quinta-feira, junho 29, 2006

Velharia a propósito.

O conselheiro nostálgico


“Meu estimado Amigo,
Com que prazer o li! Agora apenas o vejo nos telejornais, desempenhando as altas funções para as quais o destinavam a sua competência e sólida formação moral. Agradeço a gentileza de me pedir opinião, embora sobre factos nauseabundos: duas abortadeiras e uma cliente apanhadas em flagrante! Procurarei merecer tal confiança com a mais brutal franqueza - o meu prezado amigo e os que o acompanham na terrível cruz da governação pecam por deixarem o coração intrometer-se no que apenas releva da lei.
Diz-me que prevê complicações. Tem razão. A esquerdalhada voltará em Outubro ao tema do aborto, com recolha de assinaturas e tudo. Por isso mesmo, não lhe parece que este episódio é..., demasiado conveniente? Permite nova gritaria sobre o que aconteceu na Maia, com todo o folclore que as televisões teimam em cobrir. Por via das dúvidas, eu averiguaria a eventual filiação partidária das envolvidas. Pela idade, as abortadeiras podem ser do PC, useiro e vezeiro em manobras deste género, lembro-me da inevitável grávida na primeira fila das manifestações do antigamente. Quanto à mulherzinha – e é preciso averiguar se a gravidez existe! - tresanda a Bloco de Esquerda, são exibicionistas compulsivos. E este PS, a reboque como anda, provavelmente assinou por baixo. (Não seria mau deitar uma vista de olhos à ficha do agente que desencadeou a operação, os agitadores infiltram-se em todo o lado, até nas forças da ordem!)
Mas será a nossa atitude – permita que empregue o plural – a ter de mudar: a lei existe e é para cumprir. Os criminosos sempre confundiram piedade e fraqueza, meu caro amigo. Choça com todas e nada de atenuantes, já foi um erro não decretar a prisão preventiva, quem as impede de continuar as suas actividades? Embora estejamos na presença de um crime feminino, seria também dissuasor aplicar pena suspensa ao companheiro ou marido da cliente, os homens devem estar mais atentos ao que, em geral, acontece à sua revelia. Durante o julgamento, importa salientar que as abortadeiras são pessoas lúcidas e movidas pela ganância, uma ou duas contas descobertas na Suiça seriam ouro sobre azul. A cliente deve ser apresentada como uma mulher fria e comodista, que decidiu cometer o crime com a mesma facilidade com que beberia um copo de água ou um shot, conforme a geração.
(A abertura das sessões aos meios de comunicação espalhará as faces das condenadas por todo o país, com a consequente e desejável repulsa social, mas durante o cumprimento da pena sugiro um toque de “compaixão reeducativa”, sendo-lhes, por exemplo, permitido cumprir parte dela como auxiliares num serviço de obstetrícia.)
No futuro, é preciso investir mais na prevenção. Recordo uma campanha em que criancinhas de nove ou dez anos faziam roda, cantando que recusavam as drogas. É uma boa ideia, a garotada fica sempre bem nestas coisas. Além de se afirmarem contra o aborto, empunhariam cartazes jurando nunca o ter praticado. (Cuidado com as idades!, mais dois ou três anos e sabemos lá em que porcarias já andarão metidas...) Também será necessário mover um processo contra a regateira do bairro que na televisão afirmou ser tudo isto evitável se o Estado descriminalizasse o aborto. Tal afirmação é inadmissível, pois incita o Zé Povinho a questionar as decisões de quem o lidera.
Para demonstrar a firmeza da nossa postura, devem ser efectuados testes de gravidez às mulheres que atravessam a fronteira com a justificação das compras. As grávidas seriam acompanhadas por membros da GNR, assim evitando o recurso a clínicas espanholas. Se os nossos rapazes podem – e muito bem! – dar uma ajuda aos americanos no Iraque, mal pareceria que não defendessem os bons costumes em solo pátrio. Além disso...”
A mulher interrompeu-o, voz cambaleante,
- Pois, mas...
Ele, surpreso,
- Não queres ouvir até ao fim?
Olhos baixos,
- António, eu também já abortei.
O marido fitou-a, enternecido, enquanto lhe afagava o rosto. E sentenciou,
- Mas nós não tínhamos alternativa.
Ela sorriu, mais descansada.

58 comentários:

lobices disse...

...soberbo!...
:))

Fora-de-Lei disse...

Houve alguém que um dia disse que "se as barrigas fossem transparentes, não haveria ninguém capaz de fazer um aborto".

Fora-de-Lei disse...

Se os nossos governantes (quanto mais neo-liberais, melhor) e os patrões deste país (mesmo aqueles que vão todos os Domingos à missa bater com a mão no peito) fizerem bem as contas, facilmente concluirão que lhes ficará mais barato incentivar e pagar os abortos às mulheres que o queiram fazer, em vez de terem que pagar os meses após parto em que as mulheres não trabalham, os dias a que os pais também têm direito, o período de aleitação, a ausência das mães por doença dos filhos, o abono de família, etc, etc. Até a Igreja Católica, sempre tão lesta a apoiar os mais poderosos, é capaz de mudar de opinião sobre a IVG se um dia fizer estas mesmas contas.

thorazine disse...

...

You don't have to be a six-footer.
You don't have to have a great brain.
You don't have to have any clothes on. You're
A Catholic the moment Dad came,

Because

Every sperm is sacred.
Every sperm is great.
If a sperm is wasted,
God gets quite irate

..

Monty Python no seu melhor.. :))

thorazine disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
andorinha disse...

Boa tarde.

Como o Lobices se antecipou:), repito apenas o que ele disse: soberbo!:)

Fora de lei(4.27)
Tu e as tuas frases...
Quem disse essa? Foi o teu velho amigo, o psicólogo clínico?:)))))))
Quanto a mim, isso é uma perspectiva muito simplista de ver as coisas; ninguém ( no seu perfeito juízo) faz um aborto por gosto.

andorinha disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Love After You disse...

muito muito bom

Fora-de-Lei disse...

andorinha 5:52 PM

"Ninguém no seu perfeito juízo faz um aborto por gosto."

Mas se houvesse juizinho, muitos - mesmo muitos - abortos não teriam que ser feitos.

Façam-no ou não com desgosto, muitas acabam por escolher o caminho mais fácil. E raramente são as limitações de carácter material que estão por detrás dessa decisão. Porque essas razões, eu compreendo e aceito. É quase sempre uma lógica de egoismo que impera. E essa lógica eu não compreendo nem aceito.

Mas como elas todas "inchadas" - mais "inchadas" até que uma grávida de 7 meses - dizem que a barriga é delas e ninguém tem nada a ver com isso, por mim tudo bem...

andorinha disse...

Fora de lei( 6.45)

Não te zangues, homem.:)

Alguns abortos seriam certamente evitáveis, se houvesse mais "juízo", se os métodos contraceptivos fossem totalmente eficazes, se..., se....e por aí fora.
E cada caso é um caso, penso que são várias as razões que levam uma mulher a abortar. Não são elas as más da fita.
E qundo o tipo ao saber que a namorada está grávida é o primeiro a por-se a milhas?
E quantas mulheres, mesmo assim, optam por ter o filho?
Pensa nisso.:)

yulunga disse...

Andorinha
E quantas mulheres dizem que tomam a pilula quando na realidade não a tomam e ainda julgam, coitadas, que a gravidez lhes agarra os homens às saias?
Nesse aspecto temos a faca e o queijo na mão e sabemos bem como ser manipuladoras e mázinhas.
Mas depois nem sempre as coisas correm de feição, depois eles é que são os bandidos.
Nesses casos eu sou a primeira a estar do lado masculino, sempre!

yulunga disse...

Fora da Lei
Gostei dessa frase da barriga transparente, mas é que gostei mesmo.

E quem não quiser uma gravidez indesejada nada melhor que a abstinência total :-)

yulunga disse...

Fora da Lei
Ai as malucas dizem que a barriga é só delas?
E o bebé apareceu por vias de geração espontânea, não?

thorazine disse...

Mas também conheço quem não optou pelo aborto, mas no dia em que a criança nasceu entregou-a a um instituição! Qual deles o pior? Quase que dá vontade de escrever o guião da novela toda! :|

yulunga disse...

É engraçado que para decidirem fazer ou não o aborto quase sempre tomam a decisão sozinhas sem que a opinião do parceiro tenha algum peso, no entanto quando o decidem ter já o parceiro é tão responsável quanto elas e esmifram-no até ao tutano.

yulunga disse...

Parecia-me engraçado, e apenas por curiosidade, que no referendo houvesse uma segunda cruz: a do sexo de quem vota.

andorinha disse...

Yulunga,
Lá vamos nós desconversar.:)))

Se vamos falar de manipulação aí a coisa muda de figura.
Se dizem que tomam a pílula e não tomam, isso é jogo sujo e eu jogos sujos abomino, sejam eles quais forem.
Nesse caso o homem teria toda a razão em não querer o filho.
Não sou fundamentalista, não vejo as coisas só por um dos lados.
Tendencialmente estou do lado das mulheres, sem dúvida.

APC disse...

Bolas!...


(mas um "bolas" muito emocional!;-)

andorinha disse...

Thorazine,

Entregar a uma instituição ainda é um mal menor.
E aquelas que os matam à nascença?
Há casos tão horríveis que até me custa pensar neles:(

yulunga disse...

Andorinha
Em relação ao aborto sou a favor em 3 casos apenas:
- Malformação do feto.
- Risco de vida para a mãe ou para o bebé.
- Violação.
E em mais caso nenhum.

Olha por acaso és a favor da pena de morte?
É que por essa blogosfera fora já tenho lido muita gente que é contra a pena de morte em relação a carniceiros e depois é a favor do atentado contra a vida de uma "coisinha" indefesa. Acho que muitas das vezes é-se a favor do aborto porque se quer ser prá frentex, porque as mentes têm que evoluir e porque é giro ser-se moderno.

andorinha disse...

Yulunga,
Eu bem disse que íamos deconversar.:)
Não compares o aborto com a pena de morte, não são situações comparáveis.

Voltamos nós à velha questão: a partir de que momento existe vida?
Para mim um conjunto de células não é vida.
E não sou a favor do aborto, sou a favor da sua despenalização, de forma a que as mulheres não tenham que recorrer ao aborto clandestino e terem receio de sofrer represálias.

Aliás, se reparares no post anterior, opus-me ao Noise quando ele equiparou o aborto a um qualquer método anticoncepcional. Não partilho, de forma alguma, dessa opinião.

A minha posição é esta, não a assumo para ser pra frentex, sabes bem que não funciono nesses moldes.:)

yulunga disse...

Ah para não falar de quem é contra a eutanásia e a favor do aborto.
São coisas diferentes? Porquê?
Todas mexem elas com a valor e o direito à vida. Apenas te fiz uma comparação de pessoas que defendem uma e são contra outra. Alguma coisa não bate certo, ou tu não achas?

andorinha disse...

Correcção: e não tenham receio de sofrer represálias.

yulunga disse...

Andorinha
Então és a favor do aborto, apenas porque aconteceu engravidar e porque agora já dá lá muito jeito ter a criança, é isso?
E acreditas que sendo ele despenalizado o clandestino acaba?
Ora pensa lá bem as muitas situações em que uma mulher poderia recorrer ao aborto clandestino sendo ele no país onde vive totalmente livre.
Vou-te só adiantar uma coisa.
Sendo ele legal passará a ser feito em hospitais e logo como qualquer intervenção passará a constar da ficha clinica da paciente, certo?
Agora puxa lá pela tola e vê a quantidade de motivos que diversas mulheres terão para que isso não fique registado.
Acredita que mesmo legalizado o clandestino continuará a existir e muitas mulheres continuaram a morrer em cima de mesas de cozinha.

andorinha disse...

Yulunga,
Eu só posso responder por mim e por mais ninguém.
Sou a favor da despenalização do aborto assim como sou uma defensora acérrima da eutanásia. Quanto à pena de morte não vou dizer que a defendo,claro que não, mas já tem havido casos em que eu considerei que se ela fosse aplicada não se perdia nada.

yulunga disse...

E não, não estamos a desconversar, estamos sim a defender posições contrárias.
Mas contigo isso já é o pão nosso de cada dia.
:-)

thorazine disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
andorinha disse...

Yulunga,
Não digas que eu sou a favor do aborto porque isso não é verdade. Sou a favor da despenalização.
As mulheres não têm que ser levadas a tribunais e passarem todos os vexames por que passam; cada uma deve ser livre de o fazer ou não, é tão simples quanto isso. Ninguém vai ser "obrigada" a abortar se não o quiser fazer, como é lógico.
E ninguém faz um aborto de ânimo leve, penso eu.
O aborto calandestino continuará a existir?
Sim, mas deixará de ser penalizado, o que já é um passo em frente.

thorazine disse...

A eutanásia, a pena de morte e o aborto são coisas distintas.

A eutanásia é a própria pessoa que escolhe que não quer viver mais. Não é nenhum direito, porque que eu saiba num estado de direito não se é obrigado a usufruir de um direito. É mais o "dever" de viver..

A pena de morte, é um crime, um homicídio ainda pior que os outros todos pois é consumado pelo próprio poder judicial. Uma lei que dita que um ser humano têm o poder de matar outro.

No aborto, as causas são bem mais complexas. Primeiro não se pode comparar um conjunto de células que pouca distância têm de outros animais com um ser humano que já viveu, que experiencia emoções e que têm a plena consciência que vai morrer. As outras razões são as que estão a ser discutidas como promoção da IVG por via ilegal, saúde pública, económica..que certamente estarão abaixo da mencionada em cima..

Yolunga,
pela tua lógica presumo que sejas vegetariana pois pelos dados embriológicos, os fetos num fase inicial embrionária são tão complexos como os animais que usamos para consumo humano. E morrem, "indefesos"! :|

yulunga disse...

Informar, formar, explicar, dá muito trabalho; responsabilizar, punir é muito ditador.
Então é mais fácil e muito mais à La Pilatos lavar as mãos e dizer: são livres de fazer o que vos apetecer.
Sabes que me apetece dizer?
Bull shit!

andorinha disse...

Claro que não estamos a desconversar, miúda, somos pessoas de bem.:)

E agora até mais logo, gente:)

thorazine disse...

*yulunga

Desculpa! :)

yulunga disse...

Thorazine, Thorazine
Não, não sou vegetariana.
Estamos a falar da vida de um ser humano, ok?
E em relação a animais para consumo alimentar sou a favor que tenham uma morte o mais digna possivel e com um minimo de sofrimento.
És a favor de touradas?
Isso sim é um espectaculo grave, pelo menos para mim.

yulunga disse...

Thorazine
Repara que não sou tão fundamentalista em relação ao aborto que seja totalmente contra. Apenas sou não sou a favor que se despenalize por completo, só isso.

lobices disse...

...já me referi ao texto deste post
...já aqui (e noutros sítios) me referi à problemática do aborto
...ponto final sobre este caso, neste meu comentário
...venho aqui para falar de outra coisa: no post anterior soube que havia hoje á tarde no Corte Inglés, em Gaia, uma sessão de autógrafos do Profe... tentei saber pormenores pela simples razão que sou um rapaz muito organizado e gosto de planear... lá consegui saber (obrigado Profe, pelo seu mail) e fiquei de organizar a minha vida aqui (não é que ela seja muito complicada mas às vezes gosto de a complicar para ter o prazer de a descomplicar -o professor deve saber o que isto quer dizer- ) para poder fazer a deslocação ao dito cujo centro comercial...
... ora bem: a verdade é que eu abomino centros comerciais e como conheço o Corte Inglés de Lisboa -e não gosto- pensei encontrar aqui ao meu lado algo idêntico
... bem, lá fui, lá entrei no piso zero, r/c claro, porque antes havia visto na net no site deles que as Livrarias ficam nesse piso, e apenas fiz a pergunta da praxe no balcão das informações (se eles existem é para darem informações, não é?...), ou seja, perguntei onde estava o Professor Machado Vaz... completamente solícita a funcionária logo me indicou com um dedo estendido e um sorriso na boca o local exacto onde ele se encontrava... apenas para confirmar que tinha entendido, repeti: ali ao fundo à esquerda! Muito obrigado!...
...percorri o corredor e lá ao fundo à esquerda encontrei na verdade o nosso Amigo Profe e a pilha de livros "O Tempo dos Espelhos"... peguei num e esperei que ele atendesse duas senhoras que estavam à minha frente...
... a recepção foi óptima e muito cordial e a minha satisfação em o cumprimentar também foi visível; satisfeita a missão da "postagem" do autógrafo (que agradeci e reitero aqui), despedi-me até uma próxima oportunidade e deixei-o entregue a novos interessados no evento que se encontravam atrás de mim...
... após a efectivação do respectivo pagamento, lá me decidi visitar o dito cujo centro
... eu que não gosto de centros comerciais como já disse, afirmo que gostei deste... bastante limpo em todos os sentidos, de um colorido profuso e profundo, com um pé alto e tudo muito bem arrumadinho... uma variedade enorme de produtos para escolha...
... subi e percorri todos os andares e detive-me no último para ir ao restaurante-bar-esplanada (com uma vista soberba sobre Gaia) tomar um café (60 cêntimos não é caro para o serviço impecável e pelo esmero que se nota em todo o espaço).
... não visitei o supermercado nem os parques de estacionamento
... após a minha visita, rumei para casa e aqui estou a dar notícias da minha aventura de hoje à tarde como se os meus caros amigos que porventura me estejam a ler estivessem muito interessados no evento!... Mas enfim, apeteceu-me e quando me apetece, faço (por uma simples razão: é que só faço as coisas quando elas me dão prazer... e esta, deu-me)
... abreijos
:)))))))))

lobices disse...

...desculpem: é só para acrescentar que já ando com saudades do "meu" bold
:)))

yulunga disse...

Faz muitos, muitos anos eu deveria ter aí uns 8/9 anos estava a brincar na casa duns amigos, quando a mãe deles gritou da casa de banho para que eu fosse chamar a minha mãe rápido.
A minha mãe chegou falou com a amiga e um ar estranho pôs-nos a todos na rua.
Eu, cusca, lá me infiltrei pela casa não percebi metade da conversa, a senhora tinha sofrido um aborto espontâneo.
Vi no bidé um bebé miniatura, meio cinzento, algo estranho com pilinha e tudo (acho eu que era pilinha). A imagem que tenho desse dia ainda me é muito clara. Talvez por isso o aborto me faça tanta confusão.
Fui apanhada, claro, e fiquei de castigo um porradão de dias.

lobices disse...

...um àparte, por causa de uma frase ali da Yulunga: sobre o "valor" de uma vida humana... o Pedrito de Portugal foi multado com uma coima de 50.000 euros por ter matado um toiro numa tourada. No programa da tv onde ele estava a ser entrevistado sobre o assunto (o 24 horas tb fala disso) ele perguntou se a vida humana tem preço, na medida em que a Justiça entendeu atribuir (por exemplo) o valor de 50.000 euros pela morte de cada uma das vítimas de Entre Os Rios... ou seja, perguntava ele se as vítimas daquela tragédia tinham o mesmo valor do vitimado touro...
... apenas me apeteceu deixar aqui esta nota

yulunga disse...

Lobices
Apaga tudo e repete em bold.
:-)

yulunga disse...

Lobices
Essa do touro é de caras.
É tudo uma questão de saber balancear o diferencial entre créditos e débitos.
Os valores são diferentes quando se trata de sair ou entrar nos cofres estatais.

thorazine disse...

Lobices,
Desulpe, só vi o e-mail agora, não foi muito a tempo! :|

andorinha disse...

Isso é que foi uma tarde bem passada, Quim!
Cafézinho, esplanadas, O Tempo dos Espelhos, abraço ao Profe, que mais pode um homem ( ou mulher):) desejar?:)
Mas tu, murcónico fugidio, mereces tudo isso.:)

Também só escrevi isto porque me apeteceu.
Beijinhos.

thorazine disse...

yulunga,
Para ti o que separa o ser humano de outros animais, chamados "comestiveis"? É a complexidade do ser, não é?

Então se um organismo ainda não atingiu a complexidade humana, não é humana! Ou o valor está no potencial? Se for assim é preciso ter cuidado com a menstruação ou perdas de espermatozoides já que lá navegam por lá informações para formar um ser humano, inteiro!! :))

thorazine disse...

Ahh, e não! Não sou de forma alguma a favor das touradas. :))

JFR disse...

Andorinha (8:29)

Apenas uma correcção.
A despenalização do aborto será realizada dentro de limites que a própria lei irá definir. Mesmo que sem condicionalismos, durante um determinado número de semanas, não poderão ser realizados, dentro da lei, fora desse prazo. Logo, é provável que contiuem a existir abortos clandestinos e, como tal, puníveis por lei.

Como, neste assunto, é fundamental para mim encontrar opiniões e/ou respostas que me ajudem a retirar dúvidas (algumas deixei no meu post de ontem), penso que o mesmo se passará com outras pessoas. Daí, este meu comentário.

CêTê disse...

Todos somos ignorantes sobre muita coisa. Eu não sou OBVIAMENTE excepção. Muito embora me saiba ignorante em particular (que é esse o tipo de assunto de hoje) em matérias em que o sentimento e a razão travão luta feroz gosto de opinar. Não tenho temo apontarem-me o dedo por mudar de opinião. Gosto de discutir ideias e convicções mas a experiência de vida alerta-me a ser cautelosa e prudente quanto a radicalismos e rididez ideológica.


Se por vezes pareço assim... é bom recordar: Nem tudo o que parece, o é! ;]



Lobices,
Estou roidinha de inveja!;P
Qualquer dia peço ao Professor para me mandar por mail um autógrafo scaneado por mail para eu colar ao livro. Snift;[[[[[[[[
Também há cromos com o prof?;]
Vou dormir meninos- aposto que o "chefe" já está em REM

yulunga disse...

Thorazine
11:26
Não, não é.
Separa-nos a racionalidade. Coisa que nem sempre sabemos usar em beneficio próprio.

APC disse...

Tou abolutamente IRADA!

Hoje de manhã soube da notícia de Gaia.
Mas agora, a estas horas da noite, é que soube da do El Corte Inglès! :-(

IRADA... IRADA!!!!!!!!!!!!!!!!

APC disse...

Vou ver o Dr. House!
Isso anima-me :-)
Tá bem que é show-off;
so what?

Um "bem-hajam" irado! ;-)

andorinha disse...

jfr (11.42)
Tens toda a razão, esqueci-me de referir esse pormenor, que é importante.
É evidente que haverá prazos legais que terão que ser respeitados.

thorazine disse...

yulunga,
lá isso tens razão! Há pessoas que só reagem ao instinto! :)


apc,
Mas prepara-te para veres um House MD filosófico e quase gnóstico no último espisódio da segunda série! :))

APC disse...

Hum... I like the sound of that :-)
Um dia falaremos de boas séries fora dos canais nacionais.
Hoje estamos todos aqui reunidos para falar de... De??? Péra lá, vou voltar a ler o post!
Ná!... Li, reli, e adori! :-)

lobices disse...

... bom dia MARALHALLLLLLLLL
(há que tempos que eu não escrevia isto!!!!!... será que o "há" é com h...)
... bem, é só para dizer que comecei a ler o book do Profe que ontem tive todo o prazer de adquirir, tal como já contei (As aventuras do lobices no corte inglés) (inglés e não inglês...)
... no início deste blog assumi logo que nunca havia lido qualquer dos livros escritos pelo (hoje muito Amigo) JMV... conhecia-o de alguns programas da Ntv e pouco mais... depois via-o na rt2 mas nunca houvera lido nenhuma das suas obras...
... estou a gostar do que estou a ler
e
para rematar, como ando com imensas saudades do bold, qualquer dia volto ao dito :)))
...agora vou dar a minha voltinha pedestre
...um "gooday" per tutti
abreijos

Mariajoao disse...

Professor:

Eu não acredito! O professor esteve a autografar livros, aqui tão perto, e eu não soube?! Ainda não estou em mim...
Para quando e onde a próxima oportunidade?

APC disse...

Lobices, o menino a perguntar se o "há" é com "h"? Pois, precisamente por ter "havido"/passado muito tempo sem que proferisses tal, é que já tavas com saudades de o fazer! :-)
Também dei a minha voltinha pedestre ontem. E inspirou-me! Assim seja a tua, para que inspiração te não falte para nos escreveres como escreves.
Beijaços

APC disse...

Sofrido mas vencido!
Portugal acaba de ganhar a Inglaterra. Ricardo, Simão, Petit, e Ronaldo, os donos dos últimos minutos da vitória.
Isto está a correr bem, meus senhores!!!
:-)
Bem-hajam, pois!

APC disse...

* Qual Petit; queria dizer Postiga (mas tava muito nervosa). Agora vou torcer plos manos. See ya! :-)

MysticAvalon disse...

professor preciso da sua ajuda profissional ou conselho orientador. Não encontro seu email no blog. Será possivel aceder a ele para poder explicar o meu problema e saber de que forma posso ser ajudada?
Atentamente, Cristina Guedes