domingo, novembro 05, 2006

Em homenagem à sua Teresa, este fds de visita a Cantelães.

O homem do silêncio doce


E de repente aparece/um silêncio entretecido/em que já nada apetece./Em que tudo tem sentido. (Pedro Tamen).



O Zé Gabriel morreu.
Em 1989, o Aurélio Gomes desafiou-me para um programa na Rádio Nova. Nasceu assim O Sexo dos Anjos, projecto para três meses que durou oito anos. O diálogo, inicialmente direccionado para a educação sexual, cedo descambou – o Aurélio perguntou-me que livro trazia debaixo do braço, eu respondi A Insustentável Leveza do Ser e nunca mais parámos de falar sobre tudo. O João Gobern disse-o melhor do que ninguém – tratava-se de uma clara erotização da palavra.
E no entanto esse delírio verbal de trapezistas amadores jogava pelo seguro; bem ou mal, voávamos a coberto da rede que o silêncio do Zé Gabriel estendia. Aquele homem doce jamais procurou o crescente protagonismo que nós e os ouvintes lhe impusemos. Dedicava-se ao que amava apaixonadamente – o som. Aguentando com bom humor as nossas provocações, raramente acedendo a fazer um comentário no ar, aturando com estoicismo a minha incapacidade para estar quieto à frente de um microfone. E sendo ele próprio nos intervalos.
Aos poucos, reparei que lhe buscava o apoio do polegar virado para cima quando emitia uma opinião controversa, dava comigo a pedir-lhe conselho sobre as cartas a abordar, ouvia-me sistematicamente perguntar “e tu que achas?”. Ele achava muito e bem, mas sobretudo de um modo carinhoso. Lembro-me de dia triste e eu com canção do Sérgio Godinho debaixo do braço, “O que há-de ser de nós?”. À saída, abraçou-me sem perguntas e disse: “bela música. Vai ser o hino do programa” (tinha razão, acabámo-lo ao som dela). Recordo o seu prognóstico risonho – “nunca vá a África, doutor, olhe que não volta!”. Era um elogio, porque ele amava a sua Angola, as distâncias oferecidas aos olhos, o tempo recusando a pressa estéril, o erotismo da dança que, paciente, me ensinava. Enquanto o Aurélio, perdido de riso, dizia aos ouvintes que cenas menos próprias se passavam no estúdio!
Tornámo-nos amigos de infância que se conheceram já adultos. Atrasos que acontecem... Também as mulheres podem chegar atrasadas e ainda a tempo, a rapariguinha que um dia pediu para assistir à gravação não foi de modas – encheu-lhe o silêncio com as palavras de amor que nele pressentia. E eu acabei todo enfarpelado e padrinho de casamento!
Mas a doença chegara. E as perguntas dos ouvintes, que rapidamente se aperceberam de que lhes mentíamos a eles na tentativa de nos enganarmos também. Revejo o Zé no corredor do Hospital de Santo António, soro a reboque, não desejava receber-nos na cama. Orgulhoso, nunca lhe ouvi um queixume, só dizia “eu volto”. Com efeito. Para ser soterrado pelas cartas de boas vindas chegadas de todo o país. Que ele juntou às outras, a salvo da minha distracção, argumentando que eu deveria escrever a partir delas. Entretanto o programa acabou, o Aurélio procurara outros desafios e a Nova decidiu – bem! - não o substituir. Cerca de dois anos depois, após avanços e recuos vários, fui convidado a regressar. Tivemos uma longa conversa. Disse-lhe que podia estar enganado, mas achava que a minha presença não era pacífica para todos, previ o fim do programa na primeira esquina. E ele respondeu: “não lhe apetece fazer rádio comigo? Enquanto durar é bom”. Eu acertei, mas ele tinha razão - cada minuto foi uma festa, sob o olhar da Marta Santos, indecisa sobre a idade mental daqueles cinquentões. Quando, por sua vez, ela voou para outras paragens, foi-nos dito que o programa seria suspenso até à elaboração da nova grelha. Da qual, obviamente!, faríamos parte. O telefone jamais tocou. E devia, ao menos por simples educação, “desculpem lá, mas...”. Disse-o cara a cara a quem de direito, sem rancor: o Zé, ainda por cima a caminho do fim, não merecia tal desfeita.
Nos últimos tempos vimo-nos pouco. Se eu protestava, respondia sempre o mesmo: iríamos jantar quando melhorasse. Contrariado, aceitei-lhe religiosamente o pudor. Levou-o ao extremo, morrendo comigo em férias. A notícia chegou e sentei-me numa praça de Granada; pensando, egoísta, que já perdi dois amigos íntimos e é muito duro viver sem eles. Mas ao Zé, se houver um Juízo Final, tenho a certeza de revê-lo. Quando o anjo de serviço se dirigir ao microfone para anunciar os veredictos, fatalmente perguntará a alguém – “fazemos ensaio de som?”. E eu só precisarei de descobrir a nuvem de que se levantará um polegar, seguramente embalado por trauteio de música africana!

62 comentários:

moon disse...

De regresso do cinema preparava-me para comentar o post do dia 4 e Puf... desapareceu! Já não sei se é do meu computador ou se o Prof. o removeu. Que passa?

JFR disse...

Parabéns pelo seu texto Professor. Merecia ser lido por si e colocado no blog. Seria uma homenagem ainda maior ao Zé Gabriel (um homem de sons).

Obrigado, ainda, por me recordar esse tempo em que eu fazia os passeios matinais de domingo de phones nos ouvidos e um pequeno (hoje enorme) leitor de cassetes no bolso. Esquecia, por completo, onde estava e por onde passava, de tal modo ia atento ao que ouvia.

Uma curiosidade adicional: onde está o Aurélio Gomes?

andorinha disse...

Comovente, a ternura com que fala e sempre falou, do Zé Gabriel.
"Tornámo-nos amigos de infância que se conheceram já adultos."
Esta frase é linda por todo o significado que encerra.
"O homem do silêncio doce", que bela forma de falar de alguém...

CêTê disse...

Vim desligar o bicho ;]

O professor escreve bem que se farta!;] Sei que não foi por motivos estéticos que escreveu. Comovente, sabe? E por acaso no lhe vê o polegar e o sorriso às vezes? De certo sim.
Bjnh e boa noite para todos.

moon disse...

"Enquanto durar é bom”.

Foi isto que me disseram um dia sobre o amor. Eu questionava a diferença de idades que na altura parecia abismal. Eu mais preocupada com ele (e comigo) e ele nas tintas para isso. Eu perdida para lhe cair nos braços... E, no entanto, perdida de medo... Não caí!
Porque me parecia um capricho dele, porque achava que não havia futuro, porque não acreditava o suficiente, porque... e as desculpas são tantas....
O bom do passado é que se a memória não nos atraiçoar podemos sempre tentar evitar repetir os mesmos "erros".
Vivam as cumplicidades e as amizades intemporais!
Durmam bem;)

moon disse...

P.S. Eu ia jurar que entre o post da homenagem ao Zé Gabriel e o post sobre o Alzheimer havia um sobre o aborto...

PAH, nã sei! disse...

... belos anos esses...
A rotina "domingueira" até foi alterada, de forma a que pudesse no sossego do meu quarto, ouvir-vos.
Engraçado lembrar mas, em cada divisão da casa existia um rádio e era ver-me a correr para os ligar, sempre que tinha que mudar de local :) fascinante, como ainda no domingo passado dei com a minha mãe a lembrar-se disto (após relatório completo da janta :)

O Professor era (ainda é ;) danadinho!! O que deveria sofrer o "Zé" !!! (pois o Aurélio bem que puxava por si! outro que tal:)

Fez-me bem o seu texto... mais uma vez obrigada!

Agora vou descansar, foi um dia "Sebastião da Gama" para mim!! Todo ele dedicado ao que me faz sorrir com vontade! As minhas "crianças" e a minha Biologia...

Para todos, uma santa noite.
E como diria Sebastião da Gama:
"O que eu quero principalmente é que vivam felizes".

lobices disse...

...uma só palavra: perfeição!
...obrigado

Nelson disse...

E o tempo passa.
Saudades desse tempo, saudade do Zé Gabriel que tinha em si aquela doçura que gostava de espalhar por quem o rodeava. Só o conhecendo se pode perceber totalmente estas belas palavras bem merecidas.
Um abraço, Zé Gabriel, estejas onde estiveres!

Ameninadalua disse...

Bom dia

"de repente aparece/um silêncio entretecido/em que já nada apetece./Em que tudo tem sentido. (Pedro Tamen)."

Para mim estes são verdadeiramente os "verdadeiros" momentos de felicidade...:)
e que como muito bem relecte no filme "As Horas", nem sempre temos a percepção na hora de que os estamos a sentir; muitas vezes só e em contraponto mais tarde tomamos consciência disso....

Os momentos certos, em que tudo faz sentido, dão-nos a serenidade e a paz...contudo nunca são para nós fruto de mero acaso mas sim resultado dum construir sentido e reflectido de vida...

Julio Machado Vaz disse...

jfr,
O Aurélo trabalha em Lisboa, creio que na Comercial. Quanto a anúncios..., é ouvi-los:)))).

innername disse...

:'(...belíssima homenagem, o sinal, o polegar e a falta que deve fazer um amigo ido.

Mario M disse...

Relato, comovente, de uma perda. A fazê-la sentir como se de nós todos. Fora do anonimato dos habituais registos fúnebres.

Também pertenço ao grupo dos que não viam o sinal do polegar. Antes o ouviam, ou viam na NTV. Aluno clandestino nos seus vários anfiteatros. Soube, ontem, do Morcon. Prometo ficar atento.

chato disse...

APAGÃO EUROPEU (ontem à noite)

Portugal foi um dos países europeus afectados por um corte no fornecimento de electricidade provocado por uma avaria na rede alemã. A interrupção, que nada teve a ver com o mau tempo no país, ocorreu às 21h10 de Lisboa e às 21h25 o serviço foi reposto, cabendo à EDP - Distribuição o processo de religação dos clientes afectados.

O corte no fornecimento de energia em várias zonas de Lisboa e arredores prolongou-se por quase uma hora.

Fonte da EDP Distribuição disse à agência Lusa que as suas instalações sofreram um corte de energia cerca das 21h15, que afectou em Lisboa as zonas de Chelas, Entrecampos e Olivais, bem como a Linha do Estoril, incluindo Carcavelos e Cascais, onde só depois das 22h00 regressou a luz.

O litoral centro do país também foi afectado, mas o fornecimento foi reposto às 21h30, enquanto no Norte a energia "voltou" às 21h50.

O disparo em série nas redes europeias, afectando nomeadamente a Alemanha, Itália, França, Espanha e Portugal, conseguiu evitar "um apagão generalizado em toda a Europa", segundo a REN.

A interrupção no fornecimento de energia teve origem numa avaria na zona da Renânia do Norte e Vestefália, na rede alemã, propagando-se a várias zonas da Itália e França, onde afectou cerca de cinco milhões de habitantes, cerca de 10 por cento da população, interrompendo mesmo a circulação dos comboios de alta velocidade.

As causas do sucedido vão ser agora analisadas mas só nos próximos dias poderá haver conclusões.

Aspásia disse...

BOA TARDE

ESTIVE FORA DE LISBOA. E AGORA NÃO TENHO TEMPO NEM DE LER ESTE POST NEM DE COMENTAR.

ANDORINHA

SE ME ENVIASTE UM MAIL, ESCUSAVAS, PLEONASTICAMENTE, DE ME MANDAR UMA CARTINHA AQUI NOS COMENTS. TERÁ SIDO TAMBÉM PARA FICARES VISÍVEL AOS OUTROS, TALVEZ...

DE QQ MODO, ISSO SÃO NINHARIAS. AS COISAS MAIS IMPORTANTES DA VIDA NÃO ESTÃO NAS CAIXAS DE COMENTS.

BOM RESTO DE DOMINGO PARA TODOS.

MJ disse...

Professor:

Texto lindo e comovente... Palavras saídas directamente do coração... sentidas...
Como é bom lê-lo! Ouvi-lo, melhor ainda.

Tenha uma boa tarde de Domingo.

(Apesar de não a conhecer, será ousadia minha enviar um beijinho à Teresa?)

alquimista disse...

Como disse Rui Veloso de Carlos Tê certa vez: "Quem escreve assim não é gago".
Quem viveu estes tempos memoráveis na Rádio Nova com certeza que fica de voz embargada...

andorinha disse...

Boa noite.

Aspásia (3.29)

Aqui no blog limitei-me a responder ao teu post.
O envio do e-mail foi posterior e não se trata de "pleonasmo", uma vez que tem outro teor.
Mais uma vez tenho pena que não tenhas entendido isso.:(

Quanto a visibilidade, policiamento, etc, são coisas que nem merecem resposta.

Numa coisa estou totalmente de acordo contigo: "As coisas mais importantes da vida não estão nas caixas de comments".

Ameninadalua disse...

Boa noite a todos!

Como se já não bastasse de emoção este post do professor de hoje, fui ver o filme sobre Vinicius de Moraes e devo dizer-vos que me tocou intensamente.

Feito apartir de depoimentos e de canções de todos os musicos que o acompanharam durante a vida, desde Caetano, Chico, Betânea, Jobin, Gilberto, etc. etc. , mas principalmente do seu testemunho de vida completamente cheio e vivo de emoção, em que a sua poesia é bem sinal disso...

Recomenda-vos sinceramente o filme.

LuaAdversa disse...

"Na região de Chiang-Shit, no estado de Song, há lindas florestas de plátanos, amoreiras e ciprestes. Acontece que, quando atingem dois ou três palmos de altura, algumas dessas árvores são cortadas para fazer estacas e, das que chegam aos sete ou oito palmos, muitas são serradas para tábuas de caixões. Assim, nenhuma destas chegou ao termo natural da sua vida, nem pôde desfrutar, do alto do seu cume, a imagem do mundo para a qual tinha sido criada e, a meio do seu destino, caiu sob os golpes do machado.
Este é o perigo de se ser útil..."
(Ichonang-Tseu)
Extraido de um grande livro de um Grande escritor.

Boa noite a todos!
É um prazer juntar-me a este blog, descoberto ao acaso, mas com a deliciosa sensação de quem descobre um tesouro!

JMV : os meus parabéns, é sempre um prazer lê-lo e relê-lo!

CêTê disse...

Reflectindo,
depois de ler o comentário de luaadversa...
...apetece-me "chicotear-me" pela forma quantas vezes "fútil" que aqui comento. Não sendo a minha homepage, este cantinho, é quase o meu santuário (eu quase herege) mas que por vezes profano. Mas ... paciência as "beatas" são mesmo assim...
Boa semana para todos

bufólogo disse...

Sem mais delongas, o bufólogo despede-se aqui do maralhal. Não sei por quanto tempo, mai será bastante concerteza. Nunca tive a intenção de magoar ninguém, tentei sempre dialogar com humor com quem me correspondeu.Poderei voltar um dia, quando tudo estiver mais calmo. Peço á Andorinha que entenda a Aspásia nesta altura complicada da vida dela, e não deixes de lhe dar apoio. Sejam amigas.Quanto á Aspásia e pela milionésima vez, EU NÂO SOU A PESSOA QUE TU PENSAS QUE SOU. Se te fiz pensar isso este tempo todo apesar de estar sempre a desmentir, tenho pena de te desiludir. Nesta altura, essa pessoa já está farta de saber que te referes a ele, mas isso é coisa que não me diz respeito, nem quero saber. Se esta confusão provocar danos conjugais, lamento, mas nunca pensei que chegaria a tanto. Peço desculpa a todos os que diariamente dão o seu contributo a este espaço, pelo incómodo. Ao Prof. peço desculpa por qualquer inconveniente. Continuem todos como estavam antes de eu chegar, divirtam-se e até qualquer dia se fôr caso disso.
BOA NOITE A TODOS E ADEUS

andorinha disse...

Cêtê,
Também não precisas de te auto-flagelar, rapariga.
Se encarássemos as coisas assim, acho que teríamos todos que fazer o mesmo, bolas!:)))
Há momentos de conversa séria e outros de conversa fútil, aqui como na vida.Lool

LuaAdversa disse...

Subescrevo as palavras da "Andorinha"...
Há alturas e espaços para tudo!
O importante é "saber estar", sempre!!!
E já agora, nunca, mas nunca, esquecer de rir...sobretudo de nós mesmos!!

fiury disse...

tive a sorte de ouvir o primeiro programa.
a melhor homenagem a quem deixa marcas destas é sermos felizes.

Aspásia disse...

FIURY

OUVISTE-O TU O 1º... E EU NO ÚLTIMO...
ADOREI OUVIR AQUELE HOMEM, QUE MUITO RARAMENTE FALAVA. QUE GRANDE HUMANIDADE E TERNURA PELO PROFESSOR, PELO AURÉLIO E POR NÓS, OUVINTES. ERA UM SENHOR, O ZÉ.
NÃO ERA UM SIMPLES TÉCNICO DE SOM.
ERA UM TÉCNICO DA VIDA.

A K7 COM A VOZ DELE
ESTÁ GUARDADA, COMO AS OUTRAS DO "SEXO DOS ANJOS", ALIÁS.

TENHO NOUTRA CASA UMA FOTO COM O PROF., O AURÉLIO E O ZÉ GABRIEL QD. O S.A. COMEÇOU. SE A TIVESSE AQUI, PORIA. FICA PARA OUTRA OPORTUNIDADE.

BOA NOITE A TODOS.

Aspásia disse...

"NO 1º"

Aspásia disse...

PAH E MJ

ESTOU A VER Q TEMOS DE NOS ENCONTRAR E FAZER UM SARAU DE "SEXO DOS ANJOS"... TENHO 3 ANOS DE GRAVAÇÕES...

RÁDIOS PELA CASA TODA, TAMBÉM TENHO, MAIS OU MENOS DESDE ESSES TEMPOS...FOI QD COMECEI A NÃO PODER LER OU VER TV MAIS DE MEIA HORA POR CAUSA DO OLHO SECO E DAS DORES ASSOCIADAS... MAS TAMBÉM ATÉ GANHEI EM OUVIR MUITO MAIS RÁDIO!!! QUE BELAS COISAS DESCOBRI... OS PRINCIPAIS FORAM O PROF. E O JOEL COSTA DA ANTENA 2. ALIÁS EU GOSTO MUITO MAIS DE RÁDIO QUE DE TV.
ENTÃO E NESSE TEMPO QD IA PARA FORA DE LX... ELE ERA APANHAR O SEXO DOS ANJOS... NA RÁDIO NOVA ANTENA - MONTEMOR...(QUE POR SINAL ATÉ SE OUVIA EM LX MAS MUITO MAL-ERA O 2º EMISSOR DA NOVA ANTENA)... NA TOTAL FM - ALMANCIL... E NUMA DE COIMBRA QUE AGORA NÃO M´ALEMBRA...

EU HOJE ESTOU ALGO OCUPADA...É O ALMOÇO DA TERTÚLIA DO MEU PAI E EU VOU SEMPRE... MAS SE PUDESSE AINDA TENTAVA PÔR A FOTO DO ZÉ COM O PROF. E O AURÉLIO E TALVEZ UM POUCO DA VOZ DO ZÉ... SE NÃO CONSEGUIR AINDA NESTE POST, ACHO QUE O PROF NÃO SE IMPORTA QUE O PONHA NUM POST SEGUINTE...

FIQUEM ÓPTIMAS, PEQUENAS...

Aspásia disse...

BUFÓLOGO

ENTÃO APAGASTE O BLOG - ENFIM, ESTÁ EM OBRAS...

TEM MONTES DE PIADA. CALCULA QUE QUANDO FOI O APAGÃO, EU ESTAVA AO TELEMÓVEL COM ESSA PESSOA QUE TU DIZES EU PENSAR QUE TU ÉS!!!
ALIÁS EU DISSE-LHE LOGO NA ALTURA QUE O APAGÃO ERA MUNDIAL... TENHO OS MEUS ESPIÕES TAMBÉM!!! TAL COMO TU NOS JANTARES ALMOÇOS E JANTARES A QUE EU VOU... TAL QUAL!!!
O APAGÃO SÓ NÃO FOI MUNDIAL E LIMITOU-SE AQUI A 6 PAÍSES EUROPEUS PORQUE HOUVE UM PERCALÇO NAS COMUNICAÇÕES DOS SABOTADORES... E QUEM CAUSOU ESSE PERCALÇO?? POIS AQUI A JE, MESMO!!!
ALIÁS EU TINHA ESTADO NUMA PRAIA MUITO PERTO DA FIGUEIRA DA FOZ NA ALTURA... FOI SÓ DEITAR UMA MÃOZADA DE AREIA NUM DIABO DE CAIXA CHEIA DE FIOS QUE ESTAVA ABANDONADA NO AREAL... E COM UM LED A PISCAR!!! AQUILO NÃO ME CHEIROU NADA BEM...

POIS... ESSA PESSOA DE FACTO JUROU A PÉS JUNTOS NÃO SER O BUFÓLOGO... E EU ACREDITO. TENHO-O EM DEMASIADA CONSIDERAÇÃO PARA PENSAR QUE DESCESSE TÃO BAIXO... A NÃO SER QUE FOSSE PARA COLOCAR ALGUM SOALHO NOVO...

CLARO QUE É A ÚLTIMA VEZ Q TE RESPONDO AQUI E POR ESSE NOME.

A ANDORINHA FOI BRUSCA MAS TEM ALGUMA RAZÃO... HÁ MUITO SÍTIO PARA CHATS MAIS PARTICULARES, NOMEADAMENTE... SE AS PESSOAS ENVOLVIDAS ESTÃO A VIVER ISSO DEMASIADO INTENSAMENTE.

ENTÃO OLHA... O QUE EU DESEJO É QUE AS OBRAS CORRAM O MELHOR POSSÍVEL, QUE FAÇAS MAIS EXERCÍCIO FÍSICO QUE BUFOLOGIA E QUE FIQUES BEM.

UM ABRAÇO.

Aspásia disse...

CHATO

AGORA JÁ VISTE PQ É QUE O APAGÃO NÃO FOI MUNDIAL...

TAMBÉM ESTÁS CONVIDADO PARA O SARAU DO SEXO DOS ANJOS...

SE FÔR PRECISO ATÉ SE ALUGA UM AUDITÓRIO!!!

EU CONHEÇO UMA PESSOA QUE CONHECE BEM ESSES MEIOS... ATÉ TEM UM ESTÚDIO DE GRAVAÇÃO... CALCULA... UM "COLEGA" DO ZÉ GABRIEL...

Aspásia disse...

BEIJINHOS O MAIS CHATOS POSSÍVEL...

Aspásia disse...

FALTAM 3 MIN.

O AMOR É NA A1.

CARTA DE S. PAULO AOS CORÍNTIOS. OLHA COMO O SANTO JÁ "CAPISCAVA" DESTAS COISAS A POTES!!!!

FOI GIRÍSSIMO, OUVI ÀS 9:20.

DE QQ MODO TÊM O PODCAST...
VIVA A TECNOLOGIA!!!

lobices disse...

...bom dia para todos
...boa semana
...sejam felizes (como dizia o Solnado)
...abreijos

Aspásia disse...

O AMOR É... - PAULO DE TARSO

Aspásia disse...

LOBICES

RETRIBUO E SECUNDO OS TEUS VOTOS, PARA TODOS.

ESPERO QUE A TUA MÃE ESTEJA MELHOR.
AQUI O MEU VELHOTE ESTÁ FIXE... LÁ VAMOS PARA O ALMOÇO MENSAL DA TERTÚLIA DAMIÃO DE ODEMIRA...

INCLUSIVE VAI HAVER MOMENTO MUSICAL...

BJINHOS PARA TI E MÃE.

CasadaPonte disse...

Que homenagem linda Professor...também eu assisti (ouvindo) ao carinho e às brincadeiras com o Zé Gabriel e às gargalhadas com as constantes "provocações" que o Professor lhe fazia. E os Domingos de manhã eram diferentes! Havia a preocupação de ligar o rádio, para estar tudo a postos -às 11h não era?! Nessa altura tinhamos uma casa pequenina numa aldeia de Vila do Conde e até os miúdos ouviam, pois o rádio estava na sala e esta dava para um pátio exterior e quintal, onde eles brincavam. O recordar estes programas traz também com ele recordações tão boas e hoje cada um de nós já perdeu de certeza um amigo importante...hoje foi o funeral de uma amiga...quando lhe foi diagnosticada a doença (há 3 meses) a preocupação dela foi a "grande preocupação que estava a causar ao marido e às filhas"!...
Abraços

thorazine disse...

Como já disse nunca tive o prazer de "saber" o "sexo dos anjos", tudo isto por culpa da Aspásia! :))

PS- Saddam condenado à pena capital (por enforcamente, o séc XXI)! Mais uma vez se usa a democracia para justificar o homicídio! :((((((((

Fora-de-Lei disse...

thorazine 1:17 PM

Mas qual democracia ? Aquela que em meia-dúzia de meses usa a pena de morte para punir alguém que devia ser punido sim, mas de outra forma ? Ou aquela que em três anos já quase nos fez esquecer que houve um caso Casa Pia ? Se calhar estas democracias até nem diferem muito uma da outra...

chato disse...

Um dia o Mário Soares colocou o Socialismo na gaveta (segundo se constou na altura)
Actualmente, a Democracia existe somente quando se vota (e mais nada).
Depois, a Democracia deixa de existir para passar a subsistir em todo o seu explendor, o poder do dinheiro, a mola real do mundo.
Quem manda é quem tem massa. Quem tem dúvidas?
Eu sei que é chato.
Chatice.

MJ disse...

Bufólogo:

Apesar de teres dito que não voltarias a comentar, espero que, pelo menos, leias o que se vai escrevendo.
Esta manhã, depois de tomar conhecimento, aqui, da tua decisão, fiquei triste. Não visito o Murcon há muito tempo nem comento tantas vezes quanto gostaria. O tempo é escasso... não dá para tudo :-( Porém, aqui, no mundo virtual, como no mundo real, cria-se empatia com certas pessoas mais do que com outras... e tu foste uma delas. Diverti-me imenso com o teu humor, tentei, dentro do possível, retribuir...
Muito sinceramente não li (porque não me dizia respeito) a tua troca de palavras com a Aspásia que, suponho, esteve na base da tua decisão de não continuares connosco.
Não sei o que pensam os restantes murcónicos mas a minha opinião é que, com calma, e, se possível, de viva voz, deverias ter uma conversa esclarecedora com a Aspásia, de modo a desfazerem equívocos. Faz isso... vá lá... vais sentir-te melhor.



"Murcónicos":

Desculpem-me por ter ocupado este espaço para comunicar com o Bufólogo mas não encontrei outro meio para fazer. Faz-me uma enorme confusão que as pessoas "partam" magoadas :-(

Abraço

andorinha disse...

Fora de lei(2.14) e Chato (3.20)

Estou totalmente de acordo convosco.
Democracia? Onde????

thorazine disse...

fdl,
o caso casa pia só veio mostrar que a justiça tuga não tem traquejo para lidar com um caso de tal envergadura, e obviamente, em vez de se procurar as falhas e colmata-las tenta-se limpar o lixo para debaixo do tapete.

Sou completamente contra a pena de morte (ainda por cima numa das suas formas mais brutas, enforcamento). Prisão prepétua para mim é o máximo, e já com dúvidas pois estou a aceitar que há pessoas "sem recuperação ou reabilitação". Neste caso, concordo que ele devia ver o sol ao quadradinhos até a final dos seus dias e deixar a opção de se quer morrer ou não nas mãos dele. Pena de morte é um homicídio "legal".

A democracia, o "poder do povo", está em dar o poder aos subtis ditadores para os "guiarem" no pensamento!!

"Onde há um ser vivo há ansia de poder"..e isto aplica-se desde dentro do nosso quarto, aos escritorios ou salas de aulas até países inteiros ou o mundo. Ou até mesmo o "simples" control da cabeça das outras pessoas! Para o futuro só há duas soluções, ou Deus vem mesmo À terra como prometeu ou cria-se um software que dirige a sociedade de forma imparcial! LOLOL

thorazine disse...

Ah..obviamente que eu não concordaria com tais hipóteses!!!

Se Jesus volta-se ia fazer pior do que fez no templo, já o imagino de bastão a subr a Madison Avenue! LOLOL
Em relação ao software o únicos resistentes ao sistema iriam estar no mar, e como diria o Dr. J. Lilly, é o único meio de fazer frente à "inteligência de estado sólido". Mas lá teriamos que competir com cetáceos com cérebros com o dobro de tamanho do nosso! LOLOL

Pamina disse...

Boa noite.

Também sou contra a pena de morte e portanto subscrevo inteiramente o 2º parágrafo do comentário do Thorazine.
Algo que me faz muita impressão é, nos E. Unidos, frequentemente os familiares das vítimas desejarem assistir às execuções dos condenados. Como já mencionei aqui antes, mesmo sentindo uma enorme raiva e desejo de vingança, sinceramente não me estou a ver a assistir à execução de quem quer que seja.
Ao falar neste assunto, veio-me agora à ideia uma questão na qual nunca tinha pensado. Se vivesse nos ditos E. Unidos e alguém que tivesse assassinado um ente querido fosse condenado à morte, continuaria a ser contra? Sendo quem sou, penso que sim. Se tivesse sido lá educada, talvez pensasse de maneira diferente. Tenho grande respeito pelos activistas que lutam contra a pena de morte nesse país e onde quer que seja.
Lembrei-me agora também daquele filme com o Kevin Spacey em que a personagem interpretada por ele se deixa executar para provar que é possível um condenado estar inocente. Não gostei completamente do modo como o filme pegou no assunto, por ex., o advogado de defesa é posto a agir (de propósito) de modo incompetente, tanto no julgamento, como no recurso. Eu teria feito o contrário. A mensagem era, obviamente, "quem não tem um bom advogado está lixado", mas julgo que teria sido mais interessante mostrar que, mesmo sendo o advogado bom e competente, poderão ocorrer erros e uma pessoa inocente acabar por ser condenada.
Não é apenas por esta razão que sou contra a pena de morte. É, como o Thorazine, por uma questão de princípios.

Katerinna disse...

Um hino à amizade...

"Procura-se um amigo (Vinicius de Moraes)

Não precisa ser homem, basta ser humano, basta ter sentimentos, basta ter coração. Precisa saber falar e calar, sobretudo saber ouvir. Tem que gostar de poesia, de madrugada, de pássaro, de sol, da lua, do canto, dos ventos e das canções da brisa. Deve ter amor, um grande amor por alguém, ou então sentir falta de não ter esse amor.. Deve amar o próximo e respeitar a dor que os passantes levam consigo. Deve guardar segredo sem se sacrificar.

Não é preciso que seja de primeira mão, nem é imprescindível que seja de segunda mão. Pode já ter sido enganado, pois todos os amigos são enganados. Não é preciso que seja puro, nem que seja todo impuro, mas não deve ser vulgar. Deve ter um ideal e medo de perdê-lo e, no caso de assim não ser, deve sentir o grande vácuo que isso deixa. Tem que ter ressonâncias humanas, seu principal objetivo deve ser o de amigo. Deve sentir pena das pessoa tristes e compreender o imenso vazio dos solitários. Deve gostar de crianças e lastimar as que não puderam nascer.

Procura-se um amigo para gostar dos mesmos gostos, que se comova, quando chamado de amigo. Que saiba conversar de coisas simples, de orvalhos, de grandes chuvas e das recordações de infância. Precisa-se de um amigo para não se enlouquecer, para contar o que se viu de belo e triste durante o dia, dos anseios e das realizações, dos sonhos e da realidade. Deve gostar de ruas desertas, de poças de água e de caminhos molhados, de beira de estrada, de mato depois da chuva, de se deitar no capim.

Precisa-se de um amigo que diga que vale a pena viver, não porque a vida é bela, mas porque já se tem um amigo. Precisa-se de um amigo para se parar de chorar. Para não se viver debruçado no passado em busca de memórias perdidas. Que nos bata nos ombros sorrindo ou chorando, mas que nos chame de amigo, para ter-se a consciência de que ainda se vive."


Porque os amigos são o melhor do mundo...

Beijocas.

Katerinna

LuaAdversa disse...

Portugal foi pioneiro na abolição da pena de morte e na renúncia à sua execução mesmo antes de abolida.

No colóquio internacional comemorativo do centenário da abolição da pena de morte, realizado em Coimbra, em 1967, Miguel Torga e Vergílio Ferreira falaram assim:

Miguel Torga:

"A tragédia do homem, cadáver adiado, como lhe chamou Fernando Pessoa, não necessita dum remate extemporâneo no palco. É tensa bastante para dispensar um fim artificial, gizado por magarefes, megalómanos, potentados, racismos e ortodoxias. Por isso, humanos que somos, exijamos de forma inequívoca que seja dado a todos os povos um código de humanidade. Um código que garanta a cada cidadão o direito de morrer a sua própria morte".

Vergílio Ferreira:

"...E acaso o criminoso não poderá ascender à maioridade que não tem? Suprimi-lo é suprimir a possibilidade de que o absoluto conscientemente se instale nele. Suprimi-lo é suprimir o Universo que aí pode instaurar-se, porque se o nosso "eu" fecha um cerco a tudo o que existe, a nossa morte é efectivamente, depois de mortos, a morte do universo".

Nunca é demais relembrar que nem tudo o que se faz "cá dentro" é mau ;-)

Boa noite a todos!

Fora-de-Lei disse...

Pamina 8:18 PM

"... mesmo sentindo uma enorme raiva e desejo de vingança, sinceramente não me estou a ver a assistir à execução de quem quer que seja."

Bent u zeker ? Eu não estaria tão certo assim...

PS: somos (todos) muito piores do que pensamos !

CêTê disse...

Não sei se sou contra a "pena de morte".
Não sei se a morte com data e hora marcada será menos dolorosa do que a outra.
Por isso não sei quem têm maior sentido de humanidade. Perguntem aos condenados o que preferem... o que passam nas celas e fora delas. Duvido que haja consenso. Talvez esteja enganada.

Devo confessar que senti alegria pela sentença. Pois não vimos todos crianças, velhos e novos tombados no chão, enterrados em valas comuns? O que passaram os que tantas provas reuniram?
Não deveria estar sozinho na sentença, é certo que não.
Há mortes que apaziguam, mesmo que injustas, centenas de outras anónimas.

CêTê disse...

Quanto ao caso Casa Pia...
Todos lhe conheciamos o final.
Afinal uns são Pedófilos os outros são prostituitos (mesmo que crianças fossem, violentadas, subjugadas,...)
Tenho NOJO de advogados-dos que a troco de dinheiro e mediatismo conseguem ilibar quem pratica actos condenáveis.
Disgusting

thorazine disse...

Cêtê, todo homem que vai ser julgado tem o DIREITO de ter uma defesa. O "advogado do diabo" tem de existir para prever possíveis julgamentos injustos. É uma distorção veres os advogados como culpados.. :)

luaadversa, obrigado pela "lembrança"! ;)

Em relação ao "se acontecesse a ti já não pensavas assim sobre a pena de morte". Que eu saiba as leis não são criadas para satisfazer apetites (ou mesmo necessidades) momentaneas do ser humano mas sim para salvaguardar o bem de todos (pois todos somos possíveis criminosos).

E por último, deixo-vos um vídeo genial: http://www.ad-awards.com/inc/video.swf?id=104

;))

malice disse...

Não pude deixar de comentar texto tão bonito como há tempos não lia...elogio bom q julgo todos gostavam de deixar por cá um dia...longínquo!sou leitora ocasional e julgo-me agora assídua depois deste elogio...fãzaça que já era dos vários programas d tv, fico-me agora pelo blog! Boas noites a todos!

andorinha disse...

Fora de lei(10.36)

Bist du sicher?:)

Fora-de-Lei disse...

andorinha 12:04 AM

Nein. Ich bin nicht sicher. Nie !

andorinha disse...

Fora de lei(12.08)
Pois...já me esquecia que nem sempre és da tua opinião.Loooooooooool

Pamina disse...

Fora de lei,

Quanto a assistir à execução, acho que tenho a certeza de que nunca o faria.

Quanto a desejar o sujeito morto, provavelmente, no íntimo, era capaz de desejar.

Quanto a pedir ao juíz, quando são ouvidos os familiares antes da sentença, para que ele não fosse condenado à pena de morte, espero que o conseguisse fazer, mas 100% de certeza não tenho.

CêTê disse...

Andorinha:
Nun jetzt einher Heimlichkeiten? ICH befinden Es sehr häßlich. Ihrer groß einige häßlich.
LOL
Figli dal veccia signora , questi due lungo segredinhos , presente!

abraços

andorinha disse...

Cêtê,

Looooooooooooooooooooooool
Loooooooooooooooooooooooooooool
Isso é o quê???
Parecem algumas das frases que os meus alunos escreviam quando também leccionava Alemão.
Por isso estou habituada a tirar pelo contexto.:))))))))

Não são segredinhos, tanto que depois já escrevi em Português.
Como tentas dizer:))), era muito feio estar aqui com segredinhos.
Só lhe perguntei se ele tinha a certeza e ele respondeu que nunca tem:)

Bjs.

catati disse...

Eu sabia que escrevia bem, Tio Júlio, mas é tão lindo... Também já o tinha lido, mas não com a atenção e a calma que merecia, ela estava ao meu lado e... agora foi mais profundo. A amizade é especial, faz as pessoas melhores. Felizes daqueles que tiveram a sorte de ser amigos de um AMIGO como o Zé Gabriel. Eu não o conheci, e talvez só por ele cá não estar A vim a conhecer, mas quase sinto que o "conheci" um pouquinho, ao longo de tantas conversas,tantas confidências, tantos momentos bons e maus... Tenho a certeza de que foi um homem que marcou a vida de todos aqueles a quem "tocou" de perto. Lembro-me bem do vosso programa ao domingo de manhã, da cumplicidade que se sentia naqueles que estavam do lado de lá do rádio. Pra mim foi ... noutra vida. Tu sabes, Mana, que estou aqui e vou estar, pra ti, para o que precisares, como tu estás pra mim. Hoje, então, sabes que falo "de coração nas mãos", quanto me ajudas todos os dias, quanto me dás força porque "eu sou + ..." como tu, tal como tu. És uma mulher fantástica, amiga, continua, estamos todos aqui.

Obrigada, Tio Júlio, por me dar este espacinho pra falar consigo... e com ela. Bjo

Ness Xpress disse...

Fui a um dos programas em directo da feira do livro, no nosso Palácio de Cristal, que teima em não ser Rosa Mota. Vi-o lá, ouvi-vos muitas vezes, cheguei a enviar cartas por fax. Não havia blogues nesses tempos, mas há uma geração inteira no Porto "educada" por essas três pessoas.

À boleia do saudoso Zé Gabriel, o meu muito obrigado pelo bem que me fizeram.

CêTê disse...

;P

pitanga disse...

Fiury; tens toda a razão:"a melhor homenagem a quem deixa marcas destas é sermos felizes". Ele 1 dia obrigou-me a prometer-lhe que o seria. E vou ser. Sou. Um dia.
mj; obg pelo beijinho-mesmo sem nos conhecermos, soube bem!!
aspásia; 1 sarau de "Sexo dos Anjos"?? 'Bora lá! Onde? Quando?
Catati; hoje eu por ti, ontem tu por mim e vice-versa forever... Obg

A todos os que recordam o Zé Gabriel com carinho, só desejo que também consigam encontrar e viver com a vossa Alma Gémea...

Professor, Amigo, Padrinho, Júlio (raios, nunca sei como lhe chamar!)obg pelo fds e pelo presente - foi o melhor destes ultimos 4 anos... Mas acima de tudo obg por continuar a estar por perto.
Só + 1 coisa: para quando o 'P.S.-
I Love You'? Por favor, eu ajudo-o em tudo o que quiser, faço tudo o que precisar: separar, catalogar, copiar... mas faça-o. Por ele. Por si. Por nós.

Um beijo enorme, do tamanho das planícies africanas,
MT

Miss X disse...

Chorei o nome de alguém que só conhecia o nome - Zé.
Mas escutei muitas vezes a cumplicidade entre os 3 protagonistas d'"O sexo dos Anjos". E tive saudades...