sexta-feira, fevereiro 16, 2007

Monogâmico por cansaço?:).

Estou a ler O Mito da Monogamia, preparando um encontro na Almedina. Ora vejam esta passagem: "Há diversas formas através das quais uma fêmea pode frustrar os esforços do parceiro para conquistar outras fêmeas. Uma das mais interessantes envolve a sua própria sexualidade: a fêmea de estorninho mostra-se especialmente propensa a solicitar cópulas ao parceiro quando este corteja activamente outras fêmeas!".

O livro dedica-se a demolir qualquer hipótese de a monogamia ser instintiva na esmagadora maioria das espécies. Incluindo o nosso conhecido Sapiens...

69 comentários:

me disse...

...isso é coisa de cultura ocidental, dita civilizada...basta olhar para algumas tribos no amazónias para vermos outras realidades, eles vivem com vários parceiros em perfeita harmonia e numa verdadeira comunidade.

:)

mezinha

blogico disse...

a questão da monogamia ser instintiva é uma fantasia antiga do sapiens... a chatice é que tudo aponta em sentido contrário. O que vale é que há maneiras de contornar o instinto. benditas sejam as fêmeas de estorninho :)

fiury disse...

isto tá a complicar-se:))) parece que só a raposa,o papagaio e pouco mais são "verdadeiramente" mono e reconhecidamente mais estúpidos, veja-se só! espécies onde o tamanho do macho e da fémea se assemelham. também parece que o galo apenas aguenta a mesma galinha um certo nº de vezes...em prol da continuação da espécie. se for sempre com a mesma galinha reduz-se o nº de pintaínhos ( há alguns que não fariam falta nenhuma à espécie:))))
reduzir o homem a este estatuto (com a quantidade de perfumes que existe....:)))é assustador! mesmo para quem não vai nas cantigas da educação judaico-cristã.
mas venha de lá a ciência, as estatisticas e outros que tais, mesmo que nos tire o encanto da ilusão que somos mais que ratinhos:)))

Insano disse...

Duvida existencial de um conselheiro matrimonial... deve ser tipo a rábula do Marcelo, por parte dos Gato Fedorento:

- É mau ser polígamo?
- É!!!
- A nossa natureza é monógama?
- Não!!!

Julio Machado Vaz disse...

insano,
E não é incoerente?
Shhh...:)

fiury disse...

por isso é que há as "fox" e as "snooty fox":)))

noiseformind disse...

Engraçado foi que pela primeira vez em meses se pôde comprar o último livro do Boss na Almedina do ArrábidaShopping sem ser por encomenda ; )))))))))))))) Dia 22(se bem me lembro) lá estaremos... E ainda por cima aqueles encontros têm fama de desérticos, vamos poder ser alarves à vontade looooooooooool

thorazine disse...

Qlq dia não há mulher que dê o nó sem o companheiro tomar aquelas hormonas sintéticas produzidas apartir do ratinho do campo! lol

moon disse...

Ts... ts... ts...
Que imparcialidade...
Então e a passagem do livro em que fala sobre o inverso?
Então o macho também não tem que fazer esforços para manter a sua fêmea pacata...?
Olhe que sim!!

CêTê disse...

artigo "simpático" sobre a química do amor que pode levar-nos à farmácia num ápice: http://www.spq.pt/boletim/docs/boletimSPQ_100_047_28.pdf

bom fds prolongado ,)

moon disse...

Noise,
quanto ao dia 22, eu li que seria uma sessão de autógrafos e como já tenho dois...:)))
Agora a avaliar pelo post e pelo teu comentário já não sei...
Fica o desejo e se não der, temos pena....

noiseformind disse...

Boss,
O problema central, na minha humilde opinião, é que nós psis continuámos a dizer "monogamia" quando há um caso a decorrer em fundo. Como se a monogamia se mantivesse como uma espécie de cobertor acolhedor para o adultério. "estar casado" ainda é demasiado visto (inclusivé por investigadores de topo) como uma espécie de inerência de monogamia e garante para ela. Muito pouco é dito da parte dos sex-psis sobre os problemas inerentes de uma estrutura estática como a que é o casal. Não há uma ideia de exigência contínua. Infelizmente ainda vejo muito uma postura de "casar para se sair de casa" e não vejo (nem vi ao longo dos 6 anos de Lusitânia Desilusão) um colmatar de necessidades sexuais que mitiguem a condição de inerência que hoje em dia atribuo ao adultério. Escape de uma rotina brutal (os tais 67% de mulheres que passam mais de 2 horas sozinhas na cozinha por dia e depois vão a correr para a sala) para as mulheres, solução para a incontinência ejaculatória masculina que ainda é traquejada na ideia que por magia na ejaculação masculina está um automatismo orgásmico feminino.
A ideia de que melhor comunicação equivale a revelar cada pensamento a cada momento, comum ainda em muito gabinetes da praça lusa, em vez de tentar compreender as diferenças estruturais em que ancoram homens e mulheres é uma das questões que mostram o quão difícil é fazer medrar desejo mútuo num sistema em que qualquer preservação emocional autónoma é visto como uma traição.
Não admira que os piores espécimens emocionais de mulheres sejam as casadas por conveniência. Habituadas a viver por objectivos (manter a casa, a pose, o marido, os filhos em todo o conforto a que se habituaram) arrastam consigo o martírio de não poderem ser sinceras nem por um momento com as suas emoções. Pq tudo tem de ser calculado, até o tempo que passa entre as quecas com o "dito cujo", não vá ele invocar para a traição a falta de cumprimento do dever pénico.
Já os homens em casamentos de conveniência desligam-se emocionalmente por outra via. As mulheres vivem vem, há uma empregadita que as liberta de algumas funções e ZÁS, consideram-se vivendo uma relação moderna. Claro que o sexo como exigência marital n tem piada e é preciso arranjar uma miúda simpática (e tb gira, se possível) que disfarce com outra graciosidade a concessão da vagina ; )))))))))

E a tudo isto muito poucos psis se atreveriam a chamar bigamia. Pq o homem não VIVE em bigamia. Ou, como diria o outro: o coração divividido da mesma pessoa mantém o mesmo código postal ; )))))))))

andorinha disse...

Boa noite.

Monogamia? O que é isso???????:)

noiseformind disse...

Moon,
É um problema muito nosso, dos portugueses. Aceitámos com imensa facilidade uma coisa e o seu contrário sem evidências nem de uma nem de outra. Já fui a inúmeros encontros lá no "sotão" da Almedina e nunca foram meras autografias, longe disso. Até pq o Prof nem é sequer o único interviente, a Paula Santos tb vai estar presente.

Por isso é que há tão pouca gente nesse país a praticar dupla penetração. Dizem-lhes que n presta e a malta encolhe-se ; )))

me disse...

Outro livro deveras interessante é o novo, (digo mesmo NOVO e não vira o disco e toca o mesmo)do ALBERONI chama-se Sexo e Amor!
- já leram? o que acharam?

(ó paulo, qual é o tag do html para por o link activo? - thanks!)
http://www.webboom.pt/ficha.asp?ID=154620

mezinha

noiseformind disse...

E precisamente para contrariar essa turba ignota que milita contra a dupla penetração fica um estudo em video da mesma, por uma das suas mais inspiradas intérpretes: Britney Madison

andorinha disse...

Noise,
"...nós psis continuamos a dizer "monogamia" quando há um caso a decorrer em fundo."
Ai é? Fico espantada.
Significa isso que a "outra" não é uma pessoa, mas sim um simples obejcto de entretenimento???

Não penso que hoje em dia ainda haja muito a postura de "casar para sair de casa", acho até que se verifica o contrário, cada vez mais jovens permanecem até tarde em casa dos pais também porque não têm os constrangimentos, mesmo a nível sexual, que havia antigamente.

Quanto aos casamentos por conveniência, são como o aborto:), sempre houve e sempre haverá. Entra neles quem quer.....a partir daí assumem os riscos inerentes...

noiseformind disse...

E já que alguém falou do Alberoni, cá ficam duas respostas dele numa entrevista que dizem (quase) tudo:

E onde fica a fidelidade?

É um acto de vontade. Só na fase inicial do enamoramento é que é espontânea. É espontânea nas mulheres apaixonadas, mas nem sempre nos homens.

Defende a fidelidade no casamento?

O ideal é que a haja, mas se não for possível é sempre preferível guardar segredo. No livro explico porquê.

noiseformind disse...

Andorinha,

"Significa isso que a "outra" não é uma pessoa, mas sim um simples obejcto de entretenimento???"

Olha como tu sabes umas coisas...

a disse...

Não me surpreende, pratica-se a monogamia (ou tenta-se) por tradição. Faz parte da nossa cultura.

Viva a poliandria! Eu sou praticante, moderada.

Fora-de-Lei disse...

a 6:28 PM

"Viva a poliandria!"

De notar o interessante aspecto de que - no exercício da poliandria - não é uma mulher que possui diversos homens mas sim diversos homens que participam da posse de uma mulher... ;-)


"Eu sou praticante, moderada."

Poliandra (definição de dicionário): diz-ser dos animais cujas fêmeas albergam em seu território mais de um macho de sua espécie.

Poliandra (definição corriqueira): mula, vaca, cabra, maluca, oferecida, etc, etc.

andorinha disse...

Noise,
Obejcto, não, mas sim, objecto:)

Mas não concordo nada com essa visão redutora e aí sim, moralista, de que a outra/ o outro são apenas simples entretenimento.
Cada caso é um caso e se os sex-psis não percebem isso, estamos mal:)))))

Algumas coisitas tenho aprendido contigo, miúdo:)

Aspásia disse...

FAÇA-SE UM REFERENDO PARA A INSTITUIÇÃO DE HARÉNS DE AMBOS OS SEXOS EM PORTUGAL...

:)

Migmaia disse...

Boa tarde,

E as coisas que aqui aprendo, … descobri a propósito que a bigamia dá 2 anos de saco no Brasil.
Quanto à monogamia no Sapiens, numa perspectiva muita empírica da coisa, só se for por vocação, mas parece-me contrária à natureza do Animal. A citação do Alberoni que o noise mencionou, é bastante curiosa. A fidelidade é espontânea, na fase inicial do enamoramento, depois trata-se de um acto de vontade.
E a vontade, creio que será mais exterior, e fruto das normas sociais que nos condicionam a padrões comportamentais.Aquele estudo sobre pensamentos infieis/desejos das Mulheres comprometidas na USA,também é sintomático da Natureza do Animal.Que nunca se cansa.

Ameninadalua disse...

Boa noite

Suponho que já tinha dado para desconfiar há muito que a monogamia pudesse não ser assim tão institiva..:)Até pela constatação da enorme quantidade de práticas contrárias...

O Homo Sapiens não é monogâmico de natureza e depois? será que isso lhe retira o direito e o dever de o ser na prática?

Será que nós como seres humanos não fomos ao longo de todo o nosso processo de desenvolvimento capazes de nos realizarmos muito para alem daquilo que nos é meramente instintivo?

Apesar tudo a monogamia tem espaço e razão de ser...
Numa relação sincera de envolvimento e maturidade penso que, e não só por uma questão cultural, a monogamia traduz perante o outro um sinal de disponibilidade, de exclusividade e principalmente de empenhamento na relação ...

Tenho para mim que actualmente a falta de empenhamento perante o outro, é uma das razões que leva a grande parte do fim das relações; no fundo pensam que basta estar e gostar para tudo seja resolvido e garantido...

Para finalizar devo dizer que o inverso tambem me parece que está longe de ser verdadeiro e tal como já muitos referiram muitas vezes está-se e até se é monogãmico por todas as razões menos por aquelas que verdadeiramente são importantes para o casal mas isso é outra história...

Su disse...

mas quem disse , que nós, animais ...somos mono??

somos por educação...sei lá....

jocas maradas

FMSG disse...

Antes de mais, muito boa noite a todos! Sou um assíduo visitante do blog do Prof. Júlio Machado Vaz e, por isso e por muito mais que já todos vós sabem, fico extremamente feliz por ter o Prof. Júlio Machado Vaz na livraria Almedina do Arrábida Shopping, quanto mais não seja porque eu sou o organizador (mas não o coordenador deste ciclo de colóquios!) dos eventos no nosso espaço. Devo dizer que a culpa é inteiramente minha: deparei, em boa hora, com o livro "O Mito da Monogamia" no nosso espaço e apresentei a proposta de um colóquio com este tema e obrigatoriamente com a presença do Prof. JMV ao nosso coordenador do ciclo "Fronteiras do Conhecimento" e foi imediatamente aceite, diria, entusiasticamente aceite! A ideia estava lançada, o grande desafio seria contactar o Prof. JMV e, mais tarde, encontrar uma data compatível também com a nossa outra convidada, a Drª Paula Santos, antropóloga da Univ. Fernando Pessoa! Todos se conseguiu, muito graças à enorme simpatia do Prof. JMV! Será no próximo dia 22 de Fevereiro, às 21:30h, mas aconselho a todos que estejam presentes a partir das 21h porque este colóquio está a prender a atenção de muitos dos nossos clientes (caro Prof. JMV: para ser sincero, penso que o nosso público será 90% feminino!!!).

Uma pequena nota meramente informativa para o nosso amigo noiseformind: felizmente, este nosso ciclo "Fronteiras do Conhecimento" de desértico não tem tido nada; é, de todos os eventos que já realizei, aquele que tem atraído mais público, ou não fossem todos os temas ou tanto ou nada "esotéricos/provocativos"! Geralmente, o nosso "sotão" consegue encher nestas tertúlias e tenho a certeza absoluta que vai acontecer agora o mesmo com este colóquio... o único "senão" é o Benfica jogar no mesmo dia (tenho de confirmar a hora); eu e o Prof. JMV iremos sofrer em uníssono, mas estaremos sempre informados praticamente em tempo real! ;)

Estão, desde já, todos convidados para esta deliciosa conversa! Gostaria imenso de os receber "na nossa casa" e de vos conhecer!

Abraços para todos e outro bem especial para o Prof. JMV,

Miguel Gonçalves

noiseformind disse...

fmsg,
"(caro Prof. JMV: para ser sincero, penso que o nosso público será 90% feminino!!!)"

Lá estás tu a dissecar-me a pouca monogamia que me resta :)))))

fiury disse...

cêtê
do outro lado do radical,2 ratinhos com rinite alérgica nunca podiam ser felizes para sempre:))))

amenina da lua
as relações amorosas também espelham as relações interpessoais em geral destes tempos que nos fazem pensar para onde estamos a caminhar, embora haja avanços civilizacionais importantes mas que são usados cada vez mais a pensar no eu, depois eu e seguir eu
...

thorazine disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
thorazine disse...

O professor num "amor é.." falou sobre a diferença de escrever no papel e de escrever na forma digital. Aqui está um video que aborda isso...e as as consequências: http://www.youtube.com/watch?v=6gmP4nk0EOE

:))

Ontem andava a brincar no site meter e reparei que tem lá as coordenadas dos ips. Não sei é se é do ISP ou do utilizador. Para testar: alguem acede à net numa casa em cedofeita, no início, junto à Praça de Carlos Alberto??~

Prof, o melhor era retirar a inscrição do site meter. Compromete a nossa e a sua privacidade! ;((((

andorinha disse...

Fmsg,

Se puder lá estarei a fazer parte, com todo o gosto, desses 90%.:)
Guimarães é perto e por eventos que valem a pena, 50 km não são nada...

andorinha disse...

Fiury,
Não acho que sejamos mais egoístas hoje do que já fomos noutras eras.
Apenas temos mais consciência de nós próprios e a noção de que temos direito à felicidade.
Aqui há uns anos as pessoas suportavam relações já desgastadas, por receio da condenação social. Felizmente as coisas evoluiram nesse aspecto...
E para estarmos de bem com os outros temos de estar bem connosco, portanto uma certa dose de "egoísmo" é saudável:)


Thora,
"Prof, o melhor era retirar a inscrição do site meter. Compromete a nossa e a sua privacidade! ;(((( "

Estás a falar a sério?
Compromete como?
Fica-se a saber que alguém acede à Net de determinada zona, é isso?
E qual é o mal?:)
Pode-te parecer uma pergunta parva, mas já sabes que sou totalmente ignorante nestas matérias:)))))

thorazine disse...

Andorinha,
não é bem " em determinada zona", é mesmo coordenadas (latitude/longitude). A minha dúvida é se são as coordenadas do ip (definido pelo ISP) ou as coordenadas mesmo do ISP. Não posso verificar porque não econtro lá o meu ip, senão verificava se as coordenadas são de minha casa! :P

fiury disse...

menina da lua

de acordo. quando falava de avanços civilizacionais referia-me por exemplo ao divórcio,contudo penso que devemos ser mais responsaveis e isso passa por respeitar e pensarmos mais nos outros. não estou tao otimista numa sociedade tão ávida de consumo rápido, competitiva e virada para o umbigo.

fiury disse...

desculpe ameninadalua

o meu comentário dirigia-se à andorinha.

Pamina disse...

Boa noite.

Conheço uma mulher que, depois de descobrir no bolso das calças do marido uma conta dum hotel da cidade onde moravam, e após a pergunta parva "O que é isto?" e a resposta óbvia "Sei lá! Nunca vi, não deve ser meu.", adoptou a táctica da estorninha, devo dizer, que sem o resultado pretendido.
As tardes passadas nesse hotel não diminuiram de frequência e este estorninho, certamente dotado de uma enorme vitalidade, apesar de já estar perto dos cinquenta, aguentou a situação, incansável, durante bastantes meses, até...

O desenvolvimento da história é muito interessante. Não foi o cansaço, nos dois sentidos do termo, que o fez mudar o ritmo e o estilo de vida, mas o amor:).
O estorninho apaixonou-se por outra e a primeira medida que tomou foi acabar tudo com a "amante". Nunca mais "esteve" com ela, resistindo mesmo heroicamente:), a alguns avanços desta, em situações em que não a pôde evitar e que não posso estar a especificar aqui em público, mas que para o caso também não interessam.
Poderão estar a pensar que, no fundo, o que ele fez foi substituir uma "amante" por outra, mas não é bem assim. É que esta mulher morava bastante longe e, portanto, quando a relação começou, viam-se pouco frequentemente. Assim, ele passou duma actividade sexual intensa, muito satisfatória, no seu dizer, para um género de amor quase platónico. Devido às circunstâncias, note-se. O desejo existia, mas não havendo possibilidade de encontro, o contacto telefónico bastava para lhe acalmar as ânsias (mais do que as da amada).
Claro que durante um tempo (depois separou-se) ainda "tinha" a mulher, embora os ardores dela fossem diminuindo. Depois da separação, e até a amada se lhe juntar, manteve a situação de celibato, continuando a resistir às investidas da ex-amante.

Apenas umas pequenas notas finais. Esta não é uma história do género que começa por "uma amiga minha", quando na realidade se trata da própria pessoa. Não fui eu que encontrei a conta do hotel:). Aliás, a primeira frase não está completamente correcta, porque eu não a conheço, no sentido de conhecer pessoalmente. Outra coisa que gostaria de dizer é que, embora não possa explicar aqui porquê, eu sei que a história é verdadeira e que ele acabou mesmo o caso com a "amante" e, finalmente, que a contei porque não violei a privacidade de ninguém e não há a mínima possibilidade de algum dos envolvidos ler isto e ficar magoado.

Ameninadalua disse...

Fiury

"não estou tao otimista numa sociedade tão ávida de consumo rápido, competitiva e virada para o umbigo."

Pois cada vez encontro mais pessoas auto-centradas em si proprias, mas os egoismos tambem têm os seus custos e a solidao é um deles...

Porem existem sinais de melhores entendimentos; hoje tambem é possível sermos mais autenticos , mais equilibrados nas "partilhas" e principalmente termos espaço para a nossa propria autonomia e identidade...

Mas nisto do Amor, nunca se sabe!!!
E por vezes acontece que nos trocam perdidamente as voltas:))

fiury disse...

ameninadalua

tem razão, no amor é tudo mais complicado:)))))

mas diga-me: acha que os ratos nos vão ajudar?!)))))))))))))

tanto quimico!!!! e eu a pensar que a quimica era outra coisa:)))))

peciscas disse...

Viva!
Hoje já vou adormecer com a consciência um pouco menos pesada!

me disse...

dúvida:
- e consegue-se manter um triangulo ao longo do tempo? - será que o sexo fica sempre sendo "bom sexo" (com a amante/o amante)sem se meter na relação dita de amor com a (mulher/marido)? - ou por outro lado, o sexo se transforma em amor e lixa a cena toda?

mezinha

Insano disse...

Mantendo os diálogos "à la gato fedorento"..

- Achas que estarias a trair o teu sentimento com a tua amada, ao estares com outra mulher?
- Não!!!!!
- E se ela tivesse com outro, estaria a trair o sentimento por ti?
- Sim!!!!

A nossa mente é f... fosse tudo com botõezinhos... mas aí tambén não seriamos felizes.

O estatuto de macho possessivo, impregnado na nossa cultura é muito dificíl de combater... é por isso que invejo os haréns... ali ninguém reclama... (mode on: pure evil).
Abraço,

NARNIA disse...

Só se "safam" os Eunucos :))

tabemta disse...

Boa tarde!
Um tema sem tempo...
Alguém me dizia, em tempos "Ser a outra é muito melhor!" e explicava "É só love. Sem roupa para lavar e passar, fogão para atasanar e não ser alvo de descarga de fobias... As legítimas que se encarreguem disso. Sou adepta do amor e comigo é só amor...."

a disse...

fora-da-lei:

surreais as definições...

AQUILES disse...

Se imitassem as fêmeas do estorninho :):):):):):):):):), tanto que se evitava :):):):):):):

Aspásia disse...

THORA

http://www.ip-adress.com/

PARA SABERES O TEU IP E ONDE ESTÁ O TEU SERVIDOR (ISP) - SÃO AS COORDENADAS DESTE Q SÃO REGISTADAS.

TU PODES ESTAR NO PORTO E O SERVIDOR EM LISBOA... NÃO SERÁ FÁCIL SERES "LOCALIZADO"...

BOM CARNAVAL...
BJS

:))

CêTê disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
CêTê disse...

exclui o meu comentário (feito segundos antes deste) porque tinha interpretado mal o comentário da pamina. E porque achei imprópria a minha brincadeira o excluí.

mp disse...

realmente monogamia é um estado mental, pois não conheço ninguém que o seja .
muita gente tenta e vai conseguindo á custa de muitas renuncias , mas lá vem o dia em que o cantaro quebra a asa , isto não quer dizer que não se ame o homem ou mulher com quem se vive ,mas uma coisa é uma relação séria outra saõ as "tentações da carne"

Paulo disse...

me (6:06 PM)
Sexo e Amor de Francesco Alberoni

Aqui está… ;-)

Joao Malainho disse...

Eu, pelos vistos, não existo mesmo. Para os meus sentimentos de culpa não se encontram justificações destas. Até para limpar a consciência é preciso ter sorte. Mas critique-me quem quiser, chamem-me antiquado, seja o que for... Mas eu sempre fui até hoje e não me arrependo (monogâmico, entenda-se).

romã disse...

???

romã disse...

Não disse, mas vou dizer...
Andei a ver como me registava para poder "falar" e, no fim, tive que fazer uma experiência.
Este assunto é muito interessante.
Para já gostava de deixar uma pergunta: é mais polémico para as mulheres ou para os homens?
O que quero dizer é: na generalidade, os homens arrumam mentalmente a sua duplicidade de afectos/relações sem grandes consequências de culpabilidade ou "catalogação" melhor do que as mulheres?

mp disse...

ó joão claro que existe mesmo, e não se ache um freak, ser fiel fisicamente a uma pessoa , não significa que o seja fisica psicologicamente , quntas vezes está a ter relações com uma e a pensar na betty boop?, como vê a monogamia não existe mesmo que só esteja a ter relações fisicas com uma , a sua cabeça pode estar com duas duzias,

mp disse...

gostei das suas postagens do fcp, joao

noiseformind disse...

Boss,
O Público, (ou melhor, a sua fêmea revista dominical, a Pública) cai hoje oficialmente na tentação de ter uma crónica dedicada ao esbodegar e ao foder. O nome do autor é-me indiferente, gosto de começar estas leituras com a imparcilidade de um árbito subornado por ambas as equipas ; ))))))))))))))) ou seja: sem esperanças de que dali venha coisa boa mas sem ilusões de que dali venha coisa muito ruim. E lá volto a ler palhaçadas dignas de nota: "uma outra investigação realizada na Universidade de Monmouth nos EUA indicou que é quando os elementos de um casal se sentem pouco satisfeitos e com limitadas capacidades de auto-realização no contexto da sua relação que mais provavelmente serão infiéis."

JURA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! E foi preciso ir a Monmouth??????????? Aliás, foi preciso tirar o curso de Psicologia para isso??????????????????????????

As crónicas de sexualidade lusas continuam a decepcionar-me. Tenta-se sempre esticar as pontas de optimismo para que ninguém se sinta perdido, tenta-se sempre levar optimistmo a situações ridículas e não desesperadas.

Há uns meses uma revista semanária contactou-me para lhes escrever um especial sobre sexo em Portugal ao longo de 5 edições. Enviado um esboço a resposta foi liminar: o panorama apresentado era demasiado negro, os leitores iriam sentir-se deprimidos o que poderia afectar as vendas da revista ao longo da publicação do artigo. Pois é, convém sempre falar naquela linguagem transvestida de "tanto pode ser bom como mau", convém dar sempre esperança aos ejaculadores precoces e às irremediáveis frígidas, o vaginismo n é assim um muro tão alto, a indiferença à parceira não é uma parede tão granítica. Tudo fácil, pronto a consumir, para deitar fora no momento seguinte à leitura por inutilidade de sentido prático : )))))))))

Joao Malainho disse...

Pode, lá isso pode MP, mas a minha só tem conseguido estar com uma. Se eu fosse mais Poli também me parece que seria mais feliz.

PS:Obrigado por ter gostado do meu FCPmemories :)

CêTê disse...

De facto há artigos que nem vale a pena ler NEM com referências de luxo. As que tratam as pessoas como "coisas" então!... E por razões que se podem adivinhar quando dão para se referirem a nós mulheres só falta o número do catálogo- tipo vulva rapada a pente zero, clitóris róseo,etc...- nº652.
Curiosamente do género masculino pouquita coisa. (Que até dava para a malta poder confirmar ou prespectivar lol)- São o que chamo artigos "open mind" restrito fruto de aprendizagens mecanicistas.- o que um colega chama "artigo de mecânico". ;]

me disse...

pró paulito:
- thanks (pelo link)mas a ideia era ensinares a maltosa como se faz, assim não havia mais pedidos chatinhos (meus, leia-se!).

pra todos:
- buáááá! sniff, sniff, ninguém respondeu à minha dúvida...

mezinha

Cleopatra disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cleopatra disse...

Olhe professor, ele há estorninhos que não dão descanso e, ele há estorninhos que por muito que uma fêmea se emplume, não querem e não querem e
Porque será?..
Cansaram de fêmea , têm medo dea ou...não dão uma pá caixa?

O que vale é que há sempre um estorninho por perto que não dá descanso...
Eu não devia dizer isto
Isto não me fica nada bem...
E eu acho que isso da monogamia é uma ganda treta...
Mas também acho que fêmeas como as do estornunho não dão hipótese qdo o estorninho é a sério...

Portanto, isto é tudo uma questão de fêmeas.
Tá tudo nas nossas...penas...
Olhe ...apeteceu-me!

Bom dia.

antidote disse...

Ha aqui um problema de linguagem.
Monogamia tem querido dizer que nao se abandona a pessoa com quem publicamente se tem uma relacao para nos envolvermos fisica ou/e emocionalmente com outros. Depois há a monogamia em série, em que para nao termos o sentimento de culpa da "traicao" abandonamos sucessivamente parceiros antigos quando nos fascinamos com um novo.

Depois, ha outras opcoes de vida, como quando decidimos substituir o primado da monogamia pelo da sinceridade:

http://laundrylst.blogspot.com/2005/01/o-dia-em-que-atirei-monogamia-s.html#links

http://laundrylst.blogspot.com/2006/04/international-conference-on-polyamory.html#links

(todo o blog laundrylst.blogspot.com é dedicado ao poliamor e suas variantes)

Porque é que uma pessoa tem de ser tudo para mim? Amante, namorado, educador dos meus filhos, cumplice? Isso é sobrehumano… porque nao hei de estar com pessoas cujas facetas sao as melhores no seu campo? Porque nao hei de gostar de duas pessoas (sim, a minha historia) sem dramas nem ciumes? É possivel, e é assim que vivo há uns anitos (e outros que conheco), mas nao encaixa no modelo normativo de sociedade que temos.

INDIGENTE ANDRAJOSO disse...

as sociedades são tambem definidas pela interceção das relações inter-pessoais com a moralidade, meras definições

Cleopatra disse...

Outra coisa que gostaria de dizer é que, embora não possa explicar aqui porquê, eu sei que a história é verdadeira e que ele acabou mesmo o caso com a "amante" e, finalmente, que a contei porque não violei a privacidade de ninguém e não há a mínima possibilidade de algum dos envolvidos ler isto e ficar magoado.


Ena ena Pamina.~
Vai na volta és a tal que morava longe!
Ficaste com o estorninho!
Parabéns.

Klatuu o embuçado disse...

A natureza humana é mista: poligâmica no sexo, com tendências monogâmicas na reprodução... Ambas servem objectivos de sucesso reprodutivo... :)

Abraço.

black disse...

;) "En una pareja, dos siempre son tres" - etiqueta negra

Pamina...
há sempre uma maré que desincrusta a lapa antes de vir outra que a engole

Cleopatra disse...

É verdade black.

walxana disse...

amor é foda...
www