sexta-feira, abril 29, 2005

À custa do velho Marcial

A propósito de outras formas de rotular (verbo horrível!) as pessoas:

Ri-te lá à vontade, Sextilo, de quem maricas
te chama e espeta-lhe o dedo médio.
Mas tu não vais por trás, Sextilo, nem pela frente,
e a boca ardente de Vetustina não te agrada.
Não és nada disso, confesso, Sextilo. Que és então?
Não sei, mas tu sabes que sobram duas coisas.

Marcial, Epigramas.

Sextilo não pratica o coito vaginal ou anal como sujeito activo. Não aprecia o coito oral praticado por uma prostituta velha. Restam duas possibilidades, que Marcial insinua serem conhecidas de ambos: o coito anal em postura passiva e o oral, que os gregos também consideravam "passivo" - outras culturas discordam -, sobretudo se praticado com mulher. Como dizia ontem, não é o tipo de acto ou o sexo do parceiro a garantir a "normalidade cultural", mas o estatuto de sujeito activo, que traduz domínio sobre o outro. Daí que Paul Veyne, referindo-se aos romanos, falasse de uma verdadeira "bissexualidade de violação".

Completamente de acordo com o reparo de Portocroft, o mais das vezes analisamos os discursos de elites. Os romanos foram mais amáveis, deixaram-nos toneladas de graffitti populares:). Essa dúvida acompanha-nos, de resto, no cristianismo. Quando lemos os Penitenciais da Idade Média, com as suas inúmeras proibições sobre todos os actos sexuais possíveis e imaginários - acho que pouco foi inventado depois deles a não ser o sexo virtual:) -, custa muito a crer que as populações os seguissem à risca. No fundo, poderíamos dizer que os detentores da cultura sempre definiram a imagem futura dos povos. E se a cultura está nas mãos de uma minoria homogénea é muito difícil descortinar discursos e práticas alternativas. Ou então apenas o conseguimos através do filtro impiedoso da cultura dominante, veja-se as descrições luxuriantes da Inquisição sobre os hábitos sexuais dos cátaros, que no concreto eram bem mais ascéticos do que a hierarquia romana!

P.S. Alguém se queixou de falta de poesia. Seus tiranos...

O Amor é um Género Literário

Pensei em escrever-te como se não existisse
ainda o feminismo. Como se o nosso tempo
não fosse o fim do século, nem ninguém conhecesse
a igualdade dos sexos, nem causasse estranheza
ouvir que te dissesse que o amor que eu sinto
por ti nunca poderias tu senti-lo por ninguém.
Talvez o amor seja apenas literatura
que muda com o tempo. Eu suponho que nós
não amamos como Shakespeare, nem Shakespeare como Dante
nem Dante como Safo, nem Safo como ninguém.

Carlos Martínez Aguirre.

Ora digam lá que não proporciona uma boa discussão:)?

P.S.2 - Lamento que as coisas por vezes se tornem azedas entre vocês. Mas todos, incluindo eu, devemos decidir quando e porquê ficar, partir ou regressar. Porque, ao menos para isso!:), somos livres.

162 comentários:

noiseformind disse...

Azedas? Nada disso, é só amor... e sexo claro!;)))))))))))

yulunga disse...

Noise, andas a ler o "Master and Johnson", confessa à tua Yully

lena disse...

ena como isto está... :D

yulunga disse...

"mas o estatuto de sujeito activo, que traduz domínio sobre o outro."
O Lobices tinha dito:
"...no post anterior aflorei ao de leve a posição "macha" de força para penetrar e a posição "fêmea" de aceitação de penetração..."
Que capacidade de antecipação.
Até mais logo

LYS disse...

«PAIXÃO»
"Ó jovem de olhar virginal,/ eu te busco,mas tu não atendes,/ sem saberes que da minha alma/ deténs as rédeas." (Anacreonte)
Tradução do grego: Maria Helena da Rocha Pereira

Didas disse...

Por acaso ando cá com uma dúvida existencial muito grande que vou deixar no farinha amparo a ver se o Dr. Júlio me pode auxiliar. Ah pois!

lobices disse...

...
...permito-me citar:

"...Como dizia ontem, não é o tipo de acto ou o sexo do parceiro a garantir a "normalidade cultural", mas o estatuto de sujeito activo, que traduz domínio sobre o outro. Daí que Paul Veyne, referindo-se aos romanos, falasse de uma verdadeira "bissexualidade de violação..."

...para referir que é um pouco a confirmação do que também ontem afirmei num dos meus comentários: "será sempre a imposição de um macho em força de penetração e de uma fêmea em posição de aceitação"
...
...por isso, a diferença existirá sempre numa predominância de um "domínio" de quem "força" sobre quem "aceita"...
...é um instinto pura e simplesmente animal que nos acompanha desde os primórdios e nos acompanhará ainda durante muito tempo até o Homem descobrir outras formas de procriar e o sexo deixe de existir como aqueles peixes que deixaram de ter olhos porque vivem no fundo do mar onde não existe luz...

lobices disse...

...to Yulunda das 10.20 AM:
...
...não foi antecipação amiga Yu; é apenas a constatação de um facto tal como refiro, mais uma vez, no meu commente anterior a este.
:)

lobices disse...

...voltando a citar:
...
"...mas o estatuto de sujeito activo, que traduz domínio sobre o outro..."
...vejamos:
...sexo entre um homem e uma mulher:
...há sempre "o" activo porque a necessidade de penetração o torna "violador" pela "força" que necessita perante a fêmea
...sexo entre dois homens:
...há sempre um activo que "impõe" sobre o outro; numa relação em que ambos possam ser activos e passivos o que "penetra" exercerá sempre a "violação"
...sexo entre duas mulheres:
...não existe necessidade de violação porque na falta do eréctil pénis para o fazer, o que acontece não é um domínio nem uma violação mas sim e apenas um acto de amor excitável e possível provocador orgásmico mas nunca violador; mesmo no uso de artefactos como o dildo ou o vibrador, não existe um "poder" de erecção para dominar; neste caso axistirá, de ambas as partes, uma submissão por aceitação mútua
...assim:
...a homossexualidade no homem será idêntica à heterossexualidade enquanto que na mulher será uma "subespécie masturbatória"
...

Elsa disse...

As coisas que eu aqui aprendo!
Realmente não fazia ideia...

Pois como eu costumo dizer: rótulos são coisas que colocamos em frascos!

E sim, viva a liberdade de escolha, em todos os sentidos, que ainda esta semana se celebraram os 31 anos do 25 de Abril!

Bom dia! Que eu acordei agora!

lobices disse...

...que bom tema para uma Sexta feira, hemm óhh Profe????
...esta é das grandes!...
...

lobices disse...

...a Elsza "acordou" agora?
...(sentido figurado, Elsa?) LOL
:)

Elsa disse...

Não, acordei mesmo!
Que eu deito-me tarde e acordo tarde!

Tenho uma boa vida!!!

:)

PortoCroft disse...

Bom dia.

Ó Prof. 'give me a break', que isso é demasiada areia para a minha camioneta. ;))

Mas, estou mesmo a imaginar, daqui a 1000 anos, uns caramelos a ler o que se escreve aqui e a concluírem que todos os cidadãos do país resultante do Condado Portucalense, eram uns gajos depravados que só falavam de sexo, embora pouco o praticassem, porque até gastavam a maior parte do seu tempo em frente dum monitor a falar daquilo que afinal acabavam por não ter tempo de praticar. E a aceitarem isto como verdade indiscutível.

Sobre as coisas, por vezes, se tornarem azedas, e já estamos numa de epigramas, busquei e encontrei este. Que tal, sou não sou genial? ;)))))))

Bella es, novimus, et puella, verum est,
Et dives, quis enim potest negare?
Sed cum te nimium, Fabulla, laudas,
Nec dives neque bella nec puella es.


Você é linda, sim, Fabulla, é jovem, é rica,
É culta, quem é que vai negar?
Mas quando você começa a se mostrar
Fica mais parecida com uma puta.
(Marcial, Epigramas)

Katz disse...

Olá....
Problemas no sevidor têm-me mantido fora da discussão, tive, no entanto, para ler um comentário ou outro nos últimos dois dias e, se me permitem, a "chamada de atenção" do professor vem a "calhar", será que noto uma certa tensão entre alguns membros.... Então maralhal!?!?!
Pouco haverá ainda que eu possa acresecntar ao que já foi dito, resta-me dizer como dizia a Circe num dos últimos artigos, as bonecas também nunca foram o meu forte, nem tapetes nem ponto-cruz nem coisa que o valha... Será que tenho uma confusão de cromossomas dentro de mim ;))

Deixo-vos com uma letra feita pelo Carlos Tê para o Rui Veloso que acho um doce e muito a propósito... (espero não vos maçar, mas leiam que vale a pena!)

Dizem que as mulheres
Se querem prendadas
Frágeis e discretas
Meio enviezadas
De falas indirectas
Quase imaculadas

Ágeis e arrumadas
De peito bem feito
Sensatas coradas
Mexidas no leito
Com luzes apagadas
Perto do perfeito
Conto de fadas

Desfolhe o malmequer
Você quer a mulher
Que não faça nada
Do que lhe disser

Você teme a mulher
Que fuma português suave
Bebe água lisa
Só ao sair da cave
E quando está na sua
Anula a gazua
E deita fora a chave

Porque você é
Um português suave
Gosta de quem nega
De quem só se entrega
Ao fim de muito entrave
E depois o relega
Para o porão da cave

Dizem que as mulheres
Se querem fogosas
Cheias de ciladas
Loucas e picantes
Mas nunca como esposas
Sempre como amantes

Você devia querê-las
Só inquietantes
Sem poder prevê-las
Porque você é
Um português suave
Se forem iguais a si
É um caso muito grave

Desfolhe o malmequer
Você quer a mulher que lhe faça aquilo
Que você nem sonha querer

(Malmequer/Carlos Tê)

Abraço!

Elsa disse...

Não conhecia esta música do Rui e do Tê mas foi muito bem posta sim senhor!

Obrigada!

yulunga disse...

Portocroft, e não é assim que deve ser? Uma senhora na sala e uma p... na cama?
E não sei se é mostrar se é libertar

Julio Machado Vaz disse...

Portocroft,
Em Latim? Homem, você não é só genial, é erudito, carago:)!

PortoCroft disse...

yulunda,

Concerteza. O pior é quando se é na sala e na cama. Confesso que aí perde a graça toda. ;)))

PortoCroft disse...

Ó Prof.,

Sigo apenas as tendências do seguidor de Pedro. ;)

yulunga disse...

Portocroft, toma lá em aramaico:
"Abvum d'bashmaia
Netcádash shimóch
Tetê malcutách Una
Nehuê tcevianách aicana
d'bashimáia af b'arha
Hôvlan lácma d'suncanán
Iaomána
Uashbocan háubein uahtehin
Aicána dáf quinan shbuocán
L'haiabéin

Uêla tahlan l'nesiúna.
Êla patssan min bíxa
Metúl dilahie malcutá
Uaháila
Uateshbúcta láhlám.
ALMÍN. "
É o Pai-Nosso, mas assim de repente não encontrei nada mais adequado

PortoCroft disse...

yulunga,

Se eu, pelo 'meu' latim, tenho direito a um 'elogio', caramba, tu pelo aramaico, tens direito a uma voltinha de Porche. ;))))))))

yulunga disse...

Isto foi só porque o Dr. gostou de ler alguém que disse:
"Se não cedermos à tentação, a que vamos ceder? Ou algo assim.
Cedemos ao Pai-Nosso, pois então que nos livra dela.
Sou ou não senhora aqui na sala?

PortoCroft disse...

yulunga.

És sim senhora. Faço votos para que o não sejas na alcova. ;)))

trintapermanente disse...

o amoe é a essencia

yulunga disse...

Portocroft, sou desempoeiradita (gostei deste termo que usaste no post anterior).
E este encaixe do teu latim com o meu "aramaico" foi só mesmo falar por falar, pois como o tema da homossexualidade tem-se vindo a arrastar e eu não a entendo muito bem...
Se calhar aí terei um pózito, confesso

PortoCroft disse...

yulunga,

Calhou voltar atrás e ler uma coisa que me desagradou. Porque se há coisa que é mesmo inaceitável é o ataque soez.

As pessoas podem ou não entender. Podem ou não concordar. Podem ou não querer aceitar. Não têm é o direito de, pior do que por ignorância, com ataques vis e por má fé, quererem fazer vingar os seus pontos de vista. Isso nâo é debater nada. É querer continuar a viver com palas nos olhos para só ver em frente. E, se queres que te diga, apesar de ter vivido alguns anos perto de cacilhas, nunca usei cilhas. O que também nâo significa que agora que vivo bem longe, tenha passado a ser menos burro. ;)))))))))))))

Mas, digo isto, relativamente ao tema de ontem, como o direi em relaçâo a qualquer outro assunto que envolva discriminaçâo. E, da mesma forma que vejo duma forma, procuro também ver de outras. Também me custa a entender a discriminaçâo entre minorias. Como me custa a discriminaçâo aos deficientes e muitas outras mais. Mas, isso sâo outras conversas.

PortoCroft disse...

yulunga,

Quanto a teres um pózinho... nâo é grave. Numa ou noutra coisa todos temos.

O essêncial é abrir a mente e o espiríto.

yulunga disse...

Portocroft, não entendi o que leste para trás e te desagradou? Feito por mim? Não entendi. Se achar por bem, esclareço

yulunga disse...

Portocrof, falas de discriminação só porque disse que não entendia? Ou andam por aqui dois temas cruzados?

PortoCroft disse...

Yulunga,

Não tem nada que ver contigo moçoila. Nem sequer era, ao menos directamente, comigo. Mas, (Ó Prof. desculpe lá o desabafo) PORRA!... Já cansa ver tanta filha da putice, travestida de urbanidade.

Julio Machado Vaz disse...

Porsche?????? Onde????? Onde?????

PortoCroft disse...

Prof.,

ehehehehehehehehe... O maluco do Noise é que lançou essa. ;)

Bom, mas cá para mim, sempre que lhe pareça que mereço um elogio, não o faça. Mande-me um livro autografado. ;)

Adryka disse...

Hey, mas este é o meu blog preferido, eu pensei que sabia muita coisa!!!oh afinal sei que nada sei.

Mitsou disse...

Não és só tu, Adryka :) Um abraço para todos.

Anónimo disse...

ena! isto por aqui está a aquecer...

não se aborreçam que não ganham nada com isso.
beatriz

PortoCroft disse...

Beatriz,

Está a chegar a prima Vera. ;))))

Tataranha disse...

Boa tarde a todos
Este texto é uma pequena homenagem de respeito e admiração a todos os intervenientes.
Com ou sem discussão adoro este canto. "Roubo" sempre uns bons minutos por dia ao patrão, e quando me atraso nas leituras do blog nem digo quanto tempo levo a actualizar-me. (lol) Não se preocupe Prof. Júlio, sou uma menina responsável e o trabalho sai sempre pronto a tempo e horas.

P.S. Concordo plenamente com o comentário do Portocroft da 1:25 e assino embaixo se não se ofender...

Anónimo disse...

e não sei se sabe deste ditado, bastante antigo por acaso:

"quanto mais prima mais se lhe arrima"
força!
beatriz

Ale (mestressan) disse...

Bom dia a todos! Só cheguei agora, mas vou ler e depois comento! ;o) (ALE)

Ale (mestressan) disse...

Nia, onde está você? Obrigado pelo e-mail, já respondi! ;o) - Abraços ALE

Anónimo disse...

Oh prof. este blog não deveria ser MURCÃO é que MURCON é 100% da mourolândia!! fiquei triste!

Pensei que fosse apenas adepto do SLB e não tivesse a mourolândia na alma!

é que nem na Foz profunda se escreve assim!

lobices disse...

...sinopse na janelinha da programação da RTP2 para amanhã Sábado dia 30 (melhor: Domingo 1 de Maio, já que o programa vai para o ar apenas às 2 da matina!...)
...
"Na tradição dos vários programas de sucesso que levou a cabo na televisão portuguesa, Júlio Machado Vaz volta ao ecrã para deliciar a sua legião de fãs com conversas em que problemas e questões várias são abordados de forma profunda mas com uma linguagem acessível. Para o acompanhar neste programa estará Gabriela Moita, especialista da mesma área que complementará a visão de JMV. A moderação estará a cargo da jornalista Leonor Ferreira."
...
...amanhã Sábado 30 de Abril, noite em que se celebra Beltane!...
...seria um bom tema, amigo Profe, o tema do Incesto...
...porque não falar dele, já que não lá na rtp, ao menos aqui...
...fica o "desafio"...
abraço

Ale (mestressan) disse...

Acho que estou com a mente cansada deste tema! Toamara que o Professor mude o assunto, pelo menos por hoje! ;o)

Ale (mestressan) disse...

Aonde estão todos? Mudaram de blog? Me convidem...sinto-me só! :( - Yulunga, fiquei "enciumado" com relação ao Noise...que história é essa de tua Yully - :( :( :(

Nia disse...

Olá Ale,
já respondi... e ainda não mudei de blog:-)

Anónimo disse...

Olha a poesia, Ale, olha a poesia,
man!
E logo tu, que nos recebes com uma frase tão bela
UM SIMPLES OLHAR PODE REERGUER A
ALMA


Volto já

Ale (mestressan) disse...

Anonymous said...
Desculpe a minha incompetência, mas não compreendi ainda o seu comentário...:o( Qual poesia vc se refere, são tantas...hehehe

Ale (mestressan) disse...

Nia, sabia não me desampararias! ;) Beijo

circe disse...

Ouve a Simone, tua conterrânea:

Será
só imaginação
Será
que nada vai acontecer
Será
que é tudo isso em vão
Será
que vamos conseguir vencer...

Nos perderemos entre monstros
da nossa própria criação
serão noites inteiras
talvez por medo da escuridão

Ficaremos acordados
imaginando
alguma solução
pra ver se nosso egoísmo
não destrua o nosso coração

Brigar pra quê
se é sem querer
Quem é que vai
nos proteger
Será
que vamos ter que responder
pelos erros a mais, eu e você...

yulunga disse...

Ale, Ale o meu coração é grande. Cabe cá toda a gente.
É quase como este blog.

lobices disse...

...to ALE:
...amigo: aqui são já 19 horas; sexta feira...fim de semana à vista... malta toda já na rua a preparar o sábado...
...por isso a esta altura está pouca gente por aqui
...um abraço daqui para aí

yulunga disse...

Lobices???
"...sexo entre um homem e uma mulher:
...há sempre "o" activo porque a necessidade de penetração o torna "violador" pela "força" que necessita perante a fêmea"
Passaremos a "poderosamente" activas quando o "permitimos"?

Ale (mestressan) disse...

To Circe: era você o Anônimo? Porque me mandas ouvir Simone? De qualquer forma obrigado, amo Simone e Renato Russo (Autor da Música)

To Yulunga: Que bom "minha Yully" heheh - Beijo

To Lobices: Obrigado meu amigo, um abraço daqui praí também! ;)

Anónimo disse...

PS. Alguém se queixou de falta de
poesia. Seus tiranos...MURCON dixit.


Dha, Ale, ele a dar-lhe e a burra a fugir, man! ;)))))))))))))))))))

yulunga disse...

Ale, não me chames Yully senão baralho-me toda e lá me meto eu em triângulos.
Gostos, empatias, simpatias, antipatias e ódios são formas de diversas de amar.

Anónimo disse...

Hoje é só para desejar a todos bom fim de semana

Maite

Ale (mestressan) disse...

Anonimo e eu sou o "burro" na história! Nunca compreendo os teus comentários...hehee...vou reler a poesia então! Abraço!

Ale (mestressan) disse...

Minha Yully,

Falas do triângulo, mas pelo visto tens o outro lado então, posto que eu, no momento sou apenas uma reta, se há outra, está em paralelo no momento, não forma nenhum angulo por enquanto! ;) - Beijo!

lobices disse...

...to Yulunga at 7.03 PM:
...
Lobices???
"...sexo entre um homem e uma mulher:
...há sempre "o" activo porque a necessidade de penetração o torna "violador" pela "força" que necessita perante a fêmea"
Passaremos a "poderosamente" activas quando o "permitimos"?

...
...No, my dear... na minha "tese" a mulher nunca é activa; o facto de "permitir" admite sempre o factor "aceitação" (vulgo submissão - posição fêmea)...
...nada que posicione a Mulher num acto menos belo; apenas por clara, necessária e belíssima simbiose entre o macho e a fêmea...
...:)*

Anónimo disse...

“Não há espaços vazios ou tempos vazios. Na verdade, por muito que tentemos produzir silêncio, há sempre um peido por perto”

Ratinho Blanco

Maestro

www.riapa.pt.to

yulunga disse...

Ratinho aqui fala-se de tudo...
Dedico-te um poema:
"Ris...
E ninguém te olha
Choras...
E ninguém te vê
Desesperas...
E todos te ignoram
Agora...
Experimenta dar um peido"
Boas blogadas maralhal

circe disse...

Ale, amigo, a Circe está contigo!
A canção da Simone é um sofrido lamento meu pelas quezílias que afloraram nesta tertúlia ontem e anteontem e antesdontem,e, oxalá me engane, num dia destes qualquer!
Porque muitos de nós, em vez de nos deliciarmos com o milho que o Murcon nos oferece - com ruminações, poesia e tudo - distraem-se com as gaivotas que nos rondam, que nem comem nem deixam comer, entendes? E, volta e meia, esquecemos o essencial, e enveredamos pela tentativa (inglória e desgastante, como se vê) de responder (isto também é para ti, Lobices!)a provocadores de
meia-tigela - que esfregarão as mãos e o ego, por os morcões cairem na esparrela de lhes dar a
atenção que NÃO MERECEM!
Irra, não desperdicemos o nosso, e
sobretudo, o espaço/tempo do nosso Anfitrião.
Irra, que até o meu habitual sentido de humor está à beira do
colapso...

Ale (mestressan) disse...

Beijos CIRCE :)

Reinaldo Ferreira disse...

No princípio, só a vida existia;
O mundo era o que havia
Ao alcance da vida...
E mais nada.

Tudo era certo, simples, claro.

Quando o passado passar
(E passará, porque o passado é hoje),
E o futuro vier
(E há-de vir, porque o futuro é hoje),
Então, sim; há-de saber-se tudo
E tudo será certo, simples, claro.

Eu, porém, não sei nada.

Maria disse...

«Não podes evitar que os pássaros voem em volta da tua cabeça, mas podes impedir que façam ninho nos teus cabelos»

circe disse...

Bingo, Maria!

Lobices said: ...na minha "tese" a
mulher nunca é activa...

Bolas, Lobices, deu-te agora para
espantar a caça?
looooool loooooool loooool
Já me tiraste a tusa toda, carago.
E as fantasias que eu tinha, de em relação a ti, te surpreender com O
OPOSTO! ehehehehehehe ;)

andorinha disse...

Hoje só consegui mesmo "chegar" a esta hora.:(
Por isso só uns breves comentários.
Pois, os rótulos...como eu os abomino!
"...não é o tipo de acto ou o sexo do parceiro a garantir a "normalidade cultural", mas o estatuto de sujeito activo, que traduz domínio sobre o outro."
Júlio, não percebo a frase, a sério que não.
Um homossexual activo enquadra-se então na "normalidade cultural"?!

Lobices,
"A homossexualidade no homem será idêntica à heterossexualidade enquanto que na mulher será uma "subespécie masturbatória."
Talvez até perceba o teu raciocínio, mas não estás a reduzir a sexualidade apenas à penetração?

Katz,
Gostei muito do poema.

Bom fim de semana, maralhal

andorinha disse...

Ale,

Já vi a homenagem que nos fazes no teu blog e fiquei bastante sensibilizada. Foi uma atitude linda da tua parte.
Um grande beijinho

PortoCroft disse...

Circe,

Eu até diria melhor:

BINGO MARIA!. ;)

andorinha disse...

Maria e Circe,
Essa do ninho é para mim? :))))))))

PortoCroft disse...

Andorinha,

Já vais? Olha que o fazer o ninho no cabelo, nao era nada contigo. ;))))

PortoCroft disse...

Andorinha,

Eu vi logo que ías pensar isso. Empatia. ;)))

andorinha disse...

Portocroft,
Também tu? :((((((( )))))))))))

LYS disse...

Para a Andorinha:)
" Gentil andorinha,/ que vens anualmente,na bela estação,/tecer-me vizinha/ o ninho inocente/ da tua afeição"
(Início de uma ode anacreôntica)

LYS disse...

To Elise:
«As Fores da Urze»
" Com serena alegria crescem e abrem./ Calma multidão, límpidas jóias/ De um reino de vento e de sol,/ Guizos que pendem dos altos penhascos/ São as flores que nascem nas pedras/ Pequenas taças de doirado mel." ( Eifion Wyin)

LYS disse...

Para Portocroft:
«Sonhos»
" Certas noites sigo uma luz amarela/ até uma porta azul, onde se lê:Sonho/ A porta não é aberta por minha mão/ nem sou convidado por uma mulher/ para comprar sonhos, e mesmo assim/ sempre eles foram pagos por mim./ À noite não fiquei nada a dever." (Pierre Kemp)

andorinha disse...

Lys,
Belas palavras!
Não sei se as mereço...

LYS disse...

Para Lobices:
«Lagos da Montanha»
" Na sombra da montanha/ Dormem os lagos verdes e calmos./ E na tela da água o brilho do sol/ Desdobra as cores do dia que nasce." (Gwilym
Cowlyd)

LYS disse...

Para Yulunga:
«Contraluz»
" As aves surgem/ acende-se uma chama/ eis a mulher.// sem nomes nem laços, nem véu/ errando de olhos fechados/ a mulher sob a fescura do mar," (Mohammed Dib)

LYS disse...

Para Noise:
«Neve no Rio»
" Sobre mil colinas, nem um voo de ave./ Em dez mil veredas, vestígio algum de pássaros./ Uma barca solitária, um velho de capa e chapéu de palha,/ Pescando solitário, na neve do rio gelado."
(Liu Zongyuan)

LYS disse...

Mereces sim, Andorinha. E muito mais!
Em vez de guerras, neste blog hei-de dar a todos,(só de vez em quando...) uns presentinhos de poesia, com um sorriso:)
Um grande beijo da LYS

Anónimo disse...

Desculpem-me os colegas que aqui se entretinham com tão lindos madrigais mas tive agora mesmo quase um enfarte depois de ler o IP que fala de como o "Murcon" penetrou melhor nas domésticas.

Nestas e noutros que passaram a assimilar diariamente os seus ensinamentos desde que deixou crescer a excitante barba branca.

Riam-se lá à vontade, rapaziada do IP, mas deviam vir apreciar os progressos que o sexo virtual veio trazer a mim e às minhas comadres que finalmente nos apercebemos de que talvez o amor seja apenas uma basófia da literatura que muda com o tempo e de que hoje em dia em tempo de maior liberdade e igualdade é surpreendente que a mulher já não sinta falta desse orgão-fantasma que todos veneram.

Também a vocês prometo uma couves logo que chova, rapazes.

Um grande bem hajam

Ester

LYS disse...

Para JMV:)
«Confiança»
" Em Salónica conheço alguém que me lê./ E em Bad Nauheim./ Já são dois."
(Günter Eich)

PortoCroft disse...

Lyz,

Obrigado pelo seu presente.

Beijos.

LYS disse...

Portocroft:)
De nada! Sabe, gostei imenso de o ver escrever e traduzir latim!

Só que agora é muito raro eu ter tempo para o Blog. Até Agosto é mesmo um horror...

Jorge P. Salema Costa disse...

Caros amigos do blog Murcon e
Caro Murcon Propriamente Dito
(como é libertador poder tratar assim o Professor Doutor Júlio Machado Vaz)

Vem o presente expor uma dúvida um pouco tola (mas eu não faço cerimónias aqui) mas que gostava, se não de ver esclarecida, ao menos referida por outro alguém. A saber: - Porque é que os homossexuais (não sei se são só aqueles com que falo) fazem tanta questão em se definir como “activos” ou “passivos”.

Tenho muita dificuldade em entender isto. Entendo que uma pessoa tenha predilecção por uma prática sexual, agora confesso que me faz espécie que isso apareça como coisa importante ao ponto de (como já entendi) ser determinante na escolha de um parceiro. É que já presenciei homossexuais ditos “passivos” em queixumes por falta de oferta de “activos”.

Espero não ter ofendido ninguém nem ter dito alguma coisa mais estúpida do que a que me é costumeira.

circe disse...

Portocroft,
Tardaste, men, e agora estou a cair de sono porque estive a ver um
documentário na RTP1 sobre Hitler e
a Queda do III Reich, e faz 60 anos sobre a descoberta de Dachau e tanta angústia deixou-me sem ânimo, sem alegria, para me consolar com este convívio, agora que vocês voltaram. Mas garanto-vos
que a velha e maluca Circe amanhã
estará de novo em forma!;)

lobices disse...

...to Circe at 10.05 PM:
...cito:

Lobices said: ...na minha "tese" a
mulher nunca é activa...

Bolas, Lobices, deu-te agora para
espantar a caça?
looooool loooooool loooool
Já me tiraste a tusa toda, carago.
E as fantasias que eu tinha, de em relação a ti, te surpreender com O
OPOSTO! ehehehehehehe ;)

...
...na "tese" defendida por mim no contexto em que inseri aquelas minhas palavras, ou seja, no sentido em que por necessidade da "força" de um macho erecto sobre uma fêmea submissa, não significa que a Mulher seja passiva;
...nesse sentido, eu adoro as mulheres Activas, as que tomam iniciativas, as que conduzem, as que inventam, mesmo as que dominam tudo no que diga respeito aos "jogos" sexuais e aos ditos preliminares, subliminares, posteriores e o que mais possa ser inventado ou induzido...
...a Mulher "deve" ser activa, claro... apenas e só no sentido que dei naquela minha "tese" é que digo que ela não o é...
:)

lobices disse...

...to Andorinha at 10.17 PM:
...cito:
Lobices,
"A homossexualidade no homem será idêntica à heterossexualidade enquanto que na mulher será uma "subespécie masturbatória."
Talvez até perceba o teu raciocínio, mas não estás a reduzir a sexualidade apenas à penetração?

...
...não; não reduzo a sexualidade apenas à penetração; a penetração em si mesma é apenas uma parte da sexualidade...
...no sexo entre duas mulheres, todos os "jogos" não necessitam da "força" erecta de um macho, logo não existe, na minha "tese, uma activa e uma passiva...
...:)

lobices disse...

...to lys at 12.12 AM:
...cito:
Para Lobices:
«Lagos da Montanha»
" Na sombra da montanha/ Dormem os lagos verdes e calmos./ E na tela da água o brilho do sol/ Desdobra as cores do dia que nasce." (Gwilym
Cowlyd)

...
...thanks
:)*

lobices disse...

...to Jorge Salema at 1.40 AM:
...cito:
"...Porque é que os homossexuais (não sei se são só aqueles com que falo) fazem tanta questão em se definir como “activos” ou “passivos”
...
...porque razão os homossexuais fazem questão em se definirem como activos ou passivos?
...porque razão fazem questão não sei; apenas penso que existe sempre um que gosta de penetrar (e será o activo) e outro que gosta de ser penetrado (e será o passivo)
...existem homossexuais que apenas gostam de penetrar outros homens;
...existem outros que apenas gostam de ser penetrados;
...existem aqueles que são mistos; tanto penetram como se deixam penetrar...
...logo aqui, não é uma questão de saber qual a razão pela qual eles se definem como activos e/ou passivos mas como uma necessidade de se afirmarem perante o outro sobre qual é a sua "tendência"

lobices disse...

...e... um bom Sábado para todos
...que todos festejem Beltane
...a festa do amor

Anónimo disse...

Sr Jorge P.S. Costa

Não sabe como me encheu de alegria por ter afiançado que já presenciou homossexuais ditos “passivos” em queixumes por falta de oferta de “activos”.

Será quase excusado explicar porquê mas, ainda assim, cá vai:

Aqui na terra, tenho presenciado belos moços a hesitar entre abordar as minhas netas ou passar ao largo e digo-lhe que fico aturdida com tamanha desfaçatez, porque eles são esbélticos e elas moças perfeitas.

Será que tão aflitivo cenário poderá vir a alterar-se com o aproveitamento dos desperdícios de que fala, ou estaremos em vias de ter de nos abastecer de testosterona chinesa, tão em conta nos nossos dias?

Desculpe qualquer inconveniência que eu possa ter cometido, mas não tenho muita preparação para comentar estes temas de modo civilizado, embora me esforce.

Ester

PortoCroft disse...

Bom dia consulentes e 'consuladas'.

Ó Lobices,
Se já te admira o trato fino e a candura de avôzinho do maralhal; se te respeitava como Presidente da Assembleia Geral da Academia do Núcleo Duro (AND), passei a te admirar a paciência também.

Se um dia, no Zoo de Lisboa, precisarem dum tratador de ursos, eles terão em ti o homem ideal. ;)))))))))

Um bom 'Sabbath' para ti também.

PortoCroft disse...

correcção:

Se já te admirava...

noiseformind disse...

Se calhar passei por essa fase sem dar por isso, mas "amar como ninguém", o Amor ser desigual e único? Nã, nã... aliás, grito neste deserto de afectos que é um consultório:

"O meu novo Z8 por um amor diferente do vulgar"

E o carro ainda está na garagem:)))

Do que foi dito:

Lys, obrigada por te lembrares de alguém que abandonou assim a convivência regular na caixa de comentários. Como já disse, quando se junta um consultório, um livro em fase final e uma conferência internacional com apresentação de pappers por semana no espaço de dois meses, a coisa fica preta para a vida bloguial de uma pessoa, mas eu sei que vocês me perdoam, a companhia restante que fica não deixa de ter craveira, desde a "Bitch" residente até ao Portocroft, que mora lá mais para Norte. Aliás, o Portocroft é neste momento o mais tripeiro de todos nós, até mora mais a Norte que o Próprio Porto looooooooooooooooool

Voltando ao texto, vou contar uma coisa que não teve nada a ver com isto. Como sabem (ou se não sabem ficam a saber) sofro de uma forma rara de insónia profunda (tão rara que não é conhecido mais nenhum caso) que me afasta de Morfeu 22 dias, depois o homem vem em força durante 8 e depois outros 22... tipo ciclo menstrual mas nos 8 em que há periodo só preciso de uma travesseira ; ))))))))))))))

Sendo assim, sonho acordado. Ou seja, tenho consciência que estou a sonhar e o sonho parece um filme 3d projectado na parede para onde estou a olhar (ou mais vulgarmente, o tecto). Outro dia, depois de ver 4 programas seguidos do sexualidades e ter lido pela enésima vez o conjunto de crónicas do Éme "A tentação da Bissectriz" entrei em REM e eis o que me aconteceu, e por ser verdade e de amiúde interesse cientifico vos relato:


Tava eu descansado a passear por uma rua de relva e aparece-me uma colega minha de curso que se suicidou há pouco tempo. começa a dizer que a morte não é fácil, que com o tempo a identidade da pessoa se vai perdendo pois com o tempo todas as almas têm de ser fragmentadas para construirem almas novas. Mas como a taxa de nascimentos anda por baixo (presumi que almas de americanas teriam de dar origem a novas americanas) ela tem de esperar e veio até ao meu sonho ter uma conversinha, pq é nos sonhos que os mortos podem falar com os vivos. támos em amena cavaqueira e aparece quem? O Portocroft!!! Com o Lobices!!!

"tão Pedro, já arranjaste uma alma jeitosa pá, eu e o lobices vamos ali a um almel onde estão almas que não se podem mexer nos sonhos e vamo-nos divertir, queres vir pá?"

Deixei a minha amiga e lá fomos os 3, e pouco tempo depois juntou-se a nós o Calvin (mesmo tipo boenco) a dizer que n está com vontade de ir aturar a prof hoje e se nós vamos ás almas, ele tb quer ir.

Chegámos lá e as almas estão como o previsto. Não conseguem andar à luz do dia (oh pá, tipo vampiros) nos sonhos e portanto têm de estar ali refugiadas e fazem tudo por um pouco de companhia de pessoal vivo. Algumas, apesar de bom aspecto, já estão lá desde 1600 e tal e falam uma língua que nós não pescámos nada.
O portocroft mete-se com uma Escocesa de bigodes pontiagudos que diz tar ali à pouco tempo mas pergunta se Henrique VII já casou outra vez.
O Lobices acaba a conversar com um par de gémeas que com a mania de andarem sempre juntas acabaram atropeladas por um condutor numa passadeira. A última coisa que viram em vivas foi o sinal verde para peões por isso o lobices tem de tirar o pullover que é dessa cor e está-lhes a magoar os olhos.
Entretanto, quem chega? O Patrão da casa, que vem sozinho e senta-se sozinho. nenhuma alma parece reparar nele, ninguém se mete com ele, o PortoCroft ainda lhe manda uma canequica e tal mas o homem n diz nada. Chego-me a ele e pergunto (com uma hospedeira finlandesa que morreu no atentado do WTC debaixo do braço). "então, por aqui sozinho?"
"É pá, não sei como cá vim parar. Tava a ir para casa, a conversar ao telemóvel um gajo à minha frente travou e de repente estou aqui. Será que estou em coma?"
"É Pá... n sei..."

De repente toca uma campainha e ecoa uma voz no sistema de som:

"Senhor Professor, estão mais de 300 mulheres no almel de almas masculinas a perguntar por si!!!"

; )))))))))))

Irmãos, portem-se muito mal

Yulunga, então não li... já lá vão... 12 anos, era eu um recém-emigrado adolescente em S. Diego. Ainda me lembro das semanas que andei a fazer trocadilhos com a frase:

"And a pen is such a good tool has any other"

loooooooooooooooooooooooooooooooool


Bem, sugiro o programa do Éme para o pessoal que não apanha a NTV, sexo em grupo para quem tiver companhia para isso, muito amor para quem não gosta de fazer sexo e para quem não quer nem sequer amar, ao menos vejam um filme porno ; ))))))

Sea' all

P.S.- Éme, não concordo com essa tua teoria da liberdade. O afecto que une os mestres aos discípulos não é feito apenas de liberdade, cria sulcos nas trajectórias intelectuais e condiciona, não obrigatoriamente obliterando, o livre-pensar:)))))))))))
Por exemplo, custa-me ouvir-te dizer que se fala demais do sexo, coisa que já fizeste em alguns dos últimos "Estes difíceis amores". Fala-se muito de sexo homem, mas ao lada do "tenha orgasmos até o clítoris ganhar calo" na Cosmopolitan tem "6 assuntos que o incimidam e que deve evitar se quiser ser uma namorada ideal". Ou seja, dá-se com uma mão a possibilidade, depois condiciona-se com a outra através da estabilidade. E é isso que eu julgo ser o problema central my dear, num asociedade como a portuguesa que está a apresentar dados ALARMANTES de recessão nas relações heterossexuais ( que se lixe o politicamente correcto de dizer logo a seguir homossexuais, a Gabriela não está aqui;)))))))) ), com adolescentes a dizerem que "uma chapada, um safanão" não é considerada uma agressão, como 79% das adolescentes no Porto disseram ao Observatório da FPCEUP. Sim, pq na telenovela brasileira depois da chapada vem a reocnciliação e como se dá o empobrecimento geral em relação a fontes de informação afectiva estas situações são recrudescentes em sociedade. Não sou daqueles optimistas que dizem que a afecticidade heterossexual caminha por "força da história" para um equilíbrio na recompensação dos sentimentos através de expressões físicas, e não é com "falar menos" de sexo que se muda alguma coisa. Pelo contrário, fale-se mais e mais e mais, até as pessoas (vulgo mulheres) finalmente porém a questão: "pq é que o acto sexual acaba sempre com ele a ejacular e não com o meu orgasmo?". Tás a ver? Gostando de ti como gosto e mesmo querendo um dia ser mencionado no teu testamento tb consigo discordar de ti homem;))))

lobices disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
lobices disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
lobices disse...

to Noise at 1.12 pm:
...cito:
"...finalmente porém a questão: "pq é que o acto sexual acaba sempre com ele a ejacular e não com o meu orgasmo?". Tás a ver? Gostando de ti como gosto e mesmo querendo um dia ser mencionado no teu testamento tb consigo discordar de ti homem;))))..."
...
...porque "terá" o acto sexual acabar sempre com ele a ejacular e não com o orgasmo dela?...
...não, não tem!...
...o orgasmo é a fase final de um acto sexual, seja ele solitário ou acompanhado; no homem, pressupõe-se a ejaculação como finalização e na mulher pressupõe-se o orgasmo (diria o "tremor"...) como a fase final do acto...
...não tem de ser assim
...é possível o acto sexual terminar com o orgasmo da mulher e não com a ejaculação masculina
...tudo depende da aprendizagem e da forma como o "casal" desejar que o acto seja elaborado...
...é possível que a mulher atinja tantos quantos orgasmos consiga obter sem que o homem ejacule; basta que ele saiba como provocar esse sumo prazer nela e ele saber como controlar a dita ejaculação
...existem imensas formas; o "saber" e a "experiência" ao longo dos anos vai-nos dando o "sabor da onda"...
...por isso, no amor, no sexo, no âmago da questão, nada é obrigação mas sim tudo é conciliação...
...é preciso que o "casal", o dito muitas vezes por mim: o PAR, saiba como quer que tudo seja viável
...conversem primeiro; saibam do que cada um gosta, quer e deseja
...saibam como é melhor para o outro... digam também como é melhor para o outrém... conciliem
...não falo de rapidinhas
...não falo de prostituição
...não falo de sexo pelo sexo
...falo de amor: de nos darmos mutuamente um ao outro; de sabermos quem somos, como somos, o que queremos e, acima de tudo, respeitarmos o gosto do outro sabendo quem ele é, como é, o que quer e tentar que também nos respeite...
...tudo isto é possível e, podem crer, dá um gozo do caraças (desculpem a vulgaridade) saber dar o que o outro quer...
...nada, mas mesmo nada, me dá mais prazer do que provocar prazer na minha companheira mesmo que eu também o pretenda... saber dar e esperar que também nos saibam, dar e como dar, é bom... gratificante
...por isso, o sexo em si mesmo, não é um acto por dá cá aquela palha mas sim um delicioso manjar dos Deuses, com todos os enfeites que possam tornar o dito como divinal e supremo
...por isso, o acto sexual é a melhor "coisa" que existe no Universo e deve ser saboreado com força, com garra mas ao mesmo tempo com ternura, com carinho e acima de tudo, graciosidade...
...graciosidade de graça, de gratidão, de leveza, de bondade, de elevação...
...elevação até aos píncaros dos sentidos, daquilo a que já designei como o Momento Divino onde o Homem se torna Deus e Ele se sublima em nós...
...retirem do sexo o maior prazer possível, da forma que mais vos agradar mas sem esquecer que "ali" não está apenas um ser que pretende "descomprimir" mas um Par que pretende sublimar-se!...
...aprendam com os animais ditos irracionais
...o grande erro do Homem foi tentar racionalizar o sexo!...
...o acto sexual, seja ele qual for, é um respirar de dentro para fora ao mesmo tempo que se inspira a beleza da respiração de quem está ao nosso lado...
...amem (por favor) e sejam felizes o mais que puderem...

baunilha disse...

Olá Professor!
Acho que com este blog acabou por criar a sala de chat mais animada e bem frequentada do país... lol
Cumprimentos a si e a todo o "maralhal"

PortoCroft disse...

Ó Noise,

Olha lá, vê se passas a descrever os teus REM 'more accurately', ok?

Vejamos:

1. - A escocesa, estava em decúbito ventral e o que olhavas nem sequer era parecido com o rosto. Admito que lhe possas ter visto os bigodes mas, apesar de densos, não eram pontiagudos. ;)

2. - Ela perguntou pelo Henry the VIII e não pelo VII.

3. - Fala a verdade. O que se passou não foi isto:

"Chego-me a ele e pergunto (com uma hospedeira finlandesa que morreu no atentado do WTC debaixo do braço)",

mas isto:

"Chego-me a ele (debaixo do braço duma hospedeira finlandesa que morreu no atentado do WTC)", e pergunto".

Finalmente, a voz que ecoou no sistema de som, não disse:

"Senhor Professor, estão mais de 300 mulheres no almel de almas masculinas a perguntar por si!!!", mas sim:

"Senhor Professor anda um 'nosy bastard' a correr atrás de mais de 330 'gaijas' no almel de almas femininas".

Parece que não mas faz toda a diferença. ;))))))))))))))

LYS disse...

Noise,
Não me esqueço de ninguém. (A minha memória é até um dos meus maiores defeitos)
Todas as modalidades de trabalho que refere parecem tiradas da minha própria agenda...
Mas o nível deste blog tem de ser mantido elevado ( noblesse do anfitrião oblige...) e por isso a sua contribuição, quando é feita com criatividade como é o caso da de hoje (incrível o "almel"!) dá gosto lê-la:)

noiseformind disse...

Lobices, o homem em pessoa, irmão de caixa, e interceptor máximo junto da Suprema Entidade (vulgo Éme) disse:


"...aprendam com os animais ditos irracionais
...o grande erro do Homem foi tentar racionalizar o sexo!..."


...não falo de rapidinhas
...não falo de prostituição
...não falo de sexo pelo sexo"


Vamos lá então, que ainda é cedo para ir para a feira de antiguidades ali para Santa Catarina.

Lobices, my dear, o teu texto é arrebatador mas que queres? Encrenquei nestas duas frases e senti um calafrio na espinha (e, confesso, num dos testículos).

O prazer sexual de uma rapidinha muitas vezes é exponenciado precisamente pelas condicionantes da rapidinha. Sendo o ritmo da penetração um dos factores mais importantes para o orgasmo feminino, e sendo que, por exemplo, numa rapidinha no carro a mulher fica por cima e tem apoio de pernas pra se mover com força suficiente (lá estou eu a racionalizar, sou um caso perdido amigo ; )))) ) isto poderá provocar-lhe em pouco tempo, e em virtude de o local ser semi-público, o orgasmo. Um factor de decréscimo da qualidade do amor (para veres como condescendo nas palavras ao falar contigo :)))) ) na passagem do namoro para o casamento é precisamente o desaparecimento de um prazer "à pressão" que depois numa cama se torna insuficiente, principalmente pq deixa de haver a "envolvente" para esse orgasmo acontecer. Dizem-nos os pacientes: "isto só aconteceu depois do nosso casamento, antes estava tudo bem". Atenção, não estava "tudo bem" como eles dizem, havia falhas importantes no abstracto sexual e essas falhas revelaram-se quando ficam confrontados corpo-a-corpo, com tempo e com presença da outra pessoa sem ir a seguir para o cinema ou levá-la a casa dos pais (ou levá-lo, que as mulheres, acreditem ou não, tb conduzem : ))))))) ). Aliás, precisamente o homem é que se mostra menos afectado com esta mudança de cenário, continua a sentir desejo, CRS perfeitamente redondinha, mas "curta" para ela, que não condicionada passa a ter uma resposta mais lenta, que não traduz perda de potência, ou que se calhar precisa de estímulos mecânicos preencidentes (nada de se abarbatanarem desta palavra, que tem direitos de autor) para compensar o erotismo presente naquela "rapidinha".

Pensar o desejo é fundamental, e por vários motivos. Dou-te o exemplo clássico da mulher que aos 40 é colocada, ao fim de actividade sexual não satisfatória até então, diante de um estímulo capaz de lhe provocar um orgasmo. em cada 100 aproximações ao orgasmo, 80 das mulheres gritam "STOP"!!! E atenção my dear, gritam de forma VEEMENTE, cravam-te as unhas nos braços, e com a outra mão tentam impedir o estímulo! É preciso ter a racionaldade para perceber que aquela interpretação do cérebro não é coincidente com a sensação sentida e que se deve continuar até ele, sem compadecimento de interpretações de um Sistema Nervoso Central não apetrechado para interpretar os impulsos até ao ground zero.
Outra situação em que claramente é preciso racionalizar (e muito!!!) o sexo é quando estámos a lidar com vaginismo, coisa que tens ouvido muito falar o Éme nos últimos tempos lá na barraquinha que ele tem (e onde vamos todos em procissão seja à Terça, seja ao Sábado). Tentar não racionalizar essas situações, que são muito comuns nas trajectórias sexuais femininas portuguesas, resultam em actos sexuais que são, para a mulher, verdadeiros martírios. E mais! Se o casal quiser ultrapassar essa situação a sério, sem dilatadores e outra parafernália entre eles, a ÚNICA solução não cirurgica é o homem manter o pénis erecto em diversos graus de excitabilidade e assim ir estimulando (num processo que pode levar horas e vários actos sexuais) e penetrando a mulher, partindo do clit para o interior da vagina. Ora, eu pelo que penso saber dos "Je's" Pila (Vulgo Cobra Zarolha para o Fernando Rocha) não é nada fácil manter uma erecção parcial em QUALQUER homem, dado que uma erecção com pouco estímulo envolvente (vulgo mão) não tem "pernas para andar" a menos que o tipo esteja entupido de qq substância Viagrística. Portanto, a racionalidade, nestes e noutros casos, impera!

E Mais! Eu sei que já escapa da tua área de competência (piada pedófila ; ))))) ) mas a treta de que a primeira vez, sempre que acontece, deve corresponder a sangramento e dor devia provocar IMEDIATA prisão do preferidor da frase. Através da masturbação progressiva dos dedos e Ky Gel é possível remover todos os filamentos de ligação do Arco himenístico sem qq sangramento ou dor, meramente por efeito de fricção. Mas claro, o pessoal prefere não pensar, fazer sexo com muito amor, sem ver estes pequenos pormenores e depois claro, temos emprego!!!!!!!!! ; ))))))))))))))

Ou seja, em resumo. Não vás por aí. Racionalizar o sexo é essencial para expandir horizontes sexuais. Por exemplo, meu caro, ainda há umas semanas (e o patrão do tasco que me desminta) a baixinha dizer em pleno "Estes difíceis..." que duvidava da ejaculação feminina!!!!!!!!!!!!
E ela é só Sexóloga Clínica!!!!!!

Ora bem, até eu, que nem sou dessa área (apesar de ter passado pelo Kinsey para fazer o PhD) sei que a ejaculação feminina é o resultado do estímulo continuado da Glandula de Skene!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Portanto, tás a ver filhote Luby, se temos uma sexóloga clínica a dizer uma vacalhice destas vemos que tipo de certezas ela terá sobre o sexo em geral e o grau de racionalização que ela terá feito dele.

Racionalizar o sexo não lhe tira prazer. Não tou a ver muita gente a curtir sexo anal em Portugal desde o meu regresso (ainda com apenas 24 parceiras como análise de amostra, é certo, mas é um work in progress) e no entanto diz-me todo o trabalho de estudo orgasmicial que o sexo anal, pelo duplo impulso concedido pelo estímulo anal (esfínceres) é a forma mais intensa de orgasmo (nem vou pelos campos da minha querida N+, que não requer genitais). Quer dizer, se calhar, as pessoas não gostam de sexo anal, não o praticam nem disgrutam dele pq um tipo tenta fazê-lo mudando simplesmente de orifício de penetração. Quando o esfíncer requer um treino para se controlar os impulsos enviados ao cérebro. E mais, diz-me a racionalidade que o esfíncer é até melhor para fazer sexo pq não tem o problema de inflamação procedente da vagina em actos sexuais longos. Mas o amor, a conversa, a concórdia, fogo pá, até a PAZ MUNDIAL, NADA DISTO, me vai dizer isto sobre o sexo anal. ; )))) daí que eu ache importante que se faça sexo pelo BOM sexo (e agora torces tu o nariz) ; )))))))))))))))))

A racionalidade dos restantes tipos de sexo (incluindo com maçanetas de porta) fica para próxima ocasião que este assunto venha à baila.


Abraço, vou tentar comprar alguma coisa velha a preço de saldo (não, não mete prostituição, é mesmo uma feira de antiguidades)

Abraço a todos, boas talks


Peter

noiseformind disse...

Lobices,

o programa não é em directo, e os que passam na RTP2 estão umas semanitas atrasados.

Portocroft,

presenteias-me com um texto delicioso, por imerecido que seria responder-te agora em 10 segundos escrevo na volta, prometo, nem que o Éme tenha postado 20 vezes!!!!

Lys,

que eu seja sempre e ainda mais acentuadamente no futuro uma boa memória. Mas atenção, não me podes levar à letra, ás vezes tb brinco sem loles ; ))))))))))))))

noiseformind disse...

O REPORTER DO MURCON CONSEGUIU MAIS UMA VEZ SURPREENDER O MUNDO!!! JÁ SABEMOS QUAL O NOVO NOME DO PROGRAMA DIFÍCEIS AMORES

SUSSSSSSPEEEEEEEEEEEEEEENSE

ESTES AMORES COM KY-GEL

SIM, É VERDADE. A CONHECIDA MARCA DA JOHNSONS'N'JOHNSON PASSARÁ A PATROCINAR O PROGRAMA E PORTANTO JÁ NÃO EXISTIRÃO MOTIVOS PARA OS AMORES ACONTECEREM A CUSTO!!!!

LOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL

E AGORA A SÉRIO

Me voy maralhos amigos, gostei deste bocadinho


Peter

:)

PortoCroft disse...

Noise,

ACusto ou a Cuspo? ;)))))

lobices disse...

...ESTES DIFICEIS AMORES
...hoje, dia 30, RETIRADO da programação da RTP2...
...porquê?...

PortoCroft disse...

Retirado, Lobices?
Assim sem mais nem menos?
Por alma de quem?

noiseformind disse...

(oh pá, tavam caladinhos e agora não me deixam ir embora... seus farsantes :)))))))))))) )

Portocroft, a pepsina não é nada resistente à fricção pá, melhor seria (mesmo que a imagem deixe já o maralhal estrogénico em protestto) catarro, que possui elevadas concentrações de muco do tubo respiratório, muito melhor preparado para lidar com essas provas de resistência. Mas, quer dizer... o que é que o Lobices diz????????????????????

Lobices??????????????????

Programa cancelado????????????????
??????????????????????????????????

Onde é que viste isso pá??????????

PortoCroft disse...

Tenho cá para mim que, com pepsina ou com catarro, isto ainda vai ser um Sábado memorável.

Os meninos da RTP andam a brincar com o maralhal. Andam, andam.

noiseformind disse...

P*** que p**** as p**** das comemorações do filho da p*** do Hitler, tudo pra vender o c****** do filme que anda aí em exibição, f***-**. Quer dizer, o c****** do gajo tá morto há 60 anos e ainda andam a perder tempo com essa m****?

É mesmo sinal do c****** de país que temos, sempre a f**** quem não tem dinheiro ou não quer a p*** da TvCabo.

Enfim, é f***** mas que fazer? Olhem... façam como eu fiz com aquela cena da Antena 1, telefonem em massa para lá até eles se fartarem!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Enfim, são uns filhos da p*** esses gajos pá.

E pronto, tenho dito a minha opinião sobre essa m****, que é + ma dessas m***** que se atura quando se mora aqui. E atenção!!!!
O filho da p*** desse programa já é repetido na televisão!!! Nem sequer está a ser transmitido pela primeira vez!!!

Peter

:((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((

noiseformind disse...

Via Telefone
Linha de Atendimento ao Espectador: 707 789 707
Telefone Geral: 217 947 000
Relações Públicas: 217 947 751
Fax Geral: 217 947 570

Cá está uma boa forma de darem azo à vossa indignação. Agora tenho mesmo de ir, mas agradecia a alguém que fosse ficando por aqui para recolocar estes nros de telefone online ok????????????????

Que é para que o pessoal que fôr chegando poder dar largas à sua indignação!

E não me perguntem onde arranjei estes nros, não foi no site da RTP de certeza ; )))

lobices disse...

...to Noise at 3.12 PM:
...cito:
(a tua longa dissertação técnica baseada e em contraposição a 2 ou 3 afirmações minhas, nada retira da veracidade do que disse)
(por outro lado, versas no texto que devemos racionalizar em contraponto com o facto de eu ter afirmado "façam como os animais ditos irracionais" - e aqui, o teu grande erro - desculpa... é que os animais irracionais racionalizam a actividade sexual!...)
"...Racionalizar o sexo não lhe tira prazer..."
...claro que não!... nem eu disse que retirava, nem eu disse para não racionalizar; pelo contrário: eu fartei-me de dizer para racionalizar...
...ao criar uma "envolvência" estou a racionalizar a melhor forma de desejo, estimulação e consequente obtenção do orgasmo
...e...quando ela gritar: "Pára!", experimenta não parar!... :)
abraço

PortoCroft disse...

Ó Noise,

Andas a perder qualidades. O que são esses *** todos? Vejo que afinal não aprendeste nada na América ou, se aprendeste, estás-te a conformar ao minimalismo da Soc.PT. :((((((((((

noiseformind disse...

Luby, então são ou não são racionais????????????????? são racionais no contexto penetrativo/ejaculatório. Esqueceste-te que fallei de virgindade, sexo anal, vaginismo e limites de prazer sexual. E sim, desmenti-te na parte de irracionalidade e na parte do "sexo pelo sexo". Duas pessoas com passados sexuais expansivos fazendo sexo pelo sexo podem ter desempenhos elevadíssimos entre si ; ))))))))))))

Agora, metes dois virgens numa cama e por mais que tenham falado entre eles sobre sexo, sem informação exterior e Gel, não estou a ver o paradigma do "doi e sangra-se" ser ultrapassado. Queres dizer que não é assim, apresenta-me uma situação em que "sentir" permita, por si só, abrir as portas do prazer sexual. Até me contento com meia. Claro que depois, com experiência se chega lá, isso é um facto, ao ponto de mesmo sentindo cada pessoa diferente, seja realticamente simples adaptarmo-nos a ela e a dar-lhe prazer. Mas Amor não é uma medida de prazer. Eu não posso dizer "por A amar mais B então A será mais feliz que C que não ama nada D mas deu com ele uma queca fenomenal quando se conheceram". Tás a ver? O paradigma do Amor romântico, por mais confortável que seja, dado que tem o botão ON/OFF do ama-se/não se ama, não é panaceia para o funcionamento sexual, nem o é a explicação animalista. Aliás Luby, só os macacos experienciam orgasmo com características próximas dos humanos em termos de alteração dos padrões dos padrões cerebrais e de campo micro-electrico do cérebro. Portanto mesmo teorizando sobre a sua "não-racionalidade" não chegas lá ; ))))))))))))))))))))))))))

Mas espero argumentos completos e não "isso não invalida nada", já pareces a MAite homem...

; ))))))))))))))


Peter

noiseformind disse...

Foda-se Portocroft... tinhas de reparar nisso pá. É por respeito ao boss (não ao outro Boss que eles não tiraram da grelha, mas ao Éme mesmo)

; )))))))))))))))))

PortoCroft disse...

;)))))

Noise,

Isso mesmo. As palavras existem e são para ser usadas em momentos de 'distress'. ;)))))))))))

Estou a ver mas é que temos que escrever uma petição online dirigida ao Sócrates para ele olhar para o que se passa.

Anónimo disse...

Não resisto a comentar isto, "en passant"... A propósito do que faz de nós homens, mulheres, heteros ou bis, ou, ou, ou... deparei-me aqui com algumas frases que traduzem o peso da cultura nestas coisas (sem qualquer ofensa para o autor das mesmas):
a)"que, ser homem quando se é homem e mulher quando se é mulher não é forçar que os outros o façam!"
b)"é visto inclusive em casais homosexuais que um é completamente difernte do outro no aspecto "fisico-sexual" ou aparência, não sei ao certo definir...sempre há um "macho" e uma "fêmea"!"

Atrevo-me a dizer que só mesmo não conhecendo... Já amei homens E mulheres e posso dizer que essa história dos "machos" e "fêmeas" nos homos é mais um preconceito do que qualquer outra coisa. Aquilo que se procura e obtém numa relação com uma mulher é diferente do que se procura e obtém numa relação com um homem. Procura-se na mulher a feminilidade e no homem a masculinidade, ou aquilo que culturalmente corresponde a cada uma dessas coisas e que, claro, é historicamente mais variável do que estamos muitas vezes prontos a admitir. Mais, aquilo que define a possibilidade de nos permitirmos ir por uma, outra, ou ambas as vias tem mais a ver com o facto de nos permitirmos apaixonar por do que com aquilo que se faz e como se faz...

Quanto às causas, lembro-me, no meio das minhas pesquisas, de uma frase cujo autor não recordo e que não trancrevo literalmente, mas que dizia mais ou menos isto: a Humanidade tem esta coisa espantosa de procurar causas apenas quando acha que alguma coisa está mal... Dá que pensar, não, sobretudo quando se procuram causas para a homossexualidade (o suposto "desvio") do que da heterossexualidade (o suposto "padrão")??... Mas se queremos mesmo entrar por aqui, não penso (e isto não tem só a ver com experiência pessoal) que sejamos ou ou, mas tudo o que nos permitimos ser e quando as circunstâncias o permitem...

Uma boa discussão para vocês...

lobices disse...

...to Noise at 4.00 PM:
...cito:
"...Agora, metes dois virgens numa cama e por mais que tenham falado entre eles sobre sexo, sem informação exterior e Gel, não estou a ver o paradigma do "doi e sangra-se" ser ultrapassado..."
...
...Pedro: claro que quando se fala sobre qualquer assunto que diga respeito à globalidade, falamos generalizando; não podemos dizer (por muitos livros que se leiam ou se escrevam, por muitos ideólogos a mandarem postas de pescada, por muitos técnicos a falaraem daquilo que estudaram...) a um ser humano que toda a vida viveu na selva ou no deserto do sahara, o que é o chá das 5 no Bucking Palace!...
...portanto falamos de generalizações, daquilo que é, no mínimo conhecido e praticado...
...por outro lado eu não falo de cátedra porque não estudei nunca nada sobre este tema; não sou sexólogo, nem psi, nem clínico geral, nem ginecologista, nem sequer biólogo; sou apenas alguém que fala do que sabe pela vivência que teve e por uma coisa que considero essencial ao acumular do conhecimento, que é observando o que me rodeia. A minha assumida "sabedoria" mais não é do que uma opinião formada e formatada por 60 anos de vida e de sexo (sim, porque desde que fui parido que passei a saber o que era uma vagina...)
...por tal, não afirmo nada nem pretendo fazer "carreira"; apenas exprimo aquilo a que chamo "tese" que é tão somente o que sei...
...se calhar nada sei
...se calhar tudo o que aqueles que nos ensinam, nos ensinam porque leram o que nos ensinam em livros escritos por outros, não saibam do que estão a falar mas sim e apenas porque lá está escrito...
...o que lá está escrito não presume a verdade; presume uma opinião; assim sendo nada mais faço que expor a minha que não pretendo defender, apenas dizê-la
...acredita nela quem quiser
...ao falar da forma como falei na minha intervenção da 1.55 PM de hoje, falei da forma como entendo e como "pratico"; falei da forma como entendo que é; não posso incluir nem esses casos dos virgens sem gel, nem nesses casos de vaginismo, nem nesses casos de quecas rápidas dentro do carro; falo somente da generalização do que entendo que é o sexo e de como ele deve ser encarado e praticado
...façam sexo da forma que melhor vos aprouver... mas façam!...

PortoCroft disse...

(sim, porque desde que fui parido que passei a saber o que era uma vagina...)

Lobices,

Fizeste-me lembrar da cena de eu contar ao oftalmologista, qual era o significado e porque chamava trombadinhas ao meu filho mais novo e que nasceu com estrabismo:

- Dr. se ele só viu uma e já ficou assim dos olhos!... ;))))))))))))

(Isto é verídico, não é anedota)

Jorge P. Salema Costa disse...

…to Ester 11:54 Am

Cara Ester

Saudações cordiais e o meu obrigado por ter comentado o meu comentário.
A ironia tem por vezes um problema, a saber: impedir o leitor de entender a verdadeira latitude da mensagem. Creio que foi o que me sucedeu em relação ao seu texto.

O “activo” da minha participação queria significar - como bem entendeu lobices - o homossexual que prefere penetrar a ser penetrado. Surpreendeu-me que tenha envolvido a questão hormonal. A realidade é na cabeça das pessoas muito complexa.

Espero ter feito luz na sua cabeça.

Um beijo às suas netas.

noiseformind disse...

falo somente da generalização do que entendo que é o sexo e de como ele deve ser encarado e praticado
...façam sexo da forma que melhor vos aprouver... mas façam!...


HÃ SEU LOBÃO

:))))))))))))))))))))))))

LYS disse...

Para o seu Autor, este poema, esperando que ele sorria :)
«Marca D'Água»
"Eis-me reduzido/ A qualquer coisa que não sei./A tristeza é uma capa fria/ Que me descobre e arrepia.// Tudo o que era Eu se acabou./Sou uma marca d'água de mim.// Não mais eu próprio./ Apenas aquilo que me legitima." (Londres, 5/3/ 02)
Luís Eusébio

PortoCroft disse...

;))))

Lys,

Esse tipo é fabuloso. Se não nascesse tinha que ser inventado. ;)

LYS disse...

E sorriu:))))

PortoCroft disse...

Lys,

Se chorar, biodegrado-me. ;))))

LYS disse...

Never:)))

Não se bio-degrade:)))
Bio-poete-se:)))

P.S. O JMV e o Noise conhecem as poesias de Luís Eusébio?

PortoCroft disse...

Lys,

O Prof. conhece, pelo menos, a Oraçon Murcon.

Quem é o noise? ;)))))))))))))))

LYS disse...

Não me diga que é um heterónimo:)))
Seria divertidíssimo:)))

PortoCroft disse...

;)))))

Não, Lys. Quase me, enganando, benzia. ;)

Como pode sequer supor que eu pudesse algum dia ter REM daqueles? ;)))))))))

LYS disse...

Temos de chamar a nossa velha Amiga Agatha:))))

Mas (pelo menos) um mistério fica resolvido: o de um poeta que escreve em latim...)
Lembra-se da máxima de D.Francisco Manuel de Melo, sobre o latim e as mulheres? :)))

PortoCroft disse...

Lys,

Aquele Noise é a personificação do bordel no coração de elisa. ;)))

Recorde-me, p.f.

LYS disse...

Deus nos livre de burra que faz «himmmm» e de mulher que sabe latim:)))))
D. Francisco Manuel de Melo dixit.

PortoCroft disse...

;)))

Mula, Lys... Mula... ;)))))))))

LYS disse...

Era mula? Tem aí à mão a edição?
Veja lá que eu não leio essa citação há mais de 20 anos e decorei-a assim:))) Pelos vistos, mal...

Entretanto os 4 anos de latim que aprendi, já quase me esqueceram:)))

PortoCroft disse...

;)))

Lys,

Não vou ser machista. Mas, deixe-me que lhe diga que, em certos casos pontuais, a diferença não é muita. ;)))))

Há alguns tempo atrás li um ensaio da Profa. Cristina Pimentel, sobre Latim e era feita referência a isso.

LYS disse...

Tem TODA a razão! Aqui fica a citação correcta:
" Ouvi um dia, caminhando, e não era ele menos que a um chapado recoveiro(veja V.Mce que enjeitei os filósofos, para citar estes autores), enfim, ouvi-lhe, que Deus o guardasse de mula que faz him, e de mulher que sabe latim.O riso e o gosto com que lhe escutei esta engraçada sentençame faz agora lembrar dela; não se julgue por indecente, se é proveitosa. O ponto está em que o latim não é o que dana; mas o que cosigotraz de outros saberetes envolto aquele saber."
(D. Francisco Manuel de Melo, Carta de Guia de Casados)

PortoCroft disse...

;)))

Lys,

O machismos já vem de longe, como vê. Estarei perdoado pelos 'chiste'? ;))))

LYS disse...

E já que estou com o livro na mão, transcrevo outro trecho mais à frente, que vem na mesma linha de ideias e não é menos cómico:
(JMV pode ser que isto lhe sirva para qualquer conversa com o AM:))))

Passo a citar D. Francisco:
« Já que estou ao fogo, e como desde este lugar falo a V.M.ce e V.Mce me ouve, e me perdoa, irá outra não pior história. Confessava-se um mulher honrada a um frade velho e rabugento; e como começasse a confissão em latim, perguntou-lhe o confessor:" Sabeis latim?" Disse-lhe: " Padre, criei-me em mosteiro." Tornou-lhe a perguntar:" Que estado tendes?" Respondeu: " Casada." A que tornou:"Onde está vosso marido?" " Na Índia,meu Padre" (disse ela). Então com agudeza repetiu o velho:" Tende mão, filha: sabeis latim, criastes-vos em mosteiro, tendes marido na Índia? Ora ide-vos embora, e vinde cá outro dia, que vos é força que tragais muito que dizer, e eu estou com pressa.»

PortoCroft disse...

Lys,

Fiz um compasso de espera para dar oportunidade ao noise de glosar isso mas... ;)

LYS disse...

Atendendo a que a «Carta de Guia de Casados» foi publicada em 1651,
que longo caminho as mulheres percorrerem nestes 354 anos!

LYS disse...

Corrigenda:
Onde escrevi "percorrerem" deve ler-se, obviamente, "percorreram".

LYS disse...

Queria dizer-lhe uma coisa, já que estamos em maré de corrigendas:
O verso 11 da «Profissão de Fé», onde se lê "apóstato" é certamente uma gralha, pois "apóstata" é substantivo masculino e feminino.
A menos que tenha sido propositado. Foi? Mas, se foi, não vão interpretar assim...

Paula disse...

Estive a ler os posts da última semana no blog e depois os comentários associados. Tanto preconceito, ideias feitas completamente descabidas, e algum desconhecimento atroz (nos comentários, nada com JMV). Confesso que fiquei horrorizada, perdoem-me a expressão forte mas é o que sinto. Especialmente, porque nas poucas vezes em que tinha antes espreitado os comentários, mas parecia que as pessoas participantes eram mais ou menos 'esclarecidas'. Nunca tinha participado aqui neste blog mas agora não consegui ficar sem dizer nada. E passo a concretizar.

- Numa relação homossexual há sempre um macho e uma fêmea.

Isto foi afirmado por alguns homens e não sei se também por mulheres, duma forma mais ou menos directa. Implicando inclusivé que para haver uma relação sexual/amorosa era preciso haver essa dicotomia (ex. "a diferença é NECESSÁRIA à "parceria""). A afirmação tem pouco a haver com a realidade. Especialmente no que à homossexualidade feminina diz respeito. E penso que para os homens também será frequentemente assim. Mas em relação a isso um homossexual masculino poderá responder melhor do que eu.

A 'beleza' de uma relação entre duas pessoas do mesmo sexo, ou mais especificamente entre duas mulheres (que é o que conheço), é que não existem papéis e expectativas predefinidas. Não há uma que penetra e outra que é penetrada, uma que fica por cima e outra que fica por baixo. É tudo muito ao sabor do momento, e claro também das preferências de cada pessoa. E penetração, nem é assim muito frequente. E grande parte das relações estabelece-se entre 'mulheres do mesmo tipo', ou seja mais femininas com mais femininas, mais casuais com mais casuais. Quem afirma que há sempre um 'macho' e uma 'fêmea' numa relação homossexual não sabe do que está a falar.


- Nos homens o único ponto erógeno são os genitais e na mulher os genitais e o peito.

Perante uma afirmação destas eu pergunto, mas que raio de sexualidade uma pessoa que pensa assim tem? Numa mulher existem muitos pontos erógenos para além dos 'standard' e para além dos que dão prazer sexual, o toque em todos os pontos do corpo pode nos dar prazer físico. E esse um dos grandes prazeres do sexo. Se o sexo se centrasse só nos genitais e peitos (para as mulheres) que tédio seria! Quanto aos homens, não sendo homem, e tendo pouca experiência com esse sexo, só posso achar que também não só os genitais a única fonte de prazer sexual. Mas aí, estou a mexer em seara alheia, outros (homens) que se pronunciem se quiserem.


PS: estes opinião refere-se a comentários do dia 28. Mas como hoje é 30, e já ninguém 'posta'/lê o dia 28 achei que fazia mais sentido aqui

PortoCroft disse...

Lys,

Desculpe o lapso de tempo entre o seu comentário e a resposta. Fui comprar o meu vício.

Tem toda a razão e ainda bem que me chama a atenção porque eu passo tudo o que escrevo para o 'notepad' e é daí que copio e publico (como sabe tenho que ir acentuar ainda usando o 'carachter map do windows'). Erros desse tipo e de acentuação, sobretudo já aconteceram antes. Fico-lhe grato pela chamada de atenção.

PortoCroft disse...

E depois, há mais esta... eu a teclar sou um espectáculo como já devem ter reparado. ;)

onde se lê: 'carachter' leia-se 'Character'

Anónimo disse...

liguei para o apoio ao telespectador... limitaram-se a confirmar que não haveria programa, o motivo não sabiam... ficou a reclamação! A este respeito já alguns de vós disseram tudo.

uma boa noite

LYS disse...

E como já tem uma nova companheira para conversar (a Paula que acabou de deixar agora um comentário muito interessante) eu despeço-me de si por hoje, mas quero deixar aqui aos "habitués" (e não só!) a poesia a que fiz referência anteriormente:

«Profissão de Fé»
"Formas opalinas/ Movendo-se dum para outro lado,/Dizem-me:-Pára!/ E eu sigo em frente/surdo e indiferente./ Contínuo foragido/ Existe em mim uma clandestinidade/ Que me atrai, aborrece e não pratico./Por isso quando me dizem -Pára!/ Eu sigo sempre em frente,/ Agnóstico, apóstata,/ Mais livre e resistente./ Não me queiram pois submisso/ Nem crente das palhaçadas/ Dos Oficiais do Santo Ofício./ Eu não vou nisso!/ "Deus" não quer isso"/ A minha fé é justamente humana:/ germina no coração dos homens/ Livres e justos./ As minhas velas,/ são cigarros incandescentes,/ Omnipresentes,/Nas minhas noites de vigília./ E o meu terço,/ É o dia dez de cada mês:»
(LUÍS EUSÉBIO)

PortoCroft disse...

Lys,

Já li o comentário da Paula. Pouco posso acrescentar, além do que já disse nos comentários do dia 28.

Uma vez mais obrigado. Bom descanso.

Anónimo disse...

paula

sei de muitos homens e de duas mulheres apenas


foi um prazer ler-te


beijo :)*

laura

Anónimo disse...

há homens que adoram ser beijados nos mamilos e



não posso dizer mais nada
;D

PortoCroft disse...

Diga, diga, Laura. Elucide-nos. ;)))

Anónimo disse...

Sr Jorge P.S. Costa

Tendo-se feito luz na minha cabeça graças à sua intervenção, receio, ainda assim, cair mais no ridículo, mas acho de boa educação dar-lhe uma explicação da minha perspectiva hormonal (1).

Para isso vou repetir o q a minha comadre Esoen me ajudou a escrever aqui, há uns dias atrás, ao q acrescentarei algumas novas aporias:

1. A propósito do trecho de JMV “uma atitude mental anterior aos factos determina a sua valoração”, reconheço que ainda que cultive a igualdade de direitos e deveres, vivo no fosso cavado pela tradição, pela crença e pelo preconceito relativos às diferenças biológicas entre os sexos. Face aos acontecimentos recentes que Espanha protagonizou, tenho vindo a realizar - compreender - que a feitura do mundo começa com uma versão e termina com outra, ou como alguém dizia “começamos, em qualquer ocasião, com alguma velha versão, ou mundo, que tenhamos à mão com a qual ficamos encravados até termos a determinação e a habilidade para a refazermos numa nova.” Determinação e habilidade que, no debate actual da matéria que estamos a analisar, tem sido apanágio dos que lutam para desestabilizar os enunciados de asserção e de crença sobre a dicotomia homosexualidades - heterosexualidades e cuja semântica provoca uma série de problemas e de perplexidades que, apesar dos debates entre linguistas, lógicos e filósofos da linguagem, não chegou a nenhum consenso;

2. Ou seja, comecei a dizer-lhe (com aquela velha versão do mundo) que gostaria de aproveitar para as moças que conheço os homens que gostam de penetrar (quer fossem hetero, homo ou bissexuais) e que andam a faltar aos que gostam de ser penetrados (como o Sr. JPSC disse), versão essa com que me vejo agora muito encravada hormonalmente;

3. Por isso, com determinação e alguma habilidade refaço essa versão e digo-lhe q me parece que (quase) todos os homens têm a fantasia de penetrar seja lá o que for, mas só alguns têm a determinação e a habilidade de ser penetrados – acresce a isto o facto da segunda habilidade ser deveras penosa e danosa;

4. Porque penso q no “Murcon” só se ganhará em manter a sabedoria necessária para integrar a transdisciplinariedade, permitindo-se posts de gente, como eu, q trabalha em áreas diferentes das da psiquiatria e da psicanálise e analisa a realidade noutras perspectivas (a da horticultura, p.ex.), agradeço reiteradamente a JMV a permissão para postar como simples cidadão (cidadã, aliás).

5. Em defesa do meu verbo, tenho a dizer q Sr. JPSC deverá ter reparado ñ ser apenas a gente vulgar a alongar-se em considerandos. Acrescentarei q só dá crédito a essa gente quem quer arriscar-se ao tédio – verifico q foi isto q aconteceu connosco e sugiro q se desligue, desde já, deste diálogo enfadonho.

6. Sobre a mística dos blogs, penso q a organização deste espaço virtual (melhor e mais profissional q o dos chats) veio permitir a intervenção de um surpreendente estilo literário (talvez humorístico porque próximo do nonsense), que é dominado pelos regimes caóticos das borboletas e das monções e onde os confrontos se assemelham mais aos embates aleatórios dos carrinhos de choque do que às amenas cavaqueiras das tertúlias de há 2 séculos.

7. Diria que:
Nas cartas onde a caligrafia de homens nos ofendia, aqui defendemo-nos dos vírus de bandos de fantasmas.
Não mais adeuses, abraços e beijos retorcidos, mas encontrões de flashes fálicos e entranhas mefistofélicas.
Enfim, ninguém mais espera tino, mas tinto.

8. Por mim, não me ofende esta pujante e bruta lassidão. Gosto até de a ver de perto e é com ela que ilustro as histórias que conto aos meus netos, quando resistem a adormecer.

As netas crescidas continuam apreensivas com a seca e agradecem os cumprimentos.

De nós, um profundo até sempre

Ester & Esoen

(1) Afinal já o Sr Wittgenstein, compadre dos avós do vizinho Günter, insistia em que uma explicação é para ser percebida, senão não é uma explicação. Também insistia em dizer que aquilo de que não se pode falar, deve calar-se. Enfim, coisas do antigamente.

PS: Desejo aos Srs noise&port que...façam sexo da forma que melhor vos aprouver...mas não desprezem os que não podem mesmo fazê-lo.

Anónimo disse...

Sr J.P.S.C.

Vieram-me acordar uns compadres para me dizer que com tanta aporia não expliquei a sua versão: muitos passivos para poucos activos.

Bem, como expliquei outra versão, e, por hoje, já não dou conta de mais aporias, dir-lhe-ei que (como acreditava o compadre Hanson de q falei noutro dia), os factos são tão impregnados de teoria quanto nós esperamos que as nossas teorias sejam impregnadas de factos – ou, os factos são pequenas teorias e as verdadeiras teorias são grandes factos,

Boa note

Ester

circe disse...

É uma observação/opinião minha (não
me batam, meninas...):
Os homens, sejam eles psis, actores ou pedreiros, entendem BEM
melhor a sexualidade feminina (com excepções, claro) que as mulheres,
sejam elas psis, secretárias ou
cozinheiras (com excepções,claro).
Isto vem a propósito de uma sexóloga clínica ter afirmado, na
TV, que "duvida da ejaculação feminina". Ora bem, perdoe-me a Dra, não pretendo ofendê-la, só estranho tal "convicção"; proferida por uma Sexóloga Clínica
logo, baseada em estudos no terreno,
só posso concluir que essa conclusão é autobiográfica!!!!!!!!
E, se atentarmos bem, está porventura a alimentar os já gordíssimos fantasmas da(s) sexualidade(s)...
Peço desculpa ao Professor, mas agradecia que transmitisse este meu
reparo à Dra. Lígia, visto eu não
saber como contactá-la directamente.
E, repito, faço-o com todo o respeito por ambos.E considero também que foi boa a participação
dela e dos outros convidados do seu
programa- ILGA e Jurista incluidos.

Um bom fim de semana para todos.
E um sorriso para todas as MÃES do
Mundo e arredores :)

Jorge P. Salema Costa disse...

…to Ester

Saudações

Estou cabalmente elucidado. Obrigado. Lamento que tenha considerado o diálogo enfadonho. Por isso sou breve. Já está.

PS. Não abrevie "Salema" sffv

Anónimo disse...

Sr J.P. Salema C.

Saudações

Estou cabalmente elucidada. Obrigada.
Não considerei o diálogo enfadonho, não.

Até,

Ester

PortoCroft disse...

Ester & Esoen,

Sou o mais inclusivo possível. Não desprezo ninguém e procuro entender tudo e todos. Embora isso não deva ser entendido como aceitar tudo.

Anónimo disse...

Sr portocroft

Aceito toda a sua inclusividade e todo o seu entendimento e ainda o seu não desprezo por quase tudo.

Ester&Esoen

2005.05.02

henrique doria disse...

O CASAMENTO DOS HOMOSSEXUAIS


DO DOTE DAS RAPARIGAS

E onde antes a juventude feminina não podia defender-se da luxúria e rapina dos machos, nem pela guarda dos parentes nem pela fortaleza de muros, virá o tempo em que o pai e os parentes dessas donzelas terão de pagar grande preço a quem queira dormir com elas, mesmo que sejam ricas, nobres e belíssimas.
Parece que a natureza quer apagar a humana espécie, como coisa inútil no mundo, e destruidora de todas as coisas criadas.

LEONARDO DA VINCI-Bestiário, Fábulas e outros Escritos.

Maria disse...

LOL! LOVE IS THE BEST!!!