sábado, junho 14, 2014

Boa noite, gente.

4 comentários:

João Pedro Barbosa disse...

De volta... Às conversas. Virtuais! Pedro?

Anfitrite disse...

Peço desculpa pela minha ousadia, mas acho que está com muita piada. São os ventos do tempo...

"Aconteceu em Aquiraz, região metropolitana de Fortaleza (CE)

Tarcília Bezerra começou a construção de um anexo do seu cabaré, a fim de aumentar suas "atividades", em constante crescimento.


Em resposta, a igreja neopentecostal da localidade iniciou uma forte campanha para bloquear a expansão, com sessões de oração, em seu templo, de manhã, à tarde e à noite.

Não obstante, o trabalho da reforma progrediu até uma semana antes da reabertura, quando um raio atingiu o cabaré de Tarcília, queimando instalações elétricas e provocando um incêndio que destruiu tudo.

Tarcília processou a igreja, com o fundamento de que a Igreja "foi a responsável pelo fim de seu prédio e seu negócio, seja através de intervenção divina, ou seja, pelo poder das orações".


Na sua resposta à acção, todos os membros da igreja negaram veemente toda e qualquer responsabilidade com o fim do cabaré, pois as orações não tinham nada a ver com raio nem o incêndio.

Na audiência de abertura, o veterano juiz leu a reclamação do autor e a resposta do réu e comentou:

- Não sei como vou decidir neste caso porquanto, pelo que li até agora, tem-se uma proprietária de puteiro que acredita firmemente no poder das orações; e uma igreja inteira que pensa que orações não valem nada!!!





andorinha disse...


Até as crenças andam baralhadas...:)))))))))

João Pedro Barbosa disse...

Já Passaram Dois... Novos Em Folha. Que o Terceiro! Faça Boa Viagem?