segunda-feira, novembro 13, 2006

A propósito...

Esteticamente, gosto muito do poema. Se ele traduz uma "ideologia" - não é obrigatório... -, não a partilho. Posso ver um amigo afastar-se e não pronunciar palavra, mas cá dentro grito. Posso acolher outro depois de ausência por explicar, mas um dos meus pés fica-se pelo cais. Nunca aceitarei uma visão blasée e quase tangencial da amizade. Exijo muito, gosto de acreditar que ofereço outro tanto. Porque não me chega partilhar a sede da alegria - quero-a beber, mesmo amarga. E sendo amigos..., pela mesma taça! Porque na amizade é preciso bebê-la até ao fim.

53 comentários:

PAH, nã sei! disse...

E agora pergunto-lhe Professor, o seu post não poderia ser aplicável aos amores?

AQUILES disse...

E está dito.
Subscrevo na integra, "porque na amizade é preciso bebê-la até ao fim".

andorinha disse...

Boa noite.

Júlio, a propósito.... "roubou-me" as palavras.:)
Poderia tê-las escrito eu:), de tal forma me identifico com o que escreveu.
Aliás, já aflorei essa mesma ideia ontem.
Só dando muito e exigindo muito a amizade faz sentido para mim.
Algumas já acabaram por causa disso, mas não consigo ficar nas meias-tintas.

moon disse...

Bonita maneira de metaforizar a amizade.
Deve ser por isso que tenho tão poucos amigos...
Na amizade e no amor invisto(-me) a sério. Mas para investir tenho que acreditar!:)

moon disse...

"Nunca aceitarei uma visão blasée e quase tangencial da amizade"

É fácil perceber isso. Mas na realidade esse é o tipo de amizade que existe aqui entre nós: Murcon e Maralhal! E eu diria que, no meu caso, é bastante satisfatória:))))Nunca almejei a mais do que isso:)

MTC disse...

Boa noite

E ainda a propósito de Amigos:

Amigos
(...)Tenho amigos que não sabem o quanto são meus amigos.
Não percebem o amor que lhes devoto e a absoluta necessidade que tenho deles.
(...)A alguns deles não procuro, basta-me saber que eles existem.
Esta mera condição me encoraja a seguir em frente pela vida.

Mas, porque não os procuro com assiduidade, não posso lhes dizer o quanto gosto deles. Eles não iriam acreditar.

Muitos deles estão lendo esta crónica e não sabem que estão incluídos na sagrada relação de meus amigos.

Mas é delicioso que eu saiba e sinta que os adoro, embora não declare e não os procure.

E às vezes, quando os procuro, noto que eles não têm noção de como me são necessários, de como são
indispensáveis ao meu equilíbrio vital, porque eles fazem
parte do mundo que eu, tremulamente, construí e se tornaram alicerces do meu encanto pela vida...

A alguns deles não procuro, basta-me saber que eles existem.
Esta mera condição me encoraja a seguir em frente pela vida.

Mas, porque não os procuro com assiduidade, não
posso lhes dizer o quanto gosto deles. Eles não iriam acreditar.

Muitos deles estão lendo esta crónica e não sabem que estão incluídos na sagrada relação de meus amigos.

Mas é delicioso que eu saiba e sinta que os adoro, embora não declare e não os procure.

E às vezes, quando os procuro, noto que eles não têm noção de como me são necessários, de como são
indispensáveis ao meu equilíbrio vital, porque eles fazem parte do mundo que eu, tremulamente, construí e se tornaram alicerces do meu encanto pela vida.

Vinicius de Moraes


Sendo amigos... também bebo pela mesma taça... e até ao fim...

Uma noite descansada para todos

PS: And if I ever should go away... could never leave without saying
Thank you :)

http://www.youtube.com/watch?v=tufCP-sZs44

Julio Machado Vaz disse...

Pah,
Em retrospectiva, e como tantos outros, fui bem mais condescendente - até para mim próprio:) - nos amores.

Moon,
O post é sobre amizades íntimas. Aqui no Murcon o registo é realmente mais superficial, embora não o considere blasé. E estou de acordo: é satisfatório:).

MJ disse...

Minha gente:

Há pouco, sobre o poema, afirmei não partilhar da sua ideologia, alegando que a dádiva deverá ser equitativa:
"Talvez por dar muito e nem sempre receber na mesma medida, é que comecei a deixar de acreditar na amizade... e no amor, também :-("

O estimado Aquiles, no seu direito, contrariou a minha opinião:
"O Amor, e para todas as formas de amor, é mais dádiva, partilha, do que receber. Se à partida a postura é de ver o que me dão para depois eu ver se dou, compromete sériamente o fomento de uma relação amorosa."

Agora o professor, através das suas sábias palavras, vem ao encontro da minha opinião, dizendo: "Exijo muito, gosto de acreditar que ofereço outro tanto."

E só porque o professor o diz, mudam de opinião?

Acrescenta o Aquiles:
"E está dito.
Subscrevo na integra, porque na amizade é preciso bebê-la até ao fim."

Desculpem-me... o problema deve ser mesmo meu...

MJ disse...

Professor:

É exactamente assim que eu entendo a Amizade/Amor. Infelizmente não me soube exprimir de forma tão clara, tão precisa.
E já cheguei à conclusão de que não me vale a pena comentar, aqui, seja o que for.

Um abraço.

Ameninadalua disse...

"Nunca aceitarei uma visão blasée e quase tangencial da amizade. Exijo muito, gosto de acreditar que ofereço outro tanto."

E quem define o que é muito? somos nós ou são eles? e quanto vale o nosso "muito" tanto como o deles e vice versa?

Cada vez mais dou importância e avalio o gostar pela liberdade que cada um dá a cada um de ser ele próprio... inclusive deixar que o outro goste da forma e da intensidade que souber...mas e apesar disso continuarem a quererem estar juntos...

thorazine disse...

Mas no meio de tantas exigências Às vezes esquecemo-nos de compreender a idiossincrasia das pessoas, e que nem todas têm para dar o mesmo...nem querem receber o mesmo..

andorinha disse...

Mj,

Ciumeiras, novamente? Por amor de Deus!
Eu pensava que aqui éramos todos adultos.
Porque o Júlio falou com a Pah e com a Moon?

"E mudam de opinião porque o professor o diz?"

Isso é uma acusação grave e sem fundamento, não estás a analisar as coisas com lucidez.
Desculpa a franqueza, mas já sabes que sou assim.
Já concordei contigo algumas vezes , mas nisto não tens razão nenhuma.

E por que é que não te vale a pena comentares aqui? Amuaste, foi?
Só porque o professor não te respondeu?
Se eu tivesse deixado de comentar de todas as vezes que o Júlio não me respondeu, já tinha deixado este cantinho há muito.:))))))))))))))))))))))))))
E nós, não te lemos e não contamos para nada?
Ou as pessoas aqui só falam para o professor?

E lê com atenção, o Júlio e o Aquiles não estão a falar do mesmo. O Júlio de amizade e o Aquiles de amor e mesmo assim o que diz o Aquiles não entra em contradição com o que diz o Júlio.

Não tenho procuração de ninguém para "defender" ninguém, mas irritam-me estas coisas e como existe liberdade de expressão, uso-a:)

andorinha disse...

Thora,
Isso vai-se percebendo com o tempo: o que cada um está disposto a dar e o que quer receber.

CêTê disse...

Andorinha,
loooool opá eu por acaso até começo a ficar enciumada, confesso!;]]]]]

E só por isso (mentiiiira) vou discordar.

Os amigos eu não amo, tenho amizade. Por eles nutro um sentimento tranquilo pautado por uma generosidade desmedida mas um olhar lúcido. Deles só espeo franqueza.

Sobre aqueles que amo os sentimentos são inflamados- não me deixam descortinar a verdade de outros e então se apaixonada pior ainda.

Nesta discussão de significantes e significados fico a pensar se será a língua portuguesa tão rica como tem fama de o ser.

Abraços mas amuados!;]

andorinha disse...

Cêtê,
Dos amigos só esperas franqueza? Eu espero muito mais.
De alguns até espero sexo, vê lá:)))
Continuo a dizer que para mim o amor é uma amizade erotizada, portanto a linha que os divide é para mim muito ténue, o que às vezes é um problema:)

Quanto a paixões, claro que a história é outra.

E vê se desamuas:))))))))

chato disse...

Mas que grande chatice! A falarem de coisas que não sabem. cada um é como cada qual e mainada!
Una amam de uma maneira e outros amam de outra.
Na amizade (algo de que eu desconfio muito) o jogo é igual; uns são amigos de uma maneira e, como diz o Doutor Júlio bebem até ao fim pela mesma taça; porém, o pior é se essa taça não estiver cheia e não tiver líquido para todos; uns ficam saciados, outros não e os que não ficam saciados não saberão dar porque não receberam.
Eu sei que sou chato e que este assunto para além de chato é uma chatice falar sobre ele.
daí que, na minha opinião, o melhor é cada um dar o melhor que pode e pedir o melhor que sabe.
Chatice!

AQUILES disse...

MJ (8:47)

Estou de acordo com o professor porque ele fala neste post de AMIZADE e não de amor. O "exijo muito, gosto de acreditar que ofereço outro tanto", refere-se à amizade e não ao amor. Se bem me leu no post anterior, estive sempre a separar o AMOR (de casal, par) dos outros amores e, sobretudo, da amizade.
No amor é que há dádiva, na amizade há solidariedade, há um bloco sólido, isto se estivermos a falar das verdadeiras.
E continuo a dizer que misturar amor com amizade, numa relação amorosa, não consubstancia um amor nem incrementa a relação. Quanto a mim, amizade e amor são duas coisas distintas que não se podem confundir. O amor é dádiva generosa sem expectativa de retribuição. Já a amizade sólida bebe o fel na mesma taça até ao fim; já no amor um pode beber o fel e o outro ….., sem que se deixe de amar. Entretanto na amizade, como diz o JMV, “um dos pés fica-se pelo cais” mesmo após o perdão. São coisas de planos diferentes.
Agora quero pedir-lhe desculpa de ter aludido a um coment seu no post anterior. Fui relê-lo para verificar se tinha sido correcto. Fui. Comecei até pelo tímido e cordial “permita”.
Assim prometo-lhe que nunca mais cometerei a ousadia de aludir a qualquer comentário seu no blog. Não quero ser causador de qualquer melindre que depois a obrigue a responder de forma tão desabrida, sem ter tempo de analisar o que foi dito nos comentários. Peço-lhe imensa desculpa pelo incómodo. Nunca mais repetirei tal ousadia.

Xelim disse...

(No fundo, o chato anda à procura de um papá! É, é o papá Júlio!)

AQUILES disse...

Thora (8:58)
Boa sentença, essa.

Fora-de-Lei disse...

Em relação à AMIZADE, o que eu sinceramente sinto é que - hoje em dia - não há muito espaço para tal privilégio. Daí a minha pequena lista de AMIGOS ter estagnado, ou seja, ser praticamente a mesma há dezenas de anos.

andorinha disse...

Fora de lei,

E a tua lista de amigas, também estagnou?:)))

Fora-de-Lei disse...

andorinha 10:41 PM

Andorinha, é muito difícil um homem ter amigas...

MTC disse...

Ops... já fiz asneira... fiz copypaste a mais... sorry :(

AQUILES disse...

fora-da-lei
Olha que não. As mulheres conseguem ser tão ou melhores amigas que os homens. Desde que não meta sexo :):):):):):):):

PAH, nã sei! disse...

MJ,

"E só porque o professor o diz, mudam de opinião?"

Quando li isto, inicialmente, pensei ser para mim. Pois, ontem “partilhei” a minha opinião sobre amizade vs amor
(que, de resto, acho não ser tão “à frente” como a da Andorinha, mas já lá vou)
e, hoje comecei por fazer aquela pergunta ao “chefinho” pois ontem deixou-nos a batalhar sobre o tema e “pôs-se a léguas” ;)))

ANDORINHA,

Mulheri, pah!
Eu não sou “tão aberta”… até agora, pelo menos, não concebo dar uma queca com um amigo (aiii… minha mãezinha se vê esta linguageeee) se o momento o proporciona. Pelo contrário, já tive boas quecas que agora são bons amigos. Mas a memória encarregou-se de fazer um “delete” de tais momentos.


AQUILES,

“Assim prometo-lhe que nunca mais cometerei a ousadia de aludir a qualquer comentário seu no blog. Não quero ser causador de qualquer melindre que depois a obrigue a responder de forma tão desabrida, sem ter tempo de analisar o que foi dito nos comentários. Peço-lhe imensa desculpa pelo incómodo. Nunca mais repetirei tal ousadia.”

Ó “home”?? Agora quem amuou? Ai o beicinho… já o imagino a fazer beicinho à MJ… e ela com aquela carinha laroca a dizer: deixa lá Aquiles. Foi um dor no tendão… já passa :)))))


PROFESSOR (chefinho),

“Em retrospectiva, e como tantos outros, fui bem mais condescendente - até para mim próprio:) - nos amores.”

Ora raios o partam! (desculpe lá a sinceridade…)
Mas, se não podemos condescender é no amor (e não falo de amor entre pais/filhos). Condescender em algo na pessoa que, supostamente, é aquela que nos preenche, completa (mais ou menos), nos faz sentir especiais?
Ora!! A esses é que não há mas nem meio mas!!
(isto é recalcamento, deixe lá…)

PAH, nã sei! disse...

FDL,
"é muito difícil um homem ter amigas... "

olha que deve ser o contrário... não estarás a confundir camaradagem com amizade? Olha que "uma gaja" consegue ser um bom ombro (se não te apetecer dar umas trincas no ombro, claro ;)
Estou a brincar.... mas, sinceramente, por impossível que pareça, um homem e uma mulher podem ser assexuados numa amizade :)

Fora-de-Lei disse...

andorinha 9:10 PM

"Ciumeiras, novamente? Por amor de Deus! Eu pensava que aqui éramos todos adultos. Porque o Júlio falou com a Pah e com a Moon?"

Andorinha, a rapariga até tem razão. Quer dizer, andaram para aí a endeusar fulana e sicrana e a rapariga - de forma bastante competitiva - resolveu aparecer(-nos)numa foto algo sugestiva e, mesmo assim, ninguém lhe passa / passou cartão. Tá mal...!

Fora-de-Lei disse...

AQUILES 10:48 PM

Desde que não meta sexo :):):):):):):)

Ora aí está: desde que.

Fora-de-Lei disse...

PAH, nã sei! 10:52 PM

Muitas vezes, as 'gajas' nem umas para as outras conseguem disponibilizar um ombro amigo...

Tb_por_aqui_me_encontro disse...

No limite, a amizade, o amor, terminam num unico "ponto" - a liberdade total. Para mim não faz sentido a dizer que existe amizade e que existe amor, são faces da mesma moeda. Caminhos distintos para atingir (ou não) o mesmo ponto, o outro, onde poderei ser completamente livre, e completamente livre absolutamente feliz.

PAH, nã sei! disse...

FDL,

Concordo contigo até certo ponto. Mas a "competição" não é algo exclusivo dos machos. Nós, ainda por cima, temos as hormonas ao barulho... e, tudo misturado, pode dar faísca.
Pode... não sempre. Garanto-te que há quem defenda as amigas com os dois ombros e muito mais...

JFR disse...

A beleza e profundidade do poema é enorme.

Com tão poucas palavras, conseguiu um número raro de comentários, sem desvios de tema, com leque muito diversificado de "leituras" e até a "pimenta" de alguns amuos que desejo sejam passageiros.

Obrigado Eugénio.

JFR disse...

são enormes.

Fell me(na) disse...

Lendo :)))

moon disse...

Julinho,

Claro que era sobre as amizades íntimas. Essa eu percebi!:)))))

Noite descansada, malta.

Daniela Mann disse...

Olha que texto tão bem escrito! Gostei!

andorinha disse...

Fora de lei( 10.44)
"É muito difícil um homem ter amigas"
Achas mesmo? Não sei porquê. Só se fores tu que estás sempre com pensamentos libidinosos:)))

Concordo com o Aquiles, "desde que não meta sexo."
Isto não contradiz o que eu já disse aqui. Por vezes o sexo surge como um "complemento" da amizade, ou pode surgir, mas não é o mais usual.

Ponto de ordem à mesa: não partam agora do princípio que eu ando a dar quecas com os meus amigos, nada disso.
Daqui a mais não tenho amigos. Loooooooooooooooooooooooool
Com alguns nem sequer me passa tal coisa pela cabeça, é amizade pura e dura, com outros eventualmente há ou houve uma ocasião ou outra em que o sentimento era algo entre a amizade e o amor se assim posso dizer. Seria uma "amorizade":)
Como já disse, encaro isto quase como um continuum e como não tenho por hábito catalogar as coisas....olhem, já me estão a confundir.))))))))))))))

Pah,
Não acho que seja uma questão de "abertura", é difícil explicar por palavras.

Até amanhã, gente.
Fiquem bem:)

AQUILES disse...

Gostei do termo Amorizade.
Malta entretanto fui chamado pela mãe de uma afilhada minha para levar a filha até ao hospital, porque a coisa não estava lá muito bem. E não é que foi chegar e andar. JÁ NASCEU UMA BELA MENINA.
Isto tudo entre dois comentários. O que é a vida dos blogs! Quem imaginaria há 30 anos atrás?

thorazine disse...

Aquiles,
Parabens!! Mesmo que não seja "oficalmente", já és padrinho! :)))

AQUILES disse...

Thora
Da mãe e da avó (aqui de casamento), e de uma tia. Já chega.

thorazine disse...

Para ti, pior que o Natal só mesmo a Páscoa...hehehe

AQUILES disse...

Não. Eu sou do Sul, e por isso não tenho tradição de Páscoa. Aqui também não há essa grande tradição do Norte.
Por isso o Natal é que é mesmo calamitoso.

thorazine disse...

Estás com sorte então..hehe

Eu por acaso ja sou padrinho, não a versão católica, mas o que dá as amendeoas e obviamente bons conselhos! :)))))))))

Mas desconhecia essa fuga do sul ao coelho.. :))

thorazine disse...

Bem! Eu ando assustado, mas muito assustado com o conceito que chegou a portugal com a tvi no seu novo programa do género "total makeover".

Para mim, tal programa só vai aumentar o número de depressões..pois vai fazer as pessoas cada vez mais lutarem pelo "ideal" de beleza..e não de se aceitarem como uma "diferença".

PS- Ou talvez eu esteja engando e tal conceito ja chegou há uns anos, e só agora se materializa..

Viva disse...

Minha alma bem que podia ficar parva mas também já não fica.

Bem, seguindo em frente.

Amor de casal) para mim não consegue existir se não houver também amizade e cumplicidade, a amizade tem a sua parte de cumplicidade mas não tem o tal amor. Agora, na minha maneira de ver, e mais uma vez o digo, nada é gratuito, damos seja no amor ou na amizade mas queremos também receber, e muito, e em ambos os casos.

E parafraseando uma famosa história infantil, "Tu és responsável por quem cativas" diz a raposa ao principezinho. Porque será?

Quanto aos cíumes, amuos e outras coisas tais, bem só prova que afinal quem escreve no blogg são apenas seres humanos. Como se diz no alentejo não fiquem tão encharnicadinhos.

;-)))

Pamina disse...

Estive a ler os comentários deste e do outro post e não concordo que sejam uma grande chatice, conforme ele refere, mas, na minha opinião, o Chato (9.47) disse uma grande verdade, um bocado la palisseana, mas nem por isso menos "verdadeira":"...cada um é como cada qual...Uns amam de uma maneira e outros amam de outra...Na amizade...o jogo é igual..." Pois claro. Neste tema nunca poderá haver consenso. É o mesmo que discutir se o vermelho é mais bonito do que o verde (azuis, não se sintam discriminados, que a escolha destas cores não tem nada a ver com futebol:))Isso depende, naturalmente, do gosto de cada um.
No entanto, penso que estaremos todos de acordo, relativamente à definição de amizade que o post nos propõe no seu final. Como o Aquiles referiu logo no início,"e está dito".
Agora é curioso pensar que, tirando algumas frases de carácter subordinativo da mulher ao homem, que penso já não se dizem actualmente (honrar, obedecer), é mais ou menos isto o que os futuros esposos prometem: partilhar solidariamente também os maus momentos, "(na alegria e) na tristeza, (na riqueza e) na pobreza, (na saúde e) na doença..." Assim, a noção de casamento na nossa sociedade parece-me que assentará na amizade ou, talvez melhor, em valores comuns com os da amizade. Seria impensável uma troca de promessas com um texto do género:"prometo fazer tudo para te proporcionar muito prazer sexual, mas se tiveres algum problema ou se adoeceres não me venhas chatear e se quiser dou o fora". (É o que sucede muitas vezes, mas não é o que se promete.)
O que é que eu quero dizer com isto? Simplesmente ocorreu-me.

Aquiles,
Também os meus parabéns pelo nascimento do bébé da sua afilhada.

E boa noite, que já é tardíssimo.

Viva disse...

pamina

lollll

Havia de ser giro uma gera de queca sempre bestial, no acto do casamento, de preferência no altar.

Lolll

CêTê disse...

Parabéns à mais nova murca!;]]

"Amorizade" - clap, clap!;]]]- vou adoptar o neologismo.
Mas o que me fez sorrir foi a confissão da andorinha
"olhem, já me estão a confundir.))))))))))))))" loool
É esse o efeito que tem o poema- parece um quadro de ilusão de óptica.

Tenham um bom dia

lobices disse...

(Copy and paste from my blog at 2004):
...
Distinguem-se 3 tipos de amor, susceptíveis de encaixarem uns nos outros:
1. EROS (erotismo). É o amor carnal, sexual. O desejo físico do outro exprime-se pela paixão amorosa, vivida, muitas vezes, na falta e no sofrimento.
2. PHILIA (amizade). O amor carnal evolui para o amor-ternura. Não é mais somente um instinto carnal, ou uma concupiscência. Ele dá-se. É alegre, expansivo. É o amor conjugal realizado e aquele que é dado aos seus filhos e reciprocamente. É também amizade. No entanto, permanece mais ou menos interessado.
3. AGAPE (caridade). É o amor dado sem procura de contrapartida. É o bem por excelência. Os crentes encontram a sua fonte em Deus, que é amor.
Há pois oposição entre o amor-EROS de concupiscência e de cobiça, e o amor-PHILIA, ou Agape, que são amores de benevolência e de amizade. Quer-se bem a alguém, em vez de o possuir. Os dois sentimentos, na maior parte das vezes, justapõem-se.
O amor-EROS não é uma virtude. «É uma questão de sentimento e não de vontade, diz Kant, e eu não posso amar porque eu o quero, menos ainda porque eu o devo; daí se conclui que um dever de amar é um contra-senso.»
Efectivamente, «o amor não se comanda porque é ele quem comanda, diz A. Comte-Sponville.»Mas à medida que se avança na sabedoria e na virtude, desligamo-nos dos desejos egoístas e elevamo-nos nos graus do amor.
Primeiro, só se ama a si mesmo, depois o outro e depois os outros.
Assim, «a benevolência nasce da concupiscência pois o amor nasce do desejo, do qual não é mais que a sublimação alegre e satisfeita. Este amor é uma virtude: querer o bem do outro é o próprio bem» (Ibidem, p. 349.)É o ideal. «O ideal da santidade», sublinha Kant. Ele guia-nos e ilumina-nos. É uma virtude pois é uma excelência.
E, milagre, «o amor que realiza a moral liberta-nos dela». «Ama e faz o que quiseres», dizia Santo Agostinho.O amor é pois, o começo de tudo.

(in Jean Guitton et Jean-Jacques Antier – Le Livre da la Sagesse et dês Vertus Retrouvées)

lobices disse...

...to Cêtê at 10.30 am:
...
"Amorizade" é o nome de um blog
...
http://amorizade.wordpress.com/

andorinha disse...

Bom dia.

Lobices,
A palavra não me era de todo desconhecida, não sabia é que era o nome de um blog.
Achei que "amorizade" era a palavra que melhor define o que eu queria transmitir, mistura de amor e amizade, seja lá isso o que for.:)

Até mais logo, gente:)

CêTê disse...

Lobices,

já fui espreitar;]

phia_t disse...

Boa tarde,
Acho sinceramente que qualquer relação (amizade, amor entre um casal, amizade colorida, etc)só funciona se houver muita confiança, vontade de partilhar e de aprender alguma coisa... E, claro, boas doses de disponibilidade e paciência! (Deve ser por isso que, numa sociedade sem tempo para as "fraquezas" do corpo e da alma, onde tudo é descartável, estamos todos cada vez mais sozinhos...)