quinta-feira, dezembro 28, 2006

A propósito das taxas de juro...

Na minha terra, não há terra, há ruas;
mesmo as colinas são de prédios altos
com renda muito mais alta.
...
Jorge de Sena, Os Paraísos Artificiais.

36 comentários:

PAH, nã sei! disse...

Chefinho,

perdoe a utilização "abusiva" dos títulos dos seus post's:
A propósito das taxas de juro...Até dói!! :(

andorinha disse...

Boa noite.

Nem me fale em taxas de juro...o que me dói todos os meses:(

Jorge de Sena tem toda a razão, já não há terra nem colinas.
Vivemos todos acantonados em gaiolas uns por cima dos outros.
Aqui em Guimarães há uns anos atrás ainda se viam terrenos baldios, outros cultivados, a cidade convivia muito de perto com o espaço rural.
Hoje tudo isso está a desaparecer e está a ser substituído por urbanizações e mais urbanizações, algumas delas de péssimo gosto arquitectónico, autênticos mamarrachos.
Mas o que interessa isso quando a única coisa que conta é o lucro?
Mais uma vez digo: sinais dos tempos:(
E o pior é que não vejo que esta tendência seja reversível.

Fora-de-Lei disse...

Infelizmente, há já muitos que poderão glosar Jorge de Sena dizendo: "Na minha terra já não há gente..."

A_in_loco disse...

A propósito:
...das taxas de juro....
...do ensino privado...
... da saúde abandonada...
... dos cuidados de saúde privados...
...da falta de comparticipação nos medicamentos de doenças crónicas....
... do depauperar aquele que trabalha....
... do esquecer rever os que têm reformas no activo (desde o cume da pirâmide, já que a base da dita está asfixiada)....
... do....
... do....
.....
Parece que ouço um eco.... "Wir wünschen reines Araiana Rennen!", traduzido para esta política "Queremos uma população sem maleitas!". Eco, que na acção parece mais ameno, mãos limpas, sem câmaras de gás, sem abate, sem perseguições... Afinal a história repete-se. Qual a mais hedionda?!... "Que responda quem souber!"

lobices disse...

É a história de uma família italiana do fim dos anos 60 até aos nossos dias.
No centro da história, dois irmãos: Nicola e Matteo. No início, partilham os mesmos sonhos, as mesmas esperanças, leituras, amizades. Até ao dia em que o encontro com uma jovem rapariga com problemas psíquicos ditará o destino de cada um e separará os seus caminhos: Nicola decide estudar Psiquiatria e Matteo abandona os estudos e entra na Polícia.
O pai de ambos, Angelo, é um pai e um marido afectuoso. A mãe, Adriana, é uma professora que gosta tanto dos alunos como dos filhos. A família é ainda composta por Giovanna, a filha mais velha, que entrou na magistratura muito cedo, e Francesca, a mais nova, que se vai casar com Carlo, o melhor amigo de Nicola. Carlo vai ocupar um cargo importante no Banco de Itália, o que o torna um alvo importante dos terroristas durante os anos de chumbo.
Esta é a família.
E para além de todos eles, há ainda Giulia, o grande amor de Nicola que dará à luz Sara. E Mirella, que se cruzara, em diferentes épocas, com os dois irmãos.
Todos eles vão fazer reviver acontecimentos e lugares que tiveram um papel crucial na história de Itália: das cheias de Florença à luta contra a Máfia, dos grandes jogos de futebol da Itália contra a Coreia e a Alemanha às canções que marcaram gerações, da cidade de Turim dos anos 70 à Milão dos anos 80, dos movimentos estudantis ao terrorismo, da crise dos anos 90 à tentativa de inovação e construção de um país moderno.
As personagens perseguem os seus sonhos atravessando a História: crescem, magoam-se, criam novas ilusões em que apostam todas as suas energias. Como todas as pessoas. Como todos nós.
La Meglio Gioventú - A Melhor Juventude, título de uma recolha de poemas de Pasolini mas também uma velha canção dos caçadores dos alpes italianos é o fresco de uma geração que - apesar de todas as suas contradições, ingenuidade, violência ou mesmo uma raiva deslocada - se esforçou por não se resignar, não baixar os braços e tentar tornar o mundo em algo um pouco melhor.

...
...esta é a sinopse do filme de 2003 de Marco Tullio Giordana, com uma duração em tela de 366 minutos (6 horas de filme divididas em 2 partes; ontem deu a primeira e hoje dá a segunda; 00,30 na dois)
...valeu a pena; vai valer a pena ver o resto mais logo
...
...desculpem este àparte ao post mas acho que o que vale a pela ser difundido, o deve ser
...

alquimista disse...

Vão rápido ao banco e negoceiem o spread. De que estão à espera???

AQUILES disse...

Lembrei-me de Cesário Verde. Ele sempre retratou os habitantes da sua cidade.

MJ disse...

Bom dia :-)

Recorrendo ao título do poema... É o alto preço que se paga pelos "Paraísos Artificiais".

Um Bom Ano Novo para todos :-)

thorazine disse...

O melhor é mesmo procurar os "Paraísos Artificiais" de Baudelaire! :))

Aspásia disse...

Esperemos que em 2007 as únicas taxas a subir sejam as das juras de amor!!!

;))

Aspásia disse...

A_IN-LOCO

Afinal a história repete-se. Qual a mais hedionda?!... "Que responda quem souber!"

TENTATIVA DE RESPOSTA:
A (POLÍTICA) MAIS HEDIONDA É ESTA, PORQUE NADA APRENDEU DE POSITIVO COM TODAS AS ANTERIORES. APENAS AS DISFARÇOU, REFINOU E SUBTILIZOU, PARA PODER, IMPUNEMENTE, CONTINUAR A PRATICAR OS MESMOS CRIMES.

Aspásia disse...

LOBICES

BELA INDICAÇÃO. COM PENA NÃO PODEREI VER, MAS REGISTO.
O CINEMA E A "CANZONE" ITALIANOS,DO SEC.XX, SÃO PARA MIM UMA REFERÊNCIA ENCANTATÓRIA...

"LA STRADA", "BELLISSIMA", "O LEOPARDO", "MORTE EM VENEZA", "A VIDA É BELA"...

TORNATORE, BERTOLUCCI, VISCONTI, BEGNINI... E "TANTI ALTRI"...

FICA UMA AMOSTRA DO "LA MEGIO GIOVENTU"... ABRIU-ME ÁGUA NA BOCA...TENTAREI PELO MENOS DAR UMA ESPREITA, LOGO...

COREA, COREA!

CONTINUE COM AS BOAS SUGESTÕES...
ACHO QUE O MURCON NÃO SE IMPORTA DE SER PLACARD QUANDO O QUE LHE AFIXAM É DE QUALIDADE!

;))

Aspásia disse...

O MIA CARA MJ...

MALGRÉ TOUT... ANTES OS "PARAÍSOS ARTIFICIAIS" QUE OS "INFERNOS REAIS"... NESTA "HUMANA COMÉDIA"!!!

DANTE REVOLVE-SE NA SUA TUMBA... O SEU "INFERNO" FOI HÁ MUITO ULTRAPASSADO PELA REALIDADE DOS NOSSOS DIAS...

:(

Aspásia disse...

THORA

OUTRA BOA SUGESTÃO!!!

:))

Aspásia disse...

Joaquim Namorado




OUVI HOJE PELA 1ª VEZ UM POEMA (O MANDARIM) DE

Joaquim Namorado (1914-1986) nasceu em Alter do Chão, Alentejo. Licenciou-se em Ciências Matemáticas pela Unviersidade de Coimbra, dedicando-se ao ensino. Notabilizou-se como poeta neo-realista, tendo colaborado nas revistas Seara Nova, Sol Nascente, Vértice, etc. Obras poéticas: Aviso à Navegação (1941), Incomodidade (1945), A Poesia Necessária (1966). Ensaio: Uma Poética da Cultura (1994).

FIQUEI DESLUMBRADA... OUTRO POETA CIENTISTA NÃO INFERIOR A GEDEÃO...

ESTE NÃO TEVE FOI UM MANUEL FREIRE A CANTÁ-LO... FICOU NA SOMBRA...

VOU POR AQUI LINKS PARA 2 DOS POEMAS LIDOS NA ANTENA2.

Aspásia disse...

O MANDARIM

DEITADO, COM A CABEÇA NO TIBETE E OS PÉS NO MAR...

Aspásia disse...

PORTWINE - VINHO DO PORTO

A FACETA REVOLUCIONÁRIA DE J.NAMORADO / A MÚSICA DE LOPES-GRAÇA, INTERPRETADA PELO PRÓPRIO.

MAIS POEMAS NO PODCAST DE "OS SONS FÉRTEIS" DA ANTENA 2.

Aspásia disse...

OS SONS FÉRTEIS

Su disse...

na minha terra tb.......

jocas maradas e um feliz ano novo:)

peciscas disse...

Mas, não se eaqueça, Júlio, que tudo isso vai mudar, pois
"ESTAMOS NO BOM CAMINHO!"...

Marisa disse...

Boa tarde a todos

"Panem et Circenses" (cobiça e prazer). Eis o que move as massas..." (Já dizia José de Alencar)

O Homem tem o poder de modificar a realidade, e esta, vai transformá-lo a ele...


P.S. Espero que todos tenham tido um EXCELENTE NATAL ;)
Desejo-vos um FELIZ NOVO ANO! Principalmente com MUITA SAÚDE, pois com ela, tudo o resto - mais depressa ou mais devagar -, lá se vai conseguindo fazer/concretizar (sem ela é que não)!!

Beijos e Abraços Gerais :)
MARIZA

Marx disse...

"Paradisíaco" mesmo é ver prédios altos em cima de colinas, como vê quem viaja na auto-estrada próximo de Santarém.

andorinha disse...

Peciscas,
Tu vens para aqui gozar connosco?:)

moon disse...

Hum... O Professor deve ter uma bola de cristal...
Ando mesmo às voltas com as taxas de juro. Este ano o Pai Natal trouxe-me uma casa nova e eu que já tinha a minha paga já nem me lembrava como estas coisas são...:( Uma odisseia...!
Mas no meio de tanto cimento consegui escolher uma colina simpática.:))

Aspásia disse...

MARISA

"PANEM ET CIRCENSES", SEMPRE OUVI TRADUZIDO POR "PÃO E CIRCO".

E SUPONHO QUE ERA MAIS PARA MANTER AS MASSAS SATISFEITAS E ENTRETIDAS, PRECISAMENTE PARA AS IMPEDIR DE "SE MOVEREM" MUITO...

;))

Lu disse...

Passei...parei...absorvi o magnifico conteúdo deste blog...rendo-me às tuas palavras...
Parabéns e continua a postar,estás no bom caminho...
Aproveito para deixar os meus votos de um Novo Ano pleno de Amor,Amizade e saúde..o resto a gente vai conquistando...aqui e ali, melhor ou pior,mas o que conta é que não estamos sós nessa conquista.(assim creio)
...vou-me... e levo mais do que trouxe,pelo facto,apresento o meu agradecimento.Obrigada

Um abraço

Lu

Aspásia disse...

MOON

UMA COLINA SIMPÁTICA... PELO MENOS ESPERO QUE DÊ PARA BANHOS DE LUAR!!!

;))

Aspásia disse...

MARIZA E LU

AGRADEÇO OS VOTOS DE BOM ANO E O MESMO VOS DESEJO.

PASSEM SEMPRE POR ESTE RECANTO!

BEIJINHOS

:))

Marisa disse...

ASPÁCIA

EXACTAMENTE, está lá ;)

Daí a minha analogia entre parênteses.

Bjs
MARIZA

Marisa disse...

ASPÁSIA

Uuuupppsss....
Correcção - "ASPÁCIA" => ASPÁSIA.

É o resultado das pressas, peço desculpa... já a estava a "rebaptizar" :)

Obrigada pelos votos, e sim, vou continuar a passar.
Já escrevo algumas vezes de há +/- 2 anos a esta parte, mas vou tentar fazê-lo com maior frequência(problema geral -> falta de tempo).

FELIZ ENTRADA EM 2007 PARA TODOS :)
Bjs.

Matmen disse...

O problema do Português é que se tem 5 gasta 10!!! e no final, Ai que as taxas de juro estão a subir!!!

CêTê disse...

Um dos problema que vejo na MAIORIA das casa mais antigas (para além das reparações necessárias) são os compartimentos minúsculos que têm. As pessoas tinham poucas coisas... e pareciam não precisar de espaço! Provavelmente por que dele dispunham no exterior ás vezes até "a um infinito".



Se não nos "virmos" antes: tenham uma passagem de ano cheia de esperança!

beijinhos para todos ;]

Aspásia disse...

MARISA

OK, MAS OS PARENTESES ASSIM LOGO SEGUIDOS DÃO IDEIA DE UMA TRADUÇÃO E ´NÃO DE UMA ANALOGIA...

DE QQ MODO JULGO QUE O CÉSAR QUERIA MANTER ERA O POVO BEM COMIDO E ENTRETIDO A VER OS CRISTÃOS SEREM COMIDOS PELAS FERAS, PARA NÃO TER IDEIAS DE SE MOVER CONTRA ELE MESMO, CÉSAR.

BJS E BOM ANO.

VOLTANDO AO TEMA DO POST...

SEMPRE, ATRAVÉS DAS ERAS "DAI A CÉSAR O QUE É DE CÉSAR"...

PARA QUANDO "DAI AO POVO O QUE É DO POVO"???

OU SEJA, QUANDO É QUE, NESTE CASO, SE BAIXAM AS TAXAS DE JURO???

Aspásia disse...

CÊTÊ

CREIO QUE "ESSAS CASAS ANTIGAS" COM POUCO ESPAÇO QUE REFERES SERÃO AÍ DE 1950 PARA CÁ... ANTES DISSO ERAM CÁ UNS CASARÕES!!! ATÉ O CORREDOR DAVA PARA AREFECER A SOPA, COMO SABES... ;)

bOM ANO P/ TI TAMBÉM E BJS:))

CêTê disse...

aspásia, falo das casas sem histórias grandes. Sem brasões mesmo que discretos. Falava das casas de gente humilde mas que se encontram em algumas cidades nos locais mais típicos.
Não falo de casas de arte nova- que de costas no soalho podemos avistar o ceú em relevos de bonito estuque num elevado tecto! Essas sim, tem o corredor que dizes e os sotãos da minha infância. ;]

Lord of Erewhon disse...

Nem mais! ;)