sábado, janeiro 21, 2006

A fotobiografia.

Hoje, no JN, a fotobiografia de meu Bisavô, Bernardino Machado. E, enquadradas pelo magnífico texto de minha prima Elzira, fotografias nas quais revejo um Pai que nunca conheci, de tão jovem. Uma saudade imensa. E a certeza que ele estaria de acordo com a Aspásia, no apelo ao voto que deixou nos comentários. Porque demasiada gente esperou demasiado tempo - e à custa de demasiados sacrifícios... - pelo direito de colocar um simples papel na urna. (Com a certeza de os resultados não serem falsificados pelos cortesãos do homem de Santa Comba que declarou o ler, contar e escrever suficiente para a maioria do povo português...)

34 comentários:

Anónimo disse...

"Devesa Neto confirma o jantar de quarta-feira no restaurante "O Sapo", mas não vê "nada de mal" ter partilhado a mesa com José Veiga. O ex-árbitro regista que, além do director-geral do Benfica, também estavam presentes João Rodrigues, ex-presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e Pinto de Sousa, ex-presidente do Conselho de Arbitragem da FPF."- Bem, aposto que quem vai ter que comer o prato da casa (sapos) seja o Pinto e nós os dragõezinhos.

Angie disse...

Deve ser um misto de tudo (sentimentos pessoais, identidade ideológica, sentido histórico) que se experimenta quando se partilham os costados com um number one da nação, primus inter pares por lei e convicção.

Compreendo até muito bem que o Professor não goste dos Sidónios (e dos "pos-sidónios"...) deste país...

Não me passa pela cabeça fazer-lhe um laudatório a si, Professor. Nem fazê-lo ao par do reino que dedicou a causa à República...

Mas ocorre-me dizer:

1º- Já repararam como e quanto desceu, desde então,e desde BM, p.exº, o nível geral dos nossos PR?
(sorry, se ofendo alguém, não é essa a intenção)

2º- Do que me lembro saber dele, uma CAUSA fica na memória, aquela que considero especialmente simpática (e valiosa): a vocação e a dedicação à obra da instrução pública.
Como se vê, parece não ter havido muitos mais a fazê-lo, a avaliar pelo estado actual do país, 100 anos depois...Pena não ter havido testamento de obra, nos senhores seguintes.


Ah, pois...e como sou bairrista (Portugal não se faz só de espírito murcon!) gosto particularmente de saber que ele está tão ligado aqui ao burgo...
Foi deputado pelo meu círculo..., dirigiu (e fundou?) o Instituto de Antropologia da Universidade de Coimbra, marcou a cidade.Ou pelo menos a sua escola.
Lembro-me dos meus Avós falarem nele (especialmente a minha avó, que foi aluna da universidade nos anos 20 (e penso que na altura ele até nem estava em funções académicas).
Ao contrário de mim (mas o que seríamos nós noutro contexto?)os meus maiores partilhavam os mesmos ideais (em conteúdo e forma).
Às vezes degenera-se... (na forma)

Mas bastava a luta empenhada pela educação para merecer o lugar na história!

E agora, Professor, só para me meter consigo (e os seus genes!) 18 filhos é obra!!!!
(o que teria sido a sua prole noutro contexto?!!!)
Grandes Machados!
E grande Bisavó!!!

Julio Machado Vaz disse...

Angie,
Obrigado pela gentileza:). E tem razão, bastava a luta pela Educação (incluindo a das mulheres!).

Angie disse...

Boa resposta, Professor!
E absolutamente justa.
E merecida...

(oooops, esta duplicidade das expressões...pronnto, concedo que é merecida para qualquer dos complºos indirectos!)

peciscas disse...

Desconhecia essa parte da sua biografia (se calhar por distracção).Claro, bate certo com o Bernardino do seu primo que conheci há uns anos.
E reforço o seu apelo ao voto. Quem passou, como muitos de nós, por esses tempos tenebrosos do sibilante homem de Santa Comba, sabe bem o que
"eu andei para aqui chegar".
Por isso, há que não perder o jogo da democracia por falta de comparência.
Mesmo que o jogo seja mauzinho, se falhem golos à boca da baliza e haja o risco permanente de se descer de divisão.
Mas, desde que o árbitro não roube...

Anónimo disse...

Anonymous 4:41 PM

Coitado do Sr. Nuno... está a ficar velhote.

Embalado pelo triunfo em Barcelos, José Veiga respondeu às últimas críticas vindas do FCP. “Isso no fundo é o desespero total de quem sente que a liderança está a escapar para o Benfica e sente que vai ter dificuldades para ganhar o campeonato. Confirmo que estive a jantar a convite do sr. João Rodrigues, curiosamente com as mesmas pessoas com quem o sr. Nuno jantou na véspera e com quem passou o ano em Marraquexe”, afirmou o responsável pelo futebol benfiquista.

Maite disse...

Bernardino Machado é bisavô do Professor?!!!!! Bolas...nunca me tinha passado pela cabeça!!! (mas eu sou mesmo muito distraída, já nem me admiro com este meu handicap)
A propósito do seu bisavô e extraido do Portal de História "Bernardino Machado timbrou sempre em dar o exemplo das virtudes que exalçava a da conduta que desejava ver seguida pelos outros."

Boa noite

a sul disse...

A pretexto de realçar a liberdade actual na imprensa escrita e a propósito de mais um acto, próprio da liberdade democrática, será curioso recordar que, segundo fonte da época, em meados de 1914, a imprensa estava sujeita ao seguinte regime: Os “Ridículos” e o “Ferroviário” tinham censura prévia rigorosa e só eram impressos depois de censurados pelo então Director da P. I. C.; os restantes jornais não afectos – “Nação”, “Correio da Manhã”, “Dia”, “Vanguarda”, “Jornal da Noite”, “Restauração” e “Thalassa” podiam circular, mas estavam sujeitos a repetidas apreensões.

CêTê disse...

Opss! Espero que não seja o pouco sociável e auto-suficiente "Y" o (único) responsável pelas qualidades de excepção dos "Machado".

;]

Eduardo Leal disse...

Professor:

Este seu texto dava um livro... com os comentários incluídos.

...Porque demasiada gente esperou demasiado tempo - e à custa de demasiados sacrifícios... - pelo direito de colocar um simples papel na urna.

Hoje o dia é de reflexão (aliás já era, porque já é mesmo é de acção), mas não posso deixar de lhe dizer que são exemplos como o do seu bisavô que estão na base da minha vontade de votar, sempre!
E além disso o grande orgulho de o Norte, o nosso Norte andar por aí. Sem preconceitos clubistas, porque acredito que entre os futebois e a política há uma diferença de campeonatos muito séria. A política é sempre a primeira liga.

Termino como no meu blog: Eu voto!

O Sical disse...

E o pior é que alguns ainda acham, que saber ler é suficiente e bastante.
O cartão do partido depois "licencia" o resto.

Eduardo Leal disse...

Professor,

Porque demasiada gente esperou demasiado tempo - e à custa de demasiados sacrifícios... - pelo direito de colocar um simples papel na urna.

O seu blog é uma tentação... sempre.
Mas hoje que já deixou de ser dia de reflexão... mais que nunca!

Foram Homens como o seu Bisavô que fizeram esta vontade de intervir.
Umas vezes, muitas vezes, amordaçada, mas altamente recidivante.

Foram eles, nos actos e nas palavras que me fizeram acreditar e dizer como no meu blog: Eu Voto!

Eduardo Leal disse...

Não estava a perceber porque é que os meus comentários não apareciam... já percebi! É esta coisa da moderação dos comentários... útil... concerteza... mas castrante... um pouco... mas necessária... porventura!
Já agora... se entender que algum dos meus dois comentários anteriores vale a pena, suprima o menos interessante, é que a hora vai tardia e eu não estava a perceber em que limbo estavam a cair as minhas palavras.

Angie disse...

Pergunta inocente:
1-Este silêncio deve-se mesmo à reflexão?
2-Ou está toda a gente recenseada fora de casa? E foram de viagem?

E o ponto 1 abre em 2 alíneas
a) reflectem e não têm tempo para comentar
b) reflectem por escrito (comentando a ordem do dia), e o dono do blog não tem outro remédio senão suspender a edição das declarações de voto.

Hummmmm...que engraçada coisa!

Temos por princípio de respeitar a lei.
Mas de facto, longe de lastimar o fim do ruído de campanha (já chegava), não deixo de considerar ainda assim esta regra do voto de silêncio uma legalidade...ilegítima.
Acaso o eleitor é menor de idade?
Ná...aprecio o silêncio, mas não concordo com a obrigação!
E o giro é passear blogs fora e ver os que cumpriram (a maioria) e os que não cumpriram (alguns!).

A blogosfera ainda torna mais gritante este silêncio!!!

Por mim, gastei o dia, entre outras tarefas, a aproveitar para "malhar" em cima de quem dizia não ir votar.
Desta vez achei que devia parar de criticar e fazer alguma coisa por este estúpido e irresponsável fenómeno do absentismo.

-E se o dia da reflexão desaparecesse e passasse a ser dedicado por lei à exortação (criativa) da cidadania activa?
Isso é que era um serviço à democracia.
Isso é que era uma pausa útil...
(E os blogs sempre a trabalhar sobre o tema!)
Mas não...
A "passividade perante a passividade" é total.

Ou alguém faz alguma coisa, e depressa, ou coisa muito má nos espera dentro de umas décadas (se tanto...)
Enquanto cidadãos...I mean!

Aspásia disse...

Bernardino Machado dixit:
"Fazer política é fazer com que a razão dite a lei na sociedade."

Mas será que algum dia lá chegaremos?
E como todos os ideais, deixará de o ser se for alcançado?

andorinha disse...

Dado o adiantado da hora queria apenas dizer que "porque demasiada gente esperou demasiado tempo - e à custa de demasiados sacrifícios...pelo direito de colocar um simples papel na urna", não podemos ficar em casa.
Como já disse o Peciscas, faltas de comparência, não!

Anónimo disse...

Professor ,não fazia a minima ideia que era bisneto de Bernardino Machado ,as boas arvores dão excelentes frutos .

Os meus cumprimentos

Carlota Joaquina Atayde

Anónimo disse...

Sr.Professor

Não fazia a minima ideia que Bernadino Machado era seu bisavô.AS boas arvores dão excelentes frutos.

Os meus cumprimentos

Carlota Joaquina Atayde

Carlota disse...

Professor .
Não fazia a minima ideia que é bisneto de Bernadino Machado .As boas arvores dão excelentes frutos .

Abraço

Carlota Joaquina Atayde

Ameninadalua disse...

" Neto de peixe sabe mesmo nadar" :))))

Nós de facto tambem somos um pouco os nossos antepassados...e vê-lo a si aqui neste dia de eleições dizer isto: "Porque demasiada gente esperou demasiado tempo - e à custa de demasiados sacrifícios... - pelo direito de colocar um simples papel na urna. "
demontra mesmo que para alem dos genes tambem se vê em si a mesma preocupação democrática mas principalmente o mesmo sentimento de reconhecimento e valorização dos valores e dos direitos humanos...
Devo-lhe confessar que quando estudei História e em particular a história dos presidentes, nutri especial simpatia pela figura do seu bisavô e acredite que não estou a dizer-lhe isto apenas para lhe ser agradável..

CêTê disse...

Quero partilhar convosco a satisfação de ter ido exercer o meu dever/direito. Há muito que o não fazia. Não só o que aqui li me fez ultrapassar o comodismo mas ajudou: fez-me recordar o esforço de uma vizinha analfabeta em aprender a fazer uma simples cruz, pós 25 de Abril! Ocupou páginas de papel quadriculado. Era analfabeta mas "culta"- tinha a sabedoria que a experiência de vida dá. Era uma mulher humilde e lutadora com vontade de dar aos filhos um pais livre e sem o pesadelo de Ultramar. Não teria eu mais de 6 anos mas hoje, foi essa memória, que me ps a caminho. Tenham um bom dia. E que qualquer que seja o vencedor... que ele, tal como a "selecção desportiva" de qualquer desporto, represente bem Portugal e cada um de nós. Que se diluiam os "clubismos".

Um abraço!

Su disse...

eu votei...e não mudei o mundo:)
e não consigo diluir os "clubismos"
jocas maradas

CêTê disse...

No mínimo estranho que o actual primeiro ministro tenha escolhido discursar minutos depois de o Manuel Alegre ter iniciado a fazer o seu. Sabendo o quanto são importíssimos os timmings em política e em televisão este é mais um retrato fiel do 1º que temos. Triste, muito triste.

Apartidária eu sou. Nem tão pouco alegre ( ;] ) mas o nosso poeta céfalo merecia mais respeito (sobretudo pelos seus).

Ameninadalua disse...

cêtê

Tem toda a razão é intolerante e incompreensível o que aconteceu...e eu não consigo acreditar que fosse por acaso, estas coisas não se fazem por acaso.
É muito triste que isso tenha acontecido...e profundamente lamentável.

a disse...

voto sempre...mas hoje, mais uma vez, votei em branco! e eu não gosto de votar em branco, eu queria ter votado em alguém espectacular para ser nosso presidente...mas já não há ninguém assim!

melhores tempos virão...espero!

noiseformind disse...

Meus caros,
Habemos Presidente ; )))

Gostaria ainda de dizer que a Veneranda Yulunga mandou a seguinte mensagem:

"Meus caros. Encontro-me em meditação no Tibete, mas em breve voltarei para mostrar-me a todos na minha magnificiência"

E pronto. Parabéns ao Ju por ser descendente de políticos mas não ser presidente de Camara ; ))))))))

Eduardo Leal disse...

Parabens Cêtê por ter ido votar!
É assim que tem que ser!

Disse Céfalo de propósito ou queria dizer acéfalo?

É que manuel Alegre, de facto, tem tudo menos de acéfalo.
Pode não ser o candidato ideal...
mas não se cala!

Anónimo disse...

Claro que foi de propósito. ;]
Gostei sempre da irreverência fundamentada do "Manel" Alegre.

Só não gostei de saber que é caçador. Mas outros o foram de coisas piores e também fizeram até à margem dos factos boa História.

andorinha disse...

Boa noite.

Como já foi frisado pela cêtê e pela ameninadalua é absolutamente lamentável e condenável a atitude de José Sócrates ao escolher discursar precisamente na altura em que Manuel Alegre o fazia.
É evidente que foi uma atitude deliberada, embora já tenham agora vindo elementos do staff dizer que não sabiam que Alegre estava a discursar!!!!!
Continuam a achar que o povo português é estúpido.
E assim vai a política no nosso país...veremos o que o futuro nos reserva, embora eu tenha poucas ilusões a esse respeito.:(

Lusco_Fusco disse...

Nunca relacionaria Bernardino Machado ao nosso anfitrião.
Ser descendente dum político de prestígio como o bisavô do Mahatma não é para qualquer um. Mas pelo exemplo dado "Quem o é já nasce feito e quem se quer fazer não pode", este ditado fala por si.
O bisneto só não saiu ao avô na reprodução :o)E ainda bem que não é político activo, porque não aprecio nenhum e tenho o Mahatma na mais alta consideração a nivel humano pelos valores que ainda conserva.
Fui cumprir a minha obrigação, mas sinceramente, fui mesmo por obrigação cívica.
Faltam políticos com espírito de missão. Isso já era.
Um abraço
MJ

Lusco_Fusco disse...

As pessoas conhecem-se nestas coisas, como se pode ser tão mesquinho e pequeno...:(
Normalmente os fracos tentam sombrear quem julgam maior para terem mais impacto. É mesmo complexo de inferioridade e inveja assumidos pelo Sr. Eng., ele lá saberá porquê. Nós já sabiamos não é? ;-)

fora-de-lei disse...

andorinha 11:52 PM

Tens toda a razão. Aliás, de Sócrates há a esperar isso e muito mais... Mas esqueceste-te de um pequeno grande pormenor: as TVs mudaram as imagens de Alegre para Sócrates porque quiseram. Nada os obrigou a fazê-lo, até porque Sócrates estava a falar na condição de secretário-geral do PS e não de primeiro-ministro.

Portanto, a golpada de Sócrates teve a conivência clara de todas as TVs. E a questão de fundo está aí...! Com a falta de chá de Sócrates & Cia posso eu bem; o rastejar das TVs face ao poder é que me dá engulhos !

andorinha disse...

Fora de lei (2.34)
Também tens razão no que dizes, mas as TVs sempre rastejaram face ao poder, isso não é nada de novo.
A atitude de Sócrates é que é inqualificável e mais, ele contou com isso, sabia que iria ter todos os holofotes em cima, mal começasse a falar; se não fosse assim, ele teria esperado que Alegre acabasse, como é bom de ver, não se arriscaria a falar para o "boneco".

matilde disse...

Professor,
Só neste dia atrasado leio o post.Parabéns pela ilustre ancestralidade e sobretudo -agora que com as 6 décimas -mais um "ECONOMISTA"monta o cavalo, reavivar ao pessoal mais novo os critérios do senhor de Santa Comba, de cujo atraso,beatério, mesquinhês e megalomania colonial, ainda hoje herdamos sequelas.
Bem Haja!
Mat.