domingo, junho 11, 2006

Edificante...

Escola do Lumiar encerrada após agressão de professora
11.06.2006 - 18h39 Lusa



A Escola Básica do 1º ciclo de São Gonçalo, no Lumiar, vai estar encerrada amanhã, por decisão dos professores, depois de uma docente ter sido agredida anteontem por familiares de um aluno do estabelecimento.

De acordo com a presidente do Sindicato Democrático dos Professores da Grande Lisboa (SDPGL), Maria Conceição Pinto, o estabelecimento vai manter-se fechado "enquanto não se resolver o problema de segurança".

A informação sobre o fecho do estabelecimento está afixada num cartaz colocado à porta da escola desde o dia da agressão, que foi, segundo a sindicalista, reportada de imediato pelo órgão executivo do Agrupamento de Escolas Pintor Almada Negreiros, a que pertence a S. Gonçalo, à Direcção Regional de Educação de Lisboa (DREL). Da DREL a escola recebeu indicações para que "ninguém fale com a comunicação social e que a escola não feche".

O incidente ocorreu pela hora de almoço, quando a professora em causa, que é coordenadora da escola e membro do conselho do SDPGL, se encontrava dentro do estabelecimento de ensino. A docente, que está na escola há quase duas décadas, terá chamado a atenção a um aluno, com cerca de 13 anos, que estava a atirar cascas para o chão. Este terá ignorado o aviso da professora, que fez menção de lhe segurar a mão para que o jovem apanhasse as cascas, mas este recusou-se a fazê-lo.

Segundo o relato da dirigente sindical, "pouco tempo depois" terá entrado na sala onde estava a docente um casal, aparentemente familiar do aluno, que a insultou, tentou arremessar-lhe à cabeça um balde de lixo de alumínio e lhe bateu na cara e na cabeça repetidas vezes até que os restantes professores e auxiliares conseguiram por cobro ao ataque.

A professora, de 50 anos, foi assistida pelo Instituto Nacional de Emergência Médica na escola e vai ficar de baixa, adiantou Maria Conceição Pinto.

A sindicalista acrescentou não ter conhecimento de outras agressões a docentes neste estabelecimento, mas acentuou que a escola tem vários problemas de segurança, que haviam levado já a professora atacada a solicitar a presença da polícia no recreio durante os intervalos.

Maria Conceição Pinto acrescentou que o SDPGL, que integra a Federação Nacional dos Sindicatos de Educação, vai entrar em contacto com a DREL amanhã "para saber que tipo de intervenção se vai fazer numa escola destas, onde os professores não se sentem seguros".

P.S. Pau. O serviço do restaurante a passo de caracol. O dilema posto ao chefe: ou como os queijos no bar, hipnotizado pela televisão, ou fico sem sobremesa (e com menos colesterol...). O sorriso dele (cúmplice do colesterol...). Óptimos queijos. Sofrível selecção. Futuro sombrio no que ao futebol diz respeito. Um sol pirenaico glorioso...

53 comentários:

noiseformind disse...

Caso para dizer:

Até os comemos!!! (Ao queijo, claro)

noiseformind disse...

Agora fora de tangas (que disse já ninguém aguenta ouvir falar):

Espero que contra o Irão a coisa fie mais fino. Em relação à agressão à professora acho muito bem. É perfeitamente defensável (e a Ministra fará tenção de o defender, tenho a certeza) que segurar a mão do aluno é motivo mais do que suficiente para demonstrar a falta de pedagogia dessa professora. Quanto à família do aluno bater-lhe julgo que nós mesmo atraímos essa nuvem sobre as professoras. Imagino o pai do miúdo a dizer-lhe:

-A tua Professora fez o quê? Anda lá que hoje já não vou ao focinho à tua mãe, mostra-me lá onde é a escola!!! ; ))))))))

noiseformind disse...

Hoje seguram a mão aos alunos quando atiram cascas para o chão, amanhã estão a querer impedir de os alunos interagirem uns com os outros, mormente à custa de se espancarem mutuamente. Senhora Ministra, ponha cobro à iniquidade que estes professores perpetuam!!!!

Su disse...

os pts estão sem valores faz tempo...

jocas maradas

AMMedeiros disse...

Ora nem mais!!!
Foi bem feito, sim Senhora Ministra!!!
E já agora, que os arremessos com baldes do lixo, e o número de vezes que se bata na cara e na cabeça de um professor, por parte dos familiares dos alunos, seja na razão inversa da pontuação (quantitativa ou não) resultante da famigerada Avaliação aos Professores!!!
Bem hajam!!!
Que ideias iluminadamente doutas e peregrinas! Que criatividade!
Felizes dos que vivem na ignorância porque deles será o reino... das cascas no chão... e da boa educação!...
Tanto que tenho a agradecer a estes familiares dos alunos!...
Amén Nossa Senhora...Ministra! E todo o seu séquito!

fiury disse...

boa noite

AQUILES disse...

Futuro sombrio no futebol e não só.
Foi pena Portugal ter ganho. Assim continuam as ilusões e a má consciência sobre o real estado do país.
Agrediram a professora? olha a novidade!
Só ainda não percebi é porque as pessoas ainda se admiram que estas coisas aconteçam. Ainda não perceberam que Portugal é um país do terceiro mundo? Qual é a ilusão?

fiury disse...

faço votos para que a questão da avaliação não continue a ser vista como um jogo de poderes e de autoridade sobre os alunos.

prof disse...

É deprimente o estado a que isto está a chegar! Sou professora, por opção minha, há mais de vinte anos e sempre gostei da minha profissão, mas nunca me senti insultada como acontece agora. Andam a brincar connosco!... E o exemplo vem de cima.

Fora-de-Lei disse...

Embora eu não tenha dons de adivinhação, julgo que o conteúdo principal deste post terá sido um copy-paste feito a partir de uma notícia da edição online do "Público". Em claro contra-ponto com o que é comum em jornais tipo "Correio da Manhã", que fazem gáudio em evidenciar as etnias de alegadaos criminosos quando estes não são brancos / portugueses, na notícia do "Público" foi omitida a suposta etnia do casal agressor.

Mas se formos à fonte da notícia (www.lusa.pt) veremos que está lá escrito que Segundo o relato da dirigente sindical, "pouco tempo depois" terá entrado na sala onde estava a docente um casal de etnia cigana, aparentemente familiares próximos do aluno, que a insultou, tentou arremessar-lhe à cabeça um balde de lixo de alumínio e lhe bateu na cara e na cabeça repetidas vezes até que os restantes professores e auxiliares conseguiram por cobro ao ataque.

Como não me apetece nada estar a ser politicamente correcto, tenho vontade de dizer que já começo a ficar farto da violência praticada por ciganos, chamem-se eles 'quaresmas' ou não. E, embora não seja professor, também tenho vontade de dizer que quase tenho pena que não tenha sido a Ministra da Educação a vítima do casal agressor. Mas às vezes há males que vêm por bem... como a pobre vítima até era uma sindicalista "amarela", pode ser que a justa reacção dos professores à agressão aqui noticiada ajude a aglutinar o SDPGL/FNE e o SPGL/FENPROF, quanto mais não seja contra a prevista avaliação dos professores por parte dos pais...

Henrique Doria disse...

São precisamente este tipo de pais que a Sr. Ministra quer que avaliem os professores.De cacete na mão!Um abraço, professor.E cuidado. Ser professor está a ser profissão de risco.

andorinha disse...

Boa noite.

Edificante...e o exemplo vem dos pais.:(

E depois isto:"Da DREL a escola recebeu indicações para que "ninguém fale com a comunicação social e que a escola não feche."

Voltou a lei da rolha?
Certas coisas não convem que se saibam?
Raio de país, este.:(((

Quanto ao futebol, calma, a exibição não foi brilhante, mas os três pontos já cá estão.:)

andorinha disse...

Noise,
Gostei dessa ironia cortante, miúdo.
Haja alguém que nos compreende.:)))

Fora de lei,
Tenho a mesma pena e a mesma vontade que tu.:)
Em relação à ministra não suporto aquele seu ar arrogante e autoritário de quem sabe sempre tudo melhor que ninguém.
Vivemos numa sociedade democrática ou não?
Começo a ter sérias dúvidas...

Até amanhã, gente:)

fiury disse...

não é com exemplos destes que os professores vão ver reforçada a sua argumentação contra a avaliação dos pais.
boa noite
durmam bem

noiseformind disse...

Fiury,
Já estou como aquele título daquele livro:

-Senão estes, quais?

Mas pronto, pronto, não te quero forçar a pensar demais. Olha, boa noite! ; )))))))))

FDL,
Pois é. Se fossem pais da Linha mandavam uns ciganos fazerem isso ; ))))))))))) portanto, ainda bem que ressalvaram a coisa com um "provavelmente".

noiseformind disse...

FDL,
E acho muito bem que não digam a etnia. Pq cria normativos raciais. Como dizer que o arrastão foi feito por um bando de 500 pretos ; )))))))) Se ainda me dissessem "a mãe da aluna tinha umas mamas redondinhas que eram uma delícia" era informação que me interessava. Agora a etnia passa-me ao lado.
Um dia hás-de teorizar a sério sobre esse medo que tens de tudo o que não tenha o teu tom de pele pá, olha que eu suspeito mas há uns 100.000 anos tive um go-golvõ que era pretalhaço pá. Quer isto dizer que tenho em mim encerrado um delinquente em gestação? Ou isso tem gerações específicas de pretalhice? Do género, olha, do género daqueles 1/4 e 1/8 de Judeu do vôvô Hitler ou aqueles 1/32 de geórgio do Titio Staline? Tens de me esclarecer isso pá. Eu distingo as gajas dos gajos e dentro desses os interessantes e os desinteressantes (e dentro da categoria dos interessantes as gajas boas e as gajas inteligentes loooooooooooooooooooooooooool)

fiury disse...

noise

se eles soubessem quais já os tinham publicado

não quero ir para a cama pensar demais:))))).boa noite para ti também

noiseformind disse...

JÁ AGORA CÁ FICA A MINHA DESCOBERTA DA NOITE. FINALMENTE ENCONTREI ALGO QUE VISUALMENTE TRADUZ O QUE SINTO QUE O MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ESTÁ A FAZER À DIGNIDADE DOS PROFESSORES. COM A DIFERENÇA QUE ESTÁ A TER ATITUDES CUJO MAL SE VÃO ESTENDER POR MUITO MAIS QUE 8M08S...

fiury,
Aguardo tranquilamente o teu despertar, portanto.

Fora-de-Lei disse...

noiseformind 12:57 AM

"FDL, acho muito bem que não digam a etnia. [...] Um dia hás-de teorizar a sério sobre esse medo que tens de tudo o que não tenha o teu tom de pele pá..."

Pessoalmente, também não acho bem que as notícias sobre actos criminosos façam referência a etnias só para alimentar ódios cegos. Aliás, eu próprio intercalei essa ideia no meu comentário ao dizer que em contra-ponto com o que é comum em jornais tipo "Correio da Manhã", que fazem gáudio em identificar a raça dos alegados criminosos quando estes não são brancos / portugueses...

Mas é um facto que tenho, cada vez mais, uma opinião muito negativa dos ciganos. Conheci alguns ciganos quando ainda era puto e até me dava relativamente bem com eles. Mas a realidade sociológica era outra. Hoje, ao contrário de qualquer outra "raça" -- a respeito de qualquer uma é comum dizer-se que em todas as raças há gente boa (em clara maioria) e gente má (em minoria) -- a comunidade cigana é maioritariannte composta por gente que não presta para nada. As prisões (para homens e mulheres) estão cheias de ciganos que mataram e que traficam droga e armas. O tempo da maioria dos ciganos viver honestamente (?) da venda de certo tipo de produtos em feiras, já era.

Quanto a uma possível aversão da minha parte a um tom de pele que seja diferente do meu, é coisa que não cabe na minha personalidade nem encaixa muito bem na minha "coloração". Julgo até que, se eu fosse skinhead, seria como muitos daqueles que andam por aí armados em arianos mas se pusessem os pés - por exemplo - na Alemanha, eram capazes de ser confundidos com sicilianos, turcos, argelinos, etc.

Mas, de facto, longe vai o tempo em que me afligia ouvir dizer mal dos ciganos. Hoje já não lhes tomo a defesa das suas dores. A minha mulher dá aulas num bairro super-degradado de Lisboa (não muito longe da escola onde aconteceu esta agressão) e sei, muito bem, como se comportam as famílias ciganas face aos possíveis problemas que os seus filhos possam ter / criar na escola. Definitivamente - e ao contrário de pretos, amarelos e brancos - penso que, hoje em dia, a maioria dos ciganos não presta mesmo. Estão completa e irremediavelmente estragados...

fiury disse...

bom dia

fiury disse...

noise

tu e os teus exageros. era escusado este espetáculo deprimente.
se um dia tiveres filhos imagino-te a não interferir de modo algum
na avaliação dos professores dos teus filhos.nem sequer no café a contestar, nas costas dos ditos,a sua eventual incompetência.
convenhamos que te imagino....
não empolgues a questão, apenas se trata de uma alinea e os profs podem sempre defender-se.eles devem sim com os pais(e não contra eles) reivindicar mais apoios nas escolas como professores de apoio, psicólogos e outros profissionais.
a ver vamos a dimensão da greve contra a avaliação dos pais.seria bom que os professores não caíssem no engodo.

fiury disse...

prof
isto de ser "queijodependente" ainda lhe vai trazer dores de cabeça

Fora-de-Lei disse...

Professores que encerraram escola do Lumiar dizem que violência é comum

12.06.2006 - 10h51 Lusa

Os professores que hoje encerraram a Escola Básica Um São Gonçalo, Lisboa, onde uma docente foi agredida sexta-feira pelos pais de um aluno, dizem que os casos de violência são comuns e culpam os familiares pela indisciplina dos filhos.
Vários professores que se encontravam hoje de manhã no interior da escola disseram que a agressão à professora foi apenas o pior dos casos da violência comum no estabelecimento.

"A culpa é dos pais que agridem os professores na presença dos filhos", disse uma professora, enquanto outra acrescentou que os familiares "são mal-formados". Os docentes pediram o anonimato por não estarem autorizados a falar pela Direcção Regional de Educação de Lisboa.

No exterior da escola, vários pais contactados pela Lusa queixaram-se, por sua vez, de atitudes menos correctas por parte dos professores. "Os professores também são mal-educados e brutos com as crianças", disse à Lusa a mãe de uma criança de seis anos, a frequentar o jardim-de-infância da escola.

Cerca das 09h30, 20 professores e funcionários auxiliares da escola formaram um cordão humano e na altura que estavam rodeados pelos jornalistas mostraram um cartaz, em que diziam "Somos pessoas, exigimos respeito e segurança".

À hora de início das aulas, às 09h00, eram poucas as crianças e pais que tentavam entrar na escola, dado que sexta-feira foram avisados que o estabelecimento hoje estaria encerrado.

Os professores vão reunir esta manhã para reivindicar à Direcção Regional de Educação de Lisboa (DREL) soluções para o problema.

O relato da agressão da professora foi feito domingo à Lusa pela presidente do Sindicato Democrático dos Professores da Grande Lisboa (SDPGL), Maria Conceição Pinto. Segundo Maria Conceição Pinto, a decisão de encerrar a escola foi tomada pelos professores e o estabelecimento vai manter-se fechado "enquanto não se resolver o problema de segurança".

lobices disse...

...ele sentava-se na sua cadeira no cimo do pedestal que continha o quadro negro à sua esquerda
...todos nós, sentados de frente para ele, em bancos/secretárias individuais, aguardavamos o habitual sumário
...então, ele tirava do bolso do casaco a sua caneta para escrever no caderno o dito cujo sumário que nos seria ditado
...nesse momento, uma chuva de pequenos papelinhos amarrotados ou em forma de avião, "choviam" sobre ele... elhe olhava-nos por cima dos óculos mas nada fazia e todos nós com ar de santos
...um dia vimos ele puxar do seu corta-unhas e cortam o bico da caneta de tinta-permanente
...nesse dia não conseguimos atirar-lhe papelinhos porque a incredulidade foi maior
...havia o Artur, um colega que tinha um problema grave na garganta e que não lhe permitia falar normalmente pelo que uma espécie de rouquidão era a sua normal forma de falar
...um dia, na habitual e infernal barulheira que fazíamos, a ele foi dada ordem para ler um texto e o Artur assim o começou a fazer na sua habitual forma de falar; foi-lhe dada ordem para que ele falasse em "condições" e todos nós nos insurgimos com tamanha barbaridade pois o Artur não conseguia e o barulho aumentou...
...a determinado momento, os ânimos estavam exaltados e alguém no aceso da discussão proferiu a "ordem": - óh Artur, manda-o foder!... no preciso momento, no exacto momento em que o barulho se deixou de ouvir... e aquela frase saiu pausada e sonora como uma sentença de morte...
...fomos todos expulsos da sala mas no dia seguinte o panorama tomava a sua habitual forma
...era o nosso professor de francês, dono de uma loja de óleos e que todos os dias vinha vestido com o seu habitual fato castanho manchado de pequenas pintas de óleo
...sei o nome dele mas não o refiro
...
...todos estavam já sentados nas suas carteiras num silêncio total e a porta aberta aguardando a sua chegada; ela era precedida por uns passos cadenciados provocados pelo defeito da sua perna esquerda que fazia com que um batimento extra se ouvisse durante o seu caminhar; a sua postura era altiva, cabeça erguida e livros debaixo do braço; não usava pasta...
...entrava e todos se levantavam num respeito profundo; as suas aulas eram dum perfeccionismo absoluto e jamais esquecerei a minha primeira aula de Inglês, em que ele na ponta esquerda do quadro negro escreveu a palavra "Here" e na ponta direita distante escreveu a palavra "There"... e, em silêncio, apontava para o quadro uma delas e seguindo-se a outra... durante 50 minutos aquela cena irreal foi real até que alguém, o Azeredo, disse: aqui e ali...
...a aula terminou nesse dia, com o que sempre foi uma particularidade dele Professor: "Uma muito boa tarde, meus senhores"
...era o querido e saudoso James Rolo!...
...
...dele, na verdade, não me recordo do nome mas ainda me lembro da sua forma peculiar de falar; era Professor de História
...um dia, dentro da sala de aulas, num dos cantos do fundo, um grupo de alunos fez uma fogueira com papéis e colocaram sobre ela umas quantas castanhas a assar
...não é invenção: foi verdade
...num outro dia 2 alunos começaram a altercarem entre eles e daí à bulha foi um instante, dentro daquela sala de aula; o professor meteu-se entre eles e também levou pancada
...ninguém era expulso, ninguém ralhava... imperava a ordem e a desordem... havia uma única regra: o Professor/a que soubesse impor o respeito era adorado; aquele que, desde o primeiro dia não o soubesse, jamais tinha mão sobre os alunos...
...
...era Professora de Português; era a D. Amélia; uma senhora pouco simpática de feições mas com um ar respeitável e de poucos amigos; a sua voz grave sabia ditar a ordem e todos sabiam respeitar a D. Amélia; ninguém, nunca, se atreveu a qualquer asneira...
...um dia, faltou um professor e todos sairam da sala em alta correria para irmos para o recreio; no exacto momento em que nos aproximavamos da escadaria, a D. Amélia saiu da sua sala e tal qual oficial das forças armadas, estendeu o braço indicando a sua sala e apenas disse:-"Dentro!..."
E todos entraram na sua sala até ao final do período dos 50 minutos... em silêncio e obediência enquanto ela dava a aula á Turma dela...
...
...era a Disciplina chamada de Caligrafia, onde se aprendia a escrever os cursivos e quejandos e a matraquear as máquinas de escrever, pois também se aprendia ali a escrever à máquina...
...sempre que havia aulas de Dactilografia, havia um ritual que nunca mudou: eram 3 filas de mesas com máquinas de escrever viradas para a parede; o professor (tinha o título de Mestre) sentava-se na sua secretária ao fundo mas do lado esquerdo, não à nossa frente... os alunos sentavam-se; punham as mãos sobre as capas te tapavam as máquinas; retiravam as capas e, em perfeita sincronia, atiravam as capas para cima do Mestre... não é invenção; foi verdade...
...de seguida, um por um, dirigia-se ao Mestre pedindo uma folha de papel para escrever; era-nos dada e começavamos com os exercícios... havia o Lopes, alto, magro; quando chegava a vez dele, pousava as mãos na secretária do Mestre e dizia com uma calma de meter medo: "Mestre: nunca levou com os tomates na testa?"... o Mestre levantava os olhos e titubeava: "O quê? O quê?"... e o Lopes com uma calma ainda maior: "Uma folha, se faz o favor"...
...
...centenas de histórias, teria eu para contar, iguais ou parecidas com estas
...passava-se isto nos anos 55 a 63...tempos em que frequentei aquela Escola
...
...também fiz das minhas; também desrespeitei e fiz asneiras mas também respeitei e amei quem mereceu ser respeitado e amado
...tenho (e todos os meus colegas o têm) saudades daqueles tempos e recordamos quem nos respeitou e mereceu o nosso amor; mas também lembrámos que há um factor essencial: o Professor tem de saber impor o respeito e de saber impor o amor!...

thorazine disse...

Isto não têm nada a ver com o tema do tópico!

Professor JMV:

Hoje deliciei-me mais uma vez a ouvir o programa de ontem "O Amor é.."! Fez-me pensar, quando falou na dificuldade que tinha em transmitir certas ideologias sobre sexologia à sua mãe. Eu debato-me como o mesmo problema, apesar de o conteúdo ser diferente. A minhã mãe, penso que inconscientemente, nega À partida qualquer apreciação da minha parte sobre uma atitude ou ideia que ela tenha. Penso que é o velho medo do pupilo ultrapassar o mestre. Mas a mim, faz-me confusão quando noto que ela ouve toda a gente menos a mim. Penso que seja uma atitude normal de mãe ou pai, mas vejo-a a dar muitas "turras" sem necessidade pois teve o aviso do filho mais novo mas que não quis ouvir, por orgulho (?!?!)! Não é achar-me sabichão, é ter a noção que apesar de ser muito mais novo que ela já tive outras experiências ou outras situações de vida e que talvez já possa dar uma ajudinha.

Como disse Voltaire no séc XVII: "It is dangerous to be right in matters on which the established authorities are wrong"

Não sei se vai ter tempo para responder, mas aqui fica, o desabafo! :)

Teresa disse...

Não sou racista, aviso já!

Mas sabem qual é o endereço electrónico-tipo dos ciganos?
Então aí fica: por exemplo, o do cigano Romero:

Mailto:
romero@tudoquantopossas.pt

(ler em voz alta para perceber...)

andorinha disse...

Lobices,
Isso passou-se entre 55 e 63 e passa-se hoje. Também vivi experiências semelhantes e quando era aluna também fiz as minhas tropelias como todos os miúdos e abusávamos daqueles professores que sentíamos mais frágeis. Os putos apercebem-se disso nos primeiros instantes.

"O professor tem de saber impor o respeito e de saber impor o amor."
Não "exijo" que todos os alunos gostem de mim, mas exijo que todos me respeitem, até porque eu respeito-os a todos, mesmo que não goste de alguns.

Angie disse...

Depois da refrescante inovação estilística dos posts do Murcon, que resultou da criação das personagens Maria, Sousa e Gertrudes, estes incipientes apontamentos de viagem estão mesmo a pedir uma aposta em novos polimorfismos literários no bogue.

Porque não fazer inspiração principal das circunstâncias e avançar destemidamente para o "Diário de Viagem" puro e simples?
Estou certa que começariam lá (aí) mas acabariam sendo igualmente úteis cá (aqui) porque nem toda a actualidade se faz das notícias do dia.
E os murcónicos viajavam a reboque...

mentecalma disse...

Para a Angie das 8.11 PM: Denoto do teu comentário um velada (ou não) critica aos posts do Murcon, ou seja, deixaram de ser um "Diário de Viagem" para serem "As notícias do dia". Por outro lado, referes que os murcónicos viajariam a reboque.
No meu entender, um blogue é uma espécie de diário de bordo pessoal e intransmissível, sendo que uns são passíveis de serem louvados e/ou criticados através de comentários e outros não (como o caso do JPP no seu Abrupto).
Assim sendo, não vejo que caiba a um murcónico, neste caso a uma murcónica, sugerir ou pretender sugerir que o Murcon deixe de ser o que é para passar a ser o que a Angie aventa poder ser; com a "agravante" de que, assim, os murcónicos viajariam a reboque.
Bem, quer-me parecer que os murcónicos não viajaram, não viajam nem nunca viajarão a reboque porque não são "caixas" atreladas às "caixas" (entenda-se: posts) do Murcon.
O Murcon é o que o nosso Amigo Professor quer que ele seja e ninguém tem nada com isso, seja com diários de viagem, seja com Sousas ou Marias, seja ainda com notícias dos dias.
O Murcon é o que é e se estamos aqui é porque gostamos de estar aqui e não porque vimos a reboque. Não gostei da comparação; fez-me sentir alguém sem vontade própria e estar "amarrada" como qualquer caixa de transporte do cão de caça que vai, esse sim, a reboque do jeep do caçador.
Eu não sou reboque.
Os murcónicos não viajariam, pois, a reboque; os murcónicos fazem parte do "carro", da "caravana", do "grupo", ao fim e ao cabo, fazem parte do Murcon.
Beijinhos.

Angie disse...

mentecalma

- Ãn????????

Estou parva com a tua interpretação!
Não podia ser mais ao lado! Ou exactamente ao contrário...

Nem explico mais, porque sabe-se lá o que iria sair da leitura!

Começo a perceber o fenómeno da comunicação social e das (des)interpretações dos jornalistas face às suas fontes!

Safa, mentecalma: olha só para o que cada um está guardado!!!!

andorinha disse...

Mentecalma (8.43)

Concordo contigo, embora não faça do post da angie a leitura que tu fazes.

"Por que não fazer inspiração principal das circunstâncias e avançar destemidamente para o "Diário de viagem" puro e simples?"
A interpretação que eu faço é que depois de termos tido a saga da Maria, do Sousa e da Gertrudes e perante estes "incipientes" apontamentos de viagem, o que o Júlio devia fazer era um Diário de viagem e ponto.

Claro que não concordo, o blog é do Júlio e ele posta o que quiser quando quiser; digo o Júlio, como digo outra pessoa qualquer que tenha um blog.

"E os murcónicos viajavam a reboque..."
Através desses posts nós viajáríamos também, nem precisávamos de sair daqui.:)
Não interpretei duma forma tão negativa como tu.

Claro que concordo contigo quando dizes "o Murcon é o que é e se estamos aqui é porque gostamos de estar aqui..."
Claro que gostamos deste cantinho, claro que gostamos de estar aqui, claro que gostamos do blog tal e qual ele é e claro que ninguém anda a reboque de ninguém.

P.S. Já uma vez te disse, para uma Mentecalma, exaltas-te muito:))))))

Ameninadalua disse...

Boa noite a todos!

Mente Calma

Sem querer me armar em defesa da Angie, compreendo contudo a sua perplexidade perante o post que você colocou; se se dere ao trabalho de voltar a ler o comentário dela, reparará que está um pouco, para não dizer muito desviado daquilo que lhe criticou....

Com isto não quero, nem podia estar a contrariar a vontade e iniciativa de escrever de cada um apenas o estou a fazer porque me parece que estão de "boa fé" mas equivocadamente desfasados...e como ambos tambem concordam é bom que todos nos sintamos bem aqui no Murcon.

mentecalma disse...

Angie:
Aceito a réplica. Mas, terei interpretado mal? Talvez, mas repara:
Depois da refrescante inovação estilística dos posts do Murcon, que resultou da criação das personagens Maria, Sousa e Gertrudes, estes incipientes apontamentos de viagem estão mesmo a pedir uma aposta em novos polimorfismos literários no bogue.
Traduz-me isto em miúdos.
Depois:
Porque não fazer inspiração principal das circunstâncias e avançar destemidamente para o "Diário de Viagem" puro e simples?
Traduz-me p.f. again.
Ainda mais:
Estou certa que começariam lá (aí) mas acabariam sendo igualmente úteis cá (aqui) porque nem toda a actualidade se faz das notícias do dia.
E, por fim:
E os murcónicos viajavam a reboque...
A minha interpretação é o contrário do que disseste? Bem, não sou loura, mas aceito que me faças a tréplica como se eu fosse muito burra.
Se errei, desde já o meu pedido de desculpas.

mentecalma disse...

ameninadalua:
Podes "defender" a posição da Angie; eu não levo a mal nem a bem. Apenas fiz uma interpretação do escrito dela. Posso ter errado e entendido mal o que ela quis dizer mas o que ela disse foi dessa forma que eu o entendi ou, quiçá, o subentendi.
Porém, como acabei de dizer acima, aceito ter "lido" mal apesar de ainda não usar óculos.
Por isso mesmo pedi uma reavaliação do meu escrito a ver se entendo o que por bem houvera entendido por mal.
Claro que estamos todas bem por aqui e isso não está em causa.

mentecalma disse...

Já agora, uma boa noite de Santo António.
:)))

mentecalma disse...

Para todos, claro.
E agora, toca a marchar. Vou até Alfama.

andorinha disse...

Mentecalma( 10.15)
Talvez o que eu escrevi te ajude, náo sei...pelo menos das mesmas palavras da angie faço uma interpretação diferente.

Isto continuando a dizer que concordo com o tom geral do teu comentário.
E não andamos a medir inteligências, apenas fizeste uma interpretação que poderá não ser a correcta.
Atenção que eu também não sei se a minha o é.
Só quem o escreveu o poderá saber.

Ameninadalua disse...

Mente Calma

Penso que a Angie poderá contrapôr muito melhor que eu as suas interpretações...mas o que ela pertendeu foi só e somente dar "à laia de brincadeira"uma pequena sugestão ao professor, um pouco decorrente e à semelhança do contexto das personagens do Sousa e da Gertrudes...

AQUILES disse...

Andorinha

Boa análise dos comentários. A serenidade é muito importante para a análise lúcida e distante da emotividade.

Angie disse...

Bem, bem, cá volto eu...
Já que há receptividade para as explicações (que nunca pensei ter de dar...), então eu avanço (mas a fazer figas para não gerar com ela novos "impropérios" :):):) ***

Entretanto, agradeço, por ordem de entrada, à Andorinha e à Meninadalua as (essas sim...) calmas considerações feitas a propósito, porque é só por causa delas que não desepero já - e em definitivo -, da possibilidade de ser percebida...

1º- O tom do meu comentário:

Obviamente que a net não pode captar o tom, mas eu esqueço-me sempre do raio dos smileys. Contudo, as capacidades da linguagem escrita em principio até deveriam chegar para poder prescindir deles... :):)
A linguagem, e ainda o "meu" histórico.
Como não escrevo aqui de ontem, e apesar de ser opinativa q.b.(reconheço) , nunca seria capaz de vir aqui fazer críticas ao autor, sobretudo em matéria de estilo literário! Além de ser pessoal e ninguém ter nada com isso... esse mesmo estilo tem-me até levado, justamente ao contrário, a fazer testemunhos de admiração ao dono do blogue, que de resto deles não precisa. Os meus testemunhos abonatórios seriam mesmo, de entre tantos e tantos, decerto os mais dispensáveis...
Portanto, o tom nem era agressivo, nem era sério.
Era jocoso.

2º- Tradução (?)

(e peço desculpa, mas não sei passar itálicos nem bolds ou sublinhados para os comentários: só mesmo se estivesse a editar um post no blogue. Aí, sabia. Portanto, passo a citar):

«...Depois da refrescante inovação estilística dos posts do Murcon, que resultou da criação das personagens Maria, Sousa e Gertrudes, estes incipientes apontamentos de viagem estão mesmo a pedir uma aposta em novos polimorfismos literários no blogue».

i. O Sousa e a Gertrudes (e salvo erro a Maria, mas já não estou certa que esta seja contemporânea dos primeiros, ou muito anterior) foram um fait divers introduzido nos posts pelo autor. A invenção das figuras conseguiu tamanho êxito entre os os comentadores... que se tornou num mote inspirador, para ser glosado das mais diversas maneiras na caixa de comentários. O que é dizer: de um recurso de estilo, as ditas figuras ganharam proporções de personagens reais, a que cada um deu "sal" conforme quis e foi podendo. Portanto: a expressão polimorfismo literário, pretendia aludir às diversa "vestes" ou "máscaras" ou "fantasias" que o autor arranja para dizer o que quer, ou simplesmente brincar consigo próprio. Ou com todos em geral.
Mas sempre para comentar coisas e acontecimentos: isso é o objectivo de cada post, não é assim? E é essa leitura o que nos traz aqui.

ii. Os "incipientes apontamentos de viagem" referem-se ao facto de que, ao que parece, o autor está MESMO a fazer 1 viagem, não é assim?
Primeiro em Burgos, depois em Pau...
E por mim, p. ex., já que ele partilhou isso aqui, estaria curiosa de lhe seguir o rumo. - Será que sobe até Paris? E ainda mais a cima? Será que se fica pela Côte d'Azur? Será que vai até Itália, sem fazer a travessia de barco? Ou será que vai só atrás de 1 bouillabaisse, e depois regressa?
"Incipientes" tb não é um insulto: quer apenas dizer que estão a nascer, aparecem pouco mas podiam desenvolver-se: só há 2 referências, uma no post de ontem e outra no de hoje, mas apenas em rodapé...

iii. O "estar mesmo a pedir 1 nova aposta", claro, significa só (e só mesmo...) que acho que a nova "receita" (apontamentos de viagem) poderia ser uma outra variante na abordagem dos posts destinada a 1 êxito tão certo quanto as anteriores variações que citei (as tais criações).

iiii- " Porque não fazer inspiração principal das circunstâncias e avançar destemidamente para o "Diário de Viagem" puro e simples?"

Pois, é isso mesmo: não reservar o registo apenas para nota de rodapé, mas fazer do "diário de viagem" o cerne dos posts durante o périplo.
Não, descansa, não esperava que o autor viesse dizer:"levantei-me às..., comi isto com aquilo, telefonei a Z, comprei X e Y, tomei 1 café com G, etc..."
Não. O que eu acharia engraçado e muito, muito interessante era partir das "circunstâncias" (viagem)e seguir as ruminações do autor in loco. Ruminações essas que de lá (da estranja) até podiam acabar por vir dar cá (a Portugal e às nossas actualidades)porque o fio do pensamento é assim mesmo. Ou não?

iiiii. "E os murcónicos viajavam a reboque"
Pois, claro, pela leitura acompanhávamo-lo virtualmente ou em pensamento.


Enfim, mentecalma:
- quanto às considerações que teceste (às 8.43, inspirado no meu pequeno comentário), dissertando sobre o Murcon, Murcónicos, liberdade de expressão e de escolha, etc..etc...só posso dizer-te que, obviamente, um blogue é de quem o faz, e como quer e lhe apetece fazê-lo.
Mas eu não me quis referir, ou pôr em causa, o que quer que fosse dessas questões que abordaste.

Por isso mesmo,afinal, a interpretação a fazer era justamente a contrária da que fizeste:
Pretendia eu sugerir (tanto quanto se pode sugerir sem propriamente ter intiuitos correctivos ou coisa do género!)que depois do aperitivo, nos apresentasse a refeição completa, porque estava com água na boca... :):)

Ouf!!!
- Mentecalma, já viste o que custa 1 desmentido'!



***impropriedades

andorinha disse...

Aquiles,

Obrigada pelas tuas palavras. Tento analisar as coisas duma forma isenta e confesso que faço um esforço por entender o ponto de vista do outro.
Até nesse sentido o blog tem sido uma mais-valia para mim. Sempre fui uma pessoa muito impulsiva, emotiva, pouco condescendente com pontos de vista diferentes dos meus e aos poucos penso que estou a conseguir melhorar esses aspectos.
Abençoado Murcon e o seu autor:)

andorinha disse...

Angie (12.43)

Só uns pequenos apontamentos.
..."é só por causa delas que não desespero já - e em definitivo -, da possibilidade de ser percebida..."

Isto para mim é sobranceria e transmite a sensação de superioridade intelectual da tua parte.
Não o digo só por este post, mas por vários que já tenho lido teus. Não digo que isso seja uma ideia pré-concebida,ou sequer consciente, mas quando te leio fico muitas vezes com essa sensação.
Por que é que os outros não hão-de perceber?
Penso que foi a ti que disse uma vez, que as dificuldades de comunicação nem sempre estarão no receptor,podem estar também no emissor.

Quanto ao tom que utilizaste não era agressivo, concordo, mas também não era jocoso; era o tom de alguém que pretende ser persuasiva ( e isso não tem nada de negativo).

"...e por mim estaria curiosa em lhe seguir o rumo."
Sim, se calhar estaríamos todos, mas não achas que é ao Júlio que compete decidir o que publica ou não?
Ele pode ter outras ideias para o blog, ou pensar fazê-lo mais tarde, ou não o fazer nunca.
Esta é a minha discordância e digo-o não por ser o Murcon; di-lo-ia igualmente em relação a qualquer outro blog. Para mim, é uma questão de princípio.

P.S. E da discussão nasce a luz; é preciso é mente calma e aberta:)

mentecalma disse...

Angie:
Enfim, mentecalma:
- quanto às considerações que teceste (às 8.43, inspirado no meu pequeno comentário), dissertando sobre o Murcon, Murcónicos, liberdade de expressão e de escolha, etc..etc...só posso dizer-te que, obviamente, um blogue é de quem o faz, e como quer e lhe apetece fazê-lo.
Mas eu não me quis referir, ou pôr em causa, o que quer que fosse dessas questões que abordaste.

Por isso mesmo,afinal, a interpretação a fazer era justamente a contrária da que fizeste:
Pretendia eu sugerir (tanto quanto se pode sugerir sem propriamente ter intiuitos correctivos ou coisa do género!)que depois do aperitivo, nos apresentasse a refeição completa, porque estava com água na boca... :):)
Ouf!!!
- Mentecalma, já viste o que custa 1 desmentido'!

Depois de uma noite passada em Alfama a festejar a vitória, venho agradecer a tréplica.
Obrigada.
Beijinhos

mentecalma disse...

Andorinha:
Isto para mim é sobranceria e transmite a sensação de superioridade intelectual da tua parte.(da Angie)
Pois foi isso mesmo que eu "percebi" e que deu origem ao meu tão badalado comentário.
Por outro lado, a amiga Angie confirma a jocosidade das suas palavras ao sugerir ao professor uma série de "coisas".
Beijinhos.

Clara disse...

Você esqueceu-se de um pequeno pormenor: a dita professora tinha batido no aluno antes. Por isso os familiares reajiram assim. Faz toda a diferença, quando a violência é também exercida pelos próprios professores.

Angie disse...

Andorinha:

"Sobranceria"?

Lamento que a impressão seja essa, desde logo porque se há característica que abomino é a arrogância.
................
Enfim, acho que, se andasse na net, até o Kalimero se arriscava a ser tomado por sindicalista :):)

Depois, volto a dizer que o meu curtíssimo e sintético comentário de 5 linhas não teve qualquer sentido "impositivo" relativamente ao que JMV deve ou não deve fazer. Seria ridículo.
Não foi nada mais do que uma espécie de "bis" de um fã, num qualquer concerto.
Leio e releio e nada mais encontro do que isso.

Mas está bem: o que fica é o que parece, e não o que é.
Defeito meu, claro, mas não há nada a fazer!!!

Ameninadalua disse...

Angie

Defeito seu?
será?

De qualquer modo é bom que apesar de sentir isso,continue a comunicar connosco sem ter receios de dizer aquilo que pensa e sente:))

andorinha disse...

Angie,

"...que não desespero já...da possibilidade de ser percebida..."

Isto, para mim, pressupõe sobranceria. Por que não haveríamos nós de entender?
Eu entendi o teu post logo na primeira vez que o li e não estou a dizer que sou mais inteligente do que os outros.
Ainda ontem disse que não andamos aqui a medir inteligências.

A mim dá-me várias vezes essa sensação pela forma como escreves.
Mas aqui, como é lógico, refiro-me ao nick Angie e não à pessoa por detrás que poderá não ser arrogante.
Tenho maleabilidade de espírito suficiente para entender isto.

Quanto ao teor e ao motivo da tua sugestão também entendi, mas continuo a achar que é "abusivo".
Já se têm feito aqui sugestões de temas a abordar e algumas vezes o Júlio tem pegado nessas sugestões, não é isso que está em causa.
Agora "obrigá-lo" a partilhar algo que faz parte da sua esfera privada não faz muito sentido. Ele já partilha tanta coisa connosco, temos que lhe dar o direito de decidir o que partilha ou não.:)

Ele está de férias, deixemo-lo curti-las à vontade, que bem precisa e merece.:)

Angie, sempre disponível para conversar, como aliás já fizemos em outras ocasiões.

Angie disse...

Andorinha:
Dio mio...
Então o...« que não desespero já...da possibilidade de ser percebida» não se fica a dever apenas às erróneas interpretações da mentecalma, contrapostas às intervenções pró-clarificação, tua e da Menina da Lua?

Medir inteligências?! Eu insinuei isso?!
???

Então e uma sugestão feita com base em expressões (e cito)
" estão mesmo a pedir 1 aposta"...e "...porque não ..." transforma-se num acto de obrigar alguém? Obrigar?!

Como assim?
Isto já me transcende é a mim...
I quit!!!

andorinha disse...

Angie,

São estes os equívocos da blogosfera!

"Medir inteligências"
Claro que não insinuaste. E onde é que eu insinuei que insinuaste????:)))

Nunca mais saíamos daqui....
Escrevi "obrigá-lo" entre aspas, como reparaste.
Foi a palavra que me ocorreu porque eu escrevo ao correr da pena...

Mas lá está, os equívocos surgem pela escrita; se estivéssemos a falar face to face tudo estava clarificado há muito tempo.

Temos apenas posições diferentes em relação a este assunto, mas nem eu te ofendi nem tu me ofendeste, portanto não vejo qual seja o mal.
Isto só prova que se pode conversar e ter opiniões divergentes sem descambar em insultos ou grosserias.

mentecalma disse...

Angie:
Alto lá e pára o baile!
cito o que escreves ali acima:
a dever apenas às erróneas interpretações da mentecalma
Eu não interpretei mal; tu é que (conforme as tuas posteriores explicações) te explicaste mal.
Nunca desisto.
Beijinhos

mentecalma disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
AMMedeiros disse...

A propósito, já viram isto???...

http://www.permutas.pt.vu/
http://www.dsmotion.com/permutas/

Portaria 622-A/92 de 30 de Junho