domingo, julho 31, 2005

A room with a view.

Lembram-se do filme? E da canção? Pois eu estou na mesma. Só que não vejo cidade nem mulher, mas a piscina infantil:). Senhor, os psis, por que os castigais? Anos e anos a vir para o Algarve por causa dos filhos e agora juntam-se-lhes os netos! Detesto o calor, a areia, a multidão; suspiro pela paz de Cantelães. Malévolo, deixo-os partir rumo à praia com a firme intenção de me manter no sossego do relvado com o meu livrinho. Depois os putos viram para mim aquelas faces lisas e coradas, virgens de plásticas e álcool, e entoam um "vens lá ter, pois vens?" que é uma ordem travestida de pergunta. E eu lá me informei na recepção sobre o serviço de carrinhas. Parto às três para o odiado areal, resta-me a consolação de ter o mar ali tão perto (isto é roubado ao Sérgio Godinho:)).
Tendresse oblige!

93 comentários:

escrevinhador disse...

Solidarizo-me consigo. Areia, calor, água e multidões também não é muito comigo. Divirta-se, "apesar de tudo". :)

Anónimo disse...

Elizabeth então desejo-lhe boas férias senhor prof.

Carlos Sampaio disse...

Caro Professor

Às 15h o sol faz mal! Sugiro das 8h às 10h e das 17h às 19h... Só tem que convencer o resto do pessoal! Uma questão de psicologia, não?
Boas férias

Orange disse...

Boas férias, professor!
:)

Cláudia disse...

Professor,

como eu o compreendo! Abomino praias cheias de gente, onde não se pode dar um passo sem pisar alguém, e onde a calma e o descanso que procuramos nas férias parecem não ser mais do que uma simples miragem...

Também eu me solidarizo consigo. Mas à distância de uns valentes quilómetros para Norte, se não se importa... ;)

O seu humor ontem à noite no "Estes Difíceis Amores" estava absolutamente imbatível! :)

Boas férias!!

noiseformind disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
noiseformind disse...

Débora,

No post "Adiante" dei-lhe resposta, como é que pôde fazer essa ideia de mim? ; ))))))))


Éme, disfrutar é fundamental, difrutar é fundamental. E tiveste até ás 3 da tarde em "liberdade", e lá para as 7 já estarás livre para escolher entre um gamão ou um passeio a pé, de novo com escolhas múltiplas em vista ; ))))

Bom dia para todos os maralheiros que por aqui andam; ))))))))

Pooha disse...

Ahhh, a heresia! Isso não se diz a quem está emclausurado na cidade!!!

Boas ferias ;)

noiseformind disse...

Escrevinhador,

Em relação à nossa conversinha de Gauguin, AQUI está a prova que "idade legal" é um conceito que tem tanto de vácuo como de absurdo. É bom para a moral e para a consciência dos habitantes mas pouco tem de palpável para os desejos da nossa "pequenada" ; )))))))))))

E nem a professada abstinência os salva das DST ou de na prática fazerem tanto sexo como os outros

Julio Machado Vaz disse...

Noise,
Bem dito. E no outro extremo as taxas de infecção dos idosos não páram de subir, mas a malta acha que eles são assexuados:(.

noiseformind disse...

Éme,
E muitos são assexuados... com o esposo!!! ;) mas mete-lhes o www.amiguinhos.com nas mãos a ver se eles não se safam. Um vizinho meu, ex-militar e consultor da NATO na casa dos 60 e tal, desde que lhe mostrei e o ensinei a mover-se nesse site chega a ter festas lá em casa até ás 4 da manhã com 20 e 30 comparsas de igual geração. E não são festas do reumático não senhor, pois nessas alturas em todos os quartos da casa pode-se ler "Bata antes de entrar por favor, respeite os outros". E o respeito não se refere a mudar de roupa ou a dormir, garanto-te looooooool looooooooooooool looooooooooooooooooool looooooooooooool looooooooooooool

Ele só me diz "ainda bem que as mulheres vivem mais do que os homens, À medida que vamos envelhecendo cada vez temos menos concorrência" loooooooooooooooooooooooooooooool looooooooooooooooool loooooooooooooooooooool looooooooooooooooooooooool
preservativo não usam, quando estámos lá À volta de uma panela de caipirinha queixam-se que ás vezes no tempo "ajeitarem-se com aquilo" lá se vai a erecção e "as senhoras já não engravidam nesta idade". Vêm-se como oportunistas e que "há que aproveitar". Há uma noção catastrofista destes homens que acham que cada uma pode ser a última e pelo endurecer da pele se acham imunes a "essas coisas".

E vou-me... até logo ostrácios:)

andorinha disse...

Júlio,
Boas férias!
Olhe os conselhos do Carlos Sampaio, então não sabe que a essas horas o sol é perigoso?:)
Descanse e divirta-se.

Noise,
Fiz-te um pedido no post anterior.
O mulherio aguarda resposta.:)

andorinha disse...

Noise,
Esqueci-me de dizer...também só volto mais logo, por isso tens tempo de responder.:)))

Paula disse...

Andorinha, e outras...

Penso que o estudo/s é o dos artigos abaixo. Se não for, indicações Sr. Noise sff

http://www.publico.clix.pt/shownews.asp?id=1229517&idCanal=91

http://www.publico.clix.pt/shownews.asp?id=1229522

Pólux disse...

Meu caro Prof. Talvez aconselhe a praia de Igrina, da nossa amada e saudosa Sophia, onde "o grito da cigarra ergue a tarde a seu cimo e o perfume do orégão invade a felicidade» (...)Onde se vê «o mar reflectido no seu primeiro espelho. Igrina."

Deixo-lhe, entretanto, uma outra praia - a minha praia - aromada pelo galerno que por estes dias sopra nas tardes frescas do Atlântico.

Sei que perdoará a enorme extensão de areia e de dunas e maré cheia que aqui trago.


A minha praia


A minha praia é como uma sala de cinema.
Depois de um filme outro filme vem,
com novos actores, novo tema...

Chegam à praia as barcas da alva.
Têm por âncora os músculos
bronze dos pescadores
e por alavanca os tractores
que sulcam a areia molhada.

Evanescentes torvelinhos de espuma
reflectem bordados a ouro e púrpura
os arrebóis da aurora.
É perpétua a sede da areia,
em cada fluxo mais sequiosa.

Encontramo-nos no ângulo recto das horas:

No sol radiante da manhã clara
sobriamente gaiata,
mudam-se os actores e as coisas.
É a vez dos nadadores-salvadores,
das bandeiras verdes,
dos primeiros veraneantes;
e das bolas e baldes de plástico,
das toalhas, das cadeiras de praia
e dos guarda-sóis de cores berrantes.

No rastilho luminoso de mar e sol
que penetra o azul eterno
vogam gaivotas de alabastrino dorso
trazidas pela viração singela
que sopra do largo.

Estamos agora na prata do meio-dia:

Há legiões de corpos,
uns bronzeados outros lácteos,
em descontrolada disputa
por cada palmo do areal.
Há gritos e risos de crianças,
brados de adultos,
pregões de vendedores de gelados...
e há corridas, passeios a pé,
desafinados mergulhos,
e repouso absoluto sobre a areia...
e até se ouve o roncar duma avioneta
sobre os céus de Julho...
e tudo de novo se caldeia
em eternos fluxos e refluxos
que alternam a vazante com a maré cheia.

O bronze, ainda moço, desce do Sol
e em doces afagos amorena os corpos.
Aqui, uma criança tenta verter todo o mar
num poço de areia e de cascalho,
tentando desvendar um mistério
que ouviu na catequese...
Ali, dois jovens em piruetas de reviralho;
Mais à frente joga-se volley de praia
e futebol de areia,
que enrijecem e ainda bronzeiam.

Vai alto o sol resplandecente
na tarde que aquece, imóvel,
sobre o longo declive
do zénite ao poente.

Alva, a espuma continua
a sua dança de ventre com a areia
em eterno jogo de escondidas com o astro-rei.

É esta a praia onde te procuro
na ausência da babilónia de vozes e de corpos;
é aqui que no breve sussurro do entardecer
um búzio me segredou, na maré nua,
que tu virás um dia pela noitinha,
ao nascer da lua, p’ra eu te ver.

clave de sol disse...

Posso trata-lo por mestre Júlio Machado Vaz? concerteza, merece este título.
Desde já, dou-lhe os meus parabéns pela fantástica prestação no programa "Este amores difíceis".

Se me permite, gostaria imenso de participar neste seu Blog com o intuito de partilhar ideias consigo e com as pessoas que por aqui passam.

Sendo a vida baseada numa partilha de amor, porque há-de ser tão difícil encontrar um amor que não seja difícil?

Disfrute da sua praia, do mar, da areia, da mulher, dos filhos, dos netos... não é difícil amar o que nos pertence.

Saudações musicais.

Stardust disse...

Caro Prof,

eu cá adoro praia... sol... mar (ai o mar, e em Salamanca tão longe!)... a parte da multidão é que despenso com carinho!
Divirta-se com a família, guarde os momentinhos fofos com os netos e disfrute.

Mas vá blogando! :)

RAM disse...

Caro Noisy,

É de mim ou anda um pouco distraído?
Vem este exercício de retórica a propósito de um dos seus comentários ao post de dia 29/7, onde escreveu, e cito: “Anda tudo aos pulos por se ter descoberto que o cérebro gay reage de forma diferente a dois químicos que recentemente foram confirmados como ferormonas.”
Meu Caro, esse estudo – suponho que estamos a falar da mesma coisa, foi notícia na edição do New York Times de 10 de Maio.
Notícia em anexo:

For Gay Men, an Attraction to a Different Kind of Scent
By NICHOLAS WADE
Published: May 10, 2005
Using a brain imaging technique, Swedish researchers have shown that homosexual and heterosexual men respond differently to two odors that may be involved in sexual arousal, and that the gay men respond in the same way as women.
The new research may open the way to studying human pheromones, as well as the biological basis of sexual preference. Pheromones, chemicals emitted by one individual to evoke some behavior in another of the same species, are known to govern sexual activity in animals, but experts differ as to what role, if any, they play in making humans sexually attractive to one another.
The new research, which supports the existence of human pheromones, is reported in today's issue of The Proceedings of the National Academy of Sciences by Dr. Ivanka Savic and colleagues at the Karolinska Institute in Stockholm.
The two chemicals in the study were a testosterone derivative produced in men's sweat and an estrogen-like compound in women's urine, both of which have long been suspected of being pheromones.
Most odors cause specific smell-related regions of the human brain to light up when visualized by a form of brain imaging that tracks blood flow in the brain and therefore, by inference, sites where neurons are active. Several years ago, Dr. Savic and colleagues showed that the two chemicals activated the brain in a quite different way from ordinary scents.
The estrogen-like compound, though it activated the usual smell-related regions in women, lighted up the hypothalamus in men. This is a region in the central base of the brain that governs sexual behavior and, through its control of the pituitary gland lying just beneath it, the hormonal state of the body.
The male sweat chemical, on the other hand, did just the opposite; it activated mostly the hypothalamus in women and the smell-related regions in men. The two chemicals seemed to be leading a double life, playing the role of odor with one sex and of pheromone with another.
The Swedish researchers have now repeated the experiment but with the addition of gay men as a third group. The gay men responded to the two chemicals in the same way as did women, Dr. Savic reports, as if the hypothalamus's response is determined not by biological sex but by the owner's sexual orientation.
Dr. Savic said that she had also studied gay women, but that the data were "somewhat complicated" and not yet ready for publication.
The finding is similar to a report in 1991 by Dr. Simon LeVay that a small region of the hypothalamus is twice as large in straight men as in women or gay men. The brain scanning technique used by the Swedish researchers lacks the resolution to see the region studied by Dr. LeVay, which is a mere millimeter or so across. But both findings suggest that the hypothalamus is organized in a way related to sexual orientation.
The new finding, if confirmed, would break ground in two important directions, those of human pheromones and human sexuality.
Mice are known to influence each other's sexual behavior through emission of chemicals that act like hormones on the recipient's brain and so are known as pheromones. Hopes by the fragrance industry, among others, of finding human pheromones were dashed several years ago when it emerged that a tiny structure in the nose through which mice detect many pheromones, the vomeronasal organ, is largely inactive in humans, having lost its nervous connection with the brain.
Researchers interpreted that to mean that humans, as they evolved to rely on sight more than smell, had no need of the primitive cues that pass for sexual attractiveness in mice. But a role for human pheromones could not be ruled out, especially in light of findings that women living or working together tend to synchronize their menstrual cycles.
Some researchers see Dr. Savic's work as strong evidence in favor of human pheromones. "The question of whether human pheromones exist has been answered. They do," wrote the authors of a commentary in Neuron about Dr. Savic's report of 2001.
Dr. Catherine Dulac, a Harvard University biologist who studies pheromones in mice, said that if a chemical modified the function of the hypothalamus, that might be enough to regard it as a pheromone. She said the Swedish study was extremely interesting, even though "humans are a terrible experimental subject." She noted, however, that the researchers used a far higher dose of the armpit chemical than anyone would be exposed to in normal life.
If human pheromones do exist, Dr. Savic's approach may allow insights into how the brain is organized not just for sexual orientation but also for sexuality in general.
"The big question is not where homosexuality comes from, but where does sexuality come from," said Dr. Dean Hamer, a geneticist at the National Institutes of Health.
The different pattern of activity that Dr. Savic sees in the brains of gay men could be either a cause of their sexual orientation or an effect of it. If sexual orientation has a genetic cause, or is influenced by hormones in the womb or at puberty, then the neurons in the hypothalamus could wire themselves up in a way that permanently shapes which sex a person is attracted to.
Alternatively, Dr. Savic's finding could be just a consequence of straight and gay men's using their brain in different ways.
"We cannot tell if the different pattern is cause or effect," Dr. Savic said. "The study does not give any answer to these crucial questions."
But the technique might provide an answer, Dr. Hamer noted, if it were applied to people of different ages to see when in life the different pattern of response developed.
Dr. LeVay said he believed from animal experiments that the size differences in the hypothalamic region he had studied arose before birth, perhaps in response to differences in the circulating level of sex hormones. Both his finding and Dr. Savic's suggest that the hypothalamus is specifically organized in relation to sexual orientation, he said.
Some researchers believe there is likely to be a genetic component of homosexuality because of its concordance among twins. The occurrence of male homosexuality in both members of a twin pair is 22 percent in nonidentical twins but rises to 52 percent in identical twins.
Gay men have fewer children, meaning that in Darwinian terms, any genetic variant that promotes homosexuality should be quickly eliminated from the population. Dr. Hamer believes that such genes may nevertheless persist because, although in men they reduce the number of descendants, in women they act to increase fertility.

PS - Desculpe comentário tardio, mas ocupações diversas deixam-me pouco espacho para comentários mais longos.

RAM disse...

Caro Noisy,

Mais uma vez atrasado (eu, entenda-se...)
A propósito dos hábitos exuais adolescentes, não é necessário recuar até à Grécia antiga, ao Ballet Rose ou à Casa Pia (diga-se, até, que ao juntarmos estas três coisas estamos a misturar conceitos diferentes).
Mas voltando ao assunto... basta ver A ACTUALIDADE (do meu ponto de vista preocupante):

http://www.nytimes.com/specials/women/warchive/970405_1594.html

Anónimo disse...

O Comércio do Porto ainda vive.
Leiam-nos em
ocomerciodoporto.blogspot.com

gonçalo disse...

Prof. JMV,

Aqueles que pensam que os idosos são assexuados provavelmente nem admitem que alguém de idade avançada possa apaixonar-se ou mesmo descobrir a própria paixão.

Pamina disse...

Boa noite JMV e Maralhal,

O fds foi bom?

JMV: Espero que a esta hora a canalha (é assim que dizem no Porto, não é?) já se tenha ido deitar e se encontre muito confortavelmente instalado em frente à "besta" ou a ler o tal livrinho. Não o imaginava entre as multidões de Agosto no Algarve. Avô sofre! Desejo-lhe força para suportar esta provação. Resta-lhe a consolação de ver a satisfação deles quando finalmente chega à praia:).
Boa estadia e divirta-se o mais possível.

P.S. Só para lhe fazer inveja: eu estive o dia inteiro, num sítio fresco e sossegado, num tête à tête romântico com alguém que deve conhecer, o Bobby Johnson. Apesar de ser um bocado popularucho, ele é um querido, tá ver, e tem aspectos interessantes.

(Para não haver mal-entendidos, claro que a inveja não é por eu ter estado com o B.J., mas pelo sítio ser fresco e sossegado)

Boa noite para todos.

Bruno Inglês disse...

É a vida professor... de outra forma não merecia a pena vivê-la.

Boas férias!

Tangas disse...

há imenso tempo que eusei que as crianças e os amores nos trazem a vida toda reféns - já gritei liberdade ou morte a plenos pulmões, para a seguir, muito dócil, emendar: sim, querida...

Pamina disse...

Olá Gonçalo(9.10),

Na sequência do seu comentário, lembrei-me do filme "Buon Natale...Buon Anno" de Luigi Comencini.
Para quem não viu, a história é a seguinte:

Um casal de reformados foi "dividido", por razões práticas de alojamento, pelos 2 filhos que pensaram, "não tem importância viverem separados, nesta idade já não fazem nada".
Numa noite de Natal em que se juntaram todos, tornou a reacender-se a chamazinha da paixão entre eles. Começaram então a encontrar-se às escondidas e a passar as tardes num quarto de hotel.
Entretanto, chegaram as férias de Verão e a mulher foi obrigada a partir com a filha, enquanto o marido ficou na cidade em casa do filho ausente. As saudades eram muitas, portanto ele decidiu ir ter com ela, mas não tinha dinheiro suficiente para o bilhete de comboio.
Como diz o ditado, "when there's a will there's a way". Por meio de vários estratagemas ele lá conseguiu arranjar o dinheiro e aparecer na casa de férias onde se encontrava a mulher.
Os filhos não só ficaram espantados como chocados com este desejo dos pai quererem estar juntos, "na idade deles, por amor de Deus".
O casal de apaixonados acabou por fugir, como dois adolescentes, e por finalmente achar um cantinho só deles, tomando conta de um farol.
O filme acaba com a mãe lendo uma carta que está a escrever aos filhos, na qual diz que ambos estão bem e que se sentem felizes um com o outro no seu farol isolado.

Concordo consigo, para muitos o amor na 3ª idade é algo inadmissível e quando confrontados com casos concretos têm tendência para se sentir chocados e até enojados.

andorinha disse...

Paula,
Penso que é isso, sim.
Obrigada pelas indicações.:)

Ena Rot disse...

Porque não leva o livrinho consigo? Os momentos de sossego aparecem quando menos se espera, basta estar de olhar atento...
Alias, soa-me muito bem, um pouco de leitura com um neto ou neta sentado em cima da barriga, não me empresta um?

PortoCroft disse...

Caro Prof. m8,

Falemos de "A Room With a View"... para um Portugal melhor.

O nosso amigo Ruben, nesta página do Sítio do Ruvasa está a levantar uma questão muito pertinente para todos os portugueses. E é assim que, abusando da sua hospitalidade, convido a todos para o visitarem e partilharem as vossas opiniões.

gonçalo disse...

Olá Pamina,

É uma história bonita.

Já imaginou o que é alguém apaixonar-se pela primeira vez aos 70 anos? Esta hipótese é inimaginável para a maioria das pessoas. Como se já não fosse possível descobrir o que quer que seja nesta fase da vida.

Em Portugal, há um estigma enorme sobre os idosos. Alguém com 60 anos passa a sexagenário (horrível palavra). São frequentes na nossa comunicação social títulos como "sexagenário deu entrada na urgência ou sexagenário atropelado".

Ana disse...

Sabe-se mais alguma coisa da circe ?

gonçalo disse...

Portocroft,

Por princípio, sou contra os referendos. Apesar de tudo, acredito na democracia representativa. Para que os referendos sejam instrumentos úteis para a democracia, são necessárias duas condições:

Uma forte consciência crítica (duvido muito que exista em Portugal) e responsabilidade, no sentido em que o voto se deve restringir em absoluto à pergunta, evitando-se usar o referendo para castigar governos e outros fins.

Disse...

andorinha disse...

gonçalo,
Esperemos que as pessoas se consigam apaixonar antes dos 70 anos.:)))
Mas claramente o amor e o sexo na terceira idade ( nem gosto desta expressão) não são vistos com muito bons olhos.
Parece que tem que haver uma idade limite para o afecto e/ou para a paixão...
É pena, a vida só acaba quando termina.

gonçalo disse...

Andorinha,

Concordo consigo. Como se todos tivéssemos, ainda em vida, um prazo de validade.

Fernando O. disse...

Prof nem sei porque digo isto, mas venha ao mar dos Açores. Não consigo sentir atracção às curvas negras da areia, mas hoje estava lindo. Enfim, nem percebo bem o que me levou a gostar de praia hoje.
Boas férias

PortoCroft disse...

gonçalo,

Já eu sou muito a favor dos referendos. Ou seja, a dar oportunidade aqueles que legitimam a democracia representativa, a pronunciarem-se sobre casos específicos. Ora, se aos portugueses é reconhecida capacidade para a primeira, porque duvidar da capacidade para a segunda? ;)

andorinha disse...

gonçalo,
E por vezes não somos nós mesmos que nos atribuimos esse prazo de validade, dizendo já não tenho idade para isto ou para aquilo?
E depois há o receio do que os outros possam pensar, não é?
Isso inibe muitas pessoas que decidem "morrer" antes do tempo.

gonçalo disse...

Portocroft,

Admito o referendo em casos específicos, como o aborto.

Não concordo que se queira fazer do referendo uma regra, pelas razões que apontei. O problema está no uso indevido ou abusivo do referendo, sobretudo em momentos de crise. Nas eleições, isso raramente acontece. Há mais responsabilidade.

gonçalo disse...

Andorinha,

É verdade! Por isso, eu digo que "morrer" pode ser bem pior do que a morte.

Anónimo disse...

Envelhecer é complicado por causa dos sinais menos. Todos os dias temos um sinal menos. Porquê? porque é exactamente assim. É natural ,normal. A pujança que se tinha não se volta a ter.
O relogio biologico não para.
Elizabeth

PortoCroft disse...

gonçalo,

Este é um caso bem específico.;)

Dois elefantes brancos, contestados publicamente por vários sectores, num momento em que o país atravessa grave crise económica.

Se me é permitido, como português, tenho dúvidas sobre a Ota, sobretudo pela distância da cidade que é suposto servir e pelos custos. Sobre o TGV, tenho dúvidas sobre o traçado e custos.

Em ambos os casos, parece-me que há muita coisa que não faz sentido.

andorinha disse...

gonçalo,
Sem dúvida, estou totalmente de acordo.
E agora vou ver o "Estes difíceis amores".
Até amanhã.:)

PortoCroft disse...

gonçalo,

Já sobre o aborto, penso o contrário. A maioria com assento na Assembleia, deveria apenas exercer o mandato para que foi eleita. ;)

gonçalo disse...

Portocroft,

Os referendos podem também ser utilizados pelo próprio poder político para se desresponsabilizar perante os eleitores em determinadas questões. A grande virtude da democracia representativa é que permite sancionar os nossos "representantes" (não consigo escrever esta palavra sem aspas) no final do mandato.

PortoCroft disse...

gonçalo,

É precisamente nesse sentido que suporto o referendo.;) Já que se trata do dinheiro de todos os portugueses, desresponsabilizem-se. O povo há-de saber, como sempre, arcar com as consequências.;)

gonçalo disse...

Portocroft,

Sobre o aborto, lamento discordar de si, mas lembro que o actual PM prometeu fazer um referendo. É o cumprimento de uma promessa eleitoral - , se é que isso ainda tem algum valor.

Em relação à OTA e ao TGV, subscrevo as suas dúvidas. Aliás, e para que fique claro, a minha opinião sobre o Referendo não tem nada a ver com as questões de fundo.

Lembro que estes projectos constam do programa eleitoral do PS, por isso, todos nós tivemos a oportunidade de votar contra.

gonçalo disse...

Portocroft,

Considero, isso sim, que temos o direito de saber o mais possível sobre a OTA e o TGV. O Governo tem o dever de nos informar. Penso que há uma petição na blogosfera, iniciativa do Pacheco Pereira, que pede ao Ministro da Economia para colocar online o projecto da OTA. Tem o meu apoio.

PortoCroft disse...

gonçalo,

É certo. Mas, já disso tivemos provas, os governos não podem ficar presos a promessas eleitorais. Têm que saber inflectir as políticas, adaptarem-se às realidades e explicar os porquês. A isso se chamar governar.

Da mesma forma, os eleitores, face aos novos dados, parece-me terem o direito de ser ouvidos sobre casos especifícos.

gonçalo disse...

Portocroft,

Eu penso não há dados novos. Em Fevereiro, todos sabíamos da grave crise das finanças públicas, mesmo com as tais receitas extraordinárias.

Volto ao meu ponto inicial, que sei que é polémico. Mas, estará o povo apto para exercer essa responsabilidade?

É que, se não está, o melhor é não a ter.

PortoCroft disse...

gonçalo,

Se explicarem ao povo porque é que o Aeroporto tem que ser a tamanha distância da capital e no litoral (onde o custo dos terrenos até é mais caro) e o conseguirem convencer, ficarei surpreso.;)

Ruvasa disse...

Viva, Gonçalo!

Permita que me meta na conversa. Apenas para dizer o seguinte:

1. A democracia representativa tem valor se é mesmo representativa.

Sente-se devidamente representado de há muitos anos para cá? Acha que a sua opinião tem contado seja para o que for?

É para essas hipóteses que a lei prevê a possibilidade de referendo e também a democracia directa.

2. A consciência crítica cria-se a partir da prática. A consciêncuia cívica não se cria a partir da mera crítica de café, que essa é absolutamente inconsequente e inócua.

Como é que podemos pretender uma consciência cívica e crítica generalizada, se ela não é por nós praticada, para dela colhermos ensinamentos?

E, na fase em que estamos, ou esquecemos e pomos de lado, clubites ou partidarites e fazemos alguma coisa pelo país ou vamos mesmo para o buraco.

Ninguém pretende deitar abaixo governos. Essa é especialidade do Senhor Presidente da República. O que se pretende é que a vontade dos portugueses seja ouvida e respeitada.

Sabe como é que se aprende a caminhar? Caminhando.

Cumprimentos

Ruben

Débora disse...

Caro Prof. JMV,

Estou solidária consigo - também eu detesto praia, areia e multidões - e também eu tenho ido sempre para o Algarve, por causa do filhote, que ainda por cima tem sempre que levar companhia.
Penso: eles vão de férias, eu não! Ai prole, a quanto obrigas ...
Faça os possíveis por se abstrair e disfrute o mais possível. Boas férias!!!
Débora

Débora disse...

Noiseformind,

Acabei de ler a sua resposta no post "Adiante".
Não fiz nenhum mau juízo a seu respeito. Aliás, estou de acordo com o seu comentário.
Estimular, motivar e valorizar as crianças é fundamental. Estava a pensar nos casos em que pomos a "fasquia" demasiado alta, se não poderiam ter consequências nefastas. Claro que nisto, como em tudo ou quase tudo, o equilíbrio é a chave.
Saudações.
Débora

gonçalo disse...

Ruvasa,

Como disse ao Portocroft, sou, por princípio, contra o referendo. Os exemplos recentes em Portugal mostram-nos que o grau de participação não foi o suficiente para o tornar vinculativo. O referendo tem como pressuposto a existência de um interesse sério pela questão que é referendada. Isto implica ter a informação essencial e também a responsabilidade de usar o refrendo apenas para os fins para que foi criado. Pensa que é isto que, em regra, se passa? Veja o exemplo recente da Constituição Europeia, em França e na Holanda. Tratou-se de um não à Constituição Europeia, cujo texto as pessoas ignoram, ou foi um voto de protesto às políticas internas, em concreto ao desemprego. Por isso, tenho muitas reservas ao referendo.
Quando digo que acredito na democracia representativa, é porque entendo que a classe política está mais habilitada do que o povo para governar o país. Não porque me sinta bem representado.
Dito isto, aproveito para esclarecer que não votei no PS em Fevereiro, não estando aqui em causa qualquer tipo de partidarite. Digo-lhe também, como disse ao Portocroft, que tenho muitas dúvidas sobre a OTA. O que penso sobre o referendo é apenas uma questão de convicção. Nada mais.

Anónimo disse...

Sr. Prof.: eu que sou da área, peço-lhe, novamente, que faça o diagnósticop diferencil erntre mentiroso e manipulador. Obrigada.! "mia"

Anónimo disse...

...e no fim vale a pena, pois vale? Porque és um ternurento, pois és?
Boas férias,

AJFRM disse...

Para nenhum de nós , por enquanto, acho,
mas fatalmente assim será, para alguns;


A Lucidez da Velhice

A mocidade é noivado, como a velhice é viuvez. Um jovem, por mais marido que seja, é noivo ainda; e um velho, embora casado, é já viúvo... um solitário guardando as cinzas duma flor. Mas dessas cinzas o seu espírito se alimenta. Alimenta-se de pureza, pois a cinza é o que resta dum incêndio, essa purificação suprema. Por isso, a consciência é um atributo da velhice, e também a ciência. A consciência é a ciência connosco, a ciência identificada ao nosso ser, que entra no pleno conhecimento de si mesmo, e do seu poder representativo do Universo. A velhice é uma noite maravilhosa em que brilham as nossas ideias, uma atmosfera límpida ou varrida pelo zéfiro da morte, a única Deusa verdadeira.

Teixeira de Pascoaes, in 'A Saudade e o Saudosismo'

AJFRM disse...

Poderá ser?

O Cuidado pela Posteridade é Maior naqueles que não Deixam Posteridade

As alegrias dos pais são secretas, como também o são os desgostos e os receios: não sabem exprimir as primeiras, não querem exprimir os segundos. As crianças tornam mais suaves os nossos trabalhos, mas tornam amargas as nossas desgraças; acrescem os cuidados da vida, mas mitigam a lembrança da morte. A perpetuidade pela geração é comum aos animais; mas a glória, o mérito, e os nobres feitos são próprios do homem. E certamente observar-se-á que as obras e as instituições mais nobres provêm de homens sem filhos, homens que transmitiram as imagens do seu espírito, já que não transmitiram as dos seu corpo. Assim o cuidado pela posteridade é maior naqueles que não deixam posteridade.

Francis Bacon, in 'Ensaios - Dos Pais e dos Filhos'

RAM disse...

Isto sim, merece protesto:
"In Pakistan, a rape victim is the one who is punished."



New York Times
July 31, 2005
Another Face of Terror
By NICHOLAS D. KRISTOF
Pakistan's president, Pervez Musharraf, is supposed to be our valued ally in the war on terrorism. But terror takes many forms, not all of them hijacked airplanes or bombed subways.

For the vast majority of humans, terror comes in more mundane ways - like the violent hands that woke Dr. Shazia Khalid as she lay sleeping in her bed, and the abuse she's suffered at the hands of Mr. Musharraf's government ever since.

I mentioned Dr. Shazia briefly in June when I wrote about General Musharraf's quasi-kidnapping and house arrest of Mukhtaran Bibi - the Pakistani rape victim who used compensation money to open schools and start a women's aid group. But at that time Dr. Shazia was still too terrified to speak out.

Now, for the first time, Dr. Shazia has agreed to tell her full story, even though this will put herself and her loved ones at risk. Her tale is simultaneously an indictment of General Musharraf's duplicity, a window into the debasement that is the lot of women in much of the world - and a modern love story.

Dr. Shazia, now 32, took a job by herself two years ago as a doctor at a Pakistan Petroleum plant in the wild Pakistani region of Baluchistan, after Pakistan Petroleum also promised a job for her husband there (that job never materialized). Dr. Shazia's family worried about her safety, but her residence was in a guarded compound and she felt strongly that the women in that region needed access to a female physician.

Then on Jan. 2, Dr. Shazia woke up in the middle of the night, and at first she thought she was having a nightmare. "But this person was really pulling hard on my hair, and then he started pressing on my throat so I couldn't breathe. ... He tied the telephone cord around my throat. I resisted and struggled, and he beat me on the head with the telephone receiver. When I tried to scream, he said, 'Shut up - there's a man standing outside named Amjad, and he's got kerosene. If you scream, I'll take it and burn you alive.' ... Then he took my prayer scarf and he blindfolded me with it, and he took the telephone cord and tied my wrists, and he laid me down on the bed. I tried hard to fight but he raped me."

The man spent the night in her room, beating her, casually watching television, raping her again and boasting about his powerful connections. A 35-page confidential report by a tribunal describes Dr. Shazia tumbling into the nurse's quarters that morning: "semiconscious ... with a swelling on her forehead and bleeding from nose and ear." Officials of Pakistan Petroleum rushed over and took decisive action.

"They told me to be quiet and not to tell anybody because it would ruin my reputation," Dr. Shazia remembers. One official warned that if she reported the crime, she could be arrested.

That was a genuine risk. Under Pakistan's hudood laws, a woman who reports that she has been raped is liable to be arrested for adultery or fornication - since she admits to sex outside of marriage - unless she can provide four male eyewitnesses to the rape.

Dr. Shazia wasn't sure she dared to report the crime, but she begged for permission to contact her family. So, she says, officials drugged her into a stupor and then confined her in a psychiatric hospital in Karachi.

"They wanted to declare me crazy," Dr. Shazia said bitterly. "That's why they shifted me to a hospital for crazy people."

Dr. Shazia's husband, Khalid Aman, was working as an engineer in Libya, but he finally was notified and rushed back 11 days later. Dr. Shazia, by then freed, couldn't face him, but he comforted her, told her that she had done nothing wrong, and insisted that they report the rape to the police so that the criminal could be caught.

That was, perhaps, naïve, particularly because there were rumors that the police had identified the rapist as a senior army officer and were covering up for him.

"When I treat rape victims, I tell the girls not to go to the police," Dr. Shershah Syed, a prominent gynecologist in Karachi, told me. "Because if she goes to the police, the police will rape her."

That's the way the world works for anyone unfortunate enough to be born female in much of the world. In my next column, on Tuesday, I'll tell how our ally, General Musharraf, then inflicted a new round of terrorism on Dr. Shazia.

e. disse...

ajfrm

Desculpará, mas não gostaria de ir descansar, por hoje, com a morbidez do gigante Pascoaes, nem com a lucidez fatalista de Bacon, mas fez você muito bem em lembrá-los.

Por mim, fico-me com o humor visionário de Poe: 'Mas estamos aqui para nos demorar? De modo nenhum. Na aglomeração e dissolução universais, podemos facilmente conceber que pode seguir-se uma nova e talvez totalmente diferente série de condições; uma outra criação e irradiação; uma outra acção e reacção da vontade divina.'

Edgar Allan Poe, in 'Eureka'

E. disse...

ram

Merece protesto sim.
PROTESTO

noiseformind disse...

Ram said,
"É de mim ou anda um pouco distraído?
Vem este exercício de retórica a propósito de um dos seus comentários ao post de dia 29/7, onde escreveu, e cito: “Anda tudo aos pulos por se ter descoberto que o cérebro gay reage de forma diferente a dois químicos que recentemente foram confirmados como ferormonas.”
Meu Caro, esse estudo – suponho que estamos a falar da mesma coisa, foi notícia na edição do New York Times de 10 de Maio."

Sim Ram... e? Na sua sapiência/posicionamento geo-estratégico-argumentativo por acaso você ou alguém falou disso ANTES? É muito fácil ir À posteriori fazer uma busca mas discutir as questões é que é mais complicado. Excelente trabalho de copy paste, mas na próxima seja um amor e passe por www.freetranslation.com e dê-lhe um arzinho Tugalês. Já agora, há 3 posts atrás falei de um estudo (o estudo de Rosenthal) que é de 1968. Aí está, por esta bitola, algo muito mais criticável;)))))))))))))))))))))))))))))))))))

Andorinha, my dear;)))))))) (para ver que eu sou um amor para as pessoas mesmo quando as bloqueio no MSN),

poderá encontrar o abstract do estudo registando-se gratuitamente no link da Lancet. Quanto ao estudo em si, desolée, ainda não há nenhuma crítica com extensão além de notícia de jornal e o PDF está restringido :(((((((((
Mas este estudo é basicamente irmão
deste, deste, e deste. TODOS estes estudos são comuns na mesma coisa. Ligeiro aumento de pacientes que desenvolvem cancro dos ovários e da mama e dentro destas pessoas aumento notável de sobreviventes ao cancro propriamente dito. Claro que para as parangonas dos jornais ancéfalos só interessa a bombástica primeira parte ;))))))))))) e esquecem-se de falar das questões ligadas à depressão, efeitos de auto-estima, osteoporose... que os estudos mencionam. Mas lá está... são questões técnicas, é deixar as mulheres irem a correr para o médico, tem mais piada. Nula responsabilização jornalística. O estudo é de 29 de Julho Ram, é perto o suficiente?;)))))))))

Quanto a ser preocupante o ppl começar a fazer sexo antes dos 15 anos... qual é o problema??? Então a Santa Madre Igreja não nos jurou a nós que se ia reforçar desde a infância a educação sexual e já não era preciso legalizar o aborto? ; ))))))))))) ai ai ai... isso é que é andar desactualizado Ram. Não me choca nem me chateia. A minha preocupação é o orgasmo e a satisfação mútua sem exploração do outro. Faz-me pensar quando eu tinha 14 anos e fazia sexo com miúdas de 11 e 12, seria mutuo-pedofilia????? E qual de nós devia ir preso? Eu por ser rapaz? Elas por terem ligado para minha casa a convidarem-me? Ai ai ai Ram... relaxe... O que me preocupa, como gajo e como psi, é que as raparigas de 13 ou 14 façam sexo com tipos de 18 ou 20, pois aí os números de "forcing" para o sexo disparam e portanto não se pode falar de decisões conscientes mas forçadas e em que há exploração. Mas só por isso, sem stress pela idade propriamente dita;)))))))))))) Agora se me disser que com 13 anos se tem muita mais dificuldade em aceder a contracepção, é preocupante, mas é só preocupante pq é preocupante não termos educação sexual nas escolas nem formação de outro tipo em casa, tirando o carinhoso "ainda sou muito novo para ser avô" de pais extremosos. Tal como os idosos, dos nossos adolescentes tb se espera que sejam assexuados;))))))))))))))))

noiseformind disse...

Aliás, em relação ao estudo foi precisamente a questão do machismo da interpretação dos estudos pela parte dos jornais que tentei lançar. Este posicionamento supostamente médico que faz das mulheres seres "em risco". O estudo em si é totalmente válido, tendo um grupo de placebo elevado e sistemático, além de ter sido feito trans-atlanticamente:))))))))

Mas nisso ninguém lhe pegou, como nós sabemos as mulheres portuguesas não têm menopausa e não precisam de THS (terapia Hormonal de Substiuição) ; )))))

Aliás, já alguém na sociedade portuguesa de menopausa resolveu salientar este tratamento muito pouco ético de estudos ligados à THS. Cá fica ele, Andorinha e restantes, para tranquilizar e esclarecer.

RAM disse...

Cara Andorinha e demais interessadas,

Publicado na Lancet esta semana:

"During the past few years, many women and doctors have revised their opinions of hormone replacement therapy (HRT) for menopausal symptoms, and a substantial number of individuals have discontinued its use because of concerns about side-effects. Numerous alternatives to HRT are promoted, and assessment of the quality of evidence about the safety and effectiveness of these compounds can be difficult. In this Review, we summarise the data from studies addressing the efficacy, risks, and benefits of frequently prescribed treatments, and offer evidence-based clinical guidelines for the management of menopausal symptoms. Although few comparative studies exist, oestrogen alone or combinations of oestrogen and progestagen are likely to be the most effective treatments for menopausal hot flushes and vaginal dryness. Tibolone is as effective as HRT, however, and might also improve libido. For those who wish to avoid hormonal treatments, there are few effective options. Selective serotonin reuptake inhibitors might be effective in the very short term (less than 12 weeks) and are well tolerated. There is not enough evidence that any of the complementary therapies available are any better than placebo for menopausal vasomotor symptoms, and few safety data exist."
É só o resumo, obviamente...

RAM disse...

Caríssimo Noisy,

Disse V. Exa. "É muito fácil ir à posteriori fazer uma busca..."
Pois bem... enganou-se!
Não fiz busca à posteriori. Faz parte integrante dos meus ficheiros.
Todavia, e conforme tive oportunidade de lhe explicar, não tive oportunidade de me expandir mais sobre o assunto nas "edições anteriores de blog".
Sabe... o Domingo é O meu dia livre. The one...
Quanto à tradução para português aceito a crítica. Mas, dada a dimensão do texto, e porque acho que todos, mais ou menos, dominam a língua da velha Britannia, optei por não perder O meu dia em actividades de tradução, que, diga-se em abono da verdade, nem são a minha especialidade.
Disse!

RAM disse...

Mais... ía esquecendo-me...
Não falei antes porque só tive conhecimento deste blog recentemente.
O artigo é de Maio. Nessa altura não frequentava a blogosfera!

Quanto à questão que referi da iniciação sexual dos adolescentes não meta a Santa Madre Igreja ao barulho.
Que raio de mania de meter a Igreja ao barulho sempre que se fala de sexo.
Estou-me perfeitamente a borrifar para as alegadas posições oficiais ou oficiosas da Igreja no passado.

Hoje, como sempre, a praxis precede a doutrina. Embora a citação seja maoísta, a sua aplicabilidade parece-me universal.

Quer saber porque acho que o estudo é merecedor de reflexão:
1º - Separa as esferas dos afectos e do erotismo (conceito discutível, sem dúvida); em todavia, prefiro a intersecção de ambas;
2º - Retira importância à dimensão do sexo oral na vivência sexual (e, por arrastamento, de outras formas de expressão que não o coito propriamente dito); por outras palavras: sexo é só coito!
Depois não se admirem os psis se daqui a alguns anos, e já que se falou de erotismo no ocaso da vida, uma mulher ou um homem considerarem que têm um vivência sexual insatisfatória porque o coito assumiu outras (in)características.
3º - DST, meu caro! DST! Vai por-lhes preservativos na língua?
Sabe, eu já vi miúdas e miúdos com infecções por HPV e HSV na boca. nnnnnnnn....

noiseformind disse...

Então faz parte dos seus ficheiros... não falou, eu falei... tipo... onde é que está o seu problema???? Fogo... que sindroma de Pepe é esse? looooooooooooooooooool loooooooooooooooooooooool loooooooooooooooooooooooool loooooooooooooooooooool (espere, já sei, tem aí um artigo registado sobre o sindroma de Pepe, não me diga?)

A Santa Madre Igreja é um referencial válido em Portugal Ram, pois apesar de as pessoas não serem catequizadas (como a discussão do 8º mandamento demonstrou) continuam a defender posturas de matriz judaico-cristãs suscetíveis de análise e quantificação, como por exemplo factores de culpa ou de inacção/acção. Ou julga que uma matriz cultural se perde por as igrejas estarem vazias e o pessoal dizer que é todo modernaço?:)))))))))) quem me dera... quem me dera... tinha muito menos trabalho... (pensando bem, não me dera... não me dera... loooool) O factor religioso foi determinante em coisas tão estúpidas como... a segunda vitória de Bush, pq o eleitorado religiosamente motivado, mesmo em menor proporção, tem maior disposição ao activismo político.

Ram, a sua preferência quanto a sexo é sua, quer seja em termos de sexo oral, de erotismo ou de DST. Se viu infecções generalizadas de HPV e HSV na boca deve ter sido da parte de umas grande badalhocas de algum país africano, passe o vulgarismo. É que essas infecções são tratáveis de forma extremamente simples nos primeiros estágios da infecção, não mais do que a tremendamente problemática infecção de herpes...

Tudo é discutível Ram, mas como já sabe eu defendo discussões fundamentadas. O artigo que refere na Lancet (que é um artigo de opinião, diga-se de passagem) é de uma autora que pertence ao Conselho da Sociedade da Menopausa da Australásia. E que é que vamos encontrar lá? Artigos como este, este, e este que por acaso é a declaração de princípio de toda a Sociedade a defender o uso generalizado de HRT e a Martha não apresenta pelo menos a demissão?:))))))))))))

Mas não é obrigado a aceitar, se esse é o seu "8º mandamento" não há fundamentação que lhe baste, e não gastarei nem mais um poucoxinho dos meus dedos em alterar-lhe a convicção;)

E como diz o Porty, Over and Out looooool

Débora disse...

Noiseformind e Ram,

Antes de mais agradeço a informação dos sites sobre o estudo da THS.
As mulheres vão ter que continuar a escolher entre um mal e outro mal: a perda de qualidade de vida na menopausa, sem TSH e a manutenção da qualidade de vida, com eventuais riscos para a saúde, com TSH.
Se a menopausa é um processo natural, porque raio não é inócuo? Vá-se lá perceber as razões da natureza – a menos que o nosso “prazo de validade” terminasse por essa altura e estando prestes a “bater a bota”, a questão não se punha – será que fintámos a natureza?

Relativamente à vossa conversa sobre a sexualidade dos adolescentes, se me é permitido opinar, dado que a mesma é um facto, o importante não são juízos de valor sobre o assunto (pedofilias à parte), mas sim a prevenção concreta e efectiva dos seus efeitos (gravidez, DST, etc.), penso.

Ram – só por curiosidade, também opera na área da saúde?

Saudações
Débora

e. disse...

Débora
Se me permite, gosto do que escreve/pensa.

E, qt a esta sua pergunta 'será que fintámos a natureza?', responderia, com o humor visionário de Poe: 'Mas estamos aqui para nos demorar? De modo nenhum.'

Depois de ter lido tão solícitas achegas de médicos e estudiosos, fico-me com a soja que as minhas(médicas) recomendam - garanto-lhe que também resulta.

E qt à sua última questão, se não se puder prevenir, há que remediar ou cuidar dos 'efeitos' - sempre foi assim e a civilização acrescentou pouco a esses casos.

Já não poderei responder-lhe pq regresso para fora da civilização por uns tempos.

Andreia disse...

Desejo-lhe, apesar de tudo, boas férias, Professor.
Também detesto o calor, a areia, as noites quentes e os mosquitos que a habitam, mas, por ora, estou "condenada" a estar no Algarve não só no Verão, mas também para além dele... Aguardo, com esperança, que melhores tempos me conduzam de regresso à minha cidade...

noiseformind disse...

e.,
Se o problema são as afecções vasomotoras (os "calores"), e se não são agudas, a soja é indicável, desde que não aconteçam reacções negativas em termos digestivos. Em termos de trabalho cientifico, como deve saber o a soja contém tanto estrogénio como anti-estrogénio (que se anulam) e portanto não tem mais valor em termos terapeuticos que qualquer outro placebo;))))) o que não quer dizer que não resulte, o efeito placebo em situações ligadas aos Sistema Nervoso Central é considerável.

Eh pá, este cantinho está cada vez melhor, já estámos a discutir menopausa, daqui a nada chegámos à anropausa (E o Éme, "não vou por aí" looooooooooool)

Ana disse...

Vocês psis devem saber isso melhor que ninguém Noiseformind. Nunca desprezar o poder da mente, nunca desprezar o poder da mente...
E essas férias Professor? Nada como o regresso à família alargada de filhos e netos, imagino que passe o ano a ansiar por estes dias, estou certa? Olhe que se é para estar com a família aqui a "malta" perdoa-lhe o desaparecimento.

RAM disse...

Caro Noisy,

Discussão fundamentada, então....
Então o que me diz a este:

"Endometrial cancer and hormone-replacement therapy in the Million Women Study


Background
Postmenopausal women who use hormone-replacement therapy (HRT) containing oestrogen alone are at increased risk of endometrial cancer. To minimise this risk, many HRT users who have not had a hysterectomy use combined oestrogen-progestagen preparations or tibolone. Limited information is available on the incidence of endometrial cancer in users of these therapies.

Methods
716738 postmenopausal women in the UK without previous cancer or previous hysterectomy were recruited into the Million Women Study in 1996–2001, provided information about their use of HRT and other personal details, and were followed up for an average of 3·4 years, during which time 1320 incident endometrial cancers were diagnosed.

Findings
320953 women (45%) reported at recruitment that they had used HRT, among whom 69577 (22%) last used continuous combined therapy (progestagen added daily to oestrogen), 145486 (45%) last used cyclic combined therapy (progestagen added to oestrogen, usually for 10–14 days per month), 28028 (9%) last used tibolone, and 1 204 (4%) last used oestrogen-only HRT. These HRT types had sharply contrasting effects on the overall risk of endometrial cancer (p<0·0001 for heterogeneity). Compared with never users of HRT, risk was: reduced with last use of continuous combined preparations (relative risk 0·71 [95% CI 0·56–0·90]; p=0·005); increased with last use of tibolone (1·79 [1·43–2·25]; p<0·0001) and oestrogen only (1·45 [1·02–2·06]; p=0·04); and not significantly altered with last use of cyclic combined preparations (1·05 [0·91–1·22]; p=0·5). A woman's body-mass index significantly affected these associations, such that the adverse effects of tibolone and oestrogen-only HRT were greatest in non-obese women, and the beneficial effects of combined HRT were greatest in obese women.

Interpretation
Oestrogens and tibolone increase the risk of endometrial cancer. Progestagens counteract the adverse effect of oestrogens on the endometrium, the effect being greater the more days every month that they are added to oestrogen and the more obese that women are. However, combined oestrogen-progestagen HRT causes a greater increase in breast cancer than the other therapies do. Thus, when endometrial and breast cancers are added together, there is a greater increase in total cancer incidence with use of combined HRT, both continuous and cyclic, than with use of the other therapies.

RAM disse...

Caro Noisy,

O facto de as infecções serem tratáveis não as torna meno problemáticas.
Até porque no caso do HPV sabe perfeitamente que a infecção por Papilomavírus está associada a uma maior incidência de cancro do colo do útero.
E quanto às minhas preferência sexuais, não são para aqui chamadas! :))))

e. disse...

noise

citando um ‘segredo’ do indispensável
http://postsecret.blogspot.com/,
“I hate people who ‘reply to all’ in emails”,

but,

como você saberá certamente,
nos blogs a maioria das afirmações não é explícita.
Porquê? Porque é assim que as pessoas preferem.

E qt ao uso da soja, subentender-se-á que se trata
da indicação para quem é desaconselhado outro
método mais radical.

E ... eis que topo com o comment de ana e ... aprovo o 'Nunca desprezar o poder da mente'!

Até qd eu regressar à civilização

yulunga disse...

Bom dia maralhal.
Ram, que raio de H´s na boca são esses? Falas da "Candida"?

RAM disse...

Não!
Embora essa também seja frequente...
A candida é fungica!
HPV - Papilomavírus humano
HSV - Herpes simplex virus

yulunga disse...

Ram, ok.
Ainda não apanhei bem o fio à meada. Fica dificil entender essas abreviaturas

yulunga disse...

Já vi que esses virus se arrastam desde sábado.
Tenho que ler também os comentários de sábado não é?

RAM disse...

Ahhhh....
HPV - entre outras patologias, é responsável por papilomas e principalmente os condilomas acuminados (among others).

yulunga disse...

Ram
Vai com calma, ok?
Estou como peixinho na água a ler, mas não levantes ondas muito altas :-)

andorinha disse...

ram e noise,
Agradeço aos dois toda a informação e os diversos artigos que referem sobre a THS.
É sempre conveniente estarmos informados e muitas vezes campeia a desinformação, o que , como é natural, acaba por confundir as pessoas.
Mas também não precisavam de me "bombardear" com tanto material.:)))))))))))))

noiseformind disse...

Ram,

O link que passei da sociedade portuguesa de Menopausa, os links da Sociedade Australasica de Menopausa, de onde a autora do artigo da Lancet faz parte tb referem esse estudo e se tiver 85 cêntimos poderá tb hoje ler no Público de hoje precisamente a mesma Sociedade Portuguesa de Menopausa referir-se precisamente a esse estudo e ao publicado Sexta-feira que explica que esses números estão errados e que, por exemplo, a obesidade é factor de risco 8 vezes superior à HRT... Não quer ler, não quer saber, não perco mais tempo consigo, faça alarde para aí da sua ignorância... e isto aplica-se a qq futura atitude sua de buscador online. Sindroma de Pepe Ram... sindroma de Pepe... é o que é...

Já agora, e pq eu sei que não tem culpa, afinal o Google não pode dizer-lhe tudo de uma vez, o incremento de cancro no cólon aplica-se a infecções postulentas VAGINAIS ou ANAIS de HPV, logo, não tem nada a ver com o ponto que estava a defender. Eu sei que para quem defende a sua ideia contra toda a evidência é-lhe completamente insignificante ser coerente, mas pronto, fazendo apelo a qq resto de consciência que tenha, cá fica o reparo ok? Over and Over

e.,

Claro que a soja se aplica a afecções ligeiras, um pouco como por exemplo o pepino no TPM, devido aos elevados valores de zinco que contém. A questão é acreditar que faz bem, essa é que é a base da terapia :))) Aliás, o efeito placebo é aplicado regularmente sempre que aparece uma planta "miraculosa". Basta ver o que se está a passar com a Aloé Vera neste momento na Europa, ou o que se passou com o Ginseng e o Gimko Biloba há uns anos.


Andorinha,

Sempre ás ordens miúda, desde que eu saiba alguma coisa do assunto, sempre ás ordens... mas prefiro dúvidas sobre receitas de cocktails loooooooool looooooooool loooooool looooooool looooooooool loooooooool loooooooool looooooooool looooooooool looooooooool loooooooooool loooooooooool loooooooooooool loooooooo llooooooooooooool

jiri disse...

This is a excellent blog. Keep it going.

This may be of interest to you I have a free online dating service. It pretty much covers dating stuff.

I'll be sure to come back.

TexasDude disse...

Very nice blog, hard to come by these days,

If you have a chance, can you visit my Dating Ideas site


Thanks

freestuff2 disse...

Hey I just love your blog. I also have a american single golf association
blog/site. I mostly deals with american single golf association
Please come and check it out if you get the time!

Anónimo disse...

San Diego is having a Hot Rod Halloween on Sunday, October 30. If you love auto diagnostic then you will want to be there! All kinds of auto diagnostic will be in attendance. For more information go to auto diagnostic
See Ya There!!

Anónimo disse...

It’s 11:00 in the morning and your energy is waning. Minutes seem to tick by like hours and your mind feels foggy. You’ve still got six more hours to look alert and act productive and get over test anxiety, so how do you cope with the afternoon blahs? Follow these six tips!

1. If you have a job that involves sitting at a desk all day or staring at a computer screen, take five minutes to stand up or lean back, close your eyes and stretch, especially in your shoulder and leg areas. Being seated all the time can make your whole body feel stiff and sleepy. A good stretch session helps limber up your body and gets the blood flowing again.

2. Avoid the tempting lure of caffeine or sugar-laden foods such as coffee, tea or chocolate. Caffeine may perk up your energy levels temporarily, but it also has a bad habit of leaving you sluggish after the effect has worn off. Instead, choose whole grain foods, fruits and vegetables to give your body the fuel it really wants! Eating healthier will boost your mood, elevate your alertness, change test anxiety and make you feel better all day long.

3. Along with healthier foods, take a quick 10-15 minute walk during your lunch break. Just a few minutes will give you a burst of energy that refreshes you and makes you feel more alert – while burning off your lunch calories in the process!

4. Sometimes, afternoon slumps can be your body’s way of telling you that it needs something. You may be feeling tired if your blood sugar is low (which happens especially after the effect of those caffeine and high sugar foods has worn off!). Packing a low calorie snack like graham crackers, granola, fruit or vegetable slices can give your body a boost and keep you from feeling hungry in the late afternoon and caving in to the urge to devour the entire contents of the vending machine after work!

5. Drowsiness is often a sign that you’re not getting enough water. Drinking more water throughout the day not only helps keep you awake, but also keeps you from feeling those hunger pangs that inevitably creep up in mid-morning. Taking a large sports bottle that you can drink from throughout the day is a great way to get your recommended eight glasses a day as well!

6. If afternoon fatigue is a recurring problem, it may be a side effect of medications you are taking. Allergy pills are well known culprits, as are some blood pressure and anxiety/depression medicines. Don’t try to circumvent these effects with caffeine, otherwise you’ll overload your body with stimulants while it’s already trying to deal with drowsiness, and you’ll feel mentally and physically exhausted. Instead, try a short 15-20 minute catnap. You’ll be surprised how refresh you’ll feel when you wake up! (Don’t try this at work though – I know it’s tempting!)

If you follow these tips on a regular basis, you’ll not only make it through the afternoon blahs, but you’ll also feel better physically and mentally, sleep better at night, and wake up rejuvenated and re-energized the next morning. Make it a GREAT day! test anxiety

Anónimo disse...

Great Blog! Ilike it.I have Free dating site for singlesTake a look if you have a minute. Thanks and have a good one!

Anónimo disse...

It’s 11:00 in the morning and your energy is waning. Minutes seem to tick by like hours and your mind feels foggy. You’ve still got six more hours to look alert and act productive and get over anxiety physical symptom, so how do you cope with the afternoon blahs? Follow these six tips!

1. If you have a job that involves sitting at a desk all day or staring at a computer screen, take five minutes to stand up or lean back, close your eyes and stretch, especially in your shoulder and leg areas. Being seated all the time can make your whole body feel stiff and sleepy. A good stretch session helps limber up your body and gets the blood flowing again.

2. Avoid the tempting lure of caffeine or sugar-laden foods such as coffee, tea or chocolate. Caffeine may perk up your energy levels temporarily, but it also has a bad habit of leaving you sluggish after the effect has worn off. Instead, choose whole grain foods, fruits and vegetables to give your body the fuel it really wants! Eating healthier will boost your mood, elevate your alertness, change anxiety physical symptom and make you feel better all day long.

3. Along with healthier foods, take a quick 10-15 minute walk during your lunch break. Just a few minutes will give you a burst of energy that refreshes you and makes you feel more alert – while burning off your lunch calories in the process!

4. Sometimes, afternoon slumps can be your body’s way of telling you that it needs something. You may be feeling tired if your blood sugar is low (which happens especially after the effect of those caffeine and high sugar foods has worn off!). Packing a low calorie snack like graham crackers, granola, fruit or vegetable slices can give your body a boost and keep you from feeling hungry in the late afternoon and caving in to the urge to devour the entire contents of the vending machine after work!

5. Drowsiness is often a sign that you’re not getting enough water. Drinking more water throughout the day not only helps keep you awake, but also keeps you from feeling those hunger pangs that inevitably creep up in mid-morning. Taking a large sports bottle that you can drink from throughout the day is a great way to get your recommended eight glasses a day as well!

6. If afternoon fatigue is a recurring problem, it may be a side effect of medications you are taking. Allergy pills are well known culprits, as are some blood pressure and anxiety/depression medicines. Don’t try to circumvent these effects with caffeine, otherwise you’ll overload your body with stimulants while it’s already trying to deal with drowsiness, and you’ll feel mentally and physically exhausted. Instead, try a short 15-20 minute catnap. You’ll be surprised how refresh you’ll feel when you wake up! (Don’t try this at work though – I know it’s tempting!)

If you follow these tips on a regular basis, you’ll not only make it through the afternoon blahs, but you’ll also feel better physically and mentally, sleep better at night, and wake up rejuvenated and re-energized the next morning. Make it a GREAT day! anxiety physical symptom

Editor disse...

Wow that´s a great blog that you have there, mine is slightly differnent but it basically covers the same topics.

I have a tongue cancer site. It pretty much covers Cancer related stuff.

Check it out, you won´t regret it... Cheers.. Roger From Http://www.havecancer.com

Clickbank Mall disse...

Come Visit Santa at his blog and tell him what you want for Christmas,

atoztexan disse...

Hello, I really enjoy your blog … I’m going to bookmark it.
Your visitors may also enjoy another site about dating.
It can be found by clicking here...
new york dating

Girly Girl disse...

If you want over 18 adults only dating then Swinger Dating is the site for you. Totally free too :)