segunda-feira, fevereiro 05, 2007

Nas asas da tecnologia.

www.youtube.com/watch?v=oMYzdf4t8IY


Mais um contributo.

Versão oficial para o meu ar de velhinho - estava a sair de uma gripe.

Triste realidade:( - O Noise fez um péssimo trabalho de maquilhagem!:).

Sorry:))))))), estava errado.

90 comentários:

viktor disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
a disse...

Apoiado! A 100%, não me considero clone e sou jovem (nunca deixei de votar, nem que fosse em branco, mas no domingo vou votar sim). Quanto à produção... só tenho 1 dedo a apontar, relativo ao enquadramento (demasiado dinâmico, desconcentrante).

lobices disse...

...óptima prestação!...
abraço

Aspásia disse...

BOA TARDE

VEREI MAIS LOGO

PASSO PARA INFORMAR Q ESTA A DAR JOEL COSTA NA A2 DA RDP - O BUNKER DE BERLIM.
ATE FALA DA ASTROLOGIA NOS DESTINOS DE 3º REICH...~
IMPERDÍVEL.

BOA tarde a todos.

Aspásia disse...

OLA LOBICES

COMO JA VIU O VIDEO, LIGUE A A2.
OLHA Q TAMBEM!, VALE MESMO A PENA!

BJINHOS

andorinha disse...

Boa tarde.(de fugida...)

O que esperava de si. Isto diz tudo:)

Até mais logo, gente.

Manel disse...

Não esperava outra coisa de si!

alice disse...

Esteve bem, Dr. disse o essencial e o que é preciso ser dito.
Vou ver se consigo não ver mais nada de tempos de antena para não ter de reforçar a dose do ansiolítico...
com tanta parvoíce que por aí grassa.

Ameninadalua disse...

Discurso seguro, sereno mas firme:)

Gostei!...

Parabens às Produções Murcónicas...
Estão profissionalíssimas...mesmo com a maquilhagem especial do Noise:)

thorazine disse...

Eu sou "mais novo" e vi!!!! :)))

Gostei de ouvir! Falou e falou bem! :))

Aspásia disse...

BOA TARDE

ACABO DE VER E COMENTAR IN SITU.

QTO À MAQUILHAGEM, RECOMENDO PARA A PRÓXIMA UM POUCO MAIS DE ROUGE... O RESTO ESTÁ PERFEITO!

:)

Aspásia disse...

THORA

MAS TU ÉS UM "MAIS NOVO" EXCEPCIONAL... VENS CONFIRMAR A REGRA...

AH, DESCULPA... BOM DIA!

;))

maria estrela disse...

Reencaminhei para o meu filho a quem tenho "massacrado"para que não se abstenha.Explicou lindamente!

Pamina disse...

Boa noite.

Sóbrio, digno, sem histerismos.

andorinha disse...

Alice,
Tu vês tempos de antena????!!!!
Preserva a tua sanidade mental:)))

Thora,
Tu és "mais novo"?
Mas tu és uma ovelha tresmalhada que caíu aqui por acaso:)))))

mp disse...

gostei bastante do video
não sei que idade tem ,pois costumo ouvi-lo todas as manhãs e como o rádiosó tem voz, para mimnão tem idade , acho que está bastante bem , muito penteadinho.
acho que realmente dia 12 vai ser tudo diferente, pois o imaginário acaba e começa outra epapa , quer seja sim ou não o voto
é muito importante que não se fique pelo nim, espero que os "20" votem em bloco, e estou confiante de que sim eles irão votar

Paulo disse...

Professor…
Gostei… Como sempre muito sóbrio e directo… Quem me dera que aquelas "coisas" que "propôs" pós-referendo fossem mesmo implementadas… Era um excelente sinal de que não andávamos sempre a "por o carro à frente dos bois" e que tentávamos resolver as os problemas a montante, evitando que eles aparecessem…
Mas não sei… Com a porcaria de governantes que temos, que não põem em prática a lei que temos no que a coisas tão simples como a educação diz respeito… Refiro-me por exemplo aquela reportagem da SIC em uma criança que quer ir à escola, não pode ir porque os pais não deixam e as autoridades não põem em prática os mecanismos legais para a levarem à mesma, queiram os pais ou não queiram… Pois……… Ela está lá no meio da serra onde ninguém a vê, não é? E quantas mais existirão por aí perdidas por este nosso país, ignoradas pelas nossas autoridades?
Por isso não sei… Sei que se dependesse do professor e de outros como o senhor, tal seria feito, mas quanto aos nossos políticos é só fogo de vista e mais nada… Agora até se dão ao luxo de "gozar" com os nossos baixos salários………
Só um aparte ainda professor, no meio desta necessidade de despenalizar, a única coisa que me continua a martirizar é apenas o prazo… Mas fazer o quê??? É o tal problema da estratégia de redução de danos, na impossibilidade de os eliminar por completo. Né… :-(
Ai, ai…

thorazine disse...

aspácia,
bom dia??? Pensas mesmo que eu sou morcegõ morcegão!!! :))

Antes de, talvez, tu acordares já tinha feito um exame de 3 horas!! :P

Andorinha,
ovelha tresmalhada? Mas que criatura julgas que eu sou? Apesar da metamorfose kafkiana que estou a ultrapassar...os meus caracterees ainda são humanoides!! :)))

JFR disse...

Uma vez mais a seriedade moral e intelectual do Prof. JMV estão presentes. Tal como aconteceu no debate da TSF de hoje, às 20. Aliás, um debate civilizado como tem sido raro ver-se. As opiniões diferentes, não necessitam nem de voz alta, nem de agressividade para se imporem. Basta que aceitem a não existência de verdades absolutas.

Quanto ao conteúdo, é difícil discordar. O que não significa, para mim, a certeza de qual o caminho. Pelas razões que refiro no comentário seguinte.

thorazine disse...

Paulo,
o prazo, penso eu, é do mesmo género dos limites das velocidades. É preciso marcar uma linha para não ser vago em demasia, mas há tolerancia. Por exemplo, a maioria das pessoas que ultrapassa em 1 ou 2 quilómetros horarios o limite não é punido..

JFR disse...

Há alguns dias escrevi neste sítio:

http://abaixa-voz.blogspot.com/2007/02/porque-poderei-votar-em-branco.html

o seguinte:

PORQUE PODEREI VOTAR EM BRANCO

As dificuldades que se colocam para muitos eleitores em ir votar e, para outros, em subscreverem uma das perguntas do referendo do aborto, julgo estar bastante associada à falta de uma maior transparência de todas as consequências que um SIM ou um NÃO comportará.

A defesa de cada uma daquelas opções tem-se refugiado, salvo honrosas excepções, nos lugares comuns que pouco esclarecem e muito irritam, pela sua repetição até à exaustão.

Infelizmente, não houve discernimento político para se propor, discutir e aprovar uma “Lei do Aborto” que fosse, posteriormente, colocada em escrutínio universal, através do referendo.

Numa lei desse tipo, ficaria claro o que pensava a maioria do poder político e do poder legislativo. Também ficavam afastadas hipóteses de inconstitucionalidade com o parecer do Tribunal respectivo.

A resposta ao referendo seria, na mesma, um SIM ou um NÃO. Só que a um pacote completo de novas medidas e alteração e supressão de outras existentes. Poderiam existir discordâncias parciais, mas saber-se-ia tudo, ou quase tudo, que o resultado do referendo implicaria. Seria, por isso, um voto plenamente consciente. Sabedor. Convicto. Seguro.

Seria um voto com o conhecimento provável de como, no futuro, seriam reguladas, por exemplo, as seguintes situações:

1 - Uma menor pretende abortar. Tem direito de o fazer sem consentimento dos pais? Pode fazê-lo só com o consentimento do pai ou da mãe?
2 - Em que condições é o aborto considerado crime?
3 - Sendo considerado crime a pena é de prisão?
4 - A mulher tem que justificar o aborto?
5 - Existirá uma consulta de aconselhamento? Exame ginecológico? Período de reflexão?
6 - Quem são as entidades que realizam as consultas de aconselhamento? São nomeadas? Podem recusar-se? Oferecem-se? Regime exclusivo? São remuneradas? São apenas médicos? De várias especialidades?
7 - É eliminado o artigo actual que atribui a dois médicos a competência para verificarem se existem, ou não, os pressupostos para que o aborto não seja punido?
8 - As pessoas com rendimentos acima de determinado patamar também têm o aborto gratuito?
9 - A decisão de abortar exclui, em todos os casos, o homem? Exige que, pelo menos, tenha conhecimento da intenção da mulher?
10 - O homem que entende que a mulher deve abortar tem direito a não ser responsabilizado pelo futuro ser humano se a mulher der continuidade à gravidez?
11 - A opinião diferente sobre o aborto pode ser causa justificativa de divórcio?
12 - O feto abortado será sujeito a análise de ADN? Pode o homem usar esse exame como prova de adultério?
13 - Os médicos poderão recusar-se a realizar um aborto?
14 - Os médicos, parteiras e outros elementos que realizem abortos clandestinos verão agravada a sua punição, num quadro legal que os permita realizar em condições claras?
15 - Existirão registos dos abortos realizados? E de quem os praticou? São sigilosos? Que razões poderão levantar o sigilo?
16 - As condições de registo serão iguais nos locais públicos e nos privados convencionados?
17 - Que razões são aceites para que uma mulher possa recorrer à clínica privada e não ao hospital público? Como se controlará isso?
18 - Qual o valor limite do apoio financeiro do estado aos abortos realizados em clínicas privadas convencionadas?
19 - Haverá limite para os abortos praticados por uma mesma mulher?
20 - As despesas de realização de um aborto que ultrapassem o limite do apoio do estado são aceites para efeito de IRS, como as restantes despesas de saúde?
21 - Haverá penalização específica e automática para quem publicite (jornais, internet, etc.) o nome das mulheres que realizaram um aborto, no caso de este ser considerado confidencial?

Certamente mais dúvidas existirão. Os políticos são pagos para se preocuparem com as perguntas e as suas respostas. Até hoje, se alguma preocupação tiveram, não a tornaram pública. Nem os movimentos que são muitos e pouco dizem a respeito.

Sem respostas anteriores ao referendo, sinto-me incapaz de tomar uma posição, para além daquela que o dever cívico me impõe: ir votar. Em branco. Para informar de que não me é indiferente o problema. Mas que não passo cheques em branco a ninguém. Do SIM ou do NÃO.

Há coisas que, por demasiado importantes, não justificam a teoria da redução de danos. Da teoria do mal menor.

Como diz Mário Soares:

“Se o não ganhar não é nenhuma tragédia. (...) Tudo ficará igual, eu acho que é mau, mas é assim. A democracia tem preços e esse é um deles.”

andorinha disse...

Thora,
Ovelha tresmalhada da tua geração...acho que não anda mais ninguém por aqui à excepção da a:)

Paulo,
O Thora já te respondeu...:)

Paulo disse...

Raios partam esta MERDA (desculpem o palavrão)…
Mas estou com o estômago às voltas e com uma raiva que nem me aguento…
Depois de ter visto o vídeo do professor e ter postado aqui o meu anterior comentário, resolvi voltar à página do “youtube” para rever o vídeo do professor, o que fiz… Mas depois decidi dar uma espreitadela às “ligações” de uns vídeos que estavam lá do lado direito, entre os quais estavam os “gato fedorento” e outros… Mas entre esses outros estava um chamado “aborto” que me deixou arrepiado até agora, pois algumas das imagens que lá se viam já eram de autênticos crimes e algumas estavam fora do prazo que está em causa (não quer dizer com isto que gostei das imagens que estavam dentro do prazo… não… de maneira nenhuma… Achei-as horríveis também… Mas colocar fetos “mais avançados” é demais…)
Isto já está a tomar proporções inimagináveis à aqui à uns anos atrás de ambos os lados… Porra… Que raiva… :-(

Marx disse...

Caro Prof.
Parabéns pelo video, clarividente qb sobre o mais importante. E bem menos febril do que os do Marcelo. Penso vir a utilizá-lo, no meu blog, como "contraditório" a uma missa a que assisti ontem. O padre fez uma homilia, de meia hora, para avisar os presentes, de dedo em riste, que seriam uma espécie de procuradores de Jesus Cristo no referendo. Entre outras preciosidades. Não podendo Ele lá ir, certamente por não estar recenseado, deveriam ser os católicos presentes a "fazer a cruzinha" no Não. Fica, então, avisado, Prof., que o vou usar "contra" Jesus himself...

Fora-de-Lei disse...

Sete minutos e quarenta e seis segundos de serenidade...!

Aspásia disse...

THORA

já tinha feito um exame de 3 horas!! :P

AH! MUITO BEM! E SUPONHO QUE TU É QUE FOSTE EXAMINADO... MAS DEIXA UM DIA VINGAS-TE E PASSAS A EXAMINADOR...

ENTÃO DESCANSA ESSE CÉREBRO COM MAIS 100 G QUE O MEU!!!

BJHINS

;)

Aspásia disse...

AH! NADA COMO A INSUSTENTÁVEL LEVEZA DO CÉR-EBRO FEMININO...
:))

Minerva McGonagall disse...

Não está nada com ar de velho, pelo contrário! Até porque essa serenidade esconde qualquer ruga!

É sempre bom ouvir quem sabe falar!

Paulo disse...

Estamos no segundo intervalo do Prós & Contras… E se há coisa que este debate no mínimo está a conseguir é fazer-me voltar à estaca zero………… :-(

Marés disse...

Prof.

Uma intervenção cuidada e esclarecedora, como sempre nos tem habituado ao longo do seu percurso. A sua estreia no Tube fica bem marcada.
E o que vi por aí de mais velho foram uns alfarrábios aí na estante...

Bom descanso
Bjs :-)

Paulo disse...

Thorazine (10:20 PM)
Desculpa, mas para mim este prazo jamais poderá ter alguma comparação com um limite de velocidade… Tem é que garantir ao máximo que protege o Ser Humano… Para mim infelizmente isso não está garantido, pese embora a tal "estratégia de redução de danos, na impossibilidade de os eliminar por completo", que não me sossega nem um pouco…

Paulo disse...

JFR (10:21 PM)
Bem……… Já não bastava o Prós & Contras de hoje ter-me posto outra vez a cabeça a andar à roda, ainda me vens tu com isto??? :-)

andorinha disse...

Acabou o debate e só posso dizer que estou farta disto, estou farta da demagogia dos defensores do Não.
São eles os "bonzinhos" que prezam tanto o embrião que desprezam a mulher.

Só vou referir três pontos que para mim ressaltaram deste debate.

Primeiro ponto: agora quase em cima da data do referendo tiraram um novo modelo da cartola; isto só tem um nome: jogo sujo.
Abandonaram o radicalismo porque viram que não era dessa forma que captavam apoiantes e estão a tentar adoptar posições mais "moderadas".
O aborto continua a ser crime, não há penas de prisão, mas há inquérito, há investigação e há suspensão...do processo, ou seja, não há julgamento. Pelo menos foi isto o que eu percebi. Tão benevolentes que eles são!!!!!

Segundo ponto: o estatuto do embrião e o da mulher não são idênticos, portanto no caso de "conflito de interesses" deve prevalecer o da mulher, como é lógico.
Agora vêm falar da dor, das ecografias, bla, bla, bla.....
Mas ninguém quer o aborto, chiça, já toda a gente chegou a essa conclusão. Então por que tentam distorcer as coisas?:(

Terceiro ponto: agora é que o aborto é livre, o aborto clandestino, feito pela mulher muitas vezes sem consultar ninguém, sem ter que dar razões, sem qualquer tipo de aconselhamento, com o tempo de gestação que calhar e feito onde e como calhar.
É isto que o Não pretende que continue a existir.

Felizmente para mim a escolha não é difícil, é aliás, cada vez mais fácil.

Até amanhã, gente:)

noiseformind disse...

Boss,
O elevado improfissionalismo, anarquismo militante e completo desrespeito pelas normas mínimas da produção televisiva dão uma certa beleza a este video. Já para não dizer que apareces com uma vasta biblioteca atrás. Um mecenas e um inciclopedista ao mesmo tempo. Que por mero acaso e a favor da destruição dos pobres embriõezinhos. Ainda há uns dias vi na Tuga um cartaz lindo que me dava ânimo: "Ainda vai a tempo de salvar muitas vidas". E foi nessa base que decidi que até ao dia do referendo não usarei preservativo ou permitirei que as minhas companheiras tomem anti-concepcionais. Está na hora de deixar para trás a regra de uma queca-duas horas e passar para a muito mais católica uma queca-nove-meses-uma criancinha no mundo.

Em relação ás tuas palavras no video propriamente dito, a adenda final tocou-me particularmente. Muito se diz que os jovens são o futuro desse pardieiro de entrada de droga e prostitutas brasileiras na Europa que é Portugal mas depois são eles os primeiros a trocar o referendo por uma ida ao cinema ou um charro em casa com os amigos. E como se há-de resolver isto? Pápá Noise tem solução. Cada eleitor terá direito, como seu voto, a preencher um buletim do EuroMilhões, com um prémio de 100 Milhões de Euros. São 10 euros de valor pela possibilidade de ganhar um prémio em troca de umd ever cívico. O mesmo se podia aplicar ao aborto. Qq jovem que abortar no futuro deverá receber um cupão com direito a um cabaz de valor não inferior ao ordenado mínimo nacional. E ainda um namorado que não seja mongolóide e saiba usar a pila que Deus lhe deu. E ainda um Koenigsegg CCX ; ))))))))) aí está algo altamente motivador.

Mas a sensação que fica é que somos um país de gritos e berros. Perguntam-me por estas bandas se a proposta de referendo é para fazer a lei portuguesa mais avançada que a espanhola e eu lá tenho de dizer que não, que a lei é mesma mas os habitantes são diferentes e a mesma lei em Portugal que não permite aborto livre (sim... aborto livre) às mulheres depois é a mesma lei que em Espanha permite aborto livre até às 18 semanas e aborto praticamente livre até ás 26. E a malta ri-se... e esta straciatella é assassina... de menta e banana ainda por cima... uma straciatella abortiva, não haja dúvida ; ))))))))) são quase 5 da manhã, vou dar uma corridinha. Pelo direito à vida da mulher como ser pleno, sem obrigatoriedade de arrendar o útero ao Estado e à Nação sempre que o zézinho de um gajo faz das suas nela ; ))))))))))

E Boss,
Vê se arranjas para Segunda-Feira um textozinho da tua lavra falando de um qualquer tema livre que n meta aborto. Perceberam a deixa? Tema livre... aborto... Tema livre... aborto... Tema livre... aborto... Tema livre... aborto... Tema Livre... aborto...

Paulo disse...

Andorinha…
Em algumas coisas até concordo contigo… Mas… Não em tudo claro… :-)
Detestei em geral as intervenções das duas senhoras que estavam no palco (uma do lado do sim outra do lado do não)… Detestei a baixeza de uma de vir agora da com uma proposta "tirado da cartola" quando já devia ter sido exposta com tempo e não em cima do referendo, e detestei a outra pela grande arrogância para compensar a sua incapacidade de argumentar…
Detestei a demagogia e hipocrisia existente dos dois lados… E saliento Dos Dois Lados…
Detestei ainda mais terminar este debate, com mais dúvidas do que quando comecei… Conseguíram praticamente tirar-me 2 semanas ao prazo de dúvida que eu tinha (que se bem se lembram, se localizava entre as 5/6 semanas e as 10 semanas), porque agora as minhas dúvidas mantêm-se apenas entre as 8 e 10 semanas (e estas duas semanas em desenvolvimento fetal é muito tempo), que se implicarem neste período a existência de um Ser Humano saudável (desculpem a discriminação mas é assim que eu penso) para mim é inviolável…
Só me continua a martirizar essa da "estratégia de redução de danos, na impossibilidade de os eliminar por completo"

thorazine disse...

Ou até um maybach exelero.. ;)))))))

lobices disse...

...é demasiadamente simples o que é que está em questão no Referendo
...um Referendo obtém uma decisão popular irrevogável, ou seja, ou é sim ou é não
...não existe o talvez
...neste caso actual que o Povo vai votar terá de decidir uma de duas coisas:
...ou vota Não e tudo fica igual ao que se passa hoje e nada poderá depois ser alterado na medida em que um Não diz que o Povo Não quer despenalizar. Ponto final. Logo, a criminalização da mulher vai continuar e o aborto clandestino também...
...votando sim, o Povo vai dizer que não quer que a mulher seja criminalizada, logo... a lei actual deixa uma porta aberta para todas e quaisquer alteração que se possam introduzir para ajudar a melhorar o sistema
...já se sabe que o aborto nunca irá acabar
...já se sabe que o aborto clandestino irá continuar
...no entanto, existe a capacidade de se melhorar a situação
...um voto Não é a negação em absoluto a qualquer alteração (e esta última ideia brilhantíssima dos defensores do não em dizerem que depois do não ganhar que se pode fazer melhorias, é uma falácia pois o Referendo é taxativo: dizendo Não é não à despenalização, logo é votar na manutenção do status actual
...se querem ter a possibilidade de melhorar o estado da situação, votem Sim, por favor, pela dignidade da Mulher, pela dignidade do Ser Humano, pela possibilidade de se poderem fazer alterações que possam diminuir o número de abortos e aqueles que se possam continuar a fazer que sejam feitos na companhia de Pessoal especializado para o efeito...
...ou seja:
...em face de 2 possíveis males, votar Sim será o mal menor!...
...

CasadaPonte disse...

Dr.JMV, gostei muito da apresentação. A serenidade com que expôe os seus argumentos, já é uma característica a que nos habituou.
Eu também sou pelo sim, porque permite uma decisão consciente e responsável e não impede as ajudas
nas decisões.Aqui há dias num debate na RTP2 no programa da DrªFernanda Freitas,uma Srª responsável por uma Instituição particular e que recebe crianças (bébés)fazia as contas com o que era gasto com cada criança-cerca de 600Euros por mês.Isto para lhes dar os cuidados necessários que qualquer criança tem direito os leites,que nalguns casos são especiais,fraldas descartáveis, os cremezinhos, as funcionárias... Temos agregados familiares em Portugal que nem isso têm mensalmente. Se queremos privilegiar o aumento do índice de natalidade, ou pelo menos não assistir à sua descida,há que dar condições a que as crianças têm direito, pelo menos as básicas .Temos um País sem saneamento básico. Temos casas sem conforto e não é preciso ir muito longe -se der uma volta na nossa aldeia, impressiona pensar que possam morar pessoas em casas onde não se vislumbra o mínimo dos minimos de conforto. A caridadezinha só vai chegar a alguns e se calhar quando dá jeito!
Quantas mulheres, incluindo as grávidas, nem sequer têm acesso a consultas médicas, nem aos respectivos exames?!...Soube aqui há dias, que uma Médica Ginecologista (por acaso a minha) e que tem uma casa a caminho de Rossas, dá uma vez por mês, consultas gratuitas desta especialidade às mulheres daquela freguesia e nas instalações do Centro Paroquial. Isto sim é estar preocupado com o que nos rodeia. Um beijinho mjuito grande DrªMaria Augusta, pelo exemplo.Tem mulheres em lista de espera!
Um abraço na Esperança de um mundo mais Atento e Responsável
M.Dores

noiseformind disse...

O Exelero nunca me seduziu muito. Como Jimmy Clarkson diria, sou um incurável petrolhead e só penso em velocidade e perspassar estradas sinuosas junto ao mar a velocidades proibitivas ; ))))) e infelizmente, mesmo para os que o apreciam, n entrará em produção, snif, snif, snif...

lobices disse...

...via Sol, hoje:
.........................
Luís Villas-Boas abandona campanha pelo Não
O director do Refúgio Aboim em Ascensão saiu do movimento Algarve pela Vida, contra a «radicalização» e a «partidarização» da campanha

alice disse...

Caríssimos
Tenho já pouca paciência para ouvir mais argumentos sobre prazos e datas e diatribes astuciosas para nos fazer crer que não também é sim…, mas no entanto…
Por isso comecei a fixar-me numa outra vertente da questão que alguns têm medo de abordar: esta é mesmo uma questão de classe ou de classes. Falar, do alto das suas posses, sobre o que devem ser e escolher os outros, é tremendamente fácil (assustadoramente autista, também). Falar de barriga cheia (já que as classes dominantes têm o problema de uma gravidez indesejada duplamente resolvido – ou levam por diante a gravidez ou fazem um aborto em boas condições, embora clandestino) é simples. Estar do outro lado, sem nenhuma daquelas opções, é que é difícil.
E, como disse aqui alguém antes de mim, a caridade não vai chegar para todos.
E os que defendem que deve ser o Estado a garantir tudo e a dar condições para maior natalidade são os mesmos que querem ver reduzido o que chamam de peso do Estado (leia-se despedir funcionários públicos, acabar com serviços, etc, etc).
Há qualquer coisa que não bate certo!

Snowgaze disse...

Qual velhinho, estev muito bem. E este vídeo deve ser o melhor (mais informativo e esclarecedor) que por aí anda

andorinha disse...

Boa tarde.

Lobices (10.30)
Assino por baixo.

Alice (2.10)
Também já me começa a faltar a paciência, sinceramente...
Estou a 200%:) de acordo com o teu comentário e sublinho também que esta é, efectivamente, uma questão de classes.
Ignorar isso, é ignorar a realidade.

fiury disse...

andorinha

infelizmente,também é um facto que são instituições não governamentais que mais têm feito pelo apoio às mulheres sem recursos e que optam por terem os filhos.
também é um facto que os centros de saude pública guardam a pílula para certas jovens,(por sinal para as que a podem obter pagando-a, sem problemas).
a ligeireza de como rotulam de obesessiva a preocupação com o pós eventual sim no sentido da maior prevenção do aborto, nomeadamente nas "classes" menos informadas e de uma educação sexual séria,é preocupante!

Angie disse...

Professor:
Ontem à noite no regresso a casa, a ouvir a habitual TSF, "apanhei-o" num debate com um seu colega, cujo nome não retive.
A serenidade é sempre boa conselheira, mas são poucos os que a mantêm. Gostei muito de o ouvir.
Acho que qualquer que seja o lado, é sempre uma mais valia podermos ouvir argumentos inteligentes. As paixões têm impelido a maioria dos arautos a extremar posições e pelo meio desbarata-se o que devia ser essencial: na verdade, é quase estranho ouvir voltar a sintonizar o debate nas matérias que verdadeiramente estão em questão.
Parabéns pela intervenção, que honra o SIM.

(a propósito do seu post, e para contrabalançar a injustiça dos efeitos plásticos no youtube... aqui há dias (re)descobri-o pelo meio do zapping num programa da rtppmemória, de há (?) anos atrás. Lembra-se? A falar dentro de um computador, inspirado por uma Marilyn Monroe virtual, de seu nome BB?! Parti-me a rir, já tinha varrido aquilo do álbum de recordações! Os media tanto atraiçoam como perpetuam os années dorées, é o que vale! :):)

Angie disse...

Perdão, os années dorées são agora!
Aquilo eram os verdes anos...

a disse...

"Calcula-se que 25% das gestações terminam em aborto espontâneo, sendo que 3/4 ocorrem nos três primeiros meses de gravidez."
fonte: webciencia.com

Abortos são muito comuns, especialmente nos três primeiros meses da gravidez ou seja, no primeiro trimestre da gestação. Cerca da metade de todos os óvulos fertilizados morrem antes que as mulheres percebam qualquer sintoma de gestação. Aproximadamente, uma em cada 10 gestações diagnosticadas através de testes de urina ou sangue acaba em aborto, usualmente entre a sétima e décima segunda semana da gestação.
fonte:agenda saúde-enciclopédia


Eu sempre ouvi a minha mãe dizer que até aos 3 meses as gravidezes não eram "certas", por isso estranhei ontem no prós e contras a defesa incansável do embrião... Então hoje decidi pesquisar e descobri que nem todos os embriões vão ser pessoas, mesmo que as mães decidam levar a gravidez até ao fim...

Isto só para justificar o valor da vida da mãe em relação ao embrião (por muito duro que soe, a verdade é que ela está viva e ele pode nem sequer nascer).

Julio Machado Vaz disse...

angie,
Se me lembro:)))).

Migmaia disse...

Não consigo descarregar o vídeo completo, por razões de ordem técnica (falta dela provavelmente). No pouco mais que vi, além do agradecimento às Produções Murcónicas, ficou-me a serenidade do Orador, e muita curiosidade em ouvir o resto. Pelos relatos e comentários aqui expostos, parece-me consensual. Mesmo dos que podem estar menos de acordo.
E como vos compreendo, Paulo e JFR. No entanto, para mim ouvir o Prof JMV e o Engº Sócrates resulta em sentimentos completamente diferentes, apesar de defenderem o mesmo. Pena que não seja 1º o 1º. Estaria certo do que deveria votar. É que não confio neste legislador, nem sequer me parecem boas as suas intenções. Então a última, de que não faz uma palha (“altera a lei”) se o não vencer…nem o menino guerreiro fazia tamanhas birras, e foi abortado pelo PR com pouco mais de 10 semanas. Este, como foi desejado (maioria absoluta), permite-se fazer como Poncio Pilatos. Podia e já devia ter alterado a lei actual. Não o fez, e ainda insinua que os Polícias e os Magistrados são os maus da fita. Revolta-me receber um panfleto do PS no correio com inúmeros motivos para votar Sim. Mas que não tenham sido os suficientes para que tenha havido vontade política para evitar esta confusão. Porque não será nenhum referendo a resolver, ou minimizar, o problema.

A única pessoa que penso conhecer neste blog, e apenas a título público, é o Prof. Júlio Machado Vaz. Visito o espaço há pouco tempo e, como já tive oportunidade de manifestar, acho-o fantástico. Obviamente, também pelas Companhias (Andorinha: no feelings!). E quero dizer que, estou disposto a contribuir com muito mais do que uma cruzinha, para melhorar a actual situação. Crie-se um movimento, faça-se qualquer coisa que, não seja mera hipocrisia e esperar pelo milagre.

Saudações,

maria estrela disse...

Não gostei da atitude de ameaça do 1º Ministro. É claro que caso o Não ganhe o governo tem a obrigação de mudar a lei.
Aliás só estamos nesta situação porque o governo não aceitou as funções para as quais foi mandatado pelo povo.

andorinha disse...

Júlio,
Com que então com saudades dos verdes anos???:))))))))))

Migmaia (7.25)
"(Andorinha: no feelings!)"
Não tenho sentimentos????
Sinto-me ofendida, magoada, ultrajada, insultada...

Estou a brincar, obviamente.
Queres dizer "No hard feelings", né?:)

Por que haveria de haver????:)))
Não fiques com ideias erradas a meu respeito; só respingo quando sei que tenho razão:))) Looooool

Migmaia disse...

Andorinha,
you know what i mean

andorinha disse...

Migmaia,
Yes, I do:)

thorazine disse...

maria estrela,
"É claro que caso o Não ganhe o governo tem a obrigação de mudar a lei."

Penso que queria dizer : caso o SIM ganhe" pois se o não ganhar é porque a maioria concorda que a lei não tem de mudar!

Andorinha,
...por falar em "Hard", aconselho vivamente o filme "Hard candy"!

E Já agora, um ainda mais antiguinho que revi e é excelente: Jeux d'enfats. "Cap ou pas cap?" ;))))))))

http://www.imdb.com/title/tt0424136/
http://www.imdb.com/title/tt0424136/

andorinha disse...

Thora,

Pensei que me ias aconselhar fimes hard core:)))))))))))))

Quanto a esses links não adianta, porque o computador não os aceita. Tem que vir cá um amigo meu ver o que se passa:)

Quanto ao post da maria estrela penso que ela quis dizer precisamente o que disse, ou seja, "se o Não ganhar..."
Por aqui se vê a confusão que vai ainda na cabeça de muita gente:(

thorazine disse...

andorinha,
vá lá, arruma esse pessimismo todo para o lado! As pessoas enganam-se a escrever facilmente, a teclas estão todas tão juntinhas! ;)))

O filme hard candy é "hardcore"....dentro do seu género! Marota...;)))

Brevemente a RTP2 vai começar a transmitir a série "weeds" que é muito porreira..e é bom para quem não tem o Azureus ou o Emule funcional. ;)))))))

maria estrela disse...

Penso que somos unânimes em concordar que a questão do aborto não termina a 11 de Fevereiro. Há muita pedra a partir e muito caminho a percorrer após o referendo.
Todas as iniciativas legislativas que contribuam para a dignificação da mulher devem ser encetadas independentemente do resultado do referendo.

andorinha disse...

Thora,
Não é pessimismo...é realismo, mas pronto...deixemos isso:)

Quanto ao resto vou ficar com atenção à série "Weeds".
Vês como confio no teu sentido crítico e no teu bom gosto?

Agradecia-te que não me falasses em chinês:)))
Que raio são o Azureus e o Emule?????
E como é que se põe isso funcional?:))) Loooooooooooooooooooooooooooooooool

Fico à espera que o meu técnico privativo possa cá vir resolver o assunto:)

thorazine disse...

Andorinha,
azureus e emule são programas de download, o primeiro por meio de torrents (sementes) e o segundo peer2peer! :)

Para instalares um programa torrent, que é relativamente mais fácil do que os outros, vai a esta página: www.utorrent.com/ (isto é, se o teu explorer ainda funcionar :P) Em "guides" tens as explicações, tim tim por tim tim, de como funciona e como instalar. Em "download" já imaginas o que podes fazer.. ;)


Neste site, http://www.mininova.org/ ,podes procurar os torrents (que depois vais perceber para que servem :) e sacares o que quiseres...mas cuidado com as ilegalidades! ;))))))))))

Noise,
precisava de comunicar contigo! Arranjas-me um email teu..válido? :P

Fora-de-Lei disse...

Os gajos do NÃO - espertos que nem uns alhos - arranjaram uma bela caldeirada ao Sócrates com esta última cartada do NIM...

Ainda por cima, o palerma respondeu (e continua a responder) de forma inapropriada à cultura política deste nosso povo e, pelos vistos, os camelos do BE parecem estar a seguir-lhe as pegadas.

Já não bastava estes dois partidos terem feito merda ao optarem pela convocação do referendo em vez de se decidirem por uma iniciativa legislativa ao nível da AR, para agora ainda virem pôr em causa - com a sua petulância / arrogância - uma vitória que parecia começar a despontar para os lados do SIM.

Ou me engano muito, ou...

andorinha disse...

Thora,
Loooooooooooooooool Loooooooooooooool Looooooooooooooooool Loooooooool Loooooooooool Looooooooooooool
Tu deves querer que eu avarie o computador:)))))

Ia-me lá eu meter a fazer isso???
Sei reconhecer as minhas limitações:)))))))

Prefiro confiar no meu técnico privativo:)
But thanks, anyway....:)

noiseformind disse...

Já estás na lista de permissões, Thora...

Quanto ao Hardy Candy é um exercício muito bem feito, usa e abusa de twists mas twists muito originais, a começar por aquela pseudo-castração. Genial.

Já o suicídio dele é exagerado e contra-intuitivo em termos de pensamento psicológico. Os pedófilos raramente preferem a morte à exposição social. Mas quem sabe essa tenha sido uma concessão do argumentista ao estúdio para levar a cabo o projecto.

Vaca Louca disse...

"A crença de que a mera condição de pertencer à nossa espécie, independentemente de outras características, tem grande importância para o mal de matar um ser constitui um legado de doutrinas religiosas que até mesmo aqueles que se opõem ao aborto hesitam em trazer para o debate.

O reconhecimento desta questão simples altera a questão do aborto. Podemos agora olhar para o feto tal como ele realmente é - vendo as características reais que possui - e podemos avaliar a sua vida colocando-a no mesmo escalão em que colocamos as vidas dos seres com características semelhantes que não são membros da nossa espécie. Torna-se agora claro que o nome do movimento Pró-Vida ou Direito à Vida é enganador. Longe de se preocupar com toda a vida ou de adoptar uma escala de preocupação imparcialmente baseada na natureza da vida em questão, quem protesta regularmente contra o aborto, mas come com a mesma regularidade carne de frango, porco ou vaca, revela apenas uma preocupação tendenciosa pela vida dos membros da sua própria espécie. Porque, em qualquer comparação justa de características moralmente relevantes - como a racionalidade, a autoconsciência, a consciência, a autonomia, o prazer e o sofrimento, etc. - , a vaca, o porco e a tão ridicularizada galinha, ficam muito à frente do feto em qualquer estádio da gravidez - e, se fizermos a comparação com o feto de menos de 3 meses, um peixe mostra maiores sinais de consciência."

Peter Singer
in Ética Prática, 2000

noiseformind disse...

Pena o Shortbus n tenha ido para o grande ecran em Portugal, sexo explícito sem o rótulo da indústria pornográfica é tão raro... ;((((( mas olha... podes sempre sacar. E depois mostras à miúda como um video educativo sobre sexualidade (com um tubo de gel e uns preservativos ao lado de prevenção, obvsiouslyyyyy!!! (como diria o mano Ali G)

noiseformind disse...

E, como sei que o mais difícil é mesmo arranjares o filme, cá fica o meu contributo para o sucesso do "visionamento" ;)

me disse...

olá julinho, olá amiguinhos:

- vi o video, finalmente, (filhos da p...lá no serviço não tenho permissões para ver...raios!);

- gostei de:
1) carimbos na testa destas mulheres;
2)não é um capricho;
3)dramas de consciencia;
4) que morrem ou ficam estropiadas;
5) politicas de contracepção;
6) o aborto clandestino é uma chaga uma vergonha;
7)liberdade e informação;
8) equipas de acompanhamento;
9)opção livre sem pressão;
10)apoio à maternidade;
11)educação sexual;

- não gostei tanto de:
1) "há 30 anos que ouço mulheres" - ...não habbbia nexecidade tzz, tzz, o julinho num precisa disto, e já é a 3ª. vez que ouço esta sua expressão em 3 sitios diferentes em menos de uma semana;
2)abstenção dos mais novos "se é que algum mais novo vai ver isto"...não habbbia nexecidade tzz, tzz, o julinho num precisa disto,tem perto de 600 visionamentos após um dia de colocação no youtube que acredito seja muto bem frequentado por mais novos;

gostei búes de:
1) finalmente não ter de, sempre que o estou a ouvir (e a ver)estar com o comando do som na mão,num frenético "aumenta"/"diminui" porque o julinho inicia a frase num tom e depois o volume vai-se,
2) tem uma óptima imagem, é mais bonito ao vivo, é certo...mas deixe-se de caguichices porque tá decerto farto de ouvir isto...

beijokas a todos e saltem ao

http://up30sub40.blogspot.com

me

thorazine disse...

noise,
obrigado por me permitires!!! LOLOL ;)))

me,
"há 30 anos que ouço mulheres" ...não habbbia nexecidade tzz, tzz

Eu tb já me questionei sobre isso! Mas depois pensei melhor e acho que tem a sua lógica: a experiência é um dos poucos elementos que a ciência tem para se aproximar da verdade! Na sociedade o background tem muito peso no "nível" de verdade da informação que se transmite. Então porque raio não informar o nosso "níbel" quando comunicamos? Mais pessoas vão acreditar!!!Não é esse o objectivo?

Um padre que fale para os cristãos tem mais credibilidade do que o coveiro... :)))

Não é que eu concorde com este sistema, quase de castas!, mas..that's life!

intemp disse...

Vicente Jorge Silva no DN de 7 de Fevereiro de 2007

alice disse...

Não consigo desligar do assunto:
encontrei um texto magnífico em

http://sol.sapo.pt/blogs/bangon/archive/2007/01/30/votarei-SIM.-Sem-hesitar.aspx

ou talvez em (mais curto)

http://padremariodemacieira.com.sapo.pt/diario.htm
(tendes de fazer copy/ paste porque cá a rapariga é muito incompetente nestas net andanças, desculpai)

Afectos disse...

É sempre um prazer ouvi-lo.

Vaca Louca disse...

"A crença de que a mera condição de pertencer à nossa espécie, independentemente de outras características, tem grande importância para o mal de matar um ser constitui um legado de doutrinas religiosas que até mesmo aqueles que se opõem ao aborto hesitam em trazer para o debate.

O reconhecimento desta questão simples altera a questão do aborto. Podemos agora olhar para o feto tal como ele realmente é - vendo as características reais que possui - e podemos avaliar a sua vida colocando-a no mesmo escalão em que colocamos as vidas dos seres com características semelhantes que não são membros da nossa espécie. Torna-se agora claro que o nome do movimento Pró-Vida ou Direito à Vida é enganador. Longe de se preocupar com toda a vida ou de adoptar uma escala de preocupação imparcialmente baseada na natureza da vida em questão, quem protesta regularmente contra o aborto, mas come com a mesma regularidade carne de frango, porco ou vaca, revela apenas uma preocupação tendenciosa pela vida dos membros da sua própria espécie. Porque, em qualquer comparação justa de características moralmente relevantes - como a racionalidade, a autoconsciência, a consciência, a autonomia, o prazer e o sofrimento, etc. - , a vaca, o porco e a tão ridicularizada galinha, ficam muito à frente do feto em qualquer estádio da gravidez - e, se fizermos a comparação com o feto de menos de 3 meses, um peixe mostra maiores sinais de consciência."

Peter Singer
in Ética Prática, 2000

Não pesco nada disto disse...

Depois de ouvir o senhor do vídeo, fiquei mais pró lado do SIM.

No entanto, não lhe vou dar os parabéns nem agradecer o esclarecimento. Isso é que era bom!

Nelson disse...

Excelente! Já linkei no meu blog no artigo em que achei por bem dar a minha opinião sobre o assunto e o que faz votar "sim".
Não transcrevo aqui, porque seria maçador, quem quiser pode ir lá espreitar.

Paulo disse...

Alice (2:10 PM)
Argumentos, são argumentos e cada um tem os seus, mesmo que diferentes dos dos outros… Mal vão é as coisas quando para se defender uma posição se passa a basear essa defesa no insulto e no desprezo pelas ideias dos outros… Porque é sinal de que não se tem mais argumentos…
Também não acho que isto seja propriamente só uma questão de classes… Mas sim uma questão de princípios… Que podem ser e muito bem defendidos de ambos os lados da barricada, ou mesmo no “meio” da barricada…
Generalizar, sempre foi um mau principio, pois olhe que tanto existem do lado do sim como do não “políticos” com vontade de ”ver reduzido o que chamam de peso do Estado (leia-se despedir funcionários públicos, acabar com serviços, etc, etc)”, caso contrario veja a atitude do actual governo apoiado por um grupo parlamentar maioritário… É esta mesma merda (desculpem o termo) de governo que se diz “tão preocupado” com as mulheres, que as agride praticamente desde o início da legislatura… (Acho que não precisa de exemplos…)

a (6:31 PM)
Permita-me dizer-lhe que se foi esse o argumento que arranjou para justificar o direito da mãe sobre o embrião… Discordaria liminarmente dele… E olhe que na minha opinião a mãe deveria ter o direito de terminar uma gravidez quando pelo menos está em causa um embrião até às 6 ou talvez até 8 semanas (sim… é verdade… já diminui o meu prazo de duvida…)
Você não me pode garantir que o aborto pretendido não iria incidir sobre um dos outros 75%… E realmente é verdade, existe um mecanismo “misterioso” que permite ao corpo da mãe rejeitar muitas das vezes embriões/fetos que não sejam viáveis, ou apresentem alguma deficiência… Como se o seu organismo recusasse gastar energias e recursos com um ser pouco ou nada viável…
Mas como já lhe disse, não defendo a primazia da vida do embrião sobre a da mãe… Quanto ao feto já é outra história…

Migmaia (7:25 PM)
Obrigado pelo seu comentário em relação à minha pessoa… :-) Às vezes sabe bem um afago…
Quanto ao seu comentário sobre o Prof JMV versus a “coisa” Engº Sócrates, assino em baixo e de certeza que se arranjam mais uns tantos milhões de assinantes por esse país fora…
Quanto às birras da “coisa”, então aí é que ele é um espectáculo e ó se já não fez um montão de borradas à conta dessas birras… basta lembrarem-se do discurso de vitória quando essa “coisa” ganhou as ultimas legislativas… Até me arrepiei todo com a merda (mais uma vez peço desculpa pelo termo) que tinha feito… :-(

Maria Estrela (7:39 PM)
Assino em baixo…
Mas cuidado com as birras da “coisa”…

Andorinha (8:50 PM)
Já te aconselhei noutro “post” a deitares o pc fora e arranjares um Mac… É trigo limpo…

Vaca Louca (12:34 AM)
Segundo o que esse tal Peter Singer disse no texto que “postaste” é licito pensar que como ”em qualquer comparação justa de características moralmente relevantes - como a racionalidade, a autoconsciência, a consciência, a autonomia, o prazer e o sofrimento, etc. - , a vaca, o porco e a tão ridicularizada galinha, ficam muito à frente do” Recém-Nascido, então o infanticídio cometido sobre ele durante os primeiros tempos de vida, poderia ser despenalizado quando cometido pela mãe ou por pessoal médico devidamente autorizado por esta!!!………
Cuidado… Que certos comentários podem ser muito perigosos, para já não dizer muito tendenciosos… E termino os comentários em relação ao que esse “tipo” diz, só para não ser mais grosseiro…

Cumprimentos

Vaca Louca disse...

"Um bebé recém-nascido de uma semana não é um ser racional e autoconsciente e há muitos animais não humanos cuja racionalidade, autoconsciência, consciência, capacidade de sentir, etc., excedem a de um bebé humano com uma semana ou um mês de idade. Se o feto não tem o mesmo direito à vida que uma pessoa, parece que o bebé recém nascido também não tem e a sua vida possui menos valor para ele que a vida de um porco, um cão ou um chimpanzé possui para o animal. Assim, embora a minha posição sobre o estatuto da vida fetal possa ser aceitável para muitas pessoas, as implicações da minha posição para o estatuto do recém-nascido estão em descordo com o pressuposto praticamente incontestado de que a vida de um recém-nascido é tão sacrossanta quanto a de um adulto. Na realidade algumas pessoas pensam que a vida de um bebé é mais preciosa que a de um adulto.

Não considero o conflito entre a posição que assumi e as perspectivas amplamente aceites sobre a santidade da vida infantil um motivo para abandonar a minha posição. Essas perspectivas amplamente aceites precisam de ser postas em causa.

Ao reflectir sobre esta matéria, devemos pôr de lado sentimentos baseados no facto de as crianças serem pequenas, indefesas e, por vezes, muito engraçadas. Pensar que a vida das crianças possui um valor especial porque as crianças são pequenas e engraçadas é o mesmo que pensar que uma foca bebé, com o seu pêlo branco e macio e grandes olhos redondos merece maior protecção que um gorila, que não possui esses atributos.

Nada disto pretende sugerir que alguém que se põe a matar bebés ao acaso está moralmente equiparado a uma mulher que faz um aborto. Devemos certamente estabelecer normas muito rigorosas no tocante ao infanticídio permissível; mas essas restrições devem mais aos efeitos do infanticídio nas outras pessoas que ao mal intrínseco de matar um bebé."

Peter Singer
in Ética Prática, 2000

Paulo disse...

Só tenho uma coisa a dizer… Esse "Peter Singer", é no mínimo um anormal… E por respeito aos restantes internautas, fico-me por aqui em adjectivos…

Vaca Louca disse...

Abortion and Infanticide: A Critique of Peter Singer's Views. Debate with Don Marquis. Princeton University, March 29, 2006.

www.princeton.edu/WebMedia/lectures/20060329marquis-singerVN350K.asx

APC disse...

Eh lá! :-)))
Só agora vi esta excelente produção (parabéns ao Noise, pois então!). Ainda há pouco comentara o post seguinte, e eis que a curiosidade aqui me trouxe e... Sim senhor!...
Contudo, creio que apenas acedi a parte da intervenção em causa (?)uma vez que não chegou à tal passagem onde suposto ver o ar de velhinho que anunciava, e que me pôs imensamente curiosa. Mas a parte que vi bastou e sobrou para dizer que:

- Estava muito-muito-muito bem! ;-)
- A mensagem foi claríssima, organizadíssima, naturalíssima e muito completa e agradável;
- Louvo a iniciativa, creio que valeu muito a pena;
- Estava muito-muito-muito bem! ;-)

E a ordem dos factores é arbitrária, no sentido em que, começando pelo início ou pelo fim, a minha opinião está dada! :-)

Um abraço.

APC disse...

* Onde era suposto

andorinha disse...

Paulo (10.37)
Estive a ouvir grande parte da exposição feita por Peter Singer nesse link que é indicado.
E isso porquê? Porque me interesso bastante por questões filosóficas.
Aliás foram dois filósofos que falaram e as posições dos dois não são coincidentes, daí também o interesse da discussão.

Isto para dizer o quê?
Que é triste que as pessoas ou não entendam o que ouvem, ou deturpem deliberadamente ou não tenham espírito crítico para analisarem o que ouvem e tirarem as suas próprias conclusões.
Querem mostrar erudição e o resultado é este.:(
No que ouvi, o homem não fala nem de peixinhos, nem de vacas, nem de focas...
Tem uns conceitos para mim um bocado estranhos no que diz respeito à "origem" da vida e ao que constitui um ser humano. A dissertação é muito longa, seria impossível dissecá-la aqui, mas essencialmente ele afirma que a diferença entre os fetos e os bébés e um ser humano adulto é que só o último tem "the desire to continue to exist" e noção do seu passado e expectativas em relação ao futuro.
Assim, ele aceita o aborto em qualquer estágio e o infanticídio, embora não diga que se deve andar por aí a matar as criancinhas.
Já sabes que alguns filósofos têm umas ideias um bocado extravagantes...:)
Mas gostei de o ouvir, concordo com algumas afirmações dele, com o infanticídio claro que não, embora perceba o raciocínio.
Mas para que queremos nós o sentido crítico?

Se, por absurdo, pegássemos nos argumentos da Vaca louca (nick muito apropriado):)seria que
um bébé recém-nascido teria menos valor que um porco, um cão ou um chimpazé recém-nascidos?
Ele não afirma nada disso, portanto, quando não se percebe, é melhor ficar-se calado.

Vaca Louca disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vaca Louca disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vaca Louca disse...

"(...)em qualquer comparação justa de características moralmente relevantes - como a racionalidade, a autoconsciência, a consciência, a autonomia, o prazer e o sofrimento, etc. - , a vaca, o porco e a tão ridicularizada galinha (adultos!), ficam muito à frente do feto em qualquer estádio da gravidez - e, se fizermos a comparação com o feto de menos de 3 meses, um peixe (adulto!) mostra maiores sinais de consciência."

"(...)Se o feto não tem o mesmo direito à vida que uma pessoa, parece que o bebé recém nascido também não tem e a sua vida possui menos valor para ele que a vida de um porco, um cão ou um chimpanzé (adultos!) possui para o animal."

Peter Singer
in Ética Prática, 2000

Vaca Louca disse...

Libertação Animal

"Um movimento de libertação exige o alargamento dos nossos horizontes. As práticas que anteriormente eram consideradas naturais e inevitáveis passam a ser vistas como resultado de um preconceito injustificável. Quem pode afirmar com alguma confiança que nenhuma das suas atitudes e práticas pode ser posta legitimamente em causa? Se desejamos evitar ser contados entre os opressores, devemos estar dispostos a repensar as nossas atitudes face aos outros grupos, incluindo as mais básicas. Devemos considerar as nossas atitudes do ponto de vista daqueles que sofrem devido a elas e devido às práticas que lhes estão associadas. Se conseguirmos proceder a esta invulgar mudança de perspectiva mental, talvez consigamos descobrir um padrão nas nossas atitudes e práticas cujo objectivo é o favorecimento constante do mesmo grupo - geralmente o grupo ao qual nós mesmos pertencemos - à custa de outro grupo. Chegamos assim à conclusão de que há argumentos a favor do aparecimento de um novo movimento de libertação."

Peter Singer
in prefácio à edição de 1975 de Libertação Animal

Gotinha disse...

Gostei de o ouvir.
Discurso límpido!

Paulo disse...

Andorinha (12:43 AM)
Mesmo assim não deixo de pensar que o individuo (inclusivamente quem "postou" isto aqui) é um pouco (só para ser simpático) louco…

andorinha disse...

Não vou alimentar polémicas, já disse ontem o que tinha a dizer sobre este assunto. Ouvi atentamente a palestra e tirei as minhas conclusões, para isso é que tenho sentido crítico.

Também eu sou uma total defensora dos direitos dos animais, e seria um contrasenso dizer que por isso defendo que não é "errado" matar bébés.

E a pergunta que te fiz ontem ficou sem resposta. Porquê?
O Peter não a dá?
Um porco, um cão ou um chimpazé bébés têm mais direitos que um bébé? Não falo de adultos, falo dos animais à nascença. Por essa orddem de ideias, também deviam ser todos mortos.

Não pensas pela tua cabeça?
Não tens racionalidade, autoconsciência, consciência, autonomia, etc...?
Então não devias existir, és menos do que um feto.

E por aqui me fico.

andorinha disse...

Paulo (2.22)
Sabes como são os filósofos com as suas excentricidades...:)))
Para mim é pior quem postou isso aqui, porque ao publicar só excertos deturpa o pensamento global do autor; depois postar sem qualquer sentido crítico acho terrível.

E pronto, já lhe respondi e fico por aqui, não vou alimentar polémicas estéreis.

Vaca Louca disse...

Muuuuuuu!

http://www.utilitarian.net/singer/

Su disse...

prof...coerente; lúcido....fabulástico:))))))


isto é que é tecnolologia:))))

jocas maradas