quinta-feira, junho 15, 2006

Belibasto.

Villerouge-Termenès, o castelo em que foi queimado Belibasto. E a evidência assumida: era um pastor indigno, por comportamento e cultura, de ser o último "homem bom" cátaro. Eu acrescentaria que o regresso dele à Ocitânia escondia um desejo de purificação pela morte. A Inquisição fez-lhe a vontade, claro! E ao recusar abjurar uma fé que nunca entendera muito bem e praticara assaz mal, o pastor simples das Corbières esteve finalmente à altura do seu estatuto.

75 comentários:

dora disse...

william Belibasto... assim contada a história parece-me muito mais interessante do que o longo palavreado estéril do guia turístico há alguns anos :)

mentecalma disse...

Que coisa horrorosa na hora do meu jantar e ainda por cima frango assado! :)

fiury disse...

boa noite

thorazine disse...

mentecalma,
ainda hoje muita gente é praticamente "queimada viva" só por dizer o que pensa! Mudou, mas não mudou assim tanto! :|

AMMedeiros disse...

Boa noite

Exactamente thoprazine, ainda hoje muita gente é "quimada viva" apenas por dizer o que pensa! Não faltam por aí "Super-egos inquisidores" fora da nossa consciência, e o pior é que não se limitam ao tema da religião, são mais, como direi? ecléticos?!...

AMMedeiros disse...

Desculpe Thorazine, foi sem querer, uma gralha terrível.

Xelim disse...

ammedeiros, eu sei qual é a razão de ser da criação/existência do teu blog:

alimentar a tua auto-estima; noto que isto é algo que acontece com uma certa frequência em blogs de mulher

não é por acaso que as pessoas fazem blogs, é claro que há outras razões que justificam outros blogs...

Pamina disse...

Boa noite.

Há um ano, aquando da sua anterior peregrinação, o nosso querido anfitrião já nos tinha despertado o interesse por Belibasto. Há um facto relacionado com a sua prisão e morte que eu acho muito interessante. Como alguns devem saber, Belibasto foi traído por um falso amigo, Arnaud Sicre, na realidade um agente da Inquisição que o convenceu a voltar ao Languedoc e o denunciou. O curioso é que AMBOS foram presos e postos na mesma cela e o Belibasto tentou convencer o outro a receber o "consolament" e a suicidar-se juntamente com ele, a fim de irem directamente para o céu. Relativamente à igreja Católica, vemos assim que o suicídio é encarado de modo inverso, em vez de trazer a condenação eterna, proporcionaria, pelo contrário, a salvação. Vemos também que Belibasto põe realmente em prática o ensinamento de Cristo que manda perdoar aos nossos inimigos. Naquele momento, ao ver-se traído, em vez de demonstrar sentimentos de vingança, tem antes a preocupação de salvar a alma de quem o ofendeu.
O traidor não se quis suicidar (não sei o que lhe sucedeu) e o Belibasto foi julgado e acabou na fogueira.

fiury disse...

xelim

preocupar-me-ia mais com mulheres que ainda usam burcas e que não podem "alimentar a auto-estima", nem sequer sabem o que é um computador.

JFR disse...

Celebrar os mortos

Confesso que desconhecia em absoluto Belibasto. Do catarismo tinha, apenas, uma vaga ideia de ser uma religião de reminiscências cristãs. Mas, hoje, vivemos o período do conhecimento à medida. Assim, uma pesquisa na Internet, logo resolveu a dita ignorância.

E, determinou, a minha ligação ao post anterior sobre Eugénio de Andrade. Em ambos os casos, se fala e comenta sobre duas personalidades a propósito da sua morte. Ora, se no caso de Belibasto, é a própria morte que o imortaliza - pelas circunstâncias em que decorre -, no caso de Eugénio de Andrade é o que decorre da sua vida a fonte da sua imortalidade. Por isso, não concordo com as homenagens que pretendam assinalar o aniversário da sua morte.

De Eugénio de Andrade o mais importante é a sua obra - as poesias e a sua magnífica antologia. E essa obra não morreu. Deve ser diariamente festejada. Não por instituições, mas por todos aqueles que sentem prazer e paz em dela desfrutar.

Aliás, se o primeiro aniversário da sua morte fosse homenageado, porque não seria o segundo, o terceiro, ..., o milésimo? E, porque não o seriam, também, os de outros poetas e vultos importantes da nossa História? Hoje, por exemplo, passam 36 anos da morte de Almada Negreiros.

Será que são essas homenagens - onde na maioria das vezes estão presentes uma boa quantidade de pessoas que nem conhecem a obra do homenageado e, apenas, esperam uma notícia na TV, ou na revista social - as formas ideias de celebrar a obra de “... Aqueles que por obras valerosas se vão da lei da morte libertando”?

Já agora ouçam, hoje, Ella Fitzgerald. Morreu há 10 anos. Celebrem-na os que dela gostam.

fiury disse...

boa noite
durmam bem

andorinha disse...

Boa noite.

Conheci os cátaros há um ano aqui no Murcon; antes disso confesso que ignorava quase tudo a seu respeito. Hoje sei um bocadinho mais.:)
"Eu acrescentaria que o regresso dele à Ocitânia escondia um desejo de purificação pela morte."
Devo estar novamente com os neurónios em greve,:) mas não entendo. Se ele foi traído, não regressou voluntariamente, como é que isso esconde um desejo de purificação?
Haja uma alma caridosa que me esclareça:)

Se assim foi, há homens cuja morte vale por toda uma vida.

andorinha disse...

Thorazine(9.59)
Tens toda a razão, miúdo:)

AMMedeiros disse...

Efectivamente "arrisco-me" (no sentido de queimada-viva de Thorazine) a afirmar que AINDA BEM que a criação/existência de alguns blogs têm algo de tão umbilical como o meu. Será pela ausência total desse sentimento, que nunca criaste um blog e te limitas a fazer visitas nos dos outros (no meu por exemplo) colocando como comentário, a tua pobreza de espírito retratada com fotos de mulheres hardcore, acompanhadas de uma linguagem digna da tua mediocridade??
Será também por isso que utilizas o pc de uma empresa para o fazer???!!!
Peço imensa desculpa a todos os murcónicos pelo desabafo, não era de todo a minha intenção descrever aqui o sucedido, mas às vezes não conseguimos deixar de dizer o que pensamos.
Efectivamente isto nada tema a ver com o tema do post.
Desculpem, sinceramente desculpem.
Boa noite a todos.

AMMedeiros disse...

Apenas para esclarecer:
O comentário anterior dirigia-se ao Sr. Xelim.

wholesalefragrancelp disse...

I was looking for something else when I found your blog.Anyway I found it very helpful.You may visit my new Perfumes blog if you like.

thorazine disse...

andorinha,
é bom saber que também dás razão aos mais novos! :)))

xelim,
Acho isso do alimentar o ego é uma cabala. Ao analisarmos por ai, só o tu postares aqui pode ser pode ser uma tentativa de alimentares o ego, seja na espera de uma resposta benigna, seja pelo desprezo da tua parte entralação do a inflação do ego! Ou o simples facto de quem está vivo pode sempre "alimentar" o ego pensando em quem não têm a mesma sorte! LOL


Em relação aos cátaros,
também aprendi qlq coisa. Tinha a noção que cátaro era uma seita mas nada mais. Dei uma vista por alto no wikipedia e achei engraçado a ameaça que representaram para a igreja simplesmente por não existir hierarquia espiritual e qualquer um poder experienciar por ele próprio "O Senhor"! Isso ainda acontece actualmente com um movimento cristão surgido no brasil na floresta Amazónica, mas a sorte é já não haver cruzadas e inquizição (, pelo menos que meta tanto sangue!!)

Chama-se Igreja do Santo Daime, surgiu de um "borracheiro" de profissão que era cristão e que teve um contacto com os Índios da bacia Amazônica em que estes lhe ofereceram uma bebida "sagrada". Ele durante a experiência alucinogénica induzida pelo sacramento falou com um santo ,que agora não me lembro do nome, que lhe disse para formar um nova Igreja, associada à religião cristã mas em que ingerissem aquela bebida para "falar com Ele". A bebida chama-se "Ayahuasca", que se bem me lembro que dizer "bebida dos mortos"!

Actualmente a igreja proliferou-se pelo mundo, e obviamente causa bastante polémica. No Brasil já há mais de 100 igrejas espalhadas pelo país pois, após várias batalhas judiciais, com ensaios clínicos e ciêntificos sobre a inocuidade da bebida, a liberdade religiosa venceu tornando-se legal, ou melhor, sendo removida a lei para âmbitos religiosos! Na América em fevereiro deste ano também se tornou legal, somente também para âmbitos religiosos. Na Holanda também. Em Portugal, apesar de já terem cá "representantes" ainda não deve ter sido discutida essa situação. Não sei. Pronto, única e exclusivamente só deverá ser ilegal para o Vaticano pois nesta nova seita toda a gente têm o contacto com Deus, falando-lhe directamente, evoluindo espiritualmente lado a lado, com Ele. O que, tal como os Cátaros, é uma ameaça ao Vaticano pois retira qualquer que seja a importância ao Papa, retira o filtro que existe e que "deve ser conservado"! Lá, no Santo Daime, qualquer um pode ter uma conversa com Deus durante doze horas!

Fique-se já a saber que considero-me completamente sem gnose, agnóstico, mas não vou "muito à baila" com a hipótese dualista! Mas acredito sim, que "aquelas" substâncias podem abrir-nos muitas portas cá dentro e mostrar-nos o "deus" que há em cada um de nós. Os relatos das pessoas do S. Daime é que dá primeira vez que beberam toda a sua vida mudou para rumos completamente diferente. Para mim, é o mesmo efeito da fé cristã que se cultiva na igreja, mas em vez de ser um "comprimido placebo" é um "comprimido activo"! :)))

E pronto, que quiser por um bocado os preconceitos de lado e aprender mais um bocadinho sobre isto está aqui o site --> http://www.santodaime.org/


Boa noite!! :)

thorazine disse...

No site, do lado direito têm um quadradinho que diz" Santo Daime no Fantástico" e é um video mais ou menos explicativo de como se processa as cerimónias, para quem ler muito cansa! :)))

sorge disse...

até que enfim que encontro o blog do julio de momento é só!!

AQUILES disse...

Finalmente todos nós estaremos à altura do nosso estatuto.
Ella Fitzgerald, também se deve ouvir, e não só hoje.
Andorinha a morte não vale lá muito. É só um momento, uma simples porta de passagem. De uma dimensão para outra.
As religiões têm todas um calcanhar de Aquiles, os mestres de cerimónias, os auto intitulados intermediários do Divino. Os tais que sempre temem quando o seu papel é posto em causa e o seu poder contestado.

Xelim disse...

Ammedeiros

(sinto-me como peixe dentro de água)

«colocando como comentário, a tua pobreza de espírito retratada com fotos de mulheres hardcore»

Nesse caso não os devias ter apagado! Pelo contrário, os meus comentários estavam bem. A foto em questão é

http://www.bobvoyeur.com/contrib/2006/06/H2145/1984.jpg

ou, quem quiser ver o conjunto todo,

http://www.bobvoyeur.com/contrib/2006/06/H2145/H2145FT.htm

Se a foto está abaixo da minha pobreza de espirito - que é a definição de um desejo teu-, talvez, ... Para quem quiser, crie a escala que mais lhe agradar (, pode conter um desejo masoquista!)

Thorazine, tu que tens um "fraco" pela andorinha, vieste oportunamente, pois ia-te perguntar o que achas deste género de estímulos? (E destas fotos, em concreto!)

«Peço imensa desculpa a todos os murcónicos pelo desabafo»

Não peças! (Mas se quiseres podes pedir!) Os teus comentários são oportunos para mim, para o Dr. Murcon, e... falam por si!

Ah, e não te preocupes com estas coisas!

Beijinhos*

-

A propósito do post, se fosse uma mulher a ser queimada era opressão masculina (mas isso é um desejo que as mulheres têm de se sentirem vitimizadas)

noiseformind disse...

Boss,
A malta que retorna para a emolação... mmm. Ocorrem-me muitos paralelos históricos, uns mais literais que outros. Mas como fã de Le Carré sempre me intrigaram os regressos dos agentes duplos. Afinal, trairam para os dois lados. Mas o lado no qual vivem sente-se sempre mais traído em relação ao lado para o qual espiavam mas onde não tinham residência. De forma violentissima, é certo, mas penso que Belibasto teve esse acerto necessário em si. Um pouco como os cristãos tinham tido que de forma tão atroz chocou os Romanos 1000 anos antes dos Cátaros. Recusavam-se a viver no "seu" sítio e iam com a sua marca para o "sítio" deles. Repara como isto acontece com tantos grupos que não cabem na chaveta de normais. Os homossexuais podem fazer o que quiserem nas suas grutas e recantos, desde que não venham cá para fora, para o mundo dos "sãos". Se vierem, que joguem pelas nossas regras, nada de beijinhos e abraços, mas que merda é essa? Ir para ou permanecer (acção igualmente de honrar, mesmo que descontando o comodismo dela) onde se sabe que se vai ser oprimido e contrariado, julgado, morto. Olha, a forma como os judeus se mantiveram na Alemanha, que era solo seu. Nada mais poderia ter contrariado a ideia de que os Judeus são um povo apátrida do que esta resiliência que eles tiveram em partir. Ou o exemplo, para citar um nome envolvido numa disputa religiosa, 500 anos mais tarde, de Archibald Campbell. Acusado de traição no efervescente período da Guerra dos 3 Reinos em Inglaterra não teve problema nenhum em sair da segurança da sua Escócia para se colocar nas mãos dos seus acusadores e apresentar defesa diante do Rei. E este ainda pior, pq este tinha mesmo conspirado e era mesmo culpado. Mas mesmo assim não suportou a ideia de ser pária ao seu Rei, em relação ao qual viu a traição como meio intermédio de recuperação de poder. Penso que uma das conquistas (serão poucas) verdadeiramente próprias da contemporaneidade é a ideia de que mais vale conservar um antagonisto ideológico vivo e cativo do que matá-lo. Esta ideia de que "não se devem fazer mártires", se formos a ver, é antiga nas palavras mas não tem sido muito praticada ao longo da História. Só muito recentemente é que pessoas foram mantidas vivas pelos seus acusadores como forma de demonstrar "sentimentos" ou então uma certa "nuance moral". Todos os dias são mortos na China pessoas pela sua conduta opinativa mas há a necessidade de manter certos faróis de opinião acesos para que passe a ideia de que o sistema deles é "tolerante", "aceitável". Ou seja, só o facto se os sistemas precisarem de manter a chama-piloto da revolta viva já será sinal de que o diálogo está lançado? Neste momento o maior mediador entre palestinianos e israelitas está numa prisão israelita com 40 penas de prisão perpétua em cima. Esta ideia de que o "outro" deve ser mantido vivo para que "nós" possámos interagir com ele até ao nosso triunfo, mesmo que sendo uma ideia altamente imperfeita, já é tranquilizadora, não é? A ideia de que o "outro" tem de ser mantido em "nós" sob pena de precisarmos de perder toda a nossa humanidade, aniquilando o "outro" (e portanto, aniquilando as conquistas subsequentes de humanidade em "nós")???


ammedeiros,
Dás troco ao xelim... e nessa troca vais recebendo os pence da sua vacuidade (sendo aqui o segredo ler "vacuidade" numa interpretação bovina mesmo... looooooool)

jfr,
Nada mais precioso do que ter memória. Todos os dias temos dias desses. De alguém que morreu nas trincheiras de dar a conhecer alguma forma de sentir ao mundo, do lançamento de uma obra importante, de um album que nos foi essencial. Tavas a falar na Ella e eu aqui a pensar na Sarah Vaughan, tão esquecida que ela anda, aquela a quem a própria Ella chamou "a voz mais talentosa do mundo" (folheto da capa do cd "Cocktail hour"). Mas lá está. Para ter memória afectiva sobre as questões é preciso ter fios de construções, e isso hoje em dia não é fácil, a tentação do conhecimento instantâneo faz com que as pessoas tenham gostos automaticamente alinhavados em função da audiência. Olha, dou-te um exemplo bem recente. Andei por 15 penosos dias a tentar (tentar é a palavra certa) conversar com uma pessoa que ia repetindo a sua indignação com tudo o que eu dizia ao mesmo tempo que achava que "não valia a pena" dar a sua opinião sobre o que quer que fosse. Nem uma ideiazinha que fosse, nem que fosse para dizer o hipermercado favorito. No entanto, calcorreando os blogs e fórums lá estão as opiniões luminares dessa pessoa brilhando à anos. Se calhar acaba por ser o destino final da lógica do imediatismo pragmático hedonista não é? Conhecimento descartável, à medida de nos permitir entrar argumentativamente em qq debate/discussão/fórum como participantes activos e n apenas como espectadores que seríamos se a discussão se passasse em tempo real. Não faltará muito para as lentes que manterão a pessoa sempre online para que possa manter-se em fervoroso debate sobre assuntos pelos quais não tem outro interesse que naquele momento ultrapassar em aparente fluidez lógica temática os seus antagonistas. Será apenas uma questão de melhor conhecimento de sites, melhor pesquisa. E pouco mais, infelizmente, claro, infelizmente...
Já agora sabes pq é que nunca se encontraram corpos de idosos entre as cinzas de Pompeia? Pq foram os primeiros a serem evacuados no porto da cidade, dado que eram eles os que estavam em condições óptimas de transmitir o saber nela existente. Claro que hoje a malta nova pegava metia tudo numa pen-drive e quem corresse primeiro, tivesse uma arma mais potente e mais dinheiro é que se safava ; ))))))))))))

Xelim,
Meu velho. Então foste tu que foste como anónimo ao meu blog meter lá esses links? ; ))))))) e nem me honraste com a tua aparição completa. Apenas um singelo anónimo e mais nada? Snif, snif, snif. Estou desiludido contigo pá. É por eu ser homem, é por eu ser gordo? E ainda por cima os links nem sequer funcionam (são meta-links, mudam ao fim de poucas horas...). Ou seja, nem para ser grunho consegues ser eficaz ; ))))))))) os comentários da ammedeiros falam por ela mesmo, alguém que seja mulher e não queira ir à bola contigo tem de te aturar. Eu só por isso já agradeço a Deus não ser uma gaja boa como o milho looooooooool loooooooooool looooooooool looooooooooool
A propósito do teu propósito ao citar a despropósito o propósito do post: se fosses tu a ser queimado quem poderia lamentar ou mesmo em consciência opôr-se a tão higiénica medida? ; ))))))) Mais: seria até feminista loooooooooool

Sorge, hombre,
Agora que o encontras-te não te vás, ou como dizia o Sanz à Shakira,
"No te vas... no te vas" ; ))))))))))

Aquiles,
Desde que não me venhas falar de reincarnação, amigos como dantes! ; ))))))))))))


P.S.,
Boss,
Eu percebi esse trocadilho do assaz = assar!!!!!!!!!!! Seu malandro!!!!!!!!!!!!! ; )))))))))))) E vê se te despachas no regresso à Tugalândia que para a semana estreia John Malkovich como Klimt num dos biopics mais aguardados, pelo menos dos mais aguardados por mim ; )))))))))

AMMedeiros disse...

noiseformind

Tens razão...
Um beijo.

mentecalma disse...

Um xelim é mais pequeno que um penny, não é?

mentecalma disse...

thorazine: deixei-te resposta no post abaixo.

mentecalma disse...

ammedeiros: porque deste troco ao xelim? Não vês que um xelim não tem troco?

thorazine disse...

noise,
a mim nem me dirigiste a palavra, para não mostrares o preconceito!

Xelim,
aprecio sim esse tipo de arte! Mas eu prefiro antes satisfazer-me corpóreamente do que andar a olhar para pixels! E tens de arrajar fotos de mulheres a sério, isso são "menininhas" para um xelim como tu que quer que os outros falem com ele! ;)))

Mário Santos disse...

Encontrei este link interessante sobre o catarismo

http://www.vallenajerilla.com/berceo/florilegio/inquisicion/cataros.htm

AMMedeiros disse...

mentecalma

Totalmente de acordo. ;)
Um Bj

andorinha disse...

Boa tarde.

Thorazine,
Claro que também dou razão aos mais novos. Achas-me preconceituosa?:)))

Aquiles,
Para mim também, a morte é só um momento, uma simples porta de passagem.
O que eu quis dizer foi que há mortes que provavelmente redimem uma vida, sei lá...

Noise,
Bom post, miúdo, a madrugada inspira-te:)
Concordo praticamente com tudo o que dizes, mas...
"Esta ideia de que o "outro" deve ser mantido vivo para que "nós" possamos interagir com ele até ao nosso triunfo, mesmo que sendo uma ideia altamente imperfeita, já é tranquilizadora, não é?"
Tranquilizadora não me parece, mas isto fica para uma discussão em tempo real.:)

"Conhecimento descartável, à medida de nos permitir entrar argumentativamente em qq debate como participantes activos e não apenas como espectadores que seríamos se a discussão se passasse em tempo real".
Infelizmente fico também com a sensação de que cada vez mais pessoas caminham nesse sentido.:(

E não percebo como conseguiste andar 15 dias a tentar conversar com uma pessoa que não conversava contigo.:)))
Não te sabia tão paciente. Loooooooooooooooooooooooool

ammedeiros,
Vou apenas dizer o que já te disseram: o desprezo é a melhor solução.
Os vermes não merecem que se perca tempo com eles.
Bjs.

Até mais logo, gente:)

AQUILES disse...

O DECLINIO DO IMPÉRIO AMERICANO
Filme a ver hoje no canal 2 da RTP. Obrigatóriamente. Quem não viu e não vai ver este filme, ficará para sempre um analfabeto do mundo contemporâneo. E amanhã "o 20 anos depois" intitulado AS INVASÕES BÁRBARAS. A ver, também, no canal 2 da RTP. Depois não digam que não avisei.

thorazine disse...

Andorinha,
preconceituosa tu? humm...não sei, mas não me parece! Mas ainda não falamos de coisas mais "hardcore" como por exemplo liberalização de drogas chamadas "duras" ou a liberdade de se poder criar um partido que defenda sexo com animais ou pedófilia! Eu sei que pode pode fugir um bocado ao preconceito, mas podem ser vistas com atitudes que extrapolam as nossas tradições e custumes ocidentais. Acho eu..

Noise,
Também gostei do que li mas espero que essa boca da memória não seja uma indirecta para mim..devido ao típico mito rural da degeneração dos neurórios devido a certas atitudes da juventude! :)))))))))

O resto, não me serviu a carapuça, já que eu esqueço-me facilmente desta conversa! hehehehe

Aspásia disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Aspásia disse...

Caros amigos:

Peço desculpa a todos. Tive hoje notícia de que minha médica ginecologista, que me seguia há 3 anos e me efectuou uma grande cirurgia em 2004, se encontra em estado de coma. A Dr.ª Lídia padecia de cancro há vários anos e estava já em quimioterapia desde que a conheci. Uma grande Mulher e Médica, continuou a trabalhar pela saúde dos outros, pondo-a à frente da sua própria, até lhe faltarem por completo as forças. Por vezes lhe vi no rosto cansaço e tristeza mas não deixou nunca de me receber e despedir com um sorriso e um beijo.
Muitas vezes se levantava a meio da noite para fazer partos de emergência.

Deixo esta pequena homenagem ao altruísmo desta Médica e de outros da mesma força e coragem.

Meus amigos, fiquem bem. Eu irei ouvir um pouco de música clássica de que ela também gostava muito.
Até breve.

6:15 PM

Carlos Sampaio disse...

A propósito de heresias cristãs, recomendo o romance de João Aguiar "O Trono do Altíssimo" sobre o Priscilianismo.
Passado numa cidade "próxima de si", neste caso Braga

mentecalma disse...

Foram atribuídos Os Webbys, os Óscars da Net:
http://sic.sapo.pt/online/noticias/vida/20060616webbys.htm

fiury disse...

boa noite

andorinha disse...

Aquiles,
Obrigada pelas sugestões, tentarei não perder nenhum deles.:)

Thorazine,
Como tu próprio reconheces, esses temas não se inserem no conceito de preconceito:), por isso não faz sentido discuti-los a esse nível.
Ganha juízo, miúdo:)

Xelim disse...

NOISE FOR CRIADOR DE GADO

«Dás troco ao xelim... e nessa troca vais recebendo os pence da sua vacuidade (sendo aqui o segredo ler "vacuidade" numa interpretação bovina mesmo... looooooool)»

mas NOISE como poderia haver uma outra interpretação, vinda ela dum bovino como tu???! Sorte a tua, a ammedeiros gosta de gado! (Atenção o Xelim não é anónimo nem aparece como anónimo. Logo, não respondo por anónimos!)

MENTECALMA

«Um xelim é mais pequeno que um penny, não é?»

têm ambos 5 letras, lol

«ammedeiros: porque deste troco ao xelim? Não vês que um xelim não tem troco?»

Enganaste-te. (Se bem que normalmente não me preocupo com os trocos.)

THORAZINE

«E tens de arrajar fotos de mulheres a sério, isso são "menininhas"»

Arranja tu!

«para um xelim como tu que quer que os outros falem com ele! ;)))»

Todos menos a andorinha, lol!

AMMEDEIROS

«mentecalma

Totalmente de acordo. ;)
Um Bj»

Um beijo para ti também (já tinha dado, mas agora acrescento mais um!)

ANDORINHA

«ammedeiros,
Vou apenas dizer o que já te disseram: o desprezo é a melhor solução.
Os vermes não merecem que se perca tempo com eles.
Bjs.»

Então porque te vês ao espelho???! As projecções da tua frustração não passam dos limites da tua cabeça.

NOTA FINAL

Noto que eu normalmente não me interesso por dar troca a lorpas (noise e andorinha, concretamente!) Posso analisar o comportamento dos lorpas, mas dar troco não me dá nenhum especial interesse. Se quiserem mais troco, imaginem, talvez fiquem mais criativos!

Xelim disse...

"troca a lorpas" - troca não é troca, é troco, lol

thorazine disse...

Andorinha,
pois, tens razão! Mas pode-se ter um "pré-conceito" bem enraizado que não deixa "embrenhar" em certos tipos de conversa! :)))))

andorinha disse...

Thorazine,
Claro que tenho razão!:)
Quanto a conversas não existem para mim, temas que sejam tabu, por isso, "embrenho-me" facilmente nelas.
Adoro conversar, portanto...
Agora tudo depende das circunstâncias, do local e dos interlocutores.:)))

E agora vou sair deste mundo virtual para o real, tenho gente à minha espera.

Porta-te bem, miúdo:)
Continuamos a conversa depois...

noiseformind disse...

Xelim,
Olha que o gado pode comer-se ; )))))) já o dinheiro... ; )))))))) e como estámos em crise e tal... ; )))))))))

Andorinha,
São questões que me fluiram ontem à noite, e ao ver as sugestões do Aquiles pensei em dois filmes, um já não está em exibicação. Wassup Rockers e Chumbsucker. Um mostra um grupo de 7 miúdos a sairem do gueto para as colinas de Hollywood. O segundo mostra a indifirença num bairro de classe suburbana alta americana, em que as pessoas não se conhecem, a começar por pais e filhos mas problema que se infiltra nas mais profundas amizades. Se calhar é isso. As amizades tornaram-se moedas de troca tão avulsas como a protecção no guetto ou o financiar de egos em grupos mais abastados. Se calhar é isso. Ou se calhar é outra coisa qualquer.

mentecalma,
O XNXX nunca é premiado ; (((((((((( xnif, xnif, xnif, xnif, xnif...

Thora,
O meu único preconceito vai para as mulheres que gostam de sexo oral mas depois não rapam os pêlos púbicos. Julgo que nestes tempos em que a heterossexualidade é acossada por todos os lados não devemos deixarmo-nos tentar pelo homossexual embrace de um bigodinho feminino ; )))))))) até pq no minete a "boca" dela está perpendicular à nossa e a "língua" está num dos cantos, o que já é claramente confusão que chegue, sem os convites homossexualizantes de um queirosiano bigode-morsa loooooooool looooooooooooool loooooooooooooooool looooooooooooooooooool loooooooooooooool
De resto sou contra todas as drogas que não as produzidas endócrinamente. A malta fuma ganza para ficar calma e rir-se de si própria, mete umas benzodiapinas para se manter dia após dia a navegar entre depressões que não são mais do que o reflexo da porcaria de vida que levam. Mete coca quando o ego precisa de um upgrade, mete X quando quer dançar... e quando querem fazer sexo bebem... bebem muito... com o que houver à mistura. Seja, admirável mundo novo, parabéns por ele. Eu por mim mandava a uma junta médica amanhã mesmo toda a gente que está a tomar anti-depressivos e ansioliticos à mais de um ano. E metia esses centros de avaliação ao lado dos CAT. Drogados em legais e ilegais teriam muito de que conversar.
"Droga" é uma terminologia própria de entusiastas e detractores. Para mim não há linha. Droga é droga. A partir do momento em que a nossa personalidade tem de ser moldada por um comprimido para sermos "aceitáveis" então estámos drogados. Quando a felicidade ou a capacidade de integração social está numa pastilha, seja legal ou ilegal, a tua vida já não te pertence. Portanto acho piada à forma como vais metendo aqui esta e aquela droga ou exemplo de que certa droga tem esta ou aquela cultura. Não acho diferente haver uma Igreja da Maconha como haver psiquiatras que se limitam a perguntar: "A semana, foi boa?" e a uma resposta de "os comprimidos estão a ajudar" mandam ao dealer o agarrado buscar o produto, sendo aqui o dealer a farmácia. Provas? Os jantares de grupos sociais, que vão passando do esfriamento geral inicial para o aquecimento final à medida que várias drogas vão sendo consumidas (legais e ilegais).
A malta no filme Chumbsucker passa o tempo a meter pastilhas legais, e assim ficam a ouvir os seus próprios pensamentos e já não precisam nem sentem estranho não se ouvirem uns aos outros. Não vejo diferença entre um pai que partilha os seus medz com o filho e um outro pai que empresta ao filho um saquinho de coca. Aliás, em Espanha esta semana tem sido uma festa. Várias mães foram presas por darem coca e heroína aos filhos. Estranho, não vejo essa preocupação em fazer exames aos miúdos que andam entupidos pelos pais a Zoloft, Paxil, Prozac, etc. Portanto lamento não me juntar a ti no grito de "vamos legalizar esta ganzazinha". Não, devemos é proibir a malta de se alterar em termos de comportamento. Um mundo em que ninguém possa alterar o seu estado de consciência parece-me um mundo muito muito melhor em que permitimos que mais pessoas alterem de mais formas o seu estado de consciência. Mas para isso estar deprimido devia passar a ser um direito, e mandar o mundo À merda deveria ser uma forma de comunicação e não motivo para despedimento...

thorazine disse...

Noise,
Até que em fim uma resposta! Tava farto do ignoranço...deves ser um tipo pouco trabalhador, deves...

Bem, há ai pontos em que estás a contrapor ideias que eu nem tenho, por isso não vejo o porquê de tocares nisso. Sou contra os consumos excessivos e não examinados! Aliás, o grupo de drogas até que eu partilho alguma afinidade não são as "pastilhas", nem as "cocas", nem o alcool nem nada que possa toldar ou moldar a personalidade. Não sou a favor do soma do Aldous Huxley no seu "Admirável Mundo Novo". Mas como já disse,entrando no âmbito das liberdades, condeno não haver essa escolha..mas pronto, sei que aqui com esta ideia não tenho muitos amigos. Mas não posso deixar de a partilhar pois sou acérrimo defensor que "da pele para dentro" niguém têm o direito de dizer o que posso ou não posso fazer. :))

Estava a falar de outras substâncias, em que já foi provado o seu benefício quando utilizado com as devidas precauções. Neste site têm grande parte da pesquisa feita sobre várias substâncias ---> http://www.maps.org/research/ ! Isto são provas ou achas esta ciência muito "drogada"? (hehe) Ou nem vais dar a mão à palmatória porque DROGA é DROGA? Não estou a falar em consumo recreativo, estou a falar em medicina para a mente. E se me disseres que o risco social não compensa é porque talvez consideras que uma doença mental é menos importante que uma física, já que se utiliza na medicina muitos químicos muitos mais próximos toxicidade do que a maioria destas drogas. Mas eu sei que tu sabes também que o SPT, a frigidez, a depressão e mais uma série de desregulações mentais podem estragar bem mais a vida a uma pessoa do que ela tivesse algum dano físico. Mas, apesar das evidências ninguém quer nem sequer olhar para o assunto pois todos logo à partida pensam como tu, droga é droga. Achas que as drogas têm todas o mesmo significado? O Alcoól têm o mesmo papel que as drogas imuno-supressoras para os transplantados? Porquê meter TUDO no mesmo saco? Não achas uma substância que reduza a ansiedade num câncro terminal uma substância importante? Não achas uma droga que dissolva "barreiras" numa família quando um membro desta só têm um meses de vida é no mínimo benigno? A sério, give it a chance, dá uma olhadela no tema mesmo que no fim fiques com a tua ideia de "cabeça limpinha"! hehe

E pralém de medicina, muita gente usa como falei lá em cima, para exploração espiritual ou para exploração da sua propria mente! Achas errado? Achas que pessoas totalmente integradas numa sociedade que cumprem com todos os deveres cívicos, morais e jurídicos deverão ser julgadas só por não se contentarem com as endorfinas endócrinas tal como tu? Achas que deve haver liberdade de expressão mas não achas que devemos poder alterar a nossa neuroquímica como almejarmos? Só porque para ti sobriedade é ser humano, pode não ser para todos..

Eu sei que tradição não é desculpa, mas a nível médico pelo menos é. Sabes bem que as classificações práticas vêm dos homnídeos e que tudo o que não fosse benigno para o corpo era retirado para fora dos alimentos ou medicinas. Então porquê é que há tradições com o uso de substâncias "curativas" alucinogénicas, como por exemplo a ayahuasca, que duram à milénios? Achas, num olhar mais antropológico que os rituais continuariam? Ayahuasca e o cancro --> http://www.maps.org/news-letters/v08n3/08322top.html

Foi muitos anos a ouvir dizer que a DROGA é má não foi? "Eles" já mexeram ai dentro..é melhor releres o Admiravel Mundo Novo! :)))))))))))

Em relação a outras drogas que não há evidências de valor médico ou espiritual, como a Cocaína, Heroína, Alcóol, Tabaco, PCP, etc defendo que deveriam ser legais simplesmente porque acho que é uma liberdade que todos os seres humanos deveriam ter! E creio, que assim, com as drogas legalizadas e com informação bem espalhada sobre os prós e contras como fazem do tabaco e do alcóol (só têm contras não é verdade?) só iria consumir quem realmente queria. Aliás, já li num livro de economia que até economicamente a longo prazo a legalização teria prós. E a nível de consumidores está mostrado na Suiça que o número baixa após a legalização, como podes ver! ---> http://www.ibgf.org.br/index.php?data%5Bid_secao%5D=2&data%5Bid_materia%5D=895

Mas pronto, estas defendo tal como defendo a eutanásia, o aborto, a não obrigatoriedade do uso do cinto de segurança e mais uma série de atitudes "papai" que o estado tÊm para conosco. Não tenho interesso nenhum em matar-me, ficar parapelégico, consumir coca ou heroína ou mesmo em não usar cinto de segurança..simplesmente acho que é uma opção a tomar por cada um!

Não quero obviamente que te juntes a mim no grito "vamos legalizar a ganza", só queria dizer o que penso, mais nada. :))))
Acredites ou não, não sou consumidor de grandes drogas! Cafézinho e charrinho! Já lá vai uns anitos desde a útlima trip..:)))

Só queria mesmo que lêsses antes de condenares tudo e pores no mesmo saco sem dares sequer uma chance de veres outra prespectiva do assunto. Eu sei, ou imagino, que depois de ver muitos toxicodepêndente à frente, muita da degradação social provocada pelas drogas, sejam elas a fluoxetina ou a heroína se diga não a tudo (,por isso disse que não ia ter muitos amigos), mas eu acho que meter tudo no mesmo saco não é um olhar lançado à luz da razão.

Não sou nenhum daqueles "New age" que acredita nos poderes das pirâmides ou que as drogas vão salvar o mundo. Só acho que poderão ter benefícios ou resultados benignos para o homem, assim como a internet ou uma futura cura para o cancro poderia ter! :))

Se deres uma chance, leres e disseres que não gostastes tudo ok! Cada um têm direito À sua opinião. Mas agora eu falto-te numa religião em que utiliza uma substância num rito sagrado e que está provada a inocuidade da substância, http://www.udv.org.br/portugues/downloads/01.rtf , e tu vens-me falar de miúdos a bombar no pacha de Ofir cheios de pastilhas na cabeça. Diz-me lá, com bom senso, se não juntaste um par de meias erradas? :))))))))

Não compreendo a tua ideologia de um mundo sem drogas. Acreditas mesmo numa lei seca? Acreditas mesmo que seria BOM o estado controlar o que comes, o que bebes, o que fumas? Que eu saiba, literalmente, eu sou o que "meto para a blusa". Á excessão do que é excretado, os átomos que me constituem são de tudo que ingeri até hoje pois esta carninha teve de vir de alguma lado! Achas mesmo que o estado deve ter opinião no que somos e no que pensamos? Pode ser filosófico, mas acho que a razão está lá! :))

Bem, já é tarde!
Vou tomar o meu cházinho, uma droga bem mais social e meter-me na caminha a liberdar endorfinas. POT! "Post Orgasmic Tranquility"
(Gostasteis do trocadalho? Do carilho! :))

Abraços! :))))))))))

AQUILES disse...

Noise (3:32)
Very

Thora (5:50)
Gosto do teu lado anarquista. Mas ainda te falta muito para ver neste mundo. A malta, conforme vai aprendendo, ... .
Um Bom Fim de Semana

noiseformind disse...

Aquiles,
C'est la vie, mon frére...

noiseformind disse...

"Mas pronto, estas defendo tal como defendo a eutanásia, o aborto, a não obrigatoriedade do uso do cinto de segurança e mais uma série de atitudes "papai" que o estado tÊm para conosco. Não tenho interesso nenhum em matar-me, ficar parapelégico, consumir coca ou heroína ou mesmo em não usar cinto de segurança..simplesmente acho que é uma opção a tomar por cada um!"

"Eu sei, ou imagino, que depois de ver muitos toxicodepêndente à frente, muita da degradação social provocada pelas drogas, sejam elas a fluoxetina ou a heroína se diga não a tudo (,por isso disse que não ia ter muitos amigos), mas eu acho que meter tudo no mesmo saco não é um olhar lançado à luz da razão." (se isto não é meter tudo no mesmo saco, então é o quê?)

Over and out, meu caro, over and out. Conheço malta de 14 anos que consegue fazer mais lógica que tu. E sem ir copiar as ideias ao ritmo de um link por parágrafo. Metes no mesmo saco coisas que não têm nada a ver entre si, uma espécie de Bloco de Esquerda mas sem pragmatismo nem lucidez.


E acabas, na euforia de ir encontrando links que defendem as tuas ideias, por defender ideias CONTRÁRIAS ás tuas próprias. Sim, pq eu fui a http://www.ibgf.org.br/index.php?data%5Bid_secao%5D=2&data%5Bid_materia%5D=895 e lá não fala de legalização mas sim da introdução de programas de metadona. Aliás, os 4 pilares da polícia suiça, logo esplanados no primeiro parágrafo são:

"Na Suíça, a política sobre o fenômeno das drogas está apoiada em 4 pilares: 1) prevenção- (incluída a chamada saúde preventiva)- 2) terapia (integração social quando encerrada a terapia), 3) redução de danos e 4) repressão."

http://www.maps.org/news-letters/v08n3/08322top.html refere-se À experiência de uma só pessoa.

E em http://www.udv.org.br/portugues/downloads/01.rtf temos que:

"Embora não seja a única religião sincrética brasileira a usar a hoasca como sacramento ritual (o culto do Santo Daime sendo maior e mais amplamente conhecido), a UDV tem a mais forte estrutura organizacional, assim como a mais disciplinada irmandade. De todas as igrejas hoasqueiras no Brasil, a UDV foi também a mais ativa em convencer o Conselho Federal de Entorpecentes (Confen) a remover a hoasca da lista de drogas banidas, o que foi obtido, em 1987, para uso em contexto cerimonial religioso."

Portanto, não é nenhumo movimento para uma eventual legalização de drogas, my dear.


Portanto, eu se fosse a ti apresentava uma moratória para o Google apresentar mais textos nos resultados das buscas, ok? Sempre fazias menos figura de ignorante. E eu sempre perdia menos do meu tempo a ver links para confirmar o ignorante que és, ok? MAs pronto, se deixares o vício de mostrar uma intelectualidade de que não és possuidor mas que vais alugando comentário a comentário eu passo a dar-te troco, combinado?

Abraços e beijinhos, Noise.

noiseformind disse...

Na Holanda já têm o seu próprio partido, na Internet já têm a sua própria rádio, a sua própria rede de blogues e mesmo um "forum for people who are engaged in scholarly discussion about the understanding and emancipation of mutual relationships between children or adolescents and adults. e até mesmo um site que ajuda a lidar com as "contrariedades" da vida diária de um pedófilo, como por exemplo aqueles irritantes pais que não querem deixar as miúdas expressarem aos 6 anos toda a sua volúpia.

No manifesto ideológico deste site tem mesmo uma frase que faria as delícias de qq puto de 6 ou 7 anos proibido pelos pais de jogar PLAYSTATION:


Article 22: Role

Parents and legal guardians shall have the role of steward19 of a minor living in their household. Parents shall not presume to own the minor or to have any special rights to prevent that minor from the full exercise of his civil rights. Parents or guardians shall also not presume any right to the minor’s property or income; they shall act only as trustees of any accrued wealth until such time as the minor is prepared to take responsibility for his own economic affairs.


Sou só eu que penso que a coisa está a sair do controlo ou há mais alguém enojado?

Começo a ficar preocupado. Tenho acompanhado a evolução destes sites e, comparado com à 5 ou 6 anos estão EXPONENCIALMENTE desenvolvidos e cuidados. E cada vez há mais e mais malta a falar abertamente deste "problema" de haver entraves ao amor entre adultos e crianças.

noiseformind disse...

"Teleiophile: A minor who is romantically and/or sexually attracted to adults."

Pela lógica deste site os putos só se safam de abusar dos cotas pq são menores de idade looooooooooooooooooooool looooooooooool looooooooooooooooool loooooooooooooooooool looooooooooooooooooooooooool loooooooooooooooool looooooooooooool looooooooooooooooooooool looooooooooooooooooool looooooooooooooooooooooooooooooool

noiseformind disse...

Esta vai mesmo sem comentários... ou melhor... com o comentário de vos alertar para um pormenor. O artigo 28 da proposta deste site é o mais extenso e define a regulamentação da pornografia infantil. Portanto, preocupam-se muito com o bem-estar das crianças mas interessam-se mais por regulamentar a pornografia com elas...


"Article 14: Citizenship

Children become youths at the time of puberty and have a right, but not an obligation, to all of the privileges and responsibilities of citizenship from this time. For the sake of legal clarity, the legal age of puberty should be determined as the median age of puberty in the general population, rounded down to the year. The legal age of puberty shall be the same for both males and females. Youths who remain under the care of parents or guardians may elect to abrogate any of these rights until such time as they feel that they are capable of assuming them. In such cases, they will, for legal purposes, remain dependents.
Article 15: Emancipation

Youths who have decided to assume the full rights of citizenship shall be considered to be emancipated. At the time of emancipation, they shall receive an identity card that will allow them to prove their emancipated status in any establishment, enabling them to exercise their full rights without restriction.
Article 16: Age Discrimination

Emancipated youths, as full citizens of the republic, shall not have on them imposed any restrictions based upon their age. They shall have the rights to vote, to work, to attend educational institutions, to be informed about and choose to undergo any medical procedure, to obtain any prophylactic or anticonceptive device without question, to take tests to license themselves for the operation of machinery, to enter into contracts, to purchase and consume any substances that are legal for adults to consume and to engage in any physical and sexual activities that are legal for adults to engage in. They shall also be subject to all of the civil and criminal penalties of breaking the law.

Whilst children do not share the rights of full citizens, they have the right to full access to any information that will help them prepare for full citizenship, the right to privacy and the right to engage in any activity that does not cause them bodily harm.

Article 27: Age of Consent

The age of consent for penetrative sexual activity shall be set at the legal age of puberty as defined in Article 14. Other forms of physical intimacy shall not be restricted for any age and no restrictions shall be made on intimacy between any persons, regardless of age differences between those persons. The only criteria for the legality of any sexual activity between any child and youth or adult is the consent of all of the parties involved on each occasion and that none of the activities causes bodily harm to any child. Previous consent to sexual activity shall not be assumed to be ongoing consent and consent to one act shall not be assumed to be consent to further acts on the same occasion. Any party has the right to withdraw his consent at any time. The use of force, coercion or manipulation by any party to obtain sex from any other party shall be punishable under the relevant rape, sexual abuse or harrassment statutes.

Article 28: Erotica

Emancipated youths, having the full rights of citizenship, shall be subject the same laws as adults regarding the production and distribution of erotic material that they have participated in.

Producing and distributing still images, videos, or other depictions of dependents that are either nude or engaged in sexual activity, either solo or with other persons, for commercical gain, shall be legal if the prior written consent of all participating dependents and their parents was obtained in advance, so long as no illegal activities are depicted or recorded and all participating dependents are compensated with a reasonable share of any profits.

Producing still images, videos, or other depictions of dependents engaged in sexual activity, either solo or with other persons, for personal use, shall be legal if the prior informed consent of all parties and the parents of dependents was obtained in advance and all of the activities depicted or recorded are legal. Such images or depictions may not subsequently be distributed commercially, nor may they subsequently be distributed to other persons without the written consent of all participating dependents and their parents.

Producing still images, videos, or other depictions of dependents that are nude, for personal use, shall be legal so long as the dependents involved are aware that they are being photographed or recorded and implicitly consent to it. Such images or depictions may be distributed commercially with the written consent of participating dependents and their parents and provided that the dependents are compensated with a reasonable share of any profits, and may be distributed non-commercially to others with the implicit consent of the dependent.

Upon emancipation, youths have the right to terminate their consent to the further commercial production or distribution of any erotic productions they may have participated in as dependents, as well as to renegotiate the terms of any ongoing or subsequent participation.

Producing and distributing still images, videos, or other depictions of minors that are either nude or engaged in sexual activity, either solo or with other persons, without the knowledge of the dependent, either by use of hidden equipment or when the minor was unconscious or otherwise unable to provide consent are illegal.

Virtual depictions of nude minors or minors engaged in sexual activity, either solo or with other persons, produced for commercial gain, shall be legal under all circumstances so long as the activity depicted is legal, but shall not so closely resemble any specific minor or minors that it is not possible to distinguish that the image is artificial, without the written consent of the minor(s) whom the image resembles.

Virtual depictions of minors engaged in illicit sexual activities shall be legal so long as it is possible to clearly determine that the depictions are artificial, and are not fashioned to closely resemble any particular minor or minors.

Written descriptions of minors engaged in explicit sexual activity shall be legal. If any specific minors are named in the literature, their written consent and the consent of the parents of dependents must be obtained beforehand and the activity must not be illegal. Written descriptions of illegal activities shall be legal so long as no specific minors are named in it."

noiseformind disse...

E pronto malta. Aguardemos agora em paz a kavazada ao Irão. Até já...

Cleopatra disse...

Os Cátaros e o fascínio que exercem sobre mim. Quer pela rebeldia, quer pela diferença, quer pela injustça cometida. A única cruzada contra Cristãos.
Por medo, por inveja, por ambição.

Henrique Doria disse...

O essencial da doutrina dos cátaros é algo que penso ser cmpletamente inaceitável: o corpo ( a matéria) é um produto do mal, isto é, do demónio ( etimologi-camente, o mal cheiroso) e a alma um produto de Deus.
Mas não deixo de admirar os cátaros,o heroísmo da sua resistência face à abominável cruzada que a Igreja Católica, dirigida por esse criminoso que era Inocêncio III, contra eles desenvolveu, antecipando o holocausto nazi.
Mas não creio que Belibaste tenha corrido para o suicídio.Apenas não percebeu que os cátaros estavam aniquilados.

thorazine disse...

Noise,
"Over and out, meu caro, over and out. Conheço malta de 14 anos que consegue fazer mais lógica que tu. E sem ir copiar as ideias ao ritmo de um link por parágrafo. Metes no mesmo saco coisas que não têm nada a ver entre si, uma espécie de Bloco de Esquerda mas sem pragmatismo nem lucidez. "

Podias ter dado uma explicação, sempre era melhor do que o simples ataque. Estou aqui prontinho para aprender. Não sou nenhum puto com a mania que é intelectual, só uso os links para defender as minhas ideias com dados factuais. É verdade que meti água naquele! :) Mas mesmo assim te digo que não sou contra o programa de substituição/desentoxicação. Não acho que nenhum consumidor crónico de heroína não a queira deixar, mas isso deverá estar nas mãos dele.

Em relação à UDV, se lêres bem não disse que era um movimento pró-legalização, só falei que era um grupo religioso que utilizava uma substância nas cerimónias e que tinha sido feito esse estudo. Em relação ao resto não comentaste por isso levo como uma aceitação da tua parte, mas eu não te roubo mais tempinho nestes assuntos de ignorantes drogados.. ;)

E não, não alugo intelectualidade ao google para vir para aqui postar. Não tenho necessidade disso..mas tu lá tiras as tuas conclusões do que lês. Não ando aqui a vender o peixe de ninguém, nem ando a defender ideias de niguém ao "ritmo de um link"! Mas, como também não tenho necessidade nem método de te provar, é escusado esta converseta! Como já andas à uns anitos já deves bem conhecer estas "shituations" e este tipo de pessoas da net! Mas eu sou um ignorante honesto que ando por aqui a aprender e só tentei partilhar as minhas ideias com alguns factos! :))))

Ps- Afinal sempre havia uma razão para não haver troco! :)

Abraços e beijinhos!

Aquiles,
Não não sou nem de perto nem de longe anarquista. Tenho bem a noção da importância das regras em sociedade.. :)

fiury disse...

thorazine

o teu comentário sobre as drogas faz todo o sentido,(mas para conseguirmos uma educação na liberdade para a responsabilidade ainda temos que esperar uns anitos).
mais doque isso é de louvar que defendas as tuas opiniões com moderação,sem preconceitos nem agressões.

Xelim disse...

(Eu e a ammedeiros fazemos uma dupla de arrasar)

-

A minha análise de

1) Dr. Julio

Tipo de Personalidade: Psiquiatra Humanista

Razões da criação/existência do seu blog:

1. Desenvolver o espirito de camaradagem

2. Promover a solidariedade

3. Como o Dr. Júlio tem um certo gozo no pensamento abstracto, corresponde também um certo desenvolvimento/incentivo do pensar abstracto no seu blog.

2) Andorinha

Para recordar sempre:

«ammedeiros,
Vou apenas dizer o que já te disseram: o desprezo é a melhor solução.
Os vermes não merecem que se perca tempo com eles.
Bjs.»

Tipo de Personalidade: Sociável Frustrada

Razões da presença no blog do Dr. Júlio: Socialização (alias, vai aos seus jantares), e também promoção de auto-estima

Reflexos de comportamento observados: A frustração. Este modelo de frustração observado na Andorinha é relativamente comum. Podemos perceber mais rapidamente se postularmos o modelo, e depois, observamos a compatibilidade. Então consideremos um indivíduo que acumula frustrações. Mas como não lhe convém admitir as suas frustrações, pois isso pode lhe trazer ainda mais frustração, então vai enterrá-las no seu subconsciente, saturando-o. O que acontece agora é que perante a possibilidade de libertar esse excesso de frustração, um pequeno detalhe pode ser suficiente, para se dar essa erupção. Daí aquela manifestação (desproporcionada) transcrita acima que comporta um fenómeno de resposta típico e não um acaso.

(acho que já acabei a tinta para este mês)

Fora-de-Lei disse...

Vim aqui dar uma vista de olhos com a esperança de ficar um pouco mais animado mas já vi que anda por aqui alguma palermice...

andorinha disse...

Boa noite

Fora de lei(9.23)

Estás desanimado???
Cheer up, man:)
Quanto à palermice passa-se ao lado e continuamos o caminho.:)

Noise,
"Droga é droga. A partir do momento em que a nossa personalidade tem de ser moldada por um comprimido para sermos "aceitáveis", então estamos drogados."
Que exagero, miúdo!
Nunca percebi uma coisa: se uma pessoa tem por exemplo um problema cardíaco e tem que tomar forçosamente medicamentos, sob pena de ir desta para melhor, por que é que uma pessoa que tenha uma depressão não haverá de tomar, se o médico achar necessário, também medicamentos. Todos os medicamentos têm efeitos secundários que eu saiba, é necessário é gerir a sua toma eficazmente.

Thorazine,
Também não meto tudo no mesmo saco, há drogas e drogas.
"...cocaína, heroína, alcool, tabaco deviam ser legais porque é uma liberdade que todos os seres humanos deviam ter."
Não concordo. Mesmo com informação generalizada como dizes, não iria consumir só quem queria.
A informação só não basta, não vês o que se passa com a questão da sida e do preservativo? As pessoas têm informação, mas estão-se marimbando para ela.
E sou totalmente contra a legalização pelo estado dessas drogas.Não faz sentido legalizar uma coisa que é prejudicial.
Mas eu em parte entendo-te, quando tinha a tua idade também pensava de certa forma como tu. Depois a vida vai-nos ensinando a pensar melhor.:)))))

Lusco_Fusco disse...

Boa noite a todos!
Professor, espero que esteja a divertir-se bastante.
Viagens são também recolha de dados, despertar de cliques e viagras de inspiração :))))
O útero verde, dará o aconchego e o gango, aos "zoidinhos" viajados, num óvulo sempre pronto a albergá-los e a provocá-los para novas viagens de sonho. O clímax, será o jorrar de alfabeto na folha perene, com legados de conhecimento, experiência e sonho. Um novo romance :)))
Um abraço
MJ

P.S. No “útero verde” saberá o significado de “gango” (é um regionalismo):))) Tudo de bom.

Lusco_Fusco disse...

Olá, Andorinha!
Voas rápido :))))
Jokas

andorinha disse...

Lusco_fusco,
Tu é que estás inspirada!:)))
Já vou entendendo alguns regionalismos:)
mas o que raio são "zoidinhos"?:)

andorinha disse...

Lusco_fusco,
Sabes como é...lá por cima não há trânsito.:)

andorinha disse...

Não ligues, já percebi.Loooooooooooooooooooooooooool
Às vezes sou de compreensão lenta:(

noiseformind disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Aspásia disse...

Professor

Espero que tudo esteja a correr bem... e não tenha entrado como noviço catarista no convento de Prouille, seduzido pelos néctares e ambrosias das Irmãs albigenses...

Sendo esse o caso, Frei Júlio, desde já vos osculo a fímbria do hábito... ;)))

thorazine disse...

Andorinha,
"A informação só não basta, não vês o que se passa com a questão da sida e do preservativo? As pessoas têm informação, mas estão-se marimbando para ela."

Então achas que o único remédio é a abstinência? Achas que a atitude da igreja perante o vírus é a correcta ou ainda influencia mais a desinformação generalizada? Sabes quem "ensina" o efeito das drogas aos miúdos? É o dealer, é aquele tipo que só está preocupado em despachar o "produto" e fazer coroas! O estado só diz: "Droga, Loucura, morte"! Achas que alguém se acredita? Isso actualmente passa com uma piada social e a maioria das pessoas pensa que se isso é mentira tudo o resto também! O que não é verdade! Ou seja, mais gente desinformada e mais acidentes acontecem! Eu sei disso porque é o que se passam com muita gente que eu conheço...

Para mim, o falar abertamente das coisas, sem julgamentos e sem proibições, tal como no sexo, é a melhor forma de lidar com o problema das drogas recreativas.

É verdade que sou novo e que as minhas ideias provavelmnete irão mudar, mas eu vou sempre procurar a lógica para as modificar! E realmente não vejo maneira de encontrar lógica num assunto como a proibição ser eficaz. Tanto para as liberdades pessoais como para a ínformação generalizada sobre essas matérias! Porque, se pensares bem a proibição actualmete só afecta o tráfico, o consumidor comum dificilmente têm problemas com a polícia! Ou seja, a proibição não é lá muito eficaz na redução de consumidores, quase que filtra é somente a informação factual. A minha ideia é trocar os traficante pelo estado, e acabar com o abastecimento monetário do crime organizado e tráfico de armas (que na maioria vem das drogas) e passar esse poder e controlo para o estado. Sinceramente acho iria existir um muindo bem mais salutar que actual!

Mas pronto, é verdade! Podem ser alegar: "É novo, não pensa"! E eu, em relação a isso, estou impotente porque só o tempo irá resolver! :))))

Fiury,
Gracias. Mas eu acho que era altura que começar a fazer "a caminha" com informação factual sobre os verdadeiros problemas da drogas. É verdade que um mera legalização traria muitos problemas actualmente. É necessário informar para depois, lentamente, introduzir as substâncias num estatuto legal..


Abraços e beijinhos! ;)

andorinha disse...

Thorazine,

Não distorças o que eu digo. Onde disse eu que o único remédio é a abstinência????!!!!
Cruzes! Deus me livre de dizer ou pensar semelhante disparate.
Eu só queria fazer um pouco o paralelismo. Em relação à sida as pessoas também têm informação e , no entanto, cada vez existem mais casos.

A proibição não é eficaz, mas a legalização também não seria. Falar-se abertamente é uma coisa ( e isso advogo totalmente), legalizar algo que é nocivo não me parece o caminho mais indicado.
Mas aqui precisava de ouvir opiniões abalizadas tanto dos que são a favor como dos que são contra, para poder ter uma opinião mais fundamentada.
Mas penso que em nenhum país essas drogas estão legalizadas, o que quererá dizer alguma coisa:)

E atenção que eu nunca disse "é novo, não pensa". Como já te disse, não tenho desses preconceitos:)

thorazine disse...

Andorinha,
não distorci! Era o paralelismo que eu queria fazer também entre a tentativa de proibição num e noutro. E que não resulta!
A intenção não era afirmar o que tu pensas, somente fazer o tal paralelismo! :))

Para se falar abertamente é preciso ter dados, e a maioria desses dados não existem pois não é permitido fazer esses estudos. A maioria dos estudos feitos pelos norte-Americanos não foram parciais. Inclusivé, numa dessas experiências um director de pesquisa "enganou-se" e em vez de administrar a substância pura do vulgo ecstasy, o MDMA, trocou e administrou MDA, uma substância bem mais tóxica. E apartir dos resultados deste estudo foi feita uma campanha sobre os danos cerebrais do ecstasy. Mais tarde, após a verificação por um conceituado grupo de trabalho, ele admitiu o "erro"! Uns anos depois da campanha estar bem enraizada.

Segundo, como toda a gente sabe, a maioria das drogas de rua têm a pureza comprometida o que torna qualquer experimentação PERIGOSA e de alto risco pois estasse à mercê dos conhecimentos de um "dealer"! Não acho que é uma medida protectora a proibição, sinceramente. Porque a "guerra à drogas" nunca irá ter fim, ou seja, vai existir sempre consumidores de substâncias no mercado negro.

Pois, andorinha, eu sei que já por si é confuso as pessoas quererem consumir algo que é nocivo para elas. Mas a meu ver nós, devido à idiossincrasia de cada um ninguém pode decidir pelos outros, o que cada um deve ou não fazer com o seu corpo e com a sua mente. Por exemplo, é completamente estúpido para mim o suicídio ser crime. Uma pessoa que se demonstre apta mentalmente para tomar decisões deveria poder acabar com a vida de uma forma digna e não "em crime"! Para mim não faz sentido o estado entrar nesse campo da nossa vida. Não é protecção de forma alguma porque quem quer consome, quem quer mata-se. E de forma alguma, o legalizar é insentivar. Não é pelo tabaco ser legal que o estado insentiva a fumar, tal qual como o alcóol! Acho que nada que prejudique terceiros deveria ser ilegal. Pelo menos o meu conceito de liberdade é este.

E sim, no México, actualmente, é legal possuires contigo certas quantidade de qualquer droga. Mas,aliás, não é por não ser legal ou ilegal num país que significa que é certo ou errado. Ainda à uns séculos a Terra era o centro do universo e na visão de todos os "estados" isso era correcto. Ainda até à pouco tempo atrás era "legal" bater na mulher, o que não queria dizer que isso era correcto. Ainda não chegamos à prefeição, todas as leis que não foram criadas ou retiradas não significa que tais atitudes ou comportamentos são correctos ou não! Há é muitos lobbies. Toda gente sabe que há grandes "trafulhices" no governo. É preciso estar é "à coca" para não se dizer que sim a tudo, só porque "eles dizem" que está certo! Em relação a este assunto, pelo que li e ouvi até então, eles estão errados.

Mas pronto, é só a minha maneira de ver, não estou aqui a impingir nada.

Eu sei que não disseste exactamente isso, mas ao dizeres que eu vou mudar de opinião com o passar da idade deixa-me sem argumentos pois só o tempo irá resolver, não é? Foi na brincadeira! Eu sei que é umas leis da vida. Mas também sei que qualquer pessoa com "dois dedos de testa" (,salvo seja), se perder um tempinho a pesquisar sobre o assunto e ver "os dois lados da questão" consegue mudar nem que seja um bocadinho da opinião! É como em tudo! :))

thorazine disse...

Bem, aqui está o suposto erro no estudo sobre ecstasy --> http://observer.guardian.co.uk/drugs/story/0,11908,1037045,00.html !

andorinha disse...

Thorazine,
Como tu próprio dizes "para se falar abertamente é preciso ter dados, e a maioria desses dados não existem, pois não é permitido fazer esses estudos."

Como já disse em cima, concordo que se fale deste assunto abertamente, mas gostaria de ouvir argumentos bem fundamentados tanto dum lado como doutro para poder tirar as minhas conclusões. Acho que maior abertura do que esta não posso ter. Isto é uma parte da questão.
Por outro lado faz-me confusão que haja tanta gente, jovens sobretudo, que acham que a vida é uma merda se não recorrerem a essas substâncias. E isto não é um discurso moralista, mas confesso que me impressiona imenso ver tanta gente destruída por causa das drogas. Tu achas que elas têm o direito de se auto-destruir e ninguém deve interferir. E quando as pessoas querem voltar atrás e já não conseguem? Quando os danos são irreversíveis? No início as famílias, os amigos, etc, não sofrem também?

"Acho que nada que prejudique terceiros deveria ser ilegal. Pelo menos o meu conceito de liberdade é este."
Não percebo! Acho que falta um "não".
Não prejudica terceiros? Mas se vamos por aí o tabaco também prejudica terceiros e é legal....
E não venhas com comparações com o suícidio, é uma área completamente diferente.
E claro que as coisas evoluem, basta ver os exemplos que citaste e muitos outros; resta saber se o que tu defendes seria evolução ou involução.
Temos ideias diferentes sobre isto, tu ficas na tua, eu fico na minha e amigos como dantes.:)))

P.S.Diz-me só uma coisa: para um miúdo de 19 anos é este o grande problema existencial???

thorazine disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
thorazine disse...

Andorinha,
Concordo que a abertura maior é essa, fazer por ouvir sempre os dois lados da questão. :))
A mim também me faz confusão a necessidade de satisfazer o corpo com o prazer imediato, de forma repetida e destrutiva para o corpo e para mente somente pelo prazer. Como já disse para trás, so tenho empatia por drogas que se mostrem com propriedades benignas. Mas a minha questão é mesmo da liberdade de o poder fazer, nada mais!

Sim, desculpa, falta ali um "não". Queria dizer: "Acho que atitudes ou comportamentos que não prejudiquem terceiros não poderiam ser ilegais"! Em relação ao tabaco sou completamente a favor uma lei que proíba o fumo em locais públicos fechados, eu não tenho nada que levar com o fumo dos outros.

Comparações do suicídio ou eutanásia foi no âmbito das liberdades! Só para referir um exemplo mais em que o estado diz o que deves ou não fazer ao teu corpo. Mais nada! :)

Claro que nunca vou ficar "chateado" com alguém só por ter uma opinião diferente da minha. Acho que todos os que aqui vêm dar a sua opinião não estão só à espera que todos digam que sim. Da discussão nasce a luz, dizes sempre tu! E isso aplica-se para os dois, eu tabém estou aqui para ver e captar o que me interessa das opiniões contrárias! Amigos, claro! :)))

E não, não é nenhum problema existêncial. Adoro o tema da liberdade e a discussão surgiu! Os meus problemas são outros... :))))))))

Beijinhos

andorinha disse...

Thorazine,
Eu sei que não ias ficar chateado por termos opiniões diferentes e as expressarmos. Se achasse o contrário, não "perdia" tempo contigo.:))))))))

Continuo a achar que da discussão nasce a luz. Já disse aqui uma vez que com o Murcon aprendi a ser mais tolerante e a ter em atenção pontos de vista diferentes dos meus. Por isso, agora, estou sobretudo atenta a esses, desde que me pareça que a pessoa os defende de boa fé.

O tema da liberdade também é um tema que me fascina e também acho que o estado é altamente controlador em matérias em que não tinha que ser.

Os teus problemas são outros? Pois... a oral de amanhã.:)

Beijinhos, miúdo.
Fica bem:)

thorazine disse...

Andorinha,
sim..a oral de hoje!! :|

E os outros exames! É um grande problema existencial se não entro, outra vez, no curso que quero! :||

funkie junkie disse...

Olé, sou novata nisto...
Tive a ler os posts e gostei, porque são aqui falados temas que realmente importa serem discutidos.
Gostei de ler a opinião do Thorazine, porque em parte a partilho e não concordo que seja uma coisa que se descarte imediatamente, apenas porque o rapaz é novo e ainda não viveu.
Pelo que entendo ele é o único que mostra ter tido contacto com algumas das drogas de que estávamos a falar. Evidentemente que assusta, assim à má fila (como diria um bom tripeiro) dizer que tudo deveria ser legalizado. Evidentemente que estamos a falar de uma legalização para estudos médicos, para que possa haver um documento que seja minimamente viável para todos, para que no fundo no esclareçam acerca do que realmente é benéfico e do que realmente é prejudicial.
Sou de Direito, por isso compreendo muito bem a necessidade de se ver os vários prismas da questão e combiná-los, o que terá sido, sem dúvida, a principal mais valia que me trouxe o curso. Aprender a discernir o que sinto, do que são as regras em si para cumprir.
Uma das coisas de que mais tenho medo e só aprender o que me ensinam, não pensar por mim... Isto para dizer que, assustou-me a reacção do noise e principalmente vindo a saber a sua profissão. Não creio que se arrogue o direito de ser o firme detentor de quem é ou não ignorante, aliás acho irónico que se critique alguém por seguir links e nos posts a seguir colar informação da internet! LOL
Informação é informação, meu amigo, e certamente não estudou por livros escritos por si.
Aliás, aprendendo para além do que lhe ensinou a sua escola, saberá que grandes nomes, como Ralph Metzner, docente em Harvard é acérrimo defensor da terapia de casal como MDMA. Saberá que Alexander Shulgin, criador do MDMA, que experimentou mais drogas do que algum dia poderá imaginar (se tiver curiosidade, ver Pikhal e Tikhal) não era um torradito, como seria no seu ponto de vista, mas um verdadeiro cientista, trabalhando anos para o Governo Americano e sendo um dos únicos especialistas em droga, aceites em tribunal como peritos. Não creio que os quisesse apelidar de ignorantes. E principalmente, já passaram os 19 anos há algum tempo...
Certamente, já que é inteligente, apercebeu-se que o thorazine, quando falou na Ayahuasca estava a mostrar um necessário prisma espiritual.
Compreendo o que Thorazine falou do prisma económico, Samuelson, pai da economia moderna (intragávelmente chato, no entanto não era ignorante nenhum) falou na economia do vício. E como uma curva da oferta rígida, pois a quantidade é rígida, que qualquer droga ilegal, o preço tende a subir. Evidentemente, num prisma económico bastante básico, será uma coisa que à partida nos parece óbvia. Mas, a inovação de Samuelson foi explicar, como uma política de legalização ou liberalização (evidentemente não as sujeitando às leis do mercado) mas como controlo estadual, o benefício seria imenso. Pois, uma variável económica não são só número, é necessário pensar no benefício que traz eliminar a crimininalidade directamente e indirectamente ligada à proibição das drogas.

"Um mundo em que ninguém possa alterar o seu estado de consciência parece-me um mundo muito muito melhor em que permitimos que mais pessoas alterem de mais formas o seu estado de consciência." LOL, agora decida-se, se altera ou não se altera!
No entanto, creio que seria dificil viver num mundo onde não se quisesse alterar o estado de consciência, seria no minimo mais triste.

Achei de muito mau gosto, noise, que insultasse o rapaz, que até então apenas demonstrou a sua opinião, frizando bem que era apenas isso e mais, creio que tudo o que ele quis dizer, foi que pensassem... Não aceitar um juízo de valor por si, pensar... Porque se pudessemos realmente aqui mudar a situação teriamos que estudar a fundo todos os pontos.
Como em tudo na vida, temos que ter brio em sabermos sempre mais, em aprendermos sempre mais. O Thorazine, novo ou não, ensinou-me muita coisa nestes posts.
Se realmente parar para pensar, vejo que há aqui mais que a minha opinião e experiência pessoal. Falamos aqui de um problema que tem vários prismas: legal, económico, social, político... etc.. etc...
Eu não partilho a visão da maior parte das coisas que aprendi em direito. No entanto, aprendi-as com gosto, porque não há como mudar um sistema sem o compreender, não há como mudar sem saber o que falha, o que está errado.
Creio ser boa no que faço, porque tento continuar a aprender. Fica-nos mal sermos velhos do restelo, presos em nós e na nossa resmungisse, presos num patamar que julgamos ter alcançado.
Somos todos crianças por dentro, somos todos novos por dentro, se quisermos aprender...
Eu sou a favor da liberalização! Gostava de mais do que a minha opinião, que essas drogas pudessem sofrer estudos cientificos. Gostava que não tivessemos a desperdicar potenciais benefícios, por um malefício.( Aliás, nota à parte, sem o canhamo não teriamos sido senhores do mundo :P Não porque andassemos para aí a fumar uns, mas porque as nossas velas e cordas eram as mais resistentesm devido à fibra do canhamos).
Gostava principalmente que a resposta que me dessem não fosse: "faz mal porque é droga" e??? "droga é droga!"
Lol
Afinal, não quero de facto que dictem o que eu devo ou não devo fazer! Apenas se devem cercear liberdades, quando valores mais altos se põe em causa! Ora, sem estudos cientificos, não poderei saber! A não ser que experimente... HAHAHA.
Afinal? o que é melhor?