionou o automóvel e acercou-se da casa. À porta, um cartaz anunciava:
PAÍS DAS COLHERES COMPRIDAS
ESTE PEQUENO PAÍS CONSTA DE APENAS DOIS QUARTOS, CHAMADOS PRETO E BRANCO. PARA O PERCORRER, DEVE AVANÇAR PELO CORREDOR ATÉ ONDE ESTE SE DIVIDE E VIRAR À DIREITA, SE QUISER VISITAR O QUARTO PRETO, OU À ESQUERDA, SE QUISER CONHECER O QUARTO BRANCO.

O homem meteu pelo corredor e o acaso fê-lo virar primeiro à direita. Um novo corredor com cerca de cinquenta metros de comprimento terminava numa enorme porta. Assim que deu os primeiros passos, começou a ouvir ais e uis que provinham do quarto preto. Por instantes, as exclamações de dor e sofrimento fizeram-no hesitar, mas decidiu avançar. Chegou à porta, abriu-a e entrou.
Sentadas à volta de uma mesa enorme estavam centenas de pessoas. No centro da mesa, viam-se os manjares mais requintados que qualquer pessoa poderia imaginar e, embora todos tivessem uma colher para chegar ao prato central, estavam mortos de fome! O problema era que as colheres tinham o dobro do comprimento dos seus braços e estavam presas às suas mãos. Assim, todos podiam servir-se, mas ninguém conseguia levar a comida à boca. A situação era tão desesperada e os gritos tão terríveis que o homem deu meia volta e saiu da sala a correr.

Voltou à sala principal e meteu pelo corredor da esquerda, que levava ao quarto branco. Um corredor exactamente igual ao anterior desembocava numa porta idêntica. A única diferença era que, pelo caminho, não se ouviam queixas nem lamentos. Ao chegar à porta, o explorador girou a maçaneta e entrou no quarto.
Centenas de pessoas encontravam-se também sentadas à volta de uma mesa igual à do quarto preto. Também ao centro se viam manjares magnífiocos e todas as pessoas tinham uma colher presa à mão. Mas aqui, ninguém se queixava nem lamentava. Ninguèm morria de fome, porque todos davam de comer uns aos outros!

O homem sorriu, deu meia volta e saiu do quarto branco. Quando ouviu o clique da porta a fechar-se, encontrou-se imediatamente de volta ao seu próprio automóvel, a caminho de Paraís."

E&E disse...

Portocroft 2:33

Deus ou não, Natureza ou não, Regimes caóticos ou não, Homem ou não, vamos agarrando esses conceitos enquanto não nos surgem outros que nos convençam mais.

À falta de melhor, e na angústia dos atentados no Ocidente e no Oriente, fico-me tentando o repouso que se desenvolve a partir do deleite, da fé e do entusiasmo e não da raiva, da ira, da irritação e da exasperação.

Ajuda a entender esta dicotomia a observação de que a ira, "como qualquer outra emoção, pode ser fragmentada em constituintes mais elementares." Como diz Paul Ekman, "a peça construtiva poderá ser uma certa característica que está frequentemente presente na ira mas que pode também estar presente em momentos isentos de ira - a persistência".

Será que essas divindades terão dado (apenas) mais persistência aos criadores dos atentados e menos às vítimas?

Que poderemos fazer se não queremos ser, nem criadores de atentados, nem vítimas? Talvez usar a persistência para o deleite, a fé e o entusiasmo.

Mas se são estes, precisamente, os 3 conceitos que os criadores de atentados usam, que fazer?

Acho que a resposta é uma impossibilidade.

Ester disse...

Olá melga & circe 12:26

Só aqui entre nós, claro que muitos dos que gostem de ver retratos, interpretar signos e pesquisar nas entrelinhas, saberão que tens um determinado rosto (bonito) e que assinas (como acabaste de avisar) melga ou melganoturno. Mas conhecer-te, que ficção!

Por mim, que não pretendo estar demasiado 'in blogger' (porque é uma impossibilidade e uma ilusão), prefiro vaguear por este interessante blog, lendo os comentários, ouvindo os suspiros e assinando como E&E, Ester e Esoen.

Achei melhor explicar, como tu, mas enquanto não mostrarmos o BI e a declaração de IRS, será que seremos de confiança?

Então, boa sesta

Esoen disse...

Prof JMV

Paris, NY, Londres
Maseru, Lomé, Aden, Pasargada,
'os cus de judas' onde 'bandos de gafanhotos se cruzam na esquina onde está o eremita'.

RAM disse...

Caríssimo PortoCroft,


Alguns esclarecimentos:
...quando utilizei a expressão "alarvidade que entenda fazer ou dizer" creia que não estava, de forma alguma, a adjectivar qualquer um dos comentários que tem efectuado; julgo que o sabe e espero que não tenha havido nenhum mal-entendido
... estava apenas a contra-argumentar quando disse que "Um pai, ainda que sabendo que o seu filho é irresponsável e incompetente, lhe permite tomar as suas próprias decisões, é tanto ou mais incompetente e irresponsável que o filho."
... daí a minha expressão
... a responsabilidade parental (paternal ou maternal) termina, no contexto em que a colocou, na transição para a idade adulta
...teologicamente entendo que o Ser Humano está na idade adulta, ainda que comparando as dimensões temporais "AC" e "DC" diria que é se trata de um jovem adulto
... daí ainda fazermos tantas asneiras :))))
... quanto a fé no Homem, e conforme disse no meu post anterior, entendo que a fé no homem não é incompatível com a fé em Deus;
... o existencialismo não é exclusivo de Sartre ou Heiddeger mas também ""pertença"" de Gabriel Marcel, um dos principais pensadores do existencialismo cristão

Também eu tenho fé no Homem.

PortoCroft disse...

e&e,

Na minha juventude, conheci um dia alguém, pessoa humilde, que me disse: "Um homem precisa de ter fé nem que seja numa pedra". Nunca mais esqueci. E a mesma pedra que então segurava, enquanto me dizia isto, guardo-a ainda hoje.

O Homem precisa de acreditar. Ponto final. Eu acredito no meu semelhante. Mesmo quando, e não raras vezes, comete barbaridades. Afinal, até as pedras podem ser polidas, não é? ;)

PortoCroft disse...

Caríssimo RAM,

Como poderia pensar tal coisa, vinda de alguém com tão grande conhecimento e, suponho, prática religiosa? Esse seria uma adjectivação pouco cristã que nunca esperaria vir de si. ;)

Pelo que me diz, fiquei convencido que o seu Deus nos emancipou cedo demais. Que irresponsabilidade, hein? ;)

lobices disse...

...um dia um jovem empreendedor resolveu montar um negócio; se bem o pensou, melhor o fez; montou uma loja de vidros, espelhos, louças, etc, uma espécie de vidraria
...porém, o negócio não dava lucro; não havia procura; já quase ninguém lhe comprava vidros; lá aparecia de vez em quando alguém a comprar uma caneca de vidro porque a que tinham tinha-se partido às mãos duma criada desajeitada...
...então, ele teve uma ideia luminosa: se não havia procura, ele tinha de criar a necessidade para existir essa procura!... Ele, afinal, reporesentava a oferta mas procura...nada!...
...então, um dia encontrou um tolinho lá da vila e disse-lhe para ele de noite passear pelas ruas e atirar pedras às janelas das casas, que lhe pagaria a sopa todos os dias e se alguém o apanhasse a fazer aquilo ninguém lhe faria mal pois ele era o tolinho querido lá da vila...
...assim o pensou, assim o fez...
...de noite lá ia o tolinho atirar pedras aos vidros das casas...
...de manhã lá apareciam na loja os desanimados utentes das janelas partidas a pedir ao vidraceiro os vidros novos...
...o vidraceiro tinha criado a procura para o seu artigo
...e o negócio prosperou e quantos mais vidros ele vendia mais vidros se partiam; e assim, sucessivamente
...
...
...apenas uma metáfora (para dar uma ideia de que é preciso que haja doentes para que os médicos existam; é preciso que haja guerra para que os armeiros vendam armas, etc. etc.)
...
...quem começou?... A procura ou a oferta?...
...como é que eu sei?...
...só constato

E&E disse...

Portocroft

Reconheço que tem sido estimulante falar consigo.

Não estava à espera da sua resposta (quiça um pouco piegas, desculpe) do homem e da pedra - eu que tb guardo pedras como recordação e penas e folhas, fico-me por isso e não lhes atribuo poderes de consertar o 'mundo' nem as interpelo assim.

Não sei avaliar bem o carácter compulsivo do acreditar em semelhantes ou diferentes - ou seja, é muito improvável acreditar num deus semelhante (pedras polidas) e incompreensível acreditar num deus diferente.

Para a sua convicção na 'bondade' de 'ram', (de que apenas conheço 'palavras' correctas, aliás como as suas), permita-me que duvide de tanta inclusão, por me parecer demasiado óbvio o trocadilho que empreende usando esta palavras 'grande conhecimento/prática religiosa/adjectivação pouco cristã que nunca esperaria vir de si/convencido que o seu Deus nos emancipou cedo demais/Que irresponsabilidade.

Isto porque acho desajustado falar do deus dos outros, daquele que não se conhece nem a quem se recorre.

Falar da pedra talvez fosse mais convincente.

hein? ;) (ai este sorrisos geométricos, como nos ajudam ;))))

RAM disse...

Caríssimo PortoCroft,


Teremos nós sido emancipados demasiado cedo? (the British humour has taken hold of you :))))
Creio que não...
Sou um optimista e acredito que muito pode surgir do debate de ideias e ideais.
Como em tudo na vida, as coisas são tão mais ricas quanto maior for a sua diversidade. A Igreja (Ecclesia) - enquanto Comunidade - também é rica pela diversidade que encerra no seu interior.

Antes de ser católico sou um homem livre e um livre pensador. :))

Sempre fui... ;)))

PortoCroft disse...

e&e,

Surpreendida?;) Para que veja como sou crente, digo todos os dias esta oração, ao deitar:

AVE LAMPIÃ

Águia nossa, cheia de graça
O lampião é convosco.
Bendita sois vós entre as avezinhas
e bendito é o fruto do vosso ventre
O orelhas
Santo Koeman, nos dai vitórias,
que compensem o 'kit'
E que nunca nos falte o Murcon
Para carpirmos nossas mágoas. Amém.

Sorrisos aritméticos.;)

PortoCroft disse...

"Podemos facilmente perdoar
uma criança que tem medo do escuro; a real tragédia é quando os homens têm medo da luz".
Platão


Caríssimo ram,

"Corações ao alto!" ;)

yulunga disse...

Portocroft, gostei desta comparação
"Afinal, até as pedras podem ser polidas", infelizmente não aplicável a todas as "pedras".
Estamos a lidar com seres humanos, o que faz com que a distância entre a teoria e prática seja alguma.

Bom fim de semana maralhal.

Maze disse...

Fiquei contente em saber que o portocroft está bem. Quando soube das bombas em londres fiquei apreensivo... os amigos existem em todos os ambientes (não temos o mais pequeno contacto) mas foi giro este sentimento de bem querer. Cada vez mais estou convencido que o mal tem de ser combatido. No dia 11 de Jullho de 2001 (dois meses antes do atentado) a minha filha estava na torre A em NY. Não sei qual é o pecado dela ou meu para alguem querer fazer o que fez em NY, Madrid ou Londres. Não consiguo negociar com alguem que me quer destruir, não tem logica.
E de Deus podemos dizer ou não muita coisa. Do nada..... nada.

mia disse...

"hoje sofro pela humanidade.
Não é por ti. Nem por mim. nem por ti, nem por ninguém. Mas é por alguém; alguém, que não é ninguém, mas que é toda a humanidade"
António Gedeão.

Boa noite disse...

AVE LAMPIÃ

Águia nossa, cheia de graça
O lampião é convosco.
Bendita sois vós entre as avezinhas
e bendito é o fruto do vosso ventre
O orelhas
Santo Koeman, nos dai vitórias,
que compensem o 'kit'
E que nunca nos falte o Murcon
Para carpirmos nossas mágoas. Amém.

melga disse...

Terrorista, ontem por esta hora:
"Tenho as minhas ideias...Têm todoodireitodediscordardelas"

E ????????

Um tipo pergunta a outro: Tem horas?
Tenho - e seguiu caminho... LOL

Ester,
Em breve, o BI, o NIF, o NISS e os
primos todos vão passar a um cartão
único - CU ;)

Sem esquecer o cartãodecrédito!
´Já tou a ver a cena, no terminal do hipermercado: São 18 euros,p.f.
- Sim senhora, tome lá o meu CU!

rssss...ora saia uma tónica e 1 pasteldenata, faxavor!

Pra hoje inda tenho trocado, ai ai

circemelga, cliente habitual

António Pedro Ribeiro disse...

Maize: «Não consiguo negociar com alguem que me quer destruir, não tem logica.»

Correcto. Resta-nos esperar que os amanhãs cantem, e que o Comunismo seja a juventude do mundo... Perdão. Por momentos pensei que estávamos em 1968, antes de Phom Peth e os vermelhos chegartem ao poder no Vietname e dizimarem milhões de compatriotas, em nome do Homem. Lapsus meo. Proponho auma coisa aos camaradas que nos ouçam: eu queimo uns quantos nas fogueiras da Inquisição, e vocês abatem uns quantos nos gulags e nos paraísos socialistas dos "gran capitans" deste mundo. Pode ser?
P.S: RAM, excelente respostas.

Mário disse...

António Pedro Ribeiro,
Acerca de um seu comentário anterior, venho apenas informá-lo de que Tim Berners-Lee, o "inventor" da internet, é britânico. Azar!

PortoCroft disse...

Mário,

:)

António Pedro Ribeiro disse...

Mário, obrigado. Mas, como é bom de ver, referia-me à Miscrosoft.

António Pedro Ribeiro disse...

Aliás, à Microsoft. E a coisas como o Windows.

uivomania disse...

Mais vale vergar do que partir! Vergar, ao invés de cobardia, poderia significar uma sábia reflexão, uma porta para o diálogo sério, um olhar atento sobre a necessidade de mudança. È que, esta velha fórmula de dar murros na mesa e exibir a força para mostrar quem manda, já se viu, alimenta o ódio e não está a resultar!

E&E disse...

Portocroft e melga

Antes de me deitar ñ direi oração alguma mas lembrarei isto:

Ester 1.22 Então enviou cartas a todas as províncias do rei, a cada província segundo a sua escritura, e a cada povo segundo a sua língua: Que cada homem fosse senhor em sua casa; e que isso se publicasse em todos os povos, conforme a língua de cada um.
(salvo seja)

Salmo
Eu bem que me esforço Senhor,
mas nada me adianta.
Tanto me esmero,
e ouço-lhes Avés e CUs.
Cuidai das pedras Altíssimo
que os homens cá de baixo
Não Vos sabem agradecer.

Raquel V. disse...

Como alguns de nós somos egoístas e apenas centrados nos nossos problemas... Neste caso eu...
Um beijinho para os que vivem nessas zonas, como o pCroft :*




-
Acredito em Deus/Energia maior, em "mundos paralelos". Acredito que uma criança que morre é um ser que já cumpriu cá a sua missão e pode evoluir para um plano mais avançado. Não deixaria de ficar no entanto de rastos se fosse meu filho. Não deixo de me horrorizar com todos os que estão neste planeta para evoluir e não o fazem.

A maioria das religiões apelam à bondade, á tolerância, ao AMOR.

DE resto tudo/muito está dito para trás.

PortoCroft disse...

e&e,

Então agora que eu estava a fazer um seríssimo esforço para seguir um certo ritual litúrgico é que sai com uma dessas? Francamente, eu aqui a enaltecer a Águia, criatura tão divina... ts ts... que ingratidão. ;)))))

lobices disse...

...hoje dia 9... mais um dia; um novo fim de semana... pergunto apenas: onde está a diferença?
...
...por mais coisas diversas que faça, nada passa de rotina, de ver passar o tempo (faça o que fizer, ria-me ou chore, o tempo está a passar inexoravelmente...)
...
...mas vim aqui para, como já é um hábito, desejar um BOM DIA à tutti
abreijos

E&E disse...

Portocroft
Desinquietada na minha religiosidade e não conseguindo pregar olho dei aqui uma espiada e ein?! aqui está o 'homem de Homem', para ñ ter que dizer 'homem de Deus'.
Creia-me reconhecida e apreciando mt o seu esforço no caminho para o altíssimo.
Haja Homem
;:;:,:;:;: (motivos geométricos de júbilo)
Agora é que vou mesmo ... para Pasargada
Até

Maite disse...

Bom dia Maralhal e Professor

e&e estou em querer que o ateismo vai perder mais um adepto;)

Lobices, quanta melancolia! Está um lindo dia cheio de sol. Seize the day :)

PortoCroft disse...

e&e,

Tenha um bom e santo fim-de-semana.;))))

(Chinezzinha) disse...

Bom dia e um excelente fim-de-semana para todos.

Beijos

António Pedro Ribeiro disse...

«Lady Jane»? Sim, Senhor. Parabéns ao "Murcon". Confesso: gosto mais dos Rolling Stones do que dos Beatles.

circe disse...

Avé Lampiões,

Nem sempre o Dragão cospe fogo,
portanto dedico um poema ao maralhal, e Mestre Murcon também,
carago, para um pacífico fim de semana , extensivo a todos os outros clubes, pois;)

Viva Portugal
e os morcões em geral ;)

catarina miranda disse...

Match Point

Mário disse...

Já vi que apareceu outro Mário. Vou ter de arranjar maneira de nos distinguirmos. Pensarei nisso depois. Vou de férias malta e... não levo a besta :)))

abraço a todos e boa conversa :)

lobices disse...

...Domingo, 10 de Julho
...10 e 30 da manhã
...vento leste forte anunciando uma tarde de calor
...refugio-me neste cantinho fresco
...e desejo à tutti um BOM DIA

Manuel Reis disse...

Caro Professor, estas suas ausências da Antena 1, são muito complicadas. A manhã de domingo não é a mesma.
Gostei do comentário de um habitante de Londres, a propósito destas bombas e que dizia mais ou menos isto: nós já fomos bombardeados, o que é isto comparado com esses tempos? A falta que nos fazem as dificuldades, enfrentar as dificuldades com coragem.

noiseformind disse...

Não percebo este fuss todo, a sério que não percebo. Uma religião cujos seus locais santos estão na posse de infieis e cujos praticantes do seu culto são maltratados por todo o mundo deu origem dentro de si a um grupo extremista que pretende a libertação desses locais santos da presença estrangeira. Não percebo pq é que hei-de chorar mais pelas previsíveis mais de 100 vítimas londrinas do que pelos mais de 25.000 iraquianos mortos de forma muito mais cobarde no Iraque, por aviões perfeitamente identificados com bandeiras do Tio Sam no dorso. Sinceramente, não me vou entregar ao gesto hipócrita de chorar e estupefactear-me com sangue europeu e "aceitar" sangue árabe.

Espero apenas o dia em que todas as anedotas humanas que por aqui verteram fezes lacrimoniais um dia tenham a coragem de me seguir no gesto de entregar 1/3 do seu vencimento para associações que promovam ajuda humanitária em países em desenvolvimento, única forma de as nossas palavras piedosas serem mais do que um peido amarelo ao Vento da História.

E tenho dito (agora vou vomitar, até já).


Peter

PortoCroft disse...

Noisy,

1/3? Não achas demasiado? A IURD só cobra 1/10. Assim nem és competitivo.;)

pobrezinho disse...

Vou seguir o exemplo do Peter para nunca mais ser uma anedota humana e vou passar a dar peidos azuis e jorrar fezes ao vento sobre o ocidente. E vou passar a enviar para o blog dele a minha contribuição de 120€ mensais. Sou pobrezinho mas muito amigo dos meus irmãos.

o terror disse...

Eis o que espera os infiéis, segundo Omar Bakri Mohammed.

Omar Bakri Mohammed, um sheik que se autoproclama “líder do Londonistão” e “Teórico da Al-Qaeda na Europa”, na entrevista, publicada a 18 de Abril de 2004, com o jornal “Público”, quando falava da “inevitabilidade” de grandes atentados terroristas em Londres e dos grupos que os preparavam:

P. O que pretende a Al-Qaeda?
R. O terror. Estão empenhados numa jihad defensiva, contra os que atacaram o Islão. E a longo prazo querem restabelecer o estado islâmico, o califado. E converter o mundo inteiro.(…)

Anónimo disse...

conveter em quê?

Anónimo disse...

converter toda a zona mediterrânea no antigo Califado Islámico que já o foi outrora.
Pensais que isto é tudo a brincar mas os tipos não estão a brincar, não.

inocente disse...

Também de Omar Bakri Mohammed, um sheik que se autoproclama “líder do Londonistão” e “Teórico da Al-Qaeda na Europa”, na entrevista, publicada a 18 de Abril de 2004, com o jornal “Público”:

P. Mas o que pode justificar matar deliberadamente milhares de civis inocentes?
R. Nós não fazemos a distinção entre civis e não civis, inocentes e não inocentes. Apenas entre muçulmanos e descrentes. E a vida de um descrente não tem qualquer valor. Não tem santidade.

António Pedro Ribeiro disse...

Obrigado, inocente e anónimo, por essas informações. Elas mostram como os que ignoram o perigo fundamentalista árabe não são só ingénuos: são potenciais suicidas. Quanto aos que comparam os americanos aos fundamentalistas, só tem um nome: fanáticos ideologicamente cegos. Há o ver e há o recusar ver.

o poder disse...

Eu tenho imensas fábricas de armamento; preciso de vender as armas, logo preciso que alguém faça uma guerrazita de vez em quando. Caso contrário vou à falência. Podem ir todos para o caraças; eu é que não posso ir à falência.
Também tenho necessidade de deitar mão àqueles poços de petróleo; tenho de arranjar maneira de os obter. É fácil, não é?
Também tenho imenso betão para fazer construções novas; por isso há que deitar abaixo as velhas nem que seja à paulada.
Também tenho imensas acções de diversas empresas ligadas ao ramo disto e daquilo (tá tudo interligado, percebem?) e por isso há que arranjar maneira de ganhar dinheiro com elas.
Depois, vou dando uns milhõezitos para dizer que sou amigo dos povos a quem dou cabo das casas e das vidas que é para dizerem que sou filantropo.
Depois, até bato nas costas dos amigos que são amigos dos meus amigos que, por sua vez, são amigos dos amigos dos meus amigos; tais a ver?
Pois; por isso, esta vida é fácil. Basta estar cá em cima, como se costuma dizer, com o poder na mão, com o poder de decidir, com o poder de dizer o que me apetece (eu até sei que quase todos acreditam no que eu digo e também sei que os que não acreditam, são poucos e nada podem fazer; é a vida!).
Isto é que é vida.

António Pedro Ribeiro disse...

Do blogue "O Insurgente", com a devida vénia:

«Perante os problemas, uma corrente de opinião auto-nomeada de "esquerda", recuperando os argumentos marxistas dos século XX, atira as culpas para cima das grandes empresas e dos líderes políticos dos países capitalistas.

Pura ilusão: o que de bom e de mau o capitalismo faz, sai das nossas mãos e das nossas cabeças. Com as mais simples decisões que cada um de nós toma, no dia-a-dia, contribuimos para o rumo que a economia e a sociedade toma. Nós é que decidimos, involuntariamente, que havia de ser assim. Tal como os povos dos países economicamente menos desenvolvidos contribuiram para o rumo que os seus países tomaram.

Está na moda criticarmos a nossa própria civilização, tal como os hippies criticaram a sua, virando as costas aos valores da sua comunidade para adorar as filosofias orientais, o pacifismo e o "regresso à natureza". Esta atitude auto-crítica tem alguma razão de ser: dizem os evolucionistas que se encontra incorporada nos nossos genes, tratando-se de uma insatisfação necessária para a mudança. Se estivessemos contentes com tudo, nada mudaríamos.

Mas, quando nos atacam, da maneira como o fazem, é errado ajudarmos o agressor com essa auto-flagelação. Seria bom que os críticos relativistas tomassem posição quanto a isto: é o modelo das outras sociedades e comunidades que deve ser seguido ?»

o contra-poder disse...

que nada pode fazer.

noiseformind disse...

Porty ; )

No início não era tanto, era precisamente 1/10, mas nunca frequentei a IURD, só frequento o interior de coxas femininas húmidas e roliças (perdoem-me o generismo de dizer "femininas!:) ) ou o entremeio de peitos ;)

Mas depois fui percebendo que a vida não era só mais um carro, mais uma casa, mais uma merda cara com a assinatura de um gajo conhecido. Repara que temos pessoas a ganhar 3000 euros que estão completamente endividadas!!! Tenho casais em que ambos ganham para cima de 2000 euros e quase não conseguem juntar os 150 euros para as sessões, de tantas coisas que têm de possuir para demonstrar ao mundo o seu "status". Mas não suporto é palavras e mais palavras. O Live Aid foi a apólice de seguro do na altura ditador Etíope Mengistu Haile Mariam e o Live 8 ajudará a perpetuar mais alguns ditadores africanos, grande ajuda para as pessoas, grande re-equilíbrio. Continuamos a dar o peixe, ou a carne, ou a farinha, ou os preservativos no caso da SIDA, cana nem vê-la. E vivemos as nossas vidinhas, torcendo o nariz quando a gasolina aumenta ou quando passámos por uma pessoa de tez diferente da nossa na rua bem-vestida dizendo "deve ser jogador de futebol ou então é chulo" (que me perdoem os chulos de qualidade, profissão que tanto prezo ;) ).

Queremos televisões mais baratas, leitores de DVD mais baratos. Pedimos a amigos para nos fazerem copias de DVD e de albuns ou sacámos nós mesmos da net. E achámos que isso não tem custos noutra parte do mundo? Achámos que o "Estado" é que se tem de preocupar com isso. Mais uma casa, mais um carro, mais uma festa e mais um sítio do mundo que não conhecemos em cómoda estância turística (como o ppl que vai a Cuba recrear-se e depois diz que o Fidel é um ditador). Como consumidores está nas nossas mãos fazer as escolhas que obrigarão a reformatar o mundo, escolher o que é justo (temos lojas de comércio justo nas principais cidades) e não o que é barato. Não adianta andar para aí a mostrar o BM (e eu dono de um Z8 pecador me confesso) e depois fazer as compras nos chineses ou na loja de produtos baratos. E depois chorar que a produção nacional não é escoada, PUDERA!!!

"Lágrimas de crocodilo só podem levar à conclusão que quem chora é um crocodilo,
Mas que o sendo e querendo ser um crocodilo por gostar do seu lago e modo de vida lamenta ter de lamentar chorar o peixe, esperando que não lhe peçam mais esse esforço"

Al Berto

Não imagino que alguém que ganha o ordenado mínimo vá contribuir com 1/3, mas alguém que ganha 10 ordenados mínimos não lhe sobra nada regularmente? Só vive gestos fundamentais e fulcrais? Yeah, right...

Anónimo disse...

Meus caros: expliquem-me, por favor, racionalmente, o mporquê da "vingança". Abracinhos. (mia)

PortoCroft disse...

Noisy,

É uma uma inocência, da tua parte, esperares que, quem ganha 3000 euros, pretenda ter o nível de vida de quem ganha apenas 1000 euros. É tudo proporcional. E, claro que o nível de endividamento - se o houver - é também proporcional à capacidade de repagamento da divída. Uma dívida de 100000 euros para quem ganha 10000 por mês não é a mesma coisa que uma dívida de 5000 para quem ganha pouco mais que o salário minímo.;)

Depois, esse duscurso populista, nãp colhe. O que está em causa, hoje em dia, nem é o sermos inundados por produtos mais baratos de países como a China e a Indía. O que está em causa é: Seremos nós capazes de produzir em qualidade? Seremos nós capazes de prover uma educação ao nosso povo de tal forma que, a médio prazo, nos permita ter uma população com um nível Top e que seja e tenha condições para ser de tal forma inovadora que, possamos liderar algum segmento do mercado mundial? Se conseguirmos isso, nem duvides que há lugar para todos. A transição é necessariamente penosa. Especialmente para as pessoas de meia idade. Mas, tem que ser feita.

Comércio justo? Sem dúvida. Perdoar as divídas dos países mais pobres para permitir que façam face a problemas sociais gravissímos? Sem dúvida. Sermos solidários? Nem duvido. Inocentes? Nem tanto.

michaelmoore disse...

You2, guys,

That's the point; and don´t forget
Mozambique, washing blackmoney with whitegloves (por falar em chulos)

;)*

noiseformind disse...

Porty, obrigada pelo elogio :)

As tuas frases vão em aspas e as respostas estão "por baixo" delas ; )))))))))) (tirando a definição do dicionário claro)

“É uma uma inocência, da tua parte, esperares que, quem ganha 3000 euros, pretenda ter o nível de vida de quem ganha apenas 1000 euros.”
A inocência é, juntamente com a honra e uma mulata mamalhuda, o bem mais importante que um homem pode conservar : ))) e portanto se viver 1/3 abaixo das minhas posses é visto como ser inocente, não poderia estar mais satisfeito com essa imagem (Até pq normalmente as pessoas que sabem dessa minha opção de vida chamam-me simplesmente “otário”). Não ter um “estilo de vida” colado aos meus gastos é para mim um grande motivo de orgulho, seja no 206 ecológico ou seja nos painéis solares no telhado da casa ou no facto de as minhas calças (obrigatoriamente de ganga) virem todas directamente da feirinha e serem Made in Portugal apesar disso ; ))) e digo mais, para mostrar como essa ditadura dos “estilos” é absurda. O Senhor Machado (não aqui o Éme claro) faz-me por medida as camisas no meu apreciado estilo “gola de padre” com tecido nacional por apenas 40 euros (se pensarmos que as camisas de marca atiram todas muito para cima dos 100 euros…). Será isso ser inocente, apreciar camisas por medida nos tecidos que escolho em vez de me limitar a uma montra numa loja? Será mon chére, será ; ))))))) Sim, é verdade, o S2000 e o Z8 estão na garagem, mas foram comprados com 2/3 de meu rendimento, seria o mesmo que um tipo com 2000 euros comprar em vez de um Audi A3 com o limite do seu crédito comprar um Toyota Corolla sem se endividar. Consumia na mesma e ao não se endividar não ia sobreaquecer a economia com a taxa de juro que irá pagar pelo empréstimo : ))))) não falo de irmos todos para cabanas, sei que do nosso consumo dependem as empresas numa ligação global. Mas nós podemos escolher o que consumimos, e está na nossa mão, e não nas mãos abstractas de uma sociedade que nos impõe um supostamente correcto estilo de vida, mudar alguma coisa : ))))

“Uma dívida de 100000 euros para quem ganha 10000 por mês não é a mesma coisa que uma dívida de 5000 para quem ganha pouco mais que o salário minímo.;)”
Então quem ganha o salário mínimo que não compre 4 televisões, não mude de carro, aliás, não use carro, use mota. Lamento a minha inocência não ir ao ponto de dizer que isto dá para todos. A cada um a sua quota parte de responsabilidade, e aos que ganham mais mais responsabilidade. Basta pensar que o Champalimão deixei 1/3 da sua fortuna para todos nós. Imagino que entre o Champalimão e o trolha que só consegue arranjar trabalho 2 dias por semana hajam vários níveis de disponibilidaee financeira, ou não? Tipo… andámos todos com a corda na garganta até aos 100.000 mês? ; )))))))))
Depois, esse duscurso populista, nãp colhe.
Populista? Populismo, segundo o dicionário online mais próximo ; ) é:
“política que se orienta pela obtenção do favor popular, através de medidas que agradem sobretudo às classes com menor poder económico.”

Ou seja, tens de ver que dicionários andas a ler pq a medida que proponho não agradaria a ninguém de certeza, aliás, parece-me que tirando um governo de ditadura dificilmente seria possível impô-la em sociedade

“O que está em causa é: Seremos nós capazes de produzir em qualidade? Seremos nós capazes de prover uma educação ao nosso povo de tal forma que, a médio prazo, nos permita ter uma população com um nível Top e que seja e tenha condições para ser de tal forma inovadora que, possamos liderar algum segmento do mercado mundial?”
A China produz o que é desenhado por todo o mundo pq é o sítio mais barato para se produzir. Não tou a imaginar o que será produzir em mais qualidade Coca-Cola por exemplo, se calhar é por isso que lá em Portugal já se vêm garrafas dela produzidas no Quirziguistão : ))) o factor “inovação” é limitado, basta ver que inventos de há 100 anos (como os fósforos e a lâmpada) ainda não têm substituto. E mesmo os Laptops (não, não tou a falar de gajas a roçarem os rabos nas nossas calças entumescidas, tou mesmo a falar de computador portáteis) começam a chegar a Portugal feitos na China. Quantas fábricas de computadores portáteis conheces em Tugaland Porty? Portanto, pela curva de valor não vamos lá, e se não acreditas aqui no Je Peter, que é da área das Psicologias (e das Astrologias ao fim de semana) vai a http://www.payscale.com/salary-survey/aid-14218/ e repara que em muitas cidades da China o salário médio é já superior a Portugal e para muitas profissões é igualmente superior!!! Portanto, não é só “salários baixos” a explicação para o “milagre de Lótus” lá dos amarelinhos. Trata-se de aplicar ao modelo Japy sistemas de integração da produção e de acrescento de valor e clusterizações integrais (do chip ao computador) como acontece na região de Shenzen. Claro que se temos os produtores de fio em cadeia (e não a 200 km dos produtores das camisas é natural que o preço das camisas saia mais barato, para mais se tivermos alta-tecnologia e não umas empresas cujos empresários mantiveram os bolsos cheios com os dinheiros comunitários aproveitando para explorar os funcionários. Essa ideia de que é uma questão de melhorar o salário e bla bla bla bla bla bla é totalmente bullshit, pq o consumo na China apresenta padrões de crescimento compatíveis com o aumento das exportações. Em Portugal aumentam as exportações e o nível de vida não sobe, pq esse aumento reflecte-se apenas no nro de Ferraris em Felgueiras ; )))))))))))


“Inocentes? Nem tanto.”
Incentes… se dermos o nosso contributo para mudar alguma coisa, sem dúvida ; ))))

E pronto, está respondido ; )

Essa coisa das explosões deixou-te meio zonzo Porty, tens de alinhavar melhor as ideias homem ; ) populista, eu? Já agora diz que sou o amante do Paulo Portas, se queres ser mesmo mauzinho para mim ; )))))))) e eu a pensar que era homem bastante para a mulata mamalhuda loooooool looooooool looooooooooooool loool looooooooooool loooooooooooooooool loooool loooooooool loooooooooool

(o Éme nunca mais fala de sexo, será que faz assim tanto que não se lhe puxa assunto ou será que já desistiu e lhe basta uma Kafkiana revista Maria ao lado do bidé? Mistério... mistério... ; ))))))) )

boa alma inocente disse...

No cantinho da propaganda da caridade:

Eu que pela iluminada leitura de textos de gente bem intencionada consegui perceber finalmente a origem da maldade no mundo e quem são os maus e os bons, venho aqui colocar uma esmolinha de 1,25 € e a pensação (pensamento+citação) da manhã (IP-Público):

"Menos de 8 dias depois de dezenas de multimilionários terem actuado de graça para actuar com a miséria em África os 1ºs camiões com notas começaram a chegar á Suiça. Num ápice o Live8 conseguiu cumprir o seu principal desígnio e salvou 8 africanos de caírem na miséria mais abjecta: R. Mugabe, J.E.Santos, O,Al-Bashir, J.Kabila, V.Putin, P.Kagame, M.Kahadafi e 1 cabo-de-guerra somali. (...)

noiseformind disse...

Já que falei em falar de sexo, para quando um post aqui do Éme sobre a crise sexual, a idade (seja ela qual fôr) e pq é que a maior parte das mulheres que comentam no Murcon não rapam os pêlos púbicos? ; )))))))))))))

E claro, um post arbitrando sobre os benifícios da gravação de actos sexuais ; ))))))))))))))))))))))

Até logo maralhos

noiseformind disse...

OH MASTER I DIDN'T INTENDED TO TAKE AWAY YOUR GODLY NUMBER. PLEASE, DON'T UPHOLD YOUR MIGHTY ANGER OVER ME AND I SHALL OBEY YOU FOR ALL THE TIME BEING ; ))))))))

boa alma inocente e confusa disse...

Não queria dizer 'actuar' com a miséria em África, mas 'acabar'

contudo ... até que ficou bem,

esteticista depiladora disse...

Ando numa grande crise de emprego porque ninguém quer rapar pelos porque o custo da depilação vai todo para os pobrezinhos

noiseformind disse...

esteticista depilaodra,

loooooooooooooooooooool
loooooooooooooooooooool
loooooooooooooooooooool
loooooooooooooooooooool
loooooooooooooooooooool

PortoCroft disse...

Noisy, ;)))))

Epá ler-te de manhã. Um tipo fica logo bem disposto.;)

Quando disse populista queria dizer, como bem sabes, discurso fácil. Como se aquilo que dizes (o doarmos 1/3 do salário) revolvesse os problemas (nossos e dos outros). É claro que não resolve, e tu sabes bem disso. ;)

Agora se me disseres que, temos que criar condições para que, dentro de 15 ou 20 anos, todos os portugueses tenham hipóteses de ter um Z8 na garagem ou de mandarem fazer as camisas por medida ao Sr. Machado, concordo contigo.

Amante do Paulo Portas? Mauzinho para ti? Opá... Com essa tua pedalada toda, estaria a ser mau era para ele.;)))))))))

PortoCroft disse...

Noisy,

Passaria a Paulo Gates. ;))))))))

Zé Diogo Maria do stando de Z8s disse...

A crise aperta tanto que nem o meu amigo Machado consegue vender aquelas camisas às riscas e com colarinho branco que costumava mandar para o Sr Dr Luís via DSL.

DHL disse...

O Sr D. Zé Diogo Mª (casa de Vilhadares) desculpe mas não era a DSL que mandava as camisas ao Sr Dr Luís. Eramos nós.

avc disse...

Então e em Gaza será bom ser exterminado pelos Israelitas?
E no Iraque será que as crianças iraquianas, estropiadas pelos F16, conhecerão as boas intenções do Tony?
O que levará um homem a fazer-se explodir, e o que levará, um país a invadir outro com base em mentiras?
Será que os muçulmanos não amam os seus filhos?
Teremos o direito de impor a "nossa democracia" aos outros, mesmo à força?
Como se combate o terrorismo, combatendo as suas causas, ou mandando os porta-aviões?

Um abraço.

Anónimo disse...

Good write up car muscle racing street video