terça-feira, maio 31, 2005

A propósito de migrações.

Não tem sede de aventura
Nem quis a terra distante.
A vida o fez viajante.
Se busca terras de França
é que a sorte lhe foi dura
e um homem também se cansa.



Ficam mulheres a chorar
por aqueles que se foram.
(Ai lágrimas que se choram
não fazem qualquer mudança).
Já foram donos do mar
vão para terras de França.


Manuel Alegre, Trova do Emigrante.

55 comentários:

bruxinha disse...

...e provavelmente com eles nem funcionará a erotização da distância (:

Anónimo disse...

a distância aumenta a erotização, bruxinha, podes crer!

(louco do serviço da noite)
ihihihihihiihihiihihihiihihi

andorinha disse...

bruxinha,
Nem com eles nem provavelmente com outros. Não consigo ver a distância como erotizante.

andorinha disse...

Júlio,
Já estou a ficar baralhada. :)))
Qual a relação deste post com o anterior?
E as várias hipóteses explicativas onde estão?
Assim não vale - deixou-nos dissertar sobre o assunto e dizer todos os "disparates" possíveis e imaginários e agora ficamos assim, sem nenhuma intervenção sua? :)

Anónimo disse...

Estamos todos baralhados e confusos. E com este poema do Manuel Alegre afinal o que é que se começa por abordar logo:
erotização
sempre erotização
distância.erotização.falta de sexo.

amok_she disse...

Neste, pra já, vou deixar-me ficar no camarote a gozar o pratinho...ehheheheh

:->

Anónimo disse...

Este post vai dar que falar, vai. Eu estou com a Amok.
:->

Anónimo disse...

Não é você, Madame, que gosta de picar?
:->
Pois olhe que eu também :->

katraponga disse...

A minha migração não foi para França mas para Espanha. Felizmente na minha geração já há quem queira a terra distante e não apenas por que a sorte nos foi dura. Abraço, Julio Murcôn. ;)

Julio Machado Vaz disse...

Uma das hipóteses era que as populações migrantes fossem constituídas por indivíduos à partida menos estáveis sob o ponto de vista psicológico. A "oposta" preconiza que o problema reside no stress provocado pela
(in)adaptação à cultura de acolhimento e tem hoje muito mais aceitação. Alguns dos factores que podem influenciar as consequências das migrações são deliciosos. Por exemplo: a firme determinação de regressar um dia ao país de origem constitui um factor de protecção.

CrazyJo disse...

Cada vez são mais interessantes os temas das conversas daqui...

Já que falamos em emigrantes, falemos também em imigrantes:

(para ler em Português!... com algum sotaque)

Um Inglês, morando há pouquíssimo tempo em Portugal e dominando mal o Português, faz a sua lista de compras e vai ao supermercado, para tentar abastecer a sua dispensa. Escreve ao seu modo e, com o carrinho a frente, vai-se lembrando do que precisa:

- Pay she

- Mac car on

- My one easy

- All face

- Car need boy (may kilo)

- Spa get

- Her Villas

- Key jow (parm zoon)

- Cow view floor

- Pier men tom

- Better hab

- Lee moon

- Bear in gel

- Three go

E, no final, ainda bateu na testa, dizendo, em bom Português:

"Food Ace! Is key see me do too much. Put a keep are you!"
s conversas daqui...

llloooolllll

J. (The Crazy-One)

Anónimo disse...

Como assim factor de protecção? Explique-se melhor se fizer o favor. E folgo muito por vê-lo por estas bandas de novo.
Atenciosamente
Ana

Anónimo disse...

Isto hoje vai aquecer.Crazy Jo e Amok.Só falta a Circe e temos o trio completo.

Julio Machado Vaz disse...

Tinham menores taxas de descompensação psicológica. Como se o sonho do regresso funcionasse como âncora:)

Maria disse...

A poesia é a minha perdição...

Migrações passadas, presentes e futuras!
Mais uma vez recordo a exposição fotográfica de Sebastião Salgado. Impossível ficar indiferente.

E aqueles que por esperança emigraram e não, migraram, e que regressam, quantos!, - bem mais "pobres" que partiram.

"REGRESSO AO LAR

Ai, há quantos anos que eu parti chorando
deste meu saudoso, carinhoso lar!...
Foi há vinte?... Há trinta?... Nem eu sei já quando!...
Minha velha ama, que me estás fitando,
canta-me cantigas para me eu lembrar!...

Dei a volta ao mundo, dei a volta à vida...
Só achei enganos, decepções, pesar...
Oh, a ingénua alma tão desiludida!...
Minha velha ama, com a voz dorida.
canta-me cantigas de me adormentar!...

Trago de amargura o coração desfeito...
Vê que fundas mágoas no embaciado olhar!
Nunca eu saíra do meu ninho estreito!...
Minha velha ama, que me deste o peito,
canta-me cantigas para me embalar!...

Pôs-me Deus outrora no frouxel do ninho
pedrarias de astros, gemas de luar...
Tudo me roubaram, vê, pelo caminho!...
Minha velha ama, sou um pobrezinho...
Canta-me cantigas de fazer chorar!...

Como antigamente, no regaço amado
(Venho morto, morto!...), deixa-me deitar!
Ai o teu menino como está mudado!
Minha velha ama, como está mudado!
Canta-lhe cantigas de dormir, sonhar!...

Canta-me cantigas manso, muito manso...
tristes, muito tristes, como à noite o mar...
Canta-me cantigas para ver se alcanço
que a minha alma durma, tenha paz, descanso,
quando a morte, em breve, ma vier buscar!

Guerra Junqueiro,
Os Simples"

CrazyJo disse...

Outra?

Cá vai:

Um Brasileiro chegou a Lisboa e pediu uma informação na rua:

- Aí, mermão. Onde Pego um ónibus pra ir até a ferroviária pra pegar um trem?

- Cá não chamamos ónibus, chamamos autocarro.

- OK, então como pego o autocarro para ir até a ferroviária e pegar o trem?

- Cá não chamamos ferroviária, chamamos estação.

- Legal. Então onde pego o autocarro para ir até á estação e
pegar o trem?

- Cá não chamamos trem, chamamos comboio.

- Porra, tá bom. Então mermão como pego o autocarro para ir à estação
para pegar o comboio??!!!

- Cá não dizemos pegar, mas sim apanhar.

- Ô cara tá gozando né? Tudo bom, como apanho o autocarro pra ir à estação para apanhar o comboio?

- Não precisa de ir é aqui mesmo...

- Me diz uma coisa: como é que vocês chamam Filho da P**a aqui em Portugal?

- Não chamamos. Eles vêm do Brasil sem ninguém os chamar.

llloooolllll

J. (The Crazy-One)

Anónimo disse...

Pois eu sinto-me psicologicamente muito descompensada. O melhor será partir, não?
Atenciosamente
Ana

Anónimo disse...

Esta vida é uma Soda! - Fócrates

amok_she disse...

não, Ana, não!...isso assim ñ vale... tens de dar aos outros a oportunidade de se mostrarem... na pequenez q os caracteriza...:->

Maite disse...

Professor, não resisti:)

"Partiste e quanto levaste
era um pedaço de pão
um braço para um guindaste
a fome do teu irmão
e a tristeza que deixaste
nas raizes do teu chão.
Partiste e quanto levaste
era apenas solidão.

E quando à estranja chegaste
chegou-te aquela opressão
de um fruto que não tem haste
de um braço que não tem mão
da noiva que tu deixaste
.....................

Quando travavas lá fora
uma luta desigual
estavas onde a alma mora
construías Portugal

E mesmo nos piores dias
e nos momentos mais sós
com trabalho produzias
o oiro de todos nós
...................."

J.C.Ary dos Santos

Amok_she, desculpe lá miúda esta pequenez...mas é só fechar os olhos, se não quiser ver :)

Anónimo disse...

Sei perfeitamente que sou amado por todos os que me podem amar e por respeito a tamanha evidência não posso deixar de ser como sou.

katraponga disse...

O sonho do regresso como uma âncora. É bem verdade, mesmo quando não se regressa em definitivo à pátria. As férias em Portugal, rever a família que ficou para trás, são pequenas âncoras.

Pamina disse...

Para JMV (10.32)

Obrigada pelo esclarecimento.

Não acha que a condição de exilado político também pode ser um factor propiciador de perturbações mentais?
Lembro-me de ter encontrado na Holanda jovens portugueses que tinham deixado Portugal para evitar a guerra colonial que se imaginavam perseguidos pela PIDE, num delírio paranóico-megalómano (como se a PIDE não tivesse mais nada para fazer).
Por coincidência, um destes exilados era vizinho e amigo de infância de um estudante que foi morto a tiro pela PIDE no Técnico.
Quando soube a notícia, disse-me que a PIDE "lhe andava a matar os amigos" e foi impossível de o convencer do contrário.
Passou vários dias fechado em casa com as luzes apagadas à noite, "não fossem eles aparecer".

Penso que em Inglaterra se poderá passar o mesmo com exilados originários de países com um regime político ditatorial.

Anónimo disse...

Para o Sr. Prof. Júlio Machado Vaz
:)

amok_she disse...

...bem, já q ninguém aflora a coisa...

...alguém referia por ai qq coisa sobre erotização e falta de sexo...em relação ao Trova do Emigrante!?????...minha nossa...esta gente vê falta de sexo em tudo?!:->

...mas se querem um poema algo erótico do MA- para poeta erótico prefiro o David Mourão Ferreira - aqui vai um

TEORIA DO AMOR
Amor é mais do que dizer.
Por amor no teu corpo fui além e
vi florir a rosa em todo o ser
fui anjo e bicho e todos e ninguém.

Como Bernard de Ventadour amei
uma princesa ausente em Tripoli
amada minha onde fui escravo e rei
e vi que o longe estava todo em ti,

Beatriz e Laura e todas só tu
rainha e puta no teu corpo nu
o mar de Itália a Líbia o belvedere

E quanto mais te perco mais te encontro
morrendo e renascendo e sempre pronto
para em ti me encontrar e me perder.

Obra Poética,Dom Quixote, Lisboa, 1999

andorinha disse...

Júlio,
Ainda bem que apareceu.:)
A segunda hipótese que refere, faz muito mais sentido. Muitos problemas surgirão de dificuldades de adaptação a uma cultura diferente e não pelo facto de esses indivíduos serem menos estáveis sob o ponto de vista psicológico. Aliás, penso que é necessário ter-se emocionalmente uma certa estabilidade e até uma certa dose de ousadia para arriscar uma às vezes tão drástica mudança de vida.

Não sei se será só o sonho do regresso que funcionará como âncora. Qualquer sonho (ser bem sucedido, construir uma carreira, lutar pelos seus objectivos, em suma) evitará também, quanto a mim, a descompensação psicológica.

Penso, por último, que a intervenção da Pamina é extremamente pertinente ao abordar este tema por um outro ângulo que ainda não tinha sido focado até aqui.

amok_she disse...

Anônimo disse...

Sei perfeitamente que sou amado por todos os que me podem amar e por respeito a tamanha evidência não posso deixar de ser como sou.

11:07 PM


...já ag refira a autoria,sim!?! (raios!)= http://sulturas.blogspot.com/

...qt a ti,Maite,ninguém te manda vestir as camisolas q ñ te oferecem...nem eu, nem a Ana por certo...mas tu é q sabes, claro!:->

Julio Machado Vaz disse...

Pamina,
Absolutamente de acordo.

lazuli disse...

Para o Sr. Prof. Júlio Machado Vaz..Penso que o recurso à emigração funcionava por ambições particulares e colectivas, mas muitas vezes sujeita a imperativos políticos. No caso das ilhas, a emigração foi incentivada, e embora tendo interesses individuais e familiares subjacentes, era quase sempre definitiva..A consciência dessa definitividade era evidente para os ilhéus, embora concorde consigo quanto a um íntimo desejo de regressar..

Maria disse...

errata a Maria:
E aqueles que por "esperança" emigraram e regressaram, quantos!, - bem mais "pobres" que partiram.

amok_she disse...

...constatar evidências - evidentes! - é coisa q nc me deu pica, mas enfim...vou lendo...:->

Him O Pai d' Amok disse...

Certa Fulana amava-se tanto a si mesma e com tanto sucesso que não tinha qualquer rival!

JC disse...

Acabo de falar com a ex. namorada e constato que a distância aumenta a erotização.

Não fosse ela de lisboa e me faça lembrar certas terras.

(louco do serviço da madrugada)
eheheheheheeheheehehehehehe

Tão só, um pai disse...

No caso dos refugiados (incluindo os nossos, os das ex-colónias), existirão descompensações que nunca serão preenchidas ou ultrapassadas. A perda, no tempo e no espaço, de referências cruciais da vida, das suas raízes.

Anónimo disse...

Ena, ca ganda confusão.
Ele é o pai da Amok, ele é o louco de serviço, ele é a Ana, chiça, o que pa qui vai.
Continuem que isto vai bem.
Ó Doutor nunca pensei que este país estivesse tão mal mentalmente falando. Tá pior porra

L F disse...

Por falar em distâncias e erotização;
Conheço um caso de um casal que sob o mesmo tecto iam para divisões diferentes para terem relações sexuais pelo telefone!
E naquele tempo nem sequer haviam os 3G nem MMS.

lobices disse...

...BOM DIA à tutti...
...com tanta teorização sobre a erotização da imigração ou emigração, o melhor é eu migrar (o que quer dizer migrar?...) daqui e ir dar a minha habitual voltinha às pernas...
...o Black já está ali a olhar para mim
...bolas, que hoje está um calor do caraças...
...quase que me apetece picar-vos mas não tenho estaleca... não sei nada desses assuntos a que vos dais o trabalho de congeminar
...até mais logo
...e...portem-se mal
abreijos

PortoCroft disse...

Caro Prof. m8,

Eu nem queria comentar para não meter a foice em seara alheia mas, porque não nasci nesta terra, embora dela já seja cidadão e, embora a sua resposta em comentário permita inferir que o resultado do estudo se aplica a todos os emigrantes e etnias, porque deslocado, tenho que lhe recordar (porque nem sequer me permito pensar que ignore) este estudo do Departamento de Psiquiatria do Saint Ann's Hospital, em Londres. Por ser mais abrangente e, sobretudo pelas conclusões que permitem inferir que as causas das psicoses e esquizofrenia não são inatas do emigrante mas antes consequência das pressões sociais e xenófobas do país de acolhimento. Ou seja, ontem nem andei muito longe da verdade. Concorda?;)

Conclusions: Raised incidences of schizophrenia were not specific to the African Caribbeans, which suggests that the current focus on schizophrenia in this population is misleading. Members of all ethnic minority groups were more likely to develop a psychosis but not necessarily schizophrenia. The personal and social pressures of belonging to any ethnic minority group in Britain are important determinants in the excess of psychotic disorders found.


University Department of Psychiatry, Royal Free Hospital School of Medicine, London NW3 2QG Department of Psychiatry, St Ann's Hospital, London N15 3TH Correspondence to: Dr King.


Incidence of psychotic illness in London: comparison of ethnic groups
by M King, E Coker, G Leavey, A Hoare, E Johnson-Sabine

Anónimo disse...

Prof.
acertou numa das cantigas do Adriano C. O. que ainda hoje sei quase toda de cor - letra e música

... parte mas fica presente
em tudo o que não se diz (ou em tudo o que não colheu?) ...

falta-me aqui qualquer coisa para encontrar o fio à meada

lobices disse...

Não tem sede de aventura
...mas partiram à aventura
Nem quis a terra distante.
...porque distante ela era
A vida o fez viajante.
...a viajar se fez à vida
Se busca terras de França
...em busca de terras novas
é que a sorte lhe foi dura
...na dureza que perdura
e um homem também se cansa.
...no sonho que não alcança
...
Ficam mulheres a chorar
...ficaram elas no canto
por aqueles que se foram.
...em derrame de leve pranto
(Ai lágrimas que se choram
...mas em cujas águas moram
não fazem qualquer mudança).
...e festejam quando choram
Já foram donos do mar
...sabedores do remo e vela
vão para terras de França.
...alegam apenas a esperança
...
...que me perdoe o Manuel Alegre e o amigo Profe por ter feito desta forma, um superfluo jogo de letras em tema de migração de gentes e olhares que nos tempos em que vivi não soube o que era nem tão pouco o entendi...
...soubera depois laborado em erro das razões então avocadas
...que lamentos enormes levaram em razões de procura de lutas ainda não travadas
...que de perdidos na imensidão das vidas mais não foram do que o que fizeram
...em nome de um Povo cercado de tudo o que não lhe deram
...fique-se pasmo da história que outrora nos contavam
...que foram heróis e tudo o mais pelas dores que passavam
...deles restam os netos hoje senhores duma europa vasta
...que não precisando de votações fazem parte de nova casta...
...
...foi apenas um desabafo
...

andorinha disse...

Bom dia Júlio, TsuP, Lobices e Portocroft.
Por onde andará o resto do maralhal?!
Estarão à espera de novo post?:)
Até mais logo.

Julio Machado Vaz disse...

Portocroft,
Parece bruxo:)

PortoCroft disse...

Caro Prof. m8,

Bruxo nada. Eu nem acredito em bruxas mas que as há, há!... ;)

Anónimo disse...

“Há uma sobreposição mimética entre o Fado e a Esquerda” – Quitéria Barbuda“Há uma sobreposição mimética entre o Fado e a Esquerda” – Quitéria Barbuda

www.riapa.pt.to

Anónimo disse...

onde é que anda o louco de serviço?

Anónimo disse...

Trova do emigrante

Parte de noite e não olha
Os campos que vai deixar
Todo por dentro a abanar
Como a terra em Agadir
Folha a folha se desfolha
Seu coração ao partir

Não tem sede de aventura
Nem quis a terra distante
A vida o fez viajante
Se busca terras de França
É que a sorte lhe foi dura
E um homem também se cansa

As rugas que o suor cava
Não são rugas são enganos
São perdas lágrimas e danos
De suor por conta alheia
Não compensa nunca paga
Quanto suor se semeia

Em vida vive-se a morte
Se o trabalho não dá fruto
Morre-se em cada minuto
Se o fruto nunca se alcança
Porque lhe foi dura a sorte
Vai para terras de França

Não julguem que vai contente
Leva nos olhos o verde
Dos campos onde se perde
Gente que tudo lhe deu
Parte mas fica presente
Em tudo o que não colheu

Verde campo verde e triste
Em ti ceifou e hoje foi-se
Em ti ceifou mas a foice
Ceifava somente esperança
Nem sempre um homem resiste
Vai para terras de frança

Vai-se um homem vai com ele
A marca de uma raiz
Vai com ele a cicatriz
De um lugar que está vazio
Leva gravada na pele
Um aldeia um campo um rio

Ficam mulheres a chorar
Por aqueles que se foram
Ai lágrimas que se choram
Não fazem qualquer mudança
Já foram donos do mar
Vão para terras de França.

(Manuel Alegre)

Catarina Morgado disse...

Lisboa, fazes-me falta todos os dias! Se ao menos também eu te fizesse falta...

mermaid disse...

Caro professor:

Coincidência ou não quando publicou este post na segunda-feira deu entrada numa das enfermarias do CHCF (onde estagio) um doente com diagnóstico duplo, esquizofrenia.

Como tinha sido transferido da unidade de perturbações aditivas ainda não sabia a história pessoal. Hoje numa primeira “entrevista de avaliação clínica” tive oportunidade de saber que o doente vivia desde 15anos em França, para onde os pais emigraram quando este entrou para escola primária tendo nessa altura ficado com a ama.

O internamento não se deveu, neste caso, ao “reflectir preconceitos morais, raciais e políticos e levar à interpretação de reacções e crenças culturais como sinais de “loucura” ou “maldade””, mas sim porque se encontrava a seis meses a dormir na praça da liberdade quando foi abordado por um técnico de rua do programa porto feliz.

Mais não posso avançar, até porque a minha especialidade não é a medicina.
Só referi este facto porque achei mesmo curiosa a coincidência temporal.

Sem mais me despeço,
mermaid

P.S: continuo a surpreender-me e a gostar muito do que leio por aqui :)

riquita disse...

boa noite.
estava eu a ver o Dificeis Amores , o tal da irritação, perguntando-me pela 59ªvez, porque é que estes programas nunca foram editados em dvd?...quando o ouvi falar no blog!
fiquei contentíssima,procurei e cá estou para lhe fazer a pergunta.adorava poder um dia mostrá-los à minha filha.
tenho a mm profissão (não a mm especialidade) e sempre lhe admirei a clareza com que fala dos assuntos e a forma educativa com que o faz.
obrigada pelos bons momentos.
voltarei mais vezes, para ler tudo com mais calma, mas hoje não queria deixar passar.
um abraço
riquita

Anónimo disse...

Essential oils, roots and herbs can be used in a variety of ways to promote healthy living and stress management article. They are used to create natural remedies for treating ailments common to both people and animals, to add flavor to food, to make perfumes and to create environmentally friendly cleaning products.

You do not have to own a garden to tap into the benefits of plants, roots and herbs. A few herb pots located by a sunny window are enough to get you started. Then, all you need are some essential oils and you are ready to go.

For therapeutic purposes, only the purest oils will do. It is possible to be fooled into thinking that you are purchasing a pure oil. Often, a lesser quality blend of several oils is used to mimic the properties of the pure oil. Blended oils are acceptable for fragrance purposes such as for perfuming a room, but pure oils are a "must" for medicinal purposes.

A reasonable guide to the purity of an essential oil is its price. Pure essential oils are generally more expensive. Common oils such as lavender and geranium are much cheaper than frankincense and carnation oil. It is advisable to become familiar with essential oil prices and then rely on this knowledge when purchasing oils from unfamiliar sources. Keep in-mind that you will generally get what you pay for. A price list from a reputable dealer is a valuable resource when purchasing essentials oils.

Usually, pure essential oils cannot be applied directly to the skin and must be mixed in a base oil to reduce their strength. Base oils such as almond oil or wheatgerm oil are commonly used for this purpose. Base oils are generally derived from seeds, nuts or vegetables and allow you to create essential oil remedies that can be massaged into the skin.

So, what do you need to get started with essential oils and natural remedies?

Without a doubt, Lavender is one of the most useful and desirable oils. Not only does it work wonders on cuts, bruises and burns, it also aids sleep and helps with relaxation.

The Tea Tree and Eucalyptus oils are useful for treating a variety of respiratory ailments. These are excellent for the treatment of colds and coughs. They can be massaged into the chest or burned in an oil burner to help clear the airways and prevent congestion. Tea Tree oil is a natural antiseptic and can be dabbed on cuts, bites and stings. It is often used to treat spots and pimples and when diluted with water, acts as a mouth gargle (keep in-mind it should never be swallowed).

Another basic antiseptic is Geranium oil. With its distinctive perfume and pain relieving properties, it is a necessary inclusion when starting out.

Peppermint oil should also be purchased as it treats digestive complaints and may be used in preparations for freshening breath.

For fragrant perfumes and establishing ambience in a room, buy some Patchouli and Ylang-ylang oils. Often combined in scented candles and air fresheners, a few drops of each in an oil burner creates a wonderfully perfumed home. Orange oil mixed with Cinnamon oil is a lovely winter alternative that evokes seasonal, holiday smells. Besides their perfume qualities, all four of these oils have other properties. Patchouli treats eczema and dandruff. Ylang-ylang is reputed to relieve stress, palpitations and high blood pressure. Orange is used in natural remedies for depression and nervous tension and Cinnamon is excellent for warts and viral infections.

The herbs, Thyme and Rosemary can be grown in pots and used when needed. To create essential oils from herbs, stew some large amounts in pure water, collect the steam and cool it. The oil will rise to the top of the drained water and can be collected with an eyedropper. Alternatively, a "flower still" can be purchased to make the job easier. Thyme and Rosemary are both antiseptics and can be used in skin care preparations. They are also delicious when used in cooking.

Lemon oil and fresh lemons will purify water and, when mixed with honey, are effective remedies for colds and flu. Lemon and white vinegar are highly efficient cleaning agents that can be used for domestic cleaning tasks without damaging the environment. Use white vinegar as a natural disinfectant or mix it with water to clean windows and wooden floors. It is also handy to keep a bottle of white vinegar in your car if you swim in the ocean. It will bring instant relief from jellyfish stings.

Citronella oil is perfect in summer to keep the insects at bay. Another natural repellent is Garlic. Fleas will not bite a dog that has been eating garlic, so a few garlic capsules in the dog food are a cheap solution to your pet's flea problem. A soft collar soaked in Citronella will also do the job.

Garlic also helps to promote a healthy immune system when the weather turns cold and viruses begin to circulate. In fact, most of the oils and herbs listed above are effective in helping to prevent many common winter illnesses.

Whether you are looking for remedies or nature friendly products to use around the house, the oils and herbs suggested above should help get you started. You will be ready to make some healthy changes in your way of life!

stress management article

Anónimo disse...

Everyone has days when they are down, worn out, anxiety and pregnancy and just not feeling all that happy.

That's OK, you need to have days like this, otherwise how would you know when you are happy. You need to have something to contrast your happiness with. What is black without white?

Even though you know that sadness (anxiety and pregnancy) is a part of life, let's try to make it a small part of life.

With that said, here are a few tips to help you feel better when you are feeling down in the dumps. They are easy to do, easy to practice every day and they work!

1. Stand up straight, sit up straight. When your body is in alignment your energy can flow and when your energy is flowing freely, you can flow.

2. Smile! Yes, just smile. Easy to do and effective.

3. Repeat positive affirmations. Things like "I feel good", "Positive energy flows through my body", "I see the good in all".

4. Listen to some music that you like. It doesn't have to be anything specific, just something you enjoy. Certain types of music work better than others, but experiment and see what works for you. Studies have shown that Classical music and new age music work best.

5. Take some time out for yourself, relax and read a book, do something for yourself.

6. Meditate. Meditation is an excellent habit to develop. It will serve you in all that you do. If you are one who has a hard time sitting still, then try some special meditation CDs that coax your brain into the meditative state. Just search for "Meditation music" on Google or Yahoo and explore.

Our outside work is simply a reflection of our inside world. Remember there is no reality just your perception of it. Use this truth to your advantage. Whenever you are sad, realize that it is all in your mind and you do have the power to change your perception.

These tips will lift you up when you are down, but don't just use them when you are sad or anxiety and pregnancy . Try and practice them everyday, make them a habit. You will be surprised at how these simple exercises will keep the rainy days away.

On a final note, if you are in a deep depression that you can't seem to shake, please go see a doctor. This is your life and don't take any chances. anxiety and pregnancy

Anónimo disse...

Last night I dreamt we simply need to realize to make peace on earth. Why am I talking about Genes, you ask. Fair enough. I will let you in on a secret. Back in school I loved movies. Lucky me, huh? And here's the gist; But something felt awkward. I stumbled upon happiness. Big Tit Patrol | Bus Stop Whores |

Anónimo disse...

Nice post. I think that your words are very interesting. I don´t agree with you in some aspect, but in general i think the same. See Her Squirt Bang Bus

Roberto Iza Valdes disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

Hey, you have a great blog here! I'm definitely going to bookmark you!

I have a adult friend finder
site/blog. It pretty much covers adult friend finder
related stuff.

Come and check it out if you get time :-)