domingo, fevereiro 04, 2007

Mas evidentemente:( O mais grave não é acontecer, é aparecer no telejornal!

Bagão Félix acusa defensores da despenalização de expôr mulheres julgadas
Bagão Félix acusou hoje os defensores do Sim de terem prejudicado gravemente as mulheres que nos últimos tempos foram julgadas por aborto, ao focalizarem a opinião pública para esses julgamentos.

«Nos casos em que houve julgamento, foram os adeptos do Sim que prejudicaram essas mulheres gravemente, com manifestações para manipular a opinião pública e pressionar o poder judicial, pouco preocupados com a privacidade das senhoras em causa», afirmou.
Bagão Félix procurava desmontar assim o argumento dos partidários do Sim de que, com a actual lei, as mulheres são sujeitas à devassa da sua vida privada e à humilhação pública, durante uma sessão em Vagos, promovida pelo movimento Liberalização do aborto? Não.
Bagão Félix acusou ainda os que defendem o Sim de quererem «condenar a prisão as mulheres que praticarem aborto às 12 semanas», em vez de defenderem, como ele, outra moldura penal.
«Se o aborto for praticado às 12 semanas também pode levar à prisão, pelo que para eles a questão não é de fundo, mas de prazo. Qual é o critério?», questionou.
O ex-ministro criticou também que a prática de aborto possa vir a ser suportada pelo Serviço Nacional de Saúde, quando encerram maternidades e urgências e se impõem taxas moderadoras.
«Exportamos nascimentos para Badajoz e importamos abortos para Lisboa. Que país é este?», interrogou.
Na sessão interveio também o procurador da República Tiago Miranda, o qual abordou o tema na perspectiva jurídica, para concluir que a lei em vigor tem por função evitar a prática do ilícito (o aborto clandestino) e o quadro legal fornece «válvulas» para várias situações.
Exemplificou com a gravidez indesejada de uma menor de 16 anos que se relacione com um homem mais velho, em que o actual quadro legal permite o aborto, ou de uma mulher portadora de deficiência mental, para além de outros.
A actual lei «atribui a mesma moldura penal a quem der uma bofetada», salientou, questionando se o valor da vida, consagrado na Constituição, não será mais importante e realçando ainda que o próprio Código Civil atribui direitos ao nascituro, desde o início da gravidez, nomeadamente de herança.
A obstetra Filomena Ramos Pereira descreveu o processo de formação desde a concepção até ao nascimento e sublinhou que, mesmo depois do nascimento, o ser humano não tem ainda todas as etapas do seu desenvolvimento, pelo que não considera um critério válido.
O economista João Paulo Barbosa de Melo, outro dos oradores, defendeu que «as questões sociais (da falta de condições para ter filhos) resolvem-se com políticas sociais» e referiu que a legalização do aborto em Espanha e no Reino Unido não acabou com a sua prática clandestina.
Lusa / SOL

22 comentários:

me disse...

queridos amigos, acerca do aborto, saltem ao:

http://up30sub40.blogspot.com

e comente.

bj

Migmaia disse...

Boa tarde,

Não resisti à tentação e, por ter como credíveis os frequentadores do espaço, aceitei a sugestão e acedi ao lugar sugerido pela me. Excelente qualidade, é a opinião com que fico após leitura diagonal. Fico até com inveja de nunca ter visto nada tão criativo pela parte que me (nos) toca, até no recurso à vulgo “ordinarice”.
Devo no entanto dizer que, qualquer manifestação de superioridade, é automaticamente tida como uma inferioridade por parte de quem expressa. Na minha modesta perspectiva. Sem querer retirar qualquer mérito criativo. E, não sei se por uma espécie de masoquismo, mas prometo que lá vou voltar.
Admiro bastante o Prof. Bagão, penso que um pouco como os que escolheram o Prof. Salazar para os 10 melhores Portugueses (sem que eu o tenha feito). Pareceu-me no entanto que, ele não quis dizer o que o Prof. JMV sugere neste título: Mas evidentemente:( O mais grave não é acontecer, é aparecer no telejornal!
A demagogia, infelizmente tão comum a ambos lados, e mais evidente à medida que o dia 11 se aproxima, pareceu-me mais uma resposta “à letra”, às acusações que lhe foram imputadas pelo camarada Carvalhas. Não quero entrar em detalhes, muito menos com argumentos que nada tem a ver com o que se vai votar (ou não).
Independentemente do resultado do referendo, gostaria e tudo faria, que estivesse ao meu alcance, para ver os Professores JMV e BF unidos em prol de uma justiça social que, estou certo, ambos partilham e eu subscrevo. As diferenças não são tão grandes quanto possam parecer, até porque todos habitamos o mesmo País. Evidentemente que, respeitando as diferenças, tal como entendo em relação à guerra dos sexos. E sem querer sugerir que, a analogia vá mais longe do que a complementaridade das diferenças. Apenas: tese, antítese e síntese. E assim foram feitas as Epopeias.

Saudações.

fiury disse...

apenas há poucos dias tive conhecimento da pergunta exacta do referendo e por falta de inteligência,ignorância, falha de interpretação ou outra, ainda não a entendi: despenalizar ou/e liberalizar até ás 10 semanas? o aborto clandestino será punido?

andorinha disse...

Boa noite.

Isto agora passa a ser mais do mesmo...os argumentos a favor ou contra já estão tão esgrimidos e debatidos, que será difícil ouvir algo de novo.
Aliás, a mim, duas semanas de campanha parecem-me demasiado, uma seria suficiente.
Não sei se a lei a isso obriga...confesso a minha ignorância nesse aspecto.

andorinha disse...

Me ou outra alma caridosa:)

Alguém me consegue pôr aquele link a azul? (Este Português...Looool)
É que assim não consigo aceder através do meu pc, que me informa que "sua pesquisa não encontrou nenhum documento correspondente".:(

Vá lá, entendidos em informática, façam-me isso:)
Depois de ler o migmaia fiquei curiosa.

Migmaia,

andorinha disse...

Migmaia está a mais:)

mp disse...

me o blog está muito bom , muito jovem, gostei bastante

Minerva McGonagall disse...

Eu bem digo que não há paciência para aturar a malta do não!

andorinha disse...

Que conclusão tirar ao fim de quase 4 horas?
Que já não existem almas caridosas:(((

Paulo disse...

Andorinha,
Só agora aqui vim e vi o teu pedido…
Então é isto:
nós as gaijas up30 sub40

andorinha disse...

Paulo,
Afinal ainda há almas caridosas:)

Tens aqui uma amiga para a vida.:))))))
E pensar eu que a nossa "relação" aqui neste cantinho até não começou muito bem....:) Loooool

Paulo disse...

Quanto a esta história do aborto, já começo a perder a paciência…
Pois muitas pessoas quer do sim, quer do não, têm razão no que dizem e sabem argumentar com sabedoria, mas…
Há por aqui (aqui em Portugal, não me referia a aqui no Blogge) uma cambada de gente, com uma incapacidade tremenda de argumentar, pelo menos com argumentos que se possam dizer válidos, que é uma coisa impressionante…
Mas a culpa disto também é da merda (desculpem o termo) de políticos que temos, que não têm “tomates” ou o “lugar onde eles batem” (esta expressão não é de minha autoria, mas sim de uma senhora na altura com cerca de 50 e poucos anos/60 disse num jantar de convívio entre colegas, que deixou os homens todos vermelhos, inclusivamente eu :-) ) para decidirem da maneira mais correcta o que tem que ser decidido e deixarem-se de tretas… De tal modo que vemos pessoas lançadas umas às outras, às bocas e aos insultos, porque já não têm mais argumentos decentes para debater…
Arre porra…

pita disse...

ABORTO - A DÚVIDA DAS DÚVIDAS

Será que se houver listas de espera para abortar nos hospitais públicos o prazo alarga de 10 semanas para 5 anos?

Sempre dá para conhecer melhor o puto antes de abortar.

andorinha disse...

Paulo,
Assino por baixo.
Já não suporto ouvir/ler barbaridades.

Paulo disse...

Andorinha (11:43 PM)
Sempre às ordens… :-)
Não começou muito bem, acho que também devido a alguma incapacidade minha de fazer entender o meu ponto de vista, por estas andanças… Nunca fui muito bom a exprimir-me na escrita e por vezes as pessoas ficam sem entender o que eu quero dizer… Mas é o que se arranja… :-)

andorinha disse...

Paulo,
:)))
Os começos nem sempre são importantes desde que as pessoas tenham capacidade para rectificar percursos.
Foi o que fizemos ambos dois:)))))))

Marx disse...

«Exportamos nascimentos para Badajoz e importamos abortos para Lisboa. Que país é este?», interrogou Felix.

Respondo eu. É um país com um déficit na sua balança comercial. Pois que importa bem mais do que exporta.

Haverá, então, que alterar isso. Isto é, o status-quo. Ou seja, votar Sim no próximo referendo.

(Peço desculpa pela ligeireza do slogan mas o Bagão não merecerá mais do que isto.)

me disse...

olá amiguitos!
- sorry "andorinha gloriosa mais formosa do que a rosa..." mas só voltei a ligar-me agora, todavia bastava copiares endereço e colálo na barra da net ias lá parar ao blog num foguete;
- paulo obrigada por teres posto o link;
- agradeço os vossos comentários, a ideia inicial era comentar dentro do blog as "tolices" que pr lá andam, mas thanks anyway, vamos tentar mantê-lo digno do vosso interesse;

beijetas e abracetas:
me

andorinha disse...

Me,
Isso foi o que eu fiz, mas o meu pc não me obedece:)
Com o link do Paulo fui lá e embora não tenha deixado nenhum comentário, gostei do que li.
Não tive muito tempo, mas volto, de certeza, para ler as vossas "tolices".:)

E agora vou dormir que amanhã é segunda-feira:(

Aspásia disse...

PITA

OLHE QUE NESTE PAÍS NADA - QUE NÃO PRESTE...- É IMPOSSÍVEL!

BOA NOITE.

Paulo disse...

Andorinha (1:45 AM)
Deita fora o pc e compra um Mac… :-)

APC disse...

Aquela do aborto por parte de menor que engravide de homem mais velho (por oposição ao engravidar de homem da mesma idade) é que me desconcertou toda. Vou ler outra vez.