terça-feira, maio 17, 2005

Não quero a Maite triste:)

E este?

Número seis

beija-me despe-me faz de mim o que quer
estou bêbeda tudo anda à roda tenho de ir
à casa de banho duas vezes para não lhe vomitar em cima

vai-se embora cedo a toda a pressa não há despedida
nota justificativa ou telefone de contacto só dúvidas
todos os homens são príncipes às cinco da manhã

todas as putas são tu quando acordas e não há ninguém.

Pablo García Casado.

33 comentários:

O VENTO SOPRA LÁ FORAa lá fora disse...

O vento sopra lá fora.
Faz-me mais sózinho, e agora
Porque não choro, ele chora.

É um som abstracto e fundo.
Vem do fim vago do mundo.
Seu sentido é ser profundo.

Diz-me que nada há em tudo.
Que a virtude não é escudo
E que o melhor é ser mudo.

Fernando Pessoa

amok_she disse...

Maite, pf, alegra-te!, e...ñ peçam mais poemas, pleaseeeeeee!grrrr...:->

[ñ há nada como a coisa q sai naturalmente, sem pedidos...:->]

CrazyJo disse...

Talvez quando era solteiro, fosse menos ordinário e/ou badalhoco...

Nessa altura, qual jovem imberbe de hormonas aos saltos e acne nas fuças, achava que "tudo o que vem à rede é peixe" e "comia e chorava por mais"!!!

NUNCA MAIS CÁ VENHO!!!

(por aqui, ou está tudo com uma ganda ganza, ou é tudo uma cambada de tarados!...)

Jo (The Crazy-One)

andorinha disse...

E depois do amor? E depois de nós? O dizer adeus, o ficarmos sós...

Cantava o Paulo de Carvalho, não me lembro agora quem o escreveu.

noiseformind disse...

De tantos posts com nome de mulher já começa a cheirar a disco do Marco Paulo looooooooooool
A seguir vem o Andorinha, depois o Lys, depois o Amok_she. E as variantes grupais claro, que isto de Marco Paulo leva sempre a dois amores ;)))))))))))))

Boa noite maralhos amigos:)

Ni disse...

Quando você vem com essa cara de menina levada para a brincadeira

Dá-me um arrepio na pele, sinto água na boca pra ficar com você

Você não tem um pingo de vergonha, todo o homem sonha, ter alguém assim


Realizando minhas fantasias, taras e manias, você vem pra mim


Uma “lady” na mesa, uma louca na cama, na maior safadeza, você diz que me ama

E na minha cabeça, desvario e loucura, quando você começa, ninguém mais a segura


E mexe, remexe, se encosta, se enrosca, se abre, se mostra pra mim
Me agarra, me morde, me arranha, não mude que eu quero você sempre assim

E mexe, remexe, se encosta, se enrosca, se abre, se mostra pra mim
Me agarra, me morde, me arranha, não mude que eu quero você sempre assim


Marco Paulo
Poeta lírico e cantor operático

Doutor Peter/Noise, não resisti a comentar o seu comentário, cá está uma achega à sua ideia.


Professor Murcon,eu acho que a poesia depende de quem lê: se quem lê está vazio vazio vai ficar, se quem lê está em procura alguma coisa vai encontrar, se quem lê está cheio dela mais cheio vai ficar

Tenho escrito, maralhal

Ni

andorinha disse...

to Noise,
Por incrível que possa parecer já estava a ficar com saudades tuas.:)))))))
Não fiques triste - qualquer dia o Júlio, quem sabe? faz um post com o teu nome, não desesperes.:))))

andorinha disse...

Júlio,
Li o comment da Maite no post anterior e ela não disse que estava triste. Isso não será já extrapolação de psi? :)

patrícia disse...

Chuveirada de água fria e um bom café.
E agora ajudem-nos lá no blog.A hora é de tensão.Post:Cabral Ka More.

Obrigada

amok_she disse...

Marco Paulo
Poeta lírico e cantor operático


...nem sei o q me dá mais vontade de rir!?!...se o lírico; se o operário; se o peter_psi_jr!?!...ai, meus deuses!:->

amok_she disse...

NUNCA MAIS CÁ VENHO!!!

(por aqui, ou está tudo com uma ganda ganza, ou é tudo uma cambada de tarados!...)

Jo (The Crazy-One)

10:07 PM


...ó pra ele a dar uma de pudico!?!:-> ... e eu a pensar q só as gajas faziam ameaças destas...:-> ...cá pra mim voto nas taras!, ganza q'é ganza ñ bate assim...:->

amok_she disse...

CrazyJo

* Age: 36
* Sexo: female
* Astrological Sign: Leo
* Zodiac Year:: Monkey
* Atividade: Non-Profit
* Profissão: Teacher (como vêem...100% non-profit!)
* Local: Loures : Lisboa : Portugal


...é pá, caraças!,lá me enganei outra vez...outra vez pq isto aqui na net já ñ é a 1ª vez q me sucede ...trocar o sexo às pessoas, porra!:->

amok_she disse...

...pronto!,mantem-se a regra: gaja q'é gaja...ameaça!:->

amok_she disse...

CrazyJo disse...

Talvez quando era solteiro, fosse menos ordinário e/ou badalhoco...


...bem!, ao menos desta vez estou inocente!!!:->

henrique doria disse...

Putas tristes de que todos são donos, e não são de ninguém.

du disse...

Lindooooo!!! Estou a começar a reparar em autores q não conhecia. A Amalia Bautista é espectacular e agora este senhor... vou investigar agora.

Anónimo disse...

Noise! que grande ansiedade da influência!
Não se cansa de estar sempre a matar o Pai ÉME...
Olhe que ele tem sete vidas!(pelo menos...)

Cláudia disse...

Vim cá hoje pela primeira vez e, mal entrei, senti-me imediatamente invadida por uma estranha certeza de que não sairia sem deixar alguma coisa minha. Uma ideia, um pensamento, uma opinião... Tudo o que fui lendo me remeteu, invariavelmente, para os afectos (a vários níveis)... E resolvi deixar cá um excerto de um livro do António Lobo Antunes que me fascinou, na esperança de que o Professor (tomo a liberdade de o tratar desta forma, apesar de não ser sua aluna), roube um bocadinho do seu tempo para partilhar connosco a sua reflexão, sempre pertinente, interessante e enriquecedora acerca do mesmo. Aqui vai:"O que seria de nós, não é, se fôssemos, de facto, felizes? Já imaginou como isso nos deixaria perplexos, desarmados, mirando ansiosamente em volta em busca de uma desgraça reconfortadora, como as crianças procuram os sorrisos da família numa festa de colégio? Viu por acaso como nos assustamos se alguém, genuinamente, sem segundos pensamentos, se nos entrega, como não suportamos um afecto sincero, incondicional, sem exigência de troca?" Fica a proposta e desde já o agradecimento imbuído da esperança de um feedback...

Maite disse...

Professor
Nada melhor que começar amanhã desta bela forma. Este poema é aquele que todos queremos que nos declamem todas as manhãs. Aliás, é a primeira vez que tão sublime poema me é dedicado.
Oh Professor não é a Maite que anda triste, são estes seus posts que andam muito tristes. Alegre-se!
Um bom dia para si e para todo o maralhal. Logo deixo-lhe um poema professor, agora outras prioridades se levantam.

noiseformind disse...

(comment de má-língua. Se fôr uma pré-reformada que usa a caixa de comentários do Éme para tentar preencher a sua vida oca atacando a vida alheia não leia o que vem a seguir, pq vou-me divertir um bocado à custa desse mulherio velharéu)



Reparei hoje de madrugrada que a Amok_she continua sem saber para que serve a figurinha do lixo que aparece quando faz login. E que ao fim de tantos anos tb não sabe ler, ou pelo menos identificar o género de quem escreve o que lê. E que deve ter sido quadro da PIDE, tão depressa vai logo fazer a "folha" a quem diz qq coisa que a contraria ou lhe desagrada. Isto claro, com modernas tecnologias, neste caso o copy paste. (a única técnica de pensar autónoma que para já aprendeu em 50 anos de existência

Mas pronto, um clítoris morto é como uma ferida infectada, infecta o cérebro de atroz dor de corno e qq ser humano pode ser despoletador do igneo mecanismo,

CrazyJo, não te vás querida, até eu tenho os meus momentos de deboche e olha que nem é por isso que Sexta deixarei de estar no EV dos Capuchuinhos, em Fátima. O Éme não faz por mal, achas que ele não preferiria dizer "E as putas da Ribeira batem as putas do Martim Moniz aos pontos"? Claro que sim, mas a poesia é a forma de não perder o registo de "pai-cool-a-quem-todos-nós-não-teriámos-problema-em-pedir-a-duplicação-da-mesada". E não te esqueças que com a poesia lá permite ele uns comentáriozitos do publico-alvo :))))))))

Andorinha, deves ter tido uma sincolose ou coisa assim amiga, pq eu tenho comentado sempre, ou então as saudades brotaram assim tão intensamente devido a ter falado tão particularmente de masturbação no último comentário. Mas como sabes, para mim qualquer mulher em que os mamilos estejam abaixo do umbigo passa-me ao lado. Não é culpa minha... "a culpa é da vontade". Com tantas boas ideias que se trocam aqui sobre tantos assuntos por que raio é que eu iria querer que o Éme me dedicasse um poema? Isso era quase como dizer "Oh pá, não dizes nada de jeito, pega lá umas linhas" e aposto que nem seriam linhas de COCA ;)))))))))))))) looooooooooool
Não, já salientei que 85% dos posts do Éme que identificam um comentador são sobre comentários de mulheres, não sendo essa a percentagem de género auto-identificado dos comentadores. E que os homens apresentam muito mais ideias que as mulheres (mais 60%) sendo que elas recorrem muito mais ao copy paste (79%) (dados de Sábado, não tenho arranjado tempo para actualizar). Sendo assim só posso compreender estes nros À luz de uma muito saudável heterossexualidade do Boss ;))))))) ; ))))))))) ;)))))))


Ni, obrigado por ter escavado aí a música do Marquinho, essa é uma das minhas favoritas. Aliás, até tinha uma versão dessa música em garoto: "você nunca usa preservativo, e até já eu digo, você está a arriscar, realizando minhas fantasias, mama-me todos os dias, nunca queira parar" loooooool looooool looool coisas de miúdos a masturbarem e a serem masturbados por miúdas ;)))))))) oh tempo, volta pra trás...
E assim começa mais um dia... ;))))

Tão só, um pai disse...

Bom dia, ou boa noite, conforme aplicável. Fui ao meu baú e trouxe este. Fala de seduções, em noites de Lua. Talvez um contraponto, outra a perspectiva. Por vezes, não se sentirá o homem "usado" e "abusado" na sua vontade?


"Escolha


O dia da Lua disse: vem, dentro de mim. Olhei-a. Quem és tu? Porque me queres? Não te conheço, não gosto de ti.

E a Lua, matreira, explicou-me que, na vida, a escolha não é pertença, antes, coisa imensa sem origem, ou fim. Coincidência? Não quero, respondi, virei-me, fugi.

Ah, mas não, a Lua escolheu-me, embalou-se, embalou-me, em feitiços de atracção, sussurando pétalas de flores que, há muito, murcharam na morte do meu jardim.

Atordoado, levantei-me, bebi água e pensei, porque me quer, ela, a mim? A Lua explicou-me, eu também não sei, vi e ficou-me o gosto de ti. Preso, na cama, ainda tentei, olha, mas eu não sei se gosto de ti! A Lua não ouviu, abraçou-me, falou-me do jardim, deixei-me, sorri-lhe, beijou-me, afoguei-me, em brancas flores renascidas, cá dentro, no centro, mais à esquerda, isso, aí."

TsuP

Anónimo disse...

PREC

O "Documento Veloso" publicado no "República"

Lista dos Funcionários da RTP a sanear

Razões:

"O sogro do DR...."
"...quase de certeza corrupto pelo lugar que ocupava"
"nenhum passado antifascista, talvez antes pelo contrário"
"beato fascista, cunhado de"
"atrasado mental"
"frustrado homossexual eventualmente não activo"
"amante de"

Autor: Manuel Jorge Veloso (Comuna)

Há mais...

www.riapa.pt.to

Cuca disse...

Noiseformind,

Creio que descompensou...

Se nestas circunstâncias - protegido pela tecnologia, não consegue manter alguma dignidade recomendo que trate disso, há dentistas que têm cáries.

lobices disse...

...o meu desejo habitual de muito BOM DIA para todos!...
...
...sobre o post de hoje, o meu comentário não resiste a uma simples apreciação sobre o conteúdo na medida em que sobre a forma, como não conheço o Autor nem a sua obra, não me posso pronunciar...
...assim e numa primeira visão, deduzo que se trata de uma alusão àquilo que uma prostituta (que púdico que eu estou quando no texto está mesmo escrito puta!...) diz sobre o seu sexto cliente...
...será?... como deduzir outra coisa?...
...tenho de ir fazer uma busca ao Google sobre a obra do Autor
...por isso, resta-me sair daqui e ir dar a minha habitual volta às perninhas que tanto precisam de caminhar...
...abraços

andorinha disse...

to Noise at 7.58 am

Dizes que devo ter tido uma sincolose, se calhar, não posso confirmar porque não sei o que isso é nem tenho aqui dicionário à mão!

Quando referi que já estava com saudades tuas:))))))), referia-me concretamente aos comentários brejeiros com que me costumas mimosear de vez em quando.
Que queres? O ser humano habitua-se a tudo, não é? :))

Em relação ao Éme e ao poema também não percebeste que era a brincar? Mas eu pus os :))))))))))))!

"...e que os homens apresentam muito mais ideias que as mulheres(mais 60%) sendo que elas recorrem muito mais ao copy paste."
Ora lá terei que discordar...:(
Não fiz essa estatística, até admito que possam apresentar mais ideias, agora as melhores já é outra história.
Para mim, qualidade será sempre preferível à quantidade.

andorinha disse...

Bom dia para ti também, Lobices, Júlio e todo o maralhal.

A sensação com que tenho ficado nestes últimos dias em relação aqui ao Murcon é que o espiríto de tertúlia está a desaparecer.
Houve uma altura em que isto esteve de tal forma congestionado que era realmente complicado entrar, intervir e dizer alguma coisa de jeito, tantos eram os comentários e as conversas cruzadas!
Agora parece que se passou para outro extremo - dificilmente alguém conversa com alguém, quase que as pessoas ficam a falar sozinhas, passou a haver muito menos interactividade.
No meio termo é que estará a virtude, não será?
Não sei se mais alguém tem esta percepção, mas gostava de saber.:)

Brigada Dum Dum disse...

E... não se poderá exterminá-lo, juntamente com as boas ideias dele?

Brigada do Reumático disse...

E.. não se poderá... sei lá... por-lhe uma rolha ?

Brigada do Trombone disse...

E... tirar-lhe o apito ?

Capitão Gancho disse...

Nada de Brigadas porque tudo indica que sofrerá uma combustão espontânea.

Tão só, um pai disse...

... voltando ao post,

"todas as putas são tu quando acordas e não há ninguém."

Ou seja, e de novo, neste caso, a solidão. Ser-se "puta", aqui, pela "venda" de sexo, em troca de uns momentos, quase escondidos, de companhia. Só que há quem o prefira, asssim (bom, os tais príncipes ás cinco da manhã, devem preferi-lo).

Depois, a quase culpabilização, o desespero velado, o desencanto, a falta de auto-estima, a auto-punição, o ser-se puta, o ser-se mulher "de passagem", por se acordar, mais uma vez, sem ninguém.

Afinal, podem ser tão diferentes as premissas com que cada um parte para uma noite de sexo, e estarem tão fortemente escondidas.

Maite disse...

Contemplo inutilmente a voz que surge
e é tão inútil como contemplá-la.
Inútil escrevê-la, dar-lhe a fala
mansa e provável com que procurá-la
por entre ecos urgentes e confusos.

Se eu próprio a escuto quando a vejo escrita
que só a entendo se me esqueço dela,
que sombras, que arvoredos à janela
o recordar ao recordar congela
como escolhidos, contemplados ecos?

Murmúrios vagos de amarguras nítidas
sem sonhos inconfessos nem paisagens;
ciência certa de secretas viagens
pelo silêncio impuro de outras margens:
memórias são que pelo olhar se espelham?

Ah não, nem o que vejo a mim me vê,
nem me é visão distante o que conheço.
E o próprio contemplar que, escrito, esqueço,
acaso é de outro acaso com que teço,
inútil, um sentido em quem me lê.

Jorge de Sena

amok_she disse...

...pois é!, há os adolescentes retardados - os tais do "síndroma_de_peter_pan!":-> - e há os q regrediram até à infância (bem remota!), naquela fase em q se dizem palavrões na presença das visitas como forma de chamar a atenção dos adultos...:->

...ora o problema do auto-denominado psi qq coisa - q aqui faz mais barulho do q demonstra capacidade para ter ideias! - é juntar as duas situações! ...donde só poderia resultar a ridícularia q despeja julgando q consegue ser ofensivo!:->

...assim sendo e dado q, ao q parece, o sexo - apesar de tudo!:-> - não consegue dar-lhe o q o rico precisa/procura, aconselho-o a procurar um...psi!:->