quarta-feira, março 07, 2007

Dois.

PSD e CDS-PP acusam PS de defender aborto livre

2007/03/07 13:36

E de enganar os portugueses. O partido do Governo respondeu

PSD e CDS-PP assumiram-se esta quarta-feira contra a nova lei que despenaliza a interrupção da gravidez, acusando o PS de consagrar o aborto livre e de enganar os votantes no referendo, noticia a Agência Lusa.
Na votação do projecto de lei conjunto do PS, PCP, BE e Verdes na especialidade, os deputados do PSD que apoiaram o «sim» no referendo de 11 de Fevereiro, como Ana Manso e Luís Campos Ferreira, declararam-se enganados pelos socialistas.
Segundo a Lusa, o líder parlamentar social-democrata, Marques Guedes, defensor do «não», insistiu que a lei deveria estabelecer que a consulta médica prévia à realização do aborto fosse «no sentido de encorajar a mulher a não interromper a gravidez».
O CDS-PP, partido oficialmente pelo «não», lembrou, através do deputado Pedro Mota Soares, que o Presidente da República, Cavaco Silva, apelou a que se procurasse «unir a sociedade portuguesa e não dividi-la ainda mais» com a nova lei do aborto.
«O Estado deveria combater o aborto. Este projecto representa um claro retrocesso em relação ao que muitos deputados desta câmara andaram a dizer aos portugueses durante o referendo», alegou, referindo-se à importação da lei alemã, que prevê um aconselhamento dissuasor da interrupção da gravidez.
Em resposta, o deputado do PS Ricardo Rodrigues considerou que «se havia dúvidas sobre a posição do PSD sobre esta matéria ficaram esclarecidas» e que «a linha oficial» do maior partido da oposição é o «não» à despenalização do aborto por opção da mulher.


P.S. Uma consulta médica para "encorajar a mulher a não interromper a gravidez" seria uma versão "baratinha" das famosas Comissões de Aconselhamento e violaria claramente os resultados do referendo que privilegiaram a opção da mulher. Informar - completamente, como defendo no post anterior - não é sinónimo de encorajar uma das opções possíveis.

42 comentários:

joao veiga disse...

Caro Professor, Sabendo da sua veia bloguista, vim cá espreitar, tenciono vir mais vezes.
Sobre a questão do post, a minha posição seria, não de despenalizar a mulher, mas penalizar ambos, o homem e a mulher.
Tanto quanto sei, à excepção de algumas lesbianas que compram a procriação em bancos, o método natural ainda é o mais usado. Assim sendo0, e com as tecnicas modernas de ADNs e afins, sertia apenas necessário à mulher dizer quem tinha sido o autor. Deste modo responderiam os dois pelo acto do IVG, a existir.
Com os Juizes a decidir, rapidamente lhes calharia em rifa, ou à familia próxima, um caso bicudo.
A questão resolver-se-ia então rápidamente.
Como não sou jurista (engenheiro de profissão, marinheiro por vocação e gestor por maldição), olhe, fica a opinião na web.

Julio Machado Vaz disse...

João,
Seja bem-vindo, mais o seu desacordo:).

José Manuel disse...

Caro Murcon
Como se verifica, o sr. é apologista da extinção da raça humana, pelo menos a Portuguesa, todavia gostaria que me respondesse a estas questões:
1-Se em Portugal, adoptassem o mesmo método que na Alemanha, nomeadamente de apoio à maternidade com 25.000€ por nascimento, será que neste País os abortos tendencialmente não acabariam?
2-O sr acha com honestidade intelectual, que o aborto clandestino, depois da publicação da Lei, será irradicado?
Cumprimentos

Julio Machado Vaz disse...

Meu caro José Manuel,
Vejo que não entendeu nenhuma das posições que tomei durante a campanha e no blog. Por exemplo, no post anterior, cuja leitura lhe recomendo.
De qualquer forma, não costumo deixar as perguntas sem resposta. Às suas a resposta é a mesma - não.
Já me pronunciei a favor de todos os apoios possíveis à maternidade, mas não tenho ilusões sobre os seus efeitos sobre gravidezes indesejadas - algumas seriam levadas a termo, mas não de forma generalizada, o dinheiro não resolve tudo.
O aborto clandestino, como também afirmei várias vezes, pode ser diminuído mas nunca será erradicado (presumo que desejava escrever assim), por esta lei ou qualquer medida que o meu caro amigo preconize.
Quanto à honestidade intelectual, fiz dela o amparo de trinta anos de profissão.

lobices disse...

...a minha concordância com a posição do Prof. JMV

CêTê disse...

Só se deixaram enganar os de boa fé.
É óbvio que nas condições actuais o aborto clandestino vai continuar a existir e ISSO SIM será sem sombra de dúvidas uma derrota política (para além da outra a mais grave)- Mas como o que é clandestino pode ser falseado em termos esta~tísitcos nunca o saberemos.
Quando ao "aconselhamento" seria desejado sim - não necessáriamente com carácter dissuador (se o fosse, concordo que não estaria a respeitar o referendo).
Consulta informativa a ver vamos se concretiza (duvido que haja capacidade de resposta)- e essa sim deveria ser obrigatoria. Mas desejado, desejado era fazer o que o professor já aqui referiu "um outro tipo de acompanhamento"- mas não é o professor que detém o poder.
Quanto à relação entre: gravidez indesejada-relação saudavel pós-parto entre mãe e filho... não me parece que seja assim tão linear. Não será por aí... Há grávidas felizes que se revelam péssimas mães e vice-versa.


abraços

José Manuel disse...

Caro Julio Machado Vaz

Deixemo-nos de hipocrisias, como o sr. Sabe muito bem, quem pratica os abortos, na sua grande maioria ou são prostitutas que não têm cuidado, com os métodos contraceptivos, mulheres com muita ignorância e com grandes problemas de ordem financeira e adolescentes, que nas brincadeirinhas com os namorados engravidam.
Todavia, tirando as adolescentes, que irão continuar a fazer abortos clandestinos, todas as outras mulheres e seus companheiros, os 25.000€, viriam permitir que a própria família(companheiros ou individualmente), adquirisse outros meios(informação, cultura, educação...etc.), que, quando surgissem novamente, outra gravidez indesejada, a soubessem resolver a contento sem pensarem em abortar.
Como já referi com a implementação do aborto livre a extinção da raça humana ou pelo menos a Portuguesa tem um fim que pode ser calculado.
Quanto ao tendencialmente para acabar, é como na constituição, saúde tendencilamente gratuita, habitação tendencialmente gratuita, educação tendencialmente gratuita...etc.
Cumprimentos

Movimento em Defesa do Rio Tinto disse...

Acção de limpeza das margens do rio Tinto, dia 10 de Março.
Se não puder participar, colabore na divulgação.
Visite a nossa homepage, para conhecer mais pormenores.

Filomena disse...

O aborto clandestino sempre teve e continuará a ter por causa principal a falta de recursos da mulher.
Atenção: as causas para o aborto não passam só pelos recursos. Há quem não esteja preparada para a maternidade ou porque é nova ou porque não tem vocação e/ou não quer fazer sacrifícios – esta palavra não é minha, mas de facto já a ouvi bastantes vezes a mulheres que não querem ter filhos ponto final.
Só que quem tem recursos para tal, vai para fora do País, onde sabe que não há hipótese de ser reconhecida e porque sabe que ali tem condições para o fazer.
Quem não tem, recorreu até agora por necessidade ao clandestino. Com a lei a ser aprovada é mais do que provável que o aborto clandestino continue pelo facto de a mulher ter receio de ser reconhecida, recriminada, olhada de lado. Especialmente nos primeiros tempos com tudo e todos à espera dos números oficiais e com muito poucos a preocuparem-se com o que vai na alma de quem não tem outro remédio. Porque ninguém aborta por escolha. Ninguém defende o aborto. Quem já o fez, nunca esqueceu o que fez. Vive com isso mais ou menos por resolver, mas nunca esqueceu.
Quando estava no Hospital para ter o meu filho, deu entrada uma rapariga alguns anos mais nova que eu e que tinha recorrido ao aborto clandestino. A coisa correu muito mal e ela deu entrada de urgência no Hospital. O mesmo médico que me fez a cesariana e que me tratou da melhor maneira possível, foi 0 médico que lhe disse que “aquilo que lhe fizeram foi o mesmo que faziam no tempo da sua avó”. Tinham apenas rompido “as águas”. Já passaram 13 (a caminho dos 14 anos) mas lembro-me exactamente de cada palavra dele. Lembro-me exactamente de cada palavra dela. Que não tinha tido outra hipótese. Tinha começado o curso há pouco tempo, não tinha uma relação estável nem meios de sustentar uma criança. Medicaram-na para que a “expulsão” (é assim que se diz?) ocorresse, e quando isso veio a acontecer, a voz dela já não era a mesma e em vez das frases calmas mas tristes e sentidas saiu em grito “não quero ver”. Não me esquecerei nunca dela. Do grito dela. Penso nela muitas vezes e desejo que a vida lhe tenha dado a sabedoria suficiente para que o assunto esteja “resolvido” e que ela esteja em paz com a decisão. Chorei nesse dia, por ela, aquilo que não chorei em nove meses de gravidez sem apoio de progenitor. Porque também eu tinha passado pelo mesmo dilema dela.
Hoje sou mãe babada de um rapagão de 13 – Lindo! Mas apoios do Estado ou de quem quer que seja, nem vê-los. Por isso, haja vergonha ou pelo menos mais respeito ao falar deste assunto.
A conversa já se alongou muito, mais do que eu pretendia, mas não consegui ficar indiferente aos dois comentários que li aqui hoje.
E obrigada Dr. JMV. Sem o saber – digo-lhe agora – tem sido um grande apoio em momentos menos fáceis;-)

José Manuel disse...

Dnª. Filomena
É precisamente isso que preconizo, o estado apoiar como na Alemanha em 25.000€ ou até mais, o nascimento de humanos, pois penso que o nascimento deve ser uma dádiva e nunca um embaraço.
Preconizo também muita responsabilidade a montante do problema.
Cumprimentos

andorinha disse...

Boa noite.

Porque já exprimi aqui várias vezes a minha opinião sobre este tema, digo apenas, que concordo com o Júlio e....o Lobices:)

Só um pequenino reparo: No post do dia 2, dei a notícia aqui, penso que em primeira mão:), de que o PSD propunha consultas de "acompanhamento dissuasor", consultas destinadas a dissuadir a mulher de interromper a gravidez.
Fiquei furiosa e ninguém me ligou nenhuma...mas tenho que compreender, eu sou uma simples andorinha.:((((( :)))))))))

maria estrela disse...

1º-A maioria da população portuguesa que se pronunciou no referendo fê-lo no sentido da despenalização.Ponto final.
2º- A prática do aborto clandestino não termina com a aprovação da lei.
3º- Irá continuar a existir aborto clandestino enquanto a sociedade não sentir esa despenalização e actuar em conformidade.

Isto é, enquanto uma mulher encontrar no olhar, na atitude, na censura velada ou descarada de quem a atende ou até de quem a rodeia, haverá aborto clandestino.
Haverá aborto clandestino enquanto os nossos preconceitos permitirem.
Saibamos nós acolher os outros, o direito às suas opções individuais ou familiares e...diminuirá cada dia esta terrível percentagem.
E ainda, vamos acabar com este desgaste inútil de energias à volta de consultas, orientações, aconselhamentos, mentes mais esclarecidas do que outras. Avancemos para os factos concretos, para a criação de condições para que quem queira abortar o faça e que quem queira dar continuidade à gravidez tenha condições para tal.

Julio Machado Vaz disse...

Meu caro José Manuel,
Estar em desacordo quanto à substância das suas intervenções não é grave, está sempre a acontecer no Murcon. Mas tenho dificuldade em dialogar(?) com quem me define como um hipócrita que defende a extinção da raça humana. Se um dia cultivar outro estilo menos ofensivo, cá estarei para me regozijar e responder. Até lá, fique bem e apareça sempre que quiser.

lobices disse...

...óh Prof. JMV: eu até aceito que haja quem discorde de si, das suas e minhas e outras idênticas posições...
...o que não aceito é que se declarem contra debaixo de um anonimato; por isso, para que está a preocupar-se em responder a pessoas que não dão a cara na defesa dos seus ideais?
...até podemos não concordar com eles, mas respeito-os olhos nos olhos, cara a cara como exijo que me respeitem porque sempre dei a cara...
...por isso, o "caro" José Manuel e/ou outros, até podem dizer que somos o que quer que eles queiram que sejemos, mas que se assumam para que possamos (como muito bem diz o Profe) dialogar com dignidade e discussão de ideias porque é dela que nasce a luz
...na verdade, ao abrigo do anonimato tudo se pode dizer; só que fica sem valor e sem direito de resposta
...um abraço

maria estrela disse...

Ah, gostei de o ver ontem nestas bodas de ouro da RTP.
Que tal equacionar um regresso mais activo?
Gosto das suas apologias...e alguma raça humana até merecia!!!

José Manuel disse...

Caro Julio Machado Vaz

«Meu caro José Manuel,
Estar em desacordo quanto à substância das suas intervenções não é grave, está sempre a acontecer no Murcon. Mas tenho dificuldade em dialogar(?) com quem me define como um hipócrita que defende a extinção da raça humana.»

Portanto se rejeita esse epíteto, e não tem argumentos, para o que escrevi, pelo menos defenda o que preconizei, nomeadamente favorecendo a maternidade, com apoios reais e eficazes, em contraponto aos recursos megalómanos que se irão gastar, nomeadamente aeroporto da ota e tgv.
Quanto ao Sr. lobices, creio que é mais anónimo do que José Manuel,que é autentico, verdadeiro real, além disso, este blog não permite comentários anónimos, talvez falte a fotografia, mas olhe não sei como colocar.
Cumprimentos

andorinha disse...

Lobices(7.07)

Assino por baixo, Quim:)
Há certos "seres humanos" com os quais não vale a pena perder tempo.

Júlio,
Poupe as suas energias para as suas ruminações tão sadias com o maralhal.:)
Siga o conselho do Quim.

Fora-de-Lei disse...

andorinha 6:50 PM

Tu és uma simples andorinha mas não és uma andorinha simples (esta frase é muito mais pura - e bem intencionada - do que aquela que por vezes se constrói com os substantivos "mulher" / "homem" e os adjectivos "boa" / "rico".

Mas simplicidades à parte, dá-me a sensação que entretanto deixaste cair as chamadas "consultas de acompanhamento". Was passiert ?

andorinha disse...

Malta, hoje o mentecapto de serviço chama-se José manuel.
Coitadito, não se cala, quer tempo de antena...
Não lho vamos dar, pois não?
Que fale sozinho até que se canse...

Fora-de-Lei disse...

José Manuel 5:33 PM

Tem calma, Zé Manel...

By the way, diz-me lá o que é isso da "raça portuguesa" ? Será que exige pedigree ou é assim uma "espécie de magazine" ?

Fora-de-Lei disse...

andorinha 7:59 PM

Não sejas assim... amigo não empata amigo.

andorinha disse...

Fora de lei(7.56)

Se isso é um elogio, agradeço, mas contigo nunca sei...:))))))

Não deixei cair as "consultas de aconselhamento"; eu era de opinião que essas consultas deviam ser obrigatórias em todos os casos.
Mas não é assim que vai ser legislado e penso que se as coisas forem feitas como deve ser, ou seja, se na consulta obrigatória, que deveria ser feita por uma equipa multidisciplinar, for detectado que a mulher necessita de "aconselhamento" penso que deverá ser alertada para isso e ser-lhe facultado.
Estou a tentar ser maleável...e a dar o benefício da dúvida, para já.

Não estou a ser incoerente. A minha opinião final vai depender do modo como as coisas forem legisladas.

thorazine disse...

"Deixemo-nos de hipocrisias, como o sr. Sabe muito bem, quem pratica os abortos, na sua grande maioria ou são prostitutas que não têm cuidado, com os métodos contraceptivos, mulheres com muita ignorância e com grandes problemas de ordem financeira e adolescentes, que nas brincadeirinhas com os namorados engravidam."

Com jeitinho diminuia~se o aborto e aumentava-se o infanticídio. Os casais tinham o filho até ao dia que o dinheiro caísse na conta! :)

E normalmente são as prostitutas e as mulheres com problemas financeiros que vão fazer o "desmancho" À senhora que lhes mete o raminho de salsa. O resto vai a badajoz. E com jeitinho ainda enche o deposito e carrega o carro de bacalhau antes de atravessar outra vez a fronteira.POSH! :)

Em relação aos modos ou à falta deles não devia comentar. Tenho consciencia que tb sou um pouco pateta, às vezes. Mas agressão à falta de argumentos é reles. :|

Não ser anónimo também não ia trazer grande vantagem. Não imagino daqui ninguém a fazer uma esperinha. ;)))))

andorinha,
vá vá! Inspira...expira...inspira...expira.. ;))))))))))

Alguém viu ontem o portugal no coração? De que programa era aquelas imagens que passaram do professor?

andorinha disse...

Thora,

Continuo a inspirar e expirar, não pretendo morrer hoje:)))))
E já aprendi a dar a estas "pessoas" a importância que elas têm: nenhuma.

"Em relação aos modos ou à falta deles não devia comentar. Tenho consciencia que tb sou um pouco pateta, às vezes."

És pateta???
Tu "amandas" estas bocas só para te virem confirmar que não és, diz lá, confessa, confessa:))))))))

Continuas a precisar de palmadinhas no ego?
Já me dói a mão:))))))))))))))

CêTê disse...

Lobices, essa do anonimato "ofendeu-me". ;/
Entenda o meu anonimato (que eu saiba há muito que não se comenta aki anonimamente) como um pseudónimo (no meu caso nem heterónimo é!!!) Acho que não deva ser por isso que devamos ignorar os outros. Por outras razões sim.
Olhe eu por exemplo nem lembro que o Lobices tem outro nome, o mesmo se passa com a andorinha, com o FDL,...
Não que não lhes admire a "coragem" mas não pense que por isso sou outra pessoa que não a que sou.
(ainda cito António Aleixo ou faço uma dissertação sobre a personalidade múltipla de outros... como a do Nandinho Pessoa);]

abraços


Quanto ao tema em questão... penso que nenhuma surpresa virá. E se querem saber preocupa-me mais saber que não há escoamento nas urgências da minha terra e que se adivinham piores momentos, que não há ambulâncias em número suficiente nem equipadas como deveria. E ENOJA-ME a classe política pelas regalias que continua a ter, no favorecimento escandaloso de familiares dos mesmos no acesso a empregos enquanto no país se assiste ao que se assiste.

andorinha disse...

Cêtê,
Mas tu não és anónima, és a Cêtê.
Alguém te está a comparar a esses mentecaptos, rapariga?:)

E de que "coragem" falas tu?
A de eu aqui ser andorinha e nos e-mails assinar com o meu próprio nome?
Isso não é coragem, é uma opção minha.
A tua é tão válida quanto a minha.
Quando falo aqui com a Cêtê, sei que é contigo que estou a falar, quero lá saber como é que te chamas.:)))))))

Quanto à classe política tenho exactamente a mesma visão, colega:)

P.S. Vê se não disparatas mais, tá bem?:)
Jinhos.

José Manuel disse...

Cara Andorinha
«Há certos "seres humanos" com os quais não vale a pena perder tempo.»

Provavelmente, envia-os para um contentor, e chega-lhes gás, exterminando-os.

«Malta, hoje o mentecapto de serviço chama-se José manuel.»

Por mais mentecapto que seja, á uma grande diferença entre nós, mesmo que a Andorinha seja a mais erudita personagem do planeta, não lhe dá o direito de insultar ninguém.
Tudo o que defendi, pura e simplesmente foi a defesa da vida humana, e mais nada, se eventualmente têm opiniões divergentes, tudo bem, agora insultos gratuitos, por liberdade de expressão, é de bradar aos céus.

CêTê disse...

Tenho a orelha direita a arder!? A sério que sim. ;]
Estou fragilizada possivelmete, andorinha! Bigada pelo mimito.;]
Boa noite para todos

pp_19 disse...

ainda a falar no aborto? N seria altura de evoluir, ó júlio?

Para mediocriade já basta a classe política e a classe popular, de um professor universitário (ironia, só num país como nosso e só a leccionar a cadeira que lecciona), esperar-se-ia mais.

Deixe lá isso. O Aborto já passou. Não tem competência para falar de mais nada?!!?! (hmm, eu sei que tem, tem qq coisa de sexologia, uma ciência mt para a frente...)

Pamina disse...

Boa noite.

Ligando os posts, também acho incompreensível não terem incluido a informação sobre adopção. Parece óbvio.
Pelo que se lê na notícia, dá a impressão que sentiram isso como demasiada cedência ao PSD. Estupidamente, claro.

Quanto à questão de aconselhamento/dissuasão, por vezes a linha entre as duas coisas pode ser ténue. Também dependerá muito do feeling pessoal de quem conduz a/s entrevista/s ou consulta/s. Claro que se, em vez de um ouvido compassivo, sensível à sua situação, e um interlocutor esclarecedor, capaz de responder às suas dúvidas, a mulher encontrar aluguém que a faça sentir-se culpada/criminosa e que procure fazê-la mudar de ideias a todo o custo, com certeza fugirá do sistema legal.

JFR disse...

Quando defendi aqui, várias vezes, a importância de exigirmos, enquanto cidadãos eleitores, o sermos esclarecidos pelo Governo e partidos políticos - previamente ao referendo -, sobre as intenções de cada um quanto ao novo quadro legislativo pós-referendo, imaginava vir a acontecer o que é tão comum na sociedade portuguesa: “a armadilha política”.

De facto, os dois principais partidos portugueses (PS e PSD), comportaram-se durante a campanha do referendo de um modo enganador. Que aqui e ali era visível. Hábil, mas falso. Esperto, mas desonesto.

Por um lado, o PSD que definiu uma não-posição, não soube ou não quis informar-nos de quais as condições que propunha para a regulamentação legislativa na hipótese de vitória do SIM. Mas, também, não publicou nada que definisse a opinião oficial do partido, para as alterações - pelas quais lutaria - caso a vitória fosse do NÃO. Hoje, apresenta propostas de legislação, pelas quais não quis ou não soube lutar. Falso, apesar de hábil. Desonesto, apesar de esperto.

Por outro lado, o PS que definiu uma posição de apoio ao SIM, não soube ou não quis informar-nos, de qual a sua proposta para o novo quadro legislativo pós-referendo na hipótese de vitória do SIM. Pelo contrário, deixou que cada um dos seus possíveis seguidores, especulasse quanto a soluções futuras. Aceitou tudo. Em sessões públicas, onde estava representado oficialmente. Falso, apesar de esperto. Desonesto, apesar de hábil.

Felizmente, ainda existem espaços como o Murcon. Aqui, quem o governa deixa claro como pensa. Até pode pensar mal, segundo alguns, algumas vezes. Mas não há habilidades desonestas, nem esperteza falsa.

Sinto-me bem por ter votado em branco. Como aqui disse que iria fazer.

lobices disse...

SOBRE O ANONIMATO
.....
....cêtê
...a querida amiga não é anónima; clicando no seu nickname "cêtê" vamos ter a um folha de perfil onde existe um link para um blogue; aí podemos adivinhar e saber quem está por detrás das palavras
...o mesmo já não se verifica com o citado nickname do Sr. "José Manuel"... clicando no nick vamos ter a uma página que não tem perfil acessivel, nem blogue; logo, é apenas e só um José manuel como poderia ser um Luis Vaz de Camões
...depois, vir aqui a coberto de um nickname, seja ela qual for, debitar enormidades e chamar de hipócrita ao Professor em sua própria casa eu não admito e não tenho procuraçao para defender a causa do nosso anfitrião
...foi só isso que eu referi
...um abraço

Maria Velho disse...

Caro José Manuel

Pelo menos aprenda a escrever! Para quem defende uma Raça Portuguesa em que só prostitutas,mulheres de baixa capacidade intelectual ou de maturidade dúbia practicam IVG e quem defende uma melhor, equitativa sociedade PORTUGUESA, com cuidados de saúde física e mental é Hipócrita "Exterminador"( não andará a ver filmes de 5ª categoria a mais?) ,V.Exa. sofre de iliteracia crónica...nem vindo aqui dialogar vai longe!!

Fora-de-Lei disse...

Maria Velho 10:51 AM

Tem cuidado, Frei Tomás... é conveniente uma maior atenção ao "practicam".

thorazine disse...

andorinha,
oh..não fiz de proposito! Mas um miminho de quando em vez vem sempre a calhar.. :P

maria velho,
o terminator não é um filme de 5ª!! Vá..vá.. ;))

Filomena disse...

Sr. José Manuel,
Respondo-lhe em nome da tolerância que é valor que tento passar ao meu filho, de outra forma não me dava ao trabalho.
O Sr. foi ofensivo para com o Dr. JMV, chamando-lhe “hipócrita” e “apologista da extinção da raça humana, pelo menos a Portuguesa”.
Basta ler qualquer um dos livros do Dr. ou ouvi-lo durante poucos minutos para perceber que ali há sensibilidade e não hipocrisia. O resto nem vou comentar porque é ridículo.
Quanto à sua pergunta “Então não é hipocrisia, ser a favor da vida, e por outro lado defender o aborto?” eu respondo que não. Porque defender a vida é defendê-la em toda a sua plenitude. Sabendo, como sei, como é difícil educar sozinha uma criança tendo optado por fazê-lo, não quero imaginar o que será fazê-lo sem vontade ou vocação. E o que serão as consequências para qualquer criança que nasça sem que seja esse o desejo e escolha de mãe e pai.
Acompanhei amigas (irmãs) que decidiram abortar por não terem outra escolha. Nunca lhes dei sequer a minha opinião. Ofereci-lhes o ombro, prometi e cumpri ajuda fosse qual fosse a decisão. Sei bem como sofreram e como todas elas não esqueceram. Por isso senti-me também ofendida com as suas palavras “Sabe muito bem, quem pratica os abortos, na sua grande maioria ou são prostitutas que não têm cuidado, com os métodos contraceptivos, mulheres com muita ignorância e com grandes problemas de ordem financeira e adolescentes, que nas brincadeirinhas com os namorados engravidam”
As prostitutas não foram condenadas por Cristo, porque terão de o ser por si?
Uma gravidez inesperada pode acontecer até quando se usa e se tem cuidado com os métodos contraceptivos. Não é preciso ser ignorante para que nos bata à porta. Quanto à sua expressão “brincadeirinhas de adolescentes”, eu prefiro chamar-lhe a descoberta da sexualidade. O Sr. não se lembra da sua?
E será culpa dos adolescentes a falta de informação e não só? Acha que é fácil para os adolescentes entrarem numa farmácia e pedirem preservativos? E caso ganhem a coragem para o fazer, acha que eles têm dinheiro para os comprar? Acha que há muitos pais que o façam por eles?
Finalmente e em relação à sua “teoria” dos 25.000 Euros, acha mesmo que o dinheiro é a solução para tudo? Ainda que o fosse, a nossa segurança social conseguiria comportar tais custos? E a nossa “saúde”? Saiba o Sr. José Manuel que o meu filho com a idade de 6 (s-e-i-s) anos deixou de ter direito a pediatra e passou para o “médico de família”, essa maravilhosa instituição. Porquê? Porque o centro de saúde da minha área de residência tem “crianças a mais”. Eu sempre lhes respondi que tinha era médicos a menos, mas não se “compadeceram”.
Tente, por favor, reflectir em tudo isto. Ter muitas certezas na vida é mau sinal. O mundo é composto de mudanças. Eu, como o “outro”, “só sei que nada sei” embora esteja disposta a aprender.

lobices disse...

...Maria Filomena:
...o meu aplauso ao seu comentário sereno e perfeito para além de muito lúcido
...permita-me subscrevê-lo

Filomena disse...

Lobices,

Permito e agradeço! Mas como é que sabe que também me chamo Maria? Maria Filomena de uma vezada é o nome que a minha mãe chama quando está zangada comigo (felizmente não acontece há anos).
Obrigada. Cumprimentos.

andorinha disse...

Thora,
Miminhos de mim terás sempre...enquanto os mereceres:)))

José Manuel disse...

Dnª. Filomena

Não pretendia intervir mais neste blog, que considero um blog de tiques salazarentos, onde campeiam pessoas com complexos de superioridade, que olham para o seu semelhante, com aquele ar de desdém, eventualmente, nasceram com qualidades da omnisciência, atingiram , já um estado de evolução superior, que os restantes mortais como eu, nunca será capaz de atingir, e desde já peço desculpa por não poder acompanhar-vos.

«O Sr. foi ofensivo para com o Dr. JMV, chamando-lhe “hipócrita” e “apologista da extinção da raça humana, pelo menos a Portuguesa”.»

Onde é que fui ofensivo para o Sr.Dr.JMV?
Olhe bem para o significado de hipocrisia.
hipocrisia - manifestação de virtudes ou sentimentos que realmente se não tem.

Como é que se pode ser a favor da vida, e a favor do aborto? Contradição essa, que não é mais do que hipocrisia.

Quem é a favor da vida, jamais poderá ser a favor do aborto.

«E o que serão as consequências para qualquer criança que nasça sem que seja esse o desejo e escolha de mãe e pai.»

Dnª. Filomena, em todo o passado da humanidade, quantos milhares de milhões de pessoas não nasceram desejadas, porventura qualquer um de nós, e olhe que as condições nunca foram como agora.

«As prostitutas não foram condenadas por Cristo, porque terão de o ser por si?»

Mas alguém condenou alguma prostituta? Eu não fui, escrevi(quem pratica os abortos, na sua grande maioria ou são prostitutas que não têm cuidado, com os métodos contraceptivos, mulheres com muita ignorância e com grandes problemas de ordem financeira e adolescentes, que nas brincadeirinhas com os namorados engravidam.), mas isto não é a puras das verdades? Quer que também seja hipócrita? Não gostam de ler as verdades?

«Uma gravidez inesperada pode acontecer até quando se usa e se tem cuidado com os métodos contraceptivos. Não é preciso ser ignorante para que nos bata à porta. Quanto à sua expressão “brincadeirinhas de adolescentes”, eu prefiro chamar-lhe a descoberta da sexualidade. O Sr. não se lembra da sua? E será culpa dos adolescentes a falta de informação e não só? Acha que é fácil para os adolescentes entrarem numa farmácia e pedirem preservativos? E caso ganhem a coragem para o fazer, acha que eles têm dinheiro para os comprar? Acha que há muitos pais que o façam por eles?»

Mas uma gravidez inesperada, é sinónimo de aborto? Quantas gravidezes inesperadas, terminaram em grandes génios? Quem é que sabe, quem foi ou não foi desejado?

Alguma vez, a adolescência, é sinónimo de irresponsabilidade? De ignorância? Não me diga que os adolescentes, fazem sexo sem saberem que daí pode advir um filho?
Mas estamos no planeta Terra, ou noutra galáxia? Por acaso não vê os miúdos com os telemóveis, sempre a enviar as mensagens? Por acaso já leu algumas, bem como as imagens? Não vê novelas, olhe que as audiências das novelas de adolescentes têm muita audiência. A ignorância de antigamente, já não é a mesma de agora.
Mas se o problema é os preservativos, porque não entregar na escola, ao director, que os distribua por toda a gente.

«Finalmente e em relação à sua “teoria” dos 25.000 Euros, acha mesmo que o dinheiro é a solução para tudo? Ainda que o fosse, a nossa segurança social conseguiria comportar tais custos? E a nossa “saúde”? Saiba o Sr. José Manuel que o meu filho com a idade de 6 (s-e-i-s) anos deixou de ter direito a pediatra e passou para o “médico de família”, essa maravilhosa instituição. Porquê? Porque o centro de saúde da minha área de residência tem “crianças a mais”. Eu sempre lhes respondi que tinha era médicos a menos, mas não se “compadeceram”.»

Dnª. Filomena, com todo o respeito, a srª não acha que os milhares de milhões de euros que se vão gastar, em OTA e TGV, não daria para sustentar qualquer orçamento da segurança social e outros? Os 25.000€ ou mais, não daria para sustentar o seu filho? E dar-lhe uma educação digna. Olhe que eu não ganho isso por ano, nem para lá caminha. Uma sociedade só é verdadeiramente livre, quando qualquer cidadão, consiga ter acesso a todos os direitos consagrados na constituição.

«Tente, por favor, reflectir em tudo isto. Ter muitas certezas na vida é mau sinal. O mundo é composto de mudanças. Eu, como o “outro”, “só sei que nada sei” embora esteja disposta a aprender.»

Só respondo ao seu comentário, como já referi anteriormente, porque foi a única, que respeitou um ser humano na sua plenitude, independente de ser ignorante, mentecapto...etc.

Nunca tenho todas as certezas na vida, mas uma garanto-lhe, se nada mudar na humanidade, nomeadamente no que diz respeito ao aborto, tendência será para acabar.
Cumprimentos

Maria Velho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria Velho disse...

Fora-de-Lei

Mea culpa!!! Tem toda a razão...

errata: onde se lê practicam deverá ler-se praticam! o c foi uma snob tentativa de passar por literata....