sexta-feira, fevereiro 09, 2007

Comunicado ao país murcónico:).

Porque uma rádio já se antecipou, devo-vos um pedido de desculpas, habituado como estais - ó sagrados murcónicos! - a receber notícias das minhas aventuras em primeira mão. Ontem à tarde, a Direcção da Antena1 contactou-me e à Ana Mesquita, a propósito das opiniões expressas no programa da manhã. Referiu terem existido queixas a propósito do mesmo, invocando quebra da isenção exigível a uma estação pública no que ao referendo diz respeito. Foi-nos sugerido que gravássemos um novo programa para hoje, pois tínhamos deixado a promessa de nos debruçarmos sobre a regulamentação legal adequada, caso o Sim ganhasse. Respondemos - quase em coro:) - que não o desejávamos ou podíamos fazer. O O Amor é... não fala de floricultura, culinária ou física quântica, mas de sexualidade, seria esotérico não abordar a questão do aborto (como, aliás, já aconteceu no passado). Presumo que a Direcção da Antena1 tenha averiguado se estaria a violar a lei e chegado a uma resposta afirmativa. Longe de mim querer prejudicar uma rádio que me acolheu com ternura e é dirigida por pessoas como o Rui Pêgo e o Tiago Alves, meus amigos pessoais. Mas também longe de mim abdicar do que considero serem os meus direitos e obrigações mais básicos como cidadão e co-autor de um programa... de autor!, logo, da exclusiva responsabilidade, quanto aos conteúdos, da Ana e deste vosso humilde servidor. Seguramente por ignorância, não percebo como poderia a Comissão Nacional de Eleições responsabilizar a Antena1 pelas nossas opiniões, por acaso coincidentes. Eis a razão porque hoje a Ana e eu decidimos exprimir-nos pelo silêncio:))))))).

21 comentários:

Cristina GS disse...

Para si só tenho uma palavra: continue.

Para os outros tenho umas muito mais impróprias...

lobices disse...

...claro que apoio a sua posição, Profe!...
abraço

alice disse...

Repito o post de há pouco:

escrevam aqui, mas chateiem também a direcção da RDP - aí é que é preciso "bater".
ou tudo continuará igual neste reinozinho à beira mar plantado!
nem que seja por mail, já que existe esse recurso.
Só uma coisa não ficou clara, professor, (sabe eu tenho costela alentejana e sou lentinha )- para proibirem a emissão andaram a ouvir o conteúdo previamente? ou seja, isto foi censura prévia? quem é que se queixou do conteúdo, se este não era conhecido à partida? o programa não é em directo?

alice disse...

não se incomode, prof, li melhor e já percebi!
já agora vou ver se o programa de ontem, que não ouvi, está on-line ou se também já o tiraram...
tinha graça!

Nelson disse...

Infelizmente não é de estranhar estas posições. E a decisão tomada de não mudar o programa (gravando um novo) foi a melhor resposta!
O silêncio tantas vezes diz muito mais que mil palavras e fala mais alto que os gritos estridentes!

Julio Machado Vaz disse...

alice,
são realmente gravados.

Cristina GS disse...

Alice, o programa de ontem é audível em audio MP3

Blossom disse...

Hoje quando esperava o vosso programa, ouvi com espanto a opinião de que tinham "quebrado a isenção....".
Francamente! Há assim tanto receio que o Sim ganhe? E se tivessem opiniões contrárias, em vez de coincidentes, já valia?
Parabéns pela vossa actuação!
Não tenho mais palavras!

a disse...

Surreal... mas em que século é que estamos? Não me digam que recuámos 40 anos, há censura e ninguém me disse nada....

alice disse...

http://www.rtp.pt/wportal/grupo/provedor_ouvinte/enviar_form.php

este é o link para a página do Provedor do ouvinte da antena1 - é só entupi-lo de mensagens
(vão ver que até vos agradecem no fim)

Clarissa disse...

Caro professor... afinal a classe que detém o poder começa mesmo a temer os blogers... não é à toa que este blog tem tantos visitantes e gera tanta discussão e tem tantos fãs... bem... não podiam calá-lo por aqui, tentam por outra via!!

Abraço.

cjbc disse...

professor é a primeira vez que participo na net é para lhe dar um abraço de solidariedade pela injustiça de que foi vitima

descendentes disse...

Acho no mínimo estranho que ninguém tenha convidado o Prof. a participar na campanha do SIM, nomeadamente porque uma das vertentes em falta nesta campanha e que poderia dar um impulso positivo seria exactamente saber-se o que é que o Governo de José Sócrates, o PS e os cidadãos pelo SIM se propõe fazer imediatamente após o fim do referendo, se o SIM
ganhar.
Isabel

Aspásia disse...

ESTRANHEI A AUSÊNCIA PELAS 11:20 E PENSEI QUE TAL SE CEVESSE A ALTERAÇÕES POR CAUSA DA CAMPANHA NA RÁDIO...

AGORA Q SEI O MOTIVO VEJO, QUE, AO CONTRÁRIO DO QUE MUITOS PENSAM, A PIDE NÃO ACABOU EM PORTUGAL... TÊM ATÉ MELHORES MEIOS E MAIS AVANÇADOS PARA CONTINUAR A EXERCER O SEU MINISTÉRIO, E SEM DAR TANTO NAS VISTAS OU NOS OUVIDOS...

PROF., PARA SI E A ANA, UM ABRAÇO SOLIDÁRIO.

ATÉ DIA 12.

Aspásia disse...

"DEVESSE"

Ameninadalua disse...

Ah Grande PROFESSOR:)))

Mesmo...mesmo... com letra grande:))

Cheia de "boa vontade" ainda comecei por pensar que se tratasse de respeitar o tempo de silêncio imposto pela lei eleitoral.

Dado que se trata de interferência "pura e dura", não só compreendo o vosso cuidado como ainda a recusa de substituir o programa; a coerência e a frontalidade existem para serem aplicadas quando necessário...

Só que agora eles arriscam-se a ver no vosso silêncio muito mais turbulência e impacto do que se tivessem deixado passar o programa naturalmente...:) No fundo é um pouco isso que por aqui no Murcon se está a passar e eu própria tambem fiquei cheia de curiosidade de ouvir o programa:))

E já agora um abraço aos dois, ao Professor e à Ana Mesquita...

andorinha disse...

Boa tarde.

Compreendo perfeitamente a posição da Antena 1, já que o programa de hoje seria "perigoso" e mais importante ainda, faltava o contraditório.
A seguir ao seu, deviam transmitir um programa de cinco minutos com os defensores do Não.

Agora sem ironia, isto faz-me realmente recuar no tempo:(
O silêncio foi realmente a resposta adequada.
Como diz o Nelson " O silêncio tantas vezes diz mais do que mil palavras e fala mais alto que os gritos estridentes."

Um grande abraço de solidariedade ao "nosso" Júlio e à Ana:)

Patrícia Nogueira disse...

O silêncio não podem censurar!

Su disse...

prof ..não se desculpe pelo país que temos..ou melhor pelo rebanho.......


jocas maradas

aife disse...

Solidários com o Murcon:

http://www.laicidade.org/2007/02/11/rtprdp-tomou-partido-no-referendo/

bettips disse...

Claro que o prof não é isento! É psi e bom comunicador/escritor. Esse é o seu "mal": falar em amor ou sexualidade num país de segredos e fantasmas! Nem que fale só do "amor cortês". A sua voz e riso são transparentes, directos. Isso, eles não gostam. Andam a pô-lo em cantinhos, não têm a coragem de o censurar "na missa". Tenho todos os seus livros, ouvi desde o início (Sexo dos Anjos?) uma vez até lhe escrevi e fui respondida...
Peço-lhe: use todos os argumentos, amigos, conhecidos. Quem tiver poder que o exerça e não nos deixe a "lamparina" apagada. Os seus netos vão viver num outro Mundo, trabalhamos para ele.
Um grande abraço amigo e solidário.